Inclusão ou Exclusão Escolar?

17/07/2010 • Por • 2,730 Acessos

Hoje se comenta muito sobre a inclusão escolar, este assunto um tanto complexo por vezes não é bem explicado e se omite muito dos fatos que giram em torno dele.

Eu poderia começar esse texto explicando sobre o fracasso escolar questionado desde a década de 70, onde no principio os especialistas diziam ser um problema de "atraso mental" de alguns alunos, porem acredito que muito embora seja ai o alicerce que principiou o tema "inclusão", nestes mais de trinta anos, muita coisa ocorreu, profissionais revolucionários como Emilia Ferreiro ou Paulo Freire, deram uma luz neste escuro caminho.

Foram lembrados os grandes nomes da historia da pedagogia como Pestalozzi, Wallon, Maria Montessori, e finalmente houve a conscientização de que carinho, brincadeiras, e atenção eram essenciais entre professores e crianças.

Baseando-se em princípios de Jean Piaget, e Vygotsky, nasceu a "Nova Escola" com métodos construtivistas, e com as portas abertas para todas as crianças fossem negras, brancas, índias, pobres, ricas, deficientes físicas ou mentais... Iniciou-se a inclusão.

Porem esqueceu-se de dizer isso aos professores e diretores das escolas, que não tem ciência dos motivos e conseqüências desta metodologia, os professores ainda hoje em sua maioria usam o método tradicional, e as escolas não tem estrutura para lidar com crianças deficientes ou o Bullyng gerado pelo preconceito/racismo.

Conforme uma pesquisa recente do MEC a respeito de preconceito, em 500 escolas publicas concluiu-se que em 92% das escolas existem preconceito e destes pelo menos três tipos são destacados: deficiência mental, racismo e homossexualismo.

O Brasil universalizou o acesso à educação fundamental, mas a taxa de evasão e repetência esta muito acima dos países em desenvolvimento; Para que não se percam os dados, estamos em julho de 2010 e a taxa de repetência é a segunda maior do mundo, perdendo apenas para o Suriname (18,7%)

Muito embora 97% das crianças sejam matriculadas no ensino fundamental, 60% desses alunos na 5ª série não sabem ler nem efetuar corretamente as quatro operações. As crianças que evadem ou repetem são: pobres, negras ou de origem indígena, norte ou nortistas, e de classe baixa.

Poderia expor alguns dos motivos que provocam estas evasões/repetência, entre eles temos: Política econômica, desigualdade social, políticas educacionais, gestão escolar, formação do professor, sistema de avaliação, e etc.

Mas isso é o meio em que vivemos, é nossa cultura gerada por décadas de influencias positivas e negativas, e, portanto talvez a solução seja agregar á escola uma equipe multidisciplinar, para avaliar e tentar corrigir os problemas aluno/professor.

Já dizia Albert Aisten: "Uma mente que abre uma nova idéia, jamais volta ao seu tamanho original"

O governo tem feito algumas ações que à médio prazo podem amenizar essas evasões, entre as medidas podemos citar: Fundeb (EC 59/2010), modificação no sistema de avaliação, ampliação de jornada escolar, Educação Quimbola, Educação Indígena e o pro jovem.

Existem ainda muitas pedras no meio do caminho para se  concluir a inclusão nas escolas, e neste caso podemos lembrar uma frase de Fernando Pessoa:

"Pedras no caminho... guardo todas... Um dia vou construir um castelo"

 

 

Perfil do Autor

Marcos Paterra

Pesquisador e articulista do movimento espírita. Reside em João Pessoa/PB