O Papel Social Do Educador

Publicado em: 24/11/2008 |Comentário: 0 | Acessos: 32,973 |

O papel social do educador



A sociedade atual encontra-se em profunda crise que nos remete a pensar nossos valores e atitudes. Nesse contexto incerto, o papel do professor é fundamental, por isso novos recursos e atitudes didático-pedagógicos necessitam ser pensados. O professor pode ascender à sociedade usando o ensino como instrumento de luta e transformação social, levando os alunos a uma consciência crítica que supere o senso comum para que possam não somente ver os acontecimentos, mas enxergá-los de maneira mais crítica e reflexiva.



Nessa perspectiva, entende-se que as crianças, de posse de um saber mais elaborado, poderão ter condições de se protegerem contra a opressão e a exploração das classes dominantes, organizando-se para a construção de uma sociedade melhor, menos excludente e realmente democrática.



Não se pode esperar que uma sociedade mais justa brote naturalmente, mas por meio da educação que caminhe com a prática política do povo. Sendo assim, o professor assume um papel, sobretudo político e social. Professores e professoras precisam encorajar-se social e politicamente, percebendo as possibilidades da ação social e cultural, na luta pela transformação das estruturas opressivas da sociedade brasileira. Para isso, é necessário que conheçam a sociedade em que vivem e atuam em nível social, econômico e cultural de seus alunos e alunas.



Os professores, principais sujeitos informantes deste trabalho, devem trabalhar a partir da consciência de que não há conhecimento absoluto, pois tudo está em constante transformação. Dessa forma não há saber nem ignorância absoluta, e sim uma relativização do saber ou da ignorância. Por isso, os professores não podem se colocar na posição de seres superiores, que transmitem o conhecimento a um grupo de ignorantes, mas sim adotar uma postura humilde, daqueles que comunicam um saber relativo a outros que são portadores de outros saberes relativos. Outra convicção a que os professores não podem se furtar é a de não se confundir informação com educação, pois para transmitir informação estão à mão jornais e revistas, televisão e internet.



Costumeiramente credenciamos características próprias de determinado profissional quanto a sua conduta e responsabilidade social. Como profissional da educação, quero estabelecer um debate acerca de aspectos que considero essenciais para o professor: o comprometimento com a educação, a prática da leitura e da escrita.



O educador trás consigo um grande número de responsabilidades diante de uma educação de qualidade, muito mais libertária e crítica, do que de conteúdo e disciplinadora. Um ensino que coloca os alunos diante de mestres mal preparados leva à submissão e à diminuição da liberdade de agir e pensar por si mesmo. Ou seja, a “grande arma” do educador é desenvolver nos estudantes o pensamento crítico e a capacidade de reagir diante das contradições da sociedade em que vivemos.



No entanto, essa proposta educativa não será possível se o educador não estiver imbuído do espírito da leitura e da escrita. Ele estará sendo hipócrita, enganando a si e ao corpo discente, exigindo que os mesmos leiam e escrevam, sendo que ele próprio não os faz pratica. O professor precisa indicar e citar livros, autores, confeccionar textos transpostos didaticamente a partir de suas experiências próprias. Ação essa que certamente irá estimular os alunos alimentará a auto-estima e a confiança do professor, além de tornar a atividade profissional dinâmica e empolgante.



A formação do educador não se restringe apenas à sua área de atuação, abrange também campos diversos do conhecimento. A formação do profissional da educação deve ser considerada somente pelo curso de graduação, mas deve ser pensada de forma continuada para que ele garanta uma constante atualização teórica e prática refletindo na formação dos alunos.



Uma ótima maneira para que o profissional da educação – nesse caso específico o professor – tem para desenvolver seu trabalho de uma maneira mais atual, é se baseando na comunicação que deve desenvolver junto a seus alunos. A comunicação em sala de aula não deve apenas reproduzir expressões ou ideologias, mas sim técnicas que proporcionem aos alunos a possibilidade de se perceberem enquanto indivíduos pensantes capazes produzir e questionar.



 É necessário que o professor conheça ao máximo a realidade de cada um de seus alunos para que possa desenvolver e utilizar ferramentas que reduzam a defasagem no aprendizado e o “abismo” que separa professores e alunos. Dentre essas ferramentas, a comunicação colabora, de forma acentuada, para que professores e alunos consigam conviver dentro da sala de aula de forma “harmônica”. Durante sua formação o contato que professores de História têm com outros campos do conhecimento devem ser utilizados como instrumentos para transformar a coexistência na sala de aula em algo prazeroso.



Ensinar é explicitar aos alunos a razão de ser de sua disciplina para responder perguntas “inocentes”. Para atender aos anseios dos alunos é necessário que professores busquem novas maneiras de lidar com a disciplina e seu ensino.



Os professores devem reorganizar novas maneiras de se estudar e ensinar, fazendo com que o aluno não complete o edifício do conhecimento como algo já pronto, mas sim ensinar-lhes a construir seu próprio edifício. O professor deve ensinar o aluno ou a criança a edificar seu próprio ponto de vista, o que não significa ensinar soluções, nem significa dar explicações sobre como e por que se chegou a uma determinada conclusão. Ensinar a construir o próprio ponto de vista, significa colaborar para que o aluno construa conceitos e aplique-os nas situações do cotidiano, significa ensinar a solucionar, relacionar, interpretar as informações sobre o momento estudado para se chegar a um maior nível de entendimento do mundo. Significa por fim, dar-lhes condições para que possam perceber-se o máximo possível como cidadãos detentores de direitos e deveres membros de uma sociedade. É papel social do professor l munir os alunos de instrumentos para libertação.




Professor Thiago Luiz M. de Oliveira


Cursando o 8º período do curso de História no UNI BH, professor do ensino fundamental II no Colégio Abgar Renault, autor do capítulo 11 “Consumo consciente” do livro Gestão do trabalho com projetos: a experiência da equipe do colégio Abgar Renault.

Avaliar artigo
4
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 12 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-artigos/o-papel-social-do-educador-655699.html

    Palavras-chave do artigo:

    professor

    ,

    sociedade

    ,

    conhecimento

    Comentar sobre o artigo

    O presente estudo tem como objetivo investigar as características que compõem o perfil do "bom professor" na percepção dos acadêmicos do curso de Pedagogia de uma Instituição de Ensino Superior em Anápolis, Go. identificando os métodos e linhas pedagógicas adotadas e a influência da atuação dos docentes na formação desses acadêmicos.

    Por: Ana Cláudia Oliveira Nunesl Educação> Ensino Superiorl 04/01/2011 lAcessos: 12,279 lComentário: 1
    Antonio Rosemir do Carmo

    O objetivo deste trabalho é refletir sobre o papel da escola e do professor na construção do saber crítico do aluno. Hoje, sabemos, o saber sistematizado aprendido nos bancos escolares, precisa levar o educando à sua emancipação enquanto sujeito de múltiplas relações e a escola no desempenho de sua função de ensinar e o professor no exercício de sua função, facilitarão a apreensão desse conhecimento e fomentando o exercício pleno da cidadania nos espaços escolares.

    Por: Antonio Rosemir do Carmol Educaçãol 21/10/2009 lAcessos: 50,669 lComentário: 8

    Discutir o conceito de professor na sociedade atendente, conturbada por novas exigências, nos faz questionar qual é mesmo o verdadeiro papel do professor? Um profissional da educação ou um gestor de sonhos? Professor ou gestor? A escola é aqui entendida como uma organização onde pessoas com diferentes sonhos, desejos e necessidades se aglomeram em busca da construção do conhecimento. Diretamente envolvido nesta construção esta a figura do professor.

    Por: ISAURA FRANCISCO DE OLIVIERAl Educação> Ensino Superiorl 15/09/2008 lAcessos: 44,094 lComentário: 5
    SANDRA

    Discutimos sobre a prática dos profissionais da educação visando uma análise da disntância entre teoria e prática numa perspectiva teórico-metodológica.

    Por: SANDRAl Educaçãol 13/11/2011 lAcessos: 121
    Alessandro Neves de Araujo

    Zabala (1998) apud Etchepare (2003) afirma que a escola, através da educação engloba os aspectos referentes à formação de cidadãos, desprezando as capacidades de isolamento e envolvendo uma boa relação entre o professor-criança, que ao longo dos anos vem ocorrendo grandes transformações, pois antigamente tanto a escola como o professor possuíam todo o domínio sobre o aluno.

    Por: Alessandro Neves de Araujol Educação> Educação Infantill 25/07/2013 lAcessos: 37

    Trabalhar com a questão da sexualidade é muito complexo tendo em vista a grande banalização do erotismo ocorrida pela mídia e meios de comunicação, são músicas com gestos promíscuos, letras detrativas, com teor de sexo implícito. Diante disso crianças são submetidas a uma cultura onde a sexualidade denota poder de comando e autoridade.

    Por: Maria Zilda da Silva Barbosal Educação> Educação Infantill 20/07/2014 lAcessos: 31
    Darlonson Moraes

    O fato das tecnologias na sociedade da informação estarem facilitando a criação de um aprendizado Diante disso, a dimensão da revolução da tecnologia da informação destina-se a promover uma interação entre tecnologia e sociedade. Ambas se completam no que diz respeito à sociedade da informação. As formas e os suportes dela decorrentes estão redefinindo os paradigmas atuais sobre informação e tecnologia, fazendo surgir, paralelo à sociedade de hoje.

    Por: Darlonson Moraesl Educação> Ensino Superiorl 11/06/2009 lAcessos: 2,097

    Este trabalho propõe analisar a escola enquanto instituição educacional vinculada à sociedade e a realidade de seus educandos; identificando as principais correntes de ensino bem como suas aplicabilidades, da corrente filosófica Positivista e Construtivista. Compreendendo a educação além de pura transmissão de conhecimentos, e sim como uma construção constante, onde a troca é elemento fundamental para o crescimento de educador e educando, oferecendo opções didáticas para desenvolver transformar.

    Por: HELENOl Educação> Ensino Superiorl 16/11/2012 lAcessos: 13
    Elizeu Vieira Moreira

    O governo brasileiro adotou os discursos sobre a pedagogia das competências produzidos em outros países e, a esses, juntou alguns fundamentos da teoria da Qualidade Total para dar uma determinada direção aos processos escolares e, por conta disso, reestruturar a educação dando-lhe uma qualidade educacional associada aos princípios mercadológicos de produtividade e rentabilidade, introduzindo nas escolas a lógica da concorrência.

    Por: Elizeu Vieira Moreiral Educação> Ciêncial 29/10/2013 lAcessos: 23
    Elizeu Vieira Moreira

    As mudanças ocorridas na sociedade a partir de 1980 definiram uma nova reorganização do mundo do trabalho que causou um impacto direto na formação humana e profissional e, por extensão, na função pedagógica da escola, passando a demandar novas concepções de educação, novas práticas formativas etc., e, especialmente, uma nova organização do espaço e da espacialidade escolares direcionadas para a realização e produção de mais-valia...,

    Por: Elizeu Vieira Moreiral Educação> Ciêncial 29/10/2013 lAcessos: 22

    São inúmeros, mas iremos apontar os que consideramos como mais importantes: 1 – A qualidade de ensino em uma escola técnica (Etec) é considerada excelente. 2 – As Etec´s contam com equipes de Professores e Coordenadores muito bem preparadas e comuma estrutura completa de salas, laboratórios e equipamentos de última geração.

    Por: Thonny Siqueiral Educaçãol 17/09/2014
    Erineia nascimento da Silva

    O aluno especial tem algumas necessidade de auto realização igual aos demais alunos, assim como ele precisa ter sua autoestima valorizada para contribuir na definição de suas habilidades intelectuais, a interação social com a comunidade escola lhe dará segurança, o apoio dos pais e fundamental nesse processo.

    Por: Erineia nascimento da Silval Educaçãol 11/09/2014
    Erineia nascimento da Silva

    Cérebro é o órgão onde se forma a cognição, o órgão mais organizado do corpo humano. Portando a cognição pode emergir no cérebro e nele acontece dinâmicas evolutivas que permitem ao ser humano revelar-se como um ser auto-eco-organizador, para isso e necessário o envolvimento das funções bio-psico-sociais ou bioantropologicas.

    Por: Erineia nascimento da Silval Educaçãol 08/09/2014
    Formacerta.pt

    Este artigo informa sobre o curso de Formação Pedagógica Inicial de Formadores, uma formação frequentemente procurada (e essencial) por indivíduos que querem entrar no mercado de formação profissional.

    Por: Formacerta.ptl Educaçãol 08/09/2014

    O presente texto aborda sobre Saúde em Educação, como incentivo entre desenvolvimento social, psicológico, cultural e saúde educacional. Pois o artigo preocupa-se e questiona-se sobre a formação de crianças e adolescentes e a saúde pública escolar.

    Por: Reginaldo Posol Educaçãol 07/09/2014

    O presente texto possui uma abordagem reflexiva simples e ao mesmo tempo um foco informativo sobre as três áreas de "ciências" Psicopedagogia, Psicologia Transpessoal e Educação, numa prespectiva relacionada á Educação de maneira prática e explicativa.

    Por: Reginaldo Posol Educaçãol 07/09/2014

    O objetivo deste estudo foi verificar como a mídia influencia o desenvolvimento moral da criança, quando da sua exposição nos meios de comunicação a partir de uma denúncia não verídica de violência sexual em uma escola infantil do município de Vila Velha, Espírito Santo. Trata de um estudo descritivo, desenvolvido na Unidade Municipal de Educação Infantil "José Silvério Machado", Jardim Marilândia, Vila Velha, ES. Participaram do estudo 10 professores.

    Por: ADRIANA CHAGAS MEIRELES ZURLOl Educaçãol 28/08/2014 lAcessos: 14

    O objetivo deste estudo foi contribuir para o entendimento de quais são os fatores que determinam o sucesso escolar de alunos dos meios populares, por meio da percepção dos educadores. Trata de um estudo descritivo, quantitativo e qualitativo. O instrumento de coleta dos dados foi um questionário estruturado com perguntas objetivas e subjetivas As perguntas objetivas se relacionam a identidade dos professores e vivência no ambiente escolar. As subjetivas buscam conhecer quais os fatores que poss

    Por: SANDRA MARIA TEIXEIRA GRADIMl Educaçãol 28/08/2014
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast