Violência Nas Salas De Aula

Publicado em: 03/04/2009 |Comentário: 5 | Acessos: 4,642 |

VIOLÊNCIA NAS SALAS DE AULA

A falta da educação doméstica contribui para o aumento da agressividade escolar.

 

Nos dias atuais, a violência nas escolas é uma realidade vivenciada tanto por profissionais da área, como pelos próprios estudantes. Todos os dias lemos notícias de agressões praticadas dentro do âmbito escolar, e parece que nada é feito para modificar essa situação. Em Salvador, além de episódios envolvendo alunos contra professores, há também casos de agressões entre os próprios jovens.

 

Quando se fala de educação pública no Brasil a primeira imagem que surge na mente é de um sistema educacional em degradação. Professores sem valorização, como consequência, sem dedicação. Alunos sem motivação. O ambiente escolar, antes considerado lugar protegido, hoje inspira insegurança entre alunos, professores e diretores, prejudicados com a violência praticada dentro ou no entorno das unidades. A escola deve ser vista como extensão do lar. Com a missão de ensinar, formar, informar e construir uma sociedade mais solidária, justa e humana, ela é a esperança e certeza de dias melhores. A escola é um espaço sagrado, onde as famílias veem como um local onde seus filhos irão aprender, crescer, evoluir e adquirir capacidades para enfrentar a vida, entretanto, devido à perda dos valores necessários para a formação dos indivíduos, ela está reduzindo-se a apenas um local para demonstração da agressividade.

 

Um dos principais motivos para a ocorrência de casos de violência em salas de aula é a falta de educação domestica. Quando os pais não impõem limites para os filhos desde criança estão contribuindo para formar um indivíduo que não respeitará normas e convenções, e, principalmente o outro. A constatação da necessidade de se impor limites é reconhecida pela pedagogia e pela psicologia como instrumentos para a formação equilibrada do jovem e uma contribuição fundamental para o futuro adulto.

 

A violência escolar já ultrapassa os limites das classes sociais, das faixas etárias e dos portões das instituições de ensino. Nas faculdades, os trotes violentos demonstram a falta dos valores impostos pela família. Os jovens se tornam agressivos cada vez mais jovens, chegando a ser crianças na maioria das vezes, e o tráfico de drogas entra nas escolas sem pedir licença, impondo as regras e arrebanhando todas as ovelhas que puder.

 

A escola não é lugar de praticar sexo, violência, vícios, uso e tráfico de drogas nem de fomentar desunião, ressentimentos e ódio. Não podemos aceitar a banalização da violência, como se fosse uma coisa normal, natural, como se fizesse parte inevitável da vida em sociedade. Naturalmente, isso contribui para a destruição da educação e para a redução das expectativas dos jovens acerca do mundo em que vivem.

 

 Cabe aos governantes oferecer condições dignas de trabalho aos educadores, valorizando e estimulando esses profissionais; cabe aos pais, cuidar mais dos filhos orientando e educando com os limites necessários, e cabe à comunidade uma integração cada vez maior no ambiente escolar e na participação efetiva nos debates para a solução dos problemas relacionados à educação.

 

Avaliar artigo
4
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-artigos/violencia-nas-salas-de-aula-849210.html

    Palavras-chave do artigo:

    violencia escolar

    ,

    educacao familiar

    Comentar sobre o artigo

    Este artigo aborda o tema violência nas escolas, foi feita uma revisão bibliografia, em artigos e periódicos para a elaboração desta pesquisa, foi focado na família e na escola, dois elementos principais e indissociáveis da temática, o objetivo principal do trabalho é fazer um estudo teórico sobre a violência nas escolas, e ter uma visão sobre o papel da escola e da família nas causas dessa violência.

    Por: Andria Oliveira Ramosl Educação> Ensino Superiorl 04/06/2013 lAcessos: 73

    Este artigo tem como propósito apresentar as primeiras aproximações encontradas entre o pensamento de Hannah Arendt e o fenômeno da violência escolar. O objetivo principal da pesquisa é verificar a aplicabilidade da teoria de Arendt para a compreensão da violência. A metodologia adotada compreende pesquisa de campo (observação participante e entrevistas) em uma escola pública de Ensino Fundamental e um Centro Educacional Unificado (CEU), situados na cidade de São Paulo.

    Por: Simone Rosal Educaçãol 18/03/2010 lAcessos: 1,701

    ENTENDER A VIOLÊNCIA QUE ACONTECE NA ESCOLA NOS DIAS ATUAIS SIGNIFICA ABRIR ESPAÇO PARA UMA REFLEXÃO EM TORNO DA MUDANÇA DE POSTURA DO PROFESSOR NO COTIDIANO ESCOLAR. O EDUCADOR QUE COMPREENDE SEU PAPEL VISUALIZA NA ESCOLA UM IMPORTANTE ESPAÇO DE PREVENÇÃO DA VIOLÊNCIA.

    Por: VIVIANE AVELINO MARCELOSl Educaçãol 19/01/2009 lAcessos: 129,713 lComentário: 66

    RESUMO A ação dos gestores diante do problema da violência escolar é de fundamental importância para a vida dos alunos que a ele possam ter acesso. Não é necessário uma análise profunda de nossa sociedade para perceber o quanto a violência está latente. O índice crescente da violência na sociedade, nas mais diversas formas, já passa dos limites concebíveis. Alguns livros e revistas nos mostram essa dura realidade, entre eles concentramo-nos, principalmente nos cinco seguintes, que nos mostram i

    Por: Ana Lidia Silva Duartel Educação> Ciêncial 22/06/2010 lAcessos: 7,660 lComentário: 1
    Alexandre Arrenius Elias

    Breve texto que traz um ensaio sobre a responsabilidade da família na formação de uma consciência amadurecida de seus filhos para uma realidade social dinâmica e evolutiva.

    Por: Alexandre Arrenius Eliasl Educação> Educação Infantill 27/05/2011 lAcessos: 247

    O presente artigo consiste em uma revisão bibliográfica sobre a violência escolar, trazemos o conceito de bullying, as consequências dessa violência para a comunidade escolar. Para tanto usamos como referencial teórico autores que retratam esta temática como: Constanatini (2004); Fante (2005); Lopes Neto (2005) Fante e Pedra (2008); Guareschi (2008), Pereira (2009) dentre outros. Apresenta-se uma reflexão sobre a contribuição da família e da escola na minimização deste tipo de violência.

    Por: EURICLÉIA FAGUNDES RAMOSl Educação> Ciêncial 24/11/2011 lAcessos: 670
    JOSÉ ALCY DE PINHO MARTINS

    A violência na escola é um tema de grande relevância, que influencia no processo educacional. Este projeto teve como objetivo geral analisar a violência na escola em uma perspectiva sócio-jurídica e educacional, verificando se a instituição escolar, estar perdendo seu caráter transformador e seu poder de antídoto contra a violência.

    Por: JOSÉ ALCY DE PINHO MARTINSl Educaçãol 06/11/2009 lAcessos: 2,767
    leone pereira de souza

    O objetivo deste trabalho foi investigar os saberes docentes e discentes sobre drogas, violência no âmbito escolar e sua influência no processo educacional, em uma Escola Estadual no Município de Boa Vista/RR/Brasil, conscientizando assim os alunos e demais segmentos da comunidade escolar. Tenta-se responder a seguinte problemática: De que forma o professor aborda esta temática em sala de aula? e com qual frequência o faz? A pesquisa tem cunho quali-quantitativa, utilizando o método Hermenêutico

    Por: leone pereira de souzal Educaçãol 17/02/2010 lAcessos: 2,165 lComentário: 1

    A estrutura familiar está desaparecendo a cada dia e é na escola que muitas crianças encontram seu referencial para a vida. Em meio a tantas más influências, a escola deve estar preparada para oferecer aos seus educandos o maior número de influências positivas para que ele possa ver a escola como um exemplo de cidadania que respeita seus educandos e busca uma relação dialética com eles a fim de ajudá-los a solucionar seus problemas e orientá-los em suas decisões.

    Por: Deise Coelho Schinoffl Educaçãol 25/05/2012 lAcessos: 621
    Erineia nascimento da Silva

    O aluno especial tem algumas necessidade de auto realização igual aos demais alunos, assim como ele precisa ter sua autoestima valorizada para contribuir na definição de suas habilidades intelectuais, a interação social com a comunidade escola lhe dará segurança, o apoio dos pais e fundamental nesse processo.

    Por: Erineia nascimento da Silval Educaçãol 11/09/2014
    Erineia nascimento da Silva

    Cérebro é o órgão onde se forma a cognição, o órgão mais organizado do corpo humano. Portando a cognição pode emergir no cérebro e nele acontece dinâmicas evolutivas que permitem ao ser humano revelar-se como um ser auto-eco-organizador, para isso e necessário o envolvimento das funções bio-psico-sociais ou bioantropologicas.

    Por: Erineia nascimento da Silval Educaçãol 08/09/2014
    Formacerta.pt

    Este artigo informa sobre o curso de Formação Pedagógica Inicial de Formadores, uma formação frequentemente procurada (e essencial) por indivíduos que querem entrar no mercado de formação profissional.

    Por: Formacerta.ptl Educaçãol 08/09/2014

    O presente texto aborda sobre Saúde em Educação, como incentivo entre desenvolvimento social, psicológico, cultural e saúde educacional. Pois o artigo preocupa-se e questiona-se sobre a formação de crianças e adolescentes e a saúde pública escolar.

    Por: Reginaldo Posol Educaçãol 07/09/2014

    O presente texto possui uma abordagem reflexiva simples e ao mesmo tempo um foco informativo sobre as três áreas de "ciências" Psicopedagogia, Psicologia Transpessoal e Educação, numa prespectiva relacionada á Educação de maneira prática e explicativa.

    Por: Reginaldo Posol Educaçãol 07/09/2014

    O objetivo deste estudo foi verificar como a mídia influencia o desenvolvimento moral da criança, quando da sua exposição nos meios de comunicação a partir de uma denúncia não verídica de violência sexual em uma escola infantil do município de Vila Velha, Espírito Santo. Trata de um estudo descritivo, desenvolvido na Unidade Municipal de Educação Infantil "José Silvério Machado", Jardim Marilândia, Vila Velha, ES. Participaram do estudo 10 professores.

    Por: ADRIANA CHAGAS MEIRELES ZURLOl Educaçãol 28/08/2014 lAcessos: 12

    O objetivo deste estudo foi contribuir para o entendimento de quais são os fatores que determinam o sucesso escolar de alunos dos meios populares, por meio da percepção dos educadores. Trata de um estudo descritivo, quantitativo e qualitativo. O instrumento de coleta dos dados foi um questionário estruturado com perguntas objetivas e subjetivas As perguntas objetivas se relacionam a identidade dos professores e vivência no ambiente escolar. As subjetivas buscam conhecer quais os fatores que poss

    Por: SANDRA MARIA TEIXEIRA GRADIMl Educaçãol 28/08/2014

    O objetivo deste artigo é relatar a experiência de participação no projeto de psicologia escolar, denominado Mundo Imaginário, que ocorreu entre maio e junho de 2013. A proposta de intervenção em Psicologia Escolar/Educacional envolveu basicamente a aplicação de atividades para as crianças que fazem parte do preparatório para o primeiro ano do ensino fundamental, em uma escola filantrópica de Teresina-Pi, a partir de demandas relatadas e observadas pelos professores de tais turmas.

    Por: Daniel Soaresl Educaçãol 26/08/2014

    Esse texto mostra como a diferença no modo de tratar as pessoas pode revelar preconceitos escondidos.

    Por: edna ferreiral Relacionamentosl 27/04/2009 lAcessos: 1,649 lComentário: 1

    Análise sobre atitude de shopping contra casal de homossexuais

    Por: edna ferreiral Notícias & Sociedade> Cotidianol 03/04/2009 lAcessos: 498

    Comments on this article

    1
    angelice castro de oliveira 19/09/2010
    A vioência em sala de aula
    É um absudo o que está acontecendo com a educação em nosso País,pricipalmente com a minha turma do 1º ano do 1° ciclo, que são crianças de 06 a 09 anos de idades, o quanto eles estão violentos em sala de aulas parece mais um cenário de guerra do que uma sala de aula, fiz uma ocorrencia a gestora para tomar uma providência até agora nada. Já conversei com os pais do alunos agressivos, mas não resultou em nada. Portanto na minha opinião é falta de limites dos pais, porque estão impodo todos a responsabilidade na escola ou seja a educação doméstica, falta de respeito com o próprio colega.
    2
    juan 01/10/2009
    bom ,e facil dider que a familia esta falhando na educaçao mas se esquecem que depois que promulgarom, certas leis a uns 20 anos atras acabarom tirando a autoridade da familia sendo que nem todos as pessoas tem (avilidade de oratoria) nessesaria para educar filhos da maneira que os governantes querem , a prova esta que depois de cuase 2 geraçoes apos as leis postas em pratica o sistema educandario esta indo a falencia sendo que talves apenas 60% se resolva con conversas . mas tem 40%que se aproveitam das leis para se dar bem.
    O dia que conversa esvacie febems , presidios,
    Tem um caso bem atual , um aluno foi pego pela profesora pixando o colegio e ela o colocou a pintar as paredes , nada mas justo ja que sujo limpe , e agora vaseandose em esas leis o coitadinho se sintiu humilhado e os pais se e que podem se chamar de pais colocam adbogados para para descontar an profesora que apenas estava facendo o trabalho que os paisnao souberom facer em casa, en ves de dar um corretivo pasam a mao por cima , ,,, que cidadao sera no futura ese menino??????
    1
    Izabella 29/09/2009
    bom,muito bom adorei!!!!
    1
    Isabella 29/09/2009
    ok!!!!
    Devemos ajudar crianças e adolecentes o mais rápido possível.
    1
    sirlene 13/05/2009
    Gostei do artigo, porém hoje além de compreender o porque acontece essa violência necessitamos de sugestões de como podemos lidar na prática com ela.
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast