Sintomas e meios para trabalhar com alunos com Dislexia

01/11/2013 • Por • 68 Acessos

OS SINTOMAS DE DISLEXIA NA CRIANÇA E MEIOS PARA AJUDAR UMA CRIANÇA COM DISLEXA

Quando falamos de dificuldades na leitura em geral e especificamente do distúrbio de leitura, a dislexia. É muito importante analisar os principais sintomas , os tratamentos e ações pedagógicas frente a uma criança com esta dificuldade.

Algumas características observáveis em criança com dislexia são:

*Histórico familiar de problema de leitura e escrita.

* Atraso para começar a falar de modo inteligível.

* Impulsividade

*frases confusas, com migrações de letras: "A gata preta prendeu o filhote " vez de"a gata preta perdeu o filhote".

*Uso excessivo de palavras substitutas ou imprecisas (coisa, negócio)

* Nomeação imprecisa ( como heloptero para helicóptero)

* Confusão nas palavras que indicam direção, como dentro, fora, em cima/embaixo, direita/ esquerda.

*Tropeços, colisões com objetos ou quedas freqüentes.

* Dificuldades em encontrar palavras que rimam.

* Dificuldade em seqüência verbal como dias da semana, meses ou anos, ou visuais como seqüência de blocos coloridos.

* Criatividade aguçada.

* Facilidade com desenhos e cores.

* Prazer em ouvir outras pessoas lendo para ela, mas falta de interesse em conhecer letras e palavras.

O PROFESSOR E O TRABALHO COM O ALUNO DISLÉXICO

Apesar de muitas vezes o professor se sentir que está sozinho para lidar com as dificuldades que aparecem na sala de aula, seu papel é de fundamental importância para a identificação da dislexia e também poderá facilitar um encaminhamento precoce e intervenção apropriada.

Alguns aspectos como a perda de interesse da aprendizagem, baixo desempenho escolar, problemas emocionais, e declínio na confiança e na autoestima também devem ser levados em consideração para identificar uma dificuldade na aprendizagem.

O professor pode ajudar fazendo leitura de tudo o que acontece na sala de aula, facilitar a percepção auditiva e visual da sala, oferecer avaliações oralmente em algumas vezes, deve dar mais tempo em avaliações escritas. Não descontar erros na escrita. Trabalhar com textos e figuras  que pertencem na realidade do aluno. Trabalhar com atividades que trabalhem a memória das palavras. Concluindo o professor deverá ser sempre o mediador da aprendizagem, não expor o aluno com dificuldade, mesclar sua turma para que todos aprendam juntos, ter persistência,  buscar sempre a melhor forma de intervenção observar e saber interpretar os gestos e sinais de dificuldade em cada aluno.

O professor precisa trabalhar com atividades estimulantes, usar letras em tamanho maior e com cores para reforçar a visualidade. Fazer brincadeiras que usam as partes do corpo como braços, pernas, mãos, cabeça, boca e outros. Fazer atividades em que o aluno percorra caminhos como contorno de uma letra, um número e ou figuras. Fazer muita leitura e de diversas maneiras como: individual, em duplas, em grupos, deitado, sentado, dentro ou fora da sala. Precisa ter cuidado com as correções, apontar somente os erros mais relevantes e mostrar como fazer por várias vezes, nunca criticar em voz alta e na frente de outros alunos. Lembrar que o aluno tem outros conhecimentos e que podem ser mostrados. O professor também precisa repetir várias vezes cada atividade para que seu aluno entenda o comando. E lembrar que a escrita cursiva é mais fácil a memorização do que a de forma, pois auxilia a velocidade e a memorização da forma ortográfica da palavra.

Lembrar que um professor e uma escola descomprometidos não servem para o aluno e para um aluno com dificuldade na aprendizagem é um grande prejuízo.

O importante é nunca desistir dos alunos porque o crescimento deles dependem muito do professor.

REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS

CAPOVILA, Alessandra G.S. e CAPOVILLA, Fernando. Problemas de leitura e Escrita: como identificar, prevenir e remediar numa abordagem fônica. 5ª Ed. São Paulo: Memmon. 2007.

SHAYWITZ,Sally, Entendendo a dislexia, um novo e completo programa para todos os níveis de problemas de leitura. Trad. Vinicius Figueira. Porto Alegre: Artmed, 2006.

 

 

Perfil do Autor

Adelina Aparecida Mazurek

SOU PEDAGOGA, PÓS GRADUADA EM GESTÃO E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS.