O Preconceito No Cotidiano Escolar

Publicado em: 01/12/2009 |Comentário: 3 | Acessos: 6,285 |

 

O Preconceito No Cotidiano Escolar

 Damião A. Leite

Resumo:

            As questões relacionadas às mais diversas formas de preconceito sempre estiveram enraizadas no terreno hostil do cotidiano escolar, nestes tempos de modernidade os atos e atitudes preconceituosas são chamados de    Bullying (palavra derivada do verbo inglês bully que significa usar a superioridade física ou verbal para intimidar alguém.) A violência pode se manifestar por desenhos, palavras, olhares, metáforas e símbolos além da força física.

Introdução

            Este artigo pretende discutir ainda que sinteticamente as questões dos múltiplos preconceitos existente no interior da escola. Atitudes preconceituosas são de certa forma um tipo de violência, seja ela explícita ou simbólica. O preconceito e a discriminação estão fortemente presentes entre estudantes, pais, professores, diretores e funcionários das escolas brasileiras. Os indivíduos que mais sofrem com esse tipo de manifestação são as pessoas com deficiência, principalmente mental, seguidas de negros e pardos.

 

Palavras-Chave:

Preconceito, Violência, Educação, Sociedade 

              Acreditamos que o preconceito não seja um objeto isolado das pessoas em seu cotidiano escolar, a sociedade como um todo é preconceituosa; se a escola é um desses aparelhos no bojo da sociedade ela também será uma produtora de atos preconceitosos com os sujeitos que ela (a escola) entende como fora dos padrões sociais. Entendemos que ninguém nasce com esse tipo de conduta, preferimos acreditar que seja um advento construido nas relações sociais. De acordo com (Freud, 1999, p. 86) “A nossa civilização é em grande parte responsável pelas nossas desgraças, seríamos muito mais felizes se a abandonássemos e retornássemos às condições primitivas.” Partido desta premissa acreditamos que muitas dessas ações são proferidas de maneira conscientes, deixando claro que o agressor vive em um mundo “civilizado”, porém ainda exerce atitudes primitivas, rudimentares em relação ao outro.

            Vejo que a escola em seu processo de promover a igualdade acaba muitas vezes fazendo exatamente o contrário, os atos preconceituosos no seio escolar é promovido entre os próprios educandos, educadores e alunos, funcionários e até certos gestores. Os atos atitudinais relacionados ao preconceito podem estar ligados a noção de valores e conceitos de mundo que o indivíduo tem de pessoa, bem como de sociedade e civilização. Segundo (Wallon, 2004, p. 63) "o ser humano é organicamente social e sua estrutura orgânica supõe a intervenção da cultura para se atualizar” 

            Entedemos ser dever da educação trazer a tona a concientização minimamente crítica, o discernimento e a capacidade de produção, de construção de culturas, cidadania e respeito multuo ao próximo. Cabe também a escola educar para se reipeitar as diferenças que naturalmente existe dentro do contexto escolar desde sempre.

            Vivemos em uma sociedade que quer a todo custo nos impor valores, crenças, estilo e tudo aquilo que de alguma maneira foge aos chamados padrões ditados pelo tecido áspero da humanidade. O preconceito nas dependências escolares são manifestados de diversas formas; racial, sexual, social etc. A escola sendo um ambiente que deve promover ações coletivas em um espaço social interativo, necessita que esta tenha atitudes que busquem a formação de cidadãos com uma visão de mundo aberta em amplitude para respeitar as diferenças inseridas no universo das interrelações. De acordo com (Vygotsky, 2000, p. 15) “A cultura fornece ao indivíduo os sistemas simbólicos de representação da realidade, ou seja, o universo de significações que permite construir a interpretação do mundo real”

            O preconceito não é natural do ser vivente e pensante, principalmete no ambiente escolar que deveria valorizar e promover a igualdade entre os povos, no entanto é justamente neste espaço que ocorre grande parte das ações no tocante as múltiplas formas de preconceito. Em linhas gerais indivíduos com atitudes preconceituosas estão muito ligado aos seus valores positivos ou negativos enquanto sujeito afetivo, social, cultural, moral e até econômico. Segundo (Piaget, 1998, p. 26) “A falta de consciência do eu e a consciência centrada na autoridade do outro impossibilitam a cooperação, em relação ao comum pois este não existe. A consciência centrada no outro anula a ação do indivíduo como sujeito “

            Temos percebidos que o precineito, a discriminação e a falta de respeito no ambiente escolar são ações cotidianas dentro de um universo que deveria fazer exatamente o oposto, é no seio escolar que indivíduos que nascem negros, pobres, homossexuais e alunos do EJA, são as principais vítimas. Em linhas gerais a institição escolar tem grande contribuição na promoção do preconceito na atmosfera educacional. 

  1.  

                       

Referências Bibliográficas

Freud, Sigmund. Psicologia das massas e análise do Eu. Rio de Janeiro Ed. Imago 1999

Piaget, Jean. Para onde vai a educação? Rio de Janeiro Ed. José Olympio 14ª 1998

Vygotsky, Lev Semynovich.  A formação social da mente. São Paulo Ed. Martins Fontes 2000

Wallon, Henri. Psicologia e educação. São Paulo Ed. Loyola 2004

Avaliar artigo
4
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 8 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-artigos/o-preconceito-no-cotidiano-escolar-1526862.html

    Palavras-chave do artigo:

    preconceito

    ,

    violencia

    ,

    educacao

    Comentar sobre o artigo

    marlucia pontes gomes de jesus

    O artigo apresenta as opiniões de várias personalidades sobre o Parecer CNE/CEB nº. 15/ 2010 que dá "orientações para que a Secretaria de Educação do Distrito Federal se abstenha de utilizar material que não se coadune com as políticas públicas para uma educação antirracista", para, em seguida, apresentar os fundamentos em que o Conselho Nacional de Educação se baseou na elaboração do documento. Critica veementemente as pessoas e grupos que expressaram opiniõs sem conhecer o teor do documento.

    Por: marlucia pontes gomes de jesusl Educaçãol 25/03/2011 lAcessos: 1,618

    O presente ensaio refere-se ao preconceito de crianças com necessidades especiais, relatando a inclusão dessas na escola e no meio social. Citando que essas crianças são capazes de realizar muitas atividades, sendo que deficiente é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as posições de outras pessoas ou da sociedade em que vive.

    Por: Rosirene Abadia de S. Macedol Educação> Ensino Superiorl 26/11/2014
    marlucia pontes gomes de jesus

    O artigo faz trata da legislação e dos documentos dos conselhos de educação que regulamentaram a obrigatoriedade da educação das relações étnicorraciais na educação básica, enfatizando a situação no Estado do Espírito Santo. O texto foi publicado no blog Damarlu Educação ( www.damarlueducar.blogspot) em 11 de maio de 2010.

    Por: marlucia pontes gomes de jesusl Educaçãol 13/03/2011 lAcessos: 1,683

    A atual política educacional brasileira orienta em superar o preconceito, a discriminação e o racismo que ainda imperam nas instituições de ensino. Dessa forma, as Leis 10.639/03 e 11.645/08 que incluem o ensino da História e Cultura Afro-brasileira e Indígena propõem que se acabe com os estigmas que negros e indígenas ainda sofrem. Dessa forma, se pretende, através desse artigo, refletir sobre as imagens dos negros contidos nos livros didáticos e paradidáticos.

    Por: JOANA PESSOA CARVALHOl Educação> Educação Infantill 28/05/2013 lAcessos: 251
    Gianno Nepomuceno

    O científico artigo tem como expor sobre, a influência da sociedade na formação e deformação do indivíduo dentro da sociedade plural e capitalista. Se os ambientes onde o indivíduo nasce, cresce e desenvolve, tem influência no seu desenvolvimento e na sua formação. A sociedade capitalista impõe padrões a ser seguido, e se o indivíduo não segue, ou não sendo aceito nas instituições de poder com suas indiferenças, o que essa exclusão causa e se volta contra a sociedade como violência...

    Por: Gianno Nepomucenol Direito> Doutrinal 29/08/2012 lAcessos: 335

    O presente artigo consiste na apresentação do resultado de estudos e intervenção pedagógica que analisa o uso de expressões e piadas relacionadas às populações negras como expressão naturalizada do preconceito racial no interior da escola e na sociedade. A finalidade deste texto é estabelecer a relação entre as teorias norteadoras do estudo, com o modo do povo brasileiro se perceber racista e preconceituoso, identificando causas, efeitos e seqüelas, buscando o entendimento por meio de reflexões.

    Por: DAVI SAMUELl Educação> Ensino Superiorl 12/07/2011 lAcessos: 2,377

    Qualquer que seja a definição adotada é possível entender a antropologia como uma forma de conhecimento sobre a diversidade cultural, isto é, a busca de respostas para entendermos o que somos a partir do espelho fornecido pelo "Outro"; uma maneira de se situar na fronteira de vários mundos sociais e culturais, abrindo janelas entre eles, através das quais podemos alargar nossas possibilidades de sentir, agir e refletir sobre o que, afinal de contas, nos torna seres singulares, humanos.

    Por: Carlosl Educação> Ensino Superiorl 18/09/2013 lAcessos: 64
    MARIA DAS GRAÇAS TELES MARTINS

    Este texto, originário de uma entrevista com alunos, tem como foco o desenvolvimento da temática da agressão entre alunos no ambiente escolar e virtual -o bullying e cyberbullying. O fenômeno Cyberbullying vem se tornando mais constante e presente fora do ambiente escolar acarretando diversas conseqüências físicas e psíquicas, o que é, sem dúvida, prejudicial para a vida de crianças, adolescentes e jovens.

    Por: MARIA DAS GRAÇAS TELES MARTINSl Educação> Educação Infantill 25/03/2012 lAcessos: 446

    RESUMO A ação dos gestores diante do problema da violência escolar é de fundamental importância para a vida dos alunos que a ele possam ter acesso. Não é necessário uma análise profunda de nossa sociedade para perceber o quanto a violência está latente. O índice crescente da violência na sociedade, nas mais diversas formas, já passa dos limites concebíveis. Alguns livros e revistas nos mostram essa dura realidade, entre eles concentramo-nos, principalmente nos cinco seguintes, que nos mostram i

    Por: Ana Lidia Silva Duartel Educação> Ciêncial 22/06/2010 lAcessos: 7,932 lComentário: 1
    CLEBERSON EDUARDO DA COSTA

    Existem muitas formas de desumanização e, uma delas, talvez a mais crucial, seja aquela que está sistematizada no desrespeito às diferenças, na medida em que esse desrespeito - no sentido micro - leva o indivíduo para longe da sua capacidade de coexistir e, consequentemente, para longe da possibilidade de aprendizagem, crescimento e desenvolvimento pessoal; no sentido macro, leva a sociedade para xenofobismos, nacionalismos exacerbados, genocidismos, biocidismos, apartheids, etc.

    Por: CLEBERSON EDUARDO DA COSTAl Educaçãol 22/01/2015
    Magno Fernando

    Esse artigo busca analisar e compreender as implicações dessa remuneração para o trabalho docente. Para tanto, foi realizada uma pesquisa de caráter bibliográfico-documental com base em pesquisas relacionadas à remuneração docente e documentos relativos à temática elaborados por organismos internacionais.

    Por: Magno Fernandol Educaçãol 20/01/2015

    Trata-se do primeiro processo de industrialização do Brasil que foi implantado pelo ministro Rui Barbosa à época da Independência que, por fim, foi um verdadeira fracasso.

    Por: Gabriell Educaçãol 20/01/2015

    Vivemos em um um país, que demonstra abertamente, que toda sociedade convive pacificamente e não há preconceito ou discrimanação racial, vendemos a ideia que no Brasil existe a Democracia Racial, onde negros e brancos, se relacionam amigavelmente sem qualquer preconceito ou discrimanação. Porém observamos que, o que existe de fato, é o mito da Democracia Racial, ou seja, uma falsa ideia que brancos e negros vivem harmonicamente. Neste sentido, vamos relatar brevemente sobre algumas expressões.

    Por: Simone Marial Educaçãol 17/01/2015 lAcessos: 14
    Instituto Fisiomar

    Profissionais com qualificação saem na frente no mercado de trabalho e principalmente qualificação técnica. O curso técnico é um bom investimento, pois é um investimento barato, de curto prazo e que dá um excelente retorno. Uma Instituição séria que temos em Santa Catarina é o Instituto Fisiomar, com Cursos Técnicos de Segurança do Trabalho, Petróleo e Gás, Estética, Massoterapia e Podologia.

    Por: Instituto Fisiomarl Educaçãol 08/01/2015

    Considerando que a Educação deve ser voltada para a construção da cidadania, para o desenvolvimento das potencialidades do educando e a preparação para o trabalho, como diz na LDB – Lei nº 9394/96 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação), pensa-se que escola deve ser tida em nossa sociedade como oportunidade para o desenvolvimento, não só permitindo possibilitar ao educando estudar conteúdos, mas também dele ampliar relações com o outro, portanto devendo ser de qualidade.

    Por: nilda flores schutzl Educaçãol 30/12/2014
    Jaguaracy Conceição

    Esse texto tem como base a entrevista publicada na Revista Nova Escola de dezembro de 2014 e que traz como título: "A escola é a estrutura estável de quem vive numa família instável". Nela o sociólogo francês Bernard Lahire diz que o meio social é crucial ao desenvolvimento das crianças, pois sozinhas elas não conseguem superar as dificuldades que se deparam.

    Por: Jaguaracy Conceiçãol Educaçãol 23/12/2014 lAcessos: 21
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Basicamente a três milhões de anos atrás. A evolução humana foi desencadeada na África. Resultada de um elo anterior que favoreceu no surgimento do homo sapiens e do chimpanzé. Todas as populações do mundo descendem de tal elo. O que já foi explicitado cientificamente por comparações de DNA.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educaçãol 23/12/2014 lAcessos: 11
    Damião A. Leite

    A administração escolar tradicional vem passando por diversas mudanças ao longo dos anos, tendo como principal metamorfose no bojo das vivências educacionais a gestão democrática que tem como pano de fundo a promoção do indíviduo rumo a cidadania, a autonomia e a criticidade por meio do envolvimento de todos os interessados na melhoria do ensino em sentidos múltiplos, construindo os afazeres pedagógicos com educandos, educadores, pais e a comunidade em geral praticando o trabalho coletivo.

    Por: Damião A. Leitel Educaçãol 16/11/2009 lAcessos: 5,462 lComentário: 1

    Comments on this article

    1
    nathalia 19/09/2011
    Eu acho que nós devemos começar uma nova era, e parar com esse tipo de bobagem de preconceitos e sim ligar para o futuro.Sou uma menina de apenas 9 anos mais sei o que preconceito na escola ja sofri com isso e vejo ourtos crianças sofrendo crianças menores que eu sofrem mais por serem mais indefessas as crianças mais fortes sao aquelas que praaticam muito mais que preconceito e sim bullying!!! Meninas mais bonitas e mais altas batiam nas menininhas menores eu so olhava e via tambeim que as vezes meninas comiam seus lnches no bnheiro com medo de que os meninos os peguem.
    -1
    kelvin 13/07/2011
    É disto que trata o livro, leitura obrigatória para quem quer ver a escola sem os véus que a encobrem e não se conforma com o fracasso escolar .
    -1
    kelvin 13/07/2011
    nao pode cometer esse tipo de preconceito
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast