Educar a criança para a vida

Publicado em: 24/06/2012 |Comentário: 0 | Acessos: 181 |

No Brasil, por volta da década de 1970, com o aumento do número de fábricas, iniciaram-se os movimentos de mulheres e os de luta por creche, resultando na necessidade de criar um lugar para os filhos da massa operária, surgindo então as creches, com um foco totalmente assistencialista, visando apenas o "cuidar". Pois segundo Faria (1999, p.25). Se os anos 70 voltaram-se para a mulher, nos anos 80, essa mulher voltou-se para as crianças. Foram, em geral, as feministas intelectualizadas de classe média, e que eram contra a ditadura, que passaram a pesquisar sobre a infância e assessorar os governos progressistas que, atendendo às reivindicações populares, prometeram creches nas suas campanhas eleitorais..

Só em 1988 a educação infantil teve início ao seu reconhecimento, quando pela primeira vez, foi colocada como parte integrante da Constituição, depois em 1990, com o Estatuto da Criança e do adolescente (ECA, Lei federal 8069/90), entre os direitos estava o de atendimento em creches e pré-escolas para as crianças até os 6 anos de idade. Pela primeira vez na história, uma Constituição do Brasil faz referência a direitos específicos das crianças, que não sejam aqueles circunscritos ao âmbito do Dierito da Família. Também pela primeira vez, um texto constitucional define claramente como direito da criança de 0 a 6 anos de idade e dever do Estado, o atendimento em creche e pré-escola. (CAMPOS, ROSEMBERG, FERREIRA, 1995, p.17 e18) Posteriormente, entramos em um período de debate em torno da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), período que se estendeu até meados da década de 90. Nesse período, sem a aprovação da LDB, a lei maior, o Ministério da Educação em conjunto com outros segmentos define uma política nacional para educação infantil, propondo a criação de uma Comissão Nacional de Educação Infantil (CNEI), que a visão de formular e implementar políticas na área, atuando de 1993 a 1996. Em 1994, aconteceu a Conferência Nacional de Educação para Todos, e um dos eventos preparatórios à conferência foi o I Simpósio Nacional de Educação Infantil, que aprovou a Política Nacional de educação Infantil, com o apoio da CNEI. A partir da Constituição de 1988, do Estatuto da Criança e do Adolescente em 1990 (ECA, Lei Federal 8069/90) e da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional em 1996, lei 9394/96 (BRASIL, 1996), a Educação Infantil foi colocada como a primeira etapa da Educação Básica no Brasil, abrangendo as crianças de 0 a 6 anos, concedendo-lhes um olhar completo, perdendo seu aspecto assistencialista e assumindo uma visão e um caráter pedagógico.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-infantil-artigos/educar-a-crianca-para-a-vida-6004358.html

    Palavras-chave do artigo:

    educacao

    ,

    crianca

    ,

    vida

    Comentar sobre o artigo

    Glésia Pierera Santos da Cruz

    O talento da criança é como o ouro puro ou diamante bruto escondidos nos veios de uma mina. Á medida que se desenterra esse talento inato, manifesta-se a individualidade de cada filho.

    Por: Glésia Pierera Santos da Cruzl Educação> Educação Infantill 14/02/2011 lAcessos: 166

    “Fundamentos de educação” começa por explicar o conceito de “Educação”. Não é tarefa das mais fáceis, visto que há, pelo menos, dezenas de definições, cada qual tomando “educação sob um determinado ponto de vista”. No sentido Etimológico educar é “tirar para fora”as capacidades do aluno , ou seja, aquelas coisa que ele tem em germe no seu espírito. A educação não opera milagres, não faz qualquer indivíduo se transformar num gênio, mas apenas pode desenvolvolvêlo até o limite de suas próprias capacidades. Mas a definição etimológica se apresenta

    Por: Miriam Nunesl Educação> Ciêncial 23/06/2008 lAcessos: 3,886 lComentário: 3

    Esse artigo tem como objetivo analisar a importancia do brinquedo para o desenvolvimento infantil, através do jogo simbolico as crianças constroem uma ponte entre a fantasia e a realidade.Nesse sentido, a escola desempenha o papel de levar esse aluno a pensar e construir seu aprendizado.

    Por: Ana Carla Vale Lagol Educação> Educação Infantill 27/07/2010 lAcessos: 5,418

    A presente resenha mostra a visão do Antropologo Carlos Brandão sobre o que ele pensa sobre a educação.

    Por: Vicente Vagner Cruzl Educação> Ensino Superiorl 06/06/2010 lAcessos: 12,964 lComentário: 1
    marlucia pontes gomes de jesus

    Mostra a evolução histórica dos municípios na luta por maior autonomia e visibilidade no cenário nacional e a sua importância no alcance de objetivos da comunidade local, direcionando o tema para a importãncia dos conselhos municipais de educação. Constitui-se em palestra proferida pela autora em encontro promovido pelo Conselho Estadual do Espírito Santo com Conselhos Municipais de Educação e Secretarias Municipais de Educação no ano de 2009.

    Por: marlucia pontes gomes de jesusl Educaçãol 28/04/2011 lAcessos: 300

    Para Norberto Bobbio, a existência de um direito, seja em sentido forte ou fraco, implica sempre a existência de um sistema normativo, onde por "existência" deve entender-se tanto o mero fator exterior de um direito histórico ou vigente quanto o reconhecimento de um conjunto de normas como guia da própria ação. A figura do direito tem como correlato a figura da obrigação.

    Por: SEBASTIÃO FERNANDES SARDINHAl Educação> Ensino Superiorl 04/05/2009 lAcessos: 2,035 lComentário: 2
    noeli flor

    A aprendizagem depende em grande parte da motivação. As necessidades e os interesses das crianças são mais importantes que qualquer outra coisa. As crianças possuem modos próprios de compreender e interagir com o mundo.

    Por: noeli florl Educação> Educação Infantill 26/09/2012 lAcessos: 197
    MARISA GONÇALVES CRUZ

    O presente artigo trata de uma pesquisa detalhada sobre conceitos, procedimentos e políticas adotadas com crianças superdotadas ou com altas habilidades para que possa auxiliar profissionais da educação, pais e outros. Onde são abordadas diversas questões que envolvem a superdotação, com o objetivo de se obter maiores dados para entender o que ocorre nessa mente tão especial e amenizar os problemas decorrentes dessa dotação, para adaptá-la ao meio em que vive.

    Por: MARISA GONÇALVES CRUZl Educação> Educação Onlinel 07/09/2010 lAcessos: 3,358 lComentário: 2
    Adomair O. Ogunbiyi

    Enfoca aspectos da educação infantil, na sociedade brasileira, fazendo recorte dessa educação com relação às crianças negras. Aborda, ainda, como se dá a educação infantil de crianças negras no sistema escolar brasileiro. Apresenta, finalmente, observação de experiência com educação infantil, de crianças negras, em escola comunitária.

    Por: Adomair O. Ogunbiyil Educação> Educação Infantill 26/07/2011 lAcessos: 458
    Zilda Ap. S. Guerrero

    No método de Frotagem o artista utiliza um lápis ou outra ferramenta de desenho, e faz uma "fricção" sobre uma superfície texturizada. O desenho pode ser deixado como está, ou pode ser utilizado como base para aperfeiçoamento. Essa técnica foi desenvolvida pelo pintor, escultor e artista gráfico alemão, Max Ernst, em 1925. Ele foi um dos fundadores do movimento "Dada" e posteriormente um dos grandes nomes do Surrealismo.

    Por: Zilda Ap. S. Guerrerol Educação> Educação Infantill 18/09/2014 lAcessos: 107

    Ênfase no aprender não é de hoje que existe esse modelo de avaliação formativa. A diferença é que ele é visto com o melhor caminho para garantir a evolução de todos os alunos, uma espécie de passo á frente em relação á avaliação conhecida como somativa.

    Por: Jania Gasques bordonil Educação> Educação Infantill 17/09/2014

    Atualmente, o tema Educação Física na Educação Infantil vem sendo objeto de estudo de múltiplos pesquisadores. Essa "nova" área de estudo justifica-se pelo fato de que o movimento, a corporeidade e o lúdico são de suma importância para o desenvolvimento da criança.

    Por: Sandra Maria dos Reis Bernardol Educação> Educação Infantill 16/09/2014

    A verdadeira educação é aquela que instiga o desejo do indivíduo a explorar, observar, trabalhar, jogar e acreditar-se. Levando em conta essa perspectiva, a educação precisa organizar seus conhecimentos, partindo dos interesses dos alunos e, desse modo, levá-los a outros patamares de aprendizagem, que são primordiais à formação e ao exercício da cidadania.

    Por: Sandra Maria dos Reis Bernardol Educação> Educação Infantill 16/09/2014

    O presente artigo objetiva investigar como Educação Infantil contribuem para o desenvolvimento da aprendizagem.

    Por: Sandra Maria dos Reis Bernardol Educação> Educação Infantill 15/09/2014

    O transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) é uma doença cercada de controvérsia. Por atingir principalmente crianças, muito pais enxergam problemas onde eles não existem — sintomas isolados são comuns nesta fase da vida. Também há quem não preste atenção ao conjunto de sintomas que a caracterizam: quadros de desatenção, hiperatividade e impulsividade de maneira exacerbada.

    Por: Jania Gasques bordonil Educação> Educação Infantill 14/09/2014

    Receber os estudantes com deficiência é um avanço. Mas faltam fazer da inclusão uma realidade e assegurar o direito à Educação

    Por: Jania Gasques bordonil Educação> Educação Infantill 14/09/2014
    Isabel Cristina

    Atualmente, a proposta de educação inclusiva tem gerado polêmicas discussões entre os que adotam uma posição integracionista, os que defendem a escola inclusiva ou ainda aqueles que sentem a importância de uma educação especializada para o aluno com necessidades educacionais especiais . No longo caminho a ser percorrido muitas são as dificuldades a serem enfrentadas, principalmente as que dizem respeito às barreiras físicas e atitudinais,constituídas dos estigmas, preconceitos e estereótipos.

    Por: Isabel Cristinal Educação> Educação Infantill 29/08/2014 lAcessos: 13
    Rosival

    O mundo estrada segura, mas ao mesmo tempo incerta, cheia de curvas, altos e baixos. Nele encontramos milhões de possibilidades, mas por vezes poucas são as chances de encontrar uma realização segura, pois incertas também são as pessoas que no mundo se encontram. Umas sem serem amadas, outras amadas demais, longe de um equilíbrio capaz de somar valores, sentido para o seu viver, enfim, vidas num mundo cuja fantasia é demais...

    Por: Rosivall Literatura> Poesial 22/06/2012 lAcessos: 26
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast