A Importância Do Lazer Para O Coletivo

Publicado em: 01/11/2009 |Comentário: 1 | Acessos: 6,355 |

O lazer como hoje é conhecido é um problema urbano que é tipicamente característico das grandes cidades, mas isso não significa que fiquem restritos as grandes cidades, pois  como existe a mídia para divulgar para regiões  que não são tão urbanizadas, no entanto para  MARCELLINO (2006) vai apresentar o conceito de lazer fazendo relação a  duas idéias centrais entre espaço e equipamento.

“O espaço é entendido como suporte para os equipamentos. E os equipamentos são compreendidos como os objetos que organizam o espaço em função de determinada atividade. (...), conclui-se que é possível se exercer atividades de lazer sem um equipamento, mas é impossível fazer um lazer sem a existência de um espaço”. (MARCELLINO 2006 p 66)

MARCELLINO diz que importante se ter um espaço para se ter uma atividade de lazer, no entanto no meio urbano existe um desafio de se encontrar esse espaço para um processo de socialização, isso por causa do êxodo rural, existe uma aglomeração de pessoas no meio urbano, e os principais serviços em favor da população.

“Entretanto se verifica uma serie de descompassos em relação ao espaço e lazer. O crescimento de nossas cidades é relativamente recente, caracterizando-se pela aceleração e imediatismo. O aumento da população urbana, agravado pelo êxodo rural e pelas migrações das cidades menores para aquelas que constituem em pólos de atração, não foi acompanhado no que se refere à habitação e serviços urbanos, gerando desníveis na ocupação do solo e diferenciando marcadamente, de um lado as áreas centrais, concentrada de beneficio, e de outro, a periferia, verdadeiro deposito de habitações”. ( IDEM p 66-67)

É importante se fazer essa democratização do espaço para o lazer para um maior processo de socialização, mas não somente ter um espaço para o lazer, mas um espaço que ajude a também fazer construir a cidadania, algo que não é feito nas políticas públicas relacionada ao lazer feito tanto pelos governos federais, ou estaduais como é refletido por MARTINS (2006).

“Não obstante, as políticas de lazer, quando se voltam para as periferias, metropolitanas, não raro, se caracterizam pelo atendimento aos que não compõem a demanda solvável da indústria do lazer, proporcionando-lhes equipamentos e/ou atividades aos quais não teriam acesso economicamente. E, assim circunscritas, encontra-se desarticuladas, por exemplo, das questões afeitas à atuação das forças que consubstanciam o setor centralizado no lazer, bem como ficam ao largo das questões referidas ao processo geral de reprodução capitalista da riqueza”. (MARTINS 2006 p 105)

MARTINS (2006) diz que esse tipo de política pública foi construído devido à própria criação de cidadania construída ao longo dos séculos XVIII e XIX, por isso quando se tem uma política pública para o lazer, ela não está relacionada à construção da cidadania, mas somente uma utilização de um espaço sem a reflexão da atividade em que se está executando.

  1. “Penso amplamente medidas e explicações para que os fundamentos objetivos da realidade social continuem intocados pela política deve-se a limitações da cidadania moderna. Primeiro lugar, é certo (como próprio Marshall demonstrara em seu clássico trabalho) que os direitos sociais configuram uma participação na riqueza socialmente produzida, impondo modificações nas situações experimentadas pelas classes sociais, o que dificilmente seria acessível a partir das condições que determinam as próprias classes. Também sabemos que os direitos sociais, ao serem inscritos como deveres do Estado, impõem-lhe custos. Mais que isso poder-se-ia dizer que a constituição de um fundo público como base na qual se travam embates políticos perturba, com efeito, a geometria do poder(...) Mas ao mesmo tempo a cidadania constitui-se num umbral, num limite que condiciona a democracia , haja vista esta é mais que um regime jurídico-político cuja culminação residiria na configuração e a consolidação do Estado de direito onde estariam assegurada a prerrogativa da cidadania moderna, exercida através dos direitos (civis, sociais e políticos, tal como consagrados). (IDEM p105-106).

O lazer é uma das formas de socialização que todo ser humano tem de estar com o outro, de conhecer os outros saber um pouco da vida do mesmo e dessa forma tendo dialogo, e participando de atividade esportiva e educativa é uma forma de ganhar responsabilidade, além de ser uma forma de inclusão social, e é uma forma de diminuir a violência é aproveitar bem o tempo livre como é abordado por BACAL (1988):

“Não constitui, porém características da natureza humana a capacidade de manter constantemente ativa se o tipo de atividade em que se pensa é diretamente relacionado à idéia de trabalho. Por imposição da própria fisiologia, após o esforço físico despendido da realização do labor diário, o homem tem descansar. Além disso precisa alimentar-se, repousa-se (recuperar energia e distrair-se o que faz mediante jogos, festas entretenimento ou qualquer atividade gratuita). Para George Hourdin a festa é descanso a que se entregam os membros de uma coletividade porque sentem necessidade de comungar em sua fé no sobrenatural ou na alegria de um acontecimento ocorrido entre eles, e que enquanto a todos atinge também a todo transcende.Por seu turno, o jogo envolve as atividades fortuidas e de natureza competitiva a que se dedicam os homens durante o descanso de que dispõem ou no decurso das festas que celebram”. (BACAL 1988 p15)

Como BACAL apresenta acima que todo ser humano precisa de um tempo de descanso para se recompor do tempo de trabalho, é importante está na vida pública tenha uma grande qualidade, e isso só é alcançado através do bom aproveitamento do tempo de lazer, que é uma forma de socialização entre as pessoas, MORAIS (1981) vai discutindo sobre o principal motivo do surgimento da violência urbana que é o medo, pois “onde há medo, há ameaças; e onde estão às ameaças está à violência” (MORAIS 1981 p15).

E o medo que é a fonte da violência urbana, pois quando não se conhece o outro, tem a tendência de agredir, como uma forma proteger-se de um possível ataque do outro. E para que esse sentimento não surja é necessário que exista um processo de socialização onde cada pessoa possa conhecer um ao outro, o seu nome, onde mora, um pouco da sua história, e oportunidade de compartilhar o mesmo espaço, sem exclusão do outros.

Por  isso a importancia de criar mais políticas públicas voltadas para o desenvolvimento da prática esportiva, além de diminuir a violência entre os jovens, pois estes vão se sentir incluido na sociedade, vai também resolver casos de saúde pública. Muitas vezes a doença que uma pessoa tem é falta de relacionamento com outras pessoas.

Referência Bibliográfica

BACAL, Sarah S. Laser:Teoria e Pesquisa. São Paulo Editora Loyola, 1988.
MARCELLINO, Nelson Carvalho. O Lazer e os Espaços na Cidade. In IN ISAYAMA, Hélder e LINHALES, Meily Assbú (org). Sobre Lazer e Política: Maneiras de ver, maneira de fazer. Belo Horizonte Ed. UFMG. 2006, p. 65-92
MARTINS, Sérgio. Lazer, Urbanização e os Limites da Cidadania. IN ISAYAMA, Hélder e LINHALES, Meily Assbú (org). Sobre Lazer e Política: Maneiras de ver, maneira de fazer. Belo Horizonte Ed. UFMG. 2006, p. 93-116
MORAIS, Regis de. O que é violência urbana 13° ed. São Paulo Editora Brasiliense, Coleção Primeiros Passos 1997.
ODALIA, Nilo. O que é violência. 4° ed. São Paulo Editora Brasiliense Coleção Primeiros Passos, 1993.

Avaliar artigo
5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 4 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-artigos/a-importancia-do-lazer-para-o-coletivo-1406978.html

    Palavras-chave do artigo:

    lazer

    ,

    educacao

    ,

    saude

    Comentar sobre o artigo

    Valdec Romero Castelo Branco

    O trabalho procura destacar a atualidade do questionamento do padrão sistêmico de integração econômica difundido no pós-Segunda Guerra – a globalização. Discute-se os problemas do baixo dinamismo econômico no País na década de 1980 e 1990 e suas repercussões sobre os níveis de emprego. trata-se, também, do problema da educação como fator-chave na explicação da exclusão social no País. Na última parte analisa a questão demográfica e a sua inter-relação com a família.

    Por: Valdec Romero Castelo Brancol Educaçãol 20/07/2010 lAcessos: 3,510
    Adriana da Cunha Leocadio

    A Constituição Federal Brasileira de 1988 simboliza uma nova etapa e garante a todos o direito à saúde como obrigação do Estado, ad libitum da democracia no país. A saúde e sua proteção, estão abraçadas no ordenamento jurídico-constitucional, traduzindo uma miríade de aspectos que suscita pela sua relevância, impondo uma delimitação do âmbito do presente estudo.

    Por: Adriana da Cunha Leocadiol Direito> Legislaçãol 03/12/2010 lAcessos: 6,087

    Este estudo tratará do direito à saúde como direito fundamental encartado na Constituição Federal de 1988, por ser dever do Estado o fornecimento dos diversos meios para garantir a saúde da população de forma ampla, o trabalho tratará do direito à saúde, seu conceito histórico, a saúde como direito fundamental, a Lei 8.080/90, bem como a reserva do possível como garantia de cumprimento do preceito constitucional.

    Por: Mateus Blumel Direitol 23/09/2011 lAcessos: 377

    Este artigo é fruto de estudos realizados e de experiências profissionais vividas em instituição educacional de ensino especializado, buscando compreender a dinâmica do processo de (re) significação, ou consequente revisão, no campo das ideias, e quiçá, práticas, acerca da modalidade de educação especial e inclusiva no sistema de ensino brasileiro. Com efeito, tal artigo é adornado de reflexões com perspectivas híbridas sobre o fazer da educação especial na perspectiva da inclusão, fazendo valer, todavia, as contribuições da educação especial no processo de desenvolvimento sócio-educativo da pessoa com deficiência no ensino regular.

    Por: Marcos Matozinhos de Morais Munhósl Educaçãol 21/09/2009 lAcessos: 3,508 lComentário: 1
    Alessandro Neves de Araujo

    A palavra inclusão vem sendo colocada e usada muito atualmente, em todos os sentidos, principalmente na educação. Existem discussões dos educadores quanto ao termo e significado da inclusão, pois o desafio está nos projetos colocados em teoria e que deverão passar para a pratica, no qual todos os seres humanos usufruir os mesmos direitos.

    Por: Alessandro Neves de Araujol Educação> Ciêncial 06/10/2011 lAcessos: 433

    No presente trabalho abordar-se-á a temática polêmica e delicada na sociedade atual, o direito à educação de pessoas que possuem algum tipo de deficiência, seja ela visual, auditiva, genética, mental, física, entre outras. No contexto escolar constantemente presencia-se cenas de descaso, marginalização e discriminação de crianças portadoras de necessidades educacionais especiais e/ou deficientes.

    Por: SIMARA SEBASTIANA DA SILVSl Educação> Educação Infantill 10/12/2012 lAcessos: 94

    O estudo de currículo é determinante no contexto educacional, haja vista que ele norteia as situações de ensino, os conteúdos, os objetivos, as metodologias e as avaliações, ou seja, todo o planejamento escolar. Em uma dessas mudanças paradigmáticas de educação Goiás entra em um período de gestão 2012 de bimestralização do currículo, essa mudança acarretará vários fatos e transições na educação do estado. Analisaremos e discutiremos as mudanças desse período sobre um olhar crítico social.

    Por: BRUNO AMARAL RAMOSl Educaçãol 05/08/2012 lAcessos: 469
    Michely Matias Lopes

    Esta obra tem como finalidade mostrar como os aspectos culturais, sociais, políticos e afetivos influenciam na prática da Educação Física escolar. E para fundamentar essa afirmação, trazemos ao longo do texto os conceitos que apontam para essa importância. As atividades com finalidades de lazer, expressão de sentimentos, afetos e emoções, manutenção da saúde e da qualidade de vida, atualmente são consideradas fundamentais para o desenvolvimento da cultura corporal.

    Por: Michely Matias Lopesl Educaçãol 30/10/2009 lAcessos: 16,607 lComentário: 5
    Alinne do Rosário Brito

    As questões identitárias deste componente curricular educação física sempre se articulou sobre uma perspectiva do esporte e dos valores sociais, neste texto se buscou compreender as mudanças ocorridas no campo da legislação , mas principalmente quanto ao aspecto pedagógicos aos quais vem transformando a práxis do mesmo.

    Por: Alinne do Rosário Britol Educaçãol 18/06/2014

    Com o advento da globalização, a educação é tida como o maior recurso de que se dispõe para enfrentar essa nova estruturação mundial. Objetiva-se evidenciar a importância dos alunos encontrarem na escola não só evidências de seu próprio mundo, mas também aparato capaz de os "cunharem" para uma participação social plena e não "fatiada", como sugere o estudo por disciplinas. Jovens e adultos, público cada vez mais informatizado, exige que as disciplinas deixem de ser apresentadas de forma isolada.

    Por: KÁTIA CÉLIA FERREIRAl Educaçãol 18/12/2014

    A expressão artística faz parte da história humana desde os tempos mais remotos. Sendo assim, a Arte é um dos modos de conhecimento ao qual os estudantes devem também ter acesso, assumindo-se como sujeitos capazes de apreciação estética e criação artística, articuladas aos processos e mediações da cultura contemporânea. Diante das mudanças pelas quais o ensino-aprendizagem de Arte passou, vê-se a necessidade de discorrer a respeito da presença desta disciplina no currículo escolar, revendo sua i

    Por: KÁTIA CÉLIA FERREIRAl Educaçãol 18/12/2014

    Sabe-se que a educação é responsável pela formação do aluno enquanto cidadão, de maneira a prepará-lo para a vida em sociedade, para que saiba atuar criticamente nesse meio. Assim, a escola inclusiva busca complementar a formação do aluno por meio das relações de convivência, uma vez que conviver com o diferente é parte desse processo de formação, até porque, como já mencionamos, é na escola que o aluno desenvolve seus aspectos cognitivos, motores e psicológicos.

    Por: Rosely dos Santos Ferreiral Educaçãol 17/12/2014

    As revela à existência de ações políticas e sociais que possam concretizar e promover a efetividade da inclusão social da pessoa com necessidade educacional especial. Vejo que a sociedade deve compreender como se dá o processo de ensino-aprendizagem da criança com Síndrome de Down na Educação Básica, as dificuldades enfrentadas e as possibilidades e mecanismos de reconhecimento e aceitação dessas limitaçõ

    Por: Rosely dos Santos Ferreiral Educaçãol 17/12/2014

    No processo de inclusão a escola propõe a conviver com o "diferente", aceitá-lo, auxiliá-lo, e muitas vezes aprender algo com essas crianças. Entretanto para oferecer uma inclusão verdadeira é preciso entender as particularidades das crianças, mediar a socialização de forma que todos trabalham para o aprendizado de cada uma delas, em benefício de todos. Pretendo contribuir com as discussões éticas e educacionais que envolvem a formação da criança Down por meio da educação.

    Por: Rosely dos Santos Ferreiral Educaçãol 17/12/2014

    A educação escolar é um dos contextos em que a criança aprende e desenvolve-se nos aspectos cognitivos, emocional e social. Por isso a necessidade de incluir a criança com necessidades especiais na escola, pois atender a todos é parte do processo educativo, por isso a diversidade cultural e outras questões sociais precisam ser vivenciadas também em sala de aula.

    Por: Rosely dos Santos Ferreiral Educaçãol 17/12/2014

    Apresento algumas características que identificam a criança Down, o conceito de Educação Inclusiva e Educação básica, e da diversidade na educação. Relacionam-se aspectos positivos da inclusão da criança Down na Educação Básica e como deve acontecer essa inclusão, enumerando as dificuldades no processo de inclusão da criança Down na Educação Básica. Conceitua-se a Síndrome de Down e sua identificação, bem como o tratamento e a motivação para inserir a criança com deficiência na Educação Básica.

    Por: Rosely dos Santos Ferreiral Educaçãol 17/12/2014

    O estudo realizado teve como foco principal compreender os avanços no processo de construção do conhecimento dos alunos de uma turma de 3º ano, através dos jogos matemáticos, priorizando, desse modo, a ludicidade no ensino. A pesquisa foi desenvolvida durante o estágio realizado pela acadêmica e pesquisadora junto a uma turma de 3º ano.

    Por: Luziane Da Silva Costal Educaçãol 15/12/2014 lAcessos: 11

    A presente resenha apresenta os principais pontos trabalhado por Montesquieu sobre o que ele entende sobre o Espírito das Leis.

    Por: Vicente Vagner Cruzl Notícias & Sociedade> Polítical 09/05/2011 lAcessos: 9,435

    O presente texto visa discutir a construção do método fenomenológico elaborado pelo filosofo alemão Edmund Husserl, e como esse método pode ser aplicado na parte metodológica do professor no momento em que elabora sua didática em sala de aula. Por isso a importância de conhecer esse método pelos professores de qualquer área do conhecimento como uma possibilidade da utilização esse método para melhor elaborar a sua didática e possibilitar a construção do conhecimento do discente.

    Por: Vicente Vagner Cruzl Educaçãol 07/09/2010 lAcessos: 1,371

    O sociólogo Carlos Benedito Martins apresenta o que é Sociologia, e mostra o seu conceito contraditório sobre essa ciência, que abre para a diversidade de interpretação.

    Por: Vicente Vagner Cruzl Notícias & Sociedade> Cotidianol 17/07/2010 lAcessos: 17,592

    A presente resenha mostra a visão do Antropologo Carlos Brandão sobre o que ele pensa sobre a educação.

    Por: Vicente Vagner Cruzl Educação> Ensino Superiorl 06/06/2010 lAcessos: 13,495 lComentário: 1

    O presente texto visa apresentar as idéias centrais debatida por ZUIN sobre o seu livro o trote na universidade em que por ocasião do ingresso de muitos jovens na universidade teve vários trotes em que levaram vários calouros à morte. O trote universitário que antes devia ser um rito de passagem para que os jovens calouros se tornem amigo dos veteranos em que conhecem uma nova forma de socialização com os outros (veteranos) se torna um rito de passagem marcado pela violência física e moral.

    Por: Vicente Vagner Cruzl Educação> Ensino Superiorl 01/04/2010 lAcessos: 956

    A presente resenha do livro faz uma reflexão sobre de como a didática do professor ajuda reproduzir a hostilidade entre professor e aluno. E isso mostra-se presente nas comunidades do orkut. A resenha contribui para a reflexão dos professores e que estes precisam revisar sua atitude diante de sala de aula.

    Por: Vicente Vagner Cruzl Educação> Ensino Superiorl 31/03/2010 lAcessos: 1,387

    A presente resenha apresenta um texto que é pouco conhecido dos leitores brasileiros sobre o tratado sobre a Educação, que não afasta muito da sua tese do imperativo categorico, em que mostra como os pais devem educar os seus filhos. Uma leitura essencial para todos aqueles que fazem licenciatura.

    Por: Vicente Vagner Cruzl Educaçãol 11/01/2010 lAcessos: 1,434

    O presente texto visa apresentar a resenha de um livro escrito por Fernando Henrique Cardoso falando sobre sua experiencia política, e diz o que é necessário que o jovem faça para se transforma um bom político.

    Por: Vicente Vagner Cruzl Notícias & Sociedade> Polítical 30/12/2009 lAcessos: 2,000 lComentário: 1

    Comments on this article

    0
    taa * 21/02/2011
    a mano, eu tenho qe fazer um trabalho sobre essas coisas mais isso tá certo ? ? :S
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast