Leitura um processo para aprendizagem

Publicado em: 06/07/2010 |Comentário: 0 | Acessos: 2,604 |

Para a realização da leitura envolve a memória, pensamento, a linguagem e percepção para construção do entendimento da linguagem. Assim, "a leitura utiliza vários níveis de conhecimento que integram entre si, à leitura é considerada um processo interativo. Pode-se dizer com segurança que sem o engajamento do conhecimento prévio do leitor não haverá compreensão", assim afirma Kleiman (2007, p. 13).

A fim de compreender a aquisição da leitura este apresenta alguns modelos de leitura, como o top-down que processa predições progressivamente sobre pequenas unidades do texto. O modelo buttom-up que processa a leitura a partir de uma seqüência linear e o modelo interativo, que argumenta em prol da ocorrência dos dois processos bottom-up e top-down simultaneamente ou alternadamente.

Segundo o Ferreira (2004), leitura é o "ato ou efeito de ler", como também arte de decifrar um texto segundo um critério. Leitura também pode se entendida não como um conceito, mas como um conjunto de práticas que regem as formas de utilização que a sociedade, faz dela, especialmente através da escola.

Há diferentes formas de leitura, uma delas é a decodificação decifratória, aquela em que a atenção e o esforço do leitor estão voltados exclusivamente para a decifração. São mais realizados por indivíduos que estão se familiarizando com o código, como os que estão se alfabetizando. Enquanto para a realização da leitura automática há pequeno esforço em decifrar realizada por leitores já familiarizados com o código.

De acordo com a teoria da leitura silenciosa, a rapidez e a fluência na leitura seriam fatores decisivos para compreensão. Desta forma quanto mais fluente a leitura maior a chances de uma compreensão adequada. Todavia, a relação entre fluência e compreensão da leitura não é tão direta como essa teoria faz supor. Uma vez que há leitores que, a despeito de uma leitura muito silabada, ou escandida, conseguem uma boa compreensão do que estão lendo e vice-versa.

Conforme os modelos de processamento de dados qualquer tarefa cognitiva, começa com um estímulo e finaliza com a resposta. E segundo Van Dijk e Rintsch (1983, apud Kock, 2008, p.34) o processamento de um texto consiste em diferentes estratégias, que é "uma instrução global para cada escolha a ser feita no curso da ação". E, esta por sua vez, tem a função de facilitar o processamento textual, quer em termos de produção ou de compreensão.

De acordo com a teoria há três modelos de leitura fundamentados no processo cognitivo: o primeiro, o modelo descendente (top-down), que segundo Goodmam (1998, apud Pinto, 2006), os leitores formam hipóteses sobre as palavras que encontram, levando em conta a informação visual.  Neste modelo o elemento mais importante para a identificação das palavras é o contexto.

Assim, Goodman (1998, apud Pinto, 2006 p.14) diz que: "A leitura é um processo receptivo da linguagem. É um processo psicolingüístico no qual começa com uma representação da superfície lingüística codificada por um escritor e termina com o significado que o leitor constrói". Segundo o autor o sentido não é uma característica dos textos. O sentido, por sua vez, está entre o autor e o leitor, concebido pelo escritor no texto e construído do texto pelo leitor.

O segundo modelo é o bottom-up ao mesmo tempo conhecido como modelo ascendente, criado por Gough em 1972, que neste modelo o leitor lavra a leitura de maneira linear, iniciando das letras para os sons, para as palavras, para as sentenças e finalmente para o significado. Assim, todas as letras do campo visual devem se consideradas individualmente pelo leitor para assinalar o significado de cada uma. Desta forma a leitura das palavras acontece após a uma análise sistemática de grafemas, que são convertidos em fonemas e o conhecimento fonológico é o principal mediador para o reconhecimento das palavras. Desta maneira, o processamento bottom-up interpreta unidades lingüísticas individuais e estabelece sentido textual das pequenas unidades para as maiores, ou seja, centra-se na habilidade de interpretar ou modificar em som o que é visto linearmente em um texto.

E finalmente o modelo interativo que para Rumelhat (1985, apud Pinto, 2006) é o modelo mais eficiente, pois engloba os modelos top-down e bottom-up. Que para Carrell (1988, apud Pinto, 2006) o uso de um modelo de processamento, em detrimento do outro causa prejuízo a leitura, principalmente a leitores iniciantes que focam somente a um modelo, já os leitores maduros faz uso dos dois modelos alternando de um para o outro durante a leitura. Este modelo é defendido até hoje e sua principal característica esta na distinção entre as duas rotas de leitura, de maneira que o modelo utilizado para ler as palavras conhecidas não é a mesma para a leitura de palavras desconhecidas.

Segundo Carvalho (2010), entre os muitos fatores que determinam à forma de leitura, está presente a perspectiva do texto, onde o leitor deverá acionar justamente, os mesmos significados, na mesma alteração de possibilidades, para que haja a compreensão durante a realização da leitura. A perspectiva do leitor está relacionada ao conhecimento prévio que o mesmo possui e ao sentido que ele atribui ao que lê. As estratégias auxiliam o leitor e que cada um, tem sua estratégia própria, alguns relêem o texto até que compreendem, outros assinalam os pontos principais, dão sentido pelo contexto.

Atualmente a leitura é indispensável para a aquisição do conhecimento, uma vez que o mesmo é adquirido através de métodos e técnicas bem estruturadas levando o leitor ao conhecimento científico que refletirá num sentido amplo. Assim a leitura é indispensável para que o indivíduo construa seu conhecimento e exerça a cidadania. A estreita relação do leitor com a leitura lhes traz a possibilidade de plena participação social, pois é por meio dela que o homem se comunica, tem acesso à informação, defende suas idéias, divide e constrói visões de mundo e produz conhecimento. A sociedade atual caracteriza-se pela busca da informação, do conhecimento. A educação dos indivíduos precisa enfatizar a leitura como via de inclusão social e de melhoria para a sua formação. A leitura, portanto, promove o resgate da cidadania, devolve a auto-estima ao promover a integração social, desenvolve um olhar crítico e possibilita formar uma sociedade consciente.

Por meio deste estudo conclui-se que a leitura é complexa e que não há uma forma única, bem como um modelo padrão de leitura, e foi apontado pelos autores há várias formas e todas elas são bem aproveitadas em todas as situações em que ela se encontra. Assim para a realização da leitura de palavras conhecidas utiliza-se um modelo, como o top-down e no caso de palavras desconhecidas, principalmente palavras estrangeiras utiliza-se o bottom-up, evidenciando que ambos os modelos são aplicáveis em nosso cotidiano. Mas diante disso Goodman (1987, apud Maciel, 2004) afirma que possui um único processo de leitura, ainda que seja necessária a flexibilidade, toda leitura deve começar com um texto, este é construído como linguagem e finaliza com a construção do significado.

 

 

REFERÊNCIAS

 

CARVALHO, Íris Oliveira de. Leitura e Produção Escrita. In: Metodologia do Ensino Fundamental / Universidade Feral de Goiás. Centro de Ensino e Pesquisa Aplicada à Educação. Goiânia: FUNAPE/CIAR, 2010.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Novo Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa.Versão 5.0. Curitiba: Positivo, 2004.

KLEIMAN, Ângela. Texto e Leitor: Aspectos cognitivos da leitura. 10.ed., Campinas, SP: Pontes, 2007.

KOCK, Ingedore Vilhaça. O texto e a construção dos sentidos. 9.ed., 1ª reimpressão. São Paulo: Contexto, 2008.

MACIEL, Diva Albuquerque. Fundamentos Teóricos e Metodológicos da Leitura Escrita. Brasília, DF: Universidade de Brasília/CEAD, 2004.

PINTO, C. M.; RICHTER, M. G. O livro didático de português para estrangeiros segundo a Teoria da Atividade. In: VI Seminário Internacional em Letras Palavras: Margens e Imagens, 2006, Santa Maria. Anais. Centro Universitário Franciscano, 2006.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-infantil-artigos/leitura-um-processo-para-aprendizagem-2786045.html

    Palavras-chave do artigo:

    leitura

    ,

    educacao

    ,

    aprendizagem

    Comentar sobre o artigo

    Evilasio Ferreira de Sousa

    O presente artigo consiste em apresentar, através de uma pesquisa bibliográfica, um estudo sobre a importância da leitura na aprendizagem dos alunos nos anos iniciais. O qual sugere destacar a importância da leitura na primeira fase da vida escolar dos educandos, uma vez que já foi comprovado que quem ler mais aprende com mais facilidade, se comunica melhor e absorve com mais eficácia as informações. O hábito da leitura se forma antes mesmo do saber ler; é ouvindo histórias que se treina a relaç

    Por: Evilasio Ferreira de Sousal Educação> Educação Infantill 27/09/2011 lAcessos: 689

    A pesquisa apresenta uma análise das dificuldades de aprendizagem na leitura no ensino fundamental. esta pesquisa serve para nos orientar para projeto de monografia do curso de pedagogia.

    Por: maria aparecidal Educação> Educação Infantill 12/12/2011 lAcessos: 4,853
    Evilasio Ferreira de Sousa

    Pretende-se analisar o papel da leitura na educação escolar, sua necessidade e urgência em ser trabalhada em sala de aula. Tem como objetivo principal a observação do próprio conhecimento em si mesmo, sendo também fundamental na realização de novas aprendizagens. Além disso, este trabalho visa apresentar às relações entre a leitura, a aprendizagem e a interpretação. Portanto, a leitura tem dois pontos fundamentais: primeiro ponto é que ela é eficaz em nossos estudos e o segundo ponto é que atrav

    Por: Evilasio Ferreira de Sousal Educação> Educação Infantill 22/09/2011 lAcessos: 688

    O presente artigo visa o despertamento do educando para a prática de leitura, interpretação e produção textual, uma vez que a maioria apresenta grande deficiência em relação a esses aspectos.

    Por: Creusa Costa de Sousal Educação> Línguasl 15/11/2010 lAcessos: 2,704
    Antonio Rosemir do Carmo

    Este artigo tem como objetivo, analisar o processo de construção da aprendizagem através da mediação. Para tanto, o método utilizado foi à leitura de autores que abordam a temática, possibilitando uma reflexão do ponto de vista do autor sobre o desencadeamento da construção de aprendizagem mediada. O educador deve atuar como mediador do conhecimento, de forma que os alunos aprendam os saberes escolares em interação com o outro, e não apenas recebam-no passivamente.

    Por: Antonio Rosemir do Carmol Educaçãol 06/11/2014 lAcessos: 21

    O texto mostra a importancia da leitura no processo de crescimento de um cidadão critico e cosnciente do seu papel em uma sociedade cada vez mais globalizada e competitiva. mostra ianda os meios disponiveis para que este cidadão posa exercer o seu direito a uma leitura emancipadora.

    Por: Maria Ines Morais Frazãol Literatural 28/06/2009 lAcessos: 7,751
    Alana Sardinha Freitas

    O artigo relata experiências vivenciadas numa escola de Educação Infantil na cidade de Itapetinga, Ba, durante a aplicação de um Projeto de Leitura"Histórias Infantis no Contexto da Pré-escola: Janelas Abertas Para Novos Leitores",com objetivo de despertar nas crianças hábitos de leitura e um olhar crítico sobre o mundo. Contribuindo para o desenvolvimento da autonomia, da criatividade, das múltiplas habilidades, o uso das potencialidades na realização das atividades propostas. Apresenta ainda o

    Por: Alana Sardinha Freitasl Educação> Educação Infantill 31/10/2011 lAcessos: 2,084

    A leitura e a escrita são hoje um dos maiores desafios das escolas, visto que quando estimulada de forma criativa, possibilita a redescoberta e o prazer de ler, a utilização da escrita e a inserção do aluno no mundo letrado. Pensando nesse contexto, o projeto torna-se necessário e viável, pois pretende fomentar a leitura, interpretação e a escrita por meio da contação de história. Durante o desenvolvimento do projeto procuramos incentivar os alunos empréstimo de livros uma vez na semana.

    Por: Isaura do Prado Almeidal Educação> Línguasl 13/11/2014 lAcessos: 11

    O presente artigo procura evidenciar a leitura em seus diversos aspectos, bem como demonstrar a sua importância desde as séries iniciais. Ler corresponde ao processo de apreensão da realidade que cerca o sujeito. A escola se torna fator fundamental na formação do leitor e na aquisição do hábito da leitura.

    Por: Arlete Luiza de Souzal Educação> Educação Infantill 02/11/2014 lAcessos: 30

    Como obter as informações de que necessitamos para acompanhar os percursos dos estudantes? Como apreender os modos como eles representam os conceitos? Como saber o que pensam sobre o que ensinamos para pensarmos nas possibilidades pedagógicas que assegurariam a qualidade do ensino-aprendizagem? Como proceder para que os estudantes evidenciem seus avanços e suas dificuldades?

    Por: Maria Cristinal Educação> Educação Infantill 18/11/2014 lAcessos: 12

    Aprender com prazer, aprender brincando, brincar aprendendo, aprender a aprender, aprender a crescer: a escola é, sim, espaço de aprendizagem. Assim, é fundamental que cada professor se sinta desafiado a repensar o tempo pedagógico, analisando se ensina o que é de direito para os estudantes e se a seleção de conteúdos, capacidades e habilidades é de fato importante naquele momento.

    Por: Maria Cristinal Educação> Educação Infantill 18/11/2014 lAcessos: 24

    A prática educativa está fortemente relacionada a processos de comunicação e interação entre os seres, que a utilizam para assimilar seus saberes, habilidades, técnicas, valores, atitudes, e, através disso, construir novos saberes. Sendo assim, não se pode reduzir a educação ao simples ato de ensinar e a pedagogia como um conjunto de métodos que possibilita o ensino. Sendo assim, surge um questionamento essencial a todo aquele que quer compreender, viver e fazer pedagogia: quem é o pedagogo?

    Por: Maria Cristinal Educação> Educação Infantill 18/11/2014 lAcessos: 13

    A questão da inclusão de pessoas portadoras de necessidades especiais em todos os recursos da sociedade ainda é muito incipiente no Brasil. Movimentos nacionais e internacionais têm buscado um consenso para formatar uma política de inclusão de pessoas portadoras de deficiência na escola regular.

    Por: Jania Gasques bordonil Educação> Educação Infantill 17/11/2014
    Liamara Lucia de Almeida Cacho

    Nos anos iniciais, a disciplina que trabalha as noções históricas, de espaço e tempo é chamada de Estudos Sociais. Neste período o professor deve transmitir aos alunos noções fundamentais de organização da vida em sociedade, de como se organiza o próprio município, da atuação das autoridades, organizações e hierarquias, noções de respeito e educação cidadã, além dos deveres e direitos humanos.

    Por: Liamara Lucia de Almeida Cachol Educação> Educação Infantill 14/11/2014 lAcessos: 15
    Liamara Lucia de Almeida Cacho

    Como todos já sabem e ouviu-se muito falar, a educação autônoma é a mais viável e satisfatória nos dias de hoje. Com tantas transformações ocorrendo em tempo real, e em nível econômico, político e social, além de cultural também. Com base nisto, quero colocar alguns dos meus pensamentos sobre a educação.

    Por: Liamara Lucia de Almeida Cachol Educação> Educação Infantill 14/11/2014 lAcessos: 11
    Liamara Lucia de Almeida Cacho

    Há tempos busca-se formar integralmente o homem, provavelmente, nenhuma palavra expressa mais essa ideia de formação humana que a palavra, oriunda da Cultura Grega, Paídeia, que exprimia o ideal de desenvolver no ser homem aquilo que era considerado próprio da sua natureza, essa ideia perpassou o humanismo renascentista chegando até aos nossos dias atuais. Diante disso, cabe perguntar: O que significa essa totalização da formação humana? Pode ser definido em um único conceito?

    Por: Liamara Lucia de Almeida Cachol Educação> Educação Infantill 14/11/2014 lAcessos: 13

    A educação inclusiva é voltada de todos para todos, os ditos "normais" e as pessoas com algum tipo de deficiência poderão aprender em conjunto. Uma pessoa dependerá da outra para que realmente exista uma educação de qualidade. A função de separar e classificar os alunos, rotulando-os como menos ou mais capazes, dá lugar a de escolher cada um, valorizando suas potencialidades, sua linguagem, suas diferenças, bem como os instrumentos que ampliam suas possibilidades de aprender, de comunicar e de i

    Por: Darci Martinsl Educação> Educação Infantill 14/11/2014 lAcessos: 20
    Jorge Ramos Nunes

    Sabe-se que a televisão foi inventada no século XIX e que a partir de então ela foi idealizada por muitos professores como sendo um recurso que iria levar à educação, aos mais remotos lugares da Terra. Mas, com o seu formato que atende aos interesses de determinadas classes sociais, fez com que a mesma fosse pouca ou não utilizada em sala de aula.

    Por: Jorge Ramos Nunesl Educação> Ensino Superiorl 09/01/2011 lAcessos: 790
    Jorge Ramos Nunes

    NUNES, Jorge Ramos, aluno do primeiro semestre do Curso de Teatro da Universidade de Brasília – UnB. Este artigo a Histeria e o Ressentimento é parte do livro Ressentimento, de Maria Rita Kehl, publicado em 2004 pela casa do Psicólogo, São Paulo. Neste a autora trata de um assunto bastante atual e mostra ao público o resultado de seus estudos sobre o tema, onde a mesma trata de como se apresenta a queixa ressentida na composição histérica...

    Por: Jorge Ramos Nunesl Educação> Ensino Superiorl 09/01/2011 lAcessos: 332
    Jorge Ramos Nunes

    NUNES, Jorge Ramos, aluno do primeiro semestre do Curso de Teatro da Universidade de Brasília – UnB. O Universo das Artes é o terceiro capítulo do livro Convite a Filosofia de Marilena de Souza Chauí, publicado 2000, pela Editora Ática, São Paulo. Em o Universo das Artes, Caeiro, um dos heterônimos de Fernando Pessoa, apresenta a arte de uma maneira ampla, detalhando exatamente o que é arte relacionada com a sociedade, a cultura, a religião, a técnica, filosofia, a natureza, e outros assuntos.

    Por: Jorge Ramos Nunesl Educação> Ensino Superiorl 09/01/2011 lAcessos: 1,232
    Jorge Ramos Nunes

    No Brasil e no mundo, a evolução histórica da Educação a Distância (EaD) é marcada pelo surgimento e dispersão dos meios de comunicação. Assim passamos pelo período do ensino por correspondência; passamos pela transmissão radiofônica e, depois, televisiva; utilizamos a informática até os atuais, como processos de utilização conjugada de meios - a telemática e a multimídia.

    Por: Jorge Ramos Nunesl Educação> Educação Onlinel 06/07/2010 lAcessos: 640
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast