A Sociedade E Os Paradigmas Da Exclusão E Da Inclusão

Publicado em: 21/04/2008 |Comentário: 0 | Acessos: 3,117 |

A SOCIEDADE E OS PARADIGMAS DA EXCLUSÃO E DA INCLUSÃO

Por: Sonia das Graças Oliveira Silva

“É maravilhoso ter ouvidos e olhos na alma. Isto completa a
glória de viver.” (HELEN KELLER)

O mundo passa por profundas mudanças. Urge analisar criticamente a condição existencial da diversidade, da deficiência, e suas perspectivas ante os desafios nesta nova ordenação de mundo.
A semente do conceito de sociedade inclusiva foi lançada em 1981 pela ONU quando realizou o Ano Internacional das Pessoas Deficientes (AIPD), que enalteceu firmemente o reconhecimento dos direitos das pessoas com deficiência como membros integrantes da sociedade. O lema do AIPD já dizia o que essas pessoas desejavam: “Participação Plena e Igualdade.” (Sassaki, 1999).
A sociedade vem sendo chamada a criar oportunidades iguais para as pessoas com deficiência, o que significa mudar a própria sociedade para que elas possam realizar seus direitos.
Esta mesma sociedade deve se empenhar em acolher as diferenças de todos os seus membros, significando que temos que focalizar esforços não mais em adaptar as pessoas à sociedade e sim em adaptar a sociedade às pessoas.
Desta maneira, o conceito de sociedade inclusiva já vem sendo gradativamente implantado em várias partes do mundo, como consequência natural do processo de implementação dos princípios de inclusão na família, educação, no mercado de trabalho, no lazer, recreação, esporte, turismo, cultura, religião, artes.
“Inclusão social é o processo pelo qual a sociedade e o portador de deficiência procuram adaptar-se mutuamente tendo em vista a equiparação de oportunidades e, consequentemente, uma sociedade para todos”. ( Sassaki, 1999, p. 167).
Consideram-se como objetivos primordiais deste tema:
Posicionar-se contra qualquer discriminação baseada em todo tipo de diferenças: físicas, culturais, de classe social, de crenças, de sexo, de etnia ou outras características individuais e sociais;
Compreender a cidadania como participação social e política, assim como exercício de direitos e deveres políticos, civil e social, adotando, no dia-a-dia, atitudes de solidariedade, cooperação e repúdio às injustiças e ao preconceito, respeitando o outro e exigindo para si o mesmo respeito;

Posicionar-se de maneira crítica, responsável e construtiva nas diferentes situações sociais, utilizando o diálogo como forma de mediar conflitos e de tomar decisões coletivas;
Desenvolver o conhecimento ajustado de si mesmo e o sentimento de confiança em suas capacidades afetiva, física, cognitiva, ética, estética, de inter-relação pessoal e de inserção social, para agir com perseverança na busca de conhecimento e no exercício da cidadania;
O que se espera para o século XXI são compromissos, não apenas com a produção e a difusão do saber culturalmente construído, mas com a formação do cidadão crítico, participativo e criativo para fazer face às demandas cada vez mais complexas da sociedade moderna. Analisa-se a importância da educação escolar no exercício da cidadania que implica a efetiva participação da pessoa na vida social resguardada a sua dignidade, a igualdade de direitos, a importância da solidariedade e do respeito, bem como a recusa categórica de quaisquer formas de discriminação.


A SOCIETY AND PARADIGMAS OF EXCLUSION AND INCLUSION

Why: Because of
Sonia Oliveira Silva

"It is wonderful Tuesday ears and eyes on the soul. This completes the
Glory of living. "(HELEN KELLER)

The world is going through profound changes. Urge examine critically the existential condition of diversity, disability, and the outlook before the challenges this new sort of world.
The seed of the concept of inclusive society was launched in 1981 when the UN held the International Year of Disabled Persons (AIPD), which strongly praised the recognition of the rights of people with disabilities as integral members of society. The motto of AIPD already said what these people wanted: "Full and Equal Participation." (Sassaki, 1999).
The company has been called upon to create equal opportunities for people with disabilities, which means changing society itself so that they can achieve their rights.
This same society must work to accommodate the differences of all its members, meaning that we have to focus efforts not more people to adapt to society, but the society to adapt to people.
Thus, the concept of inclusive society already has been gradually deployed in various parts of the world, such as natural consequence of the process of implementation of the principles of inclusion in the family, education, the labour market in the leisure, recreation, sport, tourism, culture, religion, arts.
"Social inclusion is the process by which a society and the disabled seek adapt to each other in order to equalization of opportunities and hence a society for all". (Sassaki, 1999, p. 167).
Consider themselves as primary objectives of this theme:
Positioning themselves against any discrimination based on any kind of difference: physical, cultural, social class, beliefs, gender, ethnicity or other characteristics of individual and social;
Understanding the citizenship as social and political participation, and exercise of rights and obligations political, civil and social, adopting, in the day-to-day, attitudes of solidarity, cooperation and disgust at the injustices and prejudice, respecting the other and calling for you the same respect;
Positioning is a critical, responsible and constructive in various social situations, using dialogue as a way to mediate conflicts and take collective decisions;
Increase awareness of adjusted himself and a sense of confidence in their abilities affective, physical, cognitive, ethics, esthetics, inter-personal relationship and social integration, to act with patience in the search for knowledge and the exercise of citizenship;
What is expected for the twenty-first century are commitments, not only with the production and dissemination of knowledge culturally constructed, but with the training of citizens critical, participative and creative to meet the increasingly complex demands of modern society. An analysis of the importance of school education in the exercise of citizenship implies that the effective participation of the person in social life resguardada their dignity, equal rights, the importance of solidarity and respect, and the categorical rejection of any form of discrimination .

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 3 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-artigos/a-sociedade-e-os-paradigmas-da-exclusao-e-da-inclusao-392815.html

    Palavras-chave do artigo:

    inclusao deficiencia sociedade pessoas

    Comentar sobre o artigo

    Regina Pires

    O texto aborda a inclusão de fato das pessoas com deficiência nas organizações além da lei de cotas, respeitando do direito do cidadão.

    Por: Regina Piresl Carreira> Recursos Humanosl 24/10/2012 lAcessos: 159
    SONIA OLIVEIRA SILVA

    O que Sassaki imaginou para um futuro breve é que todas as pessoas acreditassem no paradigma da inclusão social como o caminho ideal para se construir uma sociedade para todos, e que todos por ela lutassem para que, juntos na diversidade humana, todos pudessem cumprir seus deveres de cidadania e gozar dos direitos civis, políticos, econômicos, sociais, culturais e de desenvolvimento.

    Por: SONIA OLIVEIRA SILVAl Educação> Ciêncial 09/07/2008 lAcessos: 86,062 lComentário: 1

    O presente artigo pretende discutir alguns aspectos relacionados à problemática da inclusão educacional, no ensino de Graduação de alunos portadores de deficiência

    Por: Vera Lucia Lina da Silval Educação> Educação Infantill 19/08/2010 lAcessos: 996
    Telma Lobo

    Há uma crescente mobilização no Brasil a favor da inclusão dos portadores de necessidades especiais na rede de ensino. Isto exige mudanças de atitudes não só de professores, mas de toda comunidade escolar assim como da sociedade em geral. Porém, para que isso aconteça é preciso reconhecer, questionar e romper com preconceitos ainda existentes na sociedade, estimulando o acolhimento e o respeito às crianças e jovens com necessidades especiais.

    Por: Telma Lobol Educaçãol 15/01/2011 lAcessos: 11,357 lComentário: 1
    Aline Pereira Dutra Santana e Sabrina Celestino Soares, Orientadora: Profª. Ms. Josiane Fujisawa Filus

    Este artigo faz uma reflexão sobre a história da educação escolar de pessoas em condição de deficiência no Brasil. Analisamos o final do século XVIII até as atuais discussões sobre o processo inclusivo. Observamos que os conceitos de deficiência e a ênfase na limitação da pessoa acompanharam os educadores no decorrer dos anos e têm influenciado a prática deles até hoje. Concluímos que uma educação de qualidade a todos ainda não é uma realidade, mas é preciso o trabalho de todos para que aconteça

    Por: Aline Pereira Dutra Santana e Sabrina Celestino Soares, Orientadora: Profª. Ms. Josiane Fujisawa Filusl Educaçãol 04/11/2009 lAcessos: 2,768 lComentário: 6
    Fábio Araújo de Holanda Souza

    Este trabalho tem por finalidade discorrer sobre os direitos da pessoa com deficiência, fazendo encômios sobre a legislação atual.

    Por: Fábio Araújo de Holanda Souzal Direitol 24/08/2009 lAcessos: 11,344 lComentário: 15

    O presente artigo descreve a Família no Processo de Inclusão. Levou-se em consideração práticas responsáveis de valorização e respeito ao ser e ao pensar da dinâmica familiar para a promoção do desenvolvimento global e inclusão social desse indivíduo.

    Por: Iracilda Gabriell Educação> Educação Infantill 22/10/2011 lAcessos: 1,671

    O artigo fala sobre os requisitos a serem observados para o atendimento destas pessoas com deficiência física, visual, auditiva e mental. Caracterizará as possibilidades de inclusão social destas pessoas. Hoje, mais do nunca é de extrema importância a inserção dos portadores de necessidades especiais no contexto escolar e empregatício, pois a integração social é de grande valia para essas pessoas que precisam de uma atenção especial de todos nós.

    Por: Rafaelly Aline Coelhol Psicologia&Auto-Ajudal 02/12/2009 lAcessos: 7,696 lComentário: 1
    Inez Kwiecinski

    A inclusão ou integração de crianças com necessidades educacionais especiais na rede regular de ensino é uma realidade imposta por várias diretrizes de políticas educacionais, porém ainda persistem muitas dúvidas e impasses sobre como deve ser o processo de escolarização desses alunos. Os portadores da Síndrome de Down são crianças que merecem especial atenção, a educação dessas crianças é um processo complexo e requer adaptações e, muitas vezes o uso de recursos especiais.

    Por: Inez Kwiecinskil Educação> Educação Infantill 25/01/2011 lAcessos: 4,544 lComentário: 1

    SÍNDROME DE DOWN - O USO CORRETO DA NOMENCLATURA – PESSOAS COM SÍNDROME DE DOWN X PORTADORES X MONGOLÓIDES Este artigo visa diferenciar as diversas nomenclaturas utilizadas para se referir às pessoas com síndrome de down. O autor relembra terminologias arcaicas, em desuso, até chegar a atual e mais correta nomenclatura sob a óptica do autor. A inclusão das pessoas com síndrome de down na rede regular de ensino também é abordada pelo autor.

    Por: Rodrigo Sabbagl Educaçãol 29/07/2009 lAcessos: 157

    Este artigo é um relato da experiência de ensino e aprendizagem que foi desenvolvido com alunos da terceira fase do primeiro ciclo do ensino fundamental da Escola Municipal "José Evaristo Costa", situada na Rua: José Caleira Vila, S/N, Bairro: São Francisco, CEP: 78260-000, Tel: (65) 3261 – 2291 na cidade de Araputanga-MT, por duas professoras alfabetizadoras em formação no PNAIC, Programa Nacional de Alfabetização na Idade Certa. A sequência foi realizada no ano de 2013 e teve uma duração de

    Por: Silvana Bento de Melo Couto.l Educaçãol 30/01/2015
    CLEBERSON EDUARDO DA COSTA

    Existem muitas formas de desumanização e, uma delas, talvez a mais crucial, seja aquela que está sistematizada no desrespeito às diferenças, na medida em que esse desrespeito - no sentido micro - leva o indivíduo para longe da sua capacidade de coexistir e, consequentemente, para longe da possibilidade de aprendizagem, crescimento e desenvolvimento pessoal; no sentido macro, leva a sociedade para xenofobismos, nacionalismos exacerbados, genocidismos, biocidismos, apartheids, etc.

    Por: CLEBERSON EDUARDO DA COSTAl Educaçãol 22/01/2015
    Magno Fernando A. Nazaré

    Esse artigo busca analisar e compreender as implicações dessa remuneração para o trabalho docente. Para tanto, foi realizada uma pesquisa de caráter bibliográfico-documental com base em pesquisas relacionadas à remuneração docente e documentos relativos à temática elaborados por organismos internacionais.

    Por: Magno Fernando A. Nazarél Educaçãol 20/01/2015
    Jaqueline de Andrade

    O presente artigo tem como pretensão abordar de forma clara e objetiva a importância da boa relação entre professor e aluno em busca de uma aprendizagem significativa. Sabe-se que a afetividade inevitavelmente faz parte do trabalho docente.

    Por: Jaqueline de Andradel Educaçãol 20/01/2015

    Vivemos em um um país, que demonstra abertamente, que toda sociedade convive pacificamente e não há preconceito ou discrimanação racial, vendemos a ideia que no Brasil existe a Democracia Racial, onde negros e brancos, se relacionam amigavelmente sem qualquer preconceito ou discrimanação. Porém observamos que, o que existe de fato, é o mito da Democracia Racial, ou seja, uma falsa ideia que brancos e negros vivem harmonicamente. Neste sentido, vamos relatar brevemente sobre algumas expressões.

    Por: Simone Marial Educaçãol 17/01/2015 lAcessos: 16
    Instituto Fisiomar

    Profissionais com qualificação saem na frente no mercado de trabalho e principalmente qualificação técnica. O curso técnico é um bom investimento, pois é um investimento barato, de curto prazo e que dá um excelente retorno. Uma Instituição séria que temos em Santa Catarina é o Instituto Fisiomar, com Cursos Técnicos de Segurança do Trabalho, Petróleo e Gás, Estética, Massoterapia e Podologia.

    Por: Instituto Fisiomarl Educaçãol 08/01/2015

    Considerando que a Educação deve ser voltada para a construção da cidadania, para o desenvolvimento das potencialidades do educando e a preparação para o trabalho, como diz na LDB – Lei nº 9394/96 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação), pensa-se que escola deve ser tida em nossa sociedade como oportunidade para o desenvolvimento, não só permitindo possibilitar ao educando estudar conteúdos, mas também dele ampliar relações com o outro, portanto devendo ser de qualidade.

    Por: nilda flores schutzl Educaçãol 30/12/2014
    Jaguaracy Conceição

    Esse texto tem como base a entrevista publicada na Revista Nova Escola de dezembro de 2014 e que traz como título: "A escola é a estrutura estável de quem vive numa família instável". Nela o sociólogo francês Bernard Lahire diz que o meio social é crucial ao desenvolvimento das crianças, pois sozinhas elas não conseguem superar as dificuldades que se deparam.

    Por: Jaguaracy Conceiçãol Educaçãol 23/12/2014 lAcessos: 24
    SONIA OLIVEIRA SILVA

    O professor (dirijo-me de forma genérica, pensando em professor ou professora) que trabalha direto com crianças precisa ter uma competência polivalente. Isso significa dizer que deverá trabalhar com conteúdos de naturezas diversas, que abrangem desde cuidados básicos essenciais até conhecimentos específicos provenientes das diversas áreas do conhecimento.

    Por: SONIA OLIVEIRA SILVAl Educação> Ciêncial 11/07/2008 lAcessos: 355,067 lComentário: 17
    SONIA OLIVEIRA SILVA

    A participação dos pais na educação dos filhos deve ser constante e consciente. A vida familiar e escolar se completa.

    Por: SONIA OLIVEIRA SILVAl Educação> Ciêncial 11/07/2008 lAcessos: 341,332 lComentário: 29
    SONIA OLIVEIRA SILVA

    O papel fundamental da educação no desenvolvimento das pessoas e das sociedades amplia-se ainda mais no despertar do novo milênio e aponta para a necessidade de se construir uma escola voltada para a formação de cidadãos (PCNs, 1998

    Por: SONIA OLIVEIRA SILVAl Educação> Ciêncial 11/07/2008 lAcessos: 401,045 lComentário: 13
    SONIA OLIVEIRA SILVA

    Sabemos que o papel dos pais na vida de um filho é único. O espaço destinado ao pai ou à mãe é algo singular na vida de qualquer ser humano. O papel de pai e de mãe exige primeiramente uma reflexão. Considere-se que o filho não solicitou sua existência aos pais, ao contrário, por ação dos pais e influência divina forma-se um novo ser, a terceira pessoa de uma relação.

    Por: SONIA OLIVEIRA SILVAl Educação> Ciêncial 09/07/2008 lAcessos: 1,124
    SONIA OLIVEIRA SILVA

    A televisão, a criança, a escola e o lar são alguns temas muito debatidos na atualidade e objeto de grande polêmica. São necessárias várias reflexões e muita pesquisa. É nesse contexto que se insere a questão de como a criança pensa a TV

    Por: SONIA OLIVEIRA SILVAl Educação> Ciêncial 09/07/2008 lAcessos: 5,484 lComentário: 2
    SONIA OLIVEIRA SILVA

    O que Sassaki imaginou para um futuro breve é que todas as pessoas acreditassem no paradigma da inclusão social como o caminho ideal para se construir uma sociedade para todos, e que todos por ela lutassem para que, juntos na diversidade humana, todos pudessem cumprir seus deveres de cidadania e gozar dos direitos civis, políticos, econômicos, sociais, culturais e de desenvolvimento.

    Por: SONIA OLIVEIRA SILVAl Educação> Ciêncial 09/07/2008 lAcessos: 86,062 lComentário: 1
    SONIA OLIVEIRA SILVA

    O tema “Televisão e Criança” tem sido objeto de controvérsias e carência de solução, e através de reflexão e pesquisa, tento mostrar o quanto a criança, pequeno telespectador, está inserida no ambiente televisivo. Analisando se existe saída para pais e educadores diante de tanta informação boa e má, concluí que não há mal intrínseco à TV, mas sim no uso que se faz dela. O desafio é fazer a criança descobrir outros prazeres, além da televisão.

    Por: SONIA OLIVEIRA SILVAl Educação> Ciêncial 09/07/2008 lAcessos: 101,664 lComentário: 15
    SONIA OLIVEIRA SILVA

    De modo geral a família é o primeiro grupo de pessoas com quem a criança tem contato assim que nasce. Sabe-se que o bebê logo apresenta suas preferências, seus gostos e suas diferenças individuais, então ao se integrar na família que já tem os seus hábitos, regras e seu modo próprio de viver, a criança aprenderá a se comportar e a modificar suas preferências, comunicando-se então, com esta família.

    Por: SONIA OLIVEIRA SILVAl Educação> Ciêncial 09/07/2008 lAcessos: 1,732
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast