O Ensino De Leitura E Escrita Na Modalidade "eja" Na Escola Estadual De Ensino Fundamental E Médio Dr. José Duarte Filho

Publicado em: 10/03/2010 |Comentário: 2 | Acessos: 8,826 |

INTRODUÇÃO

A nomenclatura "EJA" é recente no país, e tem sido uma questão bastante discutida pelos que se preocupam com a Educação. Desde a exploração Colonial no Brasil, quando se fala em educação não infantil, volta-se logo à população adulta, que tinha carência da doutrinação percorrida a caminhos nas "cousas da santa fé", demonstrando um cunho religioso e gerando um afastamento do educacional.

Há que se ressaltar a fragilidade da educação ou do sistema de educação (se assim podemos denominar), pois naquela época, a educação não estava cabível ao crescente aumento da produtividade, pois esta acontecerá de acordo com o número de escravos, e o que foi propriamente dito, gerou descompromisso com educação.

Inúmeras reformas educacionais em nosso cotidiano educacional foram realizadas, chamando a atenção especial por órgãos fiscais competentes, para erradicar o analfabetismo no Brasil. Primordialmente ressalta-se nesse trabalho de pesquisa a alfabetização como está acontecendo a aprendizagem da leitura e escrita.

Nesse sentido, buscaremos recursos pedagógicos inovadores, por meio de situações elencadas, no cotidiano, que sirvam como pressupostos para a aprendizagem da leitura e escrita, como também o seu aprimoramento.

A aprendizagem da leitura e da escrita não se realiza da mesma maneira para todas as pessoas. E na maioria das vezes as dificuldades dos alunos podem ser ocasionadas pelo processo de ensino que normalmente utiliza um método único de educação.

As críticas ao método de alfabetização da população adulta, faz-se necessário repensar, a re-signfícação da contribuição da escola Freireana uma nova visão sobre o problema de analfabetismo em nosso município, referindo-se a este paradigma pedagógico que mediou-se e acreditou-se num novo entendimento da relação entre a problemática do sistema educacional e a problemática social.

_______________________________________________________________

1. Especialista em nível profissional integrada á educação básica na modalidade de jovens e adultos CAVN/ IFET- SOUSA – PB/UFPB.

FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

A Educação de Jovens e Adultos (EJA) é o segmento de ensino da rede escolar pública brasileira que recebe os jovens e adultos que não completaram os anos da Educação Básica em idade apropriada e querem voltar a estudar. No início dos anos 90, o segmento da EJA passou a incluir também as classes de alfabetização inicial. O segmento é regulamentado pelo artigo 37 da lei n° 9394 de 20 de Dezembro de 1996 (LDB). É um dos segmentos da Educação Básica que recebem repasse de verbas do Fundeb.

Para as orientações neste artigo, estamos nos ancorando nas abordagens teóricas sobre leitura e escrita de Paulo Freire, as contribuições de Piaget, de Lúria, de Vigostsky, de Emilia Ferreiro, Madalena F. Wellfort, e de escritores que permitiram uma didática voltada no sentido de contribuir para a busca necessária à superação de desafios da educação de jovens e adultos. Pessoas analfabetas, e aos jovens que tiveram passagens fracassadas pelas escolas, o acesso à cultura letrada que lhes possibilite participar mais ativamente do mundo, do trabalho, da política e da cultura. O livro "A importância do ato de ler" de Paulo Freire inicia falando dos momentos em que o ato de ler aconteceu na vida do autor e como ela se deu. Enfoca também a alfabetização de adultos desenvolvida na República de São Tomé e Príncipe, esclarece que "a leitura de mundo é precedida pela leitura da palavra, onde a importância da leitura na alfabetização é crucial na construção histórica do indivíduo".

Segundo ele, toda essa atividade vivida em nossa primeira vivência com o mundo deveria ser o universo de todas as pessoas, de todos os grupos expressando a realidade de cada um através de sua linguagem, onde tudo teria significação por meio da escrita e re-escrita.            "É impossível ocultar a natureza política do processo educativo, sendo impossível separar a educação política do poder". Assim, nós educadores não podemos esquecer-nos de nossa atividade política e sermos coerentes com ela, conscientizando e atuando, de forma não autoritária, evitando o sentido da palavra mágica escrita, escondendo a realidade; nessa proposta podemos alfabetizar com conhecimentos políticos, reforçando o mundo da leitura e da palavra, (FREIRE, 1992, p.22): "A compreensão crítica da alfabetização, que envolve a compreensão igualmente crítica da leitura, demanda da compreensão crítica da biblioteca".

Freire nos recorda que a leitura do mundo precede a palavra, isso nos mostra por meio de sua experiência de quando nos primeiros anos aprendeu a ler em sua própria residência, rodeada de árvores e animais. Aquele mundo era o mundo de suas primeiras leituras, (FREIRE, 1997, p. 03).

O paradigma que recebeu o nome do educador, - respeitado mundialmente - foi lançado nacionalmente no governo de João Goulart, mas a ditadura militar censurou a continuidade dessa proposta. Sua utopia, no entanto permanece acesa levando-nos reflexão sobre construção sistemática do pensamento pedagógico libertário, recusando, ao mesmo tempo, os discursos vazios e prática descontextualizada.

A educação, para Paulo Freire "tem caráter permanente. Não há seres educados. Estamos todos nos educando. Existem graus de educação, mas estes não são absolutos" (FREIRE, 1992, p.28), afirmava.

Em sua obra "A pedagogia da autonomia", a condição indispensável à natureza da educação. Freire com seu discurso transgressor e revolucionário nos faz refletir sobre saberes necessários à prática de qualquer educador, sempre fundamentados, segundo sua filosofia, numa visão de mundo alicerçada no diálogo, na pesquisa na concepção crítica de mundo, na humildade, no risco e na curiosidade, na disponibilidade e, acima de tudo no ato vivo e pulsante de ensinar e aprender.

Desde os anos 1980, também não é possível tratar de alfabetização sem falar de Emilia Ferreiro. A psicolingüística argentina, radicada mexicana, discípula de Jean Piaget, revolucionou o conhecimento que tinha sobre a aquisição de leitura e da escrita, quando lançou com Ana Teberosky o livro "Psicogênese da língua escrita". Critica a cartilha, defendendo que os alunos ainda que analfabetos devem ter contato com diversos tipos de textos. Com quase três décadas passadas o tema continua no centro de interesses da pesquisadora, que se indigna com quem defende o paradigma fônico de alfabetização, baseando em exercícios para treinar a correspondência entre grafemas e fonemas (FERREIRO, 2001, p.64).

Estamos tão acostumados a considerar a aprendizagem da leitura e escrita como um processo de aprendizagem escolar que se toma difícil reconhecemos que o desenvolvimento da leitura e da escrita começa muito antes da escolarização. Os educadores são os que têm maior dificuldade em aceitar, mas aceitar isto. Não se trata simplesmente de aceitar, mas também de não ter medo de que seja assim.

Cabe ainda evidenciar nesse referencial alguns pontos importantes sobre o tratamento dado pela Lei de Diretrizes e Bases - LDB (Lei 9394/96), para educação de Jovens e Adultos. Em seu Art. 3° determina a LOB, dentre os princípios que devem servir ao ensino... "igualdade de condições para o acesso e permanência na escola; ... pluralismo de ideias e concepções pedagógicas ... garantia de padrão de qualidade; ... valorização da experiência extra-escolar; vinculação entre a educação escolar, trabalho e as práticas sociais" (CARNEIRO, 1998, p. 35).

Estes princípios estimulam a criação de propostas alternativas visando à promoção de igualdade para acesso e permanência do aluno, a adoção de paradigmas pedagógicos que valorizem a experiência extra-escolar e a vinculação entre trabalho e práticas sociais.

Após muita luta no plano político-social, prático-teórico, durante 1960, 1970 e 1980, a situação do país não se transformou substancialmente. O golpe militar de 1964 causou uma ruptura nesse trabalho de alfabetização que vinha sendo realizado, exatamente pela sua ação conscientizadora. Freire fala de Esperança nesse como quem diz, é necessário como antes, a luta por ideais que ainda estão em pauta (FREIRE, 1992, p. 39).

O movimento Independente Revolucionário, MIR, que continuamente esteve à esquerdado partido comunista, e depois do próprio governo da unidade popular, revelou sempre uma simpatia pela educação popular que os partidos da esquerda tradicional lhes faltava de modo geral. (...) Foi assim que já ao tempo do governo da unidade popular o MIR desenvolveu um intenso trabalho de mobilização e organização, já em si, pedagógico-político a que se juntou uma série de projetos educativos.

Podemos elencar que vivemos um momento de grande despolitização, mesmo assim em sua última obra, Freire continua afirmando os seres humanos como seres transformadores capazes de adaptaram-se a concretude para melhor operar. Em sua análise as transformações do tempo (revolução tecnológica, aceleração da vida), trazem a necessidade de interagir com o "novo". Nesse propósito faz-se necessário ter um posicionamento crítico de natureza política e ideológica frente às mudanças, e o posicionamento do autor é em favor da construção e aperfeiçoamento da verdadeira democracia.

METODOLOGIA

CARACTERIZAÇÃO DA ESCOLA

O  estudo do artigo foi em uma Escola da Rede Pública no município de Uiraúna - PB. Na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Doutor       "José Duarte Filho", na EJA.

O primeiro contato com a população deste trabalho aconteceu mediante a distribuição de turmas na escola, quando leciono as disciplinas de geografia e português no segundo segmento do ensino fundamental da EJA e médio; abrangida pela 9a Região de ensino, situada na cidade de Cajazeiras - PB. Na referida reunião, ocorrida em fevereiro de 2009, apresentamos nossa intenção de trabalhar com alunos da EJA, fomos recepcionados com bastante entusiasmo pelo corpo docente e equipe pedagógica responsável pela área; o público da EJA.

SUJEITO DA PESQUISA

O nosso artigo foi abordado, constituído, elaborado e estruturado buscando a aprendizagem e variáveis tais como: informações, coleta de dados, imagens, opiniões, crenças, valores experiências e motivações dos alunos da EJA. O artigo propõe discutir a relação professor-aluno e a questão do método e das metodologias na pesquisa sobre leitura e escrita na EJA, buscando contribuir para a prática cotidiana dos professores e alunos que encontram-se em sala de aula.

INSTRUMENTOS, MÉTODOS E TÉCNICAS

Na execução do referido artigo, trabalhou-se na metodologia, segundo a qual os alunos, precisaram entrar em contato com diversos textos e atividades propostas, conceito de leitura e escrita, textos instrucionais (receitas, manuais, bula de remédio, formulários questionários, carta textos de informação cientifica e histórica, textos publicitários, regulamentos e normas). Alguns procedimentos foram utilizados para a aplicação da metodologia como:

  • Levantamento bibliográfico para fundamentação teórico-metodológico;
  • Aplicação de questionários com alunos da EJA do segundo segmento para coleta de dados, sobre as aulas, como são ministradas, dificuldades dos alunos na prática da leitura e escrita;
  • Explanação oral.

Uma das contribuições para nosso artigo foi o reconhecimento e a valorização da linguagem oral. Ela deve ser encarada com o ponto de ligação para a aquisição da linguagem escrita. Resgatar a riqueza da oralidade é grande possibilidade de se conferir à escrita mais criatividade e maior confiança. É assim que se inaugura um tipo de produção realmente a serviço de uma educação plural. Também e crucial que o aluno da EJA, seja incentivado a ler e escrever, mesmo que ainda não produza um tipo de escrita e oralidade compreensível por todos. É por meio dessas práticas que ele pode testar suas hipóteses e compreender como funciona o processo de leitura e escrita.

ANÁLISES DE DADOS

Nas entrevistas de  quatorze entrevistados, doze se consideram capazes de ler e escrever perfazendo 86%,  enquanto dois, afirmam não saber correto  ler e escrever somando 14%; Os sujeitos envolvidos nessa pesquisa, corresponde a uma faixa etária entre 30 e 50 anos. 29% dos entrevistados são do sexo masculino e 71% do feminino. A maioria exercem funções remureradas e diversificadas, 15% moto-taxista, 31% lavadeiras de roupas, 39% auxiliar de serviços gerais e 15% agricultores.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

No tocante a  fala dos alunos foi constatado que a alfabetização de adultos resultou em mudanças sob vários aspectos, principalmente em torno da qualidade de vida: melhoria da auto-estima, criação de vínculos, prazer em ler a Bíblia e melhor participar das atividades religiosas, facilidade em  ajudar os filhos nos trabalhos escolares na capacitação para o trabalho. No âmbito das mudanças verificadas na qualidade de vida , o elemento mais preponderante foi o da dimensão afetiva e da busca da cidadania não exercida.

Um dos aprendizados que esse artigo nos proporcionou foi a de que esses adultos em processo de alfabetização querem falar muitas coisas e sabem realmente daquilo de que mais necessitam para que aprendam não apenas ler e escrever.

Há necessidade de o Programa da EJA aproveitar a riqueza construída nas escolas de alfabetização e propiciar aos alfabetizados a construção de novas formas de desenvolvimento nos âmbitos afetivo e profissional dessa gente que deseja ser cidadã. Portanto, concluiu-se que só existe um caminho que conduz a eficácia do uso de práticas sociais de leitura e escrita: a criação e implantação de políticas públicas e programas que possibilitem o aprimoramento das práticas pedagógicas dos profissionais que trabalham na modalidade de Educação de Jovens e Adultos.

REFERÊNCIAS

CARNEIRO, Moaci Alves. LDB fácil: crítico-comprrensiva. Artigo a artigo. Petrópolis-RJ: Vozes, 1998.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia. Saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

____________. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia da autonomia. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

PINTO, Álvaro Vieira. Sete lições  de Educação de Adultos

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 3 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-artigos/o-ensino-de-leitura-e-escrita-na-modalidade-eja-na-escola-estadual-de-ensino-fundamental-e-medio-dr-jose-duarte-filho-1966643.html

    Palavras-chave do artigo:

    leitura e escrita

    ,

    formacao docente especifica

    ,

    relacao professor aluno

    Comentar sobre o artigo

    Vilma, Magna , Samara

    Resumo O cenário educacional brasileiro sempre foi um caso a se refletir em especial se o que esta na teoria tão presente em nossas universidades também se encontra na prática. O objetivo do presente trabalho é refletir sobre o processo de alfabetização enfocando os aspectos da oralidade, da leitura e da escrita, baseando-se em uma observação realizada em uma escola da rede pública da cidade de Fortaleza. Buscamos apresentar concepções teóricas articulando-as com o trabalho realizado pela educadora de uma turma do 1º ano, refletindo sobre a importância e o papel que a família e a sociedade desempenham no processo de construção e desenvolvimento de uma aprendizagem significativa para a vida e para a sociedade.

    Por: Vilma, Magna , Samaral Educação> Línguasl 04/10/2009 lAcessos: 12,083 lComentário: 3
    Thiago R. Silva

    O presente artigo tem como intuito demonstrar os fatores que influenciam na dificuldade dos discentes no processo de leitura e escrita no período da alfabetização. Vale salientar que a prática pedagógica é fator preponderante na aquisição dessas habilidades e as dificuldades advindas desse processo, pois os mecanismos adotados pelos docentes durante a intervenção psicopedagógica propiciará a esses um avanço qualitativo no desenvolvimento cognitivo, social, cultura e até mesmo em seu relacionamen

    Por: Thiago R. Silval Educação> Educação Infantill 14/07/2011 lAcessos: 6,503
    vanessa de fatima silva moura

    O trabalho a seguir, apresenta aspectos referentes ao desenvolvimento profissional de professores das séries iniciais do ensino fundamental de Teresina que cursaram Licenciatura Plena em Pedagogia, através do convênio entre Prefeitura Municipal e a Universidade Federal do Piauí. A referida pesquisa tem por objetivo geral identificar como os professores da Rede Municipal de Ensino investem em seus processos de desenvolvimento profissional.

    Por: vanessa de fatima silva moural Educaçãol 18/07/2011 lAcessos: 706

    O presente trabalho tem por objetivo apresentar a aquisição da leitura e da escrita, onde a mesma se inicia muito antes do que geralmente se imagina, quando a criança, antes mesmo de entrar na escola, começa a tomar contato com materiais escritos. O processo de aprendizagem da leitura e da escrita tem o propósito de observar a evolução do aprendizado, sendo assim, necessário diagnosticar os fatores que podem estar interferindo para poder fazer com que a criança evolua e acompanhe o que é pedido.

    Por: ARIUSKA SOARES BRASILEIROl Educaçãol 20/04/2011 lAcessos: 2,650
    Marcos Suel dos Santos

    Este artigo tem como pretensão levar docentes a refletirem sobre a importância das mídias na área da Educação, sobretudo em sala de aula. Diante dessa necessidade, é pertinente destacar, o uso de alguns aparatos tecnológicos, bem como rever pontos referentes aos sites de relacionamento, os quais têm como a grande maioria dos usuários, os alunos. Por outro lado, discuti-se a importância do papel do professor diante dessa avalanche de informações que permeiam as discussões dos alunos, ou seja, é p

    Por: Marcos Suel dos Santosl Educação> Línguasl 10/01/2012 lAcessos: 334

    A educação de jovens e adultos no atual cenário social visa o desenvolvimento do homem em sua plenitude, ou seja, tornar o aluno um sujeito capaz de interagir, atuar em prol de transformação, desenvolvendo seu aspecto cognitivo, intelectual, social, afetivo, emocional, político e, sobretudo educacional. Nesse sentido a modalidade Educação de Jovens e Adultos precisa completar a existência e aplicabilidade de políticas públicas que manifestem preocupações com a formação.

    Por: Jandira Antonia da Conceiçãol Educação> Ensino Superiorl 26/07/2011 lAcessos: 1,945

    A pesquisa apresenta uma análise das dificuldades de aprendizagem na leitura no ensino fundamental. esta pesquisa serve para nos orientar para projeto de monografia do curso de pedagogia.

    Por: maria aparecidal Educação> Educação Infantill 12/12/2011 lAcessos: 4,657
    Antonio Reinaldo Santos Alves

    Este ensaio discute as relações entre a alfabetização e letramento em visa da aprendizagem de alunos jovens e adultos, tratando deste tema como um dos eixos para a formação de professores alfabetizadores. Queremos, portanto discutir a partir da prática dos professores alfabetizadores as possibilidades de se trabalhar estes conceitos ao mesmo tempo tão distintos, mas que se converge para o bom aproveitamento escolar, e perceber com são efetivadas as práticas e os eventos de letramento em EJA.

    Por: Antonio Reinaldo Santos Alvesl Educação> Ensino Superiorl 05/11/2011 lAcessos: 358

    O presente artigo tem como objetivo conferir uma alternativa metodológica, leitura de textos que contextualizam o assunto corpo humano proporcionando uma aprendizagem significativa. O trabalho foi desenvolvido em uma turma de sétima série de uma escola estadual do município de Rio Grande. Os resultados demonstram que os educandos eram acostumados a leitura tradicional do livro didático e se surpreenderam com os novos textos que foram entregues a eles, provocando um grande interesse dos mesmos.

    Por: Camila Fonsecal Educação> Ciêncial 14/02/2011 lAcessos: 3,002

    O presente artigo é um estudo bibliográfico que tem como objetivo principal abordar conceitos educacionais e metodologias desenvolvidas em sala de aula usando o lúdico como alternativa de metodologia. O trabalho justifica-se pela necessidade de se entender e adequar a aprendizagem às atuais demandas da educação é necessário conhecer alguns caminhos já percorridos pelo ensino e que se levam a uma redefinição dos objetivos, conteúdo e metodológicos.

    Por: Graciele de Miranda Oliveiral Educaçãol 21/10/2014
    Alinne do Rosário Brito

    O artigo busca pesquisar e relatar o que é o Programa Mesa Brasil SESC e dialogar com as ações do Governo do Estado do Amapá para que a segurança alimentar seja implementada atendendo as leis nacionais e as respectivas atuações das politicas públicas que o regem quanto a tentativa de diminuição da miséria na cidade de Macapá.

    Por: Alinne do Rosário Britol Educaçãol 21/10/2014 lAcessos: 14
    Tania R. Steinke

    Promover a valorização da formação continuada dos docentes e coordenadores pedagógicos que atuam no Ensino Médio das escolas públicas.

    Por: Tania R. Steinkel Educaçãol 19/10/2014

    Este artigo analisa de forma breve a teoria das Representações sociais, realizada por alguns estudiosos que contribuíram para a o avanço das representações sociais, bem como, os teóricos que tinham como base as investigações de como as pessoas transformam os conhecimentos científicos em conhecimento de senso comum na década de 60, e também a forma como adota a perspectiva comunicativa "genética" na apreensão do conhecimento veiculado a dinâmica do cotidiano.

    Por: Elizabeth Almeida dos Santosl Educaçãol 14/10/2014
    Erineia nascimento da Silva

    Resumo O aumentou consideravelmente do número de alunos especiais matriculados no ensino regular foi de aproximadamente 70% em 2014, em relação aos anos anteriores. Essa chegada dos alunos nas instituições públicas de ensinos promoveu serias mudanças de paradigmas em todos os profissionais da educação, mas seguiu junto um profissional fundamental na implementação desse novo olhar sobre a educação especial e principalmente sobre a inclusão.

    Por: Erineia nascimento da Silval Educaçãol 10/10/2014

    O SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) ajuda a milhões de brasileiros todos os anos através de seus Cursos Gratuitos oferecendo modalidades presenciais ou EAD (Ensino a Distância) para realização dos mesmos. Conheça alguns cursos grátis para 2015

    Por: sitesjoaoepaulol Educaçãol 09/10/2014

    A avaliação na Escola Ciclada já vem redefinida, ou seja, já está incorporada com novas idéias e nas aspirações, sua perspectiva está muito além de atribuir uma nota por simples burocracia institucional ou por simplesmente conferir o que foi "aprendido" ou não.

    Por: Delimar da S. F. Magalhãesl Educaçãol 02/10/2014

    A MATEMÁTICA E A MÚSICA POSSUEM LAÇOS MUITO FORTES DESDE A ANTIGUIDADE E O INTERESSANTE É QUE TEM MUITOS ALUNOS QUE GOSTAM DE MÚSICA E DIZEM QUE NÃO GOSTAM DE MATEMÁTICA. ENTÃO, SENDO ASSIM, É BEM INTERESSANTE MOSTRÁ-LOS A ELES ESTA FORTE RELAÇÃO.

    Por: Josimara L. Furtado dos Santosl Educaçãol 02/10/2014 lAcessos: 12

    Este Artigo surgiu da necessidade de conhecer como a ética e a cidadania influencia a escola a resgatar valores digno, uma educação que traz bem estar, satisfação, produtividade, prazer, criatividade, saúde mental e corporal. Neste trabalho tentei fazer um pequeno resgate bibliográfico sobre o tema mencionado a fim de chegar ao nosso objetivo final, foram utilizados livros revistas cientificas, para tal processo, conseguindo reunir um número de informações relevantes ao tema. Chegando a conclusã

    Por: FRANCISCO GOMES DE ALMEIDAl Educação> Educação Onlinel 09/03/2010 lAcessos: 7,111 lComentário: 1

    Comments on this article

    1
    alessandra silva medrado 01/07/2011
    estou com dificuldade ~para formular os objetivos para o meu artigo/tcc com o tema dificuldades em relação ao coigo ortograficos por favor ajude -me
    0
    Lídia 14/03/2011
    Gostaria de obter alguns títulos de temas em que eu possa usá-los em artigos e/ou TCC relacionados ao EJA. N área de "Educação Física"
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast