Mini-Dicionário De Matemática Da 7ª Série (8ª Ano) Do Ensino Fundamental

Publicado em: 17/11/2009 |Comentário: 0 | Acessos: 2,098 |

Introdução                                                                                       A

           

           

 

Este texto tem por finalidade saber o significado de cada palavra usada no nosso dia-a-dia em sala de aula (7ª série no ensino fundamental) na linguagem matemática.

 

Método

 

            O trabalho será feito à base de pesquisa sobre as palavras utilizadas em sala de aula (7ª serie) no Ensino Fundamental e o seu significado, depois de ter procurado e achar o seu significado.

 

Resultados

 

As palavras procuradas e achadas nos livros usados hoje em dia nas turmas de 7ª serie (8º ano) no ensino fundamental são:

Abscissa: O 1º numero de um par ordenado, ou seja, nos livros o x.

Adição: Uma das quatro operações básicas da aritmética, utilizada para adicionar um número a outro.

Agrupamento: Agrupamento é o método pelo qual simplificamos uma expressão algébrica, agrupando os termos semelhantes (termos em comum).

Algarismo: Símbolo utilizado para escrever os números. Em nosso sistema de numeração de base 10, existem dez algarismos.

Álgebra: parte da matemática que se propõe a estudar e resolver equações e cálculos envolvendo expressões literais.

Altura de um Triângulo: Segmento de reta que liga um vértice ao lado oposto e é perpendicular a esse lado ou ao seu prolongamento.

 

Amostra: fragmento ou exemplar representativo de alguma coisa, subconjunto de uma população por meio do qual são estabelecidas ou estimadas as propriedades e características dessa população.

Ângulo: é a reunião de dois segmentos de reta orientados (ou duas semi-retas orientadas) a partir de um ponto comum. A interseção entre os dois segmentos (ou semi-retas) é denominada vértice do ângulo e os lados do ângulo são os dois segmentos (ou semi-retas).

Ângulos alterno - externos : Num sistema de duas retas paralelas cortadas por  uma  terceira,  chamada  secante, Os  ângulos  alterno - externos  são  geometricamente iguais, por isso  têm a mesma amplitude;

Ângulos alterno - internos :Num sistema de duas retas paralelas cortadas por uma terceira, chamada secante Os  ângulos  alterno - internos  são  geometricamente  iguais, por  isso têm a mesma amplitude;

Ângulo central: ângulo cujo vértice é o centro de uma circunferência.

Ângulo de segmento: ângulos cujos lados são determinados por uma corda da circunferência e por uma reta tangente a essa circunferência. O ponto da tangencia é o vértice desse ângulo.

Ângulo excêntrico: ângulo cujo vértice não pertence a circunferência e não coincide com o seu centro.

Ângulo inscrito na circunferência: ângulo cujo vértice é um ponto da circunferência e cujos lados são secantes a ela

Ângulos alternos: pares de ângulos não adjacentes, alternados em relação a transversal, a que está em lados opostos em relação a transversal.

Ângulos colaterais: pares de ângulos situados do mesmo lado da transversal.

Ângulos complementares: dois ângulos cuja soma de suas medidas e igual a 90°.

Ângulos correspondentes: ângulos formados por duas retas cortadas por uma transversal.

Ângulos opostos pelo vértice: dois ângulos em que os lados de um deles são os prolongamentos dos lados do outro, e vice-versa.

Ângulos suplementares: dois ângulos cuja soma das medidas e igual a 180°.

Arco de circunferência: cada uma das partes de uma circunferência compreendida entre dois de seus pontos.

Área: medida de uma superfície.

 

B

 

Baricentro: ponto de encontro das medidas de um triângulo.

Base:é o que determina a quantidade de símbolos e o valor de cada símbolo em um sistema de numeração posicional, isto é, onde o valor de cada símbolo é determinado pela sua posição no número.

Bhaskara: (1114 até aprox. 1185): matemático hindu, o mais Importante do século XII, aperfeiçoou um método para resolver equações dos 2° grau. Sua principal obra chama-se Lilavati, em homenagem à filha de 12 anos.

Binômio: polinômio de dois termos.

Bissetriz: É a semi-reta que divide um ângulo em dois ângulos congruentes

Bissetriz de um ângulo: semi-reta com origem no vértice de um ângulo e que o divide em dois ângulos iguais.

Bissetriz de um triângulo: segmento de reta cujas extremidades são um vértice e o ponto em que esse segmento intercepta o lado oposto, dividindo o ângulo interno desse vértice em dois ângulos iguais.

 

C

 

Calculo: Realizar uma operação, como por exemplo, a adição, a subtração, a multiplicação, a divisão ou potenciação, visando obter um resultado.

Capacidade:volume interior de um corpo vazio.

Capital: dinheiro que se empresta ou que se pede emprestado.

Central: Relativo ao centro.

 Que está no ponto mais movimentado da povoação. Que passa pelo meio de um território.

Circulo:figura geométrica plana formada pela união da circunferência com a sua região interna.

Circuncentro:ponto de encontro das mediatrizes dos lados de um triângulo

Circunferência:figura geométrica formada por todos os pontos do plano que distam igualmente de um ponto fixo, chamado centro.

Conceitos primitivos: são entes matemáticos aceitos sem definições e que a partir deles se constroem outros conceitos.

Colaterais: Que está ao lado; Paralelo.

Colocação: Ordem em que estão as coisas colocadas.

Comprimento: Extensão entre duas extremidades; Altura; Fig. Tamanho.

 Distância.

Comprimento da circunferência: comprimento ou perímetro C de uma circunferência de raio r é a medida dada pela formula: C =2 r.

Congruentes: Em que há congruência.. Proporcionado

Congruência de triângulos: dois triângulos são congruentes quando os lados e os ângulos de um deles são respectivamente congruentes aos lados e aos ângulos do outro.

Conjunto solução: numero ou números que colocados no lugar da incógnita, tornam a equação verdadeira.

Construção: Traçado metódico de uma figura.

Convexo: Que tem saliência curva. Arredondado exteriormente; curvo.

Coplanares:que estão num mesmo plano.

Cubo: Um prisma retangular que tem as seis faces quadradas. Cada conjunto de três arestas se encontra num ponto denominado vértice e duas destas arestas sempre formam um ângulo reto. As seis faces são paralelas duas a duas. Produto de um número pelo seu quadrado. Terceira potência dum número.

 

D

 

Decágono: polígono de 10 lados.

Decimal: Relativo a dez.,Cuja base é dez

Determinar: Resolver.

Desigualdade:sentença matemática expressa por símbolos: >,

Diagonal:segmento de reta que une dois vértices não consecutivos de um polígono.

Diagonal de um polígono: segmento que une dois vértices não consecutivos do polígono.

Diâmetro: segmento de reta que une dois pontos de uma circunferência passando pelo seu centro.

Diferença: Excesso de uma grandeza ou quantidade, em relação à outra; resto.

Dividindo: Estabelecer divisões; separar em partes. Efetuar!Efetuar a operação da divisão.

Dizima periódica: número decimal em que após a vírgula há algarismos que se reproduzem sempre na mesma ordem.

 

E

 

Elementos: noções primárias.

Equações: sentenças matemáticas expressada por uma igualdade com uma ou mais letras que representam números desconhecidos chamados incógnitas.

Equivalentes: que tem o mesmo conjunto solução.

Evidencia: exposto à vista de todos; chamar a atenção geral.

Expoente: Número indicativo da potência a que uma quantidade é elevada.

Expressões: conjunto de monômios reunidos por sinais de operações matemáticas.

 

 

F

 

Fatoração: decomposição de numero ou expressão algébrica em forma de produto.

Fator: Os números inteiros multiplicados em uma multiplicação são os fatores.

Fórmula:generalização em forma de expressões algébricas que se reduzem quando substituímos suas letras por números.

Fração algébrica: fração que apresenta uma expressão literal no seu denominador.

Frações equivalentes: frações que representam a mesma quantidade.

Fracionaria: número composto de inteiro e quebrado próprio.

 

G

 

Gráficos: representação por meio de um desenho que geralmente envolve dados numéricos.

Geometria: Ciência que tem por objeto objetoas dimensões das linhas, das superfícies e dos volumes.

Grau: unidade de medida de ângulo.

 

H

 

Hexágono: polígono de seis lados.

Hipotenusa: o maior dos lados de um triângulo retângulo é o lado oposto ao ângulo reto.

 

I

 

Incógnita: numero ou números desconhecidos numa equação.

Inequação: desigualdade que apresenta um ou mais números desconhecidos.

Inscrito: Diz-se da figura traçada dentro de outra

Interno: Situação dentro das paralelas

 

 

 

J

 

Juro: toda compensação, recebida ou paga, em dinheiro pela quantia emprestada ou pedida emprestada.

 

L

 

Literal: do latim littera, que significa letra.

Losango: paralelogramo de quatro lados congruentes.

 

M

M.D.C: O maior divisor comum de dois ou mais números é chamado de máximo divisor comumdesses números. Usamos a abreviação m.d.c.

M.M.C: O menor múltiplo comum de dois ou mais números, diferente de zero, é chamado de mínimo múltiplo comum desses números. Usamos a abreviação m.m.c.

Média: segmento de reta que une um vértice ao ponto médio do lado oposto.

Mediana: RetaReta que, numa figura plana, divide em duas partes iguais todas as cordas paralelas a uma dada direção!direção. Num triângulo, segmento de reta retaque une os meios de dois lados opostos dum retângulo!retângulo.

Medida: Medição.

Método: Processo racional para chegar ao conhecimento ou demonstração da verdade

Metro: unidade de base do Sistema Internacional para medida de comprimento. Indicado pelo símbolo m.

Monômio: expressão algébrica inteira representada apenas por um número, ou apenas uma variável, ou por uma multiplicação de números e variáveis.

Montante: total pago no final do empréstimo.

Multiplicando: O número que será multiplicado por outro.

 

 

 

N

 

Negativo: Menor que zero.

Números inteiros: Números inteiros são os números naturais e seus opostos, reunidos ao zero.

Números irracionais: numero real não racional, ou seja, que não pode ser escrito na forma de fração, de decimal exato e de dizima periódica.

Número racionais: números que podem ser escritos como quociente de dois números inteiros, dos quais o divisor não é nulo.

Números reais: são todos os números do conjunto formado pela união dos números irracionais com os números racionais. Indica se por .

 

O

 

Operações: Cálculo

Ordenada: o segundo numero de um par ordenado, normalmente utilizada a letra y

 

P

 

Paralelismo: Estado de duas linhas ou de duas superfícies paralelas; correspondência.

Paralelogramo: quadrilátero cujos lados opostos são paralelos e de mesma medida.

Perímetro: medida do contorno de uma figura geométrica plana.

Pertencem: Formar ou fazer parte

Pi ( ): letra do alfabeto grego. Tornou-se matemática um número muito importante por representar a razão entre o comprimento de uma circunferência e a medida de seu diâmetro; seu valor 3,141592... é um numero  decimal não exato e não periódico.

Plano cartesiano: plano com um sistema de coordenadas que possibilita localizar pontos ou objetos por meio de pares ordenados.

Polígono: figura geométrica plana cujo contorno é uma curva fechada apenas por segmentos de reta.

Polinômio: expressão algébrica com um, dois ou mais monômios.

Porcentagem: porção de um todo (ou de um valor dado) que imaginamos dividido em 100 partes iguais. Representa-se pelo símbolo % .

Potência: Elevar a uma quantidade.

Potenciação: Elevação à potência

 

Produto: Uma das quatro operações básicas da aritmética, que realiza o produto de dois ou mais termos denominados fatores.

Produtos notáveis: identidades algébricas que são sempre verdadeiras para quaisquer valores numéricos.

 

Q

 

Quadrado perfeito: Diz-se do número que é igual à soma das suas partes alíquotas

Quadrilátero: polígono de quatro lados.

Quociente: O resultado de uma divisão

 

R

 

Raiz: Número que, multiplicado certo número de vezes por si mesmo, produz o número que determina.

Redução: Transformação que substitui uma expressão algébrica por outra equivalente, mas mais simples ou mais cômoda.

Regular: Diz-se das figuras geométricas cujos lados e ângulos são iguais.

Retas paralelas: Retas que nunca se cruzam e que não estão sobrepostas, e não possuem pontos comuns.

Retas perpendiculares: duas retas concorrentes são perpendiculares quando formam entre si quatro ângulos retos.

Retas reversas: retas que não possuem pontos comuns e não estão contidas no mesmo plano.

 

S

 

Segmento de reta: parte da reta compreendida entre dois de seus pontos.

Semelhante: Diz-se que duas figuras são semelhantes se ambas são congruentes ou uma delas é uma ampliação ou redução da outra.

Semi-reta: parte da reta que tem origem em um de seus pontos e prolonga-se indefinidamente num único sentido.

Simplificar: Reduzir a termos menores

Sistema de equação: duas ou mais equações de duas ou mais incógnitas que apresentam soluções comuns.

Solução: Resolução de uma dificuldade, de um problema, etc.

Soma: Uma das principais operações básicas da aritmética, que resulta na adição de números.

 

T

 

Tabelas: quadro construído paraFazer a tabela dos preços.

Tangente: Que toca uma linha, ou um plano ou uma superfície num só ponto.

Taxa de juros:taxa de porcentagem paga ou recebida pelo aluguel do dinheiro.

Transversal: Linha transversal, Que corta, que atravessa.

Trapézio: quadrilátero que tem apenas um par de lados paralelos.

Termos: Um dos objetos matemáticos em uma operação.

Triangulo: Um polígono com três lados

Triangulo eqüilátero: triangulo que possui os três lados com a mesma medida.

Triangulo isósceles: triangulo que possui dois lados com a mesma medida.

Triangulo retângulo:triangulo em que um dos seus ângulos internos é reto.

Trinômio: polígono de três termos.

 

V

 

Valor numérico:valor obtido quando, numa expressão algébrica, substituímos as variáveis por números e efetuamos os cálculos indicados.

Variável:símbolo, geralmente representado por letras, que pode ter ou assumir diferentes valores de um conjunto.

Vértices: O ponto de junção de duas semi-retas de um ângulo, de dois lados de um polígono ou de três (ou mais) faces de um sólido.

Volume: O volume de um objeto é definido como a medida do lugar ocupado pelo objeto no espaço. Por exemplo, o volume de uma caixa é medido em cm³. No contexto das artes visuais, o volume representa uma característica do objeto e não uma medida do espaço ocupado.

 

 

Conclusões

 

Com a nossa pesquisa percebemos que muitas vezes não compreendemos a linguagem matemática por que achamos que é difícil e na verdade é que não sabemos o que se pede, por isso não sabemos resolve-los. Talvez esse seja um dos motivos pelo qual a matemática é vista como tanta rejeição, pois não esta sendo usada por alguns como deveria e que não estão passando o seu significado e assim dificultando os alunos em compreender melhor a linguagem matemática, percebemos também muita rejeição na parte dos problemas que na verdade nada mais é que interpretar, mas os alunos não sabendo o significado não sabem resolver. Percebemos também que com relação à matemática às vezes os exemplos, as figuras representariam melhor do que as palavras (às vezes uma imagem vale mais do que 1.000 palavras). E nós como futuros educadores precisamos compreender a matemática e saber o seu significado.

 

 

 

 

Referências Bibliográficas

 

  1. BIGODE, Antonio Jose Lopes; Matemática Hoje é Feita Assim 7. FDT, São Paulo-SP.
  2. GIOVANNI E GIOVANNI JR, José e José; Matemática Pensar e Descobrir 7ª serie. FDT, São Paulo-SP, 2002.
  3. BONJORNO E AYRTON, Jose Roberto, Regina Azenha e Ayrton Olivares; Matemática Fazendo a Diferença 7ª serie (8º ano). FDT, São Paulo, 2006.
  4. Dicionário Priberiam da língua portuguesa.

A matemática é o alfabeto com o qual DEUS escreveu o universo (Pitágoras)

 

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-artigos/mini-dicionario-de-matematica-da-7-serie-8-ano-do-ensino-fundamental-1469875.html

    Palavras-chave do artigo:

    mini dicionario

    ,

    7ª serie 8º ano e ensino fundamental

    Comentar sobre o artigo

    marlucia pontes gomes de jesus

    O artigo apresenta as opiniões de várias personalidades sobre o Parecer CNE/CEB nº. 15/ 2010 que dá "orientações para que a Secretaria de Educação do Distrito Federal se abstenha de utilizar material que não se coadune com as políticas públicas para uma educação antirracista", para, em seguida, apresentar os fundamentos em que o Conselho Nacional de Educação se baseou na elaboração do documento. Critica veementemente as pessoas e grupos que expressaram opiniõs sem conhecer o teor do documento.

    Por: marlucia pontes gomes de jesusl Educaçãol 25/03/2011 lAcessos: 1,607

    Aliás, neste País das Maravilhas, sempre do Futuro (!), dos Absurdos, dos Tracinhos, do Zero à Esquerda (explica-se...), das Crianças de Zero Anos, do Anuênio (inexplicável), da estupidamente maior Capital do mundo, do Príncipe-já-Rei – enfim, do disparate Não era, mas continuou a ser –, tudo se explica.

    Por: Euetu Nósl Ciênciasl 05/07/2009 lAcessos: 287
    Carla Cardoso Gomes

    O presente artigo tem como objetivo apresentar os principais fatores que influenciam nas dificuldades dos discentes nos processos de aprendizagem. Uma pessoa que não conseguiu desenvolver todas as habilidades de leitura e noção matemática encontrará muitas dificuldades e desafios para relacionar-se com a sociedade de um modo geral. Quando a Escola não ajuda com um atendimento personalizado e especifico, a criança deixa de vivenciar situações de construção da identidade.

    Por: Carla Cardoso Gomesl Educação> Educação Infantill 05/08/2014 lAcessos: 63

    Com o advento da globalização, a educação é tida como o maior recurso de que se dispõe para enfrentar essa nova estruturação mundial. Objetiva-se evidenciar a importância dos alunos encontrarem na escola não só evidências de seu próprio mundo, mas também aparato capaz de os "cunharem" para uma participação social plena e não "fatiada", como sugere o estudo por disciplinas. Jovens e adultos, público cada vez mais informatizado, exige que as disciplinas deixem de ser apresentadas de forma isolada.

    Por: KÁTIA CÉLIA FERREIRAl Educaçãol 18/12/2014

    A expressão artística faz parte da história humana desde os tempos mais remotos. Sendo assim, a Arte é um dos modos de conhecimento ao qual os estudantes devem também ter acesso, assumindo-se como sujeitos capazes de apreciação estética e criação artística, articuladas aos processos e mediações da cultura contemporânea. Diante das mudanças pelas quais o ensino-aprendizagem de Arte passou, vê-se a necessidade de discorrer a respeito da presença desta disciplina no currículo escolar, revendo sua i

    Por: KÁTIA CÉLIA FERREIRAl Educaçãol 18/12/2014

    Sabe-se que a educação é responsável pela formação do aluno enquanto cidadão, de maneira a prepará-lo para a vida em sociedade, para que saiba atuar criticamente nesse meio. Assim, a escola inclusiva busca complementar a formação do aluno por meio das relações de convivência, uma vez que conviver com o diferente é parte desse processo de formação, até porque, como já mencionamos, é na escola que o aluno desenvolve seus aspectos cognitivos, motores e psicológicos.

    Por: Rosely dos Santos Ferreiral Educaçãol 17/12/2014

    As revela à existência de ações políticas e sociais que possam concretizar e promover a efetividade da inclusão social da pessoa com necessidade educacional especial. Vejo que a sociedade deve compreender como se dá o processo de ensino-aprendizagem da criança com Síndrome de Down na Educação Básica, as dificuldades enfrentadas e as possibilidades e mecanismos de reconhecimento e aceitação dessas limitaçõ

    Por: Rosely dos Santos Ferreiral Educaçãol 17/12/2014

    No processo de inclusão a escola propõe a conviver com o "diferente", aceitá-lo, auxiliá-lo, e muitas vezes aprender algo com essas crianças. Entretanto para oferecer uma inclusão verdadeira é preciso entender as particularidades das crianças, mediar a socialização de forma que todos trabalham para o aprendizado de cada uma delas, em benefício de todos. Pretendo contribuir com as discussões éticas e educacionais que envolvem a formação da criança Down por meio da educação.

    Por: Rosely dos Santos Ferreiral Educaçãol 17/12/2014

    A educação escolar é um dos contextos em que a criança aprende e desenvolve-se nos aspectos cognitivos, emocional e social. Por isso a necessidade de incluir a criança com necessidades especiais na escola, pois atender a todos é parte do processo educativo, por isso a diversidade cultural e outras questões sociais precisam ser vivenciadas também em sala de aula.

    Por: Rosely dos Santos Ferreiral Educaçãol 17/12/2014

    Apresento algumas características que identificam a criança Down, o conceito de Educação Inclusiva e Educação básica, e da diversidade na educação. Relacionam-se aspectos positivos da inclusão da criança Down na Educação Básica e como deve acontecer essa inclusão, enumerando as dificuldades no processo de inclusão da criança Down na Educação Básica. Conceitua-se a Síndrome de Down e sua identificação, bem como o tratamento e a motivação para inserir a criança com deficiência na Educação Básica.

    Por: Rosely dos Santos Ferreiral Educaçãol 17/12/2014

    O estudo realizado teve como foco principal compreender os avanços no processo de construção do conhecimento dos alunos de uma turma de 3º ano, através dos jogos matemáticos, priorizando, desse modo, a ludicidade no ensino. A pesquisa foi desenvolvida durante o estágio realizado pela acadêmica e pesquisadora junto a uma turma de 3º ano.

    Por: Luziane Da Silva Costal Educaçãol 15/12/2014 lAcessos: 11

    Este trabalho objetivou sondar a importância da utilização da matemática na culinária mais precisamente, na culinária típica cuiabana. Com base em entrevistas e pesquisas de campo decidiu-se averiguar se realmente à matemática é utilizada nas receitas e com isso ressaltar a sua importância na culinária, bem como no dia-a-dia dos cozinheiros, tentando entender se realmente eles vêem a importância da matemática em sua profissão. E como futura educadora na disciplina de matemática observar e ver de que algum modo, sempre devemos trazer para dentro da sala de aula situações problemas envolvendo a nossa vida e o nosso dia-a-dia, pois assim talvez seria mais fácil fazer compreender a matemática e assim mostrar o que ela realmente significa no cotidiano.

    Por: Derlianni Damianl Educaçãol 17/11/2009 lAcessos: 4,585
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast