A Inclusão Do Deficiente No Âmbito Escolar

23/11/2009 • Por • 4,603 Acessos

Para que haja uma educação inclusiva é necessário que aceite as diferenças e não apenas uma simples colocação em sala de aula. Essa inclusão significa provisão de oportunidades a todos os estudantes, incluindo aqueles com deficiência severa, para que eles recebam serviços, suplementares de auxilio e apoio, em classes adequadas a sua idade, a fim de prepara – los para a vida produtiva como membros plenos da sociedade.

Todos os defensores da melhoria das escolas para melhorar atender as diferentes necessidades dos alunos devem unir-se e reconhecer os princípios e que as boas escolas são boas escolas, para todos os alunos e então agir com base nesse princípio.

Com tendência internacional no final do século XX, a proposta inclusiva era a meta a ser perseguida por todos aqueles comprometidos com a educação. Entre tanto, a vaidade de sua implementação depende de um amplo processo de sensibilização e conscientização acerca da aceitação das pessoas com necessidades especiais, na vida social da compreensão de seu direito á cidadania plena.

A inclusão é um processo pelo qual a sociedade se adapta para poder incluir em seus sistemas sociais gerais.

Os conceitos de inclusão são aplicáveis á todos, onde todos se sintam reconhecidos, valorizados e respeitos onde o potencial para a adaptação á realidade é inato ao individuo, independente das características e peculiaridade de cada pessoa não somente as estratégicas de ensino devem ser designadas e as áreas curriculares determinadas para corresponder a uma ampla variedade de diferenças entre crianças.

Na rede de ensino regular tem sido preocupação entre profissionais da área. As necessidades educacionais especiais nos que apresentam deficiências que vem diferenciar da demanda de determinados, alunos com relação aos demais colegas.

        Exigem da comunidade escolar indiscriminadamente, acesso á aprendizagem, ao conhecimento e a disponibilidade no ambiente educacional, nesse sentido deve-se adequar á proposta curricular, a serem desencadeadas na definição de objetivos, no intuito de favorecer a aprendizagem do aluno portador de necessidade especial.

        Na perspectiva de assegurar á todos uma educação com qualidade e equidade, constituem grande desafio, quanto á realidade presente no nosso contexto aponta uma numerosa parcela de excluídos do sistema educacional sem possibilidades de acesso á escolarização, apesar dos esforços empreendidos para universalização do ensino.

Entretanto, enfrentar esse desafio é essencial para entender á expectativa democrática.

        No entanto a atual situação em que se encontram os sistemas educacionais revela dificuldades para atender ás necessidades especiais dos alunos na escola regular principalmente dos que apresentam superdotação, deficiências ou condutas típicas de síndromes.

 A flexibilidade e a dinamicidade de currículo regular possam não ser suficientes para superar as restrições do sistema em compensar as limitações reais desses alunos.

     

Perfil do Autor

Jane Maria de Campos Proença

Ana Mirley Cebalho Pedagoga – Pós graduada em Educação Especial; Jane Maria de Campos Proença Pedagoga...