A ORALIDADE E A ESCRITA NA SALA DE AULA NA LITERATURA INFANTIL

Publicado em: 19/05/2010 |Comentário: 0 | Acessos: 8,442 |

 

INTRODUÇÃO

 

 

O trabalho de pesquisa e elaboração das práticas com a literatura infantil em sala de aula é de suma importância, pois, inicia o homem no mundo literário e deve ser utilizada como instrumento para a sensibilização da consciência, para a expansão da capacidade e interesse de analisar o mundo.

É no encontro com qualquer forma de literatura que os homens têm a oportunidade de ampliar, transformar ou enriquecer sua própria experiência de vida. Nesse sentido, a literatura apresenta-se não só como veiculo de manifestação cultural, mas também, de ideologias. Até pouco tempo a literatura infantil era considerada como gênero secundário, era vista pelos adultos como uma forma de entretenimento. Como valorização da literatura infantil; como formadora de consciência dentro da vida cultural das sociedades é bem recente.

O caminho para a redescoberta literatura infantil, em nosso século foi aberto pela psicologia experimental, que revelando a inteligência como um elemento estruturador do universo, que cada indivíduo constrói dentro de si; chama a atenção para os diferentes estágios de seu desenvolvimento da infância à adolescência. Pois a sua importância é fundamental para a evolução da personalidade do futuro adulto.

A sucessão das frases evolutivas da inteligência ou estruturas mentais é constante e igual para todos. As idades correspondentes a cada uma delas podem mudar, dependendo da criança, ou do meio que ela vive.

 

 

1-FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

 

 

A literatura infantil, por iniciar o homem no mundo literário, deve ser utilizada como instrumento para a sensibilização da consciência, para a expansão da capacidade e interesse de analisar o mundo. Sendo fundamental mostrar que a literatura deve ser encarada, sempre de modo global e complexo em sua ambigüidade e pluralidade.

Para Rubem Alves (2004)

 "A leitura e a escrita começa quando a criança fica fascinada com as coisas maravilhosas que moram dentro do livro. Pois não são as letras, as silabas e as palavras que fascinam. É a história. A aprendizagem da leitura começa antes da aprendizagem das letras: quando alguém lê e a criança escuta com prazer. Acho que as escolas só terão realizado a sua missão se forem capazes de desenvolver nos alunos o prazer da leitura. O prazer da leitura é o pressuposto de tudo o mais. Quem gosta de ler tem nas mãos as chaves do mundo".

 

Entretanto, o autor destaca que a leitura vem a ser uma forma de onde poderemos aprender a compreender as coisas que nos rodeiam. Sendo que com a leitura podemos ir longe.

 

 

2-AS DIFICULDADES DOS ALUNOS EM APRENDER

 

 

As principais dificuldades dos alunos esta voltada para a escrita e a oralidade, ou seja, a obstinação com que os educadores se fixam na escrita, para resolver as questões relativas à alfabetização. É um erro estratégico para o processo, que pode ter efeito contrário sobre os alunos, principalmente entre aqueles que provêm de ambientes pouco afeitos à leitura. Quem defende a tese é Claudemir Belintane, professor de Metodologia do Ensino da Língua Portuguesa da Faculdade de Educação da USP.

O instrumental oral tem muita relação com os livros. Tem a contação de história em voz alta. A professora pode contar uma história de diversas maneiras. Pode começar contando as partes mais interessantes, voltar a ler, parar de ler, voltar a contar. Pode dividir a história em partes para que os alunos as percebam. Cada um narra um pedaço. No caso dos três porquinhos, por exemplo, cada um pode narrar a chegada do lobo a uma casa. É importante ter essa idéia de coerência e progressão do texto. Boa parte das crianças que chega à escola com 5 ou 6 anos faz uma narrativa simples e salta direto para seu motivo principal: o lobo já vai assoprar a terceira casa sem ter passado pelas outras. O repertório é muito pequeno, inclusive dos professores. Parece restrito aos textos mais conhecidos e que os alunos aprendem não pela oralidade, mas pelo cinema, pelos DVDs, como "A Branca de Neve", "A Cinderela". É o mundo Disney.

Trabalhar com a literatura infantil na escola é abrir as cortinas do mundo para uma platéia de seres que buscam a construção do ser como sujeitos de uma sociedade. Cabe ao professor deixá-los sedentos de descobertas. Através da leitura como ação haverá a reflexão, e por fim a aprendizagem. A literatura infantil fará com que essa aprendizagem sirva para a constituição de sujeitos que simplesmente não pertençam a uma sociedade, porém, a questiona e a transforma.

Antunes Irandé (2002) tem "como ponto de sustentação mais ampla, o princípio de que é o aluno o sujeito da aprendizagem que acontece, ou seja, é ele quem realiza, na interação com o objeto da aprendizagem, a atividade estruturadora da qual resulta o conhecimento".

Através do aluno se realiza a aprendizagem, ou seja, o aluno e o ponto de partida, o professor tem como objetivo incentivar o aluno para que esse possa ampliar o seu conhecimento para progredir no processo educacional. Sendo voltada para a leitura, com o intuito de provocar o interesse nos mesmos, para que eles possam buscar em livros novas descobertas. 

 

 

2.1-A ESCRITA E A ORALIDADE DA CRIANÇA

 

 

A compreensão da escrita como um sistema de representação da fala pressupõe uma dupla consciência, conforme COLELLO (1995).
Em um primeiro momento, o indivíduo deve perceber a estreita relação entre a oralidade e a escrita. Embora esta seja uma idéia bastante óbvia para o adulto alfabetizado, ela não é um consenso entre as crianças pequenas, que costumam buscar na palavra escrita algum indício do objeto. O entendimento de que o simbolismo das letras independe do objeto resulta na descoberta de que a escrita é o "desenho" das palavras, isto é, da sua estrutura sonora.

Entretanto os PCNS colocam que cabe à escola ensinar o aluno a utilizar a linguagem oral no planejamento e realização de apresentações públicas: realização de entrevistas, debates, seminários, apresentações teatrais. Trata-se de propor situações didáticas nas quais essas atividades façam sentido de fato, pois é descabido treinar um nível mais formal da fala, tomando como mais apropriado para todas as situações. A aprendizagem de procedimentos apropriados de fala e de escuta, em contextos públicos, dificilmente ocorrerá se a escola não tomar para si a tarefa de promovê-la.

Ainda que vinculada à oralidade, a escrita tem a sua própria história, cujo seu desenvolvimento é dado, pela percepção de que fala e escrita são sistemas relativamente autônomos, com características próprias, servindo a diferentes propósitos. A escola necessita de elementos que façam cumprir este ideal. Sendo assim, pode contar a principal função da literatura infantil, refletindo sobre a realidade, desmontando-a e remontando-a na busca de formação de opiniões críticas que questionem a situação real em que se vive.

 

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

                                                                         

A literatura infantil permeia todo o processo de construção da leitura, portanto, sua importância dentro da escola é indiscutível. Contudo, vale lembrar que o trabalho não se limita a ler histórias, é preciso preocupar-se com a qualidade da leitura, adequada à faixa etária e, sobre tudo, estimular os alunos para o momento da leitura em sala. Sabemos que existem produções de qualidade para crianças, dando muitas possibilidades de desenvolver um bom trabalho. Nesse contexto, percebe-se quanto os alunos podem aprender vivenciando as histórias infantis ou refletindo sobre elas.

 

 

REFERÊNCIAS

 

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais. Língua portuguesa: 3º e 4º Ciclos do Ensino Fundamental. MEC/SEF, 1998.

ANTUNES IRANDÉ. Aula de Português. 2ªed. Contexto 2002.

RUBEM ALVES. Gaiolas ou Asas- A arte do vôo ou a busca da alegria de aprender. Porto, edições Asa, 2004.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 5 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-artigos/a-oralidade-e-a-escrita-na-sala-de-aula-na-literatura-infantil-2408294.html

    Palavras-chave do artigo:

    literatura infantil escola professor crianca

    Comentar sobre o artigo

    A pesquisa faz uma abordagem autobiográfica, aplicando a literatura infantil na sala de aula. Fundamenta-se em autores como Marisa Lajolo, Lígai Cadermatori e Regina Zilberman. O livro infantil na sala de aula proporciona à criança a educação, o desenvolvimento da imaginação, o incentivo á leitura de forma prazeirosa e a construção da sua identidade.

    Por: Geraldo Francisco dos Santosl Educação> Educação Infantill 22/04/2011 lAcessos: 8,536
    ELMA DOURADO NERY

    Este artigo emerge da necessidade em entender o desenvolvimento infantil partindo da contribuição dos estudos de Vygotsky, que são subsídios fundamentais para o professor que deseja estimular o conhecimento da criança, através do processo da interação sócio-histórica vygotskyana, estabelecendo uma relação dialógica com o aluno, com sua cultura e com sua realidade. Trabalhando a contação de história como elemento facilitador para uma instigação de sentidos que auxilie no desenvolvimento emocional

    Por: ELMA DOURADO NERYl Educação> Educação Infantill 23/05/2012 lAcessos: 3,247

    Este artigo realiza uma reflexão sobre a literatura infantil, focando sua análise na questão da função da mesma. Faz um rápido levantamento diacrônico, após abordar o problema conceitual e conclui que a literatura infantil ideal tem como função específica ajudar no despertar crítico dos futuros leitores adultos. Convida você para uma viagem ao universo da literatura infanto-juvenil.

    Por: Darci Martinsl Educação> Educação Infantill 01/06/2012 lAcessos: 1,536

    O presente artigo tem como objetivo reconhecer a importância da literatura infantil e incentivar a formação do hábito de leitura na idade em que todos os hábitos se formam, isto é, na infância, é o que este artigo vem propor. Neste sentido, a literatura infantil é um caminho que leva a criança a desenvolver a imaginação, emoções e sentimentos de forma prazerosa e significativa

    Por: Sandra Maria dos Reis Bernardol Educação> Educação Infantill 31/10/2012 lAcessos: 300
    Paulo marcos Ferreira Andrade

    Tal qual o brincar, a literatura infantil é essencial às crianças pois além de ser uma ótima ferramenta pedagógica também constitui um forte auxílio na boa formação infantil, nas esferas emocional, intelectiva e social. Quanto mais cedo a criança tem contato com a literatura infantil mais rico e produtivo será o seu aprendizado, posto que este dependa daquele para que tenha um resultado salutar.

    Por: Paulo marcos Ferreira Andradel Educaçãol 21/09/2011 lAcessos: 370
    GUTEMBERG MARTINS DE SALES

    O artigo analisa documentos que abordam o tema literatura infantil. Os autores consultados se complementam através de suas teorias sobre a visão da criança no mundo da literatura infantil com enfoque nos contos de fadas, foi realizada a análise de contos de fadas de escritores que retomam os contos "Os sapatos vermelhos" de Andersen e "Cinderela" dos escritores e irmãos Grimm. Desta maneira, pode-se afirmar que o mito, a fantasia, o inusitado fazem parte da formação da pessoa humana.

    Por: GUTEMBERG MARTINS DE SALESl Educação> Educação Infantill 26/05/2011 lAcessos: 4,864

    O texto discute a oportunidade do professor trabalhar questões étnico-raciais, logo nos primeiros ingressos da criança ao cenário escolar, tendo como conteúdo norteador para essa prática a forma excludente como o negro é apresentado na literatura infantil, sob uma iniciativa respaldada pelo advento da Lei Nº 10.639/03 - MEC, ao instituir a obrigatoriedade do ensino da cultura e história da África na educação básica.

    Por: Lídia S. Cruz Ribeirol Educaçãol 03/05/2009 lAcessos: 1,577 lComentário: 1
    Ana Maricélia de Oliveira

    O presente trabalho se constitui no estudo do tema O poder da Literatura Infantil na formação de leitores mirins. Teve como fundamentação teórica vários autores como: Alves, Villardi, Zilberman e outros. O mesmo tem como objetivo fundamental apresentar a importância que as obras literárias infantis tem na vida dos futuros leitores. Assim como, mostrar a função que a escola e o educador desempenham, enquanto peças fundamentais na formação de crianças leitoras.

    Por: Ana Maricélia de Oliveiral Educaçãol 02/04/2013 lAcessos: 108
    SANDRA VAZ DE LIMA

    Ao ingressar na escola, a criança adquire novas experiências, novos valores, que irão enriquecer o aprendizado já estabelecido e trazido do seu convívio familiar, ou seja, do seu mundo. Já que, cada criança é um ser único com sua bagagem pessoal de vivências.

    Por: SANDRA VAZ DE LIMAl Marketing e Publicidade> Marketing Internacionall 15/02/2010 lAcessos: 5,133 lComentário: 3
    Matt Rosar

    Ao passar um saber, um conhecimento, ou mesmo uma informação é necessário técnicas que seja necessária para estabelecer a compreensão entre emissor e emitente. No caso será tratado professores e alunos. O grande entrave na educação brasileira encontra-se na dificuldade da aplicação de certas técnicas de ensino, ou como dizem muito colegas, há falta de didática de muitos professores, embora tenham grande domínio de suas áreas do saber.

    Por: Matt Rosarl Educaçãol 19/04/2014

    Aqui você poderá ver algumas considerações sobre avaliação escolar e principalmente sobre a possibilidade de avalizar os alunos de forma virtual.

    Por: Josimar Souzal Educaçãol 29/03/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Foi aluno do ilustre professor Frege, ele mesmo admitia ter sido profundamente influenciado. Mas tarde tornou se doutor pela mesma universidade, isso no ano de 1921. Desenvolveu grandes estudos posteriormente, sendo que o filósofo Schilick ao saber do seu exuberante conhecimento convidou para ocupar o cargo de professor assistente na famosa universidade de Viena.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educaçãol 25/03/2014

    O Ministério da Educação anuncia a criação de gratificação de 200 reais mensais para professores que participarem de programa de requalificação, para obter melhorias na atuação dos alunos em exames como o ENEM

    Por: Central Pressl Educaçãol 24/03/2014

    A prática pedagógica de todo professor é analisada frequentemente. No sucesso ou no fracasso do processo de aprendizagem, a prática educacional é sempre o foco dos questionamentos. Diante desta pressão, a conscientização de alguns fatores é o principal indicador do que deve ser, de fato, repensado.

    Por: Claudia Gonçalves da Silval Educaçãol 17/03/2014 lAcessos: 22

    Considerações críticas acerca da educação/saúde e a vaquinha dos mensaleiros que pagou suas multas.

    Por: Julio César Cardosol Educaçãol 10/03/2014
    Adão Martins

    Ser professor é uma dádiva divina, sem essa categoria nunca chegaríamos a ser o que hoje somos. Precisamos sempre valorizar essas pessoas. Estão presentes em todas nossas etapas de aprendizado. Deus abençoe vocês.

    Por: Adão Martinsl Educaçãol 09/03/2014
    Eliana Márcia Barbosa

    O texto aborda uma das crises cruciais na escola: a busca constante por autonomia e democratização dos processos de gestão os principais desafios para o enfrentamento dessa realidade.

    Por: Eliana Márcia Barbosal Educaçãol 07/03/2014
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast