A importância da leitura para a construção do conhecimento

01/12/2010 • Por • 4,603 Acessos

INTRODUÇÃO

 Sabe-se que a leitura é um dos mais importantes fatores no processo de desenvolvimento intelectual, e que através dela o individuo contribui para seu enriquecimento pessoal como também para sua própria compreensão do mundo, visto que o crescimento econômico e social de uma nação depende em grande parte do grau de instrução de seu povo. Ler é ampliar a percepção, é ser motivado à observação de fatos que antes passavam despercebidos, enfim ler bons livros é capacitar-se para ler a vida.

A leitura é essencial, indispensável. Não existe vida fechada, e a vida aberta é a vida daquele que enxerga, mas não enxergar no sentido de apenas estar vendo cores, o ambiente, mas enxergar sabendo o que está enxergando, conhecendo o que se vê, não sendo analfabeto funcional, mas lendo, fazendo a leitura de mundo, fazendo a leitura de vida.

Segundo Paulo Freire a leitura do mundo precede sempre a leitura da palavra. O ato de ler se veio dando na sua experiência existencial. Primeiro, a "leitura do mundo do pequeno", mundo em que se movia; depois, a leitura da palavra que nem sempre, ao longo da sua escolarização, foi a leitura da "palavra mundo".  

No que se refere à alfabetização, segundo Freire, não basta ensinar apenas os códigos de leitura e escrita, mas também relacionar os estudantes capazes de compreender o significado dessa aprendizagem, para usá-la no dia a dia de forma a atender as exigências da própria sociedade. Em outras palavras, segundo ele mesmo, promover o Letramento.

 A importância da leitura para a construção do conhecimento

 Antigamente a leitura era considerada simplesmente um meio de receber uma mensagem importante. Hoje em dia, porém a pesquisa definiu o ato de ler como um processo mental de vários níveis e que contribui muito para o desenvolvimento da inteligência.

Por essa razão a leitura é uma forma exemplar de aprendizagem, é também um dos meios mais eficazes de desenvolvimento da linguagem e da personalidade.

Ela possibilita uma melhor compreensão do mundo, permitindo ao indivíduo uma visão crítica da realidade. Aquele que não critica apenas assimila não forma sua opinião própria, repete apenas o que recebe. Por isso, não é por acaso que as sociedades menos desenvolvidas e mais dominadas são as que não lêem, são aquelas que admitem o analfabetismo com naturalidade.

Por esses e outros motivos é que a leitura e os livros devem estar constantemente presentes na vida das pessoas, não bastando apenas completar a sua educação escolar. A tarefa do futuro é a educação permanente, ou melhor, a auto-educação permanente.

 Os bons leitores gostam de ler

O mais importante da leitura é encontrar o livro certo, no momento certo, para a pessoa certa, livros que satisfaçam o interesse de vários grupos diferentes de pessoas, devendo-se respeitar a escolha do leitor, pois quando se lê o que gosta, faz-se com prazer, do contrário, o comportamento mais comum é recorrer a outros tipos de passatempo ou informação, ou seja, contentar-se com a ociosidade intelectual. Qualquer pessoa que leia meia hora por dia ficará surpreendida com os grandes progressos que fará na leitura.O interesse é a pedra de toque do progresso, do prazer e da utilidade da leitura. É o gerador de toda a atividade voluntária de leitura.

 Pressupostos para a introdução á leitura

O primeiro refere-se à significação de um ambiente cultural na formação do leitor. Desde muito pequeno os alunos podem "ler" textos de formas não literárias: quando o professor ler para a classe, quando o aluno conta as suas vivências na roda, quando o aluno ouve o colega contar ou descrever algo, quando o aluno ouve uma cantiga e sua letra, quando o aluno lê ilustrações de um livro, quando tem acesso constante aos livros da sala ou da biblioteca, quando sabe que a leitura é uma atividade valorizada pelo professor, essas e outras estimulações despertará o gosto pela leitura desde muito cedo.

Outro pressuposto refere-se aio grau de complexidade do texto e das atividades com os textos. Não se deve poupar o aluno de novos desafios. A função da escola é ensinar novidades, é ampliar o repertório do aluno com a exposição de maior diversidade de gêneros textuais. A dosagem e a experiência devem ser planejadas considerando que a formação do leitor é um processo de amadurecimento. Quanto antes começar mais sentido fará na vida do leitor.

Cuidados especiais e métodos para o ensino da leitura

 Na idade pré-escolar e nos primeiros anos de escola, contar e ler histórias em voz alta, falar sobre livros de gravuras é muito importante para o desenvolvimento do vocabulário, e mais importante ainda para a motivação da leitura.

No processo de alfabetização é preciso encontrar meios para se evitar a leitura mecânica de sílabas e palavras para que se possa obter maior compreensão. A praticada leitura silenciosa se compreende melhor quando se lê em silêncio.

É importante salientar também que praticar a leitura exige naturalmente alguns cuidados, principalmente quando essa prática é em sala de aula. O professor deve se atentar para fatores fundamentais como, por exemplo, a timidez do aluno, que obviamente pode prejudicar sua leitura perante o restante da classe. Assim, se no momento em que o aluno estiver lendo, já nervoso e os colegas começam a rir dele, além de causar desconforto ao aluno, dependendo da reação do próprio professor, este aluno poderá adquirir até mesmo um bloqueio, causando prejuízo o seu processo de leitura. O professor, portanto, deve tomar muito cuidado para não cometer erros, principalmente por se tratar de algo tão complexo que é a leitura em sala de aula.

 Enfim se os efeitos da leitura fossem conhecidos e reconhecidos de um modo geral, os indivíduos responsáveis, as autoridades e a sociedade fariam mais para desenvolver a motivação e o interesse da leitura e para criar hábitos permanentes de leitura.

 Considerações Finais

 Portanto, o que se pode concluir é que a leitura amplia os horizontes do conhecimento e faz com que o indivíduo viaje no mundo das idéias permitindo-lhe uma visão crítica do mundo real.

Porém a que se concluir também que a leitura desprovida de crítica pode levar a simples aceitação mecânica dos argumentos e situações. Por isso é de fundamental importância desenvolver as capacidades críticas juntamente com as capacidades da leitura.

Enfim, a leitura é o melhor meio de impedir o perigoso raciocínio em "preto e branco", (o bem contra o mal) de contrabalançar os instrumentos de persuasão e manipulação subconsciente, pois ler é trocar, ler não é só receber. Ler é comparar as experiências narradas pelo escritor, comparar o próprio ponto de vista dele, recriando e idéias e revendo conceitos.

 

 REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 

BAMBERGER, Richard. Como Incentivar o Hábito de Leitura. São Paulo: Ática, 1995.

KLEIMAN, Ângela. A concepção escolar da Leitura: oficina de leitura (teoria e prática) São Paulo: Pontes Editores, 1993.

_________ Aspectos cognitivos da leitura. Campinas, São Paulo: Pontes Editores, 1989.

 FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. 29. ed. São Paulo: Cortez, 1994.

 ________ Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996. (coleção Leitura)

 

 

 

Perfil do Autor

Solange dos Santos Melo

Solange dos Santos Melo, Pedagoga pela Itec de Tangará da Serra - MT e Pós graduanda em Educação Infantil pelo Instituto Educare-MT.