A Educação e o Terceiro Milênio

Publicado em: 18/04/2011 |Comentário: 0 | Acessos: 1,990 |

A  EDUCAÇÃO  E  O  TERCEIRO  MILÊNIO

 

Abriram-se as portas ao terceiro milênio, portanto precisamos analisar, como educadores, qual tem sido a nossa principal tarefa diante destes seres do futuro (nossos educandos) que, por motivos psicológicos, sociológicos ou filosóficos, talvez, alheiam-se aos principais objetivos do seu ser, como também convivem alheios aos grandes problemas da sociedade em que estão inseridos.

Assim como Antônio Petrus Rotger, educador espanhol, também faço uso da mesma citação "aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a ser e aprender a viver juntos", para direcionar ao educador sua principal estratégia ou pilares educativos para o próximo século: ensinar a conhecer, ensinar a fazer, ensinar a ser e ensinar a viver juntos nossos educandos, não apenas na escola, mas principalmente na sua família, na sua sociedade.

Em um mundo no qual se tem anunciado a morte de todas as utopias, a educação se vislumbra cada vez mais com uma utopia necessária, sobretudo pelo compromisso que tem de levar adiante as estratégias que, em última instância, contribuirão para garantir a espécie humana e a melhora da sociedade.

Conhecer, reconhecer, vivenciar e enriquecer valores não pode ser considerado, principalmente por nós, educadores, como uma utopia, mas sim, razão principal das nossas tarefas educativas do ser humano em questão.

Não devemos fazer da escola apenas um lugar para transmitir e ensinar saberes, mas também um espaço onde se aprenda a conviver, a respeitar aos demais, onde as normas, atitudes e valores morais constituam objetivos básicos no processo educativo.

Sempre se tem considerado a escola como sendo um segundo lar do educando, mas nos últimos tempos, um substantivo sem valor tem entrado desmascaradamente, tanto nos lares, quanto na escola: a violência.

Crises existem desde o século passado, mas tentativas de soluções a crises pouco se tem sentido.

Se os valores estão em crise, então o que nos cabe fazer como educadores e como pais que somos, também?

Que métodos ou estratégias didáticas poderemos empregar na chamada educação em valores?

Os valores são conteúdos que podem ser aprendidos e podem ser ensinados, mas não apenas através da intervenção de educadores e educandos, não apenas através da educação moral e cívica, mas também através da imitação de modelos e práticas próprias da vida cotidiana que nossos alunos deveriam observar em suas famílias e na escola.

Todo trabalho educativo deveria, portanto, possuir como forte pilar para a reconstrução do homem em crise, uma conscientização valorativa do seu trabalho como educador e principal agente para a formação, reestruturação ou reconhecimento dos valores humanos.

Se o nosso educando aprende conteúdos apenas, desconhecendo valores como amor, respeito, justiça, honra, humanismo, solidariedade, honestidade e tantos outros, é óbvio que o império da violência sobressairá.

Nossos educandos precisam aprender antes que todos os conteúdos que lhes serão ensinados, apenas serão "aproveitados" em sua vida futura, quando antes tiverem consciência da importância dos valores (éticos, morais, etc.) e souberem fazer uso deles na prática dos conteúdos que lhes foram ensinados.

Educação sem consciência de valores não é educação, mas somente transferências de conteúdos com gestão plena e infinita da derradeira violência.

 

 

                                        

 

 

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-infantil-artigos/a-educacao-e-o-terceiro-milenio-4627444.html

    Palavras-chave do artigo:

    educador educando valores

    Comentar sobre o artigo

    As políticas sociais no Brasil têm funcionado como um artifício pelo qual o Estado minimiza as tensões sociais e lutas de classes. Nesse sentido, atendem apenas de forma limitada ao grande contingente de excluídos que delas dependem cotidianamente, conformando a pouca efetividade social e sua subordinação a interesses políticos e econômicos. Dentre as conseqüências criadas por este modelo econômico e político, está à população infanto-juvenil de rua que é uma das mais claras expressões d

    Por: Rodrigo Bravinl Educação> Educação Infantill 28/07/2010 lAcessos: 2,031 lComentário: 1
    Manoel Aparecido Martins

    A ludicidade faz parte do ser humano desde seu nascimento, é brincando que a criança vai conhecendo o mundo ao seu redor, vai se identificando, vai fazendo parte. O lúdico pode e deve ser utilizado no ensino de todas as disciplinas, até mesmo de forma interdisciplinar. Portanto é de fundamental importância um estudo mais aprofundado da natureza e importância desta disciplina nos dias atuais, bem como seu histórico e a aplicação do lúdico na mesma.

    Por: Manoel Aparecido Martinsl Educaçãol 17/06/2009 lAcessos: 14,979 lComentário: 4

    A pesquisa foi feita a partir da observação de como se dá o letramento: oralidade e escrita e a utilização da análise lingüística como fator identificador das maiores dificuldades dos alunos em sala de aula. Além disso, observaram-se as condições de produção textual e verificaram-se quais gêneros discursivos orais e escritos foram mais trabalhados em sala de aula e qual a influência da oralidade nos textos de escrita espontânea. A escolha desse tema surgiu a partir da necessidade de aprofundar c

    Por: Darci Martinsl Educação> Educação Infantill 14/11/2014

    Podemos dizer que educamos em valores quando os alunos se fazem entender e entendem os demais colegas;aprendem a respeitar e a escutar o outro; aprendem a ser solidários, a ser tolerantes, a trabalhar em,a compartilharem ou socializarem o que sabem, a ganharem e a perderem, a tomarem decisões, enfim.É assim o resultado da educação em valores na escola: ajudar os alunos a se desenvolverem como pessoas humanas e faz ser possivel, visivel ou real.

    Por: Patricia Cebalho de Alcantaral Educaçãol 23/11/2009 lAcessos: 782 lComentário: 1

    O presente artigo faz uma reflexão sobre a relação entre educador e educando. Desta forma a interação é um fator primordial para que ocorra de fato a aprendizagem.

    Por: Iracilda Gabriell Educação> Ensino Superiorl 25/10/2011 lAcessos: 242
    ivonete frasson

    Este artigo busca fazer uma reflexão do papel do educador na era tecnológica em que estamos, dos avanços que permitem também a ele futurar seus conteúdos e daquilo que se faz importante para colocar em prática seu trabalho educacional.

    Por: ivonete frassonl Educação> Ensino Superiorl 16/05/2011 lAcessos: 150

    O Presente artigo faz uma análise sobre as relações entre escola e família onde a relação baseiam-se na divisão do trabalho de educação de crianças no envolvimento e nas expectativas recíprocas. Quando se fala na desejável parceria escola–família e convoca-se a participação dos pais na educação, sobretudo pelo dever de casa como estratégia de promoção do sucesso escolar.

    Por: Edlene Maria da Silval Educação> Educação Infantill 26/11/2011 lAcessos: 1,002

    O presente artigo apresenta um estudo bibliográfico sobre as Altas habilidades Superdotação O tema ainda é pouco discutido, especialmente pelos mitos que impedem os educadores de perceber com mais clareza os alunos que se enquadram nestas características. Muitas são as concepções divergentes sobre um mesmo perfil, iniciando pela própria denominação utilizada.

    Por: Iracilda Gabriell Educação> Ensino Superiorl 05/05/2014 lAcessos: 75

    Este artigo tem como tema "A importância dos contos para a formação de valores e o desenvolvimento psíquico Infantil", abordando, a relevância que a contação de história demonstra na dimensão lúdica nos aspectos que favorecem o desenvolvimento infantil. Apresenta uma abordagem teórica, que favorece a reflexão e análise do tema. O questionamento que motivou a escolha dessa temática foi: qual é a importância da fantasia no desenvolvimento infantil? A pesquisa bibliográfica fundamentou a elaboração

    Por: Vilma vianal Educação> Educação Infantill 27/02/2014 lAcessos: 346
    Jussilene de J. S. de Souza

    O professor carece repensar seu papel de educador e definir-se profissionalmente, vendo que a leirura é um instrumento eficaz para a construção de conhecimento pleno, ampliação do vocabulário, contentamento, permitindo que os alunos possão ter imaginação desenvolvendo a oralidade e praticando a escrita, mas para que isso ocorra é preciso estimular a leitura formara leitores, sem oprimir-los.

    Por: Jussilene de J. S. de Souzal Educação> Línguasl 18/07/2010 lAcessos: 3,008

    Como obter as informações de que necessitamos para acompanhar os percursos dos estudantes? Como apreender os modos como eles representam os conceitos? Como saber o que pensam sobre o que ensinamos para pensarmos nas possibilidades pedagógicas que assegurariam a qualidade do ensino-aprendizagem? Como proceder para que os estudantes evidenciem seus avanços e suas dificuldades?

    Por: Maria Cristinal Educação> Educação Infantill 18/11/2014

    Aprender com prazer, aprender brincando, brincar aprendendo, aprender a aprender, aprender a crescer: a escola é, sim, espaço de aprendizagem. Assim, é fundamental que cada professor se sinta desafiado a repensar o tempo pedagógico, analisando se ensina o que é de direito para os estudantes e se a seleção de conteúdos, capacidades e habilidades é de fato importante naquele momento.

    Por: Maria Cristinal Educação> Educação Infantill 18/11/2014

    A prática educativa está fortemente relacionada a processos de comunicação e interação entre os seres, que a utilizam para assimilar seus saberes, habilidades, técnicas, valores, atitudes, e, através disso, construir novos saberes. Sendo assim, não se pode reduzir a educação ao simples ato de ensinar e a pedagogia como um conjunto de métodos que possibilita o ensino. Sendo assim, surge um questionamento essencial a todo aquele que quer compreender, viver e fazer pedagogia: quem é o pedagogo?

    Por: Maria Cristinal Educação> Educação Infantill 18/11/2014

    A questão da inclusão de pessoas portadoras de necessidades especiais em todos os recursos da sociedade ainda é muito incipiente no Brasil. Movimentos nacionais e internacionais têm buscado um consenso para formatar uma política de inclusão de pessoas portadoras de deficiência na escola regular.

    Por: Jania Gasques bordonil Educação> Educação Infantill 17/11/2014
    Liamara Lucia de Almeida Cacho

    Nos anos iniciais, a disciplina que trabalha as noções históricas, de espaço e tempo é chamada de Estudos Sociais. Neste período o professor deve transmitir aos alunos noções fundamentais de organização da vida em sociedade, de como se organiza o próprio município, da atuação das autoridades, organizações e hierarquias, noções de respeito e educação cidadã, além dos deveres e direitos humanos.

    Por: Liamara Lucia de Almeida Cachol Educação> Educação Infantill 14/11/2014 lAcessos: 12
    Liamara Lucia de Almeida Cacho

    Como todos já sabem e ouviu-se muito falar, a educação autônoma é a mais viável e satisfatória nos dias de hoje. Com tantas transformações ocorrendo em tempo real, e em nível econômico, político e social, além de cultural também. Com base nisto, quero colocar alguns dos meus pensamentos sobre a educação.

    Por: Liamara Lucia de Almeida Cachol Educação> Educação Infantill 14/11/2014
    Liamara Lucia de Almeida Cacho

    Há tempos busca-se formar integralmente o homem, provavelmente, nenhuma palavra expressa mais essa ideia de formação humana que a palavra, oriunda da Cultura Grega, Paídeia, que exprimia o ideal de desenvolver no ser homem aquilo que era considerado próprio da sua natureza, essa ideia perpassou o humanismo renascentista chegando até aos nossos dias atuais. Diante disso, cabe perguntar: O que significa essa totalização da formação humana? Pode ser definido em um único conceito?

    Por: Liamara Lucia de Almeida Cachol Educação> Educação Infantill 14/11/2014

    A educação inclusiva é voltada de todos para todos, os ditos "normais" e as pessoas com algum tipo de deficiência poderão aprender em conjunto. Uma pessoa dependerá da outra para que realmente exista uma educação de qualidade. A função de separar e classificar os alunos, rotulando-os como menos ou mais capazes, dá lugar a de escolher cada um, valorizando suas potencialidades, sua linguagem, suas diferenças, bem como os instrumentos que ampliam suas possibilidades de aprender, de comunicar e de i

    Por: Darci Martinsl Educação> Educação Infantill 14/11/2014 lAcessos: 13
    ivonete frasson

    Busca-se aqui analisar a ausência de valores no meio social em que vivemos e a importância de se buscar diferentes formas de resgatá-los.

    Por: ivonete frassonl Educação> Educação Infantill 16/05/2011 lAcessos: 532
    ivonete frasson

    Faz-se aqui uma análise do papel dos pais e do professor na formação dos seus filhos e alunos, como também o crédito ou descrédito que aqueles merecem pela educação que recebem os filhos e os alunos.

    Por: ivonete frassonl Educação> Educação Infantill 16/05/2011 lAcessos: 185
    ivonete frasson

    Este artigo busca fazer uma reflexão do papel do educador na era tecnológica em que estamos, dos avanços que permitem também a ele futurar seus conteúdos e daquilo que se faz importante para colocar em prática seu trabalho educacional.

    Por: ivonete frassonl Educação> Ensino Superiorl 16/05/2011 lAcessos: 150
    ivonete frasson

    Este artigo analisa a quebra de valores que atualmente faz-se presente no meio social em que se vive.

    Por: ivonete frassonl Educação> Ensino Superiorl 29/04/2011 lAcessos: 71
    ivonete frasson

    Faz-se aqui uma análise da política governamental do Brasil em relação à Educação, desde a época da ditadura militar até os dias atuais.

    Por: ivonete frassonl Educaçãol 29/04/2011 lAcessos: 45
    ivonete frasson

    Este artigo faz uma análise da educação no Brasil, os fatos históricos que a marcaram e a forma de educação recebida pelos atuais educadores brasileiros.

    Por: ivonete frassonl Educação> Ensino Superiorl 18/04/2011 lAcessos: 154
    ivonete frasson

    Este artigo tem como objetivo refletir a passagem do educador Paulo Freire pela educação brasileira, como iniciou seu trabalho como educador no Brasil, a coordenação do Plano Nacional de Alfabetização, seu trabalho também realizado fora do Brasil e seu retorno do exílio, em 1980.

    Por: ivonete frassonl Educação> Ensino Superiorl 18/04/2011 lAcessos: 64
    ivonete frasson

    Este artigo traz a realidade da educação no Brasil, a falta de vontade do homem brasileiro de educar-se, oferecendo oportunidades dos dominantes dominá-los. A operação bancária que ainda reside na educação brasileira, ou seja, educadores que recheiam as crianças e jovens com conteúdos, pretendendo apenas que eles os memorizem, nada mais.

    Por: ivonete frassonl Educação> Ensino Superiorl 13/04/2011 lAcessos: 185
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast