O Papel Do Gestor Escolar: Educar Para A Cidadania Ou Para A Liberdade?

Publicado em: 27/04/2009 |Comentário: 3 | Acessos: 24,493 |

O PAPEL DO GESTOR ESCOLAR:

 educar para a cidadania ou para a liberdade?

 

O gestor que pretende educar para a cidadania, sabe que desde já  terá grandes responsabilidades nos sistemas educativos, os quais devem desenvolver nas novas gerações os saberes e as práticas duma cidadania ativa.

o gestor sabe que o exercício da cidadania é sustentado por um corpo de valores e de virtudes aceitáveis universalmente: a justiça, a verdade, a coragem e a liberdade,... e ela se constitui uma garantia da democracia e só se exerce em contextos democráticos.

Para uma Escola de cidadãos, onde se define o conceito de educação para a cidadania, a educação para a cidadania nas nossas escolas deve entender-se, em primeiro lugar, como a capacitação de cada criança e de cada jovem para estruturar a sua relação com a sociedade, de acordo com regras básicas de convivência que valorizem a autonomia , a responsabilidade individual e a participação informada.

Como certamente todos estarão de acordo, este é um caminho a fazer onde  coordenadores escolares, professores, pais alunos, funcionários e toda a comunidade escolar, devem dar-se as mãos para poder concretizar uma participação ativa tendo em vista a construção de um mundo melhor, no qual todos tenham lugar como pessoas iguais e diferente, por isso, é importante o modo como o Gestor e a  Escola se organizam, como funcionam, como garantem a comunicação e como facilitam a formação cívica do aluno: formação do caráter, formação para os valores, formação para a autonomia e a participação ativa na sociedade.

É, assim, necessário que os regulamentos e as leis palas quais o Coordenador e a Escola se orientam tenham em conta esta importância como fator decisivo na construção do cidadão adulto, favorecendo as relações interpessoais entre professores-alunos e os restantes elementos da comunidade escolar.

Os órgãos de gestão e orientação escolares devem estar muito atentos aos fatores de desequilíbrio do normal funcionamento da vida interna da Escola, o qual deve ser exercício e 'treino' para a vida social futura.

É, assim, importante que os agentes educativos procurem eliminar os fatores negativos prejudiciais ao franco progresso de uma cidadania equilibrada e corretamente exercida: discriminação da diferença, a humilhação, a ironia, a monopolização da palavra,... e encontrem fatores que promovam o respeito por si mesmo, pelos outros, pelo bem comum, a afetividade, manifestada no exercício de escuta e libertação da palavra do aluno, capacidade de escutar os outros, de falar de si mesmo.

Uma exigência séria para que o Gestor e a Escola possam ser veículo de educação para a cidadania é que ela se assuma como instituição de formação e de educação pelo reconhecimento de valores e das regras que os promovam e defendam. Assumir que a Escola está integrada no meio e que é fator de

socialização e é indispensável. Porém, ela está ao serviço da formação e educação de pessoas que são chamadas a renovar e a transformar o meio e o ambiente em que vivem, procurando sempre transmitir-lhe qualidade, dignidade e futuro.

O gestor que procurar educar para a liberdade deve oferecer, dentre outras coisas, condições ambientais onde a criança possa conquistar as suas aptidões, nos tempos e momentos certos, respeitando a maturidade completa, de cada aquisição.

O Coordenador deve ser um modelo de liberdade. Ele deve, no seu dia-a-dia, em sua gestão ir apresentando à Escola formas de seus professores e alunos, serem auto suficientes no mundo, podendo então executar diversas tarefas.

A pratica de educar começa na auto-educação, no refletir os hábitos e escolher com liberdade e consciência, o que em mim é digno de ser imitado, e o que posso, através da minha vontade e empenho modificar ou apreender como exemplo para o meu educando e meus professores. Certamente ninguém é perfeito, mas acredito que todos podem ser melhores em si mesmos, e o gestor é visto como um exemplo.

Gestor: ensinaremos melhor se mantivermos uma atitude, humilde e confiante com a vida, com os outros e conosco, tentando sempre aprender, comunicar e praticar o que percebemos até onde nos for possível em cada momento. Isso nos dará muita credibilidade, uma das condições fundamentais para que o ensino aconteça. Se inspirarmos credibilidade, poderemos ensinar de forma mais fácil e abrangente. A credibilidade depende de continuar mantendo a atitude honesta e autêntica de investigação e de comunicação. Só pessoas livres - ou em processo de libertação - podem educar para a liberdade, podem educar livremente. Só pessoas livres merecem o diploma de educadoras. Necessitamos de muitas pessoas livres na educação que modifiquem as estruturas arcaicas, autoritárias do ensino. Só pessoas autônomas, livres podem transformar a sociedade.

 

 

 

Avaliar artigo
5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 20 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-artigos/o-papel-do-gestor-escolar-educar-para-a-cidadania-ou-para-a-liberdade-888489.html

    Palavras-chave do artigo:

    o gestor escolar papel do gestor escolar o gestor da escola educar para cidadania educar para liberdade escola de cidadaos

    Comentar sobre o artigo

    Esse artigo foi elaborado com a pretenção de proporcionar um visão mais abragente da gestão da escola pública em seus detrimentos com a sociedade.Qual o pérfil dos técnicos pedagógicos,se ainda a educação está voltada a exclusão e que politicas públicas estão sendo trabalha na busca incessante por cidadania.

    Por: Prof.Raimundo Ferreira dos Santosl Educação> Educação Onlinel 28/10/2008 lAcessos: 196,753 lComentário: 36
    Jaconias Dias Rodrigues

    As formas de subjetivação e mecanismos de resistências criadas pelos professores, gestores, alunos e demais agentes escolares no que toca a gestão democrática são objetos de estudo desse artigo .Escrever sobre esses mecanismos e descortinar a realidade da escola no que tange a gestão constituem as preocupações apresentadas. Nesse sentido o artigo pretende funcionar como um provocador e disparador de novos comportamentos na vida do profissional dos que lidam com a gestão.

    Por: Jaconias Dias Rodriguesl Educação> Ensino Superiorl 15/07/2011 lAcessos: 520

    A pesquisa aborda os direitos educacionais assegurados na Constituição de 1988 e na Lei de Diretrizes da Educação Nacional 9394/96 que reforça o direito à educação de qualidade como direito subjetivo, seus fundamentos e objetivos. A pesquisa teve como objetivo refletir o direito de aprender direito, desafio das políticas públicas para melhorar a qualidade da educação.

    Por: Beatriz Pereira da Silveiral Educação> Ensino Superiorl 29/07/2011 lAcessos: 517
    FABRÍCIO DE CARVALHO PIMENTA

    O Projeto Político-Pedagógico (PPP) é um instrumento imprescindível para a solidificação da autonomia escolar e organização de um trabalho coletivo que vise a aprendizagem significativa e o sucesso do aluno; um instrumento teórico-metodológico elaborado de forma participativa que serve de bússola para nortear ações que devem ser realizadas da melhor maneira possível para que a escola cumpra sua função educativa. Ele é o responsável pela sistematização do trabalho que a escola desenvolve.

    Por: FABRÍCIO DE CARVALHO PIMENTAl Educaçãol 30/04/2014 lAcessos: 82
    Paulo marcos Ferreira Andrade

    O presente texto enfoca a temática: O coordenador pedagógico frente aos desafios da gestão democrática.

    Por: Paulo marcos Ferreira Andradel Educação> Ensino Superiorl 04/07/2012 lAcessos: 5,078
    Pr. Suedem Medeiros

    Avaliar é dinamizar oportunidades de auto-reflexão, num acompanhamento permanente do professor. O professor deve assumir a responsabilidade de refletir sobre toda a produção do conhecimento do aluno, promovendo o movimento, favorecendo a iniciativa e a curiosidade no perguntar e no responder, construindo assim, novos saberes junto com o aluno.

    Por: Pr. Suedem Medeirosl Educação> Ensino Superiorl 03/12/2009 lAcessos: 7,988

    O presente artigo busca refletir sobre as transformações que a sociedade vem sofrendo nestes últimos anos e a forma como a educação está sendo atingida, especialmente com os avanços tecnológicos, afetando a identidade do professor e gerando o fenômeno do mal-estar docente. Apresenta, também, uma reflexão sobre o importante papel da gestão para o adequado enfrentamento deste problema, nas instituições escolares, buscando alcançar o bem-estar geral na escola.

    Por: GEMA PARENTIl Educação> Educação Infantill 05/03/2009 lAcessos: 4,262 lComentário: 2
    Alinne do Rosário Brito

    Este artigo discute a necessidade do domínio de saberes indispensáveis à prática dos educadores e sua práxis na EJA centrando principalmente, nos estudos de Karl Marx. Objetiva-se, abordar as exigências necessárias ao ato de ensinar que se dão na mediação do educador entre os conteúdos e os discentes, que deverão apreendê-los para que, assim, possam dar significados concretos midiatizados pelo mundo, como sujeitos histórico-sociais.

    Por: Alinne do Rosário Britol Educaçãol 19/07/2012 lAcessos: 265
    Agnaldo Fernandes Silva

    A escola de hoje tem um papel muito importante, vai além de seu papel na atuação de ensinar para aprender. A sociedade hoje espera da Escola muito mais do que se esperava antes, pois na medida em que fica mais difícil educar os filhos em casa, os pais terminam achando que a única forma de esconder essa falha é exatamente na Escola.

    Por: Agnaldo Fernandes Silval Educação> Educação Infantill 19/03/2011 lAcessos: 1,617 lComentário: 2

    A inclusão e a exclusão tornou-se uma problemática que se constitui num enorme desafio a ser superado pela família, educadores e sociedade. O grande desafio é da oportunidade aos excluídos aqueles desprovidos de oportunidades. Entre tantos excluídos podemos discorrer sobre a exclusão vivenciada pelo aluno "N.R.S" . Oriundo de uma família desprovida de qualquer condição social, a margem da sociedade, onde os pais semi-analfabetos e com o pai dependente de drogas.

    Por: Marta Kalianel Educação> Ensino Superiorl 04/05/2013 lAcessos: 157

    Com o advento da globalização, a educação é tida como o maior recurso de que se dispõe para enfrentar essa nova estruturação mundial. Objetiva-se evidenciar a importância dos alunos encontrarem na escola não só evidências de seu próprio mundo, mas também aparato capaz de os "cunharem" para uma participação social plena e não "fatiada", como sugere o estudo por disciplinas. Jovens e adultos, público cada vez mais informatizado, exige que as disciplinas deixem de ser apresentadas de forma isolada.

    Por: KÁTIA CÉLIA FERREIRAl Educaçãol 18/12/2014

    A expressão artística faz parte da história humana desde os tempos mais remotos. Sendo assim, a Arte é um dos modos de conhecimento ao qual os estudantes devem também ter acesso, assumindo-se como sujeitos capazes de apreciação estética e criação artística, articuladas aos processos e mediações da cultura contemporânea. Diante das mudanças pelas quais o ensino-aprendizagem de Arte passou, vê-se a necessidade de discorrer a respeito da presença desta disciplina no currículo escolar, revendo sua i

    Por: KÁTIA CÉLIA FERREIRAl Educaçãol 18/12/2014

    Sabe-se que a educação é responsável pela formação do aluno enquanto cidadão, de maneira a prepará-lo para a vida em sociedade, para que saiba atuar criticamente nesse meio. Assim, a escola inclusiva busca complementar a formação do aluno por meio das relações de convivência, uma vez que conviver com o diferente é parte desse processo de formação, até porque, como já mencionamos, é na escola que o aluno desenvolve seus aspectos cognitivos, motores e psicológicos.

    Por: Rosely dos Santos Ferreiral Educaçãol 17/12/2014

    As revela à existência de ações políticas e sociais que possam concretizar e promover a efetividade da inclusão social da pessoa com necessidade educacional especial. Vejo que a sociedade deve compreender como se dá o processo de ensino-aprendizagem da criança com Síndrome de Down na Educação Básica, as dificuldades enfrentadas e as possibilidades e mecanismos de reconhecimento e aceitação dessas limitaçõ

    Por: Rosely dos Santos Ferreiral Educaçãol 17/12/2014

    No processo de inclusão a escola propõe a conviver com o "diferente", aceitá-lo, auxiliá-lo, e muitas vezes aprender algo com essas crianças. Entretanto para oferecer uma inclusão verdadeira é preciso entender as particularidades das crianças, mediar a socialização de forma que todos trabalham para o aprendizado de cada uma delas, em benefício de todos. Pretendo contribuir com as discussões éticas e educacionais que envolvem a formação da criança Down por meio da educação.

    Por: Rosely dos Santos Ferreiral Educaçãol 17/12/2014

    A educação escolar é um dos contextos em que a criança aprende e desenvolve-se nos aspectos cognitivos, emocional e social. Por isso a necessidade de incluir a criança com necessidades especiais na escola, pois atender a todos é parte do processo educativo, por isso a diversidade cultural e outras questões sociais precisam ser vivenciadas também em sala de aula.

    Por: Rosely dos Santos Ferreiral Educaçãol 17/12/2014

    Apresento algumas características que identificam a criança Down, o conceito de Educação Inclusiva e Educação básica, e da diversidade na educação. Relacionam-se aspectos positivos da inclusão da criança Down na Educação Básica e como deve acontecer essa inclusão, enumerando as dificuldades no processo de inclusão da criança Down na Educação Básica. Conceitua-se a Síndrome de Down e sua identificação, bem como o tratamento e a motivação para inserir a criança com deficiência na Educação Básica.

    Por: Rosely dos Santos Ferreiral Educaçãol 17/12/2014

    O estudo realizado teve como foco principal compreender os avanços no processo de construção do conhecimento dos alunos de uma turma de 3º ano, através dos jogos matemáticos, priorizando, desse modo, a ludicidade no ensino. A pesquisa foi desenvolvida durante o estágio realizado pela acadêmica e pesquisadora junto a uma turma de 3º ano.

    Por: Luziane Da Silva Costal Educaçãol 15/12/2014 lAcessos: 11

    Neste artigo, apresentarei o resumo de algumas questões básicas sobre a aquisição da linguagem. Estas questões serão consideradas à luz das observações que têm sido feitas sobre as mudanças de comportamento do desenvolvimento lingüístico fisiológico e psicolingüístico da linguagem.

    Por: WALERIA CAMINHAl Educaçãol 29/11/2008 lAcessos: 10,427 lComentário: 4

    1. INTRODUÇÃO Com o passar dos anos, vemos a tecnologia ganhar cada vez mais espaço no mundo. Hoje grande parte das coisas que possuímos, adquirimos através dela. O uso dos computadores está cada vez mais presente nos: supermercados, nas lojas indústrias, agricultura... No entanto, não tão presente nas escolas. A educação não pode ficar de lado, já que sabemos que um indivíduo precisa dela para sua formação, sendo essa formação de real importância, devendo ser integral e preparatória

    Por: WALERIA CAMINHAl Educaçãol 24/11/2008 lAcessos: 43,297 lComentário: 1

    Comments on this article

    1
    marcelo nascimento barbosa 07/06/2011
    o papel do gestor e de grande impotancia para pratica pedagogica de uma escola, viabilizando e mediando a relação entre alunos, professores, funcionarios e a comunidade
    0
    grazielle 28/04/2011
    A inclusão no Brasil de que melhoras e muito pois as escolas publicas não tem condição nem uma de receber crianças assim
    4
    Carla Rodrigues 21/10/2009
    Valeu Waléria, seu artigo sobre gestao é muito essencial para a questão do papel do gestor comprometido com a escola e com a comunidade cívil.
    Parabêns!!!!!!!!!!!!!
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast