APRENDIZAGEM INFANTIL

12/11/2010 • Por • 738 Acessos

INTRODUÇÃO

Vale lembrar ainda de dois outros fatores que tem mobilizado as discussões da área: a LDB 9394/96 que inclui a Educação Infantil na Educação Básica e a transferência paulatina das creches e pré-escolas da Assistência Social para a área da Educação.

É, portanto, neste contexto de resgate do sentido essencial da Educação Infantil, hoje, em nosso país, é que se propõe esta especialização.

O qual proporcionará discussões com o profissional da Educação Infantil no sentido de que se desenvolva:

A Compreensão de que o cuidar / educar como binômio indissociável - deve permear todo o trabalho com crianças de 0 a 5 anos;

O conhecimento dos processos de desenvolvimento infantil percebendo cada criança nas suas múltiplas dimensões: estética, corporal, ética, emocional, cognitiva.

O estudo dos processos de constituição da criança: a expressão, o afeto, a sexualidade, a socialização, o brincar, a linguagem, o movimento e o imaginário;

O trabalho com diversas linguagens: a da arte, da matemática, a corporal, a musical, a oral e a escrita, entre outras.

COMO SE DÁ O DESENVOLVIMENTO INFANTIL

O desenvolvimento da criança dependerá, igualmente, da possibilidade que ela tenha, de explorar seu ambiente, expressar suas emoções, ter contato com várias coisas e pessoas, estabelecer relações afetivas. Dependerá, em suma, de executar e exercitar tudo que é próprio de seu período de desenvolvimento, o que lhe permitirá sentir-se segura, desenvolver sua autonomia, constituindo-se como indivíduo.

Segundo Vygotsky o desenvolvimento infantil está intimamente relacionado ao contexto sócio-cultural em que a pessoa se insere e se processa de forma dinâmica (e dialética) através de rupturas e desequilíbrios provocadores de contínuas reorganizações por parte do indivíduo.

Podemos concluir que, para Vygotsky, o desenvolvimento do sujeito humano vem se dar a partir das constantes interações com o meio social em que vive já que as formas psicológicas mais sofisticadas emergem da vida social.

Para Walloon, homem é um sistema orgânico que precisa do meio social para se atualizar, pois é ele que regula o desenvolvimento do indivíduo.

A idéia central Walloniana é de que "a criança e a evolução deve ser encarada em termos de relações sempre novas entre um ser e um meio que se modifica reciprocamente". (1986:25). Esse é o papel do meio escolar, oferecer a condição para a integração das atividades infantis num sistema finalizado que tem uma unidade. A teoria de Piaget ressalta como ocorre o processo de atividade cognitiva humana. Para ele, o homem é essencialmente ativo ao conduzir de maneira reativa as etapas do seu desenvolvimento. Para Piaget os equilíbrios sucedem-se e constituem em estágios do desenvolvimento mental:

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

CONSTIUIÇÃO BRASILEIRA 1998.

LEI DE DIRETRIZES E BASES DA EDUCAÇÃO N° 9.394/1996.

PIAGET, J. O nascimento da inteligência na criança. 4ª ed. Rio de Janeiro: Livros técnicos e científicos editoras, 1987.         

VIGOTSKY, L. S. A Pré – história da Linguagem Escrita. A formação social da mente. São Paulo, Martins Fontes, 1998.

WALLON, Henri. As origens do caráter na criança. S.P: Difusão Européia do Livro, 1971;

     

 

Perfil do Autor

Sônia Conceição

  Sou professora habilitada em pedagogia e matemática com pós-graduação em psicopedagogia, atuando na educação infantil.