A inclusão dos alunos com necessidades educacionais especiais e o papel do professor itinerante

Publicado em: 19/03/2011 |Comentário: 0 | Acessos: 917 |

A inclusão dos alunos com necessidades educacionais especiais e o papel do professor itinerante

 

A inclusão de alunos com necessidades educativas especiais, no Brasil, tem assumido uma posição importante nos debates educacionais. Contudo, apesar dos avanços recentes em termos de legislação e diretrizes pró-inclusão, as experiências nessa direção ainda são pouco disseminadas.

Dentre os muitos fatores que obstaculizam a concretização da inclusão escolar, diversos autores têm destacado a ausência nos cursos de formação de professores, de conteúdos específicos sobre o processo de ensino e aprendizagem das pessoas com necessidades especiais (Bueno, 2001; Glat & Nogueira, 2003; Glat, Ferreira, Oliveira & Senna, 2003; Glat & Pletsch, 2004; Pletsch & Fontes, 2006).

 

A busca de uma escola inclusiva que atenda alunos com necessidades

especiais, nos leva ainda a pensar sobre as modalidades de atendimento e a

demanda de alunos presentes nas escolas, objetivando uma educação de qualidade onde o professor valorize o potencial dos educandos e não suas limitações.Nesse contexto a escola deve possibilitar o acesso e a permanência dos alunos com deficiências dentro da rede regular de ensino com serviços de apoio especializados, dentre estes destacamos o professor itinerante.

O professor itinerante tem por objetivo prestar assessoria às escolas regulares que possuem alunos com necessidades especiais incluídos, contribuindo com a produção de materiais pedagógicos necessários ao trabalho com estes alunos e também pode realizar atendimento educacional domiciliar, quando alunos com necessidades especiais estiverem impossibilitados de frequentar a escola por razões físicas ou de saúde.

A atual lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDBEN), Nº. 9394/96, traz um capítulo voltado para a educação especial, objetivando a permanência de pessoas com necessidades especiais na escola regular. As Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica cita a itinerância como um serviço de orientação e supervisão pedagógica, desenvolvida por professores especializados.

O serviço do professor itinerante tem como objetivo "atender as necessidades educacionais especiais dos alunos por ele atendido complementando, suplementando e servindo de apoio ao ensino comum" (BÜRKLE & REDIG, 2009,p.1).

O profissional itinerante atua junto ao professor e demais envolvidos no processo, inclusive aos alunos, dando suporte prático e teórico à aprendizagem dos mesmos. O atendimento, geralmente, se dá no interior da sala de aula; com serviço de orientação e de supervisão pedagógicas às escolas que possuem alunos incluídos.

 

Em Bauru o serviço de itinerância  como serviço de orientação e supervisão pedagógica desenvolvida por professores especializados, que fazem visitas semanais às escolas para trabalhar com os alunos que apresentam necessidades educacionais especiais e com seus respectivos professores de classe comum, da Rede Regular de Ensino, pautado no trabalho cooperativo entre o professor do ensino regular e o professor especializado, os quais, através de atuação conjunta, deverão avaliar o desempenho dos alunos com necessidades educacionais especiais e planejar ações que favoreçam sua inclusão escolar.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-artigos/a-inclusao-dos-alunos-com-necessidades-educacionais-especiais-e-o-papel-do-professor-itinerante-4438723.html

    Palavras-chave do artigo:

    inclusao

    ,

    alunos com necessidades educaionis especiais

    ,

    professor itinerante

    Comentar sobre o artigo

    leticia dos santos geraldo

    A essência do Construtivismo nasceu fundamentalmente da teoria da Epistemologia Genética de Jean Piaget. A hermenêutica do construtivismo designa-se hoje, a buscar, conhecer, métodos pedagógicos, sendo utilizada como determinados aspectos para a aprendizagem, pois se popularizou como "método construtivista".O objetivo deste trabalho é mostrar o real objetivo da prática construtivista e o que ela pode mudar no meio educacional.

    Por: leticia dos santos geraldol Educaçãol 11/04/2015
    Joseléia Graciano da Silva

    O presente trabalho tem por objetivo refletir sobre as contribuições do processo educativo escolar no sistema prisional, de modo a abordar a funcionalidade da escola nesse espaço singular, apontando não só o caráter legal do atendimento em educação por parte das instituições prisionais, mas também os fatores que motivam os sentenciados/detentos a procurarem a escola no presídio.

    Por: Joseléia Graciano da Silval Educaçãol 10/04/2015
    Joseléia Graciano da Silva

    Nell. Direção: Michael Apted. Produção: Renee Missel e Jodie Foster. Interprétes:Jodie Foster,Liam Neeson e Natasha Richardson e outros. Roteiro: William Nicholson e Mark Handley, 1994. (115 min).

    Por: Joseléia Graciano da Silval Educaçãol 10/04/2015
    Carlos Henrique Araújo

    Tudo ruiu como um castelo feito de cartas já no final de 2014. Com o ajuste fiscal, ficou absolutamente claro de que os programas sociais seriam essencialmente afetados. O MEC sofreu o maior corte financeiro de sua história. Segundo analistas, o ministério da Pátria Educadora teria seu orçamento diminuído em sete bilhões de reais anuais.

    Por: Carlos Henrique Araújol Educaçãol 02/04/2015 lAcessos: 17
    Elaine Peres da Silva

    É indispensável ao desenvolvimento do ser humano o trabalho de sensibilização diante da sociedade, começando pela própria escola, o local de aprendizagem e formação do indivíduo. É preciso que o estudante, enquanto cidadão perceba a importância de sua participação nas questões que envolvem o meio ambiente, desde então, as pequenas ou grandes atitudes podem amenizar, mesmo que parcialmente, a contaminação da natureza.

    Por: Elaine Peres da Silval Educaçãol 27/03/2015 lAcessos: 18
    Fernando Corrêa manarim

    afirmamos que existem outras formas de jogar xadrez além da competição, ou seja, que o xadrez é uma ferramenta que pode trabalhar o praticante pedagógica e terapeuticamente, ensinando a se conhecer, conhecer os outros e conhecer o mundo a qual pertence. Isso pode ser comprovado na Lenda de criação do xadrez, conhecida como a Lenda de Lahur Sessa, lenda que pode ser encontrada na obra de Malba Tahan, "O Homem que calculava".

    Por: Fernando Corrêa manariml Educaçãol 16/03/2015 lAcessos: 12

    1. Por que o regime de ciclos e a progressão continuada são tão criticados? 2. Qual a real eficácia da progressão continuada e quais são os problemas gerados por esta prática? 3. Quais suas implicações políticas? 4. Quais os aspectos negativos deste sistema? 5. Qual o papel do professor, do coordenador e supervisor escolar? 6. Qual a importância da avaliação neste processo?

    Por: EULER DE CASTRO SANTOSl Educaçãol 15/03/2015 lAcessos: 18

    RESUMO A violência é sem duvida, além de uma das grandes preocupações da sociedade, o grande problema a ser enfrentado, principalmente na dura realidade das escolas públicas do Brasil. Atinge a todos na escola, contudo a grande vitima deste problema é o professor, cada vez mais desmotivado e que se encontra quase sempre acuado e de mãos atadas diante do problema. Ocorre de maneira velada e de diversos modos, sendo, obviamente causada pela falta de limites e de ações efetivas para enfrentar o pro

    Por: EULER DE CASTRO SANTOSl Educaçãol 15/03/2015 lAcessos: 19
    Ana Paula Alves dos |Santos

    Pequenos, de saúde frágil, desconfiados e carentes. Assim são os filhos do crack, nascidos de uma geração assolada por uma droga que corrói o usuário. Até quem lida com o problema no dia-a-dia sabe que o número é impressionante. São crianças que dificilmente ficam com a mãe ou com familiares. Na maior parte dos casos são levados pelo Conselho Tutelar ou pela Justiça para abrigos.

    Por: Ana Paula Alves dos |Santosl Educaçãol 21/03/2011 lAcessos: 581
    Ana Paula Alves dos |Santos

    O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é um transtorno neurobiológico, de causas genéticas, que aparece na infância e freqüentemente acompanha o indivíduo por toda a sua vida. Ele se caracteriza por sintomas de desatenção, inquietude e impulsividade. Ele é chamado às vezes de DDA (Distúrbio do Déficit de Atenção). Em inglês, também é chamado de ADD, ADHD ou de AD/HD.

    Por: Ana Paula Alves dos |Santosl Educaçãol 19/03/2011 lAcessos: 1,914
    Ana Paula Alves dos |Santos

    A dificuldade de comunicação pode acarretar muitos problemas para a criança, tanto na sua sua adaptação escolar quanto no seu desenvolvimento de maneira geral. Muitas crianças simplesmente não falam na escola e isso é uma queixa comum de professores e pais. Uma atuação precoce pode ajudar no tratamento deste problema que causa sofrimento para o aluno e seus familiares.

    Por: Ana Paula Alves dos |Santosl Educação> Educação Infantill 18/03/2011 lAcessos: 2,051
    Ana Paula Alves dos |Santos

    Para que ocorra modificações à nível de sistema nervoso central e a aprendizagem aconteça, é necessário que após avaliações dos déficits e disfunções, as atividades sejam estruturadas de forma a oferecer oportunidade de informações ricas a partir de atividades significativas que facilite o planejamento, organização e finalmente desencadeie um comportamento adaptativo frente ao objetivo propostas

    Por: Ana Paula Alves dos |Santosl Educação> Educação Infantill 26/11/2010 lAcessos: 936
    Ana Paula Alves dos |Santos

    Terapia sensório-motora: desenvolver no indivíduo capacidade de sentir e perceber, aprender e organizar sensações recebidas do ambiente e esboçar gradativamente respostas, no decorrer da estimulação através da plasticidade neural.

    Por: Ana Paula Alves dos |Santosl Educação> Educação Infantill 25/11/2010 lAcessos: 1,197
    Ana Paula Alves dos |Santos

    A investigação na literatura existente sobre estimulação precoce, possibilitou constatar que, apesar do crescente número de estudos sobre o tema e a considerável oferta de serviços e programas de intervenção existentes, as iniciativas são isoladas e tem sido organizadas de maneiras diversas, havendo ainda a necessidade de uniformizar princípios que possam nortear as propostas.

    Por: Ana Paula Alves dos |Santosl Educação> Educação Infantill 21/11/2010 lAcessos: 1,022
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast