Os Jogos Nas Aulas De Educação Física

Publicado em: 19/04/2010 |Comentário: 5 | Acessos: 10,059 |

OS JOGOS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA

 THE GAMES IN THE PHYSICAL EDUCATION CLASSES

 

                                                                                          Joaquim Rangel Lucio da Penha ¹

                              

 

RESUMO                                                                                                                                   

 Os jogos são constituídos de maneira autônomas em relações as crianças, e ainda ajuda a desenvolver as suas capacidades físicas e motoras, com isso, ele se torna cada vez mais cômodo para as crianças, por que é através dos jogos que as crianças melhoram sua coordenação motora e física e reforçando a sua auto-estima.O referente artigo tem como objetivo promover a participação de diferentes formas em ações que possam melhorar a qualidade de vida das crianças, possui ainda o caráter educacional, auxiliando na afirmação dos valores imprescindíveis à convivência social.Justifica-se pela necessidade de valorizar os jogos na educação física escolar. Para a realização da pesquisa adotou-se como elemento investigativo consultas bibliográficas a autores citados a temática em foco. Os jogos desta forma compreendem as atividades espontâneas, prazerosas e criadoras, que a criança busca para melhor ocupar o seu tempo livre.

Palavras chave: Qualidade; Coordenação e Prazerosas

 

 ABSTRACT                                   

he games they are constituted in an autonomous way in relationships the children, and it still helps to develop your physical and motive capacities, with that, he becomes more and more comfortable for the children, why is through the games that the children improve your motive and physical coordination and reinforcing yours solemnity-estima.O referring article has as objective promotes the participation in different ways in actions that can improve the quality of the children's life, it still possesses the educational character, aiding in the statement of the indispensable values to the coexistence social.Justifica-if for the need to value the games in the school physical education. For the accomplishment of the research it was adopted as element investigativo bibliographical consultations to mentioned authors the thematic in focus. The games this way understand the activities spontaneous, pleased and creative, that the child looks for for best to occupy your free time.                                       Words key: Quality; Coordination and Pleased 

 

 

INTRODUÇAO

          Tendo em vista que os jogos têm sido considerados um dos fatores muito importante para a ludicidade infantil e observando-se que a mesma envolve a criança de forma educativa interagindo com o meio, o presente artigo trata sobre esta pratica no sentido de ter uma visão mais abrangente dos jogos na educação física, e mais especificamente no desenvolvimento das crianças.                                                                        

            Como os jogos estão presentes desde épocas remotas, tem um papel fundamental no desenvolvimento motor da criança, contribuindo principalmente no fortalecimento do organismo e melhorando as habilidades que são úteis para a vida das crianças que praticam mais abrangente dos jogos na educação física, e mais especificamente no desenvolvimento das crianças. Como os jogos estão presentes desde épocas remotas, tem um papel fundamental no desenvolvimento motor da criança, contribuindo principalmente no fortalecimento do organismo e melhorando as habilidades que são úteis para a vida das crianças que praticam educação física.                                   

               A pratica dos jogos leva as crianças a ter um estimulo para a criatividade, um beneficio para a formação pessoal e para as relações sociais dando lugar à liberações de tenções da vida cotidiana, resgatando os valores essenciais para a sua auto-estima. Portanto os jogos estão sempre estimulando a lucidez e o prazer entre crianças, proporcionando motivações onde é trabalhada a coordenação motora, fazendo com que a criança evolua cada vez suas ações.

                Os jogos são um meio onde a criança passa a desenvolver sua personalidade, quando a criança joga opera com significado suas habilidades motoras, o que faz desenvolver sua vontade e ao mesmo tempo torna-se consciente das suas decisões. Entretanto, os jogos e brincadeiras sempre contribuíram e influenciam na vida de uma criança fazendo com que ela tenha capacidade motora em tudo que faz, dando a ela mais criatividade e muita curiosidade em suas habilidades. E por meio das brincadeiras que as crianças se envolvem no jogo e sente a necessidade de partilhar com as outras. Ainda que em postura de adversário, e a parceria é um estabelecimento de relação. Esta relação expõe as potencialidades dos participantes, afeta as emoções e põem a prova às aptidões testando limites. Brincando e jogando a criança terá oportunidade de desenvolver capacidades indispensáveis a sua futura atuação profissional.   

               Os jogos estão presentes em todas as fases da vida dos seres humanos, tornando especial a sua existência. De alguma forma o lúdico se faz presente e acrescenta um ingrediente indispensável no relacionamento entre as pessoas, possibilitando que a criatividade aflore.

 

O QUE É JOGO?                                                                                                               

           Para Huizinga,( 1999, p.33 ), "Jogo é uma atividade ou ocupação voluntaria, exercida dentro de certos e determinados limites de tempo e espaço, segundos regras livremente consentidas, mas absolutamente obrigatórias". Sendo assim, os jogos têm suas regras flexíveis, sendo muitas vezes adaptados de acordo com o espaço existente, com os materiais disponíveis, número de alunos, e além de apresentar um caráter competitivo como o esporte, dispõe também de caráter cooperativo, recreativo, lúdico em situações de confraternização ou simplesmente como diversão e passatempo. Segundo Gadamer (2002, p. 175), "aquele que joga sabe, ele mesmo, que o jogo é apenas jogo, e que se encontra num mundo que é determinado pela seriedade dos fins.Mas isso não sabe na forma pela qual ele, como jogador imaginava essa relação com a seriedade". Portanto o jogo deve ser ao mesmo tempo, lúdico, dinâmico e serio. Porque o ser do jogo se envolve completamente ao ambiente de alegria em que estar lhe proporcionando prazer em esta obedecendo determinadas regras que compõe o jogo. 

              O jogo ajuda-o a construir novas descobertas, desenvolve e enriquece a personalidade dos alunos e simboliza um instrumento pedagógico que leva o professor a condição de condutor, estimulador e avaliador da aprendizagem. Os jogos podem ser motivadores e por isto é um instrumento muito poderoso na estimulação da construção do raciocínio, o desafio proporciona o aluno a busca de soluções ou de formas de adaptação a situações de problema.

 

ORIGEM DOS JOGOS

                A palavra jogo se origina do vocábulo latino ludus, que significa diversão, brincadeira. Jogos são construídos em determinado momento da história, a partir de diferentes estímulos e necessidades, e são incorporados a determinadas culturas. Pois, desde os mais remotos tempos, quando a espécie humana surgiu no planeta, nasceu junto a ela uma necessidade vital para seu crescimento intelectual: jogar.                                                            

               Para  Kishimoto (1992, p 25), "Não se conhece a origem dos  jogos. Seus criadores são anônimos. Sabe-se, apenas, que são provenientes de práticas abandonadas por adultos, de fragmentos de romances, poesias, mitos e rituais religiosos". Os jogos estão presentes desde épocas mais remotas, podendo ser encontradas em todos os lugares e em diferentes sociedades. E é fato que povos antigos como os da Grécia e do Oriente brincaram de amarelinha, empinavam papagaios, jogar pedrinhas e até hoje as crianças o fazem quase da mesma forma. Tais jogos foram transmitidos de geração em geração através dos conhecimentos empíricos e permanecem na memória infantil.                                                   

               Mais um dos momentos muito importante para o desenvolvimento dos jogos , foi durante as grandes navegações, quando culturas diferentes se encontravam e trocavam informações sobre jogos, motivo a qual se proliferaram pelo mundo todo.

TIPOS DE JOGOS                                                                                           

            O jogo não deve ser um dos aspectos dominantes na vida de uma criança, e sim, como fator de desenvolvimento por estimular a criança a pensar e fazer com que ela passe agir independentemente, nas escolhas e decisões. Para Chatean (1996, p. 82), "o jogo é uma pratica humana essencial, que contribui para a evolução do individuo estabelecendo relações de equilíbrio entre eles e realidade que o cerca."                                           

            Segundo lino de Marcedo (1995), in Piaget propõe que todos os jovens devem ser estruturados basicamente seguindo três formas: Exercício, símbolo e regras.  Livro propõe que,"embora essas três formas de jogo evoluam gradativamente no desenvolvimento da criança, todos os jogos contem características das três formas"  Assim Tavares e Souza (1996, p.49-52), classificam os diversos tipos de jogos que são praticados em vários ambientes e em diversas formas:

         Jogos Sensoriais:   São jogos destinados aos estímulos dos sentidos humanos. O cérebro tem papel fundamental no processo perceptivo dos alunos, pois os sistemas sensoriais se processam nele. Trabalham também os sistemas sensoriais do tato, da audição e da visão. Estes jogos estão sujeitos a alterações conforme o desenvolvimento dos alunos, faixa etária, disponibilidade de materiais entre outros.                                                                                         

          O jogo deve propiciar um clima de segurança, confiança e descontração onde os alunos se sintam a vontade. Deve se evitar qualquer tipo de situação que desvalorize o esforço e o desempenho dos alunos. Todo movimento envolve um elemento de consciência que percebido de algum tipo de estimulo sensorial. O desenvolvimento da percepção do individuo depende em parte da atividade motora. Todos os movimentos envolvem o uso de um ou mais sistema sensorial. Então, já que a percepção e habilidade motora estão sempre muito próximas, torna-se um ótimo jogo para se trabalhar na escola.                                    

Jogos de Representação: São os jogos que promovem o desenvolvimento da capacidade de expressão através da linguagem corporal.É um jogo onde o jogador interpreta um personagem com narrativa criado por ele mesmo. Nesse jogo, utiliza a inteligência , a imaginação, o diálogo para, em colaboração com os demais partícipes, buscar alternativas que procuram encontrar para o objetivo do jogo. O jogo é um trabalho a ser resolvido cooperativamente, e isso é algo que fascina o aluno. A proposta deste jogo é desenvolver a imaginação sem competições, mais resolvendo em conjunto determinadas situações estabelecidas pelo professor.                                                         

Jogos Cooperativos: Nos jogos cooperativos as regras são feitas ou criadas num ambiente restrito ou até mesmo de imediato. Geralmente, os jogos têm poucas regras e estas são simples. Pode envolver um jogador sozinho ou dois ou mais jogando cooperativamente. Os jogos devem ser disputados como uma forma de lazer, sem que os participantes enfoquem na competição a vitória como ponto essencial.                                                                                                                                                           Segundo Schwartz (2002), "acriança é automotivada para qualquer prática, principalmente a lúdica, sendo que tendem a notar a importância de atividades para o seu desenvolvimento, assim sendo, favorece a procura pelo retorno e pela manutenção de determinadas atividades". A criança não se importa se está indo bem ou mal em uma atividade, o que importa para ela é saber se está tendo prazer ou não em determinada atividade.                                                                                                        

   Para Orlick (1989). "O objetivo primordial dos jogos cooperativos é criar oportunidades para o aprendizado cooperativo e a interação cooperativa prazerosa". Os jogos cooperativos são aqueles em que todos os grupos colaboram combinando as diferentes habilidades para conseguir um só objetivo comum, todos ganham ou todos perdem caso não consigam alcançar o objetivo proposto. Esses jogos transmitem e potenciam valores através do qual se estrutura um determinado tipo de pessoa, com relações entre os jogadores de uma forma que todos entendam o verdadeiro objetivo, que é a diversão e cooperação.                                                                                                                                                        

              Os jogos cooperativos podem ser divididos em categorias que vem a facilitar o trabalho na escola, são: Jogos cooperativos sem perdedores: todos jogam com um desafio comum. Jogos de resultado coletivo: são jogos em que pode haver equipes, porém o resultado será comum a todas. Jogos de inversão: estes jogos promovem a noção de interdependência. Os participantes são levados a mudar de equipe conforme se desenvolve o jogo. Tipos de inversão: rodízio, goleador, placar, total. Jogos semi-coletivos: estes jogos são adaptações dos jogos esportivos e promovem a participação total dos jogadores, bem como a co-educação.                                                                                                              

  Jogos Populares: São aqueles conhecidos como jogos de rua, onde seus participantes podem ser alternados, decididos pelos próprios jogadores, com flexibilidade nas regras, e sem exigir recursos mais sofisticados pois sua origem estar na cultura popular. O jogo popular é uma riqueza cultural grande que precisa ser conhecida e preservada. A cultura é vida e, compete-nos a todos mantê-la viva. Os jogos, como elemento da nossa cultura, têm de manterem-se vivos também e de fazer parte do nosso quotidiano, com um calendário próprio e adequado ao seu caráter e ao nosso quotidiano moderno.                                                                    

              Os jogos populares contribuem para o desenvolvimento da criança de várias formas, como na socialização, no resgate da cultura , e na inclusão e no incentivo às manifestações folclóricas que fazem que a criança aprenda mais sobre o saber popular a sua cultura nas escolas incentivam cada vez mais a educação e a cultura, que são os pilares que constituem o ponto de partida para a formação do individuo.                                                                         

 Jogos Coletivos: Segundo Kishimoto "o jogo coletivo é uma necessidade para a criança. O desejo de convivência, o instinto associativo, a vontade de fazer parte de um grupo, é força dinâmica da vida".                                                                                                           

             Diante disso, é de muita importância para o desenvolvimento cultural do aluno, a vivência de brincadeiras e jogos, pois através deles será possível fazer uma reflexão da cultura corporal em que se vive. E durante as práticas de jogos os alunos podem se preparar para as tarefas que mais tarde a vida exigirá.                                                                                              

  Para Mertens & Musch (1990),

 Apresentam uma proposta para o ensino dos jogos coletivos, tomando como referência a idéia do jogo, no qual as situações de exercícios da técnica aparecem claramente nas situações táticas, simplificando o jogo formal para jogos reduzidos e relacionando situações de jogo com o jogo propriamente dito.

             Essa forma de jogo deve preservar a autonomia dos praticantes, respeitando-se o jogo. Sendo assim, devem-se manter as estruturas de cada modalidade; a finalização, a criação de oportunidades para o drible, passe, e lançamentos nas ações ofensivas.

 

OS JOGOS COMO PRÁTICA PEDAGOGICA                                   

            Segundo os PCNs (1997, p. 64), "jogo é atividade de ocupação de espaço devem ter lugar de destaque nos conteúdos, pois permite que se amplie as possibilidades de se posicionar melhor e de compreender os próprios deslocamentos". Transformando a realidade da escola em um ambiente agradável de estar e aprender mudando a pratica pedagógica, com atividades que valorizem a experiências e desejo dos alunos, utilizando jogos que crie oportunidade para o desenvolvimento físico, moral e intelectual.                                                    

           Os jogos são utilizados como componente curricular por várias disciplinas, mas é na disciplina de Educação Física, que este, se destaca através da realização dos Jogos Esportivos. Fazendo um papel de destaque na Educação Física escolar. Para Castellani Filho (1998), "a Educação Física, enquanto disciplina curricular tem o objetivo de tratar pedagogicamente os conteúdos da cultura corporal e permitir aos alunos o conhecimento e a análise crítica desses conteúdos".                                                                          

         Freire (1992), "afirma que se o contesto for significativo para o aluno, o jogo, como qualquer outro recurso pedagógico, tem conseqüência importante no desenvolvimento do aluno". Para conseguir este desenvolvimento com o aluno certamente, os jogos, as atividades lúdicas e as brincadeiras parecem ter cada vez mais o seu lugar, entre as atividades.                                                                                                                                                                                        Paes (2001), afirma que:

  A função básica é assegurar a prática no processo ensino-aprendizagem, com seus objetivos voltados para uma atividade motivadora , reforçada pelos conteúdos desenvolvidos pedagogicamente, respeitando-se as fases do desenvolvimento humano.

.        Com isso o aluno passa por um processo fazendo, uma nova relação com a inteligência humana podendo contribuir para novos conhecimentos.

 

CONTRIBUIÇAO DOS JOGOS PARA SEUS PARTICIPANTES            

           Os jogos contribuem muito na inclusão dos participante dos jogos traz muito mais benefícios que um simples momento de diversão. Quando se alia os jogos a outras atividades que os estudantes realizam no dia-a-dia, o rendimento tende sempre a melhorar. Eles ganham mais disciplina e aprendem a respeitar os colegas.                                                                       

           De acordo com Jean Piaget (1975, p.84), "o jogo favorece um equilíbrio afetivo na medida em que é uma atividade pelo prazer e tem como finalidade a afirmação do eu".Podemos perceber que, o prazer lúdico é uma expressão afetiva de toda aprendizagem que o jogo possa desenvolver. Segundo Schwartz (2000), "a dimensão lúdica e estética abre possibilidades para estimular a formação de indivíduos construtores ativos de suas culturas". Mais para isso é necessário que o jogo seja utilizado de maneira que auxilie nas mudanças de atitudes, buscando e incentivando o que é necessário ao ser humano.Podendo favorecer a autonomia dos alunos para monitorar as próprias atividades, regulando seus esforços, traçando metas, conhecendo as potencialidades e limitações e sabendo distinguir situações de trabalho corporal que podem ser prejudiciais.

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS                                                                                 

             Os jogos oferecem numerosas situações nas quais as crianças podem enfrentar o ambiente social, aprendendo e experimentando novas formas de comportamento. As atividades recreativas não acontecem apenas na escola, sabemos que elas se desenvolvem em qualquer lugar, onde as crianças passam a conhecer melhor as suas habilidades, seja qual forem os jogos praticados.                                                                                                           

            Os jogos propõem a criança benefícios para a sua coordenação motora, alem de desenvolver a afetividade no desenvolvimento dos praticantes, para buscar a autoconfiança e a iniciativa. Por tanto é necessário lembrar e valorizar nas crianças uma auto-imagem positiva. Os jogos devem ser sempre incorporados ao cotidiano da criança constituindo um importante caminho para o crescimento pessoal e social da criança. Neste contexto, faz necessário afirmar que os jogos devem associar o corpo e emoção, na consciência, na busca do prazer.                                                                                  

            Portanto, os jogos são muito importantes no cotidiano das crianças e devem ser transmitida de maneira espontânea e criativa, promovendo a elas um prazer e diminuindo tensão em seu meio de convivência.

 

______________________                                                                                                 NOTAS                                                                                                                                      1 Graduando do curso de Educação física de Universida Estadual Vale do Acaraú-UVA.                                         

 

 REFERÊNCIAS

BRASIL Ministério da Educação. Parâmetros curriculares nacionais – Educação Física. Brasília, 1998.

CASTELLANI F. L. Educação física no Brasil: história que não se conta.  Campinas, papirus, 1994.

CHATEAU, J. A criança e o jogo, Coimbra, atlântica, 1995.

FREIRE, J.B. Educação de corpo inteiro. São Paulo: scipione, 1992.

 

GARDAMER, H.G..Verdade e método: traços fundamentais de uma bermeneutica filosófica. Petrópolis, Vozes. 2002.

 

HUIZINGA, J. O jogo como elemento da cultura. São Paulo, perspectiva. 1999.

KISHIMOTO, T. M. O jogo e a educação infantil. São Paulo; pioneira, 1992.

MARCEDO, L. Jogos e sua importância na escola, São Paulo, pioneira 1995.

MUSCH. E. A.; MERTENS, B. L'enseignement des sports collectifs:une concéption elaborée à I ISEP de 1.ª Université de Gand, Révue de l'education phisique, 1991.

ORLICK, T. Vencendo a competição. São Paulo; círculo do livro, 1989.

PAES, R.R. Aprendizagem e competição precoce:"O caso do Basquetebol", Universidade Metodista de Piracicaba: Dissertação de Mestrado, 1989.

SCHWARTZ, G. M. Emoção, aventura e risco - A dinâmica metafórica dos novos estilos. In: Burgos, M.S.; Pinto, L.M.S. (Org.). Lazer e estilo de vida. 01 ed. Santa Cruz do Sul, 2002.

__________________ As dimensões estética e ludica e as interfases do lazer .Santa cruz do Sul, 2000.

TAVARES, M. e Souza J. M. O jogo como conteúdo de ensino para a prática pedagógica da educação física na escola. In revista Corporis. VI, N° 1, Recife, 1996. 

Avaliar artigo
4
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 20 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-infantil-artigos/os-jogos-nas-aulas-de-educacao-fisica-2183696.html

    Palavras-chave do artigo:

    qualidade coordenacao e prazerosas

    Comentar sobre o artigo

    Este artigo apresenta o curso de formação de professores nas tecnologias de linguagens audiovisuais produzido pela SEED/MEC e Unirede. Descreve sua organização estrutural, caracteriza as edições, evidencia os desafios e avanços a cada edição, ressalta os aspectos que redimensionaram o curso visando atender às diferenças regionais e pontua os ganhos dos professores cursistas no processo de formação.

    Por: Maria Amabia Viana Gomesl Educação> Educação Onlinel 10/09/2010 lAcessos: 863 lComentário: 2
    Pr. Suedem Medeiros

    Avaliar é dinamizar oportunidades de auto-reflexão, num acompanhamento permanente do professor. O professor deve assumir a responsabilidade de refletir sobre toda a produção do conhecimento do aluno, promovendo o movimento, favorecendo a iniciativa e a curiosidade no perguntar e no responder, construindo assim, novos saberes junto com o aluno.

    Por: Pr. Suedem Medeirosl Educação> Ensino Superiorl 03/12/2009 lAcessos: 7,920
    Psicopedagoga

    Este artigo busca relatar alguns relevantes aspectos da experiência do autor no campo da Psicopedagogia institucional e da profissão de policial, considerando a experiência nesse processo. A partir de uma breve discussão sobre competências e habilidades em Psicopedagogia, e sobre a construção do olhar do psicopedagogo, no trabalho do policial militar, de modo a tecer algumas idéias sobre os profissionais da área de segurança pública na prevenção e no controle da violência e da criminalidade.

    Por: Psicopedagogal Educaçãol 27/06/2009 lAcessos: 2,026 lComentário: 2
    Iara Silvia Arfelli Martins

    O presente artigo demonstra os níveis de hipótese de escrita, e como pensa a criança durante o seu caminhar em relação a aprendizagem da língua. As hipóteses em que elas acreditam em momentos de construção que vão levá-las a novas descobertas e em formulações de novas hipóteses e assim uma hipótese ira sucedendo a outra até a plena construção.

    Por: Iara Silvia Arfelli Martinsl Educaçãol 20/09/2009 lAcessos: 5,835 lComentário: 4
    Elias Ribeiro Tork Filho

    O presente artigo apresenta como objetivo investigar a práxis pedagógica da Educação Física na 1ª Etapa da Educação de Jovens e Adultos (EJA), especificamente as dificuldades do professor em ministrar aulas à clientela da EJA. Pois, sabe-se que a Educação Física Escolar a partir da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, Lei 9.394/96, apresenta-se como componente curricular obrigatório da educação básica. Com isso, analisa-se que a EJA ao fazer parte da educação básica precisa que o prof

    Por: Elias Ribeiro Tork Filhol Educação> Ensino Superiorl 17/12/2013 lAcessos: 104

    Este trabalho toma como percurso a descrição da prática docente na utilização dos jogos tradicionais, em instituição particular, na cidade de Salvador-Bahia. As discussões estão pautadas em Kishimoto; Friedmann; Chateau; Freire; Piaget e Vigotsky. Partindo do pressuposto de que se as aprendizagens são variadas, é necessário que o professor esteja em constante renovação e reflexão de sua prática, para que alcance as necessidades da criança.

    Por: Geraldo Francisco dos Santosl Educação> Educação Infantill 22/04/2011 lAcessos: 6,996 lComentário: 1
    Tania Maria da Silva Nogueira

    Esta pesquisa trata-se de um estudo qualitativo e visa investigar a motivação dos alunos em uma escola pública do Distrito Federal, Centro de Apoio Integral à Criança Santa Maria - CAIC, quanto as suas produções artísticas, assim como a dinâmica de incentivo oportunizada a estes alunos diante da realização de trabalhos desenvolvidos no âmbito escolar com a exposição desses trabalhos na comunidade escolar. Para viabilizar esse estudo, utilizou-se a entrevista por meio de roteiro de pesquisa com o

    Por: Tania Maria da Silva Nogueiral Educação> Ensino Superiorl 05/03/2014 lAcessos: 40
    Joaquim Rangel Lucio da Penha

    Esse trabalho foi realizado durante 1 ano, com um grupo da terceira idade PASF – Projeto de Atividades Física e Saúde em Nova Betânia – Farias Brito- Ce. Onde temos 40 participantes com idade igual ou superior a 60 anos. O método realizado foi através de coleta de dados inicial e final, com o objetivo de alem de proporcionar uma melhor qualidade de vida aos participantes do projeto através de atividades físicas, mostra os resultados satisfatórios como forma de incentivo para prática de atividade

    Por: Joaquim Rangel Lucio da Penhal Saúde e Bem Estarl 20/01/2011 lAcessos: 648
    Marcelo Gomes González

    Os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs), foi um documento criado em 1996 com o intuito de nortear a Educação Básica no Brasil. Nele ainda perduram alguns erros, mas ainda assim, esse documento foi uma evolução para educação nacional, principalmente para a Educação Física. No Ensino Fundamental I tem-se como objetivo a formação da identidade do cidadão, para saber seu lugar na sociedade. Apresentando-lhe várias culturas e reforçando as já existentes.

    Por: Marcelo Gomes Gonzálezl Educaçãol 17/10/2012 lAcessos: 137

    O presente artigo aborda o sistema de ensino de língua portuguesa envolvendo o aluno com dislexia e os professores que atuam na 5º serie, no contexto educacional de nível fundamental II.Visa investigar, as metodologias adotadas em sala nas aulas de língua portuguesa e se são suficientes para proporcionar aulas apropriadas quão grandemente necessárias, para contemplar as especificidades do aluno disléxico, de maneira a assegurar o seu aprendizado.

    Por: Taynara Freitas de Souzal Educação> Educação Infantill 22/10/2014

    As conexões entre brincar, aprender e ensinar são perceptíveis quando o educador consegue conciliar os objetivos pedagógicos com os objetivos dos alunos. Ensinando a aprender contribuindo para o desenvolvimento da subjetividade, para a construção do ser humano autônomo e criativo, preparando para o exercício da cidadania e da vida coletiva incentivando a buscar justiça social e igualdade com o respeito à diferença.

    Por: Rosana Maciel Averl Educação> Educação Infantill 12/10/2014 lAcessos: 26

    Este artigo tem como objetivo apresentar a pesquisa sobre o impacto do programa escola da família na vida de crianças e adolescentes da Escola Vicente Minicucci na cidade de Franca . A pesquisa foi desenvolvida na Escola Estadual Vicente Minicucci, na cidade de Franca - SP. Seguindo os métodos de observação e questionário aplicados aos responsáveis e participantes do programa. Foi possível perceber que esse programa tem sido de suma importância pelo fato de tirar as crianças da rua, lugar

    Por: Leticia Oliveiral Educação> Educação Infantill 06/10/2014 lAcessos: 20

    Neste artigo apresentamos os resultados da pesquisa realizada na instituição Chácara Sorriso, na cidade de Patrocínio Paulista, na Av. Ronan Rocha. Onde destacamos a importância da música na aprendizagem e desenvolvimento sócio cultural da criança e do adolescente. O nosso objetivo foi trabalhar com a música, levando em conta aspectos histórico e sócio cultural, com o intuito de levar às crianças e aos adolescentes da instituição uma reflexão de cada música e do que elas representam em suas vida

    Por: Josianel Educação> Educação Infantill 28/09/2014 lAcessos: 38
    Zilda Ap. S. Guerrero

    A prática pedagógica do ensino de Ciências nas fases iniciais á formação autoral dos alunos como protagonistas de projetos vinculados á harmonia entre o homem e natureza de forma a construir um perfeito equilíbrio entre ambos. Portanto, as aulas de Ciências devem destacar o caráter de empresa vital, humana, fascinante, indagadora, aberta, promoção da argumentação criativa e analítica, a fim de comprovarem a veracidade da atividade científica, ou discordarem, promovendo teses, novos experimentos.

    Por: Zilda Ap. S. Guerrerol Educação> Educação Infantill 28/09/2014 lAcessos: 11
    Fagner Vieira

    Muito se fala sobre elas, sobre vestibulinho, curso técnico, empregabilidade e etc. Mas você sabe quanto ganha um técnico? Sabe como e onde se inscrever numa ETEC? Este artigo reúne em nove tópicos, todas as informações sobre vagas, vestibulinhos e resultados de provas. Aqui você também vai encontrar links, a unidade mais próxima de você e estatísticas.

    Por: Fagner Vieiral Educação> Educação Infantill 27/09/2014 lAcessos: 19

    No presente artigo apontaremos a indisciplina na Educação Infantil pelos docentes como um dos principais obstáculos ao trabalho pedagógico. O objetivo deste trabalho é tentar resgatar alguns aspectos da postura do professor em relação à manipulação e a falta de limites das crianças. Definir limites com os alunos, deixar claro o que é possível ser feito e em que situações eles poderão ser cobrados só auxilia em seu crescimento pessoal e em suas atividades estudantis.

    Por: Sandra Maria dos Reis Bernardol Educação> Educação Infantill 26/09/2014 lAcessos: 47

    O presente artigo discute a importância da participação da família no processo educacional da criança na Educação Infantil. O artigo desenvolvido tem como objetivo discutir a importância da família na educação da criança, tanto no ambiente social da escola como no ambiente familiar, focalizando assim, o papel da família nesse processo.

    Por: Sandra Maria dos Reis Bernardol Educação> Educação Infantill 26/09/2014 lAcessos: 49
    Joaquim Rangel Lucio da Penha

    Esse trabalho foi realizado durante 1 ano, com um grupo da terceira idade PASF – Projeto de Atividades Física e Saúde em Nova Betânia – Farias Brito- Ce. Onde temos 40 participantes com idade igual ou superior a 60 anos. O método realizado foi através de coleta de dados inicial e final, com o objetivo de alem de proporcionar uma melhor qualidade de vida aos participantes do projeto através de atividades físicas, mostra os resultados satisfatórios como forma de incentivo para prática de atividade

    Por: Joaquim Rangel Lucio da Penhal Saúde e Bem Estarl 20/01/2011 lAcessos: 648
    Joaquim Rangel Lucio da Penha

    Esse trabalho teve por objetivo observar, planejar e regênciar aulas de Educação Física durante um ano, proporcionando aos acadêmicos de Educação Física, uma visão das escolas da Rede de ensino pública, avaliando algumas das dificuldades enfrentadas pelos professores e servindo como ponte para reduzir o distanciamento existente entre a instituição que prepara os profissionais e a realidade concreta de seu campo de atuação nas escolas públicas.

    Por: Joaquim Rangel Lucio da Penhal Educaçãol 17/01/2011 lAcessos: 1,998
    Joaquim Rangel Lucio da Penha

    Com a constante corrida da vida cotidiana do homem do XXI para acompanhar o ritmo acelerado da tecnologia, igualados a vários outros fatores ocorridos dentro da sociedade capitalista, foram suficientes para apontarmos os principais causadores da mudança de cultura na vida das crianças atuais.

    Por: Joaquim Rangel Lucio da Penhal Educação> Educação Infantill 17/01/2011 lAcessos: 17,849 lComentário: 1

    Comments on this article

    0
    mayara 06/05/2011
    eu amo ed fisica é a coisa mais legal k tem e a prof tb é super legal
    -3
    guilherme 05/05/2011
    ojogo o ludus
    0
    vitoria 16/03/2011
    eu amo educaçao fisica quero ser professora quando crescer mais nao tenho dinheiro para a facudademais esse e o meu mair sonho
    -1
    Rodrigo 28/04/2010
    Muito bom seu artigo,me ajudou muito na contruçao do meu artigo
    2
    Vanessa 27/04/2010
    Adorei seu artigo seu artigo, parabens!
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast