A Ludicidade em sala de aula

Publicado em: 28/07/2010 |Comentário: 0 | Acessos: 942 |

"Brincar com as crianças não é perder tempo, é ganhá-lo".

(Carlos Drummond de Andrade)

A ludicidade  transita livremente entre o mundo interno e o mundo real,  deixando transparecer temporariamente a realidade.

Muitos educadores ficam indecisos entre brincar e estudar, alguns  educadores da Educação Infantil por muitas vezes , não tem  a responsabilidade com a parte pedagógica ,promovendo apenas o brincar . Outros porém das series subseqüentes só  conseguem promover o estudar, tornando as aulas maçantes sem usarem a criatividade.

Fazendo uma análise mais detalhada através de observações feitas em Instituições de Ensino, temos presenciado   práticas pedagógicas onde não há brinquedos, áreas de lazer  e momentos para brincar na escola. O educador não interage com o educando, em brincadeiras dirigidas, quando propõem alguma brincadeira (uma raridade) esta é totalmente separada das atividades escolares transformando esse dia em um dia de "recreação".muito esperado pelos alunos.E, assim mesmo, apenas nas escolas infantis e séries Iniciais pois nas séries  de ensino fundamental o brincar foi esquecido, já que os alunos precisam ir para escola para estudar , não para brincar, lugar de brincar é em casa, mantendo o brincar  sob controle, brincando se sobrar tempo ou na hora do recreio quando o tempo passa voando, entre o momento de lanchar e descansar para retomarem aos estudos, e mesmo que esta não seja, a priori, uma atividade lúdica, representa um momento prazeroso diferenciado das tarefas tipicamente escolares, onde um gesto de espontaneidade é possível.

E assim as crianças vão passando o ano sem sentirem prazer em estudar tornando o estudo como uma forma de opressão, onde todos, professores e alunos permanecem como se estivessem em uma panela de pressão prestes a explodir.

Por outro lado, quando defendemos o lúdico não significa negligenciar a responsabilidade sobre o ensino, a aprendizagem e o desenvolvimento do educando. Como nos fala  Dolto, (1999:109) " as crianças necessitam de limites para sentirem-se em segurança, mas de limites que se devem apenas ao perigo real que suas transgressões implicariam para a integridade de seu organismo ou a dos outros".

Esses limites são essenciais  para a construção do senso de realidade, e os educadores deveriam conciliar o lúdico e a responsabilidade com a parte pedagógica, transformando suas aulas em momentos de prazer, tudo bem dosado, dessa forma  os interesses dos alunos aumentariam e os resultados seriam mais satisfatórios.

Ainda existe muita indagação por parte dos educadores a respeito da aprendizagem do aluno, mas percebemos que muitos não avaliam sua prática no dia a dia.  Muitos ainda não conseguiram quebrar paradigmas e atualizarem-se, ainda estão no tempo em que o aluno faz o que o professor manda.

Entretanto sabemos que essa prática não funciona mais, a relação professor-aluno precisa mudar onde professores ensinam aprendendo e aprendem ensinando pois os alunos tem muito com o que contribuírem.

Quando pensamos que estamos perdendo tempo ao brincar com as crianças em sala de aula, estamos redondamente enganados, elas tem uma capacidade inventiva muito aflorada, e com isso uma facilidade de assimilação quando através de uma brincadeira surgimos com temas ou conteúdos que desejamos que eles apreendam e não decorem.

Uma aula para ser lúdica  deve ter  atividade livre, criativa, imprevisível, pois assim é o brincar,  capaz de absorver a pessoa que brinca, não centrada na produtividade. E se ficarmos centrados somente na produtividade, voltaremos à estaca zero.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-infantil-artigos/a-ludicidade-em-sala-de-aula-2919519.html

    Palavras-chave do artigo:

    educadores

    ,

    educandos

    ,

    ludicidade

    Comentar sobre o artigo

    Manoel Aparecido Martins

    A ludicidade faz parte do ser humano desde seu nascimento, é brincando que a criança vai conhecendo o mundo ao seu redor, vai se identificando, vai fazendo parte. O lúdico pode e deve ser utilizado no ensino de todas as disciplinas, até mesmo de forma interdisciplinar. Portanto é de fundamental importância um estudo mais aprofundado da natureza e importância desta disciplina nos dias atuais, bem como seu histórico e a aplicação do lúdico na mesma.

    Por: Manoel Aparecido Martinsl Educaçãol 17/06/2009 lAcessos: 14,979 lComentário: 4

    Este trabalho de conclusão de curso apresenta um estudo de uma proposta interdisciplinar, motivadora, onde levaremos educadores e educandos a refletir e contextualizar as propostas, em que a teoria seja estudada em sala de aula e a prática conhecida através do que denominamos Passeio Cultural. Acreditamos que para se ter uma educação de qualidade é necessário entender que os alunos aprendem quando relacionem fatos, confrontam pontos de vista e refletem criticamente o que aprenderam.

    Por: Edméa Cristina Reis Ferreiral Educaçãol 16/10/2009 lAcessos: 8,295
    Amanda Fraga

    O presente artigo tem como abordagem a defesa da inclusão de alunos com deficiência visual na escola regular, com a introdução do lúdico para a interação e desenvolvimento desses discentes, salientando, aqui, a importância de crianças e jovens com demais deficiências estarem igualmente inseridas no contexto social como um todo, o que abrange a instituição de ensino. Para isso, a Legislação que tanto defende a prática inclusiva existe para assegurar o direito de ir e vir, o direito

    Por: Amanda Fragal Educaçãol 05/12/2011 lAcessos: 314

    O uso da ludicidade é neste artigo sugerido como ferramenta de apoio, para ser resgatado como processo educativo e para ser utilizado nas atividades lúdicas não como substituta pura e simples do método tradicional de ensino, mas torná-lo mais eficiente e compreensível para o aluno, pois os jogos possuem a vantagem de, ao mesmo tempo em que ensina diverte. Dessa forma a criança comunica-se consigo mesma e com o mundo, aceita a existência dos outros, estabelece relações sociais, constrói conhecime

    Por: Elizabete Rodrigues Rebouças Pereira da Cruzl Educação> Educação Onlinel 19/01/2011 lAcessos: 3,581

    Este artigo pretende analisar as contribuições do lúdico no trabalho com a alfabetização. A importância do lúdico no desenvolvimento da criança e sua importância já que proporciona por inúmeras maneiras levar a criança a aprender de forma motivada e significativa, pois é no 1° ano do Ensino Fundamental

    Por: Arlete Luiza de Souzal Educaçãol 04/11/2014 lAcessos: 25

    Esta investigação almeja uma reflexão sobre o contexto do ludismo como proposta metodológica capaz de promover situações significativas na construção do conhecimento na modalidade da EJA - Educação de Jovens e Adultos.

    Por: Iracilda Gabriell Educação> Ensino Superiorl 20/01/2011 lAcessos: 2,218

    O presente artigo tem como objetivo abordar a questão da ludicidade e a sua importância no desenvolvimento infantil. Com isso, alguns conceitos como brincar, brincadeira e jogo serão discutidos, analisando autores que tratam sobre a importância e a intervenção dos pais e educadores nesse processo.

    Por: Debora Goulart Veigal Educação> Educação Infantill 15/04/2010 lAcessos: 960
    GUTEMBERG MARTINS DE SALES

    A pesquisa possibilitou-nos demonstrar a importância das atividades lúdicas na aprendizagem, visto que os jogos e brincadeiras são, conforme diversos estudiosos, experiências que se correlacionam ao ambiente e devem ser aplicadas as crianças em fase escolar, indiferente de idade e série. Ostentada por expressivos referenciais teóricos, a proposta de trabalho apresentada permite afirmar a existência de jogos e brincadeiras infantis, que se bem aplicadas, auxiliarão no desenvolvimento infantil.

    Por: GUTEMBERG MARTINS DE SALESl Educação> Educação Infantill 15/05/2014 lAcessos: 207

    Artigo apresentado como avaliação no módulo "Pressupostos conceituais de educação, escola e sociedade" no curso de pós graduação Latu Sensu em "Matemática no contexto educativo, comercial e financeiro". Consiste no estudo e contextualização do Livro: Conversas com quem gosta de ensinar" de Rubem Alves e retata o desafio de ensinar, sermos educadores nos dias de hoje e nos faz também refletir sobre a complexidade que envolve todo esse processo baseado na confiança e empenho diário.

    Por: Elisandra Cristina Gonzalesl Educaçãol 24/06/2010 lAcessos: 3,576

    Como obter as informações de que necessitamos para acompanhar os percursos dos estudantes? Como apreender os modos como eles representam os conceitos? Como saber o que pensam sobre o que ensinamos para pensarmos nas possibilidades pedagógicas que assegurariam a qualidade do ensino-aprendizagem? Como proceder para que os estudantes evidenciem seus avanços e suas dificuldades?

    Por: Maria Cristinal Educação> Educação Infantill 18/11/2014

    Aprender com prazer, aprender brincando, brincar aprendendo, aprender a aprender, aprender a crescer: a escola é, sim, espaço de aprendizagem. Assim, é fundamental que cada professor se sinta desafiado a repensar o tempo pedagógico, analisando se ensina o que é de direito para os estudantes e se a seleção de conteúdos, capacidades e habilidades é de fato importante naquele momento.

    Por: Maria Cristinal Educação> Educação Infantill 18/11/2014

    A prática educativa está fortemente relacionada a processos de comunicação e interação entre os seres, que a utilizam para assimilar seus saberes, habilidades, técnicas, valores, atitudes, e, através disso, construir novos saberes. Sendo assim, não se pode reduzir a educação ao simples ato de ensinar e a pedagogia como um conjunto de métodos que possibilita o ensino. Sendo assim, surge um questionamento essencial a todo aquele que quer compreender, viver e fazer pedagogia: quem é o pedagogo?

    Por: Maria Cristinal Educação> Educação Infantill 18/11/2014

    A questão da inclusão de pessoas portadoras de necessidades especiais em todos os recursos da sociedade ainda é muito incipiente no Brasil. Movimentos nacionais e internacionais têm buscado um consenso para formatar uma política de inclusão de pessoas portadoras de deficiência na escola regular.

    Por: Jania Gasques bordonil Educação> Educação Infantill 17/11/2014
    Liamara Lucia de Almeida Cacho

    Nos anos iniciais, a disciplina que trabalha as noções históricas, de espaço e tempo é chamada de Estudos Sociais. Neste período o professor deve transmitir aos alunos noções fundamentais de organização da vida em sociedade, de como se organiza o próprio município, da atuação das autoridades, organizações e hierarquias, noções de respeito e educação cidadã, além dos deveres e direitos humanos.

    Por: Liamara Lucia de Almeida Cachol Educação> Educação Infantill 14/11/2014 lAcessos: 12
    Liamara Lucia de Almeida Cacho

    Como todos já sabem e ouviu-se muito falar, a educação autônoma é a mais viável e satisfatória nos dias de hoje. Com tantas transformações ocorrendo em tempo real, e em nível econômico, político e social, além de cultural também. Com base nisto, quero colocar alguns dos meus pensamentos sobre a educação.

    Por: Liamara Lucia de Almeida Cachol Educação> Educação Infantill 14/11/2014
    Liamara Lucia de Almeida Cacho

    Há tempos busca-se formar integralmente o homem, provavelmente, nenhuma palavra expressa mais essa ideia de formação humana que a palavra, oriunda da Cultura Grega, Paídeia, que exprimia o ideal de desenvolver no ser homem aquilo que era considerado próprio da sua natureza, essa ideia perpassou o humanismo renascentista chegando até aos nossos dias atuais. Diante disso, cabe perguntar: O que significa essa totalização da formação humana? Pode ser definido em um único conceito?

    Por: Liamara Lucia de Almeida Cachol Educação> Educação Infantill 14/11/2014

    A educação inclusiva é voltada de todos para todos, os ditos "normais" e as pessoas com algum tipo de deficiência poderão aprender em conjunto. Uma pessoa dependerá da outra para que realmente exista uma educação de qualidade. A função de separar e classificar os alunos, rotulando-os como menos ou mais capazes, dá lugar a de escolher cada um, valorizando suas potencialidades, sua linguagem, suas diferenças, bem como os instrumentos que ampliam suas possibilidades de aprender, de comunicar e de i

    Por: Darci Martinsl Educação> Educação Infantill 14/11/2014 lAcessos: 13
    Luci

    Comemora-se nesse dia, para homenagear Monteiro Lobato, um grande escritor que escreveu várias obras infantis e juvenis, dentre elas O Sítio do Pica pau Amarelo de grande sucesso , ele foi um dos pioneiros em utilizar um linguajar falado no dia-a-dia por pessoas de fazendas, sítios e de cidade.

    Por: Lucil Educaçãol 27/04/2009 lAcessos: 5,562 lComentário: 1
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast