O papel da leitura e da escrita na evolução do processo de aprendizagem

Publicado em: 13/11/2011 |Comentário: 0 | Acessos: 613 |

 

1  INTRODUÇÃO

        A importância da leitura e da escrita como pressuposto de um aprendizado significativo será o objeto de estudo nesta pesquisa, que, baseada no interesse de superar deficiências inerentes à aprendizagem, tem o intuito de rever procedimentos elaborados para diagnosticar e corrigir essas dificuldades no ensino.

        Para que se possa ensinar com mais autonomia, e exercitar efetivamente na escola a leitura e a produção textual, é preciso investigar novas maneiras e considerar um leque de sugestões relacionadas ao processo de aprendizagem.

       As possíveis indagações que permearam as discussões sobre      aprendizagem nesta pesquisa partem da teoria de Concepção Construtivista da formação da inteligência, criada por Jean Piaget. Juntamente, com as teorias de Emilia Ferreiro, que explica ideias sobre as influências ideológicas e políticas frente ao processo de aprendizagem. Também colaborarão nesta pesquisa os estudos a cerca da aprendizagem, realizados por Sigmund Freud.

      A coleta do material será feita em livros e autores que tratam deste assunto e que, darão assim, maior embasamento teórico a este trabalho.

 

2  O PAPEL DA LEITURA E DA ESCRITA NA EVOLUÇÃO DO PROCESSO DE APRENDIZAGEM

Nesta pesquisa, podem-se conhecer determinadas características do processo de aprendizagem referentes à leitura e a escrita. Assim como, as etapas evolutivas deste processo, apoiadas em algumas correntes de estudo, que disponibilizam ao pesquisador/educador um leque de sugestões, onde ele pode instrumentalizar e fundamentar suas práticas, reafirmando a importância delas no dia a dia em sala de aula.

 Para que se compreenda o objetivo deste estudo, torna-se imprescindível observar que a aprendizagem é, pois, colocada como aquisição em função do desenvolvimento intelectual de um indivíduo.Observar-se-á a leitura e a escrita como personagens centrais na evolução da aprendizagem, bem como, na evolução comunicativa e sociocultural. Certos processos ligados a estas práticas, tornam-se cada vez mais complexos, incluindo nesta complexidade o uso crescente de recursosmetodológicos e teorias, que servem de complemento às atividades interdisciplinares adotadas pela escola.

Também, se investigará alguns estágios do desenvolvimento, da capacidade de leitura e escrita entre crianças, e a influência do ambiente de aprendizagem no desenvolvimento cognitivo.

          De acordo com os estudos do epistemólogo suíço Piaget, o processo de aprendizagem considera assimilação e a acomodação, ou seja, se participa ativamente de acontecimentos, se assimila mentalmente informações sobre o ambiente físico e social e se transforma o conhecimento adquirido em formas de agir sobre o meio. Este saber assimilado constitui o conjunto de experiências que nos permite abordar diferentes situações, e pretende apontar para outras possibilidades de conhecimento, com o intuito de elaborar novas ideias e conceitos. O resultado destas novas aprendizagens refere-se as anteriores, desta maneira, o intelecto humano se desenvolve.

         A contribuição de Piaget a cerca do processo de aprendizagem, esclarece que a linguagem reflete a inteligência, porém não a produz.       Assim, para que se possa avançar no nível intelectual é preciso exercitar igualmente a leitura e a escrita. É necessário tomar uma atitude ante a dificuldade de leitura e compreensão, produção textual ou reprodução do mundo real, para que ocorra a ampliação do processo de aprendizagem, baseando-se na interrogação, na criação de hipóteses, na formulação de problemas, e na procura de caminhos coerentes, que o aluno vai se desvinculando das informações centradas no professor. Portanto, entende-se que é através do exercício da linguagem oral e escrita que se dá uma interação social eficiente.

       A Psicolinguista argentina Emilia Ferreiro, discípula de Piaget direciona este estudo para as considerações sobre o desenvolvimento cognitivo, uma vez que este é determinante no processo de aprendizagem, tendo a função de enriquecer o conteúdo do pensamento infantil.  Observando a teoria de Emilia Ferreiro, a qual esclarece que a criança precisa desde cedo ter acesso à diversidade de textos e ser colocada no papel de produtora de cultura, se pode refletir a respeito do papel da escola e do educador, frente à heterogeneidade do âmbito educacional, vista pela teórica como uma vantagem pedagógica. Esta autora destaca a importância de escutar a leitura dos textos em voz alta como forma de ampliar o sentido que está aprendendo sobre o processo de construção da escrita. Elementos como a entonação de voz, as pausas, a pontuação e o ritmo devem ser considerados pelo professor ao ler um texto, uma vez que a audição deve ser exercitada constantemente, ajudando os alunos na compreensão entre o som e a língua escrita.

          Segundo a teoria sobre afetividade elaborada pelo psicanalista austríaco Sigmund Freud, toda pulsão se exprime em dois registros, do afeto e da representação. O afeto é a expressão qualitativa da quantidade de energia pulsional e das suas variações.

A sugestão cognitiva da aprendizagem neste contexto relaciona-se a presença de estruturas que organizam os estímulos do conhecimento. A observação do comportamento, a qual apresenta a aprendizagem como um processo dinâmico que defini a variação do indivíduo e o aumento qualitativo na sua possível atuação sobre ela, sugere que as condições externas da aprendizagem são apresentadas como provocação que o meio propicia através de situações afetivas, sociais, econômicas e culturais em que o sujeito/aluno está inserido.

 Segundo esta corrente de estudo, o professor possui um papel crucial nas inter-relações escolares. Ele necessita estabelecer uma relação afetiva com os alunos, considerando que seus alunos também possuem informações a oferecer, e que a aprendizagem se dá por intermédio das interações que se estabeleceram. Através das atitudes do educador, o educando progredirá ou não em seu processo de aprendizagem, pois, o aluno que tem suas características valorizadas pelo professor, tende a aperfeiçoá-las a cada dia, enquanto aquele que se sente criticado ou discriminado tende a se afastar da situação e acaba por ver as expectativas negativas do professor.

      Portanto, nas observações da psicanálise, o profissional docente deve entender bem as possibilidades de aprendizagens do aluno e suas peculiaridades individuais, para que consiga adequar a metodologia de ensino ao aluno.  O conhecimento será feito por intermédio da interação e da comunicação, da observação constante de seus processos de aprendizagem e da reavaliação da proposta a cada nova fase do processo. 

O educador como mediador do processo deve ajudar ou facilitar os alunos a construir aprendizagens significativas e, para tal, precisa atribuir um sentido pessoal à aprendizagem para que os alunos compreendam não apenas o que têm de fazer, mas também por que e para quê.

 

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

  Partindo da premissa que o sujeito antes de ser alfabetizado, aprende a ler as coisas do mundo através de uma prática necessária para sua comunicação, se compreende que a leitura é à base da aprendizagem, e que a escrita é a manifestação de uma linguagem real, carregada de significados que provém de experiências existenciais.

      Portanto, um dos argumentos que objetivam esta pesquisa é a necessidade de aplicar as teorias e procedimentos que se referem à leitura e a escrita, na resolução de problemas do processo de aprendizagem, bem como, direcionar um novo olhar as maneiras de abordá-las em sala de aula.                                               

     Ao considerar que a leitura dos objetos e das coisas foi sempre fundamental para o sujeito, este estudo entende o ato de ler, de escrever e de reescrever como dispositivos essenciais do conhecimento, construtores do processo de aprendizagem, que permitem ao educador o esclarecimento de dúvidas pertinentes no ensino.

     A realização desta pesquisa justifica-se ainda, pelas bases teóricas que a motivaram, como os estudos de Sigmund Freud, que explicam que para desenvolver o gosto pela leitura o sujeito precisa encontrar significados presentes em suas ações e desejos. E a ideia piagetiana de estrutura lógica, que neste caso, sugere a escrita como um instrumento baseado em símbolos, utilizado pelo sujeito para identificar e significar sua realidade.

 

  REFERÊNCIAS

BONAT, Débora. Metodologia da pesquisa. Curitiba: IESDE, 2005.

DE LAJONQUIERE, Leandro. De Freud a Piaget: Para Repensar as Aprendizagens. 13 ed. Vozes: São Paulo, 1992.

FERREIRO, Emilia. O Passado e o Presente dos Verbos Ler e Escrever. Cortez: São Paulo, 2002.

PIAGET, Jean. Nascimento da Inteligência na Criança. 4. ed. LTC: São Paulo, 1987.

KATO, Mary (1985): O Aprendizado da Leitura. São Paulo: Martins Fontes.

ROLIM, Maria do Carmo Marcondes Brandão. Manual de apresentação de trabalhos acadêmicos.

Curitiba: IESDE, 2004.

KLEIMAN, Ângela, e MORAES, Sílvia E. (2003): Leitura e interdisciplinaridade. Tecendo redes nos projetos da escola.

Campinas, SP: Mercado de Letras. 3ª. Edição

ORLANDI, Eni P. (2004): Cidade dos Sentidos. Campinas, SP: Pontes.

— (2005): Discurso e Texto – Formulação e circulação dos sentidos. Campinas, SP: Pontes. 2ª. Edição.

— (2000): Análise do Discurso – Princípios e Procedimentos. Campinas, SP: Pontes.

— (1999): Discurso e Leitura. 4ªed. São Paulo: Cortez; Campinas, SP: Editora da Unicamp.

PÊCHEUX, Michel (1988): Semântica e Discurso – Uma crítica à afirmação do óbvio. Tradução de Eni P. Orlandi et al.

Campinas, SP: Editora da Unicamp.

MIRAS, M. Afetos, emoções, atribuições e expectativas: o sentido da aprendizagem escolar. In: COLL, C. et. al.  Desenvolvimento Psicológico e Educação: Psicologia da educação escolar. 2.ed. Porto Alegre: Artmed, 2004. p. 211.

OLIVEIRA, G. A Transmissão dos Sinais Emocionais Pelas Crianças. In: Sisto, F. ;

Martinelli, S. Afetividade e Dificuldades de Aprendizagem: uma abordagem psicopedagógica. 1. ed. São Paulo: Vetor, 2006. p. 78-80

 

 

 

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-infantil-artigos/o-papel-da-leitura-e-da-escrita-na-evolucao-do-processo-de-aprendizagem-5390350.html

    Palavras-chave do artigo:

    palavras chave leitura

    ,

    escrita

    ,

    teorias

    Comentar sobre o artigo

    Paulo Cesar Cabral Correia

    RESUMO A prática para incentivar o hábito da leitura e a formação de leitores, é um processo que ainda visualizamos como um sonho muito distante, quase uma utopia, pois as pedras no meio do caminho que nos dificultam a chegada do sucesso na formação de leitores com capacidade de interpretar um texto e ir além da mera decodificação das palavras sem nexo e descontextualizadas é árduo, mas não impossível.

    Por: Paulo Cesar Cabral Correial Educação> Línguasl 16/05/2010 lAcessos: 4,707

    demonstrar a importância das diversas formas de leitura na obtenção de coletas de dados em uma pesquisa

    Por: Jorge Rocha Gonçalvesl Educação> Ensino Superiorl 12/07/2010 lAcessos: 617

    RESUMO Este artigo foi realizado pelas alunas do 7º semestre do curso de Letras português/espanhol do Centro Universitário _UNIVAG, realizado durante o estágio supervisionado, ma Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio “Profº Nilo Povoas”, no município de Cuiabá_mt. As perspectivas são: questões de linguagem a serem trabalhadas no ensino Línguas estrangeiras como uma habilidade básica descontextualizada; concepção de linguagem como prática social imersa em condições locais (letramento). As divergências encontradas referem-se: ao conceito de alfabetização/letramento, ao potencial atribuído à alfabetização para o desenvolvimento nacional e melhoria das condições sociais, à possibilidade de uma medida padronizada válida das habilidades de alfabetização, e ao poder do contexto na determinação do letramento como uma prática estável.

    Por: Marta Nunes e Sirleide Carvalhol Educaçãol 21/08/2009 lAcessos: 1,934
    Vilma, Magna , Samara

    Resumo O cenário educacional brasileiro sempre foi um caso a se refletir em especial se o que esta na teoria tão presente em nossas universidades também se encontra na prática. O objetivo do presente trabalho é refletir sobre o processo de alfabetização enfocando os aspectos da oralidade, da leitura e da escrita, baseando-se em uma observação realizada em uma escola da rede pública da cidade de Fortaleza. Buscamos apresentar concepções teóricas articulando-as com o trabalho realizado pela educadora de uma turma do 1º ano, refletindo sobre a importância e o papel que a família e a sociedade desempenham no processo de construção e desenvolvimento de uma aprendizagem significativa para a vida e para a sociedade.

    Por: Vilma, Magna , Samaral Educação> Línguasl 04/10/2009 lAcessos: 12,084 lComentário: 3

    Socialização da criança, leitura e escrita diz respeito a interação social e aprendizagem. Esse trabalho teve como principal interesse mostrar e compreender a socialização e interação social de crianças. Explicando o processo de desenvolvimento social, além de mostrar que algumas atividades e fatores proporcionam uma melhoria no processo de leitura e escrita. Verificando, através de questionários e entrevistas, que fatores inatos e sociais interferem no aprendizado.

    Por: Natália Menezes Rosal Educação> Educação Infantill 04/10/2011 lAcessos: 638

    RESUMO - O ensino-aprendizagem em produção de texto através da leitura, leva o aluno a refletir o quanto essas atividades são essenciais para o desenvolvimento de sua capacidade comunicativa,tanto no que se refere ao domínio básicos da linguagem, quanto a ter uma postura crítica diante da realidade sobre diversos fatores que o cercam.

    Por: DEUZAIDE MENESES RAMOSl Educação> Línguasl 14/05/2012 lAcessos: 781

    Através da leitura testamos nossos próprios valores e experiências com os outros, a leitura é um dos principais instrumentos para que o individuo construa seu conhecimento e aprenda a exercer cidadania, daí a importância de despertar o prazer pela leitura nas crianças das séries iniciais. Esse trabalho deve ser feito em conjunto, pais crianças e professores. cada um destes tem um papel fundamental na construção desse novo leitor.

    Por: Aurilene f. barros rodriguesl Educação> Educação Infantill 24/11/2011 lAcessos: 7,774

    ESTE ESTUDA FAZ UMA ABORDAGEM DOS PROBLEMAS PRESENCIADOS POR NÓS, PROFESSORES DE MATEMÁTICA, COM NOSSOS ALUNOS NA QUESTÃO DA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS MATEMÁTICOS ENVOLVENDO A LEITURA E A INTERPRETAÇÃO DOS EXERCÍCIOS PROPOSTOS TANTO DE FORMA ESCRITA QUANTO DE FORMA FIGURADA FIGURADA.

    Por: MARCEL A. DA SILVAl Educação> Educação Onlinel 19/06/2011 lAcessos: 1,229
    Evilasio Ferreira de Sousa

    Aprender a ler o mundo é uma prática fundamental, a leitura e a escrita e uma pratica que contribui para a formação de cidadãos capazes de enfrentar a dominação econômica,social,cultural. Quando começamos a organizar os conhecimentos adquiridos, a partir das situações que a realidade impõe então estamos procedendo à leitura; A linguagem tem como objetivo principal a comunicação sendo socialmente construída e transmitida culturalmente. Portanto, o sentido da palavra instaura-se no contexto, apar

    Por: Evilasio Ferreira de Sousal Educação> Educação Infantill 18/10/2011 lAcessos: 2,513
    Olírio Amaro Rocha Neto

    Aparentemente a homilética não tem uma relação direta com o ato de orar ou fazer preces, mas certamente a oração tem um papel fundamental na evolução do ser humano, especialmente porque ela nos ajuda a amadurecer as emoções e a desenvolver em praticamente todos os campos da vida.

    Por: Olírio Amaro Rocha Netol Religião & Esoterismo> Religiãol 29/01/2014 lAcessos: 114

    O presente artigo aborda o sistema de ensino de língua portuguesa envolvendo o aluno com dislexia e os professores que atuam na 5º serie, no contexto educacional de nível fundamental II.Visa investigar, as metodologias adotadas em sala nas aulas de língua portuguesa e se são suficientes para proporcionar aulas apropriadas quão grandemente necessárias, para contemplar as especificidades do aluno disléxico, de maneira a assegurar o seu aprendizado.

    Por: Taynara Freitas de Souzal Educação> Educação Infantill 22/10/2014

    As conexões entre brincar, aprender e ensinar são perceptíveis quando o educador consegue conciliar os objetivos pedagógicos com os objetivos dos alunos. Ensinando a aprender contribuindo para o desenvolvimento da subjetividade, para a construção do ser humano autônomo e criativo, preparando para o exercício da cidadania e da vida coletiva incentivando a buscar justiça social e igualdade com o respeito à diferença.

    Por: Rosana Maciel Averl Educação> Educação Infantill 12/10/2014 lAcessos: 28

    Este artigo tem como objetivo apresentar a pesquisa sobre o impacto do programa escola da família na vida de crianças e adolescentes da Escola Vicente Minicucci na cidade de Franca . A pesquisa foi desenvolvida na Escola Estadual Vicente Minicucci, na cidade de Franca - SP. Seguindo os métodos de observação e questionário aplicados aos responsáveis e participantes do programa. Foi possível perceber que esse programa tem sido de suma importância pelo fato de tirar as crianças da rua, lugar

    Por: Leticia Oliveiral Educação> Educação Infantill 06/10/2014 lAcessos: 21

    Neste artigo apresentamos os resultados da pesquisa realizada na instituição Chácara Sorriso, na cidade de Patrocínio Paulista, na Av. Ronan Rocha. Onde destacamos a importância da música na aprendizagem e desenvolvimento sócio cultural da criança e do adolescente. O nosso objetivo foi trabalhar com a música, levando em conta aspectos histórico e sócio cultural, com o intuito de levar às crianças e aos adolescentes da instituição uma reflexão de cada música e do que elas representam em suas vida

    Por: Josianel Educação> Educação Infantill 28/09/2014 lAcessos: 40
    Zilda Ap. S. Guerrero

    A prática pedagógica do ensino de Ciências nas fases iniciais á formação autoral dos alunos como protagonistas de projetos vinculados á harmonia entre o homem e natureza de forma a construir um perfeito equilíbrio entre ambos. Portanto, as aulas de Ciências devem destacar o caráter de empresa vital, humana, fascinante, indagadora, aberta, promoção da argumentação criativa e analítica, a fim de comprovarem a veracidade da atividade científica, ou discordarem, promovendo teses, novos experimentos.

    Por: Zilda Ap. S. Guerrerol Educação> Educação Infantill 28/09/2014 lAcessos: 11
    Fagner Vieira

    Muito se fala sobre elas, sobre vestibulinho, curso técnico, empregabilidade e etc. Mas você sabe quanto ganha um técnico? Sabe como e onde se inscrever numa ETEC? Este artigo reúne em nove tópicos, todas as informações sobre vagas, vestibulinhos e resultados de provas. Aqui você também vai encontrar links, a unidade mais próxima de você e estatísticas.

    Por: Fagner Vieiral Educação> Educação Infantill 27/09/2014 lAcessos: 19

    No presente artigo apontaremos a indisciplina na Educação Infantil pelos docentes como um dos principais obstáculos ao trabalho pedagógico. O objetivo deste trabalho é tentar resgatar alguns aspectos da postura do professor em relação à manipulação e a falta de limites das crianças. Definir limites com os alunos, deixar claro o que é possível ser feito e em que situações eles poderão ser cobrados só auxilia em seu crescimento pessoal e em suas atividades estudantis.

    Por: Sandra Maria dos Reis Bernardol Educação> Educação Infantill 26/09/2014 lAcessos: 49

    O presente artigo discute a importância da participação da família no processo educacional da criança na Educação Infantil. O artigo desenvolvido tem como objetivo discutir a importância da família na educação da criança, tanto no ambiente social da escola como no ambiente familiar, focalizando assim, o papel da família nesse processo.

    Por: Sandra Maria dos Reis Bernardol Educação> Educação Infantill 26/09/2014 lAcessos: 52
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast