Projeto De Leitura

Publicado em: 01/11/2009 |Comentário: 15 | Acessos: 44,585 |

PLANO DE CURSO

 

IDENTIFICAÇÃO:

 

Unifacs-Universidade do Salvador

Professoras participantes do projeto: IvXXXXXX

                                                            EdXXXXX          

                                                            EuXXXXXX.

 

 - INTRODUÇÃO

 As relações escola-família-comunidade sempre foram marcadas pela frieza e pelo distanciamento. A comunidade não se envolve muito na vida da escola e vice-versa. Observa-se a cada dia o quão é preciso reconstruir o papel da escola perante sua clientela e perante a comunidade na qual está inserida. Essa relação deve ser bastante intima, inseparável, pois a sociedade, para sobreviver e se transformar necessita da escola e dos indivíduos. Mas para que a escola se transforme em sua totalidade, é essencial que a reflexão sobre seu papel seja feito coletivamente. Pensando nisso, o projeto Piquenique da Leitura foi idealizado com o objetivo de incentivar as escolas para que cada uma delas seja espaço de convivência participada e inclusiva. O projeto criado pelas professoras Ivânia, Edelzuite e Eunice será realizado no turno oposto ao das aulas letivas (vespertino), com vistas à disseminação da leitura nos lugares públicos, atingindo a uma gama maior e mais diversificada de público, sempre se pensando na leitura por lazer, com o intuito de que os alunos e a comunidade possam ter acesso a mais ampla variedade de texto possível, estimulando o debate de temas como cidadania, identidade pessoal, comunidade, meio ambiente, etc. O projeto abrange diferentes faixas etárias, diferentes níveis de escolaridade, a diversidade cultural de seus leitores, no sentido de qualificá-los para acessar, com competência e autonomia, as diferentes linguagens em variados suportes textuais.

        Como idealizadoras desse projeto, entendemos que a escola é só um dos espaços nos quais ocorre o encontro com os livros, e que a leitura escolarizada está muito longe de esgotar todas as possibilidades do ato leitor. Por isso, o mesmo será realizado com o objetivo de disseminação da leitura para sensibilizar e despertar nos educadores, crianças e famílias, o interesse pelo gosto de ler, tornando-se educadores-leitores, fazendo relação texto e contexto, leitura de vida e de mundo, resgatando e revalorizando a identidade étnica, cultural e local. Acreditamos também que para criar leitores, basta que o cerquemos de textos de todos os gêneros, que os textos sejam uma presença tão constante que seja impossível ignorá-los. Essa premissa serviu também para nós implantarmos um projeto que faça a ponte entre livros, alunos e comunidade: quem forma leitores, cria cidadãos. Sair-se-ão muitos deste projeto, ainda é cedo para saber. Mas se não fazê-lo, como sabê-lo? Será iniciado em 08 de maio de 2006, após um processo de inscrição dos alunos nas escolas a que pertencem e esclarecimento acerca do projeto para os mesmos. Será enviado também um ofício para as diretoras das escolas, para a SEC municipal e prefeito com o objetivo de informar acerca do projeto, do uso de determinados lugares públicos e convite à participação deles também. O projeto realizar-se-á através de oficinas itinerantes que têm o objetivo de envolver a comunidade e fomentar a leitura em comunidades diferentes (urbanas e rurais). É importante enfatizar que outra faceta do projeto é a estruturação da auto-estima, às vezes perdida ou fragilizada nas pessoas oriundas de segmentos sociais economicamente menos favorecidos.

        A construção desse nosso ideal é um processo longo que requer perseverança. Precisamos ser utópicos, acreditar na utopia, porque só os sonhos podem nos levar aos melhores dias. Sonhar é acreditar na vida. Por isso, ao salientar o projeto "Piquenique da leitura” podemos compará-lo tal como uma semente minúscula, que plantada agora, e se cuidada desde os primeiros instantes da semeadura, com presteza e dedicação, se tornará no futuro a árvore do bem, e frutificará os preciosos frutos da sabedoria; bem como trará significativa melhora no ensino e em todos os sentidos, convidando o aluno e a comunidade sapeaçuense, a "darem um mergulho" em si mesmos, e a partir dos conhecimentos dos seus valores saberão valorizar a si e ao próximo, tornando-se "peças fundamentais" na transformação do mundo que os cerca. É imprescindível enxergar com novos olhos o verdadeiro, o universo mágico e encantador do livro e, conseqüentemente, entendendo-se aí toda a prática cotidiana do aluno.
               

  2- PÚBLICO ALVO

         O Projeto visa atender a alunos (que não dominam o código, dominam o código, mas não atribuem sentido ao que lêem, que já desenvolveram a competência leitora, mas não adquiriram o hábito e/ou prazer pela leitura) dos colégios XXXX e YYYYY, e pessoas pertencentes às comunidades urbana e rural, visto que o mesmo trata-se de um projeto com oficinas itinerantes. Ele atenderá além dos 52(cinqüenta) alunos inscritos, outros jovens, adultos, familiares de alunos ou não, etc. Segundo a observação dos questionários e a ficha de inscrição, pode-se dizer que o perfil principal do público alvo que esse projeto atingirá são alunos de ensino fundamental e médio, que não lêem muito, lêem na escola textos que estão distantes do seu dia-a-dia, sentem vergonha de ler em voz alta na sala de aula, possuem família com histórico de baixo índice de leitura, não costumam fazer produções em sala na escola ou fora dela, nunca participaram de algum Projeto de Leitura anteriormente, alunos cujas escolas apenas a disciplina Português tem assumido o trabalho (razoável) com a leitura/produção textual. Além desse público (alunos), o projeto objetiva atingir pessoas moradoras das comunidades urbana e rural, geralmente das classes mais baixas, que possuem baixa renda, não podem desfrutar do ato da leitura como hábito, que não têm ou não tiveram acesso ao mundo da leitura, pessoas que não tiveram a oportunidade da conclusão do segundo grau, que sofrem com o preconceito e exclusão na nossa sociedade moderna, mas que podem encontrar na leitura momentos de prazer, de estar no mundo, de inclusão social que nada mais é do que o seu direito como cidadão reflexivo e crítico dos problemas sociais. Além disso, outra faceta do projeto é a estruturação da auto-estima, às vezes perdida ou fragilizada nas pessoas oriundas de segmentos sociais economicamente menos favorecidos.

 3- OBJETIVOS

3.1- Objetivo Geral

 Apesar de a escola possuir um papel importante na formação de leitores e escritores, não podemos esquecer que é só um dos espaços nos quais ocorre o encontro com os livros, e que a leitura escolarizada está muito longe de esgotar todas as possibilidades do ato leitor. Por isso, este projeto tem como objetivo principal criar condições para a leitura em contextos diferentes dos da escola, nos quais os alunos e a comunidade possam ter uma relação mais livre e pessoal com as mais diversas modalidades textuais que circulam socialmente, e formarem-se como leitores e escritores autônomos no exercício de sua cidadania.

 

 3.2- Objetivos Específicos

    Formar alunos-multiplicadores de leituras nas escolas públicas;

   Estender a prática de Brincar de Biblioteca em casa e na comunidade;

   Estimular a leitura por prazer, por meio de atividades lúdicas;

   Desenvolver estratégias de leitura/produção de textos e hipertextos;

   Oferecer tempos e espaços de leitura diferentes aos da escola para os jovens e as famílias, em comunidades que estão distanciadas da cultura escrita e falada;

   Fomentar o gosto pela leitura, em educadores e alunos, implementando práticas leitoras ricas e diversificadas em todas as áreas do conhecimento;

   Sensibilizar, difundir e favorecer a leitura nos espaços pedagógicos e comunitários, permitindo que a linguagem seja um fator interativo, ampliando o repertório dos que lêem e constroem a sua própria história cidadã;

   Tornar a relação escola-comunidade mais íntima;

   Propiciar a formação de educadores, e alunos leitores e produtores de textos nas diversas áreas do conhecimento;

   Oportunizar aos sujeitos leitores, a possibilidade de repensar o real, pela compreensão mais aprofundada dos aspectos que o compõem, através das várias oportunidades de leitura;

   Estimular o gosto pela leitura vivenciando emoções, fantasias e imaginação, compreendendo que escreve-se para que alguém leia;

   Desenvolver as capacidades das habilidades lingüísticas: falar, escutar, ler e escrever;

   Compreender a intenção, o ponto de vista de quem escreve fazendo uma leitura crítica, reconstruindo o sentido segundo suas vivências, ampliando sua visão de mundo;

   Propor situações de práticas leitoras com os diferentes tipos e gêneros textuais;

   Incentivar os educandos a participar dos concursos de leitura e redação promovidos pelas entidades educativas;

   Valorizar as produções textuais dos alunos, incentivando a publicação e divulgação das mesmas;

   Levar outras escolas também a adotarem práticas pedagógicas com sucesso.

 

4- PRINCIPAIS TÓPICOS ABORDADOS

 

a) Exposição teóricas:

EMENTA:

A importância da leitura e a produção de texto; a concepção interativa da leitura; relação autor/leitor/texto;

Tipos e Gêneros textuais-definição, formas, usos e funcionalidade; os gêneros e as rotinas sociais da contemporaneidade, as práticas da leitura em sua diversidade textual: atividades sócio-comunicativas;

A correspondência e suas linguagens;

Conceito de texto, marcas do autor e do leitor, aspectos lingüísticos e estruturais; análise lingüística;

Leitura e Literatura; leitura e Literatura Popular; leitura e meios de comunicação de massa;

.Conteúdo Programático:

 Estratégias de Leitura (leitura silenciosa, em grupo, individual); leitura, compreensão e interpretação:

O texto: leitura e reflexão;

Estudo dos aspectos lingüísticos do texto: ortografia, pontuação, coerência e coesão textual; as ilustrações: o texto, a imagem e o autor;

Gêneros e Tipos textuais-características básicas dos tipos textuais;

O texto narrativo-as seqüências narrativas, os marcadores de tempo, etc.

O texto descritivo-a descrição e o ponto de vista;

O texto argumentativo-as seqüências argumentativas, a persuasão, o parágrafo argumentativo;

Textos Literários e não literários;

A produção de textos orais e escritos (dramatizações, júri simulado, frases de protesto).

 

b) Oficinas

 

v  Palestra sobre a importância do ato de ler e escrever em nossas vidas;

v  Leitura de receitas culinárias com produção de texto: “uma receita para ser feliz”;

v  Leitura de fotos, quadros, imagens (descrição detalhada), tendo como produção a confecção de textos coletivos com a descrição de animais, considerando características físicas e psicológicas (fotos dadas aos grupos) com o uso de palavras (a maioria das palavras devem ser adjetivos), sem emissão de sons de modo que os outros grupos descubram de qual animal se trata;

v  Texto: O e-mail e discussão do texto; apresentação de um e-mail e como produção de texto os alunos criarão um e-mail em papel formatado para e-mail;

v  Texto: Exclusão digital, discussão do texto, apresentação de um Chat impresso aos alunos e depois como produção a simulação de uma passeata na chegada do presidente Lula a cidade com frases de protesto a respeito da exclusão digital;

v  Texto: Eu, etiqueta, discussão sobre propaganda e criação de peças publicitárias em grupo;

v  Texto: Antena Ligada, discussão e transformação do texto em HQ.

v  Texto: Analfabeto político e, discussão sobre o texto. Vários outros trechos extraídos de jornais, revistas e de sites sobre a corrupção no país, a discussão de palavras vistas na mídia atualmente como: valerioduto, mensalão e pizza, etc. Como produção um júri simulado com juiz, promotor, políticos corruptos, advogados de defesa, jurado todos bem caracterizados e com as argumentações necessárias escritas ou de forma oral.

v  Texto: várias anedotas lidas e discutidas. Depois os alunos (individual ou em grupo) escolherão uma anedota para dramatizar:

v  Texto; um requerimento em forma de poesia: Petição ao prefeito (Manuel Bandeira) e discussão do texto. Como produção, criação de um requerimento (com linguagem não literária) pedindo algo que eles estão reivindicando ;

v  Texto; leitura de bula de remédio vitamínico com texto sobre o excesso do uso de vitaminas de forma desnecessária, o apelo das indústrias farmacêuticas. Discussão sobre o texto. Produção: Torto, Caça-palavras (fazendo referência ao que foi lido e discutido).

v  Fechamento do projeto com exposição dos trabalhos feitos pelos alunos, apresentação das fotos, convite a toda comunidade sapeaçuense para um mini coquetel de finalização do projeto no Ginásio de esportes.

 5- METODOLOGIA

 Percebendo a necessidade de fazer acontecer uma Educação voltada para autonomia, para a ética, para a valorização da diversidade cultural e para busca da identidade é que nós desenvolvemos esse projeto, com o objetivo de desenvolver atividades voltadas para uma concepção Humanística, com o intuito de contribuir na formação de pessoas criativas e inventivas, capazes de refletir, de descobrir, de ouvir o outro, de respeitar o diferente, de analisar situações e buscar soluções. Neste processo, a leitura constitui um dos instrumentos de extrema importância e necessário para o individuo compreender o mundo, compartilhar das experiências diversas e reelaborar suas próprias experiências. Compreendendo que a aprendizagem do indivíduo é algo que deve ser construído socialmente (sociointeracionismo), no âmbito das relações humanas, esse projeto utilizará oficinas, trabalhos artísticos, palestra, dramatizações, exposição, trabalho em grupo, aulas expositivas, debates, etc de modo que a leitura seja colocada como instrumento de participação, mudança e renovação sócio-cultural. Acreditamos que a reflexão acima justifica a intenção deste projeto, uma vez que, busca a recuperação ou o renascimento qualitativo da leitura e, ao mesmo tempo, repensa e altera as funções do espaço pedagógico, como um todo. Por isso, pretendemos a partir desse projeto fazer com que as oficinas de encontro tornem-se espaços significativos de aprendizagem, lugar de experimentação, realização, confronto, êxito.

 

 6- TURMAS / PERÍODO / HORÁRIO / LOCAL

 

 

7- RECURSOS DE ENSINO

 Cartolinas, caneta hidrocor, lápis de cor, caneta pilot, papel ofício, receitas culinárias de embalagens de produtos, fotos, figuras, quadros, régua, lápis, caneta, borracha, roupas para dramatizações, bula de remédio, filme para fotos, computador, disquetes, CDS, máquina para xerox, impressora, cartuchos para impressora,  máquina fotográfica, lanches, etc

 

 8– AVALIAÇÃO

 

 

Avaliar artigo
4
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 21 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-artigos/projeto-de-leitura-1407864.html

    Palavras-chave do artigo:

    projeto de leitura

    ,

    educacao

    ,

    projeto

    Comentar sobre o artigo

    Elias Ribeiro Tork Filho

    O presente artigo apresenta como objetivo investigar a práxis pedagógica da Educação Física na 1ª Etapa da Educação de Jovens e Adultos (EJA), especificamente as dificuldades do professor em ministrar aulas à clientela da EJA. Pois, sabe-se que a Educação Física Escolar a partir da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, Lei 9.394/96, apresenta-se como componente curricular obrigatório da educação básica. Com isso, analisa-se que a EJA ao fazer parte da educação básica precisa que o prof

    Por: Elias Ribeiro Tork Filhol Educação> Ensino Superiorl 17/12/2013 lAcessos: 152
    JORGE ELISSANDER N. BALBINO

    Nesse estudo, procurou-se evidenciar a evolução do segmento de educação infantil especificamente no município de Juiz de Fora, Minas Gerais, analisando sobre a educação infantil no Brasil e no município e as relações entre os profissionais da educação infantil.

    Por: JORGE ELISSANDER N. BALBINOl Educação> Ensino Superiorl 16/02/2011 lAcessos: 1,982
    Lucivania da Silva

    O Código de Trânsito brasileiro (CTB), lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997, passou a vigorar a partir de 22 de janeiro de 1998, é considerado como um dos códigos mais avançados do mundo, pois trouxe consigo muitas inovações. Uma das mais significativas é que, pela primeira vez, o código traz um capítulo exclusivo à educação, determinando, entre outros aspectos, a educação para o trânsito.

    Por: Lucivania da Silval Educação> Educação Infantill 16/10/2013 lAcessos: 97
    Alinne do Rosário Brito

    Este artigo discute a necessidade do domínio de saberes indispensáveis à prática dos educadores e sua práxis na EJA centrando principalmente, nos estudos de Karl Marx. Objetiva-se, abordar as exigências necessárias ao ato de ensinar que se dão na mediação do educador entre os conteúdos e os discentes, que deverão apreendê-los para que, assim, possam dar significados concretos midiatizados pelo mundo, como sujeitos histórico-sociais.

    Por: Alinne do Rosário Britol Educaçãol 19/07/2012 lAcessos: 269

    A grande política norteadora das ações à educação, atualmente, no Brasil é o PDE, que vem com programas e ações que visam a atingir as metas do PNE. Neste, o governo propõe diversas ações, dentre elas serão enfatizadas: a Olimpíada da Língua Portuguesa, o Pró-Letramento e a Provinha Brasil, como ações regulamentadoras da Educação.

    Por: Cristiano Pinheiro Corrêal Educação> Ensino Superiorl 29/11/2011 lAcessos: 164
    Professor Marcos Paulo

    Esta modalidade de ensino não pode ser encarada como uma panacéia para todos os males da educação brasileira. Há um esforço muito grande dos educadores e pesquisadores da educação em mostrar que os problemas da educação brasileira não se concentram somente no interior do sistema educacional, mas, antes de tudo, refletem uma situação de desigualdade e polaridade social, produto de um sistema econômico e político perverso e desequilibrado...

    Por: Professor Marcos Paulol Educação> Educação Onlinel 15/09/2011 lAcessos: 241
    marlucia pontes gomes de jesus

    O artigo trata da evolução da Eja no Brasil e, em especial, no Estado do Espírito Santo, focalizando a questão da necessidade da oferta de uma educação de qualidade.

    Por: marlucia pontes gomes de jesusl Educaçãol 18/04/2011 lAcessos: 2,223
    Marcelo Gomes González

    O Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil é um documento que equivale aos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs), já que foi criado pelo MEC em 1998. No entanto, há um debate ferrenho entre as grandes esferas da administração é o fato desse nível de ensino compor a Educação Básica, mas ser posta de forma facultada, fazendo com que, muita das vezes, não seja cursada pela criança, que fica com um ensino deficitário na base do conhecimento.

    Por: Marcelo Gomes Gonzálezl Educação> Educação Infantill 17/10/2012 lAcessos: 685
    GUTEMBERG MARTINS DE SALES

    Dissertou-se sobre algumas concepções pedagógicas da alfabetização, por acreditar que embora exista uma grande quantidade de professores, ainda falta uma demanda de alfabetizadores reais, que conheçam os princípios da alfabetização, os medos e conflitos que rodeiam os alfabetizandos, e assim, como, de forma clara e objetiva, sanar este problema. A escrita é outro dilema, pois embora acessível a todos, há um tabu entre o educando a escrita e a leitura.

    Por: GUTEMBERG MARTINS DE SALESl Educação> Educação Infantill 28/12/2012 lAcessos: 185

    O objetivo deste estudo foi conhecer como se insere e desenvolve a educação ambiental na educação infantil em escolas públicas de dois municípios no Estado do Espirito Santo, Brasil. Trata de um estudo descritivo quantitativo. O universo da pesquisa foi 58 professores de Educação Infantil. O instrumento de coleta de dados foi um questionário de autopreenchimento com 13 perguntas objetivas sobre educação ambiental na comunidade escolar. Solicitou-se a assinatura do termo de consentimento livre e

    Por: DANIELE DE ALMEIDA NUNESl Educação> Educação Infantill 28/08/2014 lAcessos: 34
    CLEBERSON EDUARDO DA COSTA

    Existem muitas formas de desumanização e, uma delas, talvez a mais crucial, seja aquela que está sistematizada no desrespeito às diferenças, na medida em que esse desrespeito - no sentido micro - leva o indivíduo para longe da sua capacidade de coexistir e, consequentemente, para longe da possibilidade de aprendizagem, crescimento e desenvolvimento pessoal; no sentido macro, leva a sociedade para xenofobismos, nacionalismos exacerbados, genocidismos, biocidismos, apartheids, etc.

    Por: CLEBERSON EDUARDO DA COSTAl Educaçãol 22/01/2015
    Magno Fernando

    Esse artigo busca analisar e compreender as implicações dessa remuneração para o trabalho docente. Para tanto, foi realizada uma pesquisa de caráter bibliográfico-documental com base em pesquisas relacionadas à remuneração docente e documentos relativos à temática elaborados por organismos internacionais.

    Por: Magno Fernandol Educaçãol 20/01/2015

    Vivemos em um um país, que demonstra abertamente, que toda sociedade convive pacificamente e não há preconceito ou discrimanação racial, vendemos a ideia que no Brasil existe a Democracia Racial, onde negros e brancos, se relacionam amigavelmente sem qualquer preconceito ou discrimanação. Porém observamos que, o que existe de fato, é o mito da Democracia Racial, ou seja, uma falsa ideia que brancos e negros vivem harmonicamente. Neste sentido, vamos relatar brevemente sobre algumas expressões.

    Por: Simone Marial Educaçãol 17/01/2015 lAcessos: 14
    Instituto Fisiomar

    Profissionais com qualificação saem na frente no mercado de trabalho e principalmente qualificação técnica. O curso técnico é um bom investimento, pois é um investimento barato, de curto prazo e que dá um excelente retorno. Uma Instituição séria que temos em Santa Catarina é o Instituto Fisiomar, com Cursos Técnicos de Segurança do Trabalho, Petróleo e Gás, Estética, Massoterapia e Podologia.

    Por: Instituto Fisiomarl Educaçãol 08/01/2015

    Considerando que a Educação deve ser voltada para a construção da cidadania, para o desenvolvimento das potencialidades do educando e a preparação para o trabalho, como diz na LDB – Lei nº 9394/96 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação), pensa-se que escola deve ser tida em nossa sociedade como oportunidade para o desenvolvimento, não só permitindo possibilitar ao educando estudar conteúdos, mas também dele ampliar relações com o outro, portanto devendo ser de qualidade.

    Por: nilda flores schutzl Educaçãol 30/12/2014
    Jaguaracy Conceição

    Esse texto tem como base a entrevista publicada na Revista Nova Escola de dezembro de 2014 e que traz como título: "A escola é a estrutura estável de quem vive numa família instável". Nela o sociólogo francês Bernard Lahire diz que o meio social é crucial ao desenvolvimento das crianças, pois sozinhas elas não conseguem superar as dificuldades que se deparam.

    Por: Jaguaracy Conceiçãol Educaçãol 23/12/2014 lAcessos: 22
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Basicamente a três milhões de anos atrás. A evolução humana foi desencadeada na África. Resultada de um elo anterior que favoreceu no surgimento do homo sapiens e do chimpanzé. Todas as populações do mundo descendem de tal elo. O que já foi explicitado cientificamente por comparações de DNA.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educaçãol 23/12/2014 lAcessos: 11

    Com o advento da globalização, a educação é tida como o maior recurso de que se dispõe para enfrentar essa nova estruturação mundial. Objetiva-se evidenciar a importância dos alunos encontrarem na escola não só evidências de seu próprio mundo, mas também aparato capaz de os "cunharem" para uma participação social plena e não "fatiada", como sugere o estudo por disciplinas. Jovens e adultos, público cada vez mais informatizado, exige que as disciplinas deixem de ser apresentadas de forma isolada.

    Por: KÁTIA CÉLIA FERREIRAl Educaçãol 18/12/2014 lAcessos: 15

    Comments on this article

    0
    Humberto 18/10/2011
    Boa tarde, sou universitário, como faço para enviar projetos para seu site a serem públicados. por favor me informe. abraços
    0
    Humberto 18/10/2011
    Boa tarde, o site está sendo muito útil para muitos, porém uma sugestão, se poderia acrescentar projetos de literatura especifico como por exemplo um projeto somente com a obra o medalhão de machado de assis como se trabalhar em sala de aula ou de que maneira seria trabalhada essa obra, obrigado.
    1
    Neila Santana 29/07/2011
    Parabéns pelo projeto, me ajudou muito, Obrigada!
    0
    Adenir Nogueira 08/07/2011
    Estes trabalhos enrriquecem o nosso fazer pedagogico e aprimora os nossos conhecimentos
    1
    Michel Araújo 10/05/2011
    Muito riquissimo o presente trabalho ,pois tem mim dado subsidios para delinear projetos na faculdade, onde o mesmo mim ajudou bastante,é incentivador,à todos.
    -1
    Kamiilly seduction 09/03/2011
    Acheei mara tudo isso apesar qe eu nem lii kkkk
    -1
    Espedito 13/02/2011
    Parabéns pelo projeto,ele se faz necessário para atedermos uma clientela que vivenciamos no dia a dia ou seja numa sociedade marcada por tantos problemas de modo especial na familia.
    1
    lucio da silva 26/10/2010
    Parabéns pelo projeto, ele é de suma importância para uma reflexão da leitura e escrita na sala de aula, principalmente para alunos da educação fundamental, dos quais é necessário mais dedicação do professor para que esses alunos realmente desenvolvam habilidades para a leitura e escrita.
    0
    silvana torchelsen buttow 25/10/2010
    achei muito interssante esse projeto de leitura , a minha monografia é sobre a leitura , se tu poder me ajudar dando algumas dicas , seri grata obrigada
    0
    Márcia Maia 12/09/2010
    Buscar formas de promover a leitura é sem dúvida uma tarefa fantástica e quem as busca merece todo respeito.Parabéns! Estou juntamente com outros professores desenvolvendo um projeto que tem como objetivo levar a escola até a comunidade através da leitura e do esporte.Acreditamos que quanto mais escola tivermos na comunidade mais comunidade teremos na escola e assim garantiremos uma educação de qualiadade.
    -1
    Elisane Freitas 10/08/2010
    Este projeto que acabei de visualizar é muito iteressante...até porque a leitura existe desde que um pensamento é formado e uma idéia é trabalhada na mente humana, a leitura visual, de mundo, daquilo que nos faz ser o que realmente somos...enfim, pretendo adaptá-lo ao meu projeto que será posto em prática já este mês...obrigada.
    1
    Adriano 14/04/2010
    Tenho desenvolvido desde 2009 um projeto de leitura em que a família particip na escola por meio de um grande feira com variadas formas de leitura, como rótulo, sinais de trânsito, logomarcas de empresas, símbolos e outras fontes de leitura que estão contextualizadas.

    Seu artigo contribuiu de forma significativa para este projeto no presente ano.

    O nome do meu projeto é Vivenciando o Maravilhoso Mundo da Leitura.

    Abraços
    3
    Antonia Ivalda 29/03/2010
    Muito interessante o projeto. Vejo sua preocupação com os alunos e comunidade que apenas dominam o código , mas não comprendem o que leem.Você me faz lembrar o grande pesquisador espanhol Joaquim Dolz da Universidade de Genebra(Suiça).
    5
    simei alves feitosa 09/02/2010
    A LEITURA É REQUISITO BÁSICO PARA QUEM SE PROPÕE A ENTRAR NA CULTURA LETRADA.
    O PRESENTE TRABALHO É UMA FERRAMENTA PARA QUE O ALUNO SINTA PRAZER PELA LEITURA.
    5
    mayure 27/12/2009
    Muito, bom esse projeto!!! Faço um nesta forma, porém voltado a educação especial
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast