A Sociologia Da Educação De Pierre Bourdieu

Publicado em: 15/01/2010 |Comentário: 0 | Acessos: 7,182 |

Pierre Bourdieu viveu entre 1930 e 2002 e, na qualidade de Sociólogo, ao criticar, ao mesmo tempo, o objetivismo e o subjetivismo, aborda a herança familiar como importante fator de sucesso ou insucesso escolar; consequentemente, afirma que a escola é reprodutora de desigualdades sociais. Mas há quem aponte limitações a essa concepção.

Bourdieu foi um renomado sociólogo; filho de funcionário da empresa de correios, nasceu em Denguin (comuna francesa na região administrativa da Aquitânia) e, ao completar 28 anos de idade, passa a ser assistente na Universidade de Algéria, quando produz seus primeiros trabalhos sobre transformações sociais, inovando o debate na Sociologia da Educação. Este notável cientista contemporâneo constrói suas teorias a partir de múltiplas fontes teóricas, como as de Kant, Mauss, Austin, Norbert Elias, Lévi-Strauss, além das de Marx, Weber e Durkheim. Aposenta-se como diretor de estudos da Ecole des Hautes Etudes en Sciences Sociales.

Epistemologicamente, critica a forma como o sujeito é tratado pelos sistemas institucionalizados, que apresentam fórmulas prontas para serem postas em prática pelos atores sociais; o que representa o objetivismo. Ao mesmo tempo, se afasta do modelo subjetivista, em que o indivíduo age de modo exclusivo com suas escolhas, preferências e atitudes. Assim, Bourdieu busca a superação de um dilema clássico do pensamento sociológico: a oposição objetivismo x subjetivismo.

É nesta perspectiva que o autor dirige seu foco para a carga cultural ou herança familiar como vetor do sucesso ou insucesso da pessoa nas fronteiras internas da escola. Os gostos, etiqueta, maneiras de se dirigir a outrem, religiosidade, enfim, os costumes diferenciam o aluno no que tange ao tratamento que ele recebe no âmbito do sistema educacional. Em outras palavras, uma pessoa de habitus requintados e linguagem refinada se sobressai e alcança melhores posições na escola e, com efeito, no mundo profissional. A verdade desta hipótese frustra pessoas menos favorecidas e avoluma as estatísticas de reprovação e evasão escolares, confirmando a assertiva de que a educação formal é uma extensão da educação doméstica e que esta influencia diretamente naquela, principalmente no tocante ao desempenho do aluno.

A sociologia da educação de Bourdieu continua sendo festejada nos dias atuais porque lança um novo modelo para explicar a escola e a educação, diferentemente da forma como eram entendidas até a primeira metade do Século XX. O sistema de ensino que garantiria oportunidades iguais entre todos os cidadãos – em que as pessoas que se destacariam por seus méritos, avançariam em suas carreiras escolares e, consequentemente, mobilizar-se-iam socialmente – é desmascarado, teórica e empiricamente, por Bourdieu. Pesquisas fomentadas pelos governos inglês, francês e norteamericano fornecem dados mais do que suficientes para Bourdieu provar que, em vez de oportunidades, meritocracia e justiça social, a escola reproduz e legitima desigualdades sociais, passando a ser vista como promotora de privilégios sociais.

Mas para afirmar que a escola reproduz e legitima desigualdades sociais, Bourdieu relaciona diretamente, também, o capital econômico das famílias como fator preponderante para o êxito ou frustração na vida escolar. Essa relação com a classe social do aluno custa a Bourdieu observações contrárias por parte de outros cientistas – a exemplo de Percheron, Lahire, Singly, Charlot – os quais afirmam que membros de famílias de diferentes classes sociais atingem posições iguais na escola e no mercado de trabalho; assim como, dentre os filhos de famílias de mesma classe, uns se frustram enquanto outros se sobressaem.

A transversalidade do tema objeto do presente trabalho é de uma amplitude tão significativa que impede a exposição de considerações finais, exigindo-se apenas que diversos públicos reconheçam a importância do despertar de Pierre Bourdieu para a quebra do paradigma representado pelas instituições (como modelos prontos) que engessam também os sujeitos das sociedades afetadas. Assim, acaba superando a dualidade entre objetivismo e subjetivismo à medida que revela o indivíduo como um ser essencialmente social, com costumes reconhecidos e exigidos pela sociedade em que está inserido, cujo sistema educacional promove privilégios, reproduzindo e legitimando desigualdades sociais. Na mesma direção, é necessário compreender que as críticas ou observações contrárias sevem de equilíbrio ao desenvolvimento do tema ao passo que enriquecem o debate, levantando dúvidas e fomentando a produção de novos textos, artigos ou monografias.


Referências Bibliográficas

NOGUEIRA, Cláudio Marques Marques; NOGUEIRA, Maria Aalice - Educação & Sociedade, ano XXIII, no 78, Abril/2002;

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 3 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-artigos/a-sociologia-da-educacao-de-pierre-bourdieu-1730668.html

    Palavras-chave do artigo:

    sociologia

    ,

    educacao

    ,

    desigualdades

    Comentar sobre o artigo

    Evilasio Ferreira de Sousa

    A presente proposta envolve as pessoas que estão inseridas no universo do Ensino Fundamental, do primeiro ao quinto ano, do município de Catolé do Rocha, Estado da Paraíba, tendo como objetivo contribuir para a compreensão da educação e das relações intertécnicas, com ênfase da inserção do negro da vida escolar. Estudo este que proporcionou aos educadores e educandos o conhecimento da situação atual sob o prisma dos aspectos culturais, onde as desigualdades afloram e se mostram com total nitidez

    Por: Evilasio Ferreira de Sousal Educação> Ensino Superiorl 05/10/2011 lAcessos: 119

    Artigo apresentado no V Simpósio de PesquUisa e Pós-Graduação em Educação, 2013, na Universidade estadual de Londrina. trata da disciplina de sociologia no ensino médio e da construção de uma metodologia de ansino apropriada, perpasando a pedagogia histórico-crítica.

    Por: Cristiano Pinheiro Corrêal Educação> Ciêncial 24/05/2013 lAcessos: 156

    RESUMO Desigualdade social é – em todos os aspectos – um absurdo. No Brasil, é uma das maiores do mundo. Historicamente, o ser humano, ao atingir certo controle sobre a obtenção de alimento - com a agricultura e a pecuária - fugindo da dependência de caçar ou coletar, criou, para si, uma dependência ainda maior. Para justificar o injustificável, estimulou-se o ódio. Criaram-se os Estados e estimularam-se guerras.

    Por: MARIA APARECIDA DE SAl Notícias & Sociedade> Desigualdades Sociaisl 07/03/2012 lAcessos: 3,571
    Antonio Cunha

    O presente trabalho tem como objetivo, rever as referências teóricas sobre o tema “emancipação” associadas à análise das políticas públicas educacionais adotadas pelo Governo Brasileiro, focando Curitiba-Pr, considerando a desigualdade e a diferença social da clientela das escolas públicas estaduais e federais, diante das demandas sociais e de mercado de trabalho, numa perspectiva de emancipação e esforços públicos.

    Por: Antonio Cunhal Educaçãol 10/08/2009 lAcessos: 4,844
    Horácio Lembe

    Este artigo destina-se a análise da Reforma Educativa em Angola e o seu impacto no ensino da sociologia a nível do IIº Ciclo do Ensino Secundário: o caso do Subsistema de Ensino Geral.

    Por: Horácio Lembel Educação> Ciêncial 28/09/2010 lAcessos: 2,426

    Este artigo aborda as condições objetivas de trabalho dos professores de Sociologia, relacionadas as questões de lutas contra o racismo,às dificuldades por eles enfrentadas no trato com os alunos,à existência ou não de preconceito no espaço escolar e como tratar o assunto no cotidiano e nas relações estabelecidas na escola.

    Por: HELENA DA SILVA MIRANDAl Educação> Ciêncial 31/05/2011 lAcessos: 407

    O presente texto não tem a pretensão de esgotar os conhecimentos sobre a relação Estado-Sociedade, bem pelo contrario, tal tema é bastante amplo e complexo, sendo impossível conceituar o mesmo em poucas palavras, ate mesmo por que se trata de pontos de vistas distintos sobre o mesmo assunto

    Por: Robson Stigarl Educação> Ensino Superiorl 22/03/2010 lAcessos: 3,852

    O presente texto busca uma concepção fundamentada na relevância e na contribuição que a filosofia fenomenológica pode trazer para descrever o fenômeno investigado. Com tudo objetivamos refletir sobre a educação, Educação Física, corpo e esporte escolar, referenciando as contribuições que poderá trazer ao compreendermos uma educação transformadora, tendo como intenção o paradigma da reflexão fenomenológica, valorizando a experiência vivida e o mundo da vida.

    Por: IVO NASCIMENTO NETOl Esporte> Esportes Radicaisl 08/08/2010 lAcessos: 1,187
    Alinne do Rosário Brito

    A escola no exercício de suas atividades dissemina a ideologia capitalista seja a favor da sua manifestação hegemônica ou contra hegemônica, o que traduz o seu papel de simples reprodutora ou de resistente questionadora desse sistema. A nova configuração mundial atualmente representada pela relação de interdependência entre as nações aciona um novo desenho curricular.

    Por: Alinne do Rosário Britol Educaçãol 18/06/2014 lAcessos: 11
    Genilda Vieira Rodrigues

    Este artigo tem por objetivo apresentar estudos aprofundados sobre a educação inclusiva dando ênfase à questão envolvida no que se refere ao trabalho do professor com alunos portadores de deficiência. No decorrer da produção serão expostos conceitos de Educação Especial e Educação Inclusiva pontuando o saber fazer e o aprender diante das dificuldades encontradas em trabalhar com alunos portadores de necessidades especiais, ressaltando ainda mostrar alguns dos recursos e as estratégias utilizados

    Por: Genilda Vieira Rodriguesl Educaçãol 21/02/2015

    Propriedade vocabular é muito importante na hora de redigir o texto, uma vez que saber empregar as palavras mais adequadas no momento enriquece muito o conteúdo do texto e, além disso, torno-o mais clara e objetivo. Mesmo que o texto seja um mero exercício escolar, antes de construí-lo, pergunte-se: para quem escrevo? O tipo de receptor determina a forma de sua mensagem. Um panfleto dirigido a crianças precisa ter uma linguagem fácil, direta, sem rebuscamento.

    Por: Professor Leol Educaçãol 19/02/2015

    Quando se ouve falar em educação, pensamos em escola, em educação formal. E quando o assunto é família temos vários pensamentos. Educação e Família são dois temas bastante complexos, porque educação é muito mais que escolarização, letramento e formação, sendo que família é a instituição mais antiga da sociedade e sofre constantes transformações. Ambas tem a função de socializar e transformar o homem biológico em um ser social.

    Por: Alexandrina M. P. de Fariasl Educaçãol 16/02/2015

    Propostas Pedagógica e a Participação da Família no Resultado. A progressão escola é um instrumento que pode mudar a realidade desses estudantes que estão fora da faixa etária escolar. Determinadas escolas contemplam dentro do seu projeto político pedagógico, o sistema de progressão. Para que funcione a progressão em uma escola é necessário que haja engajamento por parte dos docentes, dos estudantes e da família. É importante ressaltar, que a família também tem um papel fundamental...

    Por: Elonir dutra terral Educaçãol 13/02/2015

    Diante dos agravos causados pela violência doméstica, tais entraves se estendem também ao processo educacional da criança e adolescente. Por outro lado, esta situação nem sempre é conhecida pelos seus educadores no campo acadêmico, causando assim uma lacuna no campo da avaliação pedagógica que, muitas vezes, abrangem somente o campo intelectual. Este trabalho tem por objetivo fazer uma análise sobre os impactos da violência doméstica no processo ensino-aprendizagem.

    Por: Jiane Martins Soaresl Educaçãol 12/02/2015
    ÁUREA MARIA SOARES LIMA

    A educação é um direito humano substancial, e como tal, precisa ser garantido universalmente. As conquistas das mulheres brasileiras em relação á educação, vêm crescendo consideravelmente e com isso, reduzindo significativamente o analfabetismo. O número de mulheres no mercado de trabalho cresceu gradativamente e isso ocorreu devido à determinação para conquistar seu espaço, milímetro a milímetro, dentro e fora de casa, e especialmente do empenho em subir novos degraus de instrução.

    Por: ÁUREA MARIA SOARES LIMAl Educaçãol 10/02/2015 lAcessos: 11
    ÁUREA MARIA SOARES LIMA

    O direito de trabalhar, obter formação intelectual e de atuar no cenário político do País, nem sempre foi concedido às mulheres. As mulheres que queriam reverter esta situação, buscando conquistar funções que tradicionalmente não lhes cabiam, devido à sociedade patriarcal, eram ridicularizadas e até difamada. A luta das mulheres brasileiras pelo reconhecimento de seus direitos políticos e civis é secular; a emancipação feminina nas ultimas décadas do séc. XIX era vista pelos mais diversos setore

    Por: ÁUREA MARIA SOARES LIMAl Educaçãol 10/02/2015 lAcessos: 15
    Carlos Henrique Araújo

    Não haverá uma educação de qualidade se não houver uma reforma do ensino no país. Um pacto entre a sociedade e os seus representantes políticos em prol de uma verdadeira reforma do ensino nacional deveria ser estabelecido. Na minha percepção, a reforma do ensino é a mãe de todas as reformas.

    Por: Carlos Henrique Araújol Educaçãol 03/02/2015 lAcessos: 12
    ZÉU BARBOSA

    Planeja e executa pesquisas sobre as condições sócio-econômicas, culturais e organizacionais da sociedade e instituições comunitárias, efetuando o levantamento sistemático de dados secundários e/ou primários, utilizando-se de recursos diversos, para fornecer os subsídios necessários à realização de diagnósticos gerais e à análise de programas específicos das diversas áreas de atuação, como saúde, educação, trabalho, promoção social e outros, tanto no meio rural como urbano.

    Por: ZÉU BARBOSAl Educaçãol 23/06/2012 lAcessos: 160
    ZÉU BARBOSA

    O mercado de trabalho está repleto de ofertas, mas faltam pessoas qualificadas para ocupar cargos importantes.

    Por: ZÉU BARBOSAl Carreira> Gestão de Carreiral 15/02/2012 lAcessos: 54
    ZÉU BARBOSA

    Qual a função científica primordial do Acadêmico ou do Professor compromissados com o desenvolvimento local e regional?

    Por: ZÉU BARBOSAl Educação> Ensino Superiorl 24/07/2011 lAcessos: 127
    ZÉU BARBOSA

    Aqui, conhecer-se-á o município de Vera Cruz-Ba, sua paisagem pela escrita, economia, breve história e vias de acesso. Durante a abordagem do tema principal, vê-se a transposição de obstáculos e quebra de paradigma que evolui para as subdivisões classistas em agrupamentos específicos através da idéia cooperativista; a participação social e política do autor frente ao tema em desenvolvimento. Em seguida, são expostos casos de sucesso em localidades onde a solidariedade iniciou-se na prática.

    Por: ZÉU BARBOSAl Notícias & Sociedade> Polítical 21/07/2011 lAcessos: 161
    ZÉU BARBOSA

    O fracasso da ação coletiva voluntária está diretamente relacionado à inadimplência com as contribuições que servem (ou serviriam) para a provisão de bens públicos, mais, até, do que a ineficiência estatal.

    Por: ZÉU BARBOSAl Notícias & Sociedade> Polítical 05/02/2011 lAcessos: 194
    ZÉU BARBOSA

    E o Sociólogo? Onde está o seu campo de trabalho?...

    Por: ZÉU BARBOSAl Carreira> Gestão de Carreiral 08/08/2010 lAcessos: 7,754 lComentário: 5
    ZÉU BARBOSA

    Não nos é dado o direito de ficarmos calados diante de tais atitudes ou comportamentos, pois o maior prejuízo recai sobre a espécie humana e não apenas sobre os discriminados.

    Por: ZÉU BARBOSAl Notícias & Sociedade> Desigualdades Sociaisl 28/06/2010 lAcessos: 1,335
    ZÉU BARBOSA

    "Ressalte-se que o grande perigo do século XXI é a aceitação passiva, pela população, de conceitos elaborados sem a reflexão necessária, cujos temas são explorados por organizações que procuram dominar a política..."

    Por: ZÉU BARBOSAl Notícias & Sociedade> Polítical 18/02/2010 lAcessos: 335
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast