A importância das Atividades Lúdicas

Publicado em: 07/03/2011 |Comentário: 0 | Acessos: 2,846 |

REZENDE, J.A. *  [1]

"O mais importante a compreender em relação à atividade lúdica é que ela não constitui luxo, e sim necessidade. Não é simplesmente uma coisa de que a criança gosta, mas algo de que precisa para crescer. É mais do que parte essencial da sua educação: é parte essencial da lei do seu crescimento, do processo através do qual se torna adulta".

Joseph Lee

 

SIGNIFICADOS ...

O Atividade Lúdica tem vários significados, conforme a situação onde é usada e por quem é utilizada, podendo ser considerado como jogo que tem regras simplificadas, como brincadeira em espaço fechado ou  aberto (HUIZINGA, 1999), ou "atividades que envolvam divertimento, alegria" (ROSAMILHA,1979 p. 3).

Pode inclusive ser considerado como passatempo, ou seja, um lazer descompromissado com tempo ou objetivos de vitória. Passatempo de fazer por fazer, sem querer nada em troca (REZENDE; MARTINS, 1993).

Os seres humanos, nas mais diversas regiões do mundo e nas várias épocas históricas, têm ocupado as suas horas com lazer, torna-se assim evidente o enorme prestígio que as atividades lúdicas, possuem, especialmente entre as crianças.

A essência das atividades lúdicas enquanto formas de recreação tem raízes em épocas passadas e mantêm-se com pequenas modificações, nas diferentes regiões geográficas. Esta propicia alegria dos participantes, espontaneidade, entusiasmo e descontração entre todos (HUIZINGA, 1993).

Compreende-se então o porquê das atividades lúdicas estarem sendo utilizada para preservar e tratar a saúde mental do ser humano, deixando de ser um mero passatempo, para ser uma ocupação que permite o relaxamento psico-físico. Neste sentido MEDEIROS (1969) relatou que as atividades lúdicas produzem uma maior auto-segurança e valorização.

O QUE PENSAM OS GRANDES ESTUDIOSOS...

Podemos citar algumas idéias de grande estudiosos, no que se refere a importância do lúdico no desenvolvimento das crianças. Começando, podemos citar FREUD, ao dizer que " no curso do desenvolvimento infantil, essas fases transitórias de pensamento mágico e onipotente (jogo) ajudarão a controlar e regular a ansiedade ...".

Já ERIKSON (apud ROSAMILHA - 1979), coloca que " as crianças brincam para descarregar suas emoções, de forma catártica e que o ambiente restritivo demais cria obstáculos para melhora da auto-confiança e auto-afirmação. Sustenta também que a criança utiliza das atividades lúdicas para compensar suas derrotas, o sofrimento e as frustrações sobre todo o resultado limitado da linguagem.

PIAGET (Apud ROSAMILHA -1979) esclarece que o brincar é um aspecto de todo comportamento. Ele está implícito na assimilação que o individuo realiza em relação à realidade.

 

PONTOS DE DESTAQUE...

Mas quais seriam os principais pontos a destacar quanto as Atividades Lúdicas? Sumariamente teríamos as seguintes informações:

- são brinquedos menos estereotipados, menos consistentes, mais livres de regras e normas;

- são brinquedos que não visem à competição, e sim a realização de uma tarefa de forma prazerosa;

- existe sempre a presença de motivação para atingir certos objetivos, que quando alcançado, levam a procura de outro para novas gratificações.

Algumas generalizações podem ser estabelecidas sobre as atividades lúdicas e o brinquedo. Entre elas são destacadas:

- criação de novas combinações de experiências;

- seletividade e disciplina intelectual;

- discriminação das características principais na seqüência de papéis;

- concentração aumentada;

- autocontrole e autoconsciência facilitada;

- autodisciplina no contexto do próprio papel;

- aquisição e/ou desenvolvimento de empatia pelos outros

- capacidade maior para  pensamento abstrato,  pela aprendizagem de substituição da ação pela imagem, em  primeiro lugar.

Pode-se descrever de forma sucinta que a importância e função da atividade lúdica para a criança é que desenvolve o senso de competência, isto é, o grau no qual uma pessoa se sente capaz de reduzir os efeitos desejados no seu ambiente, animado ou inanimado, ou quão capaz ela se sente para alcançar alvos que julgam importantes, ou consegue dos outros os comportamentos que ela deseja.

A competência leva à confiança e senso de eficácia, melhorando o auto-respeito, firmando o emocional. Indica-se que os seguintes critérios sejam adotados na escolha das Atividades lúdicas:, no intuito de que os resultados sejam rápidos e eficientes:

- devem estimular as capacidades perceptivas;

- devem estimular e aprimorar as qualidades físicas e mentais;

- devem ser socializantes e que sejam de fácil execução;

- devem usar material de fácil aquisição, de preferência sucata;

- devem ser de curta duração e fim estabelecido, afim de que não induza a um aumento do nível de ansiedade ou provoque desinteresse.

- é indicado que estejam no grupo dos brinquedos de intensificação do reforço e/ou brinquedos de Solução de Problemas.

 

QUESTÕES  FINAIS...

O fato de se enfatizar tanto as atividades lúdicas é que nelas, estão presentes dois pontos importantes a serem destacados:

a) são atividades que fazem aumentar em muito a auto-confiança e a auto-estima, pois ao realizar com sucesso uma tarefa, tem-se o reconhecimento dos outros e acima de tudo, tem-se a certeza interna de que se venceu um obstáculo. Isto dá início a um círculo onde esta auto-confiança leva a uma segurança maior no realizar das tarefas e esta segurança leva a novas vitória que por conseguinte leva a outras.

b) são atividades livres e mais naturais, e isto favorece bastante a capacidade de adaptação e de improvisação, ao ser colocados frente a um novo desafio, podem recorrer a experiências passadas a fim de ultrapassar o desafio proposto. Estas experiências passadas e também esta nova experiência conseguem unir diversas capacidades tanto cognitivas, como sensoriais e motoras no afã de ter-se resolvido o problema proposto.

Esta busca a referências passadas, conduz quase sempre a experiência que foram bem sucedidas, onde as deficiências de um órgão do sistema foram compensadas por outros órgãos, que supriram com eficiência o déficit anterior. Um exemplo que podemos mencionar é quando pedimos que uma criança indique de olhos fechados de que direção vem o professor ou colega; a criança usa do Sentido Audição para detectar, mais se esta não indicar nada, ela procura buscar informações anteriores quanto ao "Cheiro" e/ ou as vibrações notadas via Sentido Cinestésico ou Tátil vivenciadas anteriormente.

 

 

BIBLIOGRAFIA:

HUIZINGA, Johan. "Homo Ludens". 4ed. São Paulo: Perpsectiva: 1999

REZENDE, Jeziel A.; MARTINS, Cleonides O. Atividades Lúdicas Selecionadas na terapêutica da ansiedade para portadores de necessidades especiais. 1993. Monografia (Especialização em P. Necessidades Especiais) – UFU, Uberlândia, 1993

ROSAMILHA, Nelson. Psicologia do Jogo e Aprendizagem Infantil. São Paulo: Pioneira, 1979

 

 

[1] Mestrado em Psicanálise, Educação e Sociedade, INSET - Itanhaém

Professor Assistente do departamento de Educação Física da FEIT/UEMG – Ituiutaba - Mg

 

 

 

Licença Creative Commons
Este trabalho foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-infantil-artigos/a-importancia-das-atividades-ludicas-4363665.html

    Palavras-chave do artigo:

    atividades ludicas

    ,

    brincadeiras

    Comentar sobre o artigo

    A importancia das atividades lúdicas na educação Infantil, fala da importancia e modelos de brincadeiras lúdicas no dia a dia das crianças e como as brincadeiras ajudam no desenvolvimento.

    Por: Tatiana Martinsl Educação> Educação Infantill 13/10/2012 lAcessos: 825

    A pesquisa teve por objetivo verificar qual o acervo lúdico de crianças da 1ª série do ensino fundamental de 9 anos de uma escola pública de Joinville, em seu cotidiano familiar e escolar identificando os momentos de intervenção profissional do professor de Educação Física durante a atividade lúdica. A coleta de dados foi realizada através de questionários enviados aos pais e alunos e analises das aulas de Educação Física em uma Escola Pública da cidade de Joinville - SC.

    Por: Rosiane Francine Machadol Educação> Educação Infantill 01/12/2009 lAcessos: 16,381

    O presente trabalho teve como objetivo estudar os contos de fadas por meio de atividades lúdicas, acreditando que esses contos podem ajudar no trabalho de língua inglesa em sala de aula, a fim de auxiliar o aluno ao acesso a tal matéria através de brincadeiras, bem como, leituras e interpretações que esses contos podem nos fornecer, criando assim possibilidades para que ocorra de fato o aprendizado da língua.

    Por: Camila Rasia Escobarl Educação> Línguasl 06/10/2010 lAcessos: 1,171
    Nathália Alves de Oliveira

    O presente artigo busca demonstrar a importância do processo educativo lúdico na educação infantil, visto que jogos e brincadeiras são, conforme estudiosos, experiências afetivas mútuas para o ambiente e devem ser consagradas nas crianças em fase escolar. Embasada por significativos referenciais teóricos, a proposta apresentada permite afirmar a existência de jogos e brincadeiras infantis no processo que aumentam rendimento no processo escolar.

    Por: Nathália Alves de Oliveiral Educação> Educação Infantill 08/02/2012 lAcessos: 14,087

    A presente monografia vem demonstrar que o brinquedo e a brincadeira na pré-escola é de um aspecto muito importante na interação da criança com o adulto, com o outro. E a brincadeira em grupo serve para socializar crianças e a compreensão de regras. Elas aprendem a lidar com os sentimentos, interagir, resolver conflitos e desenvolver a imaginação e criatividade para resolver problemas. E, portanto, contra este pensamento que buscamos e é de fundamental importância que professores tenham conhe.

    Por: João do Rozario Limal Educação> Educação Onlinel 01/06/2008 lAcessos: 126,419 lComentário: 14
    Maria Alves

    O presente artigo aborda reflexões que resultaram de uma proposta de formação continuada na qual se trabalhou a Importância dos Jogos e Brincadeiras no Processo de Alfabetização e Letramento. A proposta possibilitou aos professores e a equipe pedagógica perceber a importância de explorar os Jogos e as Brincadeiras no desenvolvimento das atividades pedagógicas utilizando a ludicidade com os discentes nos processos de ensino e aprendizagens.

    Por: Maria Alvesl Educaçãol 13/08/2013 lAcessos: 402
    Klyssiane Uchôa Souza

    Nesse artigo, iremos tratar da construção da autonomia da criança de zero a três anos, a partir de jogos de brincadeiras. Nessa fase, muitas delas estão começando a ir para a escola, mas precisamente para a creche, um ambiente estranho e alheio ao seu mundo. Queremos assim, dessa forma desmistificar o brincar na escola como uma simples atividade de passar o tempo, mas sim como uma atividade de expressão corporal.

    Por: Klyssiane Uchôa Souzal Educação> Educação Infantill 07/04/2012 lAcessos: 1,402
    IDELCÓPIO VARANDA

    O modelo atual de educação formal rumo aos avanços exige uma educação dinâmica, mais ativa, mais participativa e que cada vez mais a escola busque subsídios capazes de formar alunos e cidadãos em sua totalidade. Neste desafio, tanto os jogos quanto as brincadeiras são excelentes ferramentas, pois com eles é possível trabalhar o desenvolvimento pessoal juntamente com o exercício da vida grupal. Com estas duas poderosas ferramentas, no âmbito escolar, podemos de forma lúdica, trabalhar o desenvolvimento global do aluno em todas as suas dimensões.

    Por: IDELCÓPIO VARANDAl Educação> Educação Infantill 21/09/2009 lAcessos: 15,088 lComentário: 1
    ANGELA DA SILVA SOARES

    Este artigo tem como objetivo discutir as relações entre o brincar, a criança e a aprendizagem. Tendo como pressuposto a teoria sócio-interacionista, desenvolvida por Vigotsky e seus colaboradores Leontiev e Elkonin, esta teoria concebe a construção do conhecimento como um processo histórico-social, viabilizado pelas interações sociais, nas quais as crianças se apropriam da cultura, da forma dos homens de ser e agir no mundo.

    Por: ANGELA DA SILVA SOARESl Educação> Educação Infantill 31/03/2011 lAcessos: 6,554

    Como obter as informações de que necessitamos para acompanhar os percursos dos estudantes? Como apreender os modos como eles representam os conceitos? Como saber o que pensam sobre o que ensinamos para pensarmos nas possibilidades pedagógicas que assegurariam a qualidade do ensino-aprendizagem? Como proceder para que os estudantes evidenciem seus avanços e suas dificuldades?

    Por: Maria Cristinal Educação> Educação Infantill 18/11/2014 lAcessos: 12

    Aprender com prazer, aprender brincando, brincar aprendendo, aprender a aprender, aprender a crescer: a escola é, sim, espaço de aprendizagem. Assim, é fundamental que cada professor se sinta desafiado a repensar o tempo pedagógico, analisando se ensina o que é de direito para os estudantes e se a seleção de conteúdos, capacidades e habilidades é de fato importante naquele momento.

    Por: Maria Cristinal Educação> Educação Infantill 18/11/2014 lAcessos: 24

    A prática educativa está fortemente relacionada a processos de comunicação e interação entre os seres, que a utilizam para assimilar seus saberes, habilidades, técnicas, valores, atitudes, e, através disso, construir novos saberes. Sendo assim, não se pode reduzir a educação ao simples ato de ensinar e a pedagogia como um conjunto de métodos que possibilita o ensino. Sendo assim, surge um questionamento essencial a todo aquele que quer compreender, viver e fazer pedagogia: quem é o pedagogo?

    Por: Maria Cristinal Educação> Educação Infantill 18/11/2014 lAcessos: 13

    A questão da inclusão de pessoas portadoras de necessidades especiais em todos os recursos da sociedade ainda é muito incipiente no Brasil. Movimentos nacionais e internacionais têm buscado um consenso para formatar uma política de inclusão de pessoas portadoras de deficiência na escola regular.

    Por: Jania Gasques bordonil Educação> Educação Infantill 17/11/2014
    Liamara Lucia de Almeida Cacho

    Nos anos iniciais, a disciplina que trabalha as noções históricas, de espaço e tempo é chamada de Estudos Sociais. Neste período o professor deve transmitir aos alunos noções fundamentais de organização da vida em sociedade, de como se organiza o próprio município, da atuação das autoridades, organizações e hierarquias, noções de respeito e educação cidadã, além dos deveres e direitos humanos.

    Por: Liamara Lucia de Almeida Cachol Educação> Educação Infantill 14/11/2014 lAcessos: 15
    Liamara Lucia de Almeida Cacho

    Como todos já sabem e ouviu-se muito falar, a educação autônoma é a mais viável e satisfatória nos dias de hoje. Com tantas transformações ocorrendo em tempo real, e em nível econômico, político e social, além de cultural também. Com base nisto, quero colocar alguns dos meus pensamentos sobre a educação.

    Por: Liamara Lucia de Almeida Cachol Educação> Educação Infantill 14/11/2014 lAcessos: 11
    Liamara Lucia de Almeida Cacho

    Há tempos busca-se formar integralmente o homem, provavelmente, nenhuma palavra expressa mais essa ideia de formação humana que a palavra, oriunda da Cultura Grega, Paídeia, que exprimia o ideal de desenvolver no ser homem aquilo que era considerado próprio da sua natureza, essa ideia perpassou o humanismo renascentista chegando até aos nossos dias atuais. Diante disso, cabe perguntar: O que significa essa totalização da formação humana? Pode ser definido em um único conceito?

    Por: Liamara Lucia de Almeida Cachol Educação> Educação Infantill 14/11/2014 lAcessos: 13

    A educação inclusiva é voltada de todos para todos, os ditos "normais" e as pessoas com algum tipo de deficiência poderão aprender em conjunto. Uma pessoa dependerá da outra para que realmente exista uma educação de qualidade. A função de separar e classificar os alunos, rotulando-os como menos ou mais capazes, dá lugar a de escolher cada um, valorizando suas potencialidades, sua linguagem, suas diferenças, bem como os instrumentos que ampliam suas possibilidades de aprender, de comunicar e de i

    Por: Darci Martinsl Educação> Educação Infantill 14/11/2014 lAcessos: 19
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast