A Verdadeira função da Educação Física no contexto Escolar

Publicado em: 09/11/2010 |Comentário: 0 | Acessos: 2,528 |

A verdadeira preocupação e busca por educadores físicos hoje nas escolas é poder levar uma aula de educação física com qualidade, onde as práticas pedagógicas possam ser inseridas e praticadas por todos sem distinção.
A idéia de muitos ainda fica na Educação Física das quatro bolas: basquete, vôlei, futsal e handebol, ou das brincadeiras onde a maioria acha que brincar não leva ninguém a lugar algum. Mas quando lançamos um olhar para os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs), que indicam como objetivos do ensino fundamental que os alunos sejam capazes de compreender a cidadania, adotar atitudes solidárias, cooperar, respeitar o outro e a si mesmo, ser um sujeito crítico, utilizar do diálogo, construir a noção de identidade nacional e pessoal, valorizar o patrimônio brasileiro, posicionar-se contra qualquer discriminação, seja cultural, de classe social, de crenças, de sexo, de etnia ou outras características, contribuir para a melhoria do meio ambiente; buscar em si mesmo capacidades afetiva, física, cognitiva, ética, estética, de interrelação pessoal e de inserção social, para agir no exercício da cidadania, valorizar hábitos saudáveis, cuidando do próprio corpo, para ter qualidade de vida, pensando em sua saúde e na saúde coletiva, utilizar as diferentes linguagens para se comunicar e expressar suas idéias, utilizar de diferentes fontes da tecnologia para construir conhecimentos; questionar a realidade para criar e resolver problemas de forma que a criatividade, a intuição a análise crítica se faça presente em seus procedimentos, ao olharmos por esse ângulo podemos perceber que a Educação Física faz parte deste contexto, antigamente ela só era vista como atividade física, primeiramente, para a higiene no sentido de saúde, onde a preocupação eram as doenças, logo depois ficou voltada para o militarismo, onde o foco era para as aptidões físicas para servirem ao serviço militar, ainda tivemos um grande tempo onde era voltada para talentos esportivos na busca de atletas tanto para o futebol quanto para olimpíadas.
Anos e anos a Educação Física foi voltada somente para a prática e nem fazia parte do currículo, pois as outras disciplinas eram teóricas ela era somente prática. Mas através de estudos realizados por professores a fim de darem qualidade a essa disciplina e fazer com ela pertença ao currículo e seja reconhecida pela ciência, hoje temos vários nomes em pauta com livros fantásticos para respaldar e os PCNs da educação física que dão diretrizes para o nosso trabalho.
A escola transmite a cultura e a seleciona na pedagogia escolar, tendo assim um papel importante para educar sobre a cultura corporal de movimento. A Educação Física escolar contemporânea trabalha hoje com várias práticas culturais e corporais, trazendo para dentro da escola a cultura inserida no seu próprio bairro, onde a dança, a capoeira, as lutas as ginásticas de um modo geral fazem parte desse currículo, podendo muitas crianças expressar seus talentos e curiosidades a respeito de várias práticas culturais que não conhecem. Sendo assim o conteúdo programado da Educação Física pela proposta pedagógica escolar trás benefício para a escola quando cuidadosamente atende as necessidades de todos os alunos e se relaciona com a cultura corporal de movimento, pois o corpo e a prática expressa à sociedade que está inserida. Uma escola que pensa junto em que tipo de cidadão ela quer formar que tipo de construção ela almeja, trabalha na interdisciplinaridade onde a Educação Física pode contribuir junto das outras disciplinas para as dimensões afetivas, cognitivas, psicossociais e socioculturais dos alunos. 

Referências: Parâmetros Curriculares Nacionais

Castellani Filho, Lino Educação Física no Brasil: A História que não se conta 1988.

Vygotsky L.S. A formação social da mente 2007.

Daolio Jocimar, Educação Física e o Conceito de Cultura.

Psicologia e Currículo – César Coll – São Paulo: Ática, 2007.

Freire, J.B. Educação de Corpo Inteiro Teoria e Prática da Educação 2005

BETTI, Mauro, Educação física e sociedade. São Paulo: Movimento, 1991.

 

 

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-artigos/a-verdadeira-funcao-da-educacao-fisica-no-contexto-escolar-3636341.html

    Palavras-chave do artigo:

    educacao fisica

    ,

    crianca

    ,

    escola

    Comentar sobre o artigo

    Alessandro Neves de Araujo

    Esse estudo teve como objetivo verificar se na educação física escolar há uma proposta de inclusão. A análise dos resultados teve como base a metodologia análise descritiva. Como resultado, verificamos que há sim inclusão na educação física escolar, Os professores possuem o conhecimento teórico sobre essa possibilidade, mas não a efetivam, e justificam que a falta de materiais apropriados e espaços físicos desfavorecem a educação física escolar como uma modalidade inclusiva.

    Por: Alessandro Neves de Araujol Educação> Educação Infantill 28/07/2011 lAcessos: 715
    Thiago Miranda

    Se por um lado, a tecnologia e a industrialização facilitam nossas vidas e contribuem para o progresso social e econômico da civilização, por outro nos colocam a mercê de uma série de fatores de riscos relacionados ao estado de saúde. Contrariando essa perspectiva, a Educação Física aparece como uma das variáveis na promoção da qualidade de vida e da saúde, tendo papel importante na atuação escolar (NAHAS, 2001). A pesquisa pretende apontar o papel da educação física em pról à qualidade de vida.

    Por: Thiago Mirandal Educação> Ensino Superiorl 31/07/2009 lAcessos: 14,165 lComentário: 2

    Busca-se com este trabalho estudar nas obras de João Batista Freire - Educação Física de corpo inteiro: teoria e prática da educação física (1989) e Educação como prática corporal (2003), questões relacionadas ao desenvolvimento, aprendizagem, movimento e concepção de homem presentes na abordagem construtivista defendida por esse autor. Para esse fim utilizaremos da análise dessas obras e artigos científicos a cerca do assunto para melhor embasamento teórico.

    Por: BRUNO AMARAL RAMOSl Educaçãol 01/07/2012 lAcessos: 4,376
    Elias Ribeiro Tork Filho

    O presente artigo apresenta como objetivo investigar a práxis pedagógica da Educação Física na 1ª Etapa da Educação de Jovens e Adultos (EJA), especificamente as dificuldades do professor em ministrar aulas à clientela da EJA. Pois, sabe-se que a Educação Física Escolar a partir da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, Lei 9.394/96, apresenta-se como componente curricular obrigatório da educação básica. Com isso, analisa-se que a EJA ao fazer parte da educação básica precisa que o prof

    Por: Elias Ribeiro Tork Filhol Educação> Ensino Superiorl 17/12/2013 lAcessos: 106

    Busca-se apresentar os limites e possibilidades para que se possa inserir o malabarismo na escola. Visando através desse estudo superar o modelo tradicional de educação física. Num primeiro momento apresento um breve histórico do malabarismo e das artes circenses. Em seguida faço um resumo das principais tendências pedagógicas dessa disciplina escolar. Por fim busco mostrar que o malabarismo pode ser utilizado como conteúdo da cultura corporal capaz de recriar as aulas de educação física.

    Por: BRUNO AMARAL RAMOSl Educaçãol 01/07/2012 lAcessos: 352

    Este artigo aborda a importância de se construir um modelo de ensino-aprendizagem dentro da Educação Física Escolar que não se prenda apenas na prática do exercício, mas que através do máximo aproveitamento de todos os componentes da Cultura Corporal do Movimento, conduza o educando a um nível de desenvolvimento elevado dentro dos aspectos motor, cognitivo, emocional e social. O método utilizado foi a pesquisa bibliográfica e comparação dentro da prática realizada no estágio supervisionado.

    Por: Vandersonl Educação> Educação Infantill 29/06/2014 lAcessos: 25
    Marcelo Gomes González

    O Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil é um documento que equivale aos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs), já que foi criado pelo MEC em 1998. No entanto, há um debate ferrenho entre as grandes esferas da administração é o fato desse nível de ensino compor a Educação Básica, mas ser posta de forma facultada, fazendo com que, muita das vezes, não seja cursada pela criança, que fica com um ensino deficitário na base do conhecimento.

    Por: Marcelo Gomes Gonzálezl Educação> Educação Infantill 17/10/2012 lAcessos: 599
    Marcelo Gomes González

    Como está expresso na fala de muitos autores, o Ensino Fundamental II é uma fase de transição, onde muitas culturas devem ser maturadas, e outras apresentadas. Nesse período o educando se encontra no momento da criação da sua identidade. Os PCNs defendem que a Educação Física deve utilizar, principalmente, da cultura corporal - a trazida pela criança e a apresentada para ela dentro do ambiente escolar - e da instigação à busca do conhecimento para que ela seja autônomo.

    Por: Marcelo Gomes Gonzálezl Educaçãol 17/10/2012 lAcessos: 374
    Natália de Souza Cardoso

    O artigo abordou como tema "a inclusão de crianças com síndrome de Down na educação física, com o propósito de mostrar à sociedade de que essas crianças são capazes de participar das aulas de educação física, apesar de todos os problemas que enfrentam no decorrer de sua vida.

    Por: Natália de Souza Cardosol Educação> Educação Infantill 22/08/2011 lAcessos: 1,652
    josé irlan das graças souza

    Esta pesquisa tem como objetivo geral analisar a pratica pedagógica dos professores de Educação Física com deficiência. Acreditamos ser de suma importância pesquisar sobre a inclusão profissional de um professor com deficiência e as dificuldades enfrentadas por ele. De que forma o professor de Educação Física com deficiência exerce sua prática pedagógica.

    Por: josé irlan das graças souzal Educação> Ciêncial 06/05/2010 lAcessos: 589
    Erineia nascimento da Silva

    O lúdico proveniente da palavra latina "ludus" que significa jogos. Que segundo DANTAS, 1988, representa liberdade para brincar livremente, gratuitamente, prazerosamente. Tornando a brincadeira uma expressão máxima do lúdico, desde da antiga Roma e Grécia em períodos remotos da civilização ocidental utilizava os brinquedos na educação com base nas idéias de Platão e Aristóteles.

    Por: Erineia nascimento da Silval Educaçãol 28/10/2014
    Sebastiana Braga

    A formação profissional não consiste apenas em ouvir palestra ou fazer determinados cursos. Pelo contrario, ela é um processo continuo e progressivo, onde através da aprendizagem se acumula conhecimento e este por sua vez vai sendo transformado em práticas bem sucedidas. Dessa forma deve ser pensado numa multiplicidade de saberes que através de um projeto para formação continuada que se complemente e que aborde um tema central a todas as áreas no intuito do melhoramento do ensino aprendizagem.

    Por: Sebastiana Bragal Educaçãol 27/10/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Sei o quanto. Tudo isso não significa nada. Apesar da interminável beleza dos universos. Contínuos. Sei do insignificado das coisas. Do delírio dos deuses. Das franquezas das razões não lógicas. A metafísica não indutiva.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educaçãol 25/10/2014
    Amanda Souza Machado

    Este trabalho é uma continuação das discussões, pesquisas e reflexões ocorridas durante a elaboração do artigo científico sobre como os educadores exploram as fantasias das crianças, produzidas a partir dos programas de televisão. O artigo propõe-se a apresentar as influências da TV no imaginário das crianças e qual é o papel dos educadores neste momento.

    Por: Amanda Souza Machadol Educaçãol 23/10/2014

    O presente artigo é um estudo bibliográfico que tem como objetivo principal abordar conceitos educacionais e metodologias desenvolvidas em sala de aula usando o lúdico como alternativa de metodologia. O trabalho justifica-se pela necessidade de se entender e adequar a aprendizagem às atuais demandas da educação é necessário conhecer alguns caminhos já percorridos pelo ensino e que se levam a uma redefinição dos objetivos, conteúdo e metodológicos.

    Por: Graciele de Miranda Oliveiral Educaçãol 21/10/2014 lAcessos: 14
    Alinne do Rosário Brito

    O artigo busca pesquisar e relatar o que é o Programa Mesa Brasil SESC e dialogar com as ações do Governo do Estado do Amapá para que a segurança alimentar seja implementada atendendo as leis nacionais e as respectivas atuações das politicas públicas que o regem quanto a tentativa de diminuição da miséria na cidade de Macapá.

    Por: Alinne do Rosário Britol Educaçãol 21/10/2014 lAcessos: 17
    Tania R. Steinke

    Promover a valorização da formação continuada dos docentes e coordenadores pedagógicos que atuam no Ensino Médio das escolas públicas.

    Por: Tania R. Steinkel Educaçãol 19/10/2014

    Este artigo analisa de forma breve a teoria das Representações sociais, realizada por alguns estudiosos que contribuíram para a o avanço das representações sociais, bem como, os teóricos que tinham como base as investigações de como as pessoas transformam os conhecimentos científicos em conhecimento de senso comum na década de 60, e também a forma como adota a perspectiva comunicativa "genética" na apreensão do conhecimento veiculado a dinâmica do cotidiano.

    Por: Elizabeth Almeida dos Santosl Educaçãol 14/10/2014 lAcessos: 12

    Sendo a escola um lugar privilegiado para o desenvolvimento da atividade musical, já que a criança se expressa espontaneamente sonora e corporalmente, a Educação Infantil é o momento mais indicado para se iniciar o trabalho sistemático com a música. Por meio da música o educador trabalhará o esquema corporal, uma vez que a criança aponta as partes do corpo enquanto canta determinadas músicas. Passa a ter noção de tamanho, além de outras experiências corporais que a música lhe proporciona.

    Por: Marcia Rossi da Rochal Educação> Educação Infantill 06/04/2011 lAcessos: 1,473
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast