A Importância Do Desenvolvimento Motor Na Infância

07/02/2010 • Por • 4,603 Acessos

O comportamento motor do ser humano é permeado por inúmeras mudanças, e estas por sua vez têm sido o ponto central para muitas definições dos conceitos de aprendizagem motora e desenvolvimento motor. Acreditamos que neste processo de mudanças contínuas há um progresso de movimentos simples e não organizados para realização de habilidades altamente complexas. Neste sentido, o desenvolvimento motor é visto como um procedimento  que se baseia nas mudanças comportamentais observadas. Este método se inicia na concepção e se prolonga até a morte. Assim, no eixo temporal da vida de uma pessoa, há uma ordem e coerência no conjunto de mudanças, o que permite identificar uma seqüência variável em sua progressão e invariável na sua ordem. Com a preocupação de entender o processo que leva a essas mudanças, podemos considerar que a seqüência resultaria de mudanças na capacidade de controlar movimentos Flinchum (1981).

Observamos que existem varias etapas de aquisição de habilidades motoras ao longo da vida e conseqüentemente a aquisição de padrões fundamentais de movimento, tornando-se de vital importância para o desenvolvimento da criança, como compartilhar as atividades motoras na educação física.

O desenvolvimento dos padrões fundamentais segue uma seqüência de estágios, representando níveis graduais de proficiência e de controle motor. Esses padrões constituem a primeira forma de ação voluntaria no controle de movimento e podem ser definidos como o conjunto de características básicas Roberton (1977).

Ainda Roberton, citada por Tani  (1988), afirmou que as mudanças, nos estágios de desenvolvimento, ocorrem de forma segmentar e não em mudanças no corpo todo. Por exemplo, num mesmo instante de tempo uma criança pode estar no estágio intermediário (elementar) e estágio rudimentar (inicial), respectivamente na ação de braço e tronco para o padrão arremessar. Isto significa que estágios e idades não têm regras fixas e que a partir daí os princípios de desenvolvimento têm grande importância; assim, devemos considerar alguns como os da individualidade, que atesta que o ser humano apresenta capacidades e limitações que não são comuns a todas as pessoas, o da progressividade, que diz que as mudanças ocorridas no desenvolvimento permitem identificar a seqüência de fases do processo de desenvolvimento motor e princípio da continuidade e que o ser humano passa por uma série de mudanças contínuas ao longo de sua vida Deval (2001).

As experiências motoras devem estar presentes no dia-a-dia das crianças e são representadas por toda e qualquer atividade corporal realizada em casa, na escola e nas brincadeiras.

Até algum tempo atrás, as experiências motoras vivenciadas espontaneamente pela criança e suas atividades diárias eram suficientes para que adquirisse as habilidades motoras e formasse uma base para o aprendizado de habilidades mais complexas. A criança tinha à disposição grandes áreas livres para brincar: quintal, praça e rua, explorados e utilizados no seu aprimoramento e desenvolvimento motor.

Entretanto, durante as duas últimas décadas, alterações ocorridas na estrutura social e econômica da socie­dade, dados os processos de modernização, urbanização e inovações tecnológicas, têm proporcionado mudanças nos hábitos cotidianos da vida do homem moderno Spence; Lee ( 2003). Essas modificações das condições de vida da população têm influenciado significativamente na instituição familiar e afetado a população infantil, que progressivamente vem sofrendo com o sedentarismo Ribeiro, (2001); Condemarin (1989)

Nessas condições, crianças em idade de Educação Infantil são geralmente relegadas a brinquedos, na maioria das vezes eletrônicos, ou a atividades desenvolvidas em pequenos espaços, que limitam a aventura lúdica e a experimentação ampla de movimentos.

Aprender a mover-se, envolve atividades como tentar, praticar, pensar , tomar decisões, avaliar, ousar e persistir. Já a aprendizagem através do movimento implica em usar movimentos por meio para chegar a um fim. Mas o fim não e necessariamente o aperfeiçoamento da capacidade da criança em se mover efetivamente. E um meio através do qual uma criança pode aprender mais sobre si mesma, sobre seu meio ambiente e seu mundo

A falta de habilidades na criança é resultado de uma variedade de fatores, como: estado físico, constituição somática, grau de inteligência, oportunidade para desenvolver controle muscular e incentivo para conseguir esse desenvolvimento.

Portanto algumas causas podem ser as responsáveis pela deficiência do desenvolvimento motor, podemos citar: as de origem neurológica, deficiência no controle dos esfíncteres, problemas de parto, meio ambiente, atraso na educação de hábitos de higiene, todas essas variáveis resultam em problemas de ordem emocional podendo variar desde a timidez até alterações de conduta e formação de personalidade.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Referencias Bibliograficas

 

CONDEMARÍN, Mabel; CHADWICK, Mariana; MILICIC, Neva. Maturidade escolar. 2 ed. rev. e ampl. Porto Alegre: Artes Médicas, 1989.

DELVAL, Juan. Aprender a aprender. 4. ed. Campinas, SP: Papirus, 2001.

FLINCHUM, B.M. Desenvolvimento motor da ciranças. Rio de janeiro, interamericana, 1981.

ROBERTON, M.A. Describing “stage” whinthin and across motor tasks. In J.A.S. Kelso & J.E. Clark (ed). The development of movement control and coodination. Chichester, Jhon Wiley & Sons, 1982.

SPENCER, L ; SPENCER, S. M. Competence at work: models for superior performance. New York: John Wiley & Sons, 1993

TANI, G.; MANOEL, E.J.; KOKUBUN, E.; PROENÇA, J.E. Educação física escolar: fundamentos de uma abordagem desenvolvimentista. São Paulo, EPU/EDUSP, 1988.

Perfil do Autor

selma silva miranda

Autores: Emanuele Alves Guedes* Eduardo Lucio Mareco* Joilson Medeiros Patricio* Josimar Gomes da Costa Junior* Marceli Pureza de...