Formação Tecnológica Do Gestor Escolar Implementar É Necessário

24/04/2009 • Por • 1,752 Acessos

A implementação das tecnologias às escolas aliada às transformações sociais reacende a necessidade de que o gestor escolar esteja qualificado para administrar com eficiência a utilização integrada dos recursos tecnológicos no espaço escolar.
Pensar a formação do gestor que dê conta de prepará-lo para enfrentar as transformações sociais, a inclusão dos recursos tecnológicos nas escolas, aliada às expectativas dos estudantes do século XXI, considerando: o tempo disponível dos gestores, a localização dos estabelecimentos, a motivação dos professores para a construção de um planejamento adequado a cada realidade contemple a utilização integrada dos recursos, etc.
Por outro lado, sabe-se que as IES não proporcionam tal formação.
Vislumbramos na formação continuada uma nova possibilidade de incluir, integrar, vivenciar na práxis sobretudo levar o gestor a compreender como gerenciar o uso das tecnologias na educação. Implementar uma formação em serviço descentralizada pode contribuir neste processo.
Possibilitar com que estejam preparados para este novo tempo pode desencadear o desenvolvimento de novas propostas de gerenciamento e uso das tecnologias no espaço escolar, o que pode resultar numa aprendizagem mais significativa para aqueles que estão em formação.
Tratar da formação continuada do gestor escolar significa perceber que na atualidade dispomos de diferentes modalidades de qualificação e esta pode tornar-se o objeto de estudo pois, no campo educacional é permeado pela ação humana.
Diante deste quadro, acreditamos que necessário se faz alavancar esforços para inserir os gestores neste novo paradigma que se vislumbra na educação antes que os recursos sejam sub-utilizados e ou se tornem obsoletos.

A incorporação das tecnologias na educação vem exigir novas habilidades tanto do professor quanto do gestor. Assim, o ato de educar com o apoio das tecnologias vêm exigir professor preparado, gestor qualificado, planejamento e métodos de uso dos recursos tecnológicos adequado à realidade da escola. Do contrário, as inovações passam a se constituir em problemas especialmente aos gestores interferindo no seu fazer administrativo. No Estado do Paraná as ações dos gestores escolares (Diretores e Diretores Auxiliares) são norteadas pelas Leis: Lei 14231/2003, Lei Estadual n o. 15329/06

Há escolas que já dispõem de alguns recursos para serem utilizados para
dinamizar o ensino e aprendizagem dos estudantes do século XXI dentre eles: o
retroprojetor, micro system, máquina fotográfica, quadro branco, giz, projetor de slides,
data show, TV Multimídia, computadores do MEC/PROINFO e do Paraná Digital –
(PRD), etc. todavia, nem sempre são utilizados haja vista a ausência de melhor preparo por
parte dos profissionais.
Diversos são os fatores que interferem e influenciam na efetivação da formação
continuada destes profissionais destacam-se: disponibilidade de tempo, de acesso e
deslocamento para o local de formação além da motivação necessária para empreender
novos estudos.
É emergente postular uma formação continuada que dê conta de qualificar aqueles
profissionais especialmente, o gestor, perante as necessidades presentes no seu fazer dentre as quais destacam-se:

...conhecimento das implicações sociais e éticas das tecnologias; capacidade de uso do computador e do software utilitário; capacidade de uso das tecnologias da informação e da comunicação em situações de ensino-aprendizagem. Brito e Purificação (2006, p. 8).

Perante as necessidades elencadas e de uma formação adequada a realidade tanto dos profissionais quanto da escola, vislumbra-se na formação continuada uma nova possibilidade de implementar a Formação do Gestor Escolar sob pena de que os recursos sejam sub-utilizados.

ALMEIDA, M. E. B de. Gestão de tecnologias na escola: possibilidades de uma prática
democrática. In: Salto para o Futuro. Série Integração de tecnologias, linguagens e
representações. Rio de Janeiro: TV Escola, SEED-MEC, 2005.Disponível
em:<http://www.tvebrasil.com.br/salto/boletins2005/itlr/tetxt2.htm>Acesso:22.mai.08.

BRITO, Glaucia da Silva, PURIFICAÇÃO, Ivonélia da. Educação e novas tecnologias:
um re-pensar. Curitiba: IBPEX, 2006.120 p.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional -
LDB. Lei nº 9394. Brasília: MEC, 1996. Disponível em:
< http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/txt/lei9394_ldbn1.txt>. Acesso em 20 jul. 2008.

Perfil do Autor

Marco Antonio Amaral

Mestre em Educação Especialista em Tecnologias na Educação Especialista em Magistério Superior Especialista em Pedagogia para o Ensino Regioso Pesquisador Tecnologias na Educação. Atualmente trabalho com Educação a Distância. Licenciatura Plena em Química Licenciatura Curta em Matemática Licenciatura em Ciências e-mail: maamaral@gmail.com