Educação E Inclusão: Escola Aberta Para Todos

Publicado em: 13/10/2009 |Comentário: 1 | Acessos: 911 |

Educação e Inclusão: Escola Aberta para Todos 


Educação, Inclusão, Desenvolvimento,  Comunidade Extra Escolar


Este artigo tem como finalidade analisar as situações que envolvem aprendizagem, diversidade, inclusão, e o significado do  programa Escola da Família, desenvolvido aos finais de semana em escolas estaduais no estado de São Paulo que se localizam em areas de altas taxas de criminalidade e desigualdade socio-economica. A proposta é direcionada também a compreender a importância deste projeto para crianças, adolescente e a comunidade envolvida.

O artigo visa observar o cotidiano dessas pessoas, o perfil dessa comunidade que aqui vamos denominar comunidade extra escolar, e suas ligações para com o programa. Veremos que o programa em si é importante para a comunidade escolar formal, alunos professores e funcionarios geráis da institução de ensino, mas também é vital no sentido de gerar inclusão social e educacional inserindo a família neste cotidiano escolar, possibilitando um maior acompanhamento interno e extra-escolar na vida de seus filhos. Veremos que a aplicação do programa Escola da Família na instituição formal de ensino, ao desenvolver suas atividades apresenta alguns instrumentos que faz com que a comunidade escolar e\extra escolar em seu todo, seja inserida de maneira que, sua participação seja benéfica para ambas as partes.

Alguns destes dispositivos são as oficinas, desenvolvidas, que funcionam com o intuito levar inclusão para crianças e jovens, que não teriam acesso a estes projetos, com caráter pedagógico, sempre estimulando e desenvolvendo o raciocínio e a autonomia daqueles que participam.

Foi realizado um estudo com participantes do projeto Escola da Família, desenvolvido especificamente em escolas da cidade de Campinas. No decorrer da pesquisa foram acompanhados quatro projetos, a oficina de Jogos, oficina de desenho e pintura, oficina de esportes, e o projeto espanhol na escola, essas oficinas acontecem todos os sábados e domingos e são divididas por horários, sua finalidade é levar inclusão e desenvolvimento e lazer, neste contexto trazem a comunidade extra escolar para dentro da escola, sendo assim moradores e pais que antes eram ausentes passam aconhecer melhor a escola, entendendo seu funcionamento. A análise contou com o estudo das teorias acadêmicas que estão presente na refrencia bibliografica deste artigo, entrevistas realizadas com aqueles de desenvolvem e monitoram os projetos, e observações feitas nas oficinas em funcionamento, e a opnião daqueles que participam e se benefifiam do projeto.

Foi observada a realização de desenho e pinturas de temas livres e variados, respeitanto a autonomia e criatividade do participante, a realização de jogos matemáticos e de raciocínio como xadrez, dama entre outros, o desenvolvimento esportivo trabalhando o respeito para com seu companheiro e o estimulo à coletividade levando em conta todas as diferênças , e por fim as aulas de espanhol que são realizadas para a toda a comunidade extra escolar.

Participam das oficinas aproximadamente 160 pessoas por final de semana, que dentro do projeto estão definidas em alunos da escola, alunos que já deixaram essa escola, e a população do bairro seja ela pais ou outros frequentadores, os trabalhos começam as 09h00h e terminam as 17:00h, neste período existe um intercâmbio para que todos possam participar de todas as oficinas aqueles que estavam inicialmente nos jogos, ao findarem as as atividades vão para a oficina de desenho e pintura, e posteriormente vão para oficina de esportes, das 15:00 as 16:30, é realizado o projeto espanhol na escola atendendo adolescentes que já estão no ensino médio e moradores do bairro que buscam um segundo idioma.


As oficinas começam com a apresentação das atividades pelo monitor em seqüencia são separados os grupos e assim se dão inicio as atividades, o que facilmente pode-se notar é a naturalidade do decorrer das atividades, a adesão de cada participante nas oficinas, existem participantes fiéis que todos os sábados e domingos estão na escola para participar das atividades e se engajam nos projetos, com extrema dedicação, os relatos dos monitores e dos paricipantes mostram que o programa tem uma grande influência na vida dos particionares, as oficinas na sua maioria são realizadas de forma lúdicas, porem, acresentam, conceitos de cidadania, organização respeito ao próximo e suas diferenças respeito à escola como instituição formal e também lugar de lazer e integração com a comunidade.

Com base nas teorias acadêmicas, que pautaram o trabalho de campo e a constituição deste artigo, fica evidente o emprego direto e indireto, de teorias, Piagetianas, de Vygotsky e Wallon, na metodologia de trabalho realizada nas atividades que presenciei nas oficinas. 

Os resultados obtidos na pesquisa de campo, refletem o desenvolvimento dos participantes dos projetos, fica nítido, que a interação dos alunos nas oficinas são fundamentais para o êxito do projeto, fundamentado pela teoria piagetiana, pode-se colocar que existiu de fato uma relação entre organismo e meio, ou seja, as relações de troca, adaptações ao meio e ao mesmo tempo assimilação, sendo aplicada nestas atividades noções de quantidade, número, tempo, espaço, velocidade, movimento, mensuração, lógica,e probabilidade, ligando na pratica o conhecer, a organizar, estruturar, explicando a realidade a partir daquilo que se vivencia nas experiências com os objetos do conhecimento.

Os participantes destes projetos em sua maioria são oriundos de familias humildes, e colo foi relatado anteriormente, eles residem em bairros dados pelas estatísticas como, de classe econômica inferior e com altos níveis de violência, entre alguns adolescentes, e até crianças é normal e convivem em seu cotidiano com o tráfico de drogas entre outros, delitos e contravenções, e a principio a chegada destes alunos no projeto era vista com desconfiança por parte da escola e também até mesmo por parte deles mesmo para com a escola, entretanto com o decorrer do projeto e das oficinas os participantes vão se adaptando ao meio assim como os monitores, segundo Vygotsky, isso é típico ao homem, pois desde seu nascimento a criança tem uma interação com um mundo humano e as gerações que a precederam, essa constante interação com os adultos, passam para as crianças seu modo de viver, de dizer e fazer as coisas e de pensar, porem, o que se pode constatar é que essa convivência com outros estímulos, que obtém no projeto, podem também influenciar suas vidas, e influenciar de maneira positiva, levando conhecimentos diferentes, de diferentes meios que talvez esses participantes não teriam a oportunidade de conhecer, ou aprender, nota-se também uma maneira de expressar seu dia-dia e sua vida nas oficinas de desenho e pintura, através dos signos.

Ao final da pesquisa de campo, pude constatar, que os projetos e oficinas analisados, direta ou indiretamente, usam praticas pedagógicas em suas realizações e que a metodologia trabalhada em sala de aula, é de fato em algumas ocasiões aplicada na pratica, e assim possibilitam para aqueles que estão ligados ao programa e suas atividades nas oficinas o conhecimento, desenvolvimento, e contribuem para uma significativa melhora nas matérias curriculares na escola em período formal, possibilitando também a inclusão destas crianças e jovens a um conhecimento novo,ou simplesmente diferente do conhecimento que tem em seu circulo social e educacional, e ressalto que muitos não teriam a oportunidade de ter acesso a outras leituras e perspectivas de vida e de organização social.

O projeto Escola da Família, em sua amplitude hoje é fundamental para os bairros onde existem escola no programa pois muitas vezes consegue trazer para a escola uma participação, que a escola em horário letivo e como instituição formal não consegue. Essa participação e engajamento de crianças, adolescentes, jovens e comunidade extra escolar, se reflete em escolas mais cuidadas sem pixações e depredações, pois os jovens que pixam e praticam atos de vandalismo também freqüentam a escola durante o projeto, e não fazem mal a um lugar que é destinado a eles como lazer, e entreterimento, o projeto, colocando os pais e a comunidade dentro da escola desperta o interesse de acompanhamento do filho na escola em período formal e não formal, gerando assim um interesse maior pela educação.

Sob essa perspectiva pode-se concluir então que com o projeto Escola da Família, a comunidade desperta realmente para participar e cuidar de um bem que é publico, e se conscientiza que o investimento seja ele de qualquer maneira a esse bem irá lhes trazer grandes benefícios, por isso podemos colocar a comunidade extra escolar como grande gerador do incentivo a educação em que se tem uma participação e interação entre educador e educando, afastando cada vez mais o fantasma da educação bancaria e o educador como centro único e indescritível do saber, e podemos colocar a escola representada pelo programa escola da família realmente como um agente de transformação educacional e social, cumprindo sua parcela para no presente construirmos com responsábilidade um futuro melhor, porem ainda temos uma parcela importante a se cumprir, o estado pode e deve investir mais nestes programas construindo nestas areas centros educacionais e esportivos que possam agregar ainda mais pessoas, afastando de vez o assédio do crime, que é muito presente entre os adolescentes, tão presente e real que ao fim desta pesquisa, pude acompanhar dois jovens que antes frequentaram este programa  se entregarem ao crime, ao tráfico de drogas.     

Referências Bibliográficas:

VYGOTSKY, Lev. A formação social da mente, São Paulo Livraria Martins Fontes Editora, 1991

WALLON Hanri. Psicologia e Educação Infantil. Lisboa

http://www.webartigos.com/articles/16115/1/educacao-e-inclusao-escola-aberta-para-todos/pagina1.html

http://resumosdehistoria.spaceblog.com.br/

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-artigos/educacao-e-inclusao-escola-aberta-para-todos-1332345.html

    Palavras-chave do artigo:

    educacao

    ,

    inclusao

    ,

    desenvolvimento

    Comentar sobre o artigo

    A educação de jovens e adultos no atual cenário social visa o desenvolvimento do homem em sua plenitude, ou seja, tornar o aluno um sujeito capaz de interagir, atuar em prol de transformação, desenvolvendo seu aspecto cognitivo, intelectual, social, afetivo, emocional, político e, sobretudo educacional. Nesse sentido a modalidade Educação de Jovens e Adultos precisa completar a existência e aplicabilidade de políticas públicas que manifestem preocupações com a formação.

    Por: Jandira Antonia da Conceiçãol Educação> Ensino Superiorl 26/07/2011 lAcessos: 2,053
    Elizabete Ferreira dos Santos

    Este artigo trata da inclusão de surdos na escola regular.Trata-se de uma temática que é alvo de constantes debates, pela complexidade da inclusão de indivíduos que não ouvem, portanto não dominam a princípio a língua oral da escola e esta não domina a sua. Há várias dificuldades nessa inclusão, as quais estão somadas a desigualdade e discriminação em todos os sentidos. E é neste processo de formação continuada que o professor tem um papel de extrema importância.

    Por: Elizabete Ferreira dos Santosl Educaçãol 20/01/2010 lAcessos: 1,247

    A prática da inclusão social basei-se em princípios diferentes do convencional, aceitação das diferenças individuais.

    Por: iracema de s. rodriguesl Educação> Ensino Superiorl 06/12/2010 lAcessos: 1,115

    Programa visa a administração da diversidade como um diferencial competitivo onde há espaço para que todos ganhem com a prática

    Por: Tatiana Ferradorl Press Releasel 30/04/2010 lAcessos: 57

    Considera-se aluno com necessidades educativas especiais aqueles que manifestam comportamentos particulares que impeçam os encaminhamentos rotineiros das práticas pedagógicas em sala de aula, pois é necessário que o professor faça ajustamentos curriculares sem os quais eles não conseguirá realizar as aprendizagens ao nível de suas capacidades e potencialidades.

    Por: MARIA SALETE CORRÊA CARVALHOl Educaçãol 29/09/2009 lAcessos: 1,670

    No país inteiro vem acontecendo uma série de discussões a respeito do que seria a Inclusão e o Sistema de Ensino tentando se adaptar a essa nova realidade. A educação inclusiva embora tenha sido bandeira da educação especial, não implica somente em incluir o portador de deficiência no sistema regular de ensino. Diz respeito a um sistema educacional que dê respostas educacionais com qualidade ao conjunto das pessoas.

    Por: andreial Educação> Ensino Superiorl 28/08/2013 lAcessos: 175

    Este trabalho científico contempla de maneira sucinta a Educação Inclusiva e a importância do psicopedagogo na área social e educacional, em especial a inclusão das crianças e adolescentes no âmbito da educação do Ensino Infantil ao Ensino Superior como também as questões de fazer valer à integração das leis na educação e da concepção da Psicopedagogia na formação das pessoas com necessidades especiais no âmbito escolar e social, utilizando a Prática pedagógica, da afetividade, da dedicação e do

    Por: Maria Ivanilda Campos Pinheirol Educação> Educação Infantill 02/12/2011 lAcessos: 2,448
    Isabel Cristina

    Atualmente, a proposta de educação inclusiva tem gerado polêmicas discussões entre os que adotam uma posição integracionista, os que defendem a escola inclusiva ou ainda aqueles que sentem a importância de uma educação especializada para o aluno com necessidades educacionais especiais . No longo caminho a ser percorrido muitas são as dificuldades a serem enfrentadas, principalmente as que dizem respeito às barreiras físicas e atitudinais,constituídas dos estigmas, preconceitos e estereótipos.

    Por: Isabel Cristinal Educação> Educação Infantill 29/08/2014 lAcessos: 45

    O presente ensaio refere-se ao preconceito de crianças com necessidades especiais, relatando a inclusão dessas na escola e no meio social. Citando que essas crianças são capazes de realizar muitas atividades, sendo que deficiente é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as posições de outras pessoas ou da sociedade em que vive.

    Por: Rosirene Abadia de S. Macedol Educação> Ensino Superiorl 26/11/2014

    Com o advento da globalização, a educação é tida como o maior recurso de que se dispõe para enfrentar essa nova estruturação mundial. Objetiva-se evidenciar a importância dos alunos encontrarem na escola não só evidências de seu próprio mundo, mas também aparato capaz de os "cunharem" para uma participação social plena e não "fatiada", como sugere o estudo por disciplinas. Jovens e adultos, público cada vez mais informatizado, exige que as disciplinas deixem de ser apresentadas de forma isolada.

    Por: KÁTIA CÉLIA FERREIRAl Educaçãol 18/12/2014

    A expressão artística faz parte da história humana desde os tempos mais remotos. Sendo assim, a Arte é um dos modos de conhecimento ao qual os estudantes devem também ter acesso, assumindo-se como sujeitos capazes de apreciação estética e criação artística, articuladas aos processos e mediações da cultura contemporânea. Diante das mudanças pelas quais o ensino-aprendizagem de Arte passou, vê-se a necessidade de discorrer a respeito da presença desta disciplina no currículo escolar, revendo sua i

    Por: KÁTIA CÉLIA FERREIRAl Educaçãol 18/12/2014

    Sabe-se que a educação é responsável pela formação do aluno enquanto cidadão, de maneira a prepará-lo para a vida em sociedade, para que saiba atuar criticamente nesse meio. Assim, a escola inclusiva busca complementar a formação do aluno por meio das relações de convivência, uma vez que conviver com o diferente é parte desse processo de formação, até porque, como já mencionamos, é na escola que o aluno desenvolve seus aspectos cognitivos, motores e psicológicos.

    Por: Rosely dos Santos Ferreiral Educaçãol 17/12/2014

    As revela à existência de ações políticas e sociais que possam concretizar e promover a efetividade da inclusão social da pessoa com necessidade educacional especial. Vejo que a sociedade deve compreender como se dá o processo de ensino-aprendizagem da criança com Síndrome de Down na Educação Básica, as dificuldades enfrentadas e as possibilidades e mecanismos de reconhecimento e aceitação dessas limitaçõ

    Por: Rosely dos Santos Ferreiral Educaçãol 17/12/2014

    No processo de inclusão a escola propõe a conviver com o "diferente", aceitá-lo, auxiliá-lo, e muitas vezes aprender algo com essas crianças. Entretanto para oferecer uma inclusão verdadeira é preciso entender as particularidades das crianças, mediar a socialização de forma que todos trabalham para o aprendizado de cada uma delas, em benefício de todos. Pretendo contribuir com as discussões éticas e educacionais que envolvem a formação da criança Down por meio da educação.

    Por: Rosely dos Santos Ferreiral Educaçãol 17/12/2014

    A educação escolar é um dos contextos em que a criança aprende e desenvolve-se nos aspectos cognitivos, emocional e social. Por isso a necessidade de incluir a criança com necessidades especiais na escola, pois atender a todos é parte do processo educativo, por isso a diversidade cultural e outras questões sociais precisam ser vivenciadas também em sala de aula.

    Por: Rosely dos Santos Ferreiral Educaçãol 17/12/2014

    Apresento algumas características que identificam a criança Down, o conceito de Educação Inclusiva e Educação básica, e da diversidade na educação. Relacionam-se aspectos positivos da inclusão da criança Down na Educação Básica e como deve acontecer essa inclusão, enumerando as dificuldades no processo de inclusão da criança Down na Educação Básica. Conceitua-se a Síndrome de Down e sua identificação, bem como o tratamento e a motivação para inserir a criança com deficiência na Educação Básica.

    Por: Rosely dos Santos Ferreiral Educaçãol 17/12/2014

    O estudo realizado teve como foco principal compreender os avanços no processo de construção do conhecimento dos alunos de uma turma de 3º ano, através dos jogos matemáticos, priorizando, desse modo, a ludicidade no ensino. A pesquisa foi desenvolvida durante o estágio realizado pela acadêmica e pesquisadora junto a uma turma de 3º ano.

    Por: Luziane Da Silva Costal Educaçãol 15/12/2014
    Andre Benitez

    Este texto tem como proposta desenvolver sob a ótica de Ruggiero Romano, todos os mecânismos desemvolvidos e empregados pelos colonizadores espanhois, a fim de garantir a manutenção da conquista e colonia em terras americanas

    Por: Andre Benitezl Educação> Ensino Superiorl 13/10/2009 lAcessos: 1,292 lComentário: 2

    Comments on this article

    0
    Regina 02/11/2009
    Artigo de nos mostra o cotidiano de programos que fazem a diferença na vida dos participantes é valida a experiência de campo do autor e dessa forma a referencia bibliografica não se torna mera ilustração.
    Parabéns.
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast