LINGUA INGLESA - Sua historia e origem Uma viagem historica ao mundo do ingles

Publicado em: 14/09/2011 |Comentário: 0 | Acessos: 1,338 |

                                ORIGEM E DESENVOLVIMENTO DA LÍNGUA INGLESA

Autor: Laercio Venturini

Trazido a você pela Tradutores Associados do Brasil VEJA NOSSO SITE ABAIXO;

1. RESUMO

O inglês tem origem no idioma dos Anglos e Saxões, povos bárbaros (Germanos), que no século V de nossa era, invadiram a Bretanha, atual Reino Unido da Grã-Bretanha. Em 1500 anos de evolução, sofreu influência de outras línguas, entre elas o celta, o latim e o francês.

Costuma-se dividir a história do inglês em três períodos:

OLD ENGLISH: O ARCAICO OU ANGLO-SAXÃO (ENTRE OS SÉCULOS V e XI);

MIDDLE ENGLISH: O MÉDIO (DO SÉCULO XI AO XVI) e

MODERN ENGLISH: MODERNO ( A PARTIR DO SÉCULO XVI).

O patrimônio vocabular do idioma é estimado hoje em 750.000 palavras. Cerca de metade dos vocábulos é de germânica e o restante provém do Latim e de Línguas Neolatinas, como o Francês, o Espanhol e o Italiano.

Atualmente, o inglês é considerado idioma universal, sendo o mais utilizado nos negócios, na Internet e no mundo do entretenimento.

 ARTIGO TRAZIDO A VOCÊ PELA www.tradutoresdobrasil.com

2. INTRODUÇÃO

Segundo Preti (2000:11), toda a nossa vida em sociedade supõe um problema de intercêmbio que se realiza fundamentalmente pela língua. A língua é entendida como manisfestação da vida em sociedade.

"Uma língua é um objeto histórico, enquanto saber transmitido, estando, portanto, sujeita às eventualidades próprias de tal tipo de objeto. Isso significa que se transforma no tempo e se diversifica no espaço" (Camacho: 1988).

Podemos considerar esta definição de Camacho como perfeita para expor a idéia de variação da Língua. Na Língua Inglesa, como nas outras línguas, esta asserção é fato, pois a variação lingüística tem presença marcante.

A nossa abordagem visa expor uma visão sobre a origem e o desenvolvimento da língua inglesa até os nossos dias, bem como os aspectos lingüísticos que a lapidou com o passar do tempo.

Dentro deste conceito, através de uma pesquisa bibliográfica em livros e Sites, selecionamos informações relevantes sobre o tema abordado, as quais citaremos neste trabalho, como o objetivo de proporcionar subsídios para desvendar aspectos lingüísticos e culturais da língua inglesa desde a sua origem até os dias atuais, buscando o entendimento da língua mundialmente falada atualmente. E, com isso, aprimorar o nosso conhecimento enquanto futuros educadores.

 

3. ORIGEM DA LÍNGUA INGLESA

Conforme cita Schütz (2004), a origem da língua inglesa se inícia com os Celtas, povos que habitaram a Inglaterra por volta de 1.000 a.C. O povo Celta chegou a ser o principal grupo de línguas na Europa por, aproximadamente, oito séculos. Posteriormente sofreu influências de outras línguas ou grupos de línguas tais como:

Latim - em função das invasões romanas na Bretanha e do processo de evangelização do anglo sexões pelos missionário cristãos.

Dinamarquês - por parte dos Vikings.

Francês - língua dominante na Inglaterra pela classe aristocrática e pelos Anglo-Saxões em busca de ascensão social em função do domínio de franceses no reinado Inglês por 300 anos.

Alemão - quando as legiões romanos deixaram a Bretannia (nome da ilha em latim), os Celtas recorreram às tribos Germânicas (judes, Angles, Saxons e Frisians) para obter ajuda contra seus inimigos (Scots e Picts). Oportunamente, essas tribos germânicas tornaram invasores e se estabeleceram nas áreas mais férteis do sudeste da Grã-Bretanha destruindo vilas e massacrando a população local. Foram, portanto, os dialetos germânicos que deram origem ao inglês. A própria palavra "England", por exemplo, originou-se da expressão "Engle-Land" (terra dos anglos). E, a partir daí, a história da língua inglesa foi dividida em três períodos: Old English, Middle English e Modern English.

HOJE A TRADUTORES DO BRASIL TRADUZ NAO SOMENTE O INGLÊS MAS TAMBÉM OUTROS 20 IDIOMAS, CONFIRA www.tradutoresdobrasil.com

3.1. O INGLÊS ANTIGO (1100 - 1150)

Conforme os estudos de Schütz (op. cit.), este período também é denominado Anglo-Saxon e é marcado pelos invasores germânicos. Na verdade não se trata de uma única língua, mas de uma variedade de dialetos, havendo neste período quatro dialetos:

Northumbrian: faldo no norte do rio Humber.

Mercian: falado na Midlands do East Anglia até a divisa de Welsh.

Kentish: faldo no sudeste.

West Saxon: falado no sul e no sudoeste.

É uma linguagem quase irreconhecível até mesmo por um falante nativo do inglês moderno, declara Schütz (op. cit.). No entanto, menciona ainda que a correlação entre a pronúncia e a ortografia era muito mais próxima do que no inglês moderno. No plano gramatical, os substantivos declinam e tem gênero (masculino, feminino e neutro) e os verbos são conjugados. Como exemplo segue, abaixo, um pequeno trecho da parábola bíblica do Bom Samaritano traduzido para Old English:

Sum man ferde fram Hierusalem to Hiericho, and becom on pa sceapan ...  

                (ferde - 3a. pessoa do singular; passado do verbo feran)

O verbo em destaque corresponde aos verbos to go/ journey no inglês moderno. O "de" (sufixo) tornou a forma do inglês moderno "ed" a terminação do passado dos verbos regulares = (he journeyed).

3.2. MIDDLE ENGLISH (1100 - 1500)

O elemento mais importante foi a forte presença e influência da língua francesa no inglês. A fusão da cultura franco-normanda na nação anglo-saxônica durou três séculos e resultou num enriquecimento de vocabulário na língua inglesa sem afetar a pronúncia e a estrutura gramatical. No final do século XV se torna evidente que o inglês havia prevalecido, pois já havia substituído o francês e o latim como língua oficial para documentos. Em 1362 o inglês foi estabelecido como única língua a ser utilizada nos tribunais através do statute of Pleading. No mesmo ano, pela primeira vez, uma sessão do parlamento foi aberta em inglês. Pode-se falar também de uma nação polilíngüe, pois as regiões de colonização norueguesa, principalmente no norte, a língua continua sendo até a época moderna, o norueguês. No direito, temos até hoje a existência de uma influência francesa sobre a língua, que é reconhecida pelo uso de fórmulas tradicionalmente francesas, como as inscrições nas armas reais e a fórmula oficial para o assentimento do rei às leis votadas pelo Parlamento.

Além dessa forte característica, este período se caracterizou pela gradual perda de declinações, pela neutralização e perda de vogais atômicas em final de palavras e pelo início do Great Vowel Shift (mudança da pronúnica das vogais do inglês).

Os sons das vogais da língua inglesa antes do século XV eram bastante semelhantes aos das demais línguas da Europa Ocidental, inclusive do português de hoje, como por exemplo:

fine:  a pronúncia antes do século XV era /fi:ne/

fine: a pronúncia no inglês moderno é /fayn/

VEJA OUTROS ARTIGOS SOBRE TRADUTORES E INTERPRETES EM

www.tradutoresdobrasil.wordpress.com

Portanto, a falta de correlação entre ortografia e pronúncia no inglês moderno é, em parte, conseqüência desta mudança ocorrida no séc. XV.

Segue, como exemplo, o mesmo trecho da parábola do Bom Samaritano escrito conforme a linguagem do Middle English:

"A man cam doun fro Jerusalén in to Jerico, and fel among theues, and their robbiden hym..."

As únicas diferenças significantes do inglês moderno são o "em" e o "iden" sufixos dos verbos que são os mesmos do Old English mas são pronunciados diferentemente.

 

3.3. MODERN ENGLISH (A PARTIR DE 1500)

Uma de suas características consiste no fato de que Londres (já colonização celta, chamada pelos romanos de "Londinium", mais tarde também denominada Lundemburgo), se torna definitivamente centro da evolução lingüística que se segue, como sede do governo e do Parlamento, como maior cidade do pais e centro comercial. A segunda característica deste período de transição é a influência da imprensa no sentido da unificação lingüística.

A terceira é o florescimento dos estudos clássicos, o interesse pela antigüidade Grego e Romana: o Renascimento, que nascido na itália, exerceu forte influência na Inglaterra.

O chamado período de transição conduz o inglês à plena maturidade com a Bíblia do Rei James e, principalmente, com a obra de William Shakespeare (1564 - 1616). Este período revela uma gradual superposição do inglês ao latim, como língua dos cientistas. Francis Bacon e william harvey publicaram suas obras em latim. Issac Newton depois que publicou em latim sua obra fundamental Principie Mathematica, em 1687, voltou-se para a sua língua materna. Opticks surgiu em 1704 em Língua Inglesa. entre os séculos XVIII e XIX, os filólogos e dicionaristas se esforçaram em ordenar e reunificar a estrutura da moderna Língua Inglesa, entre eles destaca-se Samule Johnson (1709-1784), compilador de uma grande edição de Shakespeare e criador do Dctionary of English Language.

A partir de 1800, surgiram dicionários para o inglês americano, entre eles o de Noah Webster (atualmente Merriam Websters). Por volta da metade do século, surgiu em Londres uma Philogical Society, com o objetivo de criar um novo didionário mais abrangente. Foram coletados mais de 5 milhões de citações textuais (dos quais 1/3 foi utilizado na obra), e vários editores dedicaram seus esforços a esta edição, que começou a surgir em 1882 e só terminou em 1928, com um total de 15.300 páginas: o Oxford English Dictionary (OED).  Embora o inglês tenha adotado palavras de inúmeras línguas, a grande maioria de palavras com raízes inglesas são de origem germância ou românica, sendo que a maior influência é a do germânico na língua do cotidiano e na língua do homem simples. Além do mais, as línguas de origem germânica eram muito parecidas no período do ingl~es antigo, de tal modo que inúmeras palavras teriam soado de maneira totalmente igual, fossem elas de raízes anglo-saxônicas ou escandinavas. Podemos afimar que este período é caracterizado, principalmente, pela padronização e unificação da linguagem. Portanto, desde o início da era Cristã até os dias atuais seis idiomas chegaram a ser falados na Inglaterra: Celta, Latim, Old English, Norman French, Middle English e Modern English.

4. CONSEQÜÊNCIAS DAS INFLUÊNCIAS DE GRUPOS LINGÜÍSTICOS NA LÍNGUA INGLESA

A partir dos primeiros dicionários a ortografia do inglês mudou em pequenos detalhes enquanto que a pronúncia sofreu grandes transformações. Nos séculos XVI e XVII ocorreu o surgimento e incorporação definitiva do verbo AUXILIAR DO PARA FRASES INTERROGATIVAS E NEGATIVAS.  A partir dop séc. XVII passou a ser considerado incorreto o uso dupla negação numa frase como exemplo: She didn't go neither.

Uma das razões da externa riqueza do léxico inglês consiste no fato de ele possuir, muitas coisas, uma denominação de origem germânica e uma de origem românica. Palavras gregas foram adotadas, entre outros casos no âmbito teatral, como apropria palavra theatre, drama, comedy, tragedy, catastrophe, episode, scene, dialogue, prologue, etc. assim como a linguagem filosófica, poética e médica. E se aclimataram ao inglês sufixos gregos como - osis e -itis a princípio para designar doenças e, gradualmente, para indicar ironia: radioitis, por exemplo.

A partir do século XVI as palavras latinas usadas no inglês são inúmeras; dignas de nota são as muitas adotadas sem qualquer modificação: error, horror, genius, vacuum, omen, census, referendum, veto, complex, ultimatum - todas também conhecidas em alemão no qual, poerém até hoje mantém um certo ar de estrangeirismo.

Semelhante as outras línguas européias pode-se afirmar que poucas línguas não contribuíram de algum modo para o léxico inglês especialmente por causa da extensão do domínio colonial inglês. No inglês a adoção é mais fácil, porque no curso de sua evolução esse idioma perdeu a maior parte de suas desinências e porque apresenta um grande grau de regularidade naquelas poucas que ainda existem. Os substantivos ingleses formam - com raras exceções possíveis de contar nos dedos - o plural com acréscimo de -s; dog - dogs; cat - cats; horse - horses. A progressiva perda das desinências conduz a uma outra peculiaridade: não existindo quase desinências características de uma determinada categoria gramatical (como o - n ou - en dos verbos alemães), ocorre que um substantivo fire ("fogo") é ao mesmo tempo a forma do verbo fire ("incendiar," ou "despedir," em cansável e quase imperceptivelmente as palvras inglesas mudam de função na frase).

O rápido crescimento do léxico inglês é facilitado pelas várias maneiras de formação de neologismos. De modo semelhante ao grego e ao alemão, podem ser formados compostos de termos pertencentes a várias categorias gramaticais: gentleman, aircraft, shipbuilding bastam como exemplos.

As formações das palavras em inglês apresentam as seguintes caracteristicas:

Aglutinação: como em brunch, formado de breakfast + lunch, e smog, de smoke + fog;

Regressões: derivações imprórpias, como no caso de Fisher, derivado de to fish. Haveria portanto um verbo to bulldoze, antes de surgir a palavra bulldozer? Não, mas to bulldoze foi formado pelo uso, como to televise, de television;

Justaposições de duas palavras: de cabe telegram vem cabbegram; de biology (ou biological) eletronics vem bionics;

Abreviações: de advertisement ("anúncio") vem ad, de examination, exams. Também em alemão ocorrem abreviações desse gênero, principalmente entre os estudantes: Wir haben Manthe (=Mathematik) - "Temos aula de matemática";

São freqüentes palavras formadas de iniciais (acrossemia): como NASA, de National Aeronautics and Space Administration.

O inglês falado sofreu transformações decisivas (mutações consonânticas durante sua evolução. Atualmente possui um total de vinte e um fonemas vocálicos.

Na Inglaterra e na Escócia há uma multiplicidade de dialetos bastante diferentes entre si. Por esse motivo, a pronúncia inglesa "correta" é considerada tradicionalmente como sendo a British Received Pronunciation (RP), ou seja, a fundamentada nos hábitos lingüísticos da classe culta de Londres e do sudoeste da Inglaterra. Até agora as diferenças entre o inglês britânico e o americano têm sido poucas na escrita mas a Received Pronunciation é considerada, menos ainda que no passado, como a pronúncia ideal pela América independente. sob a influência dos meios de comunicação de massa e da alta mobilidade da população, seguramente surgirá uma norma americana própria.Desse modo, a futura evolução do inglês tem algo duvidoso. Parece certo que a importância do inglês do mundo atual tende a aumentar e que o léxico dessa língua, ja atualmente imenso, não cessará de ampliar-se.

 

CONSIDERAÇÕES

O estudo do passado é a melhor forma para a compreensão do presente. Acreditamos que afirmação citada é importante para nós estudante da língua inglesa, e também para os nativos. A língua muda com o tempo e se diversifica no espaço em conseqüência de fatores sociais, políticos e culturais.

SE VOCÊ É TRADUTOR OU INTERPRETE VOCE DEVERIA CONFERIR O SITE: www.tradutoresdobrasil.com

BIBLIOGRAFIA

CAMACHO, R. Variação-Liqüística. In: A Redação como Libertação. Brasília, Editora da Universidade de Bra´sília, 1988; pp 41-53.

PRETI, D. Sociolingüística: Os Níveis de Fala: Um Estudo Sociolingüístico do Diálogo na Literatura Brasileira. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 9ed, 2000.

[Informação de Internet (www)]  SCHÜTZ, Ricardo. História da Língua Inglesa: English Made in Brazil. Disponível em http://www.sk.com.br/skenhis.html  Acesso em 30/04/2004.

STÖRIG, Hans Joachim. A aventura das Línguas. São Paulo: Melhoramentos, 5 ed., 1993.

   

 

 

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-artigos/lingua-inglesa-sua-historia-e-origem-uma-viagem-historica-ao-mundo-do-ingles-5217887.html

    Palavras-chave do artigo:

    lingua inglesa

    ,

    origem do ingles

    ,

    traducao de ingles para portugues

    Comentar sobre o artigo

    Natanael Gomes Filho

    Você já se viu na situação em que ouve ou lê uma frase, conhece todas as palavras mas não entende o que o interlocutor/escritor quer dizer. Ficou parecendo que a frase não se aplicava aquele contexto ou assunto? Se você respondeu que sim então você provavelmente ouviu (leu) uma Expressão Idiomática. Quer saber mais sobre o assunto e ainda receber um arquivo com mais de 2700 expressões para você usar nas suas conversas ou emails? Então leia o texto completo

    Por: Natanael Gomes Filhol Educação> Línguasl 30/09/2010 lAcessos: 1,543 lComentário: 1

    Artigo voltado para melhorar o seu inglês, especialmente o vocabulário. Neste post ainda dou dicas de alguns sites e material para deixar o seu inglês mais natural e fluente.

    Por: Gessica Vasconcelosl Educação> Línguasl 01/03/2013 lAcessos: 73
    CHARLES ANDERSON RAMOS LORETI

    Quando lemos este texto, claramente percebemos uma estrutura sobre a natureza da Bíblia. Percebemos a inspiração das Escrituras (por Deus), percebemos a utilidade das Escrituras (ensino, repreensão, correção, educação) e por fim notamos a finalidade das Escrituras (homem de Deus seja perfeito e habilitado para toda boa obra). A Bíblia não existe para explicar a história da homem e do universo, tão pouco se preocupa em responder os questionamentos da ciência. A revelação começa na pré-história.

    Por: CHARLES ANDERSON RAMOS LORETIl Religião & Esoterismo> Evangelhol 27/12/2011 lAcessos: 518
    Antonio de J. Flores

    Todos os termos utilizados no título possuem o mesmo significado quando falamos de negócio. Só que devido o significado mais amplo na língua inglesa, mesmo querendo...

    Por: Antonio de J. Floresl Negócios> Negócios Onlinel 28/08/2012 lAcessos: 90

    Saiba mais sobre a palavra site e seu significa , Leia e saiba também o que é um Web site na internet.

    Por: SW Criação de Sitesl Internet> Web Designl 20/01/2012 lAcessos: 702

    Site, saite, sítio, website, sítio eletrônico ou sítio eletrónico é um conjunto de páginas web, isto é, de hipertextos acessíveis geralmente pelo protocolo HTTP na Internet. O conjunto de todos os sites públicos existentes compõe a World Wide Web. As páginas num site são organizadas a partir de um URL básico, ou sítio, onde fica a página principal, e geralmente residem no mesmo diretório de um servidor. As páginas são organizadas dentro do site...

    Por: Bruno E. Rosal Internet> Comércio Eletrônicol 02/12/2010 lAcessos: 1,684

    Depressão é uma doença psiquiátrica, crônica e recorrente, que altera o humor e costuma estar associada com baixa autoestima e culpa, e normalmente traz consigo distúrbios do apetite (comer demais, ou praticamente nada), e de sono (dormir demais, ou quase nada), entretanto um dos aspectos mais nocivos é a falta de perspectivas, um sentimento de ausência de futuro, de impossibilidade de solução dos problemas, que muitas vezes leva até ao suicídio.

    Por: Central Pressl Educaçãol 31/10/2014

    O presente artigo discorre contribuição da literatura infantil no desenvolvimento social, emocional e cognitivo da criança.

    Por: neide figueiredo de souzal Educaçãol 29/10/2014

    Faz-se necessário que a avaliação seja orientada pela lógica da continuidade dos processos de formação.

    Por: neide figueiredo de souzal Educaçãol 29/10/2014
    Erineia nascimento da Silva

    O lúdico proveniente da palavra latina "ludus" que significa jogos. Que segundo DANTAS, 1988, representa liberdade para brincar livremente, gratuitamente, prazerosamente. Tornando a brincadeira uma expressão máxima do lúdico, desde da antiga Roma e Grécia em períodos remotos da civilização ocidental utilizava os brinquedos na educação com base nas idéias de Platão e Aristóteles.

    Por: Erineia nascimento da Silval Educaçãol 28/10/2014
    Sebastiana Braga

    A formação profissional não consiste apenas em ouvir palestra ou fazer determinados cursos. Pelo contrario, ela é um processo continuo e progressivo, onde através da aprendizagem se acumula conhecimento e este por sua vez vai sendo transformado em práticas bem sucedidas. Dessa forma deve ser pensado numa multiplicidade de saberes que através de um projeto para formação continuada que se complemente e que aborde um tema central a todas as áreas no intuito do melhoramento do ensino aprendizagem.

    Por: Sebastiana Bragal Educaçãol 27/10/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Sei o quanto. Tudo isso não significa nada. Apesar da interminável beleza dos universos. Contínuos. Sei do insignificado das coisas. Do delírio dos deuses. Das franquezas das razões não lógicas. A metafísica não indutiva.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educaçãol 25/10/2014
    Amanda Souza Machado

    Este trabalho é uma continuação das discussões, pesquisas e reflexões ocorridas durante a elaboração do artigo científico sobre como os educadores exploram as fantasias das crianças, produzidas a partir dos programas de televisão. O artigo propõe-se a apresentar as influências da TV no imaginário das crianças e qual é o papel dos educadores neste momento.

    Por: Amanda Souza Machadol Educaçãol 23/10/2014

    O presente artigo é um estudo bibliográfico que tem como objetivo principal abordar conceitos educacionais e metodologias desenvolvidas em sala de aula usando o lúdico como alternativa de metodologia. O trabalho justifica-se pela necessidade de se entender e adequar a aprendizagem às atuais demandas da educação é necessário conhecer alguns caminhos já percorridos pelo ensino e que se levam a uma redefinição dos objetivos, conteúdo e metodológicos.

    Por: Graciele de Miranda Oliveiral Educaçãol 21/10/2014 lAcessos: 14
    Professor Marcos Paulo

    Hoje, as empresas buscam desesperadamente em várias áreas; profissionais qualificados que possam preencher as vagas que vem sendo criadas pela melhoria das condições econômicas e pelo aquecimento da atividade industrial. E por que há essas dificuldades e esse desespero todo? Muito simples; faltam pessoas com qualificação e, principalmente fluência no inglês. E, no mercado de trabalho, o inglês é algo fundamental.

    Por: Professor Marcos Paulol Carreira> Gestão de Carreiral 29/09/2011 lAcessos: 146
    Professor Marcos Paulo

    A língua inglesa é IMPRESCINDÍVEL nos dias atuais, pois a globalização faz com que se torne algo FUNDAMENTAL. O Inglês é a língua internacional, a língua dos estudos, das viagens, dos negócios, enfim, a língua da COMUNICAÇÃO com todo o MUNDO. Todos os dias nós convivemos com uma série de palavras em inglês, daí percebemos a IMPORTÂNCIA e a INFLUÊNCIA que exerce sobre a nossa cultura. Veja abaixo alguns exemplos de palavras em Inglês que usamos em nosso cotidiano:

    Por: Professor Marcos Paulol Educação> Línguasl 29/09/2011 lAcessos: 904
    Professor Marcos Paulo

    Analfabetismo era comum na Idade Média. Quando um rei precisava comunicar-se com outro, contratava um escriba para desenhar a mensagem em linguagem escrita. É fato sabido, por exemplo, que Carlos Magno, no século VIII, era analfabeto. A inexistência da imprensa dificultava a padronização da ortografia, fazendo da escrita uma arte complexa. A arte de bem escrever era uma habilidade profissional especializada, ao alcance de poucos. Esta talvez seja a razão...

    Por: Professor Marcos Paulol Carreira> Entrevistasl 29/09/2011 lAcessos: 275
    Professor Marcos Paulo

    Não importa a vaga, não importa a carreira. Não basta mais saber só o inglês. As oportunidades, agora, têm vários sotaques e em áreas diferentes das tradicionais, conhecidas por exigir uma segunda língua. Hoje, até para vender sarapatel e fazer sucesso e se expressar em inglês. Em um mundo em que todos os países estão à distância de um clique de computador, falar uma única língua é perder oportunidades. Alguns estudantes buscam a entonação certa para ter sucesso em negócios...

    Por: Professor Marcos Paulol Carreira> Gestão de Carreiral 29/09/2011 lAcessos: 161
    Professor Marcos Paulo

    No Brasil, além do inglês, é muito importante também aprender o espanhol, principalmente por causa da participação do nosso país no Mercosul. E se você acha que isto é exigir muito, vá se preparando, porque já existem empresas que exigem que seus funcionários dominem muito bem o inglês, o espanhol e um terceiro idioma estrangeiro - preferencialmente o francês.

    Por: Professor Marcos Paulol Educação> Línguasl 29/09/2011 lAcessos: 159
    Professor Marcos Paulo

    O Curso de Letras – Tradutor e Intérprete em Inglês tem duração de 4 anos e é, atualmente, oferecido pela manhã no início do ano, na modalidade presencial; e à noite, no meio do ano na mesma modalidade no Campus Vergueiro e proporciona a você, além da técnica e da prática da tradução e interpretação em diversas áreas, conhecimentos sobre filosofia, ética e cidadania, empreendedorismo e o mercado de trabalho, linguística, literatura e cultura do Brasil e de países de língua inglesa...

    Por: Professor Marcos Paulol Educação> Ensino Superiorl 17/09/2011 lAcessos: 328
    Professor Marcos Paulo

    TRADUTORES DO BRASIL APRESENTA PARTE 2 Do ponto de vista didático, podemos valorizar o melhor do presencial e o do virtual. O que fazemos melhor ou mais rapidamente quando estamos juntos numa sala de aula? É mais fácil conhecer-nos, criar laços, mapear os grupos, as pessoas. É mais fácil organizar o processo de ensino-aprendizagem, a seqüência de leituras, atividades, pesquisas individuais e de grupo, o cronograma, a metodologia...

    Por: Professor Marcos Paulol Educação> Educação Onlinel 15/09/2011 lAcessos: 166
    Professor Marcos Paulo

    TRADUTORES DO BRASIL APRESENTA - educação on-line pode ser definida como o conjunto de ações de ensino-aprendizagem que são desenvolvidas através de meios telemáticos, como a Internet, a videoconferência e a teleconferência. A educação on-line nos traz questões pedagógicas específicas com desafios novos para a educação a distância e para a presencial. Existe hoje no Brasil uma grande variedade de cursos on-line: cursos para poucos e para muitos alunos, cursos com pouca interação ...

    Por: Professor Marcos Paulol Educação> Educação Onlinel 15/09/2011 lAcessos: 149
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast