Tema: As Novas Tecnologias Da Educação: O Computador Como Transmissor Do Conhecimento. ( O Projeto )

Publicado em: 24/11/2008 |Comentário: 1 | Acessos: 43,167 |

TEMA: As novas tecnologias da educação: o computador como repassador do conhecimento.

  1. INTRODUÇÃO

Com o passar dos anos, vemos a tecnologia ganhar cada vez mais espaço no mundo. Hoje grande parte das coisas que possuímos, adquirimos através dela. O uso dos computadores está cada vez mais presente nos: supermercados, nas lojas, indústrias, agricultura... No entanto, não tão presente nas escolas. A educação não pode ficar de lado, já que sabemos que um indivíduo precisa dela para sua formação, sendo essa formação de real importância, devendo ser integral e preparatória para a sua vida.

1.1  Colocação do problema.

No mundo em que vivemos, passamos por diversas transformações sociais, culturais e até então tecnológicas. Vemos a necessidade de acompanhar essas evoluções. Uma vez que as mesmas são de total importância para o progresso de um indivíduo numa sociedade.

As novas tecnologias surgiram para ampliar e integrar o conhecimento de forma rápida, acessível a todos e dinâmica. Pensando nisso que foi desenvolvido um estudo focando a necessidade de incluir essas novas tecnologias com o uso do computador nas escolas. Essas tecnologias precisam ser reconhecidas.

A proposta de utilizar os computadores no processo educativo desde as séries iniciais, iria ampliar o conhecimento dos alunos na escola e revolucionar a educação.

No sistema educacional brasileiro a implantação de computadores nas escolas é mais comum a partir do Ensino Fundamental, embora algumas instituições iniciem esse processo desde a Educação Infantil, o que, no entanto, não representa um número expressivo. Portanto segundo a realidade brasileira, os números contatos da criança com o computador em seu processo de aprendizado se darão aproximadamente a partir dos seis e oito anos.

É com base nessas investigações que é pretendido neste estudo, chamar a atenção dos educadores de um modo geral, a enxergarem a carência presente no contexto escolar, a partir do instante em que é rejeitada a inclusão digital na educação.

Apesar da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, em vigor de 1996, já preconizar a necessidade da “alfabetização digital” em todos os níveis de ensino, do fundamental ao superior, o censo escolar do Ministério da Educação ( MEC), realizado em 1999, revelou que apenas 3,5% das escolas de ensino básico tinham, naquele ano o acesso a Internet, e cerca de 63 mil escolas do país não tinham sequer energia elétrica. Felizmente nos últimos anos, esse quadro está mudando com as novas iniciativas governamentais. Porém a exclusão digital nas escolas brasileiras ainda é grande.

A missão pretendida aqui é fazer com que o educador torne o computador uma parte do ambiente natural da criança, explorando todas as possibilidades que o computador lhes oferecer.

1.2  Justificativa

A intenção de se desenvolver uma investigação nessa área se justifica em mostrar e conhecer a importância e os benefícios que a inclusão digital traz á educação.

As novas tecnologias trouxeram grande impacto sobre a Educação, desenvolvida nos dias atuais, criando novas formas de aprendizado, disseminação do conhecimento e especialmente, novas relações entre professor e aluno.

A revolução trazida pela rede mundial, possibilita que a informação gerada em qualquer lugar, esteja disponível rapidamente. A globalização do conhecimento e a simultaneidade da informação são ganhos inestimáveis para a humanidade. Não se pode ignorar a chegada dessas novas tecnologias.

A internet tem contribuído fortemente para uma total mudança nas práticas de comunicação e conseqüentemente, educacionais: na leitura, na forma de escrever, na pesquisa e até como instrumento complementar na sala de aula, ou como estratégia de divulgar a informação.

Por isso, a justificativa de se desenvolver um estudo nessa área, para ressaltar a importância da utilização dos computadores no processo educacional.

Diversas habilidades podem ser praticadas simultaneamente, facilitando a formação desses indivíduos polivalentes e multifuncionais, diferentemente, principalmente quando a utilização da internet possibilitar diversos tipos de comunicação e interação entre as culturas de forma bastante enriquecedora.

  1. OBJETIVO GERAL:

Dinamizar o ensino, buscando inserir as novas tecnologias no âmbito escolar.

2.1.  Objetivos Específicos:

Ø      Introduzir os computadores na vida escolar das crianças.

Ø      Estimular a mente da criança com o uso da máquina.

Ø      Contribuir para o processo de ensino – aprendizagem, para que aconteça de maneira mais prazerosa.

Ø      Promover aulas mais criativas, motivadoras e dinâmicas.

Ø      Envolver os alunos para as novas descobertas.

Ø      Proporcionar aos mesmos: autonomia, curiosidade, cooperação e socialização.

Ø      Oportunizar ao professor diferentes formas e recursos de melhorar o ensino.

Ø      Oferecer suportes: relevante ao preparo das aulas.

Ø      Aumentar de maneira satisfatória a qualidade de ensino e conseqüentemente da aprendizagem.

Ø      Expandir o acesso a informação.

Ø      Estabelecer novas relações com o saber.

Ø      Ultrapassar limites tradicionais.

3. METODOLOGIA

A metodologia empregada na elaboração deste projeto de pesquisa buscando fontes secundárias, como: textos escritos, leis e pareceres sobre a problemática apresentada, visando a análise da realidade local, o estudo será feito através de uma pesquisa analítica.

Utilizando a abordagem qualitativa, recorri a fontes primárias, ou seja, os próprios professores, visando entender o grau de conhecimento destes sobre a inclusão das novas tecnologias na educação.

Partindo das observações e questionários feitos com alguns destes profissionais das escolas do município, teremos uma pesquisa indutiva. Procurei para isso, efetuar um levantamento de aspectos importantes, dos pressupostos sobre o papel dessas novas tecnologias no âmbito escolar.

Este projeto propiciará conscientizar as escolas da rede particular e pública, para que busquem melhorar a educação incorporando as novas tecnologias no processo educativo de seus alunos e filhos.

Usarei como instrumento para coleta de dados: observações dos fenômenos e análise documental.

Os procedimentos utilizados serão: entrevistas com os professores: serão feitas durante o intervalo do curso de Pós-Graduação da Faculdade do Vale do Jaguaribe – FVJ. A análise documental será realizada através de investigações à LDB.

4. CONCLUSÃO

É evidente que num primeiro momento o computador cause certa estranheza ao professor, que por sua vez, já estava acostumado ao giz, quadro e livros, e de repente se deparar com métodos novos e diferentes...

No entanto, aprender exige muita dedicação e tempo, mas se referindo a educação é necessário que o docente busque continuamente oportunidades de capacitação para expandir o seu conhecimento e compartilhá-lo com o aluno.

Acredito que o conhecimento e o domínio sobre a informática é indispensável na vida de todo ser humano.

A escola deve disponibilizar aos alunos uma formação condizente à realidade, para que esse aluno possa atuar na sociedade, tornando-se cidadão responsável, crítico e capaz de contribuir para uma sociedade mais justa e humana.

Avaliar artigo
4
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 21 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-artigos/tema-as-novas-tecnologias-da-educacao-o-computador-como-transmissor-do-conhecimento-o-projeto-656447.html

    Palavras-chave do artigo:

    tecnologia da educacao computador ala de aula professor inclusao digital computador na escola educacao digital na escola

    Comentar sobre o artigo

    Daniel Motta

    A revista Nova Escola é uma publicação de periodicidade mensal, criada em 1986 pela Fundação Victor Cívita. A revista é voltada à comunidade de professores do ensino fundamental. Entre suas editorias, ela aborda diversos assuntos da área educacional, sob as mais variadas formas de textos jornalísticos: entrevistas com especialistas, artigos, relatos de experiências, idéias para sala de aula e seções destinadas a divulgação de trabalhos desenvolvidos em diferentes comunidades do país.

    Por: Daniel Mottal Educação> Ensino Superiorl 05/11/2010 lAcessos: 4,529 lComentário: 1

    Depressão é uma doença psiquiátrica, crônica e recorrente, que altera o humor e costuma estar associada com baixa autoestima e culpa, e normalmente traz consigo distúrbios do apetite (comer demais, ou praticamente nada), e de sono (dormir demais, ou quase nada), entretanto um dos aspectos mais nocivos é a falta de perspectivas, um sentimento de ausência de futuro, de impossibilidade de solução dos problemas, que muitas vezes leva até ao suicídio.

    Por: Central Pressl Educaçãol 31/10/2014

    O presente artigo discorre contribuição da literatura infantil no desenvolvimento social, emocional e cognitivo da criança.

    Por: neide figueiredo de souzal Educaçãol 29/10/2014

    Faz-se necessário que a avaliação seja orientada pela lógica da continuidade dos processos de formação.

    Por: neide figueiredo de souzal Educaçãol 29/10/2014
    Erineia nascimento da Silva

    O lúdico proveniente da palavra latina "ludus" que significa jogos. Que segundo DANTAS, 1988, representa liberdade para brincar livremente, gratuitamente, prazerosamente. Tornando a brincadeira uma expressão máxima do lúdico, desde da antiga Roma e Grécia em períodos remotos da civilização ocidental utilizava os brinquedos na educação com base nas idéias de Platão e Aristóteles.

    Por: Erineia nascimento da Silval Educaçãol 28/10/2014
    Sebastiana Braga

    A formação profissional não consiste apenas em ouvir palestra ou fazer determinados cursos. Pelo contrario, ela é um processo continuo e progressivo, onde através da aprendizagem se acumula conhecimento e este por sua vez vai sendo transformado em práticas bem sucedidas. Dessa forma deve ser pensado numa multiplicidade de saberes que através de um projeto para formação continuada que se complemente e que aborde um tema central a todas as áreas no intuito do melhoramento do ensino aprendizagem.

    Por: Sebastiana Bragal Educaçãol 27/10/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Sei o quanto. Tudo isso não significa nada. Apesar da interminável beleza dos universos. Contínuos. Sei do insignificado das coisas. Do delírio dos deuses. Das franquezas das razões não lógicas. A metafísica não indutiva.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educaçãol 25/10/2014
    Amanda Souza Machado

    Este trabalho é uma continuação das discussões, pesquisas e reflexões ocorridas durante a elaboração do artigo científico sobre como os educadores exploram as fantasias das crianças, produzidas a partir dos programas de televisão. O artigo propõe-se a apresentar as influências da TV no imaginário das crianças e qual é o papel dos educadores neste momento.

    Por: Amanda Souza Machadol Educaçãol 23/10/2014

    O presente artigo é um estudo bibliográfico que tem como objetivo principal abordar conceitos educacionais e metodologias desenvolvidas em sala de aula usando o lúdico como alternativa de metodologia. O trabalho justifica-se pela necessidade de se entender e adequar a aprendizagem às atuais demandas da educação é necessário conhecer alguns caminhos já percorridos pelo ensino e que se levam a uma redefinição dos objetivos, conteúdo e metodológicos.

    Por: Graciele de Miranda Oliveiral Educaçãol 21/10/2014 lAcessos: 14

    O que é Gestão Escolar? Qual o Papel do Gestor Escolar? O papel do gestor escolar é educar para a cidadania ou para a liberdade? O Coordenador deve ser um modelo de liberdade. Ele deve, no seu dia-a-dia, em sua gestão ir apresentando à Escola formas de seus professores e alunos, serem auto suficientes no mundo, podendo então executar diversas tarefas.

    Por: WALERIA CAMINHAl Educaçãol 27/04/2009 lAcessos: 24,425 lComentário: 3

    Neste artigo, apresentarei o resumo de algumas questões básicas sobre a aquisição da linguagem. Estas questões serão consideradas à luz das observações que têm sido feitas sobre as mudanças de comportamento do desenvolvimento lingüístico fisiológico e psicolingüístico da linguagem.

    Por: WALERIA CAMINHAl Educaçãol 29/11/2008 lAcessos: 10,388 lComentário: 4

    Comments on this article

    1
    weyker 01/06/2010
    kkkkkkkkkkk e fera principaumente e meu trabalho de escola
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast