Cotas Para Negros? Quem Precisa Disso?

Publicado em: 27/07/2009 |Comentário: 11 | Acessos: 2,844 |

Apesar do pseudo louvor e engrandecimento aos homens e mulheres negras de sucesso no mundo que obtiveram sucesso sem terem usado um sistema de cotas para ingressar na Universidade, a exceção não tem o poder de superar a regra. Eu também não seria escritor, psicólogo, não falaria vários idiomas, não teria viajado pelo mundo se não tivesse tido na infância:

a)  pai militar com recursos para me proporcionar uma boa escola, livros e oportunidades de desenvolvimento.

b) incentivo permanente através de recompensas para me manter estudando e obtendo bons resultados escolares;

c) nascido em uma comunidade de negros onde o bom caráter, a honradez, a ética e os bons  costumes eram valores permanentemente reforçados pelo exemplo dos mais velhos.

Se não fosse assim, quais  teriam sido as minhas chances? Quais as chances de milhares de outros meninos e meninas negras nascidas no mesmo bairro que eu, da  Liberdade (maior bairro de população negra do mundo), filhos de pais favelados, netos e bisnetos de ex-escravos incultos e sem meios de sobrevivência?

Resolver dizer a eles: lutem, busquem a melhoria, saiam das favelas, abandonem as palafitas e venham a ser meninos e meninas decentes? O discurso dos dominadores (em geral brancos e letrados) sempre foi e será esse. Mas na hora de dar um emprego, escolhem o mais qualificado (e de preferência de " boa aparência"), neste caso os negros nunca tiveram boa aparência. Os brancos, de pele clara e cabelo liso são escolhidos.

Quando ando pelas capitais brasileiras, especialmente no bairro negro onde nasci, fico consternado com tamanha miséria onde vivem meus irmãos de cor, meus irmãos de raça, meus irmãos de vida. Eles não escolheram a miséria em que vivem. Dependem dos poderes públicos, de escolas, de livros, de professores capacitados, de saúde, de comida, de habitação. Onde eles irão obter estas coisas? A opção mais humana possível quando não se tem condições apropriadas para sobreviver é ROUBAR ou MATAR . Não há escolha.

Assim, dos milhões de afrodescendentes que sobreviveram ao vergonhoso holocausto da escravidão e que foram, mentirosa e ardilosamente libertados por uma dita Princesa Isabel, fantoche dos latifundiários e comerciantes do Império, lançados à própria sorte, sem direito de indenização, sem direito sequer a ter escola pública, a sequer andar nas calçadas onde os brancos pisavam, ou votar e serem votados.

Onde estavam os defensores das NÃO-COTAS quando os negros eram impedidos de estudar? O que fizeram para ajudá-los? Hoje é fácil dizer que os negros não precisam de cotas, porque são competentes, inteligentes, tanto quanto os brancos são. Chegam a dar exemplos de negros de sucesso no mundo. Maravilha. Não discordo de que muitos negros possuem potencial para se desenvolverem.  Mas a realidade dos milhões que não tiveram chances é outra. Veja os números vergonhosos:

- 75% da população carcerária brasileira é de origem negra.

- 70% dos homens e mulheres em idade produtiva no Brasil, que estão desempregados, são negros, pardos ou mulatos;

- Apenas 10% dos médicos, engenheiros, e outros profissionais de ponta no Brasil, são negros;

- As mulheres negras brasileiras ganham 20% menos que as mulheres brancas;

- Apenas 10% dos executivos de grandes empresas do Brasil são negros;

- Apenas 2% dos militares de alta patente no Brasil são negros;

- Apenas 20% de professores universitários com doutorado no Brasil são negros;

- Menos de 10% de parlamentares brasileiros são negros (temos apenas um senador mulato, e poucos Deputados Federais e Estaduais são negros);

- Apenas 20% dos cargos do primeiro-escalão brasileiro  são ocupados por negros;

- Menos de 10% dos Ministros de Estado do Brasil são negros;

E somos 180 milhões de brasileiros, segundo  dados do IBGE  em 2008. Sendo 50% formados por homens afrodescendentes e 90 milhões de homens e mulheres que ficaram sem receber as benesses de uma educação digna, de oportunidades iguais e da devida correção dos crimes praticados contra os antepassados - contra a brutal escravidão que sofreram por séculos!!

Os negros pobres precisam sim de oportunidades de estudo e meios que lhes facilite o acesso à Universidade. Se eles aproveitarão a chance que está sendo dada, é um problema individual. Os resultados mostram que os alunos negros cotistas estão com desempenho igual ou melhor que os demais alunos das Universidades Públicas. Ciosos da grande chance que estão tendo, se dedicam mais e buscam, por todos os meios, superar as dificuldades que tiveram na formação deficiente do Ensino Básico e Médio das Escolas Públicas.

Querem  ver como as cotas são necessárias para alunos negros-pobres? Os negros ricos estudam nas melhores escolas e não precisam disso.

Pense em uma corrida de 100 metros. Vence quem chegar ao final em menor tempo. Temos, entre os competidores, os seguintes indivíduos: um anão, uma senhora idosa com 76 anos, um senhor idoso com 80 anos, um paraplégico, um menino de 5 anos, uma moça atleta de 20 anos, um rapaz atleta de 20 anos. Todos são brancos. O prêmio é uma bolsa de estudos nos Estados Unidos. Todos querem ganhar a bolsa.

Responda agora às inocentes perguntas:

1) Admitindo-se que todos merecem ganhar o prêmio, pois querem muito, quem serão os prováveis ganhadores em primeiro, segundo e terceiro lugares?

2) Você acha que os sete participantes estão em igualdade de condições para uma corrida de 100 metros?

3) De que maneira um Juiz poderia ajudar a minimizar as deficiências naturais dos competidores, para que as regras ficassem mais justas para todos?

4) Os corredores profissionais deveriam ficar de fora? Os idosos deveriam ficar de fora? A criança e o anão deveriam também?

Qualquer pessoa inteligente e de bom senso sabe que seria injusto colocar pessoas tão desiguais em uma corrida.  Mas antes das cotas, era assim que as Universidades Públicas agiam ao selecionar candidatos para as disputadas vagas nos cursos de Medicina, Direito, Engenharia e Computação nas melhores Universidades Públicas do Brasil. Comparativamente, estavam dizendo que os rapazes que estudaram na Escola Pública Antônio Carlos Magalhães XIV no bairro do Lobato, periferia de Salvador, tinham as mesmas competências e habilidades dos alunos das escolas Gallois ou Leonardo da Vinci de Brasília (colégio onde estudam filhos dos senadores da República). Para quem ficariam as poucas vagas existentes na UNb?

Os burocratas racistas querem fechar os olhos e não levam em conta que alunos que estudam nas piores escolas da periferia das grandes cidades ou cidades interioranas, onde nem cadeira os alunos têm para se sentar, possuem as mesmas condições de competitividade que os alunos urbanos de escolas particulares ondem estudam os mais ricos. É injusto, desumano, indigno e vergonhoso. Não existe, no momento, condições globais para transformar as  100 mil Escolas Públicas do Brasil em centros de educação de qualidade. Levaremos 30 anos para uma reforma plena do sistema educacional publico, se forem envidados mais e mais recursos para a Educação.  Algo precisava ser feito e foi. E está sendo feito. Não importa muito se o rapaz ou moça negra é discriminada na Universidade porque entrou pelas cotas. Ela seria ainda mais discriminada, como burra, incompetente, sem inteligência, se nunca entrasse lá de qualquer jeito. Os alunos negros que se tornarão médicos, engenheiros, advogados e cientistas, sentem orgulho em terem tido uma chance. Quando lhe foram dadas as oportunidades, aproveitaram; quando as deficiências do ensino que receberam aos longo de anos, foi corrigida pela classificação um pouco abaixo da média geral no Vestibular, conseguiram resultados significativos. Ocuparam as vagas que foram reservadas para eles. Uma competição de 100 metros entre anões deve ser diferente daquela que é usada para pessoas de altura normal. Pessoas idosas devem competir com pessoas idosas. Assim, o sistema de cotas, ajuda a corrigir a distorção em uma área tão sensível como é a Educação. Permitir que mais e mais pessoas, discriminadas pela cor da pele, ingressem no mercado de trabalho de nível superior, é algo louvável.

O que todos nós gostaríamos mesmo era de que nunca fossem necessárias cotas de educação, de emprego ou qualquer outro bem essencial para negros, índios, pobres ou portadores de deficiências. A lei amparou a estes últimos no que diz respeito ao emprego e está certo. Eles não são inferiores intelectualmente, mas tiveram mais dificuldades para alcançar o saber que os demais. Uma cota de até 10% das vagas para os deficientes é justa. Uma cota igual para os negros deveria também ser adotada. Do contrário, ainda teremos que esperar muitos anos,  para que surjam novos Obamas, Pelés, Oprahs, Hamiltons, Paulo Pains, e outros expoentes negros. Queremos Josés, Marias e Joãos, honrados pela Educação, pelo trabalho e valorizados como é devido a todos os seres que habitam este mundo.

Pode ser que o sistema de cotas para alunos negros pobres não seja o melhor caminho para que se corrija o prejuízo histórico de privação intelectual imposta a 5 gerações, mas é o único que atualmente existe e isso faz uma grande diferença na vida dos beneficiados. Apenas essa razão seria suficiente para que o sistema de cotas existisse.

 

Avaliar artigo
4
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 4 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-artigos/cotas-para-negros-quem-precisa-disso-1073739.html

    Palavras-chave do artigo:

    cotas para negros

    ,

    educacao

    ,

    ensino superior

    Comentar sobre o artigo

    O foco do trabalho busca comprovar que os Tratados Internacionais de Direitos Humanos que o Brasil assinou, confirmam a constitucionalidade de das ações afirmativas, visto que a Constituição da República Federativa do Brasil de 1988 consagrou a recepção dos tratados internacionais que versavam sobre direitos humanos e garantias fundamentais estendendo, o rol exemplificativo de seu art. 5º em seu §2º, entendimento confirmado pela Emenda Constitucional 45 que inseriu o §3º,...........

    Por: luciano inacio de mellol Direito> Doutrinal 12/08/2011 lAcessos: 288

    A implantação de cotas nas universidades públicas é uma das questões conflituosas da proposta de reforma na educação apresentada pelo MEC. Forma-se que os exames vestibulares são claramente injustos. Tendo em vista, que a maioria dos que ingressam na universidade são componentes da classe média alta que cursaram o ensino médio em instituições particulares. O presente trabalho buscará averiguar a política de cotas. Como esta política é determinante, qual a sua eficácia, se existe alguma lacuna, s

    Por: juniorparentel Educação> Ciêncial 01/07/2014

    Este trabalho apresenta a preocupação do estado em incluir estudantes afrodescendentes nas Universidades públicas brasileiras. Salienta a polêmica gerada pela nomenclatura usada para definir tal comportamento. Aponta a constitucionalidade do ato. Discorre sobre o processo evolutivo do ser humano e ressalta o senso de responsabilidade presente na sociedade contemporânea.

    Por: Arlindo Fernandes Netol Educação> Ensino Superiorl 16/05/2011 lAcessos: 35
    Marcelo Matias da Silva

    Um Apanhado histórico da escravidão no Brasil, expondo os aspectos educacionais e as batalhas jurídicas travadas nos tribunais sobre o sistema de cotas raciais na Universidade Públicas brasileiras.

    Por: Marcelo Matias da Silval Direito> Legislaçãol 27/07/2010 lAcessos: 1,310

    Considerações críticas a respeito da forma como o governo federal conduz a educação no Brasil

    Por: Julio César Cardosol Notícias & Sociedadel 13/02/2012 lAcessos: 60

    Reflexão sobre as cotas universitárias Mais um projeto visando instituir cotas para negros e índios que tenham cursado integralmente o Ensino Fundamental em escolas públicas foi aprovado. O projeto de lei (PL 3913/08) vai garantir pelo menos metade das vagas nas Escolas Federais de Educação Profissional, Tecnológica e Superior a estas etnias.

    Por: Fabio Rossol Notícias & Sociedade> Desigualdades Sociaisl 22/09/2008 lAcessos: 22,523 lComentário: 1
    Evilásio Pereira Rocha

    Este artigo, originado a partir de um texto dissertativo para avaliação da disciplina História da África do Curso de Graduação em História da FTC Ead, retrata a problemática por trás da lei que estabeleceu o sistema de cotas universitárias para afrodescendentes e indigenas.

    Por: Evilásio Pereira Rochal Educação> Ensino Superiorl 01/03/2012 lAcessos: 118
    Vanessa dos Santos

    Este trabalho tem como propósito analisar o Sistema de Cotas como um instrumento eficiente de inclusão social. Traçando um breve histórico sobre as cotas raciais e a opinião de diferentes autores sobre o assunto.

    Por: Vanessa dos Santosl Educaçãol 08/11/2011 lAcessos: 1,457
    Valdeck Almeida de Jesus

    A polêmica sobre o sistema de cotas nas universidades é uma boa oportunidade para debater a desigualdade social no país.

    Por: Valdeck Almeida de Jesusl Educação> Ensino Superiorl 24/11/2009 lAcessos: 2,691

    O presente artigo é um estudo bibliográfico que tem como objetivo principal abordar conceitos educacionais e metodologias desenvolvidas em sala de aula usando o lúdico como alternativa de metodologia. O trabalho justifica-se pela necessidade de se entender e adequar a aprendizagem às atuais demandas da educação é necessário conhecer alguns caminhos já percorridos pelo ensino e que se levam a uma redefinição dos objetivos, conteúdo e metodológicos.

    Por: Graciele de Miranda Oliveiral Educaçãol 21/10/2014
    Alinne do Rosário Brito

    O artigo busca pesquisar e relatar o que é o Programa Mesa Brasil SESC e dialogar com as ações do Governo do Estado do Amapá para que a segurança alimentar seja implementada atendendo as leis nacionais e as respectivas atuações das politicas públicas que o regem quanto a tentativa de diminuição da miséria na cidade de Macapá.

    Por: Alinne do Rosário Britol Educaçãol 21/10/2014
    Tania R. Steinke

    Promover a valorização da formação continuada dos docentes e coordenadores pedagógicos que atuam no Ensino Médio das escolas públicas.

    Por: Tania R. Steinkel Educaçãol 19/10/2014

    Este artigo analisa de forma breve a teoria das Representações sociais, realizada por alguns estudiosos que contribuíram para a o avanço das representações sociais, bem como, os teóricos que tinham como base as investigações de como as pessoas transformam os conhecimentos científicos em conhecimento de senso comum na década de 60, e também a forma como adota a perspectiva comunicativa "genética" na apreensão do conhecimento veiculado a dinâmica do cotidiano.

    Por: Elizabeth Almeida dos Santosl Educaçãol 14/10/2014
    Erineia nascimento da Silva

    Resumo O aumentou consideravelmente do número de alunos especiais matriculados no ensino regular foi de aproximadamente 70% em 2014, em relação aos anos anteriores. Essa chegada dos alunos nas instituições públicas de ensinos promoveu serias mudanças de paradigmas em todos os profissionais da educação, mas seguiu junto um profissional fundamental na implementação desse novo olhar sobre a educação especial e principalmente sobre a inclusão.

    Por: Erineia nascimento da Silval Educaçãol 10/10/2014

    O SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) ajuda a milhões de brasileiros todos os anos através de seus Cursos Gratuitos oferecendo modalidades presenciais ou EAD (Ensino a Distância) para realização dos mesmos. Conheça alguns cursos grátis para 2015

    Por: sitesjoaoepaulol Educaçãol 09/10/2014

    A avaliação na Escola Ciclada já vem redefinida, ou seja, já está incorporada com novas idéias e nas aspirações, sua perspectiva está muito além de atribuir uma nota por simples burocracia institucional ou por simplesmente conferir o que foi "aprendido" ou não.

    Por: Delimar da S. F. Magalhãesl Educaçãol 02/10/2014

    A MATEMÁTICA E A MÚSICA POSSUEM LAÇOS MUITO FORTES DESDE A ANTIGUIDADE E O INTERESSANTE É QUE TEM MUITOS ALUNOS QUE GOSTAM DE MÚSICA E DIZEM QUE NÃO GOSTAM DE MATEMÁTICA. ENTÃO, SENDO ASSIM, É BEM INTERESSANTE MOSTRÁ-LOS A ELES ESTA FORTE RELAÇÃO.

    Por: Josimara L. Furtado dos Santosl Educaçãol 02/10/2014 lAcessos: 11
    Mathias Gonzalez

    Há quem acredite que foi que foi o adolescente de 13 anos chamado Marcelo que matou os parentes na noite de domingo, dia 4 de agosto de 2013 ou na madrugada de segunda-feira. Segundo as investigações até o dia de hoje (09/08) o menino teria dopado os familiares, fuzilado todos eles e depois pegado o carro da mãe e dirigido até a escola, passado a madrugada dentro do veículo, frequentado as aulas de manhã e voltado de carona para casa e se após isso, se matado. Simples assim.

    Por: Mathias Gonzalezl Notícias & Sociedade> Cotidianol 09/08/2013 lAcessos: 15
    Mathias Gonzalez

    Todos os dias, assistimos pelo noticiário da TV, gravações de imagens de assassinatos brutais e impiedosos, estupros de menores e outros crimes hediondos. A Constituição Brasileira é a favor da PENA DE MORTE só em casos de guerra declarada ou traição de brasileiro à Pátria. Os marginais já declararam guerra a sociedade, aos pais de família, aos contribuintes, às crianças e aos idosos inocentes. Os criminosos estão traindo diariamente a nossa confiança e se apropriando do nosso patrimônio.

    Por: Mathias Gonzalezl Notícias & Sociedade> Cotidianol 01/07/2013 lAcessos: 61
    Mathias Gonzalez

    Acordei hoje com vontade de fazer perguntas. Depois dessa euforia nacional com a inauguração dos estádios monumentais... Após essas manifestações públicas em todo o país e até no exterior em solidariedade aos protestos contra o aumento das passagens de ônibus, decidi fazer algumas perguntas a mim mesmo e a você.

    Por: Mathias Gonzalezl Notícias & Sociedade> Cotidianol 21/06/2013 lAcessos: 28
    Mathias Gonzalez

    Aproveito a onda de manifestações para ratificar minha solidariedade ao povo brasileiro que está acordando de um grande sono. Estou esperando a data da GRANDE MARCHA SOBRE BRASÍLIA que levará 5 milhões de pessoas para a capital federal (sede das maiores corrupções e falcatruas cometidas nesse país). Nesse dia vestirei minha camisa verde-amarela, levarei minha bandeirinha do Brasil e terei orgulho outra vez de ser brasileiro. Conto com você para ajudar a encher a ESPLANADA DOS MINISTÉRIOS.

    Por: Mathias Gonzalezl Notícias & Sociedade> Cotidianol 21/06/2013 lAcessos: 24
    Mathias Gonzalez

    Este meu texto é só um desabafo diante de uma indignação. Pessoas de bem, pessoas que buscam a paz e amor, não podem se calar diante de indivíduos sem escrúpulos, como esse tal pastor e deputado In-Feliciano, que se apropria de um microfone dentro de uma igreja cheia de gente ávida por novidade e um milagre, mas que acabam sendo "lavados mentalmente" pela lábia vulgar, pelo engodo da manipulação verbal que o tal indivíduo emprega diante da platéia.

    Por: Mathias Gonzalezl Notícias & Sociedade> Cotidianol 12/04/2013 lAcessos: 24
    Mathias Gonzalez

    Você sentiu uma pontinha de medo e apreensão? Pois se não ficou, deveria. Esta manchete poderá ser estampada nos principais jornais do mundo caso os organizadores dos maiores eventos desportivos do mundo, não fiscalizarem de modo adequado e eficiente as obras onde milhões de pessoas irão assistir os jogos da Copa do Mundo e dos Jogos da XXXI Olimpíada. Conhece a expressão "cantei essa pedra?". Este artigo é só um recado aos governantes.

    Por: Mathias Gonzalezl Notícias & Sociedadel 29/03/2013 lAcessos: 40
    Mathias Gonzalez

    Este domingo, 27 de janeiro de 2013, amanheceu sombrio para centenas de famílias no Rio Grande do Sul. Uma festa de estudantes universitários, que deveria servir para diversão e lazer, foi o tumulo para centenas deles. Uma tragédia anunciada.

    Por: Mathias Gonzalezl Notícias & Sociedade> Cotidianol 28/01/2013 lAcessos: 17
    Mathias Gonzalez

    Meu nome não importa. Estou escrevendo este relato para servir de alerta a todos que vivem neste mundo achando que terão outra chance ou terão outro dia para fazer as coisas certas, para viver o que tanto desejam, para dizer o que tanto gostariam ou mesmo para usufruir da felicidade que tanto almejam.

    Por: Mathias Gonzalezl Relacionamentos> Amizadel 28/01/2013 lAcessos: 89

    Comments on this article

    0
    Mathias 13/07/2011
    ELAINE:
    Não se trata apenas de mascarar a incompetência na Educação. É muito mais grave. A distribuição de renda, o modelo político e a forma perversa com que as instituições privadas (que só visam lucro) têm tratado os demais cidadãos é também responsável por esse caos educacional. Dê às famílias condição econômica para que encontrem bons colégios e eles não precisarão de cotas. Mas lembre-se, independente do lugar onde você vá neste país, as famílias negras estão inclusas com menor renda per-capita. As cotas não resolve imediatamente o problema mas permite a indivíduos negros melhorarem sua condição educacional e consequentemente sócio-econômica. Provavelmente os filhos dessas pessoas já não precisarão de cotas. O debate está aberto: mathiasgonzalez2005@hotmail.com
    0
    Elaine 13/07/2011
    O sistema de cotas foi criado para mascarar a incompetência na educação. Sistema de cotas SIM, para inclusão de negros e deficientes no mercado de trabalho (todos sabemos da discriminação na contratação, não só pela cor da pele, mas também pela aparência, idade e etc) . SIM para estudantes de escolas públicas e de baixa renda ( é óbvio que escolaridade de qualidade faz toda diferença). Num país onde a mistura de raça torna quase impossível distinguir a descendência, o sistema de cotas é falho. Eu por exemplo sou morena clara, descendente de negro, indígena e branco, onde me encaixo nesta história?? Sempre estudei em escolas públicas, trabalhava de dia e mal estudava à noite (de tão cansada). Querem resolver o problema? - Educação pública de qualidade, moradia digna, e, todos os direitos assegurados pela constituição e não respeitado por ninguém. O povo brasileiro não é burro e sabe a diferença entre oportunidade e esmola.
    0
    ryanne larissa 26/06/2011
    este sistema de cotas para negros esta ultrapassado, eles tem a mesma capacidade que o branco tem e não so por causa de sua cor que suas mentes serão inferiorisadas. essas cotas servem mais para alunos de escolas publicas de baixa renda.
    0
    Renato Fortuna Machado 24/02/2011
    Sou à favor das cotas, mas não com esse excesso que aí está. Minha faculdade ofereceu por exemplo, de 11 bolsas do meu curso, 6 para cotas. Acho que de cada 10 bolsas, reservar 3 para cotas estava de bom tamanho. É injusto reservar no caso, mais de 50% das bolsas para cotas. A pobreza, mesmo sendo-se branco, ainda impossibilita o estudante de ingressar na faculdade. Totalmente sem cabimento esse excesso nas cotas.
    2
    Luiz Carlos 02/12/2010
    Também estou pesquisando sobre esse assunto para um trabalho escolar.
    Fiquei confuso após ler o texto!
    Somos iguais fisicamente, intelectualmente...
    Quem de fato nossa sociedade discrimina? O negro ou o pobre?
    Qual será então a raiz desse mal?
    0
    PEDRO LOPES 20/11/2010
    EU PRECISAVA PESQUISAR PARA FAZER UM TRABALHO ARGUMENTATIVO DE ESCOLA ANTES EU ERA CONTRA MAS AGORA VEJO QUE NOSSA EDUCAÇÃO E NOSSA SOCIEDADE É OPRESSORA E PARA MUDAR ISSO OSN NEGROS DEVEM SE VALORIZAR INTELECTUALMENTE.
    0
    BRUNO 09/11/2010
    Concordo em parte com todos.Os negros sempre representaram uma camada mais pobre da sociedade ate mesmo por uma questão cultural e preconceituosa!é papel do Estado dar a todos uma educação de qualidade para que possam engressar de forma justa na universidade.é claro que tais investimentos não surgem efeito já que são minimos e os resultados seram tragicos por consequencia.para evitar isso criam-se as cotas.O governo se livra da responsabilidade de dar boa educação pois o objetivo que é a universidade já foi alcançado e ainda sai como bonzinho.Dizer não as cotas é dizer ao governo que a sociedade não quer que seus problemas sejem remediados e sim resolvidos portanto eles que se virem para dar uma educação de qualidade a todos pois esse é seu papel.Enquanto aceitarmos as cotas estamos nos conformando e nos subjulgando aos governantes dizendo que ficamos muito feliz com a esmola e vamos ficar esperando que um dia exista a tal igualdade na educação!No dia em que realmente disermos não...a coisa muda!
    0
    Nancy 03/10/2010
    A desigualdade social não se limita a uma etnia. Há milhões de miseráveis de todos os colores no Brasil. El sistema de cotas não é justo por que não inclui a todas as pessoas necessitadas.
    Penso, com todo respeito, que o critério deveria estar baseado nas condições socioeconômicas, independentemente da cor da pele.
    Que a escravidão foi horrível, ninguém discute. Mais quê culpa tem os brancos miseráveis de hoje em dia?
    Não posso sentir-me responsável disso, como tampouco posso sentir-me responsável do holocausto judeu, das ditaduras de América Latina, entre outras atrocidades; pois o meu papel nessa sociedade é agora no presente e tem uma projeção de futuro.
    1
    rose 27 cg 09/07/2010
    bla bla bla........ fala sériio galera.
    dizer que somos inferiores ao branco e ainda por cima ser chamado de burro..
    eles que engulam a cota para negros, porque não investem mais na educação?
    uma educação não deficientes como temos a de hoje. meu filho está na antiga sexta série primaria,que hoje é conhecida como sétimo ano. as máterias são simplesmente nada. não ensinam nada , tem que pagar uma explicadora por fora, porque a educação está caótica.
    depois querem dizer que negros são pobres miseráveis e burros,pois não tem intelecto para competir com brancos.pois digo uma coisa passei em quinto lugar na prova da uerj. sou negra , trabalho como domética,meus pais são pobres, eu corro atrás do meu estudo ,não preciso de cotas , me garanto. e seria muito bom se todos também não precisasse das cotas.ser inferior a um branco , fala sério né.não estou sendo racista com os brancos , pois assim como existe muito negros burros, também existe muitos branco burros. galera somos todos iguais.preto,branco,pobre ,rico,milionário.todos vanos morrer , nossa carne irá apodrecer,vamos ser enterrado. e vamos prestar contas a deus.branco e preto , pecam , erram .acertam .tem amor, carinho ódio ,emoções . enfim. somos todos iguais.
    1
    FR 02/07/2010
    BLA BLA BLA... eles tem cérebro e são iguais aos brancos, só falta provarem, e por cotas eles estão se rebaixando. "Olá, sou negro, meu ponto de corte foi 1/3 do teu, logo, você estudou mais para o vestibular. Parabéns cidadão branco, você é mais inteligente que eu!"
    Não importa o passado, devemos buscar igualdade no futuro e criar esse tipo de 'compensação' é racismo e incoerência, desse jeito a coisa não anda.
    -2
    samia Oliveira 22/10/2009
    muitas pessoas acham que o sistema para cotas é um racismo.dizem que o negro tem a mesma capacidade de raciocinar de um branco e o só muda é a cor..
    pois eu lhes digo o sistema de cotas para negros nao é um racismo e sim uma opotunidade que o estado ofece ao negro..esse sistema foi criado avaliando varios criterios,é dois desse criterios mais importantes é o fato historico e o indice de pobreza do brasil,sendo que foi avaliado em varias estatisticas que a maioria das pessoas que estão abaixo do indice de pobreza são negros.

    o que posso dizer do fato historico é que o negro foi muito sofrido e explorado no passado,e mesmo com sua liberdade o negro não teve oportunidade de crescer na vida,sendo que os brancos estavão muito mais avançados intelectualmente.é com o decorrer do tempo um grande problema vem se arrastando a pobreza...com base nisso podemos perceber que o sistema de cotas nao é uma descriminaçao é sim uma forma de equilibra a sociedade sendo que foi pesquisado que nas universidades apenas 2% da dos universitarios sao negros,chegando a se observa aos estudos que a metade da população brasileira é negra.O sistema para cotas é provisorio vai está funcionando durante dez naos..(poOO:samia sou aluna de um colegio publico é comecei a estudar sobre as cotas aparti de um juri simulado que o meu professor de historia(rener passos)passou pra nos os alunos debater..aparti deentao sou a FAVOR DAS COTAS..
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast