O Sentido Da Existência Sem Sentido

Publicado em: 11/12/2008 |Comentário: 0 | Acessos: 1,043 |

O sentido da existência sem sentido



Qual é o sentido da existência humana? Qual o sentido da vida?


Com indagações dessa natureza é que, muitas vezes, começamos nossas aulas de filosofia.


É claro que os acadêmicos, recém chegados à faculdade nos tomam por louco. Ou ficam sem entender o que estamos querendo dizer. E, antes de responder sua incompreensão, continuamos as indagações: Por que exercemos nossas atividades profissionais? Por que queremos estudar, preparando-nos para bem exercer uma profissão? Por que fazemos, cotidianamente as mesmas atividades, mesmo algumas que não nos dão prazer?


A essas indagações, as respostas começam a surgir: “trabalhamos para ganhar dinheiro.” “Estudamos para nos preparar e exercer bem nossa profissão e, além de ser bons profissionais, ganharmos mais e com isso termos melhor nossa qualidade de vida”; “fazemos isso para sermos reconhecidos em nossa profissão e, graças a isso nos realizarmos profissional e financeiramente”.


Frente a essas respostas te convido a me ajudar a responder a essas indagações: por que queremos realização pessoal? Por que queremos dinheiro? Qual o sentido disso?


Aqui podemos acrescentar as indagações da música “Você”, do Raul Seixas:


“Você alguma vez se perguntou por quê
Faz sempre aquelas mesmas coisas sem gostar?
Mas você faz, sem saber por que você faz; e a vida é curta!
Por que deixar que o mundo lhe acorrente os pés
Finge que é normal estar insatisfeito
Será direito, o que você faz com você?
Por que você faz isso, por quê?”

Ao introduzir essa situação existencial, é possível que você reaja e procure, a todo custo, dar uma resposta que nos satisfaça, pensando que estamos querendo uma resposta correta, como se fosse uma prova. Mas nossa indagação vai para além disso.


“Deixa, deixa, deixa eu dizer o que penso desta vida


preciso demais desabafar!


Suportei meu sofrimento


de face mostrada e riso inteiro


se hoje canto meu lamento


coração cantou primeiro


e você não tem direito


de calar a minha boca


afinal me dói no peito


uma dor que não é pouca


tem dó! (Claudia)


A cantora não pedia dó, como a pedir tenha pena ou compaixão, mas como um convite à reflexão, como quem diz: “dá um tempo, e pene!”. E aqui a nossa indagação se baseia exatamente na necessidade de sentido para essa loucura que é nossa vida, sem sentido. Nossa indagação vem para afirmar o sem sentido da vida. Pare, pense e, honestamente, verifique se tem sentido de tudo o que você faz, o que nós fazemos...


A pessoa nasce, cresce e começa a enfrentar mil e tantos problemas: nos relacionamentos (namoro, casamento, filhos, amigos), na escola (“pra quê estudar tudo isso se nunca vou usar?” – tem até aqueles versos do Raul Seixas, falando do “dicionário cheio de palavras que eu sei que nunca vou usar!”), no trabalho (patrão chato, funcionário desleal e/ou descompromissado)... E, depois de alguns anos de trabalho, de sofrimento e superação, de entrega total, de dedicação; depois de conseguir um lugar ao sol... a pessoa morre! E o que acontece com tudo que fez? O que sobra de tudo que ajuntou?


Nesta altura você já deve estar arrumando argumentos para nos dizer que se sente uma pessoa realizada e não vê sentido nessas indagações. Nossa resposta a isso é: uma pessoa realizada é aquela que já alcançou seus objetivos. Uma pessoa que alcançou os objetivos da sua vida, não tem mais por quê lutar. Está, portanto, pronta para a morte; ou melhor, a pessoa que não tem objetivos, já está morta!


Outros, provavelmente nos dirão que dinheiro não é tudo. Concordamos! Mesmo porque não estamos falando sobre dinheiro. Estamos buscando o sentido disso tudo e constatamos que, mesmo o dinheiro, o poder que ele confere ou que pode comprar, não tem sentido. Tanto o mendigo, que passou a vida esfomeado como o mais rico dos homens dirigem-se para um ponto comum: a morte.


Essa busca de sentido para a existência não é recente. Ela acompanha a humanidade desde os mais antigos pensadores e pelas várias manifestações religiosas. O salmista (salmo 8,5), indaga a seu Deus: “que é o homem, para que dele vos lembreis? Um filho de homem, para que o venhas visitar?


O propósito desta reflexão se deve à época em que nos encontramos. Estamos nos aproximando do natal; fim de um ano e começo de um novo. Tempo de avaliar e planejar. E como não temos resposta para o sem sentido da vida, podemos dizer que, embora nada tenha sentido, cabe a nós darmos sentido à nossa existência. E o final do ano é tempo de redefinir prioridades. E aqui podemos nos deparar com um problema: já que viver não tem sentido qual o sentido que podemos dar à nossa existência?


Neri de Paula Carneiro – Mestre em Educação, Filósofo, Teólogo, Historiador.


Leia mais: <http://www.webartigos.com/authors/1189/Neri-de-Paula-Carneiro>;  <www.brasilescola.com.br>



Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-artigos/o-sentido-da-existencia-sem-sentido-680272.html

    Palavras-chave do artigo:

    natal

    ,

    reflexoes natalinas

    ,

    o sentido da vida

    Comentar sobre o artigo

    O dia de natal e um dia especial pois as pessoas ficam alegres, felizes,deveriamos viver todos os outros dias como se fosse o dia de natal.

    Por: Julio Nerisl Religião & Esoterismo> Evangelhol 30/11/2009 lAcessos: 340

    Uma estrela guiou os magos ate JESUS,hoje nos como estrelas de DEUS devemos guiar as pessoas a JESUS.

    Por: Julio Nerisl Religião & Esoterismo> Evangelhol 30/11/2009 lAcessos: 1,159 lComentário: 1
    Matt Rosar

    Ao passar um saber, um conhecimento, ou mesmo uma informação é necessário técnicas que seja necessária para estabelecer a compreensão entre emissor e emitente. No caso será tratado professores e alunos. O grande entrave na educação brasileira encontra-se na dificuldade da aplicação de certas técnicas de ensino, ou como dizem muito colegas, há falta de didática de muitos professores, embora tenham grande domínio de suas áreas do saber.

    Por: Matt Rosarl Educaçãol 19/04/2014

    Aqui você poderá ver algumas considerações sobre avaliação escolar e principalmente sobre a possibilidade de avalizar os alunos de forma virtual.

    Por: Josimar Souzal Educaçãol 29/03/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Foi aluno do ilustre professor Frege, ele mesmo admitia ter sido profundamente influenciado. Mas tarde tornou se doutor pela mesma universidade, isso no ano de 1921. Desenvolveu grandes estudos posteriormente, sendo que o filósofo Schilick ao saber do seu exuberante conhecimento convidou para ocupar o cargo de professor assistente na famosa universidade de Viena.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educaçãol 25/03/2014

    O Ministério da Educação anuncia a criação de gratificação de 200 reais mensais para professores que participarem de programa de requalificação, para obter melhorias na atuação dos alunos em exames como o ENEM

    Por: Central Pressl Educaçãol 24/03/2014

    A prática pedagógica de todo professor é analisada frequentemente. No sucesso ou no fracasso do processo de aprendizagem, a prática educacional é sempre o foco dos questionamentos. Diante desta pressão, a conscientização de alguns fatores é o principal indicador do que deve ser, de fato, repensado.

    Por: Claudia Gonçalves da Silval Educaçãol 17/03/2014 lAcessos: 22

    Considerações críticas acerca da educação/saúde e a vaquinha dos mensaleiros que pagou suas multas.

    Por: Julio César Cardosol Educaçãol 10/03/2014
    Adão Martins

    Ser professor é uma dádiva divina, sem essa categoria nunca chegaríamos a ser o que hoje somos. Precisamos sempre valorizar essas pessoas. Estão presentes em todas nossas etapas de aprendizado. Deus abençoe vocês.

    Por: Adão Martinsl Educaçãol 09/03/2014
    Eliana Márcia Barbosa

    O texto aborda uma das crises cruciais na escola: a busca constante por autonomia e democratização dos processos de gestão os principais desafios para o enfrentamento dessa realidade.

    Por: Eliana Márcia Barbosal Educaçãol 07/03/2014

    A III Conferencia Nacional da Cultura nos propõe algumas reflexões não só sobre cultura, mas principalmente sobre o direito à cultura

    Por: NERI P. CARNEIROl Educaçãol 07/07/2013 lAcessos: 19

    Percebeste o crescimento da violência em nossa sociedade? para minimizar a violência nos tornamos mais violentos. Isso não é novo, apenas evidencia uma característica do ser humano: a crueldade que produz violência. Produz situações de maldade e age violentamente de forma intencional. Não falo apenas pelo que fazem os bandidos, mas também a partir dos tiros da polícia, institucionalisando a violência. Maquiavel e Nietzsche, comentam isso.

    Por: NERI P. CARNEIROl Educaçãol 12/10/2009 lAcessos: 448

    Faço aqui um manifesto ecológico em favor das sacolas de plástico. E não estou louco – a não ser de ira contra os aproveitadores!!! Um equívoco está se alastrando: a necessidade de por fim às sacolas plásticas, no comércio. Isso é engodo em nome do lucro.

    Por: NERI P. CARNEIROl Educaçãol 09/10/2009 lAcessos: 698 lComentário: 1

    Para nós que as enfrentamos ou sofremos suas conseqüências, as crises, catástrofes, cataclismos, tragédias, ou grandes acidentes – depende de como as queiramos denominar – não são bem vindas. Mas as tragédias são o prato principal, do qual se nutre a imprensa e são esperadas ou buscadas – ou fabricadas – para deleite do sensacionalismo, principalmente televisivo. Exemplo típico está ocorrendo agora.

    Por: NERI P. CARNEIROl Educação> Ciêncial 11/05/2009 lAcessos: 375

    No livro de Atos dos Apóstolos encontramos uma das passagens mais controvertidas, discutidas e, ao mesmo tempo, belas, do Novo testamento. Trata-se At, 2,1-11 que se popularizou como fundamentação para a festa do Pentecostes.

    Por: NERI P. CARNEIROl Religião & Esoterismo> Religiãol 22/01/2009 lAcessos: 1,079 lComentário: 2

    Em se tratando de estudos bíblicos nem tudo são certezas e unanimidade. Existem contradições em relação às opiniões e conclusões. Uma delas é em relação a Lucas e à autoria do evangelho de Lucas e os Atos dos Apóstolos. A tradição cristã atribui tanto o texto do quarto Evangelho como o de Atos dos Apóstolos a Lucas, médico mencionado por Paulo em 2Tm 4,11; Cl 4,14 e Fm 24. Alguns autores, entretanto, preferem dizer que ambos são personagens distintos

    Por: NERI P. CARNEIROl Religião & Esoterismo> Religiãol 22/01/2009 lAcessos: 4,217

    A historicidade da Bíblia é, muitas vezes, colocada como argumento de fé. Muitas vezes a Bíblia é usada de forma definitiva, sem considerar elementos simbólicos e textuais que não podem ser desconsiderados. Se for encarada dessa forma tanto a fé como a razão tem que se submeter a algumas contradições textuais que estão presentes no texto bíblico.

    Por: NERI P. CARNEIROl Religião & Esoterismo> Religiãol 22/01/2009 lAcessos: 1,715 lComentário: 1

    Os retratos das comunidades, que muitas vezes são utilizados par mostrar a perfeição da Igreja nascente em oposição aos pecados das nossas comunidades ou igrejas, na realidade são o que chamamos de sumários. Esses conjuntos de textos, pequenos resumos, aparentemente não são obra de Lucas e não faziam parte do texto original. São, sim uma espécie de síntese do que os redatores ou autores do texto pensavam a respeito de como estava organizada a comunidade cristã.

    Por: NERI P. CARNEIROl Religião & Esoterismo> Religiãol 22/01/2009 lAcessos: 1,343
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast