A importância da Reflexão dentro e fora da sala de aula

Publicado em: 24/05/2010 |Comentário: 1 | Acessos: 2,081 |

A expressão professor – reflexivo, a partir dos anos 90 do século XX, tomou conta do cenário nacional, confundindo-se,inclusive, a reflexão, enquanto atributo de todo ser humano, com o movimento de entendimento do trabalho dos professores (PIMENTA, 2002).

O questionamento que se faz é o seguinte: que tipo de reflexão, deve ter o professor em serviço? Ele deve refletir na ação; deve refletir sobre a ação ; deve refletir sobre a reflexão na ação ou ser um intelectual crítico da própria prática? Será que a reflexão subjetiva do professor em qualquer dessas concepções resolve o problema da prática educativa na atualidade? Entendemos que a reflexão na atividade docente não pode ser uma prerrogativa ou um encargo particular do professor, ela deve ser um processo intersubjetivo, assim como, não podemos renegar os saberes docentes experiências a um plano inferior, em qualquer prática educativa que se disponha a valorizar o trabalho do professor e respeitar o próprio ser humano.

A maioria dos educadores, devido a falta de tempo, ou por algum outro motivo deixam de fazer algo que é importânte para sua prática diária; que é o ato de refletir. Essa atitude ajuda o professor a diagnosticar sua forma de ensinar.Pensar é começar a mudar. Quem não reflete sobre o que faz acomoda-se, repete erros e não se mostra profissional.

O professor deve refletir para entender o seu aluno, para mudar algo que não esta dando certo, para conhecer novas metodologias e enfim! para aprender novas tecnologias.

No caso do professor, isso assume conotação mais grave. Ele lida com gente, crianças e jovens que podem ser afetados por uma conduta inadequada e conceitos errôneos. O professor prático reflexivo nunca se satisfaz com sua prática, jamais a julga perfeita, concluída, sem possibilidade de aprimoramento. Está sempre em contato com outros profissionais, lê, observa, analisa para dar um suporte ao seu educando, sujeito e objeto de sua ação docente. Se isso sempre foi verdade e exigência, hoje, mais do que nunca, não atualizar-se é estagnar e retroceder.

As exigências da tecnologia e do mercado de trabalho são tantas e tão rápidas que o profissional pode ser pego de surpresa em sua prática cotidiana. Notícias, fatos, mudanças podem chegar à sala de aula pela boca dos alunos, sem que o professor tome conhecimento. Quantas vezes, em alguns casos, o aluno supera o professor! Isso tudo por conta da internet e seus meios de comunicação tão ageis que, às vezes o aluno fica bem mais informado que os seu professor. Hoje qualquer criança de 7 anos tem seu "orkut", se naõ tem computador vai na lan hose e se comunica com mundo em questão de minutos.

Existem dois sistemas envolvidos no início da escolarização ( o sistema de representação de números e o sistema de representação de linguagem ), as dificuldades que as crianças enfrentam são dificuldades conceituais semelhantes às da construção do sistema e por isso pode-se dizer, em ambos os casos, que a criança reinventa esses sistemas. Não é reinventar as letras e, ou os números, mas compreender seu processo de construção e suas regras de produção.

 Cada aluno tem sua forma de aprender e seu tempo de aprendizado, cabendo ao professor atravéz da prática da reflexão identificar a forma de aprendizado, e o tempo de cada aluno. No passado os "professores", ensinavam de uma forma tradicional; era uma mesma metodologia com todos os alunos. O professor não buscava informações sobre novas metodologias para, assim agregar novos conhecimentos para somar a sua prática diária.

Normalmente as reflexões psicológicas são efectuadas pelas pessoas que "pensam", "questionam" o que as rodeia. A reflexão psicológica é muitas vezes utilizada na filosofia. Refletir é pensar, abordar um tema, que nos intriga, por vezes.

Nesse sentido o professor é um pensador constante, um investigador que, tem por obrigação buscar novas metodologias de ensino; para facilitar o aprendizado de seus educandos.

O educador compreendido não apenas como facilitador da aprendizagem é um mediador de saberes, praticando uma pedagogia ativa centrada no educando e que tem um papel decisivo na construção da cidadania dos sujeitos. A partir das idéias de Paulo Freire os docentes começaram a se preocupar com o aspecto crítico e reflexivo da educação e coma leitura da realidade.

 Segundo Freire (2001), a crítica é a curiosidade epistemológica, resultante da transformação da curiosidade ingênua, que criticizar-se. Corroborando com essa idéia Freire afirma:

 A curiosidade como inquietação indagadora, como inclinação ao desvelamento de algo, como pergunta verbalizada ou não, como procura de esclarecimento, como sinal de atenção que sugere alerta faz parte integrante do fenômeno vital. Não haveria criatividade sem a curiosidade que nos move e que nos põe pacientemente impacientes diante do mundo que não fizemos, acrescentando a ele algo que fizemos.(2001 p.53).

 Desta forma é preciso defender um processo de formação de professores em que as escolas sejam concebidas como uma instituição essencial para o desenvolvimento de uma democracia crítica e também para a defesa dos professores como intelectuais que combinam a reflexão e a prática, a serviço da educação dos estudantes para que sejam cidadãos reflexivos e ativos. O mundo evolui em uma velocidade assustadora e o professor tem que estar atento a essa evolução refletindo e repensando sua prática diária, dentro e fora da sala de aula, para que seus alunos não sejam prejudicados na aquisição dos seus conhecimentos básicos.

 

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-artigos/a-importancia-da-reflexao-dentro-e-fora-da-sala-de-aula-2442050.html

    Palavras-chave do artigo:

    reflexao professor educacao aluno tecnologia

    Comentar sobre o artigo

    vanessa de fatima silva moura

    Ao se considerar relevante o aprofundamento e o conhecimento em relação à formação docente para o uso de novas tecnologias educacionais. Percebe-se que a formação de professores para a utilização das novas Tecnologias de Informação e Comunicação, de forma específica os computadores, que têm contribuído na educação e aprimoramento da pratica educativa, que deve ser pautada pela compreensão das possibilidades e limites deste instrumento na concretização do papel educativo da escola.

    Por: vanessa de fatima silva moural Educaçãol 18/07/2011 lAcessos: 1,530
    Professor Marcos Paulo

    TRADUTORES DO BRASIL APRESENTA - educação on-line pode ser definida como o conjunto de ações de ensino-aprendizagem que são desenvolvidas através de meios telemáticos, como a Internet, a videoconferência e a teleconferência. A educação on-line nos traz questões pedagógicas específicas com desafios novos para a educação a distância e para a presencial. Existe hoje no Brasil uma grande variedade de cursos on-line: cursos para poucos e para muitos alunos, cursos com pouca interação ...

    Por: Professor Marcos Paulol Educação> Educação Onlinel 15/09/2011 lAcessos: 156

    RESUMO A educação brasileira encontra-se num momento de crise, pois, a função da escola vem mudando gradativamente, com essa mudança os professores estão sendo sobrecarregados durante o desenvolvimento de seu trabalho, já que além de ter que repassar seu conhecimento acadêmico, tem tido que repassar valores que até pouco tempo eram recebidos em casa, de seus responsáveis.

    Por: Eraldo Pereira Madeirol Educação> Educação Onlinel 27/09/2010 lAcessos: 18,010 lComentário: 2

    Este estudo focaliza a formação do professor na educação infantil, visando analisar como ocorre esta formação num contexto escolar. A pesquisa teve como objetivo investigar quais estratégias didáticas são necessárias para que um professor seja bem sucedido na educação infantil.

    Por: Rosimar Nádila O. Saraival Educação> Educação Infantill 19/10/2010 lAcessos: 7,326
    Leudimila Parcianello

    A cada dia novas ferramentas tecnológicas são criadas para benefício da sociedade. Na educação ela ganha força na intenção de facilitar o processo de ensino e aprendizagem, mas também pode tornar-se um vilão entre os docentes, quando não estimulados a conhecerem, entenderem e usufruírem dos seus benefícios. Professores da licenciatura são os principais alvos do uso dessas novas ferramentas. Contudo, quantos deles as conhecem? A instituição de ensino dispõe desses recursos? Incentiva seu uso?

    Por: Leudimila Parcianellol Educação> Ensino Superiorl 17/07/2011 lAcessos: 1,239
    Daniel Motta

    A revista Nova Escola é uma publicação de periodicidade mensal, criada em 1986 pela Fundação Victor Cívita. A revista é voltada à comunidade de professores do ensino fundamental. Entre suas editorias, ela aborda diversos assuntos da área educacional, sob as mais variadas formas de textos jornalísticos: entrevistas com especialistas, artigos, relatos de experiências, idéias para sala de aula e seções destinadas a divulgação de trabalhos desenvolvidos em diferentes comunidades do país.

    Por: Daniel Mottal Educação> Ensino Superiorl 05/11/2010 lAcessos: 4,576 lComentário: 1
    Rogério Ferreira Leite

    Este trabalho contém as premissas básicas para que o educador atinja plenamente o objetivo de proporcionar aos seus alunos uma formação adequada às exigências do século XXI.(PARTE 1)

    Por: Rogério Ferreira Leitel Educação> Ciêncial 15/07/2010 lAcessos: 13,055
    Regivaldo Cláudio de Freitas

    O objetivo central do trabalho é promover uma discussão estabelecendo paralelos entre a forma como a Matemática é tradicionalmente trabalhada (como forma de exclusão) e a Matemática Libertadora a serviço da transformação social. E, discutir a importância da integração da tecnologia ao currículo. Os principais autores utilizados foram Vygotsky e Ubiratan D' Ambrósio. A metodologia utilizada baseia-se no paradigma hermenêutico cuja pesquisa é de natureza qualitativa.

    Por: Regivaldo Cláudio de Freitasl Educação> Ensino Superiorl 29/01/2012 lAcessos: 951

    Este é um Trabalho de Conclusão de Curso de Pedagogia da Universidade Federal de Mato Grosso, Campus Universitário de Rondonópolis do Instituto de Ciências Humanas e Sociais – UFMT/CUR/ICHS.O interesse pela temática foi despertado por meio da minha participação ativa no Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência – PIBID, nas atividades da prática na sala de aula na escola pública conveniada e, ao mesmo tempo, nas disciplinas estudadas no curso de Pedagogia durante os anos de forma

    Por: Roselene Batista Gill Educaçãol 26/11/2014
    Verônica Carreiro

    O presente trabalho tem como objetivo ser uma contribuição para o debate acerca da importância das brincadeiras para o desenvolvimento infantil. Nesse intuito o trabalho busca explorar as posições mais correntes acerca das atividades lúdicas e sua importância para a Pedagogia e a sociedade em geral. Para ampliar a discussão buscou-se embasamento teórico sobre o desenvolvimento da criança.

    Por: Verônica Carreirol Educação> Educação Infantill 22/02/2012 lAcessos: 783

    Com o advento da globalização, a educação é tida como o maior recurso de que se dispõe para enfrentar essa nova estruturação mundial. Objetiva-se evidenciar a importância dos alunos encontrarem na escola não só evidências de seu próprio mundo, mas também aparato capaz de os "cunharem" para uma participação social plena e não "fatiada", como sugere o estudo por disciplinas. Jovens e adultos, público cada vez mais informatizado, exige que as disciplinas deixem de ser apresentadas de forma isolada.

    Por: KÁTIA CÉLIA FERREIRAl Educaçãol 18/12/2014

    A expressão artística faz parte da história humana desde os tempos mais remotos. Sendo assim, a Arte é um dos modos de conhecimento ao qual os estudantes devem também ter acesso, assumindo-se como sujeitos capazes de apreciação estética e criação artística, articuladas aos processos e mediações da cultura contemporânea. Diante das mudanças pelas quais o ensino-aprendizagem de Arte passou, vê-se a necessidade de discorrer a respeito da presença desta disciplina no currículo escolar, revendo sua i

    Por: KÁTIA CÉLIA FERREIRAl Educaçãol 18/12/2014

    Sabe-se que a educação é responsável pela formação do aluno enquanto cidadão, de maneira a prepará-lo para a vida em sociedade, para que saiba atuar criticamente nesse meio. Assim, a escola inclusiva busca complementar a formação do aluno por meio das relações de convivência, uma vez que conviver com o diferente é parte desse processo de formação, até porque, como já mencionamos, é na escola que o aluno desenvolve seus aspectos cognitivos, motores e psicológicos.

    Por: Rosely dos Santos Ferreiral Educaçãol 17/12/2014

    As revela à existência de ações políticas e sociais que possam concretizar e promover a efetividade da inclusão social da pessoa com necessidade educacional especial. Vejo que a sociedade deve compreender como se dá o processo de ensino-aprendizagem da criança com Síndrome de Down na Educação Básica, as dificuldades enfrentadas e as possibilidades e mecanismos de reconhecimento e aceitação dessas limitaçõ

    Por: Rosely dos Santos Ferreiral Educaçãol 17/12/2014

    No processo de inclusão a escola propõe a conviver com o "diferente", aceitá-lo, auxiliá-lo, e muitas vezes aprender algo com essas crianças. Entretanto para oferecer uma inclusão verdadeira é preciso entender as particularidades das crianças, mediar a socialização de forma que todos trabalham para o aprendizado de cada uma delas, em benefício de todos. Pretendo contribuir com as discussões éticas e educacionais que envolvem a formação da criança Down por meio da educação.

    Por: Rosely dos Santos Ferreiral Educaçãol 17/12/2014

    A educação escolar é um dos contextos em que a criança aprende e desenvolve-se nos aspectos cognitivos, emocional e social. Por isso a necessidade de incluir a criança com necessidades especiais na escola, pois atender a todos é parte do processo educativo, por isso a diversidade cultural e outras questões sociais precisam ser vivenciadas também em sala de aula.

    Por: Rosely dos Santos Ferreiral Educaçãol 17/12/2014

    Apresento algumas características que identificam a criança Down, o conceito de Educação Inclusiva e Educação básica, e da diversidade na educação. Relacionam-se aspectos positivos da inclusão da criança Down na Educação Básica e como deve acontecer essa inclusão, enumerando as dificuldades no processo de inclusão da criança Down na Educação Básica. Conceitua-se a Síndrome de Down e sua identificação, bem como o tratamento e a motivação para inserir a criança com deficiência na Educação Básica.

    Por: Rosely dos Santos Ferreiral Educaçãol 17/12/2014

    O estudo realizado teve como foco principal compreender os avanços no processo de construção do conhecimento dos alunos de uma turma de 3º ano, através dos jogos matemáticos, priorizando, desse modo, a ludicidade no ensino. A pesquisa foi desenvolvida durante o estágio realizado pela acadêmica e pesquisadora junto a uma turma de 3º ano.

    Por: Luziane Da Silva Costal Educaçãol 15/12/2014 lAcessos: 11
    Rosângela da Glória Santos

    Estou escrevendo este artigo, pois passei por uma situação desagradavél de erro médico(infecção hospitalar).O que poucos leitores sabem é que, o servidor também pode ser responsabilizado pelos danos que causar a contribuinte.A infecção hospitalar é uma síndrome infecciosa (infecção) que o indivíduo adquire após a sua hospitalização ou realização de procedimento ambulatorial.Os sintomas são relacionados ao local do procedimento ou envolvem algum sistema, como respiratório ou urinário.

    Por: Rosângela da Glória Santosl Saúde e Bem Estarl 11/04/2010 lAcessos: 1,666 lComentário: 1
    Rosângela da Glória Santos

    Supervisionam os exercícios dos alunos. A educação se faz na escola, onde muitas outras coisas acontecem. A atmosfera favorável da sala de aula reflete atitudes positivas do professor, como mostrar-se aberto às necessidades dos alunos, possuírem curiosidade intelectual, manifestar interesse e respeito pelos alunos. Ambas terão muita interferência das tecnologias e formatos diferentes dos que conhecemos. A educação deve servir para a melhora objetiva da realidade na qual ela ocorre.

    Por: Rosângela da Glória Santosl Educaçãol 11/05/2009 lAcessos: 1,251
    Rosângela da Glória Santos

    Às vezes perdemos a chance de conhecer a fundo, pessoas legais que poderiam nos ensinar um pouco de nós mesmos; passar sentimentos que poderia mudar a nossa maneira de viver a vida. Por causa de achismos, de ver a pessoa somente por fora, às vezes pensamos que conhecemos alguém, e por dentro ela pode ser uma pessoa completamente diferente do que nós imaginamo. Por isso cuidado! Não faça julgamentos precipitados quando conhecer alguém; ela pode ser o amigo que você tanto precisa.

    Por: Rosângela da Glória Santosl Religião & Esoterismo> Religiãol 18/04/2009 lAcessos: 493
    Rosângela da Glória Santos

    Artigo - O que nos pediria um autista 1- Ajuda-me a compreender. 2- Não te angusties comigo, porque me angustio. Ajuda-me a entendê-las. Tenho muito menos complicações do que as pessoas consideradas normais. Não tens que te fazer autista para me ajudar. Compartilho muitas coisas das crianças, adolescentes ou adultos ditos “normais”. 13- Vale à pena viver comigo.

    Por: Rosângela da Glória Santosl Educaçãol 05/04/2009 lAcessos: 2,357
    Rosângela da Glória Santos

    Em tempos de mudanças com o ensino que se transforma a todo tempo e novas técnicas de ensino, o que se esperava dos alunos era uma vontade de aprender passiva para mudar a realidade em que vive. Dessa forma, educar requer participações ativas do aluno. Dessa forma o papel do educador hoje esta mais para instigador do educando na aventura de sua busca pelo conhecimento, não só na sala de aula, mas em toda parte, proporcionando ao aluno condições para que este amplie seu relacionamennto.

    Por: Rosângela da Glória Santosl Educaçãol 04/04/2009 lAcessos: 12,901
    Rosângela da Glória Santos

    O diretor escolar precisa: Ter pré-disposição para trabalho coletivo. Ser conhecedor da realidade da escola: o diretor precisa conhecer não apenas a escola internamente, mas a comunidade envolta da escola. As pessoas, na maioria das vezes, avaliam o comportamento do diretor da escola com o comportameExistem outros aspectos do trabalho que o diretor deve fazer na escola e que chamamos de papéis ou atribuições. O diretor escolar como também o vice-diretor ou diretor adjunto, naquelas escola.

    Por: Rosângela da Glória Santosl Educaçãol 04/04/2009 lAcessos: 108,398 lComentário: 14
    Rosângela da Glória Santos

    O professor consciente da sua importância para o mundo trabalha feliz, e procura dar tudo de si em prol do futuro dos seus alunos. Professor valorizado é professor feliz e estando feliz ganha ânimo para estudar e crescerintelectualmente e como profissional. Cidadão é, pois, aquele que está capacitado a participar da vida da cidade literalmente e, extensivamente, da vida da sociedade (...); ser cidadão significa, portanto, participar ativamente da vida da sociedade moderna.

    Por: Rosângela da Glória Santosl Educaçãol 31/03/2009 lAcessos: 10,068 lComentário: 1
    Rosângela da Glória Santos

    Hoje eu quero falar de um assunto que é um pouco delicado, devido a complexidade dele.Quero falar de pessoas como a personagem Flora vivida pela atriz (Patricia pilar), que esta dando um show de interpretação na minha opinião.

    Por: Rosângela da Glória Santosl Arte& Entretenimentol 31/03/2009 lAcessos: 2,039

    Comments on this article

    -1
    xx*--* 19/09/2010
    PORCARIAS
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast