Indisciplina na escola: reflexão sobre uma prática

Publicado em: 18/11/2011 |Comentário: 0 | Acessos: 502 |

1. Introdução

  

O tema indisciplina na escola aborda sobre os problemas que podem ter origem nas questões sócio-culturais tais como: pobreza, violência doméstica, alcoolismo, entre outros fatores que  influenciam no aumento da indisciplina na escola. Nessa ótica aproximar-se da criança é uma necessidade educativa para poder entendê-la e, posteriormente poder ajudá-la. Assim, para obter um melhor resultado nos trabalhos escolares que realiza. O professor devera juntar diferentes culturas, fazer respeitar os valores de cada criança evitando futuros constrangimentos e discórdias. O caminho é construir um conjunto de regras e fazer cumpri-las, juntamente desse processo, pais e professores devem ser aliados na formação educativa do aluno, um ajudando ao outro, mas sem interferir no papel que cada um ocupa.

 

Conforme Freitas (2009), a indisciplina pode surgir como alternativa para o "insucesso" escolar, procurando valorizar a sua relação como os outros. Este fracasso não se refere exclusivamente às notas nas disciplinas, mas também a certos valores que o aluno não vê refletido nele. Assim, é preciso mostrar autoridade, mas usar uma linguagem que não ataque a dignidade dos envolvidos em atos indisciplinados, sempre respeitando a individualidade de cada aluno. Quando houver brigas, procurar soluções que satisfaçam ambas as partes envolvidas.

 

Alunos agressivos precisam de afeto e limites, pois a agressividade exagerada é sintoma de problemas graves. Exemplos de atitudes equilibradas podem ajudar a resolver certos problemas. Geralmente, a indisciplina encontrada na escola deve proceder de experiências anteriores, as quais reforçam na criança um comportamento inadequado, revelado muitas vezes pela agressividade.

   

2.  A prática do professor

  

A família é a parte fundamental, pois quando a criança inicia a vida escolar, ela já vem com sua cultura, com seu modelo familiar, com um comportamento diferenciado de outras crianças. Quando a criança tem o hábito de cometer um ato indisciplinar, o professor deve ser mais observador e buscar conhecer os seus problemas, para averiguar se são de origem social e/ou cultural, tais como: pobreza, violência domestica, drogas e alcoolismo.

 

No contexto atual, muita coisa mudou em relação a 30 anos atrás e, hoje, a escola não adota mais uma postura repressiva e violenta. Estamos numa época de valorização da democracia, da cidadania e do respeito. Cabe a escola levar os princípios humanos  à sério dentro do seu projeto pedagógico. Então, como acabar ou diminuir a indisciplina em sala de aula, objetivando melhorar as condições de aprendizado dos  alunos?

 

Não seria possível uma resposta definitiva, mas é imprescindível que o docente domine os conteúdos com os quais trabalha, além de ser afetivo com seus alunos, pois estes ingredientes possibilitam  garantir a autoridade em sala de aula, bem como, a qualidade do processo ensino e aprendizagem, uma vez que a profissão docente se liga às práticas sociais e interativas da sociedade como um todo.

 

Sendo assim, acredito primeiramente que o professor deve identificar os motivos da indisciplina. Observar os alunos e estabelecer um diálogo pode ajudar muito neste sentido. Muitas vezes, a indisciplina ocorre porque os alunos não entendem o conteúdo ou acham as aulas cansativas. Nestes casos, o professor pode modificar suas aulas, adotando atividades estimulantes e interativas. Esta atitude costuma gerar bons resultados.

 

Uma outra boa sugestão é criar algumas regras comuns para o funcionamento das aulas. O professor pode fazer isso com a ajuda dos próprios alunos. Dentro destas regras podem constar: levantar a mão e aguardar a sua vez antes de perguntar ou falar, fazer silêncio em momentos de explicação, falar num tom de voz adequado, etc.

   

3. Dificuldades na aprendizagem

   Os alunos que praticam a indisciplina são vistos pelos educadores e por outros  alunos como "alunos-problemas", mas o que falta é uma proposta, um planejamento pedagógico. A maioria das crianças com problemas, não conseguem terminar os nove anos de estudo obrigatório, estes alunos possivelmente são aqueles que têm distúrbios psicopedagógico, distúrbios de aprendizagem ou distúrbio comportamental. A maioria desses alunos devem receber atenção especial dos educadores, porque estas crianças podem ter perdido o interesse pela aula, levando a evasão escolar e, sem escola, não há possibilidade de o cidadão ter de fato acesso aos seus direitos constituídos. Segundo Drouet (1989, p. 93):    

[...] todos os distúrbios – de fala, de audição, emocionais, do comportamento etc. – têm sua origem em causas diversas, porém todos eles se constituem em obstáculos à aprendizagem, prejudicando-a ou mesmo impedindo-a, cabe ao professor observar as crianças, perceber aquelas que apresentam problemas de aprendizagem e encaminhá-los ao especialista adequado para diagnóstico e tratamento.

  

As informações da citação acima esclarecem que, podemos localizar as práticas pedagógicas que, em sentido amplo, dominam o campo da educação nos últimos dois séculos. De um lado, as práticas tradicionais centradas no professor, o qual transmitem os conhecimentos que lhes são transmitidos. Assim, devemos superar a concepção de que o problema da indisciplina está no aluno, pois como afirma Franco (1986), o aluno tem sido a maior vítima de exclusão por ser indisciplinado. Daí a necessidade de pensarmos em algumas alternativas para amenizarmos esses problemas do cotidiano escolar. Sobre a questão da autoridade, Davis & Luna (1991) enfatizam:

   

[...] o professor com autoridade é também aquele que deixa transparecer as razões pelas quais a exerce: não por prazer, não por capricho, nem mesmo por interesses pessoais, mas por um compromisso genuíno com o processo pedagógico, ou seja, com a construção de sujeitos que, conhecendo a realidade, disponham-se a modificá-la em consonância com um projeto comum (IBIDEM, 1991, p.69).

   

Desta maneira, é importante também que, o professor tenha autoridade para conduzir de forma mais proveitosa possível o processo de ensino e aprendizagem, sua autoridade precisa ser exercida nos domínios: intelectual, ético, profissional e humano.

 

  4. Compreensão dos problemas de indisciplina na escola  

  

Guimarães (1996), expõe que, a escola tem mecanismos disciplinares que levam à disciplinarização do comportamento de alunos, de professores e de outros funcionários. Dessa forma, aponta a indisciplina como uma possível resistência por parte dos alunos que não se submetem as normas das escolas. A indisciplina tem vínculos com a educação moral recebida, com o modo que se dá a relação professor x aluno, tampouco, com a existência de currículo oculto excludente e as imposições da escola. Pelo contrário, a partir destas análises promovem discussões que buscam indicar caminhos para a resolução ou amenização de um conflito que pode ser trabalhados.

 

Dessa forma, a autoridade do professor é fundamental na aprendizagem do aluno (Davis e Luna, 1991), não advindo mera-mente da sua palavra ou do fato desse ser mais velho que seus aprendizes, mas sim da sua função social e pública que realiza na sociedade, num espaço de formação que deve ser valorizado  a escola, este espaço em que o professor representa "formas de conhecimento e critérios de valor que são publicamente estabelecidos" (Carvalho, 1999, p. 58).

 

É necessário esclarecermos que, através desta concepção não estou defendendo um ensino moralista. Pelo contrário, defendo a ideia de que a escola exerce influência sobre a formação moral de seu aluno e, portanto, deve estar apta a contribuir no desenvolvimento moral. Segundo a concepção de (Piaget), é sempre bom lembrar que um mesmo aluno indisciplinado com um professor nem sempre é indisciplinado com os outros, sua indisciplina, portanto, parece ser algo que desaponta ou acentua-se dependendo da circunstancia ou da interação.

   

5. Considerações finais

  

Diante dos aspectos sobre a indisciplina na escola, questão que tem se agravado nos últimos anos, houve um aumento significativo de casos de indisciplina dentro da sala de aula, foi a partir da reflexão docente sobre a prática vivenciada em sala de aula que se percebeu uma possível mudança na sua forma de atuar, além de podermos observar uma transformação dos comportamentos de alunos na escola. Portanto, é grande o desafio que nós educadores temos encontrado em relação a indisciplina em sala de aula e na escola, tanto na pública como na particular, todavia com manifestações diversas. Vale destacar que, a família também precisa estabelecer limites aos seus familiares, bem como, acompanhar o trabalho do filho na escola e tomar atitudes quando esses limites são desestabilizados ou  não são respeitados.

  

6. Referências Bibliográficas

    

DAVIS, C.; LUNA, S. A questão da autoridade na educação. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 76, p. 65-70, fev. 1991.

 

 DROUET, Ruth Caribé da Rocha. Distúrbios da aprendizagem. São Paulo: Ática, 1986.

  

FREIRE, P.: SHOR, I. Medo e Ousadia: O cotidiano do professor. 5. Ed. São Paulo:Paz e terra, 1996.

   

FRANCO, Luiz A. C. A disciplina na Escola. In Problemas de Educação Escolar. São Paulo: CENAFOR, 1986.

  

PIAGET, J. O juízo moral na criança. 2a ed. São Paulo: Summus, 1994
ARAÚJO, U.F. de.  Moralidade e indisciplina: uma leitura possível a partir do referencial piagetiano -Indisciplina na escola. São Paulo: Summus, 1996

  

PARRAT-DAYAN, Silvia. Como enfrentar a indisciplina na escola. São Paulo: Contexto, 2008.

  

FREITAS, Eliana Maria de. As conseqüências da indisciplina escolar no processo ensino aprendizagem. Universidade Gama Filho. Ceará, 2009.

   

OLIVEIRA, Ricardo Augusto A de. Indisciplina Na Escola Como Fator Determinante No Processo Ensino Aprendizagem: A Experiência Da Escola São Francisco Em Marco – Ce. Disponível em: ˂http://www.artigonal.com/educacao-artigos/indisciplina-na-escola-como-fator-determinante-no-processo-ensino-aprendizagem-a-experiencia-da-escola-sao-francisco-em-marco-ce-3138468.html˃ Acesso em: 02/08/2011.

 

 

[1] Acadêmica do Curso de pedagogia, em EAD da FAEL – Faculdade Educacional da Lapa - Portaria n.º 1.616, maio de 2005. Atua como professora na Escola Estadual "Criança Cidadã".

 

 

 

 

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-infantil-artigos/indisciplina-na-escola-reflexao-sobre-uma-pratica-5409117.html

    Palavras-chave do artigo:

    indisciplina

    ,

    transformacao educacao

    Comentar sobre o artigo

    A indisciplina é um dos maiores problemas enfrentados pelas escolas atuais. Ela se constitui como um dos fatores que determinam o fracasso escolar do aluno, reduzindo a qualidade de ensino e desestimulando o corpo docente. É uma dificuldade encontrada em todos os níveis da educação brasileira, independente da situação social do indivíduo. Este artigo trata da determinação das causas da indisciplina escolar e de suas conseqüências no processo ensino/aprendizagem, sugerindo ações alternativas.

    Por: Ricardo Augusto A de Oliveiral Educaçãol 26/08/2010 lAcessos: 12,066 lComentário: 2

    A visão sobre aindisciplina é diferenciada pelos professores, a falta de diálogo entre professores e alunos, inibe a formação de vínculos entre eles e isso dificulta o repasse do aprendizado.

    Por: Márcia Helena Irineul Educaçãol 05/08/2009 lAcessos: 29,737 lComentário: 5

    A inclusão e a exclusão tornou-se uma problemática que se constitui num enorme desafio a ser superado pela família, educadores e sociedade. O grande desafio é da oportunidade aos excluídos aqueles desprovidos de oportunidades. Entre tantos excluídos podemos discorrer sobre a exclusão vivenciada pelo aluno "N.R.S" . Oriundo de uma família desprovida de qualquer condição social, a margem da sociedade, onde os pais semi-analfabetos e com o pai dependente de drogas.

    Por: Marta Kalianel Educação> Ensino Superiorl 04/05/2013 lAcessos: 118
    Lucivania da Silva

    O problema da indisciplina vem a cada ano aumentando consideravelmente, haja vista muitos direitos dos alunos e poucos são as formas de cobrarem seus deveres. A escola deixou de ser uma complementação da educação para ser a única educação recebida pelos alunos. Os fatores são variados, pais ausentes, famílias destroçadas por alguns problemas comuns nos dias atuais como, separação de pais, drogas, álcool, entre outros, acarretando numa total ausência do direcionamento educação familiar.

    Por: Lucivania da Silval Educação> Ciêncial 25/09/2012 lAcessos: 561

    A disciplina se torna uma abordagem sobre seus enredos e problemas que possam resultar a formação do caráter do aluno, e como criar novos métodos de intervenção para a tentativa de amenizar ao máximo os efeitos causados pelo problema que possa ser resolvido.

    Por: Vandersonl Educação> Educação Infantill 29/06/2014 lAcessos: 32

    RESUMO O presente trabalho apresenta a indisciplina escolar como um problema constante dentro das salas de aulas e visa buscar soluções que ajudam a reverter esse quadro, entender de onde vem, o porquê vem e o que fazer para que ela não venha. A importância deste trabalho está na reflexão sobre as influências da indisciplina dentro da escola, na sociedade, na família.

    Por: Márcia Helena Irineul Educaçãol 05/08/2009 lAcessos: 5,450 lComentário: 1
    José Ribeiro da Silva Júnior

    No Filme O triunfo (2006), acompanhamos a história real do professor de Ensino Fundamental, Matthew Perry, que vindo da Carolina do Norte, busca por uma vaga nas inúmeras instituições da cidade de Nova York. Sendo que de todas as Instituições procuradas, Matthew finalmente consegue uma vaga na Instituição mais violenta da cidade. Inicia-se, portanto, uma difícil missão para o jovem professor, ou seja, a de vencer determinados paradigmas, rompendo fatores como a indisciplina e o preconconceito.

    Por: José Ribeiro da Silva Júniorl Educaçãol 19/04/2009 lAcessos: 1,410

    Ao falarmos em tecnologias costumamos pensar imediatamente em computadores, vídeo, softwares e Internet. Sem dúvida são as mais visíveis e que influenciam profundamente os rumos da educação. Lembrando que o conceito de tecnologia é muito mais abrangente. Tecnologias são os meios, os apoios, as ferramentas que utilizamos para que os alunos aprendam. A forma como os organizamos em grupos, em salas, em outros espaços isso também é tecnologia.

    Por: RAFAEL DE OLIVEIRA SILVAl Educaçãol 16/12/2013 lAcessos: 37

    Pessoas com necessidades especiais, durante muito tempo, consideradas diferentes ao logo do tempo, numa sociedade discriminatória, A conquista e o reconhecimento de direitos das pessoas se às necessidades do alunado, respeitar o ritmo e os processos de aprendizagem, propondo uma pedagogia centrada nas potencialidades humanas, em com deficiência no Brasil tornaram-se componentes integrantes de políticas sociais a partir da metade do século passado.

    Por: CLEA MARCIA PEREIRA CAMARAl Educação> Ensino Superiorl 14/03/2012 lAcessos: 988

    O transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) é uma doença cercada de controvérsia. Por atingir principalmente crianças, muito pais enxergam problemas onde eles não existem — sintomas isolados são comuns nesta fase da vida. Também há quem não preste atenção ao conjunto de sintomas que a caracterizam: quadros de desatenção, hiperatividade e impulsividade de maneira exacerbada.

    Por: Jania Gasques bordonil Educação> Educação Infantill 14/09/2014

    Receber os estudantes com deficiência é um avanço. Mas faltam fazer da inclusão uma realidade e assegurar o direito à Educação

    Por: Jania Gasques bordonil Educação> Educação Infantill 14/09/2014
    Isabel Cristina

    Atualmente, a proposta de educação inclusiva tem gerado polêmicas discussões entre os que adotam uma posição integracionista, os que defendem a escola inclusiva ou ainda aqueles que sentem a importância de uma educação especializada para o aluno com necessidades educacionais especiais . No longo caminho a ser percorrido muitas são as dificuldades a serem enfrentadas, principalmente as que dizem respeito às barreiras físicas e atitudinais,constituídas dos estigmas, preconceitos e estereótipos.

    Por: Isabel Cristinal Educação> Educação Infantill 29/08/2014 lAcessos: 13

    O objetivo deste estudo foi conhecer como se insere e desenvolve a educação ambiental na educação infantil em escolas públicas de dois municípios no Estado do Espirito Santo, Brasil. Trata de um estudo descritivo quantitativo. O universo da pesquisa foi 58 professores de Educação Infantil. O instrumento de coleta de dados foi um questionário de autopreenchimento com 13 perguntas objetivas sobre educação ambiental na comunidade escolar. Solicitou-se a assinatura do termo de consentimento livre e

    Por: DANIELE DE ALMEIDA NUNESl Educação> Educação Infantill 28/08/2014

    O que acontece pode ser considerado como bastante simples, sendo que o alfabeto ilustrado acaba por se tratar de um papel ou até mesmo uma fita decorativa que poderá ser utilizada na parede, ou até mesmo em um móvel.

    Por: anamarial Educação> Educação Infantill 27/08/2014
    Ariane David

    Para que o professor possa ser mediador no contato com a leitura, precisa dominar alguns conceitos, saber o que é leitura, como ela acontece e quando, que sensação ela deve acarretar em nós, a abrangência que o ato de ler possui; ler não é decodificar, lemos tudo a nossa volta e com todos os nossos sentidos, na verdade lemos sem saber ler. A criação de um ambiente alfabetizador é um dos caminhos para esse contato com o mundo letrado dentro da sala de aula.

    Por: Ariane Davidl Educação> Educação Infantill 25/08/2014 lAcessos: 12

    O presente artigo visa analisara importância do brincar no desenvolvimento e aprendizagem na educação infantil. Tem como objetivo conhecer o significado do brincar, conceituar os principais termos utilizados para designar o ato de brincar, tornando-se também fundamental compreender o universo lúdico

    Por: Sandra Maria dos Reis Bernardol Educação> Educação Infantill 22/08/2014 lAcessos: 21
    Carla Cardoso Gomes

    O presente artigo tem como objetivo apresentar os principais fatores que influenciam nas dificuldades dos discentes nos processos de aprendizagem. Uma pessoa que não conseguiu desenvolver todas as habilidades de leitura e noção matemática encontrará muitas dificuldades e desafios para relacionar-se com a sociedade de um modo geral. Quando a Escola não ajuda com um atendimento personalizado e especifico, a criança deixa de vivenciar situações de construção da identidade.

    Por: Carla Cardoso Gomesl Educação> Educação Infantill 05/08/2014 lAcessos: 33

    As constantes transformações nas áreas econômicas, política, social, tecnológicas e culturais da sociedade atual têm forçado a escola a modificar seus objetivos, adequando-os ás exigências do mercado de trabalho e do trabalhador. O homem solicitado pela sociedade informatizada precisa ser mais flexível, deve possuir educação geral, com novas habilidades cognitivas, capacidade de dominar a tecnologia e de aprender. E a escolarização tem sido um requisito de inclusão nessa sociedade.

    Por: Darci Martinsl Educação> Educação Infantill 22/10/2012 lAcessos: 211

    Este artigo traz algumas discussões reflexivas sobre as linguagens da arte na infância, com ênfase nos aspectos conceituais e metodológicos. A arte na Educação infantil tem papel fundamental na construção de um indivíduo crítico, fornecendo-lhe experiências que o ajude a refletir, desenvolver valores, sentimentos, emoções e uma visão questionadora do mundo que o cerca.

    Por: Darci Martinsl Educação> Educação Infantill 04/10/2012 lAcessos: 258

    A educação inclusiva é voltada de todos para todos, os ditos "normais" e as pessoas com algum tipo de deficiência poderão aprender em conjunto. Uma pessoa dependerá da outra para que realmente exista uma educação de qualidade. A educação mudou é direito de todos, é direito de cada um, podendo ser reivindicada por vias políticas e judiciais, caso lhe seja negado.

    Por: Darci Martinsl Educação> Educação Infantill 06/09/2012 lAcessos: 514

    Indisciplinados, problemáticos, avoados e mal criados, são alguns rótulos que crianças, jovens com TDAH hiperativo. Pais e professores não sabem o que fazer quando a criança apresenta constante inquietação ou age de forma inesperada. Freqüentemente crianças pequenas são ativas ou ate mesmo distraídas nos primeiros anos escolares, baseando-se apenas em alguns sintomas não é possível fazer o diagnostico do transtorno.

    Por: Darci Martinsl Educação> Educação Infantill 13/07/2012 lAcessos: 565

    Este artigo realiza uma reflexão sobre a literatura infantil, focando sua análise na questão da função da mesma. Faz um rápido levantamento diacrônico, após abordar o problema conceitual e conclui que a literatura infantil ideal tem como função específica ajudar no despertar crítico dos futuros leitores adultos. Convida você para uma viagem ao universo da literatura infanto-juvenil.

    Por: Darci Martinsl Educação> Educação Infantill 01/06/2012 lAcessos: 1,937

    O ato de jogar é tão antigo quanto o próprio homem, pois este sempre manifestou uma tendência lúdica, ou seja, um impulso para o jogo. A reflexão acerca da história do ato de brincar e, muito mais, sobre a história da criança e sua participação no contexto familiar e social, além de ampliar nossos conhecimentos sobre a importância do lúdico na construção do desenvolvimento infantil cognitivo, afetivo e social. Assim, objetiva-se, neste artigo, compreender a importância de se resgatar as brincade

    Por: Darci Martinsl Educação> Educação Infantill 18/11/2011 lAcessos: 539
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast