Adaptações Curriculares

Publicado em: 30/11/2009 |Comentário: 1 | Acessos: 2,612 |

Inclusão significa oportunidades para as pessoas com necessidades especiais participando ativamente e contribuindo na comunidade,,mas todo trabalho de inclusão traz desafios e possibilidades tanto para os alunos como para professores. As escolas inclusivas devem sempre contar com o apoio das escolas especiais.

Alguns grupos de professores têm uma visão diferenciada quanto ao processo de inclusão, apresentando resistência como não podia deixar de ser. Quebrar essa resistência se torna um trabalho muito difícil para as escolas que abriram as portas para as mudanças. Sobre as possibilidades e garantias do direito à inclusão Beyer (2005), refere-se a um sentimento de incompletude ou impotência das redes de ensino em geral, das escolas e professores, em particular, na perspectiva da ação, do fazer valer a inclusão. Segundo ele, as leis existem, mas o seu cumprimento estaria condicionado a idéia do vir a ser, de conquista, talvez a longo prazo. Almeida

(2001), afirma que a regulamentação do saber na ótica da legislação educacional transplanta para o universo escolar o modelo hegemônico das elites dominantes.

Por isso, a legalidade confere legitimidade de um pensamento que se materializa na releitura e reinterpretação do conteúdo prescrito na lei. Há de se entender que para a inclusão acontecer é necessário que os fatores internos à estrutura escolar, tais como a organização (administrativa e disciplinar), currículo, os métodos, os recursos humanos e materiais da escola sejam determinantes para a inclusão desses alunos com necessidades especiais.

Nesse contexto é irrelevante a figura do professor, sendo o facilitador no desenvolvimento das ações mais direta no processo da inclusão, o professor deve trabalhar as diferenças e preconceito que rodeiam essas crianças. Para Montoan (1997):

É preciso lembrar, que a inclusão do aluno especial é com certeza prioridade que deve ser dada a todo ser humano, sem qualquer discriminação nem rotulação. Os sistemas públicos e particulares de ensino precisam viver a experiência da integração para sentir que o respeito à diferença é o único caminho para a vivencia da igualdade. (MONTOAN, 1997, p. 137).

A inclusão escolar constitui uma proposta que representa valores simbólicos importantes, condizentes com igualdade de direitos e de oportunidades educacionais para todos, independentes de classe, raça, gênero, características individuais ou necessidades especiais, possam interagir e aprender com as crianças “ditas normais” em uma escola de qualidade. Existem alguns aspectos do ensino para disponibilizar condições que sejam favoráveis á aprendizagem de todas as crianças com necessidades especiais.

É importante a análise e reflexão sobre a política global da escola e a prática pedagógica dos envolvidos no que diz respeito à organização do espaço físico da escola, visto que ser este um dos aspectos que pode contribuir para proporcionar condições de apoio ou de exclusão da pessoa com necessidades especiais do espaço escolar. Segundo o texto do “Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil” (MEC, 1997), as adaptações da escola devem:

Garantir e oferecer às crianças tanto acesso aos mais variados instrumentos físicos, quanto ao simbólico, tais como: conceito, valores, atitudes, objetos sócio-culturais necessários à constituição da personalidade capazes de compreender a cultura e a sociedade, de maneira segura, solitária e cooperativa.

Atualmente, os recursos educacionais destinados ao atendimento de alunos com necessidades educativas especiais, refere-se aos serviços e auxilio especiais cuja finalidade é suplementar, apoiar, de modo a proporcionar a cada educando a possibilidade de atingir níveis de desempenho compatíveis com suas características de aprendizagem. A portaria do MEC nº 1679/99:

Dispõem sobre os requisitos de acessibilidade as pessoas portadoras de deficiência para instruir processos de alta autorização de reconhecimento de cursos e de credenciamento de instituições.

A falta de adaptações nas escolas dificultam o acesso e a interação das crianças com necessidades especiais, por isso é fundamental a organização e a cooperação de toda a comunidade para enfrentar novos desafios.  As seguintes medidas constituem adaptações de acesso ao currículo:

• criar condições físicas, ambientais e materiais para o aluno na sua unidade escolar de atendimento;

• propiciar os melhores níveis de comunicação e interação com as pessoas com as quais convive na comunidade escolar;

• favorecer a participação nas atividades escolares;

• propiciar o mobiliário específico necessário;

• fornecer ou atuar para a aquisição dos equipamentos e recursos materiais específicos necessários;

• adaptar materiais de uso comum em sala de aula;

• adotar sistemas de comunicação alternativos para os alunos impedidos de comunicação oral (no processo de ensino aprendizagem e na avaliação). (PCN, 1994, p. 42)

Sugestões que favorecem o acesso ao currículo:

• agrupar os alunos de uma maneira que facilite a realização de atividades em grupo e incentive a comunicação e as relações interpessoais;

• propiciar ambientes com adequada luminosidade, sonoridade e movimentação;

• encorajar, estimular e reforçar a comunicação, a participação, o sucesso, a iniciativa e o desempenho do aluno;

• adaptar materiais escritos de uso comum: destacar alguns aspectos que necessitam ser apreendidos com cores, desenhos, traços; cobrir partes que podem desviar a atenção do aluno; incluir desenhos, gráficos que ajudem na compreensão; destacar imagens; modificar conteúdos de material escrito de modo a torná-lo mais acessível à compreensão etc.;

• providenciar adaptação de instrumentos de avaliação e de ensino-aprendizagem;

• favorecer o processo comunicativo entre aluno-professor, aluno-aluno, aluno-adultos;

• providenciar softwares educativos específicos;

• despertar a motivação, a atenção e o interesse do aluno;

• apoiar o uso dos materiais de ensino-aprendizagem de uso comum;

• atuar para eliminar sentimentos de inferioridade, menos valia e fracasso. (PCN, 1994, p.43)

Para que a inclusão seja satisfatória é preciso criar condições para as crianças com necessidades especiais, será necessário que as escolas sejam adaptadas, garantindo acesso para desenvolver suas habilidades e favorecendo o processo de ensino aprendizagem. Sugestões de recursos de acesso ao currículo para alunos com necessidades especiais, segundo necessidades específicas, para alunos com deficiência auditiva:

• materiais e equipamentos específicos: prótese auditiva, treinadores de fala, tablado, softwares educativos específicos etc.;

• textos escritos complementados com elementos que favoreçam a sua compreensão: linguagem gestual, língua de sinais e outros;

• sistema alternativo de comunicação adaptado às possibilidades do aluno: leitura orofacial, linguagem gestual e de sinais;

• salas-ambiente para treinamento auditivo, de fala, rítmico etc.;

• posicionamento do aluno na sala de tal modo que possa ver os movimentos orofaciais do professor e dos colegas;

• material visual e outros de apoio, para favorecer a apreensão das informações expostas verbalmente. (PCN, 1994, p. 46)

Os objetivos da escola, enquanto instrumento de educação, serão o de desenvolver seres humanos críticos, criativos, pensantes, produtivos e adaptados ao seu momento histórico. Para a escola desenvolver seus alunos pensantes, críticos, produtivos, faz-se necessário fazer as mudanças e adaptações adequadas às crianças com necessidades especiais, proporcionando a integração e o desenvolvimento de todos, onde os mesmos possam ser vistos como indivíduos capazes de fazer parte de um mundo designado para habilidosos e competentes.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-artigos/adaptacoes-curriculares-1521476.html

    Palavras-chave do artigo:

    adaptacoes

    ,

    curriculo

    ,

    educacao especial

    Comentar sobre o artigo

    A educação especial é a educação de alunos com necessidades especiais de uma forma que aborda as diferenças dos alunos e necessidades individuais.

    Por: Marcelo Rigottil Educação> Educação Infantill 03/04/2012 lAcessos: 425

    Este artigo é fruto de estudos realizados e de experiências profissionais vividas em instituição educacional de ensino especializado, buscando compreender a dinâmica do processo de (re) significação, ou consequente revisão, no campo das ideias, e quiçá, práticas, acerca da modalidade de educação especial e inclusiva no sistema de ensino brasileiro. Com efeito, tal artigo é adornado de reflexões com perspectivas híbridas sobre o fazer da educação especial na perspectiva da inclusão, fazendo valer, todavia, as contribuições da educação especial no processo de desenvolvimento sócio-educativo da pessoa com deficiência no ensino regular.

    Por: Marcos Matozinhos de Morais Munhósl Educaçãol 21/09/2009 lAcessos: 3,489 lComentário: 1

    O presente artigo tem como objetivo pesquisar sobre as principais questões envolvidas na educação especial. Refletir sobre o processo atual da educação especial e investigar os recursos especializados para educar e socializar as pessoas com necessidades especiais, tendo em vista as suas dificuldades individuais. Compreender o papel das escolas de educação especial. O artigo trata principalmente de Concepção de Educação Especial, seu Surgimento no Brasil, Concepção de Educação Inclusiva, E Formaç

    Por: Dirlene dos Santos Martinsl Educaçãol 29/11/2012 lAcessos: 254

    As adaptações curriculares são os ajustes e modificações que devem ser realizadas nas diferentes instâncias curriculares, favorecendo-lhes condições necessárias para que efetive as ações concretizando o máximo de resultado positivo no seu processo de ensino-aprendizagem.

    Por: Maria Zilda da Silva Barbosal Educaçãol 22/06/2014 lAcessos: 33

    Considera-se aluno com necessidades educativas especiais aqueles que manifestam comportamentos particulares que impeçam os encaminhamentos rotineiros das práticas pedagógicas em sala de aula, pois é necessário que o professor faça ajustamentos curriculares sem os quais eles não conseguirá realizar as aprendizagens ao nível de suas capacidades e potencialidades.

    Por: MARIA SALETE CORRÊA CARVALHOl Educaçãol 29/09/2009 lAcessos: 1,650
    shirleidy de sousa freire

    Elencam-se questões referentes a uma temática bastante polêmica no mundo de hoje. Refere-se à inclusão de alunos com necessidades especiais que estão inclusos no ensino regular. Enfocaram-se algumas infoemações referentes ao histórico da educação especial no contexto brasileitro.

    Por: shirleidy de sousa freirel Educação> Educação Onlinel 25/06/2011 lAcessos: 2,959
    Fábia Utsch

    No presente estudo tratei da inclusão apresentando o significado da palavra e trouxe o termo para a educação: escola e educação inclusiva. O termo inclusão se aplica em diversas situações e um cuidado especial precisa ser tomado para dar verdadeiro sentido à palavra na educação, pois se trata de aplicar o termo com pessoas. A partir dessa compreensão apresento algumas orientações para a inclusão na educação infantil.

    Por: Fábia Utschl Educação> Educação Infantill 28/11/2012 lAcessos: 125
    Amanda de A. Soares Barbosa

    As adaptações a serem realizadas para atender aos alunos com deficiência no ensino regular nem sempre são eficazes ou registradas, por falta de informações claras sobre o assunto. Para auxiliar nesta demanda é que este trabalho foi construído.

    Por: Amanda de A. Soares Barbosal Educaçãol 06/06/2011 lAcessos: 812 lComentário: 3
    Aline Pereira Dutra Santana e Sabrina Celestino Soares, Orientadora: Profª. Ms. Josiane Fujisawa Filus

    Este artigo faz uma reflexão sobre a história da educação escolar de pessoas em condição de deficiência no Brasil. Analisamos o final do século XVIII até as atuais discussões sobre o processo inclusivo. Observamos que os conceitos de deficiência e a ênfase na limitação da pessoa acompanharam os educadores no decorrer dos anos e têm influenciado a prática deles até hoje. Concluímos que uma educação de qualidade a todos ainda não é uma realidade, mas é preciso o trabalho de todos para que aconteça

    Por: Aline Pereira Dutra Santana e Sabrina Celestino Soares, Orientadora: Profª. Ms. Josiane Fujisawa Filusl Educaçãol 04/11/2009 lAcessos: 2,733 lComentário: 6

    Este trabalho científico contempla de maneira sucinta a Educação Inclusiva e a importância do psicopedagogo na área social e educacional, em especial a inclusão das crianças e adolescentes no âmbito da educação do Ensino Infantil ao Ensino Superior como também as questões de fazer valer à integração das leis na educação e da concepção da Psicopedagogia na formação das pessoas com necessidades especiais no âmbito escolar e social, utilizando a Prática pedagógica, da afetividade, da dedicação e do

    Por: Maria Ivanilda Campos Pinheirol Educação> Educação Infantill 02/12/2011 lAcessos: 2,172

    São inúmeros, mas iremos apontar os que consideramos como mais importantes: 1 – A qualidade de ensino em uma escola técnica (Etec) é considerada excelente. 2 – As Etec´s contam com equipes de Professores e Coordenadores muito bem preparadas e comuma estrutura completa de salas, laboratórios e equipamentos de última geração.

    Por: Thonny Siqueiral Educaçãol 17/09/2014
    Erineia nascimento da Silva

    O aluno especial tem algumas necessidade de auto realização igual aos demais alunos, assim como ele precisa ter sua autoestima valorizada para contribuir na definição de suas habilidades intelectuais, a interação social com a comunidade escola lhe dará segurança, o apoio dos pais e fundamental nesse processo.

    Por: Erineia nascimento da Silval Educaçãol 11/09/2014
    Erineia nascimento da Silva

    Cérebro é o órgão onde se forma a cognição, o órgão mais organizado do corpo humano. Portando a cognição pode emergir no cérebro e nele acontece dinâmicas evolutivas que permitem ao ser humano revelar-se como um ser auto-eco-organizador, para isso e necessário o envolvimento das funções bio-psico-sociais ou bioantropologicas.

    Por: Erineia nascimento da Silval Educaçãol 08/09/2014
    Formacerta.pt

    Este artigo informa sobre o curso de Formação Pedagógica Inicial de Formadores, uma formação frequentemente procurada (e essencial) por indivíduos que querem entrar no mercado de formação profissional.

    Por: Formacerta.ptl Educaçãol 08/09/2014

    O presente texto aborda sobre Saúde em Educação, como incentivo entre desenvolvimento social, psicológico, cultural e saúde educacional. Pois o artigo preocupa-se e questiona-se sobre a formação de crianças e adolescentes e a saúde pública escolar.

    Por: Reginaldo Posol Educaçãol 07/09/2014

    O presente texto possui uma abordagem reflexiva simples e ao mesmo tempo um foco informativo sobre as três áreas de "ciências" Psicopedagogia, Psicologia Transpessoal e Educação, numa prespectiva relacionada á Educação de maneira prática e explicativa.

    Por: Reginaldo Posol Educaçãol 07/09/2014

    O objetivo deste estudo foi verificar como a mídia influencia o desenvolvimento moral da criança, quando da sua exposição nos meios de comunicação a partir de uma denúncia não verídica de violência sexual em uma escola infantil do município de Vila Velha, Espírito Santo. Trata de um estudo descritivo, desenvolvido na Unidade Municipal de Educação Infantil "José Silvério Machado", Jardim Marilândia, Vila Velha, ES. Participaram do estudo 10 professores.

    Por: ADRIANA CHAGAS MEIRELES ZURLOl Educaçãol 28/08/2014 lAcessos: 16

    O objetivo deste estudo foi contribuir para o entendimento de quais são os fatores que determinam o sucesso escolar de alunos dos meios populares, por meio da percepção dos educadores. Trata de um estudo descritivo, quantitativo e qualitativo. O instrumento de coleta dos dados foi um questionário estruturado com perguntas objetivas e subjetivas As perguntas objetivas se relacionam a identidade dos professores e vivência no ambiente escolar. As subjetivas buscam conhecer quais os fatores que poss

    Por: SANDRA MARIA TEIXEIRA GRADIMl Educaçãol 28/08/2014
    SANDRA VAZ DE LIMA

    Empreendedores são pessoas que desejam participar ativamente da construção de um mundo novo, não apenas como expectadores, mas como atores das mudanças globais da atualidade. De modo geral a pesquisa busca conhecer as ações dos empreendedores nas organizações e dessa forma, saber como eles podem e devem contribuir para o crescimento e desenvolvimento. Especificamente buscou-se: diagnosticar o perfil "empreendedor"; identificar os desafios que a administração propõe ao gestor público.

    Por: SANDRA VAZ DE LIMAl Educaçãol 20/08/2013 lAcessos: 124
    SANDRA VAZ DE LIMA

    A Educação Especial é uma modalidade da Educação Básica, fundamentada no princípio da atenção à diversidade. Integram-se o Ensino Regular e a Educação Especial numa concepção da Educação Inclusiva, buscando a participação e permanência de todos os alunos na escola, numa educação de qualidade, onde o atendimento as pessoas com necessidades especiais não requer um ambiente especifico e único, mas sim necessita de recursos físicos, humanos e materiais para que seja possível atender a todos, adaptan

    Por: SANDRA VAZ DE LIMAl Educaçãol 24/07/2012 lAcessos: 2,299
    SANDRA VAZ DE LIMA

    A Tecnologia Educacional é entendida como a área que estuda a aplicação das Tecnologias da Informação e Comunicação - TIC - na educação, a partir de um embasamento da didática, psicologia da aprendizagem e desenvolvimento tecnológico. Assim, as alterações no sistema educativo visam levar em conta as diferenças pessoais, estilos cognitivos, ritmos de aprendizagem, afinidades, áreas de interesse, estratégias de pensamento e motivação.

    Por: SANDRA VAZ DE LIMAl Educaçãol 24/07/2012 lAcessos: 161
    SANDRA VAZ DE LIMA

    Não existe uma única concepção sobre a EaD, pois o conceito evoluiu ao longo do tempo, influenciado pelo avanço das tecnologias da informação e da comunicação. Além disso, a concepção de educação a distância pode variar conforme o autor, sua base teórico-conceitual e sua concepção do que significam educação, ensino e aprendizagem.

    Por: SANDRA VAZ DE LIMAl Educaçãol 24/07/2012 lAcessos: 173
    SANDRA VAZ DE LIMA

    A expectativa é ao mesmo tempo ligada a pessoa e ao interpessoal, também a expectativa se realiza no hoje, e futuro presente, voltado para o ainda-não, para o não experimentado, para o que apenas pode ser previsto. Assim, percebe-se que a expectativa é um sentimento que surge diante de novidades, do diferente.

    Por: SANDRA VAZ DE LIMAl Educaçãol 24/07/2012 lAcessos: 85
    SANDRA VAZ DE LIMA

    Com os anos as análises históricas sofreram inúmeras mudanças, tendo historiadores como Jules Michelet que se preocupavam com histórias nacionais, espírito do povo, representando heróis. Tal autor chamou a atenção por identificar um agente sem rosto – o povo, as massas, como personagem da história e como protagonista dos acontecimentos.

    Por: SANDRA VAZ DE LIMAl Educaçãol 24/07/2012 lAcessos: 162
    SANDRA VAZ DE LIMA

    Conforme o texto "Correntes, campos temáticos e fontes", a escrita e a leitura são indivisíveis e estão contidas no texto, permitindo a comunicação e veicula representações, onde o historiador pergunta sobre quem fala e de onde fala, discutindo sobre ela. As relações entre essas instancias não são diretas nem reflexas, mas sim intermediadas pelo discurso narrativo, e para o entendimento da História Cultural pode ser o da metáfora, pois o discurso explica, fala de algo que se percebe e se entende

    Por: SANDRA VAZ DE LIMAl Educaçãol 24/07/2012 lAcessos: 197
    SANDRA VAZ DE LIMA

    Entende-se que a História é construída conforme as práticas, as culturas de um determinado povo, uma organização social, onde o habitus integra os espaços de experiências, funcionando a cada momento vivido como matriz de sensações.

    Por: SANDRA VAZ DE LIMAl Educaçãol 24/07/2012 lAcessos: 68

    Comments on this article

    0
    Regina Gallo di Maggi 15/02/2010
    Parabéns, suas contribuições são de grande revalia, além do mais, adoro atuar nessa área.
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast