Relações Interpessoais

Publicado em: 19/01/2009 |Comentário: 5 | Acessos: 75,173 |

VIVIANE AVELINO MARCELOS



Pedagoga/Criminóloga da Comumviver – Escola especializada



Professora da Rede Estadual MG – Escola especializada



Diretora Pedagógica – Colégio SEAL BH/MG –Ensino Regular/inclusivo



RELAÇÕES INTERPESSOAIS – REFLEXÕES A CERCA DO COTIDIANO ESCOLAR



A escola é um sistema social que resulta da interação de agentes individuais composta por uma  rede de grupos culturais diferentes  que se interage de forma sincrônica dentro do espaço e do tempo escolar. Todo indivíduo tem sua cultura independente da vida escolar. Existe uma cultura que é a escolar construída no dia a dia e na movimentação de todos os integrantes da escola.  A cultura escolar é diferente em cada escola , pois cada uma cria uma identidade que fortalece as relações internas e podem influenciar o desenvolvimento da comunidade. Essa multiplicidade de culturas exige um trabalho de articulação e integração para que ações individuais contribuam efetivamente na consecução dos objetivos pedagógicos da escola. Além desse trabalho é importante a integração do aluno X professor, professor X professor, família X comunidade escolar. Cabe ao  gestor,  seja ele o diretor ou o especialista, o papel de articulador de conflitos. Desempenhando atitudes e ou atividades que evidenciem a  integração entre as pessoas em dimensões políticas, pedagógicas e administrativas.



Política – Quando define com os professores objetivos e metas que fundamentam as ações de reflexão, orientação , coordenação , acompanhamento e articulação entre  a comunidade escolar.



Pedagógica – Quando define com professores objetivos e metas para promover a qualidade do processo de ensino e aprendizagem.



Administrativa – Quando define objetivos e metas para a melhoria do funcionamento da escola integrando os profissionais , alunos e famílias. 



O grande desafio do mundo moderno é desenvolver a qualificação e o potencial das pessoas para se obter maior comprometimento com resultados desejados , criando condições mais favoráveis à inovação e ao aprimoramento tanto pessoal quanto institucional. A educação, em especial a escola, não pode fugir a essa regra.



FATORES BLOQUEADORES E FACILITADORES DO RELACIONAMENTO ENTRE AS PESSOAS EM GERAL



                      



Educar para a cidadania significa educar pessoas capazes de conviver, comunicar e dialogar num mundo interativo, dentro da perspectiva onde as pessoas reconhecem a interdependência dos processos individuais e dos processos coletivos.



O reconhecimento da diversidade possibilita a convivência harmônica e enriquecedora entre os indivíduos. O auto conhecimento é sobretudo resultado de um trabalho pautado no próprio conhecimento e principalmente no reconhecimento do outro  nos ambientes de aprendizagem onde acontecem as relações. Atuar em conjunto para enfrentar problemas encaminhar soluções , realizar experiências inovadoras na escola, promovendo um clima satisfatório , é o grande desafio da gestão democrática. Isso significa que é  preciso desenvolver competências para enfrentar desafios. Não apenas desenvolver as próprias habilidades , mas também favorecer o desenvolvimento de todos os envolvidos no processo de gestão.



O gestor, grande articulador da escola, deve esforçar-se por criar canais adequados de comunicação e interação e garantir o alcance dos objetivos da escola, mantendo um bom clima entre as pessoas que fazem parte da comunidade escolar e local.



A interação das pessoas passa também pelas dificuldades e divergências do cotidiano e não somente no trocar idéias ou dividir as tarefas do dia a dia. Um grupo de pessoas se transforma em uma equipe  quando consegue  criar um espírito de trabalho coletivo no qual as diversidades pessoais não se constituam em entraves, mas se transformam em  riquezas unindo e se completando  na busca de objetivos comuns. O gestor deve trabalhar a diversidade de pontos de vista ou comportamentos como fator de enriquecimento para o grupo e como forma de ampliar a visão particular de cada indivíduo na escola.



As pessoas convivem  e interagem umas com as outras,  despertam simpatia e antipatia, se aproximam ou se afastam , entram em conflito , competem , cooperam , estreitam amizade, são sinceras ou dissimuladas nas suas relações.  Esses fatores podem fazer parte  do seu cotidiano , tanto bloqueando ou facilitando o relacionamento das pessoas em geral.



ATITUDES FAVORECEDORAS PARA A QUALIDADE NO TRATAMENTO E NO RELACIONAMENTO INTERPESSOAL



O gestor é co-responsável pelo sucesso ou o fracasso de uma boa comunicação e, consequentemente por uma relação interpessoal  de qualidade, pois é o articulador do processo e o incentivador do trabalho coletivo.  Ao iniciar o processo de coordenação de um grupo o gestor  precisa dar mais informações claras  , organizar o tempo , o espaço , a rotina , as tarefas  para facilitar o processo de inclusão das pessoas na equipe.



Quando a equipe já está mais organizada , o gestor passa a sugerir , discutir, emitir opiniões , valorizar a participação de cada um. Seu desafio é permitir o exercício do confronto, criar um clima de confiança e respeito pelas diferenças, sempre atento para que a equipe não se afaste de seu objetivo maior.



Se a equipe já demonstra traços de maturidade , o coordenador só intervém em momentos específicos, ampliando as discussões, trazendo subsídios teóricos, promovendo a avaliação e um novo planejamento conjunto das ações.



FERRAMENTAS COMPORTAMENTAIS PARA A QUALIDADE NO RELACIONAMENTO INTERPESSOAL



A presença de um líder é indispensável na vida de uma equipe  e por este motivo deve ser democrático, aberto, inovador e flexível. Deve demonstrar desejo de aprender ,  receber auxílio das pessoas e conhecer os valores da equipe que lhe foi confiada.  É importante que ouça mais e fale menos. Alguns aspectos  favorecem as relações interpessoais:



v    Empreendedor – para conseguir resultados;



v    Flexível – para mudar comportamentos e pontos de vista;



v    Atualizado – para acompanhar os avanços da sociedade;



v    Adaptável – para enfrentar novas situações;



v    Decidido – para enfrentar desafios e riscos;



v    Técnico – para promover o “como fazer”;



v    Dinâmico – para assimilar e aplicar novas técnicas e  abordagens;



v    Criativo – para desenvolver alternativas de problemas;



E ainda deve nortear seu trabalho com alguns princípios:



v    Interação – união de idéias e ações buscando o respeito mútuo;



v    Democracia – Todos têm a mesma oportunidade de participação;



v    Liberdade responsável – Liberdade para pensar e ser, ser e fazer, e compreensão da liberdade do outro;



v    Cooperação: pratica do dia a dia de forma compartilhada visando os resultados satisfatórios da equipe;



Alguns princípios devem ser mais trabalhados que outros o importante é que a equipe seja observada e avaliada pelo coordenador para em seguida definir as estratégias adequadas ao bom funcionamento do trabalho coletivo.



ASSERTIVIDADE NA COMUNICAÇÃO E A QUALIDADE COMO VALOR EMANADO DAS PESSOAS



As reações das pessoas são um complexo processo de interação humana expressada na forma de comportamentos verbais ou não verbais. Ao propor situações de trabalho coletivo é imprescindível que o gestor compreenda o modo de viver das pessoas, como se comportam, valores, visão de mundo respeitar a forma de ser de cada indivíduo, sem perder de vista os objetivos  que precisam ser alcançados pela escola.



É necessário que o gestor esteja sempre atento ao processo comunicativo desenvolvido na escola.  A comunicação é um dos aspectos mais relevantes e complexos, visto que a comunidade escolar é composta por pessoas com personalidades distintas e, portanto, com capacidades de percepção diferenciadas, o que pode oferecer barreiras à comunicação , fazendo com que pessoas entendam de forma diferente uma mesma mensagem ou idéia. Em reuniões onde serão tratados assuntos complexos ou serão apresentadas muitas informações, elaborar um pequeno documento escrito para apresentá-lo e em seguida estimular a troca de idéias, debates, esclarecendo dúvidas garante uma comunicação efetiva, evitando mal-entendidos. Sem dúvida a comunicação é um dos elementos de maior importância na participação coletiva. As comunicações da escola podem ser feitas por meio de avisos, circulares, memorandos, ofícios, portarias, requisições, que devem ser enviadas em linguagem clara, acessível e que permitam a compreensão da mensagem e maior integração da equipe. Quadro de avisos e jornalzinho são excelentes meios de comunicação que atingem toda a comunidade escolar  desde que sejam criativos, dinâmicos, atualizados senão deixam de cumprir sua finalidade.



Referências Bibliográficas:



MARTINS, José do Prado. Administração Escolar: uma abordagem crítica do processo administrativo em educação. 2ª ed. São Paulo: Atlas, 1999.  



VALERIEN, J. Gestão da escola fundamental. Tradução e adaptação José Augusto Dias. Brasília: MEC, Unesco , 1993.



MEC.INEP.Em aberto, vol. 17, nª 72. Gestão escolar e formação de gestores, jun.2000. 195p.



ABREU, Maria Vasques de. Progestão: como desenvolver a gestão dos servidores na escola?, módulo VIII / Mariza Vasques de Abreu, Esmeralda Moura;coordenação geral Maria Aglaê de Medeiros Machado. Brasília: CONSED – Conselho Nacional de Secretários de Educação, 2001.



NETO, Armando Correa de Siqueira. Um novo paradigma para a motivação. Revista Linha Direta, Ano 11. fev.2008. p56



ARAÚJO, Andréia. O fortalecimento da gestão educacional. Revista Linha Direta, Ano 11. mar.2008. p14

Avaliar artigo
5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 12 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-artigos/relacoes-interpessoais-729010.html

    Palavras-chave do artigo:

    relacoes interpessoais

    ,

    cotidiano escolar

    ,

    comunicacao pessoal

    Comentar sobre o artigo

    Karmem Amambahy

    RESUMO: Muitas vezes, os professores não se dão conta de que existe um descompasso entre o que pensam e o que fazem. Cada pessoa tem uma historia de vida, uma maneira de pensar a vida e assim também o trabalho é visto de sua forma especial. Há pessoas mais dispostas a ouvir, outras nem tanto. Há pessoas que se interessam em aprender constantemente, outras não, enfim as pessoas têm objetivos diferenciados e nesta situação muitas vezes priorizam o que melhor lhes convém e ás vezes estará em confl

    Por: Karmem Amambahyl Negócios> Gestãol 01/07/2009 lAcessos: 14,926
    Hellen Bessa de Oliveira

    Este trabalho tem como objetivo apresentar uma leitura sobre como está sendo tratada a questão da sexualidade na escola.

    Por: Hellen Bessa de Oliveiral Educação> Educação Infantill 28/05/2013 lAcessos: 119
    Antonia Matos

    Este trabalho tem finalidade de fazer uma breve reflexão sobre o papel da escola e da família no processo ensino-aprendizagem, a importância do trabalho conjunto dessas duas instituições tendo objetivos, estratégias e planos de ação conjuntos objetivando o sucesso acadêmico de seus filhos/alunos. Também será analisado o papel do psicopedagogo neste processo.

    Por: Antonia Matosl Educação> Ensino Superiorl 15/10/2012 lAcessos: 1,051
    Alinne do Rosário Brito

    A função educativa por ter-se mostrado capaz, em diversos experimentos empíricos realizados, desenvolveM níveis diferentes de experiências pessoais e coletivas e a propiciar novas descobertas, além de contribuir na socialização. Neste trabalho, buscou-se aproximar as representações históricas do jogo, ás teorias que o balizam como atividade rica, prazerosa e motivadora da aprendizagem .

    Por: Alinne do Rosário Britol Educaçãol 18/07/2012 lAcessos: 1,336

    O presente artigo consiste em uma revisão bibliográfica sobre a violência escolar, trazemos o conceito de bullying, as consequências dessa violência para a comunidade escolar. Para tanto usamos como referencial teórico autores que retratam esta temática como: Constanatini (2004); Fante (2005); Lopes Neto (2005) Fante e Pedra (2008); Guareschi (2008), Pereira (2009) dentre outros. Apresenta-se uma reflexão sobre a contribuição da família e da escola na minimização deste tipo de violência.

    Por: EURICLÉIA FAGUNDES RAMOSl Educação> Ciêncial 24/11/2011 lAcessos: 670
    Ricardo Capozzi

    As competências interpessoais são apontadas como fator determinante para o sucesso profissional. É inteligente emocionalmente aquele profissional que tem autoconsciência, pois consegue monitorar-se, observar-se em ação e fazer com que seus atos influenciem positivamente outras pessoas. Saber manter-se equilibrado em situações de estresse, transmitir confiança e tranqüilidade são predicados essenciais para a manutenção do comportamento humano.

    Por: Ricardo Capozzil Carreira> Recursos Humanosl 05/07/2011 lAcessos: 3,504

    A pesquisa teve por objetivo verificar qual o acervo lúdico de crianças da 1ª série do ensino fundamental de 9 anos de uma escola pública de Joinville, em seu cotidiano familiar e escolar identificando os momentos de intervenção profissional do professor de Educação Física durante a atividade lúdica. A coleta de dados foi realizada através de questionários enviados aos pais e alunos e analises das aulas de Educação Física em uma Escola Pública da cidade de Joinville - SC.

    Por: Rosiane Francine Machadol Educação> Educação Infantill 01/12/2009 lAcessos: 16,288
    Daniel Caraúna da Motta

    Inteligência emocional e comunicação empática aplicadas como elementos de implementação e aprimoramento do processo de ensino e aprendizagem na gestão democrática participativa no contexto institucional. Emotional intelligence and empathic communication applied as elements of implementation and improvement of the teaching and learning in participatory democratic management in the institutional context.

    Por: Daniel Caraúna da Mottal Educação> Ensino Superiorl 22/02/2010 lAcessos: 4,714
    Paulo marcos Ferreira Andrade

    O presente texto enfoca a temática: O coordenador pedagógico frente aos desafios da gestão democrática.

    Por: Paulo marcos Ferreira Andradel Educação> Ensino Superiorl 04/07/2012 lAcessos: 4,349
    Erineia nascimento da Silva

    O aluno especial tem algumas necessidade de auto realização igual aos demais alunos, assim como ele precisa ter sua autoestima valorizada para contribuir na definição de suas habilidades intelectuais, a interação social com a comunidade escola lhe dará segurança, o apoio dos pais e fundamental nesse processo.

    Por: Erineia nascimento da Silval Educaçãol 11/09/2014
    Erineia nascimento da Silva

    Cérebro é o órgão onde se forma a cognição, o órgão mais organizado do corpo humano. Portando a cognição pode emergir no cérebro e nele acontece dinâmicas evolutivas que permitem ao ser humano revelar-se como um ser auto-eco-organizador, para isso e necessário o envolvimento das funções bio-psico-sociais ou bioantropologicas.

    Por: Erineia nascimento da Silval Educaçãol 08/09/2014
    Formacerta.pt

    Este artigo informa sobre o curso de Formação Pedagógica Inicial de Formadores, uma formação frequentemente procurada (e essencial) por indivíduos que querem entrar no mercado de formação profissional.

    Por: Formacerta.ptl Educaçãol 08/09/2014

    O presente texto aborda sobre Saúde em Educação, como incentivo entre desenvolvimento social, psicológico, cultural e saúde educacional. Pois o artigo preocupa-se e questiona-se sobre a formação de crianças e adolescentes e a saúde pública escolar.

    Por: Reginaldo Posol Educaçãol 07/09/2014

    O presente texto possui uma abordagem reflexiva simples e ao mesmo tempo um foco informativo sobre as três áreas de "ciências" Psicopedagogia, Psicologia Transpessoal e Educação, numa prespectiva relacionada á Educação de maneira prática e explicativa.

    Por: Reginaldo Posol Educaçãol 07/09/2014

    O objetivo deste estudo foi verificar como a mídia influencia o desenvolvimento moral da criança, quando da sua exposição nos meios de comunicação a partir de uma denúncia não verídica de violência sexual em uma escola infantil do município de Vila Velha, Espírito Santo. Trata de um estudo descritivo, desenvolvido na Unidade Municipal de Educação Infantil "José Silvério Machado", Jardim Marilândia, Vila Velha, ES. Participaram do estudo 10 professores.

    Por: ADRIANA CHAGAS MEIRELES ZURLOl Educaçãol 28/08/2014 lAcessos: 11

    O objetivo deste estudo foi contribuir para o entendimento de quais são os fatores que determinam o sucesso escolar de alunos dos meios populares, por meio da percepção dos educadores. Trata de um estudo descritivo, quantitativo e qualitativo. O instrumento de coleta dos dados foi um questionário estruturado com perguntas objetivas e subjetivas As perguntas objetivas se relacionam a identidade dos professores e vivência no ambiente escolar. As subjetivas buscam conhecer quais os fatores que poss

    Por: SANDRA MARIA TEIXEIRA GRADIMl Educaçãol 28/08/2014

    O objetivo deste artigo é relatar a experiência de participação no projeto de psicologia escolar, denominado Mundo Imaginário, que ocorreu entre maio e junho de 2013. A proposta de intervenção em Psicologia Escolar/Educacional envolveu basicamente a aplicação de atividades para as crianças que fazem parte do preparatório para o primeiro ano do ensino fundamental, em uma escola filantrópica de Teresina-Pi, a partir de demandas relatadas e observadas pelos professores de tais turmas.

    Por: Daniel Soaresl Educaçãol 26/08/2014

    cONHEÇA UM POUCO SOBRE AS LEGISLAÇÕES QUE REGULAMENTAM A EDUCAÇÃO ESPECIAL NO BRASIL E ENTENDA COMO INICIARAM AS DISCUSSÕES NO MUNDO.

    Por: VIVIANE AVELINO MARCELOSl Educaçãol 24/01/2009 lAcessos: 44,083 lComentário: 20

    A violência considerada hoje uma das principais preocupações da sociedade é o ato de transgressão da ordem e das regras da vida em grupo e pode atingir a integridade física das pessoas. As agressões físicas, psicológicas e simbólicas entre os diversos atores do cotidiano escolar: professores, pessoal de apoio, alunos, e direção são perceptíveis. A escola recebe gera violência e têm dificuldade de lhe dar com limites e autoridade. As estatísticas criminais vêm aumentando de forma assustadora e a escola ao gerenciar os conflitos existentes em seu espaço pode reforçar o aumento da criminalidade ou até contribuir para sua diminuição.

    Por: VIVIANE AVELINO MARCELOSl Educaçãol 24/01/2009 lAcessos: 11,347 lComentário: 5

    ENTENDER A VIOLÊNCIA QUE ACONTECE NA ESCOLA NOS DIAS ATUAIS SIGNIFICA ABRIR ESPAÇO PARA UMA REFLEXÃO EM TORNO DA MUDANÇA DE POSTURA DO PROFESSOR NO COTIDIANO ESCOLAR. O EDUCADOR QUE COMPREENDE SEU PAPEL VISUALIZA NA ESCOLA UM IMPORTANTE ESPAÇO DE PREVENÇÃO DA VIOLÊNCIA.

    Por: VIVIANE AVELINO MARCELOSl Educaçãol 19/01/2009 lAcessos: 129,701 lComentário: 66

    Comments on this article

    1
    julia graciele 26/04/2011
    tem muitos gestores que so querem ganhar o dinheiro nem querem saber de assumir o seu papel na educacao . na escola precisa muito de bons funcionarios.
    1
    Ana maria 04/03/2011
    MARAVILHOSO . SUA VISÃO VEM DE ENCONTRO COM A REALIDADE .
    1
    marilen 12/01/2010
    Parabéns!!!!educadores com uma ampla visão!
    1
    Fabiana Rufino 05/11/2009
    Muito bom, precisamos encontrar-mos mas Educadores com esta visão tão clara quando falamos a respeito da cultura escolar.Parabéns
    4
    Maria Agostinha Félix Trindade 25/05/2009
    parabéns, vejo que vc tem um olhar vislumbrante no que diz respeito a vida escolar, bem como a cultura de cada cidadão, o qual devemos ter todo o respeito para que as relações possam serem fortalecidas em conhecimentos. sou pedagoga, especializada em gestão com pessoas.
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast