O Professor Pode Ensinar A Ler E Escrever Ao Mesmo Tempo

Publicado em: 29/06/2009 |Comentário: 5 | Acessos: 14,062 |

O PROFESSOR PODE ENSINAR A LER E ESCREVER  AO MESMO TEMPO

Jorge Elissander Novato Balbino

O professor pode ensinar a ler e escrever e ao mesmo tempo, ensinar as finalidades de leitura e da escrita nas diferentes situações sociais nas quais esses objetos culturais estão presentes.

Ensinar, presenciar atos de leitura dentro e fora da escola, induzir o aluno a ouvir e perceber a leitura com a finalidade de proporcionar a esse aluno as relações das mais diversas modalidades de textos e suas relações com o meio e o mundo, procedimentos que levam o leitor a diferenciação através do uso de jornais e livros levando ao educando a concepção de como se lê.

O educador deve mostrar ao seu educando para que serve a leitura, mostrando a necessidade primordial que vem ser a comunicação tanto para com o professor, com os outros colegas e para se comunicar e interagir com o mundo, respeitando sempre o conhecimento do aluno.

As atividades de leitura para crianças que ainda não sabem ler favorecem a aprendizagem, a reflexão e a escrita, levando à criança a pensar a escrita e a discutir entre elas avançando no conhecimento.

Freqüências de atividades que levem o aluno  a chegar a escrita, reconhecendo sempre os seus saberes, a utilização de vários e diversos textos impulsiona o educando a leitura  prazerosa.

A utilização de um texto que seja a fonte de conhecimento, ou seja, notícia para ser reescrita pelos alunos destacando o mundo que se pode olhar e explorar, textos de conhecimento dos alunos como contos podem e devem ser usados no processo de ensino-aprendizagem com a finalidade de aprender a ler e escrever, ressaltando a importância do conhecimento lingüístico e não o do tema.

O educador deve incentivar a interação entre pares onde o aprendizado é mutuo, com a ajuda dos que tem mais conhecimento para com o que tem dificuldades, o professor assume o papel de facilitador, as crianças são levadas as descobertas por si mesmas.Deve-se chamar a atenção para textos claros e objetivos evitando textos distorcidos que levam o educando a um conflito e retrocesso no processo de ensino. A igualdade de condições deve ser um dos pontos fundamentais que levam a criança a se planejar para se organizar.

O professor pode ensinar a ler e escrever, oferecendo aos alunos atividades que favoreçam a aprendizagem a quem ainda não sabe ler, isto é leituras que levem a reflexão, que despertem  a curiosidade e leve a criança a pensar na escrita e discuti-la entre eles para avançarem no conhecimento.

O processo de ensino aprendizagem deve considerar a utilização da biblioteca constantemente. A seleção de histórias com textos envolventes, a diversidade de materiais com qualidade, a utilização de ilustrações que enriqueçam  e envolvam sem lados obscuros, materiais audiovisuais, estes  de grande importância  para a expressão dos significados e diferentes expressões culturais.

A utilização destes materiais dá oportunidade para recordar, resumir e parafrasear, levando a criança a pensar a história como um todo sintetizando informações, a criança ao repetir a história, ou reinventá-la com suas próprias palavras, já tem a concepção de ler e escrever, reforçando que o professor pode sim ensinar a ler e escrever ao mesmo tempo desde que fuja do ensino tradicional e invista numa maior participação do aluno de forma prazerosa e contínua.

Avaliar artigo
5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 11 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-artigos/o-professor-pode-ensinar-a-ler-e-escrever-ao-mesmo-tempo-1000850.html

    Palavras-chave do artigo:

    leitura escrita atividades textos

    Comentar sobre o artigo

    Francisco Alex de Sousa Lima

    Pretende-se nete trabalho explanar sobre os distúrbios da leitura, escrita e aritmética, que, segundo alguns estudiosos, estão interligados uns aos outros.

    Por: Francisco Alex de Sousa Limal Educação> Ciêncial 17/06/2011 lAcessos: 621

    O presente trabalho tem por objetivo apresentar a aquisição da leitura e da escrita, onde a mesma se inicia muito antes do que geralmente se imagina, quando a criança, antes mesmo de entrar na escola, começa a tomar contato com materiais escritos. O processo de aprendizagem da leitura e da escrita tem o propósito de observar a evolução do aprendizado, sendo assim, necessário diagnosticar os fatores que podem estar interferindo para poder fazer com que a criança evolua e acompanhe o que é pedido.

    Por: ARIUSKA SOARES BRASILEIROl Educaçãol 20/04/2011 lAcessos: 2,707
    Joice Lima Santana

    Através da leitura, chegamos ao conhecimento, que se dá nas entrelinhas. A leitura reflete-se de forma significativa na escrita da criança e do adulto também, na medida em que, ao ler ampliamos o vocabulário e o conhecimento das estruturas de diferentes textos, o que aumenta o repertório e reflete-se em uma escrita melhor.

    Por: Joice Lima Santanal Educação> Línguasl 24/06/2010 lAcessos: 2,886

    A leitura e a escrita são caminhos importantes que levam ao desenvolvimento do conhecimento, e por consequência, o progresso pessoal e profissional.

    Por: Lucivanda Mira Coêlhol Educação> Ensino Superiorl 20/01/2011 lAcessos: 9,164

    O presente trabalho trata sobre a Leitura: a amplitude do conhecimento, baseado em alguns autores, dentre eles (as), Irandé Antunes, também por meio de pesquisas bibliográficas que abordam a relevância de adquirir novas experiências através da leitura. O respectivo artigo pretende enfatizar, a leitura, a escrita e o leitor crítico para obter como resultado o hábito de ler por satisfação e não por obrigação. Palavras-chaves: Leitura. Escrita. Leitor crítico.

    Por: Bia Oliveira de Andradel Educação> Línguasl 14/05/2010 lAcessos: 1,960 lComentário: 1
    Thiago R. Silva

    O presente artigo tem como intuito demonstrar os fatores que influenciam na dificuldade dos discentes no processo de leitura e escrita no período da alfabetização. Vale salientar que a prática pedagógica é fator preponderante na aquisição dessas habilidades e as dificuldades advindas desse processo, pois os mecanismos adotados pelos docentes durante a intervenção psicopedagógica propiciará a esses um avanço qualitativo no desenvolvimento cognitivo, social, cultura e até mesmo em seu relacionamen

    Por: Thiago R. Silval Educação> Educação Infantill 14/07/2011 lAcessos: 6,739

    A leitura e a escrita são fundamentos básicos para a formação de estudantes em fase inicial. O lúdico tem o poder de fazer com que a criança transponha barreiras de dificuldades que para eles inibe a sua criatividade, tanto em escrever quanto em expor em forma desenhos, pintura ou exposições orais. Portanto, o projeto visa em trabalhar o imaginário para que assim a criança possa interagir através da escrita espontânea, uma vez que o aluno precisa se sentir e ser o sujeito de suas próprias ações

    Por: Luciane do Pradol Educação> Línguasl 15/11/2014 lAcessos: 15
    Joelma de Oliveira Silva

    Conclusão O presente artigo teve a finalidade de mostrar a importância da utilização de gêneros textuais diferentes para que o processo ensino-aprendizagem, ao que diz respeito a leitura e escrita, possa acontecer naturalmente.

    Por: Joelma de Oliveira Silval Educação> Educação Infantill 18/07/2012 lAcessos: 625
    Francisca Evânia Souza de Lima

    O presente artigo registra um recorte de pesquisa em andamento. Trata-se de um estudo acerca da aprendizagem da escrita com crianças do 1º ano do ensino fundamental, numa sala multi-seriada de uma escola do campo, e jovens estudantes do ensino fundamental II e médio, todos oriundos do Projeto de Assentamento Barbaço, localizado no município de Japí / RN. O artigo aborda questões relacionadas a aprendizagem da escrita.

    Por: Francisca Evânia Souza de Limal Educação> Línguasl 27/07/2010 lAcessos: 1,076

    Ler é essencial. Através da leitura, testa-se os próprios valores e experiências com as dos outros. No final da leitura de cada livro, fica-se enriquecido com novas experiências, novas idéias, novas pessoas. Eventualmente, fica-se conhecendo melhor o mundo, e um pouco mais de si mesmo.

    Por: Walderclaudio Nascimento Santosl Educaçãol 16/08/2009 lAcessos: 15,866 lComentário: 4

    Com o advento da globalização, a educação é tida como o maior recurso de que se dispõe para enfrentar essa nova estruturação mundial. Objetiva-se evidenciar a importância dos alunos encontrarem na escola não só evidências de seu próprio mundo, mas também aparato capaz de os "cunharem" para uma participação social plena e não "fatiada", como sugere o estudo por disciplinas. Jovens e adultos, público cada vez mais informatizado, exige que as disciplinas deixem de ser apresentadas de forma isolada.

    Por: KÁTIA CÉLIA FERREIRAl Educaçãol 18/12/2014

    A expressão artística faz parte da história humana desde os tempos mais remotos. Sendo assim, a Arte é um dos modos de conhecimento ao qual os estudantes devem também ter acesso, assumindo-se como sujeitos capazes de apreciação estética e criação artística, articuladas aos processos e mediações da cultura contemporânea. Diante das mudanças pelas quais o ensino-aprendizagem de Arte passou, vê-se a necessidade de discorrer a respeito da presença desta disciplina no currículo escolar, revendo sua i

    Por: KÁTIA CÉLIA FERREIRAl Educaçãol 18/12/2014

    Sabe-se que a educação é responsável pela formação do aluno enquanto cidadão, de maneira a prepará-lo para a vida em sociedade, para que saiba atuar criticamente nesse meio. Assim, a escola inclusiva busca complementar a formação do aluno por meio das relações de convivência, uma vez que conviver com o diferente é parte desse processo de formação, até porque, como já mencionamos, é na escola que o aluno desenvolve seus aspectos cognitivos, motores e psicológicos.

    Por: Rosely dos Santos Ferreiral Educaçãol 17/12/2014

    As revela à existência de ações políticas e sociais que possam concretizar e promover a efetividade da inclusão social da pessoa com necessidade educacional especial. Vejo que a sociedade deve compreender como se dá o processo de ensino-aprendizagem da criança com Síndrome de Down na Educação Básica, as dificuldades enfrentadas e as possibilidades e mecanismos de reconhecimento e aceitação dessas limitaçõ

    Por: Rosely dos Santos Ferreiral Educaçãol 17/12/2014

    No processo de inclusão a escola propõe a conviver com o "diferente", aceitá-lo, auxiliá-lo, e muitas vezes aprender algo com essas crianças. Entretanto para oferecer uma inclusão verdadeira é preciso entender as particularidades das crianças, mediar a socialização de forma que todos trabalham para o aprendizado de cada uma delas, em benefício de todos. Pretendo contribuir com as discussões éticas e educacionais que envolvem a formação da criança Down por meio da educação.

    Por: Rosely dos Santos Ferreiral Educaçãol 17/12/2014

    A educação escolar é um dos contextos em que a criança aprende e desenvolve-se nos aspectos cognitivos, emocional e social. Por isso a necessidade de incluir a criança com necessidades especiais na escola, pois atender a todos é parte do processo educativo, por isso a diversidade cultural e outras questões sociais precisam ser vivenciadas também em sala de aula.

    Por: Rosely dos Santos Ferreiral Educaçãol 17/12/2014

    Apresento algumas características que identificam a criança Down, o conceito de Educação Inclusiva e Educação básica, e da diversidade na educação. Relacionam-se aspectos positivos da inclusão da criança Down na Educação Básica e como deve acontecer essa inclusão, enumerando as dificuldades no processo de inclusão da criança Down na Educação Básica. Conceitua-se a Síndrome de Down e sua identificação, bem como o tratamento e a motivação para inserir a criança com deficiência na Educação Básica.

    Por: Rosely dos Santos Ferreiral Educaçãol 17/12/2014

    O estudo realizado teve como foco principal compreender os avanços no processo de construção do conhecimento dos alunos de uma turma de 3º ano, através dos jogos matemáticos, priorizando, desse modo, a ludicidade no ensino. A pesquisa foi desenvolvida durante o estágio realizado pela acadêmica e pesquisadora junto a uma turma de 3º ano.

    Por: Luziane Da Silva Costal Educaçãol 15/12/2014
    JORGE ELISSANDER N. BALBINO

    A educação no ensino médio é repleta de lacunas que causam em diversos alunos a desistênciaO que o jovem que chega ao ensino médio aspira, depende de uma série de fatores o O currículo no ensino médio também depende de vários fatores, que esbarram em políticas públicas, questões sociais, que podem ou não fazer um currículo de sucesso ou retrocesso.

    Por: JORGE ELISSANDER N. BALBINOl Educaçãol 28/02/2011 lAcessos: 437
    JORGE ELISSANDER N. BALBINO

    Os índices de reprovação na primeira série do primeiro grau na década de 1970, em Juiz de Fora, eram muito elevados. A necessidade de providências urgentes para modificar esse cenário que denunciava o descaso das esferas públicas referentes à educação e a grande desigualdade social, assolava o município. A situação da educação pré-escolar na cidade encontrava-se ainda mais precária, pois existiam poucas instituições para atender à infância, principalmente carente.

    Por: JORGE ELISSANDER N. BALBINOl Educação> Ensino Superiorl 23/02/2011 lAcessos: 640
    JORGE ELISSANDER N. BALBINO

    Nesse estudo, procurou-se evidenciar a evolução do segmento de educação infantil especificamente no município de Juiz de Fora, Minas Gerais, analisando sobre a educação infantil no Brasil e no município e as relações entre os profissionais da educação infantil.

    Por: JORGE ELISSANDER N. BALBINOl Educação> Ensino Superiorl 16/02/2011 lAcessos: 1,974
    JORGE ELISSANDER N. BALBINO

    The text shows a Paulo Freire still not released in Brazil and in turn widely used abroad, warning that it is only used in the education of youngsters and adults and has been used as research in various areas and even in early childhood education.

    Por: JORGE ELISSANDER N. BALBINOl Educaçãol 14/03/2010 lAcessos: 257
    JORGE ELISSANDER N. BALBINO

    O texto mostra um Paulo Freire ainda pouco divulgado no Brasil e em contrapartida muito utilizado no exterior,alerta que não é apenas utilizado na educação de Jovens e Adultos e que vem sendo utilizado como pesquisas em em áreas diversas e até mesmo na educação infantil.

    Por: JORGE ELISSANDER N. BALBINOl Educaçãol 25/06/2009 lAcessos: 35,467 lComentário: 4
    JORGE ELISSANDER N. BALBINO

    O artigo faz uma leve critica as praticas de alguns profissionais de educação, fazendo uma sintese do filme " A sociedade dos poetas mortos;,levando ao educador e/ou futuro educador a refletir sobre o que vai ensinar, alertando ainda para se respeitar o conhecimento do aluno e ensentivando a este aluno a aprender parazerozamente e não por conceitos programados por algumas escolas, pregando a formação autocritica dos cidaãos.

    Por: JORGE ELISSANDER N. BALBINOl Educaçãol 11/06/2009 lAcessos: 1,490
    JORGE ELISSANDER N. BALBINO

    O texto é uma critica ao comodismo de alguns profissionais da educação que estão acomodados e/ou parados no tempo e não buscam alternativa ao ensino...

    Por: JORGE ELISSANDER N. BALBINOl Educaçãol 07/06/2009 lAcessos: 344

    Comments on this article

    0
    Ana 29/03/2011
    Por favor não sei o q fazer pois minha filha tem 6 anos e mes q vem faz 7 anos e está na primeira série, e não conheçe as letras, não sei o q fazer estudo cm ela mas não está adiantando me ajude....
    3
    jussara brainer 25/02/2011
    a criança tem 11 anos mas nao sabe ler nada o que faço.
    3
    luciana silveira 14/02/2011
    tenho uma sala de analfabetos, eles tem muitas dificuldades de ler e escrever, tem alguns q sabe e outro não, fico meia sem saber o q fazer...
    2
    Marineide 19/07/2010
    A tipologia textual tornou-se indispensável na alfabetização/letramento ou letramento/alfabetização, sendo que um complementa o outro em nível de abrangência no universo das letras.
    1
    beatriz 09/06/2010
    o quer dizer miloquito
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast