A Brincadeira Na Educaçao Infantil

Publicado em: 14/11/2009 |Comentário: 0 | Acessos: 6,831 |

KATIA MACHADO DA SILVA

EDNA VIANA SENTCHUK

RESUMO

A brincadeira expressa á forma como uma criança reflete, ordena, desorganiza, destrói e constrói o mundo á sua maneira. São também um espaço onde a criança pode expressar, de modo simbólico suas fantasias, seus desejos, medos, sentimento agressivos e os conhecimento que vai construindo, a partir das experiências que vivem. Brincar é uma realidade cotidiana na vida das crianças e, para que elas brinquem, é suficiente que não sejam impedidas de exercitar sua imaginação. A imaginação é um instrumento que permite as crianças relacionarem seus interesses e suas necessidades com a realidade de um mundo que poucos conhecem; é o meio que possuem para interagir com o universo dos adultos, universo que já exista quando elas nasceram e que somente poucos puderam compreender. Desde o momento em que nascem e à medida que crescem, as crianças esforçam-se para agir e relacionar-se com o ambiente físico e social que as rodeia – um mundo á sua maneira. Os espaços físicos das creches ou até mesmo escolas que promovem a educação infantil são apropriados para realização das brincadeiras? Os profissionais da educação infantil muitas vezes não estão preparados para as novas exigências do mercado de trabalho. Essas exigências vêm no fazer uma pratica pedagógica inovadora. No processo de aprendizagem é necessário que a criança esteja motivada para que se interesse por uma atividade. E essa motivação influência no seu processo de aprendizagem e na construção de idéias e convicções próprias, fazendo parte integrante de sua personalidade

  1. BRINCAR DESPERTA A MOTIVAÇÃO PARA A APRENDIZAGEM

A aprendizagem depende em grande parte da motivação: as necessidades e os interesses das crianças são mais importantes que qualquer outra razão para que ela se ligue a uma atividade e da confiança na sua capacidade de construir uma idéia própria sobre as coisas, assim como exprimir seu pensamento com convicção são característica que fazem parte da personalidade integral da criança.

Dessa forma, o brincar aparece como um elemento de aprendizagem e desenvolvimento de adaptação social, de libertação pessoal e conservação da própria cultura ao encerrar uma série de valores, nomeadamente recreativos, pedagógicos cultural entre outro. Vale ressaltar que o brincar aparece também definido como jogo na teoria piagetiana. Assim, ao longo do período infantil.

No que se referem aos aspectos sócios, os jogos aparecem como instituições sociais capazes de promover a comunicação interpessoal, criando um relacionamento social e á compreensão das regras. Dessa forma, a atividade lúdica como berço obrigatório das atividades intelectuais da criança, sendo por isso, indispensável a pratica educativa. As brincadeiras permitem à exploração de potencial criativo de uma seqüência de ações libertas e naturais em que imaginação se apresenta como atração principal, o que significa dizer por meio do brinquedo, a criança reinventa o mundo e liberam as suas fantasias. É interessante observar que, Vygotsky, o ensino sistemático não é o único fator responsável por alargar os horizontes da zona de desenvolvimento proximal. Ele considera o brinquedo uma importante fonte de promoção de desenvolvimento. Afirma que, apesar do brinquedo não ser o aspecto predominante na infância, ele exerce uma enorme influencia no desenvolvimento infantil. De acordo com Vygotsky, por meio do brinquedo, a criança aprende a atuar numa esfera cognitiva, que depende de motivações internas, Nessa fase (idade pré- escolar) ocorre uma diferenciação entre os campos de significado e da visão. O pensamento, que antes era determinado pelos objetivos do exterior, passa a ser regido pelas idéias.

A criança passa a criar uma situação ilusória, como forma de satisfazer seus desejos não realizáveis, Este é, alias, as características que define o brinquedo, de um modo geral. A criança brinca pela necessidade de agir em relação ao mundo mais amplo dos adultos e não, apenas ao universo dos objetivos a que ela tem acesso (MOYLES, p. 117, 2002).

A brincadeira representa a possibilidade de solução do impasse causado, de um lado, pela necessidade de ação da criança e, de outro, por sua impossibilidade de executar as operações exigidas por essa ação da criança e, de outro, por sua impossibilidade de executar as operações exigidas por essas ações. “A criança quer, ela mesma, guiar o carro , ela quer remar o barco sozinha , ma não pode agir assim, e não pode , principalmente , porque não domina e não pode dominar as operações exigidas pelas condições objetivas reais, ação dado”.

(LEONTIEN, p, 123, 1998). Assim, por meio do brinquedo, as crianças projetam-se nas atividades dos adultos, procurando ser coerentes com os papeis assumidos.

REFERÊNCIAS

VYGOTSKI , L , S.Pensamento e linguagem. São Paulo: M.Fontes, 1987.

MOYLES , Janet R. Só brincar?  O papel de brincar na educação infantil.

Porto alegre : Artmed, 2002

LEONTIEV , A . O desenvolvimento do psiquismo, Lisboa . Horizonte

Universitária , 1978 .

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-infantil-artigos/a-brincadeira-na-educacao-infantil-1459632.html

    Palavras-chave do artigo:

    educacao infantil

    Comentar sobre o artigo

    JORGE ELISSANDER N. BALBINO

    Nesse estudo, procurou-se evidenciar a evolução do segmento de educação infantil especificamente no município de Juiz de Fora, Minas Gerais, analisando sobre a educação infantil no Brasil e no município e as relações entre os profissionais da educação infantil.

    Por: JORGE ELISSANDER N. BALBINOl Educação> Ensino Superiorl 16/02/2011 lAcessos: 1,992
    EDINALVA COSTA DE ANDRADE

    O Gestor na Educação Infantil, atualmente é visto sob um novo paradigma,baseado na visão global do conhecimento.Assim sob o novo perfil, não se preocupa somente com a parte burocrática do ensino, como em todo o contexto que se situa o ensino a a aprendizagem.Deve ser um mediador de um trabalho democrático.Como gestor na educação infantil,ser conhecedor das novas perspectivas da organização dos espaços pedagógicos desse nível de ensino. Conhecedor da criança na sua faixa etária, 0 a 6 anos.

    Por: EDINALVA COSTA DE ANDRADEl Educação> Educação Infantill 20/11/2014 lAcessos: 16

    O presente estudo propõem uma reflexão sobre as limitações e possibilidades do ensino de Geografia na Educação Infantil. São objetivos da pesquisa através de leituras, caracterizar as etapas da criança segundo teorias do desenvolvimento de Vygotsky e Piaget; especificar os conceitos importantes para auxiliar obter noções espaciais; analisar a importância da orientação espacial e temporal; pesquisar estratégias para trabalhar o ensino de Geografia na Educação Infantil.

    Por: maristela brum peroniol Educação> Educação Infantill 28/03/2011 lAcessos: 9,946 lComentário: 1
    Marcelo Gomes González

    O Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil é um documento que equivale aos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs), já que foi criado pelo MEC em 1998. No entanto, há um debate ferrenho entre as grandes esferas da administração é o fato desse nível de ensino compor a Educação Básica, mas ser posta de forma facultada, fazendo com que, muita das vezes, não seja cursada pela criança, que fica com um ensino deficitário na base do conhecimento.

    Por: Marcelo Gomes Gonzálezl Educação> Educação Infantill 17/10/2012 lAcessos: 702
    Fabiana Saturnino da Silva

    O presente trabalho é uma pesquisa que tem como objeto de estudo o brincar no desenvolvimento infantil. A pesquisa aborda o papel do brincar na Educação Infantil, uma vez que os jogos e as brincadeiras são excelentes oportunidades de mediação entre o prazer e o conhecimento historicamente construído.

    Por: Fabiana Saturnino da Silval Educação> Educação Infantill 16/02/2015
    Simoni Caldeira da Fonseca

    O referente trabalho aborda a importância da gestão escolar para a organização pedagógica da Educação Infantil, pois a criança necessita de todo cuidado específico para sua idade e na escola ela deve encontrar este amparo. O gestor escolar tem a função de proporcionar à criança um ambiente todo aconchegante, colorido, organizado, com atividades permanentes, enfim, tudo o que é necessário para que ela tenha um desenvolvimento adequado.

    Por: Simoni Caldeira da Fonsecal Educação> Educação Infantill 11/12/2014 lAcessos: 28

    RESUMO O presente artigo tem por finalidade realizar um relato do sentimento de infância no decorrer dos anos e do lúdico, bem como verificar os pressupostos teóricos que abordam sobre o lúdico na educação infantil. Objetiva também verificar a importância do professor trabalhar o lúdico na educação infantil, verificando a relevância que a ludicidade apresenta nesta fase da criança tanto em seu universo infantil quanto na vida escolar.

    Por: Liliane Cristina Fedrigol Educaçãol 01/12/2014 lAcessos: 54
    Ereci Coelho

    Neste artigo será abordada a importância das práticas curriculares obrigatórias para as mudanças de opiniões e quebra de pré-conceitos formados pelo senso comum que levam às decisões futuras a cerca das escolhas profissionais. Através da pesquisa, experiências e muitos estudos, a autora relata de que forma pode-se desmistificar pensamentos errôneos a cerca da educação infantil bem como a forma e metodologias aplicadas a esta etapa tão importante da vida escolar de uma criança.

    Por: Ereci Coelhol Educaçãol 01/09/2011 lAcessos: 303
    EDINALVA COSTA DE ANDRADE

    RESUMO: O presente artigo tem por objetivo apresentar algumas reflexões a respeito da psicomotricidade na Educação infantil. As reflexões tecidas ao longo deste trabalho, mostrou que o conceito de Educação Motora tem sofrido mudanças significativas, de um paradigma onde esta educação se dava limitada ao conceito do físico apenas, tem extrapolado outros âmbitos, passando a considerar o ser humano como um todo constituído, de corpo e alma. Sendo assim, o termo educação psicomotora engloba a necess

    Por: EDINALVA COSTA DE ANDRADEl Educação> Educação Infantill 20/11/2014 lAcessos: 22
    Fábia Utsch

    No presente estudo tratei da inclusão apresentando o significado da palavra e trouxe o termo para a educação: escola e educação inclusiva. O termo inclusão se aplica em diversas situações e um cuidado especial precisa ser tomado para dar verdadeiro sentido à palavra na educação, pois se trata de aplicar o termo com pessoas. A partir dessa compreensão apresento algumas orientações para a inclusão na educação infantil.

    Por: Fábia Utschl Educação> Educação Infantill 28/11/2012 lAcessos: 172
    Jeane Correia Teixeira

    Multiculturalismos (ou pluralismo cultural) é um termo que descreve a existência de muitas culturas numa localidade, cidade ou país, com no mínimo uma predominante. (Wikipédia) O mundo é multicultural, uma verdadeira mistura de costumes, valores e individualidades. Vivemos em uma sociedade complexa, onde a escola é um dos locais onde os fenômenos sociais e diversas maneiras e concepções de vida social são compartilhadas. O preconceito étnico segue essas diferenças, onde o diferente para muito é

    Por: Jeane Correia Teixeiral Educação> Educação Infantill 01/03/2015
    Jeane Correia Teixeira

    Este artigo tem como objetivo principal comentar sobre importância da utilização de jogos, brincadeiras e objetos de aprendizagem para educandos surdos, afim de que se obtenham seu desenvolvimento e uma integração social entre elas e os ouvintes no ato de brincar e até mesmo a possibilidade de educar através destes. Visto que há na escola grandes dificuldades em se obter melhor aprendizagem dos surdos, interação com os ouvintes e que existem grandes dificuldades no seu letramento. A ideia para e

    Por: Jeane Correia Teixeiral Educação> Educação Infantill 01/03/2015

    O início do ano letivo é um momento de adaptação tanto para alunos quanto para professores, no qual escola e família devem trabalhar em conjunto para preparar as crianças e jovens para o retorno à rotina escolar

    Por: Central Pressl Educação> Educação Infantill 26/02/2015

    A utilização da musica de forma cognitiva na construção do conhecimento do educando na busca de uma liberdade Autônoma.

    Por: Daniela Rosseti silval Educação> Educação Infantill 25/02/2015 lAcessos: 14
    Genilda Vieira Rodrigues

    Segundo os estudiosos da educação infantil, a música não está só relacionada somente ao ensino e aprendizagem, mas em todos os momentos da vida do individuo. O presente artigo foi elaborado a partir da necessidade de compreender a importância da música na educação infantil, especialmente as cantigas de roda e tem como problemática: Até que ponto os docentes inserem na sua prática pedagógica as cantigas de roda como elemento norteador para o processo de ensino aprendizagem das crianças de 4 a 5 a

    Por: Genilda Vieira Rodriguesl Educação> Educação Infantill 21/02/2015
    Fabiana Saturnino da Silva

    O presente projeto foi desenvolvido com crianças de dois e três anos, tem como objetivo desenvolver hábitos saudáveis de higiene bucal na rotina da criança.

    Por: Fabiana Saturnino da Silval Educação> Educação Infantill 18/02/2015

    O presente artigo visa apresentar algumas reflexões acerca da indisciplina em sala de aula, a partir da implementação do Projeto de Intervenção na escola, que propôs uma observação e analise de como se processam as relações interpessoais na sala de aula. Abordará a postura do educador no enfrentamento do problema, enfocando a organização do trabalho coletivo como elemento norteador desse processo.

    Por: Arlete Luiza de Souzal Educação> Educação Infantill 17/02/2015 lAcessos: 17

    Os jogos, brinquedos e brincadeiras são inerentes ao universo infantil, sendo assim, o artigo intitulado "A importância das atividades lúdicas no universo da educação infantil" pretende investigar como a ludicidade contribui para a construção do conhecimento na educação infantil

    Por: Arlete Luiza de Souzal Educação> Educação Infantill 17/02/2015 lAcessos: 23

    Estudamos relatos de pesquisas, artigos científicos e opiniões de senso comum apontam dificuldades, por parte da população brasileira, com relação ao aprendizado e domínio da leitura escritura, revelando que individuo dos mais variados grupos sociais e, portanto,com experiências pessoais, culturais e educacionais distintas, estabelecem uma relação negativa e inadequada com essa modalidade de linguagem.

    Por: Kátia Machadol Educação> Educação Infantill 14/11/2009 lAcessos: 973
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast