Piaget Na Sala De Aula:Uma Abordagem Lúdica

Publicado em: 08/03/2009 | Acessos: 37,050 |

O objetivo do presente trabalho é relatar de forma mais concisa a experiência de trabalhar de forma lúdica a teoria de Piaget na sala de aula, embasado nos estudos, bem como nas estratégias desenvolvidas e aqui apresentadas para a aplicabilidade da teoria de Jean Piaget.Para a criança, a sala de aula não se constitui apenas em um espaço para construção do conhecimento, mas é também um espaço socializador, lúdico e de experiências trocadas entre aluno e educador.É um espaço coletivo, onde o professor é o sujeito mediador que oportuniza a aprendizagem, sendo ainda um amigo, um companheiro e em especial um referencial afetivo para a criança, aprendendo assim de forma prazerosa.

            Para Piaget a inteligência, a aprendizagem e a construção do conhecimento estão relacionadas.Assim, durante a aplicação procurou-se focar o desenvolvimento das inteligências através de atividades lúdicas, onde a criança pudesse aprender brincando e se socializando.

1-CONSIDERAÇÕES TEÓRICAS ACERCA DE PIAGET E A SALA DE AULA

         A escola é uma instituição responsável pela construção e divulgação do conhecimento, promovendo o processo de ensino-aprendizagem, onde para Libâneo (1994),a escola é a forma predominante de ensinar e aprender.Durante as aulas o professor deve criar oportunidades para que o aluno assimile o conhecimento, de forma prazerosa, desenvolvendo habilidades e atitudes que estimulem a criticidade e suas capacidades cognoscitivas.Um dos pressupostos pedagógicos da teoria de Piaget é que:

Respeitar as características de cada etapa do desenvolvimento é considerar o interesse de cada fase, estimulando a atividade funcional, isto é, a atividade natural de cada individuo.Os estudos experimentais de Piaget permitem ao professor identificar o estagio em que uma criança esta atuando, é ao mesmo tempo, lhe mostra o que esperar dos alunos nos diferentes estágios de desenvolvimento (HAIDT, 2002, P.48).

                                                                             

         Dessa forma, percebe-se a relevância e importância acerca dos estudos de Piaget  para os educadores,aprendendo que o desenvolvimento da inteligência é algo que necessita ser estimulado,sendo bem distinto da aquisição de novos hábitos de infomação.Assim, o primeiro processo é chamado de desenvolvimento e o segundo de aprendizagem.

2-CAMINHO METODOLÓGICO

       Para desenvolver a proposta de aplicabilidade da teria de Piaget de forma lúdica, o grupo, o presente grupo estudou toda a teoria de desenvolvimento mental, fazendo uma pesquisa bibliográfica, conforme propõe Jean Piaget.

         Dessa forma, elaborou-se uma coletânea de estratégias lúdicas para o desenvolvimento da inteligência em cada período do individuo.Em seguida, escolheu-se apenas uma estratégia e preparou-se os recursos didáticos necessários para a execução da estratégia.

         Neste contexto, dentre as cinco estratégias criadas com base nas cinco fases do desenvolvimento postuladas por Piaget, elegeu-se uma, sendo no período Pré-Operatório, conforme a tabela a seguir:

2.1- TABELA DEMONSTRATIVA

Escola

Período

Atividade

Objetivos

Estratégias

Privada

Sensório-Motor

Mamódromo self-service

Permitir que a criança desenvolvesse autonomia e independência através dos desafios propostos

Cria-se um espaço para as crianças mamarem-um mamódromo.As mamadeiras de cada criança com identificação serão colocadas em bandejas, funcionará como um self-service.Os bebês que já andam pagarão suas mamadeiras e irão deitar no cantinho que ele achar confortável.Depois de mamarem serão ensinadas a colocarem as mamadeiras de volta na bandeja.

Privada

Pré-Operatório

Caminho a se percorrer

Distinguir semelhanças ou diferenças: Exemplificar frases: Aprimorar a linguagem

A criança joga o dado no chão, o numero sorteado corresponderá a casa no tabuleiro, respondendo corretamente seguirá no caminho.

Privada

Operações concretas

Audição apurada

Trabalhar a audição com diferentes tipos de sons.

  

Dividir a turma em dois grupos, um dos componentes de cada grupo será vendado, a professora irá fazer diferentes tipos de sons e a criança terá que identifica-lo.

  

Privada

Operações formais

Olimpíadas Matemáticas

  

Desenvolver as operações matemáticas cotidianas, bem como a socialização, divisão e limites monetários.

  

  Dividir a turma em dois grupos.Elaborar problemas matemáticos contextualizados a idade das crianças.O grupo que souber a resposta irá bater na mesa com um martelo plástico que emite som. No final a professora deverá responder e explicar as respostas não dadas ou não acertadas.

  

  

3-RESULTADOS

       Após a realização da experiência em campo foi obtido o seguinte resultados:

Durante a aplicação da atividade todas as crianças da escola queriam participar.Demonstraram grande alegria e entusiasmo, participaram prontamente da proposta, com a presença de pessoas convidadas.

Neste sentido, aplicamos a atividade conforme o objetivo proposto acima.Todas as crianças da referida turma jogaram o dado e participaram chegando ao final do tabuleiro.Entregamos prendas para as crianças que chegaram na casa das prendas.Foram 04 crianças que ganharam as prendas

            Duas crianças pararam na casa da "Prisão", (que significa ficar uma rodada sem jogar).Uma das crianças que foi para a prisão chorou, mas explicamos que era uma regra do jogo, pois tudo na vida tem regras, e podia acontecer com outras crianças, tanto que outra criança também foi para a prisão.

            Com relação ao entendimento das frases e as respostas; das 8 crianças da turma 2 não responderam as perguntas devido a  timidez,mas percebemos que elas entenderam o jogo,mas ficaram tímidas ao responder  ,devido ser uma forma de desafio;brincar de responder.Todas as outras responderam as perguntas, quando era vez de uma criança, muitas vezes as outras se apressavam em responder, demonstrando grande participação e interação na atividade.

  

4-DISCUSSÃO

A atividade demonstrou que todas as crianças apresentaram um desenvolvimento cognitivo de acordo com o período do desenvolvimento mental delas, estando desenvolvidas conforme demonstra os estudos de Piaget, sendo capaz das atividades que correspondem às suas habilidades.

As crianças e alunos se socializaram, aprenderam, pois quando um não sabia a resposta o outro imediatamente respondia, competindo de forma dinâmica e amigável, haja vista que mesmo que nós dissemos no inicio do jogo que cada um tinha sua vez, elas terminavam respondendo, sendo normal entre crianças esta euforia em dar respostas, quando as sabem.Vale ressaltar ainda que quando não respondiam na hora pensavam e analisavam um pouco.Outros pediam para nós repetimos a frase para eles poderem responder, estimulando assim a criatividade e reflexão acerca do cotidiano.

            Contudo, podemos afirmar que todo mundo tem inteligência o que falta é ser estimulada, ou ainda falta à valorização dos conhecimentos das crianças, pois com elas  ensinamos e aprendemos a ver o mundo de uma forma mais sensível,alegre e estimulante.

5- CONCLUSÃO

         Na pratica as tarefas operatórias trabalhadas de forma lúdica, facilitam a aprendizagem da criança, desenvolvendo o cognitivo, o afetivo contribuindo para a construção do sujeito de forma integral.Aprender brincando proporciona prazer para o aprendente e o ensinante, pois ao propor atividades desafiadoras que estimulem a reflexão, a descoberta, a criatividade, o desenvolvimento do raciocínio, acionam os esquemas mentais.

            Ao ir a campo desenvolver a presente estratégia, enriqueceu-se conhecimentos acadêmicos, reconhecendo a complexidade do papel do educador, sendo enfatizado  sempre dinâmico,criativo,flexível e holístico,configurando uma práxis.

 

 

 

 

 

 

BIBLIOGRAFIA

FURTH, Hans G.Piaget na sala de aula.RJ: Fonseca Universitária, 1997.

GOULART, Íris Barbosa.Piaget: experiências básicas para utilização pelo professor.Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.

HAIDT, Regina Célia Cazaux.Curso de Didática geral.São Paulo: Ática, 2002.

LIBÂNEO, José Carlos.Didática.São Paulo: Cortez, 1994.

MORETTO, Vasco Pedro. Construtivismo: a produção do conhecimento em aula.RJ: DP&A, 2003.

 

        

  

 

Avaliar artigo
4
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 9 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-infantil-artigos/piaget-na-sala-de-aulauma-abordagem-ludica-807556.html

    Palavras-chave do artigo:

    sala de aula

    ,

    ludico

    ,

    inteligencia

    Comentar sobre o artigo

    Rosilene Coimbra Costa Pinto

    É notória a crise pela qual a educação vem passando nos dias atuais: professores descontentes, alunos desmotivados, pais preocupados. No entanto, acredita-se que para uma possível melhora deste quadro se faz necessário, além da formação contínua dos professores, a introdução da ludicidade como subsídio no processo de construção do conhecimento cognitivo, físico, social e psicomotor, desenvolvendo nos educandos o prazer ao construir o próprio aprendizado de forma mais atraente e estimuladora.

    Por: Rosilene Coimbra Costa Pintol Educação> Educação Infantill 02/03/2012 lAcessos: 4,230
    Manoel Aparecido Martins

    A ludicidade faz parte do ser humano desde seu nascimento, é brincando que a criança vai conhecendo o mundo ao seu redor, vai se identificando, vai fazendo parte. O lúdico pode e deve ser utilizado no ensino de todas as disciplinas, até mesmo de forma interdisciplinar. Portanto é de fundamental importância um estudo mais aprofundado da natureza e importância desta disciplina nos dias atuais, bem como seu histórico e a aplicação do lúdico na mesma.

    Por: Manoel Aparecido Martinsl Educaçãol 17/06/2009 lAcessos: 14,930 lComentário: 4

    A química é um ramo da ciência que a muito fascina mas que tambem a muitos apavora.Muitos indices de qualidade do ensino como sadeam,enem tem comprovado que na area de exatas a repeovação vem se tornando preocupante mas alguns altores vem apontando as atividades lúdicas como resposta para contra-balancear essa estatistica.

    Por: Alexandre wagnerl Educação> Ciêncial 29/01/2011 lAcessos: 1,227

    O objetivo deste trabalho é demonstrar que o uso de recursos didáticos variados e a montagem de espaço lúdico para descobertas da matemática, estão aliados ao desenvolvimento de múltiplas inteligências em crianças de 4 a 6 anos.

    Por: Rosimar Nádila O. Saraival Educação> Educação Infantill 19/10/2010 lAcessos: 1,785
    Thiago R. Silva

    Este artigo tem como finalidade, dar uma visão do lúdico no ambiente hospitalar. O lúdico é considerado por muitos como a ciência ativa e transformadora da realidade educativa. Esta atividade educativa acontece em todos os espaços sociais. Neste contexto o lúdico traz consigo o caráter da intencionalidade daquilo que se deseja alcançar. Mostrar como a brinquedoteca é um espaço onde permite ás crianças brincar com liberdade, permite a elas o pleno desenvolvimento educacional, ajudando-as a enfren

    Por: Thiago R. Silval Educação> Ensino Superiorl 07/07/2012 lAcessos: 951

    Este trabalho tem como ponto de partida a coleta de informações a cerca da deficiência. Partindo do histórico das deficiências, buscou-se fazer um retrospecto histórico, abrangendo como foco a Deficiência Intelectual. Tendo assim como objetivo compreender a importância do jogo enquanto atividade lúdica, no desenvolvimento e aprendizagem da criança com Deficiência Intelectual.

    Por: Carina Heil Albrechtl Educaçãol 09/09/2010 lAcessos: 7,658 lComentário: 4

    As idéias e descobertas da teoria construtivista de Jean Piaget e do sociointeracionismo de Lev Vygotsky expandem-se cada vez mais no universo educacional brasileiro e mundial. Ambos nos impulsionaram a buscar mudanças significativas e urgentes no fazer pedagógico das aulas em todas as modalidades e graus de ensino e, em especial, nas classes iniciais. Esses dois teóricos buscaram respostas às suas indagações na psicologia e acabaram elaborando teorias sobre o desenvolvimento intelectual .

    Por: Rosimar Nádila O. Saraival Educação> Educação Infantill 19/10/2010 lAcessos: 3,267

    Falar [...] da educação infantil é muito mais do que falar de uma instituição, de suas qualidades e defeitos, da sua necessidade social ou da sua importância educacional. É falar da criança. De um ser humano, pequenino, mas exuberante de vida. (DIDONET, 2001)

    Por: Daniela Feltrinl Educação> Educação Infantill 12/09/2010 lAcessos: 3,453
    Rosimeire Moreira Quintela

    RESUMO Esta pesquisa visa transformar métodos tradicionais contidos na escola levando os professores a participarem de pesquisas, práticas pedagógicas, inovações para que suas aulas se tornem mais criativas e produtivas. O objetivo é de auxiliar na superação do fracasso escolar em relação à leitura, pois se acredita na possibilidade de sucesso de todas as crianças...

    Por: Rosimeire Moreira Quintelal Educação> Educação Infantill 11/01/2012 lAcessos: 1,147

    O transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) é uma doença cercada de controvérsia. Por atingir principalmente crianças, muito pais enxergam problemas onde eles não existem — sintomas isolados são comuns nesta fase da vida. Também há quem não preste atenção ao conjunto de sintomas que a caracterizam: quadros de desatenção, hiperatividade e impulsividade de maneira exacerbada.

    Por: Jania Gasques bordonil Educação> Educação Infantill 14/09/2014

    Receber os estudantes com deficiência é um avanço. Mas faltam fazer da inclusão uma realidade e assegurar o direito à Educação

    Por: Jania Gasques bordonil Educação> Educação Infantill 14/09/2014
    Isabel Cristina

    Atualmente, a proposta de educação inclusiva tem gerado polêmicas discussões entre os que adotam uma posição integracionista, os que defendem a escola inclusiva ou ainda aqueles que sentem a importância de uma educação especializada para o aluno com necessidades educacionais especiais . No longo caminho a ser percorrido muitas são as dificuldades a serem enfrentadas, principalmente as que dizem respeito às barreiras físicas e atitudinais,constituídas dos estigmas, preconceitos e estereótipos.

    Por: Isabel Cristinal Educação> Educação Infantill 29/08/2014

    O objetivo deste estudo foi conhecer como se insere e desenvolve a educação ambiental na educação infantil em escolas públicas de dois municípios no Estado do Espirito Santo, Brasil. Trata de um estudo descritivo quantitativo. O universo da pesquisa foi 58 professores de Educação Infantil. O instrumento de coleta de dados foi um questionário de autopreenchimento com 13 perguntas objetivas sobre educação ambiental na comunidade escolar. Solicitou-se a assinatura do termo de consentimento livre e

    Por: DANIELE DE ALMEIDA NUNESl Educação> Educação Infantill 28/08/2014

    O que acontece pode ser considerado como bastante simples, sendo que o alfabeto ilustrado acaba por se tratar de um papel ou até mesmo uma fita decorativa que poderá ser utilizada na parede, ou até mesmo em um móvel.

    Por: anamarial Educação> Educação Infantill 27/08/2014
    Ariane David

    Para que o professor possa ser mediador no contato com a leitura, precisa dominar alguns conceitos, saber o que é leitura, como ela acontece e quando, que sensação ela deve acarretar em nós, a abrangência que o ato de ler possui; ler não é decodificar, lemos tudo a nossa volta e com todos os nossos sentidos, na verdade lemos sem saber ler. A criação de um ambiente alfabetizador é um dos caminhos para esse contato com o mundo letrado dentro da sala de aula.

    Por: Ariane Davidl Educação> Educação Infantill 25/08/2014 lAcessos: 12

    O presente artigo visa analisara importância do brincar no desenvolvimento e aprendizagem na educação infantil. Tem como objetivo conhecer o significado do brincar, conceituar os principais termos utilizados para designar o ato de brincar, tornando-se também fundamental compreender o universo lúdico

    Por: Sandra Maria dos Reis Bernardol Educação> Educação Infantill 22/08/2014 lAcessos: 19
    Carla Cardoso Gomes

    O presente artigo tem como objetivo apresentar os principais fatores que influenciam nas dificuldades dos discentes nos processos de aprendizagem. Uma pessoa que não conseguiu desenvolver todas as habilidades de leitura e noção matemática encontrará muitas dificuldades e desafios para relacionar-se com a sociedade de um modo geral. Quando a Escola não ajuda com um atendimento personalizado e especifico, a criança deixa de vivenciar situações de construção da identidade.

    Por: Carla Cardoso Gomesl Educação> Educação Infantill 05/08/2014 lAcessos: 31
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast