O Mundo Do Trabalho E Sua Relação Com A Educação - Um Pensamento Sociológico

Publicado em: 14/06/2009 |Comentário: 1 | Acessos: 7,792 |

O MUNDO DO TRABALHO E SUA RELAÇÃO COM A EDUCAÇÃO - Um Pensamento Sociológico

 

Vivemos um processo de crescente número de pessoas excluídas do mercado de trabalho e, os desafios da reintegração socioeconômica são igualmente crescentes. Os efeitos da globalização têm influenciado toda sociedade em larga escala e tem preocupado muito dos representantes e órgãos responsáveis pelo crescimento da comunidade a fim de proporcioná-los acesso à educação de qualidade e cursos de capacitação para o mercado de trabalho.

 

Estamos vivendo a era do capitalismo, um tempo de constantes mudanças no modo de pensar do ser humano e nas suas relações, no seu comportamento. O capitalismo vem acompanhado, ou melhor, alimentado pelo crescente avanço tecnológico que por sua vez é alimentado pela globalização, e, por seus meios inescrupulosos tem influenciado grandemente as pessoas levando a elas aquilo que tem de melhor, mas ao mesmo tempo lhes negando o direito de compartilhar de tantas descobertas e coisas maravilhosas.

 

O capitalismo selvagem e cruel tem cada vez mais influenciado no comportamento do ser humano, sem que ele perceba, tem transformado sua atitude em relação ao outro. O homem está cada vez mais egoísta e individualista, voltado mais para si mesmo e para a busca do dinheiro, no caso de alguns da fama e do poder.

 

Para Karl Marx citado por Alberto Tosi (2000), esta sociedade capitalista funciona como objeto, cheia de contradições em sua forma de expressão da realidade social, nela o trabalho se torna o mediador das relações com a natureza e o homem, o trabalho transforma o serviço do homem, estabelece as relações de estrutura social e demonstra claramente sua desigualdade onde uns possuem muito e outros possuem pouco ou nada, são desprovidos do direito, inclusive, de uma educação que possa emancipá-los.

 

A era capitalista ainda consegue ser mais cruel, ela não apenas cria as classes sociais como a torna natural aos olhos da sociedade, o homem é levado a pensar e aceitar como normal a sua condição de dominado, subjugado por um ser “superior”, é condenado a viver alienado sempre sob a coerção da burguesia. Este sujeito que nasceu nesta sociedade capitalista, sofre com a coerção do sistema dominante e devido aos maus tratos e a uma educação alienadora passa a pensar como pensa seu próprio dominador.

 

As novas tecnologias estabelecem práticas cada vez mais ligadas a educação, o homem/trabalhador de hoje se vê em meio às exigências impostas pelas empresas e organizações. O trabalho antes puramente técnico que exigia apenas a força de trabalho do homem na sociedade industrial, agora passa a ser substituído pela informação e pelo conhecimento, dando origem ao assim chamado Capital Intelectual.

 

Fazendo uma análise do ponto de vista sociológico em meu próprio trabalho, observo claramente as exigências muitas vezes cruéis feitas pelas empresas e organizações levando-se em conta que temos um longo processo de alienação e despreparo do ser humano.

 

Sou formado em Pedagogia com Habilitação em Docência das Matérias Pedagógicas, Supervisão na Escola e na Empresa, pela Faculdade Metropolitana de Camaçari – FAMEC, uma instituição particular, com pouco mais de dez anos no mercado e que vem formando profissionais nas diversas áreas de humanas e exatas. Devido à característica do curso de Pedagogia que me possibilita atuar em uma empresa, hoje, trabalho em um Banco de Empregos, atendendo tanto às Empresas e Organizações como aos próprios Trabalhadores.

 

Para o melhor entendimento por parte do leitor, deste mundo de relações entre o trabalhador, a empresa/organização e o Banco de Empregos que faz essa mediação entre os dois, e fazer uma análise mais apropriada do ponto de vista sociológico segue abaixo a história do Posto de Atendimento ao Trabalhador – PAT (Banco de Empregos de Camaçari, local onde trabalho), bem como das minhas atribuições enquanto Pedagogo na Empresa:

 

 

História do meu Trabalho:

 

O Posto de Atendimento ao Trabalhador – PAT, que é um Banco de Intermediação de Mão de Obra instalado na região Metropolitana em Camaçari através de uma parceria da Prefeitura Municipal de Camaçari e o Governo do Estado da Bahia que durante um período de quase dois anos (de 2005 a 2006), em funcionamento tem feito um excelente trabalho na captação de vagas entre as Empresas da Região e o processo de seleção de trabalhadores para a mesma. Durante esse período já foram empregados uma média oito mil trabalhadores.

 

Para seu perfeito funcionamento, o PAT se utiliza do programa SIGAE cedido pelo Sistema Nacional de Emprego – SINE, além de um excelente quadro de pessoal treinado e capacitado para o atendimento tanto do Empregador quanto dos trabalhadores. O programa do SINE permite e facilita o armazenamento de dados dos trabalhadores, criando assim, o perfil de cada um, e também o armazenamento de dados do perfil das vagas solicitadas pelos Empregadores.

 

De posse dos dados dos trabalhadores e do perfil das vagas oferecidas pelas empresas, o programa ainda possui um sistema de cruzamento das vagas com os perfis dos trabalhadores. Esse cruzamento tem como base de dados importantes: a idade, o sexo, a escolaridade, o tempo de experiência exigida pela empresa e local de residência. Todos são dados objetivos que no processo de cruzamento das vagas com os diversos perfis dos trabalhadores já cadastrados no sistema, facilita o atendimento deixando para o atendente a análise dos dados subjetivos como a participação em cursos exigidos pela vaga, os conhecimentos necessários para o exercício da função.

 

Além disso, o PAT também é responsável em capacitar os trabalhadores através de cursos e orientação profissional. Essa é uma das suas principais atribuições que o distingue em termos da qualidade dos seus serviços, e, é aí que eu entro com meus conhecimentos pedagógicos, criatividade, poder de observação, criador de opiniões e atitudes, trabalhando com elaboração de projetos, palestras, treinamento, pesquisa de opinião.

 

Camaçari, por ter uma característica empiricamente industrial, é uma cidade com uma demanda cada vez maior de pessoas qualificadas e/ou capacitadas para serem aprovadas no processo seletivo das Empresas, e, assim, serem inseridas ou reinseridas no mercado de trabalho. Estando tão perto desta realidade, percebemos a grande dificuldade dos candidatos às vagas em serem aprovados nos processos seletivos, os números de reprovados têm sido alto, o que nos deixou bastante preocupados tanto a Coordenação ligada diretamente ao Governo do Estado através da SETRAS, representada pela Sra. Aline Santana Alves, quanto à Coordenação ligada diretamente à Prefeitura Municipal de Camaçari, representada até então pelo Sr. José Welito Mendes.

Com o olhar sensível a essa situação, apresentei à equipe do PAT um projeto de educação criado por mim, a ser desenvolvido pelo mesmo para capacitar os trabalhadores nas questões básicas dos processos seletivos das Empresas. O projeto era um curso de Capacitação do Trabalhador para os Processos Seletivos, o curso tem duração de 240h, sendo ministrado pelos próprios funcionários do PAT que possuíssem a devida formação para cada disciplina, a grade curricular do curso é composta de módulos de Português; Matemática; Redação Técnica; Conhecimentos Gerais e Orientação Profissional.

 

Além do número crescente de reprovados nos testes seletivos, quando se trabalha em um Banco de Emprego, observa-se claramente as exigências das Empresas/Organizações por trabalhadores cada vez mais qualificados. Exigências essas em função do avanço tecnológico que impõe a Empresa a adotá-lo num sistema de concorrência umas com as outras em busca do mercado e da qualidade da prestação dos seus serviços, e, em conseqüência o crescimento em termos econômicos.

 

O maior penalizado em toda essa história, parafraseando Karl Marx, é o trabalhador, que acaba sempre sendo excluído e marginalizado pelo sistema. Então, para tentar amenizar um pouco do sofrimento deste trabalhador é que criei o curso já mencionado. Abaixo segue um pequeno relatório do desenvolvimento deste curso com a primeira turma e um gráfico com alguns resultados:

 

 

Relatório do Curso – 1ª Turma

 

Na abertura do curso, foram feitas as apresentações do quadro de profissionais que iriam atuar junto com os alunos contribuindo para a construção do seu aprendizado, como também se fizeram presentes o Sr. Djalma Machado de Souza Secretário da Secretaria de Indústria e Comércio – SEINC, o Sr. Antonio Carlos Costa Falcão assessor executivo do Gabinete do Prefeito – GABIP, o Sr. José Welito Mendes dos Santos coordenador de Emprego e Renda e a Sra. Aline Santana Alves coordenadora do Posto de Atendimento ao Trabalhador – PAT.

 

Após a realização do curso com a primeira turma segue algumas observações importantes no que tange a dificuldade dos alunos em cada disciplina, vale ressaltar que eram alunos todos com o Ensino Médio Completo:

 

Disciplinas: Conhecimentos Gerais e Orientação Profissional

Professores: Manoel Aparecido Martins; Sérgio Roberto dos Santos e Itamar Freitas dos Santos

Conteúdos desenvolvidos: Identidade; Transparência; Ética e Cidadania; Auto Estima; Meio Ambiente; Ergonomia; Atitudes Pessoais; Relações Interpessoais; Eletricidade; Drogas no Trabalho; Ambiente Confinado; Atitude Pró-Ativa; Orientação e Segurança; Evitar Quedas e Escorregões e acidentes, que geralmente contribuem, para o afastamento do empregado; Primeiros Socorros; Histórico Social das Empresas; O Papel das Pessoas Dentro das Organizações; Formas de Recrutamento; Qualificação Profissional; As Formas de Seleção das Empresas; Objetivo das Dinâmicas de Grupo; Objetivo das Entrevistas; Testes Psicológicos e Grafológicos; Empregabilidade; Apresentação Pessoal.

  Relatório: As disciplinas de Conhecimentos Gerais e Orientação Profissional surgem dentro da grade curricular do curso devido às necessidades percebidas durante os processos seletivos. Percebe-se que os candidatos na sua grande maioria ainda não adquiriram a cultura profissional exigida pelo mercado de trabalho, muitos dos reprovados não possuem postura na sua apresentação pessoal, apresentam dificuldades em falar, expressar seus sentimentos e objetivos de forma clara, não conseguem apresentar-se em público, ficam nervosos, trêmulos, são tímidos e pouco confiantes. Isto é um quadro bastante preocupante, levando-se em conta que estamos falando de pessoas que tiveram acesso à educação do Ensino Médio, e que se encontram despreparados para participarem dos processos seletivos. Logo no início das aulas dessas duas disciplinas, os professores pediram aos alunos se apresentassem dizendo seu nome, falassem o que fazia no âmbito profissional e quais as expectativas que tinham em relação ao curso, essa apresentação tinha diversos objetivos, que iam desde a observação da postura dos alunos, seus medos e anseios, sua timidez e dificuldades na fala e seus gestos o que foi detectado imediatamente trazendo para nós o grande desafio de romper com todas estas barreiras. Com o objetivo de levar os alunos a vencerem seus medos em apresentar-se em público, melhorar sua oralidade e desenvolver sua escrita, utilizamos o que chamamos de metodologia do relatório onde diariamente foram sorteados dois alunos que deveriam escrever o relatório de tudo o que aconteceu na aula, entregar o relatório por escrito, se apresentar em sala de aula e ler o relatório para apreciação de todos os colegas. No início, os relatórios eram tímidos, porém com o decorrer do tempo notou-se que os alunos progrediram significativamente. A constante abordagem do curso foi em relação à orientação profissional que seria a forma de apresentação pessoal durante o processo seletivo, a oralidade na fala, a postura, os gestos, as atitudes firmes, ativas e pro ativas; além da questão das dinâmicas de grupo, os psicotestes, e os tipos de redação. Os demais conteúdos do curso serviram para agregar conhecimento e despertar os alunos para o hábito da leitura. Para aplicação dos conteúdos foram utilizados retro projetor, xérox e escrita no quadro. A avaliação dos alunos ocorreu de forma progressiva através da participação dos alunos nas atividades e em sala de aula. Felizmente, os resultados finais do curso foram positivos e muitos dos alunos hoje estão conscientes da necessidade de estarem sempre se aperfeiçoando.  

 

Disciplinas: Português e Redação Técnica

Professores: Silvaneide dos Reis Rodrigues

Conteúdos desenvolvidos: Gramática; leitura e interpretação de texto; ortografia; pontuação; emprego de expressões; oficinas de leitura e escrita; dinâmicas de grupo; Desenvolvimento motor e técnico nas redações.

 

Relatório: A disciplina de Português e Redação Técnica por sua característica de exigência mínima para a qualificação dos candidatos trabalhadores que vêm ao PAT em busca de emprego, tornam-se, de suma importância na grade curricular deste curso. Seus conteúdos abrangem as necessidades e dificuldades dos alunos, pois, tem sido causa de reprovação nos processos seletivos das empresas. A disciplina então, vem com o objetivo básico de tentar minimizar e/ou sancionar entre os alunos as lacunas deixadas durante o seu processo de ensino formal nas escolas, bem como, suas dificuldades naturais para o aprendizado da mesma.  Este relatório tem como objetivo relatar todo o desenvolvimento das aulas de Língua Portuguesa e redação técnica, mostrando os pontos positivos, negativos e dar sugestões para melhorar o curso. Em princípio, para esta primeira turma foram utilizados alguns módulos do Senai. No decorrer do curso percebeu-se que os módulos por sua característica estritamente técnica não foram suficientes para suprir às necessidades dos alunos que demonstraram possuir dificuldades em relação à interpretação de texto, e os módulos por sua característica já mencionada não fazem a necessária relação gramático-texto. Em todas as aulas foi possível perceber o empenho dos alunos demonstrado por sua participação, o que tornaram as aulas bastante gratificantes do ponto de vista do educador. Os conteúdos foram trabalhados sempre de forma interligada à leitura, interpretação e construção de textos sempre relacionados a temas do dia-a-dia da realidade dos alunos como, por exemplo: o desemprego, perspectiva de vida, força de vontade, disciplina, honestidade, dignidades, e principalmente ética, entre outras. Os alunos também contribuíram com o desenvolvimento do curso levando para as aulas alguns modelos de provas realizadas nas empresas às quais eles haviam passado pelo processo seletivo. De posse desses modelos de provas, foi possível ter uma visão melhor das exigências das empresas em relação aos conteúdos específicos por elas cobradas nos processos seletivos. Para as aulas de redação dentre outros textos, foram utilizadas músicas do Legião Urbana “Que País é Esse” e “Perfeição”, o uso delas permitiu aos alunos interagirem entre si discutindo a letra da música e sua aplicação para a realidade de hoje. Após as discussões acerca dos textos, solicitava-se aos alunos que fizessem as redações. Dentre as redações corrigidas, foram escolhidas algumas que continham erros de grafia, ortografia, concordância verbal e nominal, falta de coerência nas idéias no desenvolvimento do corpo do texto. Desta forma, foi possível fazer com que todos os alunos acompanhassem e verificassem os erros e os acertos das redações. As avaliações das disciplinas ocorreram de forma processual com as participações individuais e em grupo, nelas o rendimento dos alunos foi satisfatório alcançando pelo menos 80% dos objetivos esperados pelo curso. A proposta de melhora para a próxima turma do curso é a elaboração de um módulo mais adequado às necessidades dos alunos.

 

Relatório gráfico dos Resultados

 

O gráfico abaixo faz uma análise dos resultados obtidos com os alunos da 1ª Turma do curso, o objetivo dos gráficos é a análise quanto à importância do curso para os alunos candidatos às vagas oferecidas pelas empresas através do PAT.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                                 RESULTADO DA 1ª TURMA CTPS

 

 

 

 

 

 

 

 

               

 

Total de Alunos: 67

Total Aprovados: 22

Total Reprovados: 23

Total Desistentes: 22

   

 

   

APROVADO

     

 

   

REPROVADO

   

 

 

 

DESISTENTE

 

 

 

 

 

No gráfico 01, observamos que a média entre os aprovados, reprovados e desistentes está quase na mesma medida, então vamos analisar os três casos:

 

Aprovados: O quadro demonstra que 33% dos alunos foram aprovados, durante o processo do curso percebemos que os alunos tiveram que ser muito persistentes para vencer suas dificuldades de aprendizagem, e, ao mesmo tempo, o fato de estar desempregado em uma sala de aula dentro do Banco de Empregos exatamente por não conseguir ser aprovado nos processos seletivos.

 

Do ponto de vista da Sociologia, acredito que seja um caminho louvável para a busca de uma possível diminuição dos problemas da sociedade, porém, não é este o ideal de sociedade que Marx previa, onde ele propunha uma sociedade comunista em que o homem seria um ser inteiro, completo, intelectual, com direito à sua emancipação. Enfim, não precisaríamos recorrer a projetos para solucionar problemas que não deveriam existir, antes seriam feitos projetos que levassem a sociedade a um caminho de evolução constante.

 

Reprovados: Por ser um curso cujo objetivo é a inclusão do trabalhador no mercado de trabalho por meio de capacitá-lo para tal, alguns dos professores acharam que não deveríamos reprovar esses alunos. Porém, compreendeu-se no decorrer das discussões que incluir não era apenas dar um certificado e lhes dizer que estavam aprovados, isto foi o que a sociedade fez com eles a vida toda, incluir era então, demonstrar e sensibilizar os alunos para sua real condição encorajando-os a não desistirem e até mesmo a continuar o curso ingressando na turma seguinte com o objetivo de melhorarem seu desempenho.

 

Desistentes: Os alunos desistentes na sua maioria retrataram bem o quadro que vemos nas escolas públicas com o auto índice de desistentes. No caso destes, percebemos que a necessidade por emprego era maior do que a vontade que tinham de aprender, em alguns casos a desistência se deu pela falta de paciência de estar em sala de aula ou pela vergonha que tinha em relação à sua dificuldade de aprendizagem principalmente em matemática. Este é um quadro triste que demonstra a crueldade da sociedade capitalista que vivemos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS:

 

 

A realidade do capitalismo de Carl Marx está muito longe a utopia da sociedade comunista e igualitária por ele idealizada. Hoje, sendo formado em Pedagogia sou uma vítima desse capitalismo cruel que tenta de certa forma me dizer e/ou me fazer acreditar que estou enveredando por um caminho que não é meu, que estou saindo do lugar de onde não deveria.

 

É cruel a realidade vivem os educadores de nossa sociedade, por um lado, são escravos do governo que os mantém cativos a uma escola ensinando seus alunos em condições precárias, por outro, a classe dominante não lhes dá as condições necessárias nem mesmo para que possam continuar seus estudos.

 

Está situação que vivemos é uma situação já prevista por Marx. O trabalhador sempre foi alvo da alienação capitalista e, continua sendo. Mesmo com a qualificação sendo um elemento constante na vida do trabalhador, não é garantia de emprego. Isto se dá devido à falta de emprego para todos fazendo com que uns sejam qualificados demais e outros de menos. Enfim, muito se cogita/escreve/analisa/teoriza sobre a educação e educação para o trabalho, e ainda estamos longe da descoberta de uma educação ideal.

 

Em meio a esta realidade ainda podemos como diria Paulo Freire (1996) sonhar um sonho possível, mudar nossa realidade, transformar o mundo do imperialismo egoísta, e estabelecer um novo reinado da sociedade igualitária.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

REFERÊNCIA

 

 

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

 

RODRIGUES, Alberto Tosi. Sociedade, educação e emancipação. In: Sociologia da Educação. Rio de Janeiro: DP&A, 2000.

 

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-artigos/o-mundo-do-trabalho-e-sua-relacao-com-a-educacao-um-pensamento-sociologico-971253.html

    Palavras-chave do artigo:

    insercao inclusao projeto educacao contemporanea

    Comentar sobre o artigo

    Telma Lobo

    Há uma crescente mobilização no Brasil a favor da inclusão dos portadores de necessidades especiais na rede de ensino. Isto exige mudanças de atitudes não só de professores, mas de toda comunidade escolar assim como da sociedade em geral. Porém, para que isso aconteça é preciso reconhecer, questionar e romper com preconceitos ainda existentes na sociedade, estimulando o acolhimento e o respeito às crianças e jovens com necessidades especiais.

    Por: Telma Lobol Educaçãol 15/01/2011 lAcessos: 11,183 lComentário: 1
    Aline Pereira Dutra Santana e Sabrina Celestino Soares, Orientadora: Profª. Ms. Josiane Fujisawa Filus

    Este artigo faz uma reflexão sobre a história da educação escolar de pessoas em condição de deficiência no Brasil. Analisamos o final do século XVIII até as atuais discussões sobre o processo inclusivo. Observamos que os conceitos de deficiência e a ênfase na limitação da pessoa acompanharam os educadores no decorrer dos anos e têm influenciado a prática deles até hoje. Concluímos que uma educação de qualidade a todos ainda não é uma realidade, mas é preciso o trabalho de todos para que aconteça

    Por: Aline Pereira Dutra Santana e Sabrina Celestino Soares, Orientadora: Profª. Ms. Josiane Fujisawa Filusl Educaçãol 04/11/2009 lAcessos: 2,743 lComentário: 6
    Valmôr Scott Junior

    As pessoas com necessidades especiais carecem de inclusão efetiva pela educação. Antes de se pensar em discutir a inclusão, é preciso entender seus pressupostos: direito à educação e cidadania. O presente trabalho possui como objetivos: (inter)relacionar direito à educação (legislação básica federal), cidadania e políticas educacionais de inclusão, sendo referência as pessoas com necessidades especiais e refletir sobre políticas educacionais destinadas para estes sujeitos.

    Por: Valmôr Scott Juniorl Educação> Ciêncial 19/07/2010 lAcessos: 1,519

    O artigo é uma reflexão preliminar que faz parte de uma pesquisa mais ampla em que se busca investigar a parceria entre setor público e privado na área educacional para uso de material didático apostilado. O estudo se baseia em pesquisas já realizadas sobre o tema e nos dados coletados. A pesquisa inicial demonstra que, em nível global, a parceria público-privada faz parte de um conjunto de estratégias utilizadas pelos governantes para o enfrentamento da crise do capitalismo moderno.

    Por: Neide Pena Cárial Educaçãol 06/07/2011 lAcessos: 772
    Alinne do Rosário Brito

    O presente trabalho se pautou em observações e na experiência docente na possibilidade de se construir uma escola que se preocupa com a realidade de sua comunidade, através de projetos de intervenções que auxiliem a renda familiar ocasionando saberes pertinente aos âmbitos econômicos, sócio e cultural, na perspectiva de transformação social

    Por: Alinne do Rosário Britol Educaçãol 23/07/2012 lAcessos: 172
    Antonio Carlos Machado

    Neste artigo discutiremos a presença das Tecnologias Educacionais de Informação e Comunicação para o eficaz processo de ensino-aprendizagem para a Educação de Jovens e Adultos (EJA) no caráter de inclusão digital, cujo objetivo investigar as ações desenvolvidas no cotidiano escolar, que visem à inserção dos alunos da EJA dentro desse novo contexto de mudanças sociais e do avanço da tecnologia, de forma a garanti-lo sua inclusão no mundo digital e no mercado de trabalho.

    Por: Antonio Carlos Machadol Educação> Educação Onlinel 03/12/2011 lAcessos: 1,025
    Elias Ribeiro Tork Filho

    O presente artigo apresenta como objetivo investigar a práxis pedagógica da Educação Física na 1ª Etapa da Educação de Jovens e Adultos (EJA), especificamente as dificuldades do professor em ministrar aulas à clientela da EJA. Pois, sabe-se que a Educação Física Escolar a partir da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, Lei 9.394/96, apresenta-se como componente curricular obrigatório da educação básica. Com isso, analisa-se que a EJA ao fazer parte da educação básica precisa que o prof

    Por: Elias Ribeiro Tork Filhol Educação> Ensino Superiorl 17/12/2013 lAcessos: 103

    A implantação de cotas nas universidades públicas é uma das questões conflituosas da proposta de reforma na educação apresentada pelo MEC. Forma-se que os exames vestibulares são claramente injustos. Tendo em vista, que a maioria dos que ingressam na universidade são componentes da classe média alta que cursaram o ensino médio em instituições particulares. O presente trabalho buscará averiguar a política de cotas. Como esta política é determinante, qual a sua eficácia, se existe alguma lacuna, s

    Por: juniorparentel Educação> Ciêncial 01/07/2014
    Valdec Romero Castelo Branco

    O trabalho procura destacar a atualidade do questionamento do padrão sistêmico de integração econômica difundido no pós-Segunda Guerra – a globalização. Discute-se os problemas do baixo dinamismo econômico no País na década de 1980 e 1990 e suas repercussões sobre os níveis de emprego. trata-se, também, do problema da educação como fator-chave na explicação da exclusão social no País. Na última parte analisa a questão demográfica e a sua inter-relação com a família.

    Por: Valdec Romero Castelo Brancol Educaçãol 20/07/2010 lAcessos: 3,479

    O presente artigo é um estudo bibliográfico que tem como objetivo principal abordar conceitos educacionais e metodologias desenvolvidas em sala de aula usando o lúdico como alternativa de metodologia. O trabalho justifica-se pela necessidade de se entender e adequar a aprendizagem às atuais demandas da educação é necessário conhecer alguns caminhos já percorridos pelo ensino e que se levam a uma redefinição dos objetivos, conteúdo e metodológicos.

    Por: Graciele de Miranda Oliveiral Educaçãol 21/10/2014
    Alinne do Rosário Brito

    O artigo busca pesquisar e relatar o que é o Programa Mesa Brasil SESC e dialogar com as ações do Governo do Estado do Amapá para que a segurança alimentar seja implementada atendendo as leis nacionais e as respectivas atuações das politicas públicas que o regem quanto a tentativa de diminuição da miséria na cidade de Macapá.

    Por: Alinne do Rosário Britol Educaçãol 21/10/2014
    Tania R. Steinke

    Promover a valorização da formação continuada dos docentes e coordenadores pedagógicos que atuam no Ensino Médio das escolas públicas.

    Por: Tania R. Steinkel Educaçãol 19/10/2014

    Este artigo analisa de forma breve a teoria das Representações sociais, realizada por alguns estudiosos que contribuíram para a o avanço das representações sociais, bem como, os teóricos que tinham como base as investigações de como as pessoas transformam os conhecimentos científicos em conhecimento de senso comum na década de 60, e também a forma como adota a perspectiva comunicativa "genética" na apreensão do conhecimento veiculado a dinâmica do cotidiano.

    Por: Elizabeth Almeida dos Santosl Educaçãol 14/10/2014
    Erineia nascimento da Silva

    Resumo O aumentou consideravelmente do número de alunos especiais matriculados no ensino regular foi de aproximadamente 70% em 2014, em relação aos anos anteriores. Essa chegada dos alunos nas instituições públicas de ensinos promoveu serias mudanças de paradigmas em todos os profissionais da educação, mas seguiu junto um profissional fundamental na implementação desse novo olhar sobre a educação especial e principalmente sobre a inclusão.

    Por: Erineia nascimento da Silval Educaçãol 10/10/2014

    O SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) ajuda a milhões de brasileiros todos os anos através de seus Cursos Gratuitos oferecendo modalidades presenciais ou EAD (Ensino a Distância) para realização dos mesmos. Conheça alguns cursos grátis para 2015

    Por: sitesjoaoepaulol Educaçãol 09/10/2014

    A avaliação na Escola Ciclada já vem redefinida, ou seja, já está incorporada com novas idéias e nas aspirações, sua perspectiva está muito além de atribuir uma nota por simples burocracia institucional ou por simplesmente conferir o que foi "aprendido" ou não.

    Por: Delimar da S. F. Magalhãesl Educaçãol 02/10/2014

    A MATEMÁTICA E A MÚSICA POSSUEM LAÇOS MUITO FORTES DESDE A ANTIGUIDADE E O INTERESSANTE É QUE TEM MUITOS ALUNOS QUE GOSTAM DE MÚSICA E DIZEM QUE NÃO GOSTAM DE MATEMÁTICA. ENTÃO, SENDO ASSIM, É BEM INTERESSANTE MOSTRÁ-LOS A ELES ESTA FORTE RELAÇÃO.

    Por: Josimara L. Furtado dos Santosl Educaçãol 02/10/2014 lAcessos: 11
    Manoel Aparecido Martins

    Ao ler e reler o texto Educação: o Sonho Possível, artigo escrito a partir da Conferência realizada por ele no Brasil, publicado no livro O educador: vida e morte, organizado por Carlos Rodrigues Brandão (1982), fiquei encantado com a visão deste saudoso educador, no viés da educação e da supervisão, principalmente quando ele nos leva a refletir que o Supervisor não pode esquecer que está supervisionando um colega educador.

    Por: Manoel Aparecido Martinsl Educação> Educação Infantill 14/10/2010 lAcessos: 2,920
    Manoel Aparecido Martins

    O livro: A Nova LDB – Ranços e Avanços, demonstra de forma clara, crítica, reflexiva e construtiva que não podemos ficar de ‘braços cruzados'. Antes, precisamos e devemos ser conhecedores críticos da Nova LDB e educadores capazes de operacionalizar seus ranços e avanços, o que torna imprescindível a todos os educadores e estudantes de qualquer área da educação a leitura deste livro.

    Por: Manoel Aparecido Martinsl Educaçãol 30/09/2010 lAcessos: 4,993
    Manoel Aparecido Martins

    A ludicidade faz parte do ser humano desde seu nascimento, é brincando que a criança vai conhecendo o mundo ao seu redor, vai se identificando, vai fazendo parte. O lúdico pode e deve ser utilizado no ensino de todas as disciplinas, até mesmo de forma interdisciplinar. Portanto é de fundamental importância um estudo mais aprofundado da natureza e importância desta disciplina nos dias atuais, bem como seu histórico e a aplicação do lúdico na mesma.

    Por: Manoel Aparecido Martinsl Educaçãol 17/06/2009 lAcessos: 14,956 lComentário: 4
    Manoel Aparecido Martins

    O filme “Ray” conta a trajetória de vida de um dos mais brilhantes e talentosos astros da música que encantou e continua encantando milhões de pessoas. Ao contar a história de Ray Charles, o filme trás grandes contribuições para o estudo do indivíduo, da sociedade e do seu desenvolvimento.

    Por: Manoel Aparecido Martinsl Educaçãol 14/06/2009 lAcessos: 1,914 lComentário: 1
    Manoel Aparecido Martins

    O presente artigo, no qual tive o prazer de ler por sua clareza e estruturação das idéias, trás em seu bojo como foco principal os efeitos da globalização e da consequente reestruturação produtiva.

    Por: Manoel Aparecido Martinsl Educaçãol 14/06/2009 lAcessos: 1,249

    Comments on this article

    0
    Ana Paula 09/11/2010
    Olá Manoel, excelente artigo!!
    Também sou Pedagoga, pós-graduada em Supervisão Escolar e tenho muito interesse nessa área voltada par a empresa. Infelizmente, aqui aonde moro não existe essa tendência da Pedagogia dentro de empresas, somente nas escolas e melhor, na sala de aula.
    Deve ser interessante o seu trabalho...o que me chamou a atenção no artigo foi a temática, estou estudando para o Concurso do DETRAN que está oferecendo vagas na minha área para trabalhar nessa perspectiva...
    Obrigada pela contribuição.
    Att,
    Ana Paula Diógenes
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast