Motivação em sala de aula: estimular é preciso

Publicado em: 18/09/2012 |Comentário: 0 | Acessos: 185 |

Élia Santos Dantas¹

Marilene Julia dos Santos

Vanessa dos Santos

¹ Pedagogas formadas na Faculdade São Luís de França.

([email protected]); ([email protected]); ([email protected])

INTRODUÇÃO

A motivação consiste em apresentar a alguém estímulos e incentivos, que lhe favoreçam determinado tipo de conduta. No sentido didático, consiste em oferecer ao aluno os estímulos e incentivos apropriados para tornar a aprendizagem mais eficiente.

Os professores devem verificar que para se obter motivação escolar é necessário que ele reflita sobre sua forma de atuar em sala de aula. Para poder analisar se está dando os estímulos e incentivos necessários para que o aluno esteja motivado a aprender.

É necessário aos professores, tentar criar situações que auxilie seus alunos a conseguirem se sentir motivado a aprender. Um desses pontos é conseguir atrair a atenção dos alunos, criando possibilidades para que eles alcancem seus objetivos, permitindo discussões, debates e que sejam dadas condições para que eles avaliem o próprio desempenho em sala de aula. Tais experiências aumentam a auto-estima e conseqüentemente favorecem a aprendizagem.

A motivação não deve ser um aspecto necessário apenas aos alunos. É preciso que os professores também estejam motivados, pois, do contrário, será muito difícil que este consiga atrair a atenção dos alunos, fazendo com que estes sintam entusiasmo e interesse em realizar as tarefas.     

MOTIVAÇÃO EM SALA DE AULA: ESTIMULAR É PRECISO

A motivação é um dos aspectos mais importantes para que o professor consiga atingir seu objetivo maior, fazer com que os alunos consigam aprender e desenvolver ao máximo suas capacidades em todos os âmbitos.

Segundo Haidt (2003), para que haja aprendizagem efetiva e duradoura é preciso que existam propósitos definidos e auto-atividade reflexiva dos alunos. Assim, a autêntica aprendizagem ocorre quando o aluno está interessado e se mostra empenhado em aprender, isto é, quando está motivado. É a motivação interior do aluno que impulsiona e vitaliza o ato de estudar e aprender. Daí a importância da motivação no processo ensino-aprendizagem.  

De acordo com Tapia e Fita (2003) autores citados por Santos (2005, p. 37), "[...] a aprendizagem é uma construção que o aluno realiza sobre a base do estado inicial ao incorporar a nova informação em seus esquemas cognitivos". A aprendizagem é movida, entretanto, pelo estabelecimento de um interesse, de uma meta, de um objetivo. Daí a necessidade de se desenvolver a motivação em sala de aula.

Educação requer ação e como resultado dessa ação, há o aprendizado. Mas para que se realize a ação e esta resulte no aprendizado é necessário, inicialmente, que haja a vontade, nesse caso, a vontade de aprender por parte do aluno.

Para incentivar os alunos a estudar e aprender, o professor utiliza recursos ou procedimentos incentivadores. Esses recursos devem ser usados não apenas no inicio da aula, mas em todo o decorrer dela. Motivos e incentivos são importantes em todas as fases da aprendizagem, e não somente em seu momento inicial. Há muito professor que só se preocupa com a incentivação no inicio da atividade, sem se lembrar de que esta tem de ser reforçada no decorrer de todo o processo, a fim de que a motivação não decresça, a ponto de até se extinguir.  

Para que o processo de aprendizagem seja realizado é necessário haver uma situação estimuladora, que é a soma dos fatores que estimulam os órgãos dos sentidos da pessoa que aprende. Sendo assim, com base em Medel (2008), o professor deve descobrir estratégias, recursos, que podem despertar no aluno o interesse em aprender, em outras palavras, deve fornecer estímulos para que o aluno se sinta motivado a aprender.

Os recursos didáticos, procedimentos de ensino, o conteúdo, são fontes de incentivo, no entanto a personalidade do professor é a maior fonte. Por isso os alunos preferem as matérias lecionadas por professores amigos que utilizam métodos de ensino agradáveis.

Ainda para Rossini (2003) citado por Santos (2005, p. 40), "Os educadores devem, ter características especiais, pois em suas mãos está uma grande parcela de responsabilidade sobre a formação e também a aprendizagem da nova geração". Ou seja, a personalidade do professor é bastante importante para o desenvolvimento do aluno.

A motivação também tem que ocorrer fora do ambiente escolar. O aluno deve estar bem nas outras áreas que compõem sua vida em sociedade. Como a família e o trabalho. Devendo receber um alimentação saudável e ter na medida do possível uma boa qualidade de vida. Pois, se algum desses fatores não estiver indo bem, consequentemente comprometerá o processo de aprendizagem do aluno.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

O que se deve buscar na escola é a criação de um clima de simpática acolhida, respeito humano, afeto, envolvendo docentes, funcionários em geral, alunos, pais, um clima que constitua incentivo à pessoa que está ali. As atividades devem ser atraentes e, através delas, deve ficar claro como o aluno pode satisfazer os motivos em oportunidades várias de sua vida. É preciso estar atento aos conflitos motivacionais do aluno, ajudando-o a estabelecer uma hierarquia de valores e a descobrir maneiras adequadas para atingi-los. É importante ajudar o aluno a diversificar os objetivos dentro de uma linha construtiva, orientar o aluno na construção efetiva do seu conhecimento de um modo geral.

Portanto, precisa  haver uma união entre alunos e professores, mas não só entre eles. A família e a sociedade têm que estar participando dessa relação, estimulando e incentivando para que todos tenham sucesso na aprendizagem, o professor em ensinar e o aluno em aprender. Pois, toda a sociedade tem a ganhar com esse sucesso.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

HAIDT, Regina Célia Cazaux. A interação professor-aluno. In: _____. Didática geral. 7. ed. São Paulo: Ática, 2003. p. 75-80.  

MEDEL, Cássia Ravena Mulin de Assis. Motivação na aprendizagem. Disponível em: < http://sitededicas.uol.com.br/art_motivacao.htm >. Acesso em: 20 de outubro de 2008.

PILETTI, Claudino. A motivação da aprendizagem. In: _____. Didática geral. 23. ed. São Paulo: Ática, 2004. p. 232 - 243.

PILETTI, Nelson. O que é aprendizagem. In: _____. Psicologia educacional. 17. ed. São Paulo: Ática, 2002. p. 32 - 47.

_____. Motivação da aprendizagem. In: _____. Psicologia educacional. 17. ed. São Paulo: Ática, 2002.  p. 63 - 77.

SANTOS, Gilvanete Vieira dos. Relação professor - aluno: refletindo sobre sua relevância na prática pedagógica sob a ótica da motivação. 2005. 50 f. Monografia (apresentada ao final do curso de pedagogia) - Faculdade São Luís, Aracaju.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-artigos/motivacao-em-sala-de-aula-estimular-e-preciso-6195499.html

    Palavras-chave do artigo:

    motivacao

    ,

    estimulos

    ,

    ensino

    Comentar sobre o artigo

    Este trabalho de conclusão de curso apresenta um estudo de uma proposta interdisciplinar, motivadora, onde levaremos educadores e educandos a refletir e contextualizar as propostas, em que a teoria seja estudada em sala de aula e a prática conhecida através do que denominamos Passeio Cultural. Acreditamos que para se ter uma educação de qualidade é necessário entender que os alunos aprendem quando relacionem fatos, confrontam pontos de vista e refletem criticamente o que aprenderam.

    Por: Edméa Cristina Reis Ferreiral Educaçãol 16/10/2009 lAcessos: 8,456
    Clecia Pacheco

    O presente trabalho busca fazer uma demonstração dos aspectos teóricos da avaliação no processo de ensino e aprendizagem, destacando sua evolução ao longo dos tempos, o fator nota na avaliação, os princípios básicos e finalidades da avaliação, bem como as suas funções no processo de ensino e aprendizagem.

    Por: Clecia Pachecol Educação> Ensino Superiorl 12/10/2010 lAcessos: 6,719

    RESUMO A educação brasileira encontra-se num momento de crise, pois, a função da escola vem mudando gradativamente, com essa mudança os professores estão sendo sobrecarregados durante o desenvolvimento de seu trabalho, já que além de ter que repassar seu conhecimento acadêmico, tem tido que repassar valores que até pouco tempo eram recebidos em casa, de seus responsáveis.

    Por: Eraldo Pereira Madeirol Educação> Educação Onlinel 27/09/2010 lAcessos: 18,372 lComentário: 2
    Darci Kops

    O artigo examina a questão a respeito da necessidade da sincronia pedagógica nos processos de gestão de ensino e de aprendizagem. Trata-se de destacar a importância da atenção nos processos de ensino e de aprendizagem. A economia da atenção, na perspectiva pedagógica, tem sua dinâmica na razão direta da prioridade e pertinência dos conteúdos percebidos pelos protagonistas do processo de ensino e de aprendizagem.

    Por: Darci Kopsl Educação> Ensino Superiorl 07/01/2015 lAcessos: 26
    SANDRA VAZ DE LIMA

    O artigo a seguir trata sobre a importância da motivação no processo de aprendizagem, uma vez que este processo é desencadeado a partir da motivação, que se dá no interior do sujeito, estando intimamente ligado às relações de troca que o mesmo estabelece com o meio, principalmente, seus professores e colegas. Nas situações escolares, o interesse é indispensável para que o aluno tenha motivos de ação no sentido de apropriar-se do conhecimento.

    Por: SANDRA VAZ DE LIMAl Educaçãol 25/02/2008 lAcessos: 640,610 lComentário: 43

    A motivação em sala de aula faz-se necessária, pois é imprescindível ao professor estar à procura de situações que motivem seus alunos, esforçando-se para que não desanimem. Este artigo apresenta os tipos de motivação, fazendo uma diferenciação entre eles. Em seguida, dá-se um enfoque à motivação em sala de aula, falando das dificuldades dos docentes no desenvolvimento de seu trabalho e indicando algumas formas de atuação que poderão ser adotadas pelos professores.

    Por: Fernandal Educação> Línguasl 07/10/2014 lAcessos: 24
    Hamilton Felix Nobrega

    A teoria de hierarquia das necessidades de Maslow é uma das mais importantes no campo motivacional. Ela busca explicar o que motiva os indivíduos a partir da análise de cada necessidade existente. No campo da educação, pode-se observar que há inúmeras aplicabilidades e material de trabalho dessa teoria para melhorar o processo de ensino-aprendizagem. O objetivo deste artigo é descrever a teoria das necessidades, buscando destacar a contribuição que ela pode fornecer a educação.

    Por: Hamilton Felix Nobregal Educação> Ciêncial 03/11/2010 lAcessos: 5,814 lComentário: 1

    Este relato descreve as experiências vividas no estágio supervisionado que representa para nós uma etapa importante no desenvolvimento das competências do ensino, onde utilizamos o jogo didático para facilitar o aprendizado musical nas aulas de canto coral e tornar as aulas mais atrativas e dinâmicas para os alunos.

    Por: BARTOLOMEU RODRIGUES LIMAl Arte& Entretenimento> Músical 25/11/2014 lAcessos: 19
    Rosilene Coimbra Costa Pinto

    É notória a crise pela qual a educação vem passando nos dias atuais: professores descontentes, alunos desmotivados, pais preocupados. No entanto, acredita-se que para uma possível melhora deste quadro se faz necessário, além da formação contínua dos professores, a introdução da ludicidade como subsídio no processo de construção do conhecimento cognitivo, físico, social e psicomotor, desenvolvendo nos educandos o prazer ao construir o próprio aprendizado de forma mais atraente e estimuladora.

    Por: Rosilene Coimbra Costa Pintol Educação> Educação Infantill 02/03/2012 lAcessos: 4,846
    Elaine Peres da Silva

    É indispensável ao desenvolvimento do ser humano o trabalho de sensibilização diante da sociedade, começando pela própria escola, o local de aprendizagem e formação do indivíduo. É preciso que o estudante, enquanto cidadão perceba a importância de sua participação nas questões que envolvem o meio ambiente, desde então, as pequenas ou grandes atitudes podem amenizar, mesmo que parcialmente, a contaminação da natureza.

    Por: Elaine Peres da Silval Educaçãol 27/03/2015
    Fernando Corrêa manarim

    afirmamos que existem outras formas de jogar xadrez além da competição, ou seja, que o xadrez é uma ferramenta que pode trabalhar o praticante pedagógica e terapeuticamente, ensinando a se conhecer, conhecer os outros e conhecer o mundo a qual pertence. Isso pode ser comprovado na Lenda de criação do xadrez, conhecida como a Lenda de Lahur Sessa, lenda que pode ser encontrada na obra de Malba Tahan, "O Homem que calculava".

    Por: Fernando Corrêa manariml Educaçãol 16/03/2015

    1. Por que o regime de ciclos e a progressão continuada são tão criticados? 2. Qual a real eficácia da progressão continuada e quais são os problemas gerados por esta prática? 3. Quais suas implicações políticas? 4. Quais os aspectos negativos deste sistema? 5. Qual o papel do professor, do coordenador e supervisor escolar? 6. Qual a importância da avaliação neste processo?

    Por: EULER DE CASTRO SANTOSl Educaçãol 15/03/2015 lAcessos: 12

    RESUMO A violência é sem duvida, além de uma das grandes preocupações da sociedade, o grande problema a ser enfrentado, principalmente na dura realidade das escolas públicas do Brasil. Atinge a todos na escola, contudo a grande vitima deste problema é o professor, cada vez mais desmotivado e que se encontra quase sempre acuado e de mãos atadas diante do problema. Ocorre de maneira velada e de diversos modos, sendo, obviamente causada pela falta de limites e de ações efetivas para enfrentar o pro

    Por: EULER DE CASTRO SANTOSl Educaçãol 15/03/2015 lAcessos: 11

    Nesta Sociedade de Informação a comunicação assume um papel no desenvolvimento humano como ferramenta de leitura social numa intervenção libertadora na perspectiva social sobre a tecnologia num processo de diminuição das disparidades sociais na criação de políticas publica para a formação de uma cidadania. Atuando numa dimensão social e política através de programas sociais de inclusão digital para reduzir os problemas sociais relativos à marginalização e pobreza

    Por: Daniela Rosseti silval Educaçãol 12/03/2015
    Alinne do Rosário Brito

    O presente artigo tem como finalidade analisar as fases de ensino nas aulas de educação física escolar tendo como base os PCN`S, para facilitar este processo nas instituições de ensino. Portanto é um convite para refletir sobre à pratica pedagógica , ou seja, o processo de alfabetização especificamente no ensino fundamental através deste componente curricular.

    Por: Alinne do Rosário Britol Educaçãol 11/03/2015

    O fundamentalismo islâmico é a maior ameaça a democracia e os direitos humanos desde o fim da Guerra Fria.Esse artigo tem por objetivo expor de forma breve,as suas origens durante o processo de partilha afro-asiática promovida pelos países europeu até a sua expansão na era da globalização sob a hegemonia dos EUA.

    Por: Mauricio Mendes de Oliveiral Educaçãol 09/03/2015
    Marlete Turmina Outeiro

    O artigo conta a história de uma família especifica, que venceram as adversidades e os preconceitos sociais, demonstraram a importância de unir-se em favor de um ideal coletivo, cujo objetivo apresenta memória histórica marco de 1985 a 2011, no Município de Abelardo Luz/SC. Os resultados discorrem a partir de um recorte da obra "A Inclusão Social pela Reforma Agrária: a saga de uma família sem-terra, escrito com base nos fatos que constam no diário da Sra. Rosa Turmina.

    Por: Marlete Turmina Outeirol Educaçãol 07/03/2015 lAcessos: 12
    Vanessa dos Santos

    Este trabalho tem como propósito analisar o Sistema de Cotas como um instrumento eficiente de inclusão social. Traçando um breve histórico sobre as cotas raciais e a opinião de diferentes autores sobre o assunto.

    Por: Vanessa dos Santosl Educaçãol 08/11/2011 lAcessos: 1,515
    Vanessa dos Santos

    O presente artigo traça uma breve reflexão acerca da questão da afetividade e a construção de valores em sala de aula, observando a importância desse tema para o bom desempenho do educando na vida escolar, já que interfere diretamente no desenvolvimento do aluno.O educador precisa ter muito cuidado com a forma de se relacionar com seus alunos, já que o mesmo também é responsável por auxiliar o desenvolvimento desses seres humanos.

    Por: Vanessa dos Santosl Educaçãol 07/11/2011 lAcessos: 437
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast