A Inclusão Do Estudante Surdo E As Adaptações Curriculares

Publicado em: 05/03/2009 |Comentário: 7 | Acessos: 4,735 |

A inclusão do aluno surdo no processo educativo formal vem se constituir num desafio para a escola que se construiu a partir de um paradigma de normalidade existente na sociedade, de modo que para incluir devemos respeitar e desenvolver o indivíduo em todos os aspectos, dentro do processo de de aprendizagem.

Quando se discuti a inclusão do estudante surdo  é fundamental que se garanta o minímo de convivência com os outros, estabelecendo alternativas pedagógicas que proporcionem seu acesso dentros de limitações, e através de sucessivas trocas podem ser viabilizadas mediads educativas que visem sua interação com o outro.

Para Alves 2004, devemos oferecer a estes alunos um ambiente saudável e mostrar que todos podem e tem condições de aprender e conviver com respeito e valores humanos, de modo que as adaptações curriculares podem ser realizadas considerando que há um processo diferenciado de parendizado que pode estar presente na escola.

A partir das possibilidades de acesso a escola o mesmo ressalta que o termo adaptação curricular está relacionado ao modelo  médico-psicológico de organizar as aividades educacionais  segundo os diagnósticos e prognósticos clínicos obtidos a cerca do desenvolvimento dos sujeitos, e no caso da educação especial, esta ganhou uma nova dimensão quando se buscar aplicar métodos alternativos de ensino visando as potencialidades do aluno.

De acordo com as publicações ditas por vários estudiosos da educação especial, a flexibilização do currículo vem de encontro às necessidades do sujeito, propondo-se um quadro diferenciado de aprendizagem para cada ser que se faz presente em sala de aula.

Assim, é possível entender que a flexibilidade do currículo é um dos avanços que se apresentam na sociedade contemporânea , a qual destaca a possibilidade de aproveitamento do tempo de cada aluno, pois, nem todos conseguem desenvolver dentros das mesmas condições.

Avaliar artigo
4
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-artigos/a-inclusao-do-estudante-surdo-e-as-adaptacoes-curriculares-803172.html

    Palavras-chave do artigo:

    surdez

    ,

    educacao

    ,

    inclusao

    Comentar sobre o artigo

    Elizabete Ferreira dos Santos

    Este artigo trata da inclusão de surdos na escola regular.Trata-se de uma temática que é alvo de constantes debates, pela complexidade da inclusão de indivíduos que não ouvem, portanto não dominam a princípio a língua oral da escola e esta não domina a sua. Há várias dificuldades nessa inclusão, as quais estão somadas a desigualdade e discriminação em todos os sentidos. E é neste processo de formação continuada que o professor tem um papel de extrema importância.

    Por: Elizabete Ferreira dos Santosl Educaçãol 20/01/2010 lAcessos: 1,247

    O presente artigo tem como proposta trazer temas questionadores e atualizados com relação á Deficiência Auditiva. No passado, costumava-se achar que a surdez era acompanhada por algum tipo de déficit de inteligência. Entretanto, com a inclusão dos surdos no processo educativo, compreendeu-se que eles, em sua maioria, não tinham a possibilidade de desenvolver a inteligência em virtude dos poucos estímulos que recebiam e que isto era devido à dificuldade de comunicação entre surdos e ouvintes.

    Por: LUCIANA DE SOUSA SANTOSl Educação> Ensino Superiorl 01/11/2012 lAcessos: 247
    Fábia Utsch

    A inclusão de surdos em escola regular é um assunto muito complexo, onde a situação deve ser pensada como um todo, a partir da realidade de cada local. Para conseguir analisar a situação amplamente, necessita-se conhecer melhor sobre o surdo, sua situação cotidiana de inclusão/exclusão na sociedade como um todo, discutir práticas e teorias partindo de uma questão sociocultural (não apenas audiológica), onde o surdo é um sujeito que possui uma língua natural, a Língua de Sinais.

    Por: Fábia Utschl Educação> Educação Infantill 28/09/2011 lAcessos: 319 lComentário: 3
    Alessandro Neves de Araujo

    As pessoas com necessidades especiais estão cada vez mais ocupando e buscando o seu espaço na sociedade, fazendo dos obstáculos, desafios a serem atingindo, mostrando, para a comunidade a superação. Com isso acabam se destacando, dando exemplos e exemplos, de que a sociedade tem mais que aprender com eles.

    Por: Alessandro Neves de Araujol Educação> Educação Infantill 06/10/2011 lAcessos: 242
    Elisangela de Jesus

    Esta pesquisa foi realizada pela necessidade do mundo atual de alfabetização dos deficientes auditivos para uma melhor comunicação com a sociedade ouvinte, de forma, a garantir a socialização e a preparação para a vida profissional. Diante da evidencia que o problema da alfabetização de alunos surdos na escola existe e que os educadores não sabem como agir com essa dificuldade, considera-se importante que exista um estudo que mostre como trabalhar com alunos portadores de deficiência auditiva.

    Por: Elisangela de Jesusl Educação> Educação Infantill 22/06/2011 lAcessos: 7,275

    A educação especial é a educação de alunos com necessidades especiais de uma forma que aborda as diferenças dos alunos e necessidades individuais.

    Por: Marcelo Rigottil Educação> Educação Infantill 03/04/2012 lAcessos: 447

    Resumo: De acordo com o Ministério da Educação – MEC (2009), o Brasil tem em média 5.750.811 indivíduos surdos, dos quais 776.884 estavam em idade de escolarização. No entanto o número de surdos na escola regular era de apenas 69.420, o que representa uma porcentagem de 8,94%. Esses resultados confirmam o quanto essa população está fora da escola, motivos esses que justificam a intenção do estudo em questão. Através dessa pesquisa poderão ser esclarecidas dúvidas em relação a surdez.

    Por: edilma de moura de oliveiral Educação> Educação Infantill 10/01/2013 lAcessos: 129

    Sabemos da necessidade e da urgência de se enfrentar o desafio da inclusão escolar e de colocar em ação os meios pelos quais ela verdadeiramente se concretiza. Por isso, temos de recuperar o tempo perdido, arregaçar as mangas e promover uma reforma estrutural e organizacional de nossas escolas comuns e especiais.

    Por: Maria Zilda da Silva Barbosal Educaçãol 25/11/2014
    Laine Reis Araújo

    Reflexão sobre as contribuições da Lei 10.436 de LIBRAS é o tema de pesquisa deste artigo. Buscou-se, com base nos preceitos constitucionais e legais atinentes à matéria, elucidar o que a lei 10.436 representa contribuindo para que o tema seja conhecido e entendido, especialmente, dentro do contexto em que se inserem os surdos na sociedade atual. A lei 10.436 contribui diretamente para a fomentação de politicas de inclusão do surdo ao observar suas necessidades especiais.

    Por: Laine Reis Araújol Direito> Legislaçãol 04/03/2012 lAcessos: 8,571

    Com o advento da globalização, a educação é tida como o maior recurso de que se dispõe para enfrentar essa nova estruturação mundial. Objetiva-se evidenciar a importância dos alunos encontrarem na escola não só evidências de seu próprio mundo, mas também aparato capaz de os "cunharem" para uma participação social plena e não "fatiada", como sugere o estudo por disciplinas. Jovens e adultos, público cada vez mais informatizado, exige que as disciplinas deixem de ser apresentadas de forma isolada.

    Por: KÁTIA CÉLIA FERREIRAl Educaçãol 18/12/2014

    A expressão artística faz parte da história humana desde os tempos mais remotos. Sendo assim, a Arte é um dos modos de conhecimento ao qual os estudantes devem também ter acesso, assumindo-se como sujeitos capazes de apreciação estética e criação artística, articuladas aos processos e mediações da cultura contemporânea. Diante das mudanças pelas quais o ensino-aprendizagem de Arte passou, vê-se a necessidade de discorrer a respeito da presença desta disciplina no currículo escolar, revendo sua i

    Por: KÁTIA CÉLIA FERREIRAl Educaçãol 18/12/2014

    Sabe-se que a educação é responsável pela formação do aluno enquanto cidadão, de maneira a prepará-lo para a vida em sociedade, para que saiba atuar criticamente nesse meio. Assim, a escola inclusiva busca complementar a formação do aluno por meio das relações de convivência, uma vez que conviver com o diferente é parte desse processo de formação, até porque, como já mencionamos, é na escola que o aluno desenvolve seus aspectos cognitivos, motores e psicológicos.

    Por: Rosely dos Santos Ferreiral Educaçãol 17/12/2014

    As revela à existência de ações políticas e sociais que possam concretizar e promover a efetividade da inclusão social da pessoa com necessidade educacional especial. Vejo que a sociedade deve compreender como se dá o processo de ensino-aprendizagem da criança com Síndrome de Down na Educação Básica, as dificuldades enfrentadas e as possibilidades e mecanismos de reconhecimento e aceitação dessas limitaçõ

    Por: Rosely dos Santos Ferreiral Educaçãol 17/12/2014

    No processo de inclusão a escola propõe a conviver com o "diferente", aceitá-lo, auxiliá-lo, e muitas vezes aprender algo com essas crianças. Entretanto para oferecer uma inclusão verdadeira é preciso entender as particularidades das crianças, mediar a socialização de forma que todos trabalham para o aprendizado de cada uma delas, em benefício de todos. Pretendo contribuir com as discussões éticas e educacionais que envolvem a formação da criança Down por meio da educação.

    Por: Rosely dos Santos Ferreiral Educaçãol 17/12/2014

    A educação escolar é um dos contextos em que a criança aprende e desenvolve-se nos aspectos cognitivos, emocional e social. Por isso a necessidade de incluir a criança com necessidades especiais na escola, pois atender a todos é parte do processo educativo, por isso a diversidade cultural e outras questões sociais precisam ser vivenciadas também em sala de aula.

    Por: Rosely dos Santos Ferreiral Educaçãol 17/12/2014

    Apresento algumas características que identificam a criança Down, o conceito de Educação Inclusiva e Educação básica, e da diversidade na educação. Relacionam-se aspectos positivos da inclusão da criança Down na Educação Básica e como deve acontecer essa inclusão, enumerando as dificuldades no processo de inclusão da criança Down na Educação Básica. Conceitua-se a Síndrome de Down e sua identificação, bem como o tratamento e a motivação para inserir a criança com deficiência na Educação Básica.

    Por: Rosely dos Santos Ferreiral Educaçãol 17/12/2014

    O estudo realizado teve como foco principal compreender os avanços no processo de construção do conhecimento dos alunos de uma turma de 3º ano, através dos jogos matemáticos, priorizando, desse modo, a ludicidade no ensino. A pesquisa foi desenvolvida durante o estágio realizado pela acadêmica e pesquisadora junto a uma turma de 3º ano.

    Por: Luziane Da Silva Costal Educaçãol 15/12/2014 lAcessos: 11

    Este artigo traz à tona algumas questões relacionads à Inclusão de alunos com necessidades educativas especiais com o objetivo de garantir uma educação de qualidade para todas as pessoas que estejam de certa forma excluídas da sociedade, bem como, do universo escolar, seja por fatores étnicos, econômicos, sociais entre outros;promovendo as mesmas um processo de aprendizagem que atenda as necessidades de cada um.

    Por: Glads Silva da Conceiçãol Educaçãol 10/04/2009 lAcessos: 21,315

    Comments on this article

    0
    Luciene 19/09/2010
    Estou tentando achar uma forma de entender o que é
    - CONCEPÇÃO CLÍNICA DA CONCEPÇÃO ANTROPOLÓGICA da Educação Especial;
    - 3 ADAPTAÇÕES CURRICULARES ((Práticas Pedagógicas Diferenciadas) para inclusão de alunos SURDOS E CEGOS (e/ou c/ baixa audição e visão).
    Não consigo achar uma definição, poderiam me ajudar, por favor????
    Desde já lhes agradeço
    0
    marilucia galvão 24/09/2009
    Gostei do artigo. sou deficiente auditiva desde os 15anos. estudei no instituto santa ines e foram bons momentos juntos com outros iguais a mim. fui transferida então para o colegio monte calvario. Ali, eu era a única deficiente auditiva, não havia intérprete mas professores e alunos nunca me discriminaram foi uma convivência muito útil para mim. Não devemos ser discriminados porquê somos surdos mas com uma mente sadia. Sucesso Glads em sua caminhada, precisamos de pessoas como vc para o futuro de milhares de crianças surdas. Abraços. Mary
    0
    GLADS 06/08/2009
    Para contatos meu email é: gladssilva@yahoo.com.br
    Ficarei feliz em ajudar alguém q esteja disposto a fazer pesquisas futuras sobre o ensino de crianças surdas. Um abraço!
    0
    Silvia 04/08/2009
    Sou estudante de pedagogia,vou fazer meu trabalho de conclusão de curso sobre a inclusão do aluno surdo na educação infantil,gostei muito do seu artigo,se tiveres algum outro arquivo,gostaria que me enviasse,obrigada.
    0
    Renata 01/08/2009
    Há alguns erros de português, mas o artigo está muito bom.
    1
    Fabrício Pantoja 01/06/2009
    Gostei muito do artigo acima, acredito que os surdos ainda são tratados com indiferenças, haja posto que dentro das escolas não existe o atendimento especializado como a inclusão de intérpretes para facilitar o processo de ensino-aprendizagem. Um abraço professora.
    1
    Neri Ribeiro 28/04/2009
    Sou professor de musicografia braile(música para cegos)em passo Fundo RS,e gostaria de
    entrar em contato com a profª responsável por este projeto,
    pois eu quero trabalhar com surdos aqui tambem.
    É possível me enviar o e-mail desta pessoa?
    Obrigado.
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast