PROPOSTA DE REABILITAÇÃO ATRAVÉS DA ESTIMULAÇÃO NEUROSSENSORIAL

Publicado em: 25/11/2010 |Comentário: 0 | Acessos: 1,021 |

PROPOSTA DE REABILITAÇÃO ATRAVÉS DA ESTIMULAÇÃO NEUROSSENSORIAL

Ana Paula Alves dos Santos

Luciana Marçal da Silva

Sílvia Marta Moura e Silva

 

Quando nos foi dado o desafio de atender pacientes com deficiência grave, tanto mental quanto motor, ficamos estudando formas para atendê-los integralmente, o  programa que montamos  procura englobar as 3 áreas principais de atendimento integral às pessoas com deficiência que são educação, assistência social e saúde. O trabalho já existia, mas não incluía o atendimento global, de vários profissionais na mesma terapia  e o enfoque de sala de atendimento única (sala de aula) e não a retirada do usuário da sala, para atendimentos individual de determinada especialidade.

Para isso vimos à necessidade do atendimento multidisciplinar ser mais efetivo e globalizado com a junção de várias especialidades (no mínimo duas), para a partir de uma avaliação global e individualizada, traçar objetivos  com metas únicas para todos os profissionais envolvidos no programa trabalharem  com  as estratégias em comum, sempre explorando potencialmente todas as áreas de estimulação sensorial.

A equipe é composta de professoras, auxiliar de enfermagem, auxiliar social, enfermeira, fisioterapeuta, fonoaudióloga, psicóloga, terapeuta ocupacional, assistente social, musicoterapeuta e professor de expressão corporal.

Todas as terapias, com exceção da fisioterapia respiratória e procedimentos de enfermagem são realizados em grupo com princípios de metodologias adaptadas e estudadas com o objetivo de atingir todas as áreas sensoriais, iniciando com a sensação e percepção, para que as áreas estimuladas (olfato,gustação, visão, audição, propriocepção, vestibular, motora) sejam efetivamente exploradas de forma repetitiva, com bombardeio de estimulação de todas as formas acima descritas.

Metodologias:

-         Plasticidade neural: estimular modificações tanto de processos quanto de estrutura cerebral para melhorar função. Quanto mais se estimula (repetição), mais canais são abertos e mais conexões são feitas. Áreas latentes do cérebro passam a fazer a funções das áreas lesadas.

-         Terapia sensório-motora: desenvolver no indivíduo capacidade de sentir e perceber, aprender e organizar sensações recebidas do ambiente e esboçar gradativamente respostas, no decorrer da estimulação através da plasticidade neural.

-         Integração sensorial: é o processo pelo qual o cérebro organiza as informações de modo a dar uma resposta adaptativa adequada organizando assim as sensações do próprio corpo e do ambiente de forma a ser possível o uso eficiente do corpo no ambiente.

 

-         DOMAN: técnica de estimulação de pessoas com o cérebro lesado, visando rotina diária e bombardeio cognitivo com atividades motoras, respiratórias, olfativas, gustativas, auditivas e visuais, pela repetição de atividades previamente elaboradas.

 

Rotina de Trabalho:

Atendimento consta de um turno no qual é estruturado com rotina de enfermagem, cuidados, alimentação e as terapias de estimulação.

Essa rotina é planejada de acordo com os objetivos que se pretendem alcançar com cada indivíduo, avaliado por fichas específicas de cada áreas e seguida de um estudo de caso para estabelecer meta única que serão traçados os objetivos a serem alcançados com cada um.

Se faz necessário um planejamento sistematizado de atividades baseadas nas metodologias descritas acima, bem como recursos estimuladores destinados a incentivar e facilitar  o desenvolvimento da clientela assistida.

O oferecimento dos recursos (físicos, tecnológicos, materiais e humanos) deve ser apropriado as suas necessidades e as técnicas devem proporcionar interações ativas do indivíduo. Para facilitar sua  participação nas atividades é necessário: adaptações; posicionamento adequado; motivação (aspecto lúdico da intervenção); materiais adequados.

 

 

Referências Bibliográficas:

 

DOMAN, Glenn. O que fazer pela criança de cérebro lesado. Ed Auriverde, 1989.

MELLO, Bárbara Cristina;  NUNES, Maria Carolina Vitta; MELO, Luciana Vieira .   Integração sensorial. Faculdade de Terapia Ocupacional de São Camilo.

VOLPI, Sandra Cristina Pizzocaro; Desenvolvimento motor normal e disfunções neuromotoras na infância. (apostila curso).

NUNES, Clarisse. Aprendizagem activa na criança com multideficiência – guia para educadores. Ministério da Educação – Departamento de educação básica, 2001.

MAGALHÃES, Lívia C. (apostila) Introdução a terapia de integração Sensorial/ Teoria da relação entre processos neurológicos e comportamento

ESPESCHIT, Rita. Crianças fora de sincronia – Revista presença pedagógica – julho/ Agosto 2000)

OLIVEIRA, Maria Cristina de; SIMÃO, Roberta K. Integração sensorial, In: Algumas abordagens da terapia ocupacional.

LAMBERTUCI, Maria Cristina Franco, MAGALHÃES, Lívia de Castro. Terapia Ocupacional nos transtornos invasivos do desenvolvimento, In: CAMARGO, Walter Junior, Transtornos invasivos do desenvolvimento - 2002 – primeira edição, ministério da justiça.

MONTEIRO, Bibiana Caldeira. Integração Sensorial – Apostila , 2005.

SOARES,Dulce Consuelo, O cérebro X Aprendizagem, disponível em www. psicopedagogia.com.br.

Laboratório de atividades e desenvolvimento infantil, disponível em www.eeffto.ufmg.br

 

Professora da UCD, com formação em psicologia

Coordenadora do Centro de Reabilitação física, com formação em fisioterapia

Fonoaudióloga e coordenadora da UCD

Avaliar artigo
4
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 10 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-infantil-artigos/proposta-de-reabilitacao-atraves-da-estimulacao-neurossensorial-3732691.html

    Palavras-chave do artigo:

    deficiencia

    ,

    estimulacao precoce

    ,

    bebes

    Comentar sobre o artigo

    Ana Paula Alves dos |Santos

    A investigação na literatura existente sobre estimulação precoce, possibilitou constatar que, apesar do crescente número de estudos sobre o tema e a considerável oferta de serviços e programas de intervenção existentes, as iniciativas são isoladas e tem sido organizadas de maneiras diversas, havendo ainda a necessidade de uniformizar princípios que possam nortear as propostas.

    Por: Ana Paula Alves dos |Santosl Educação> Educação Infantill 21/11/2010 lAcessos: 999

    A homeopatia e a deficiência mental - Em que pode ajudar Homeopatia e a Criança com Trissomia 21 (Sindroma de Down) O que é a Trissomia 21 ou Sindroma de Down Trissomia 21 Tem Cura? A Trissomia 21 não tem cura. Caracteristícas dos portadores de Trissomia 21 Como pode a Homeopatia ajudar as crianças com Trissomia 21?

    Por: manuela morgadol Saúde e Bem Estar> Medicina Alternatival 14/09/2010 lAcessos: 599

    Esta pesquisa teve como objetivo investigar a experiência de inclusão escolar de uma criança com deficiência física. Partindo do processo histórico de construção das políticas públicas voltadas às necessidades educacionais especiais, problematizou-se o modo de formulação e implementação das políticas de inclusão, atentando para a necessidade de compreender sua efetivação concreta. Partindo de uma perspectiva fenomenológica, a pesquisa recorreu à reconstrução biográfica do processo de inclusão.

    Por: Flainyl Educação> Educação Infantill 09/01/2014 lAcessos: 76
    Amanda de A. Soares Barbosa

    O desenvolvimento integral da criança depende de fatores individuais, sociais e ambientais, porém quando esta é portadora de múltipla deficiência, poucas informações sobre o meio são absorvidas. Esta necessidade deve ser suprida por estímulos compensadores que objetivem o desenvolvimento global da criança portadora de múltipla deficiência.

    Por: Amanda de A. Soares Barbosal Educaçãol 22/09/2010 lAcessos: 814

    Este trabalho tem como ponto de partida a coleta de informações a cerca da deficiência. Partindo do histórico das deficiências, buscou-se fazer um retrospecto histórico, abrangendo como foco a Deficiência Intelectual. Tendo assim como objetivo compreender a importância do jogo enquanto atividade lúdica, no desenvolvimento e aprendizagem da criança com Deficiência Intelectual.

    Por: Carina Heil Albrechtl Educaçãol 09/09/2010 lAcessos: 7,680 lComentário: 4

    Esta pesquisa aborda a importância da atividade física para o desenvolvimento motor da criança com Síndrome de Down (SD), na faixa etária de seis a dez anos. A SD caracteriza-se por uma alteração genética que ocorre durante a divisão celular do embrião, ocasionando um atraso no desenvolvimento das funções motoras e mentais do indivíduo. Deste modo, o bebê com está síndrome demora a adquirir determinadas habilidades devido a uma hipotonia generalizada que o afeta desde seu nascimento. Com o pas

    Por: Edvania Albuquerque Feitozal Educaçãol 04/09/2010 lAcessos: 1,461 lComentário: 1
    Asenath Filha

    O trabalho com crianças portadoras da Síndrome de Down, se torna inquietante pelo fato de não estarem sendo alfabetizados de maneira mais ampla, uma vez que temos conhecimento de vários portadores da referida Síndrome alfabetizados que levam a vida normalmente, sem terem como mais um obstáculo o analfabetismo. Estas crianças posuem a capacidade de aprender a ler e escrever, porém, possui um tempo diferente e certamente a metodologia de aprendizagem deve seguir o seu ritmo.

    Por: Asenath Filhal Educação> Educação Infantill 01/05/2011 lAcessos: 1,151 lComentário: 1
    Fonocenter

    Um dos sentidos mais importantes para o desenvolvimento completo da criança é a audição. O bebê já escuta antes mesmo de ser erguido pelo medico no seu nascimento. Isso acontece a partir do quinto mês de gestação, onde o bebê ouve os sons do corpo da mamãe e sua voz.

    Por: Fonocenterl Saúde e Bem Estar> Medicinal 02/08/2013 lAcessos: 13

    A história do autismo começa no início do século XX com a psiquiatria. Até por volta da década de 70, o autismo era visto como uma doença psicológica. Contudo, com os avanços da tecnologia, provou-se que ela possuía aspectos genéticos e orgânicos. O autismo na visão da psicologia com ênfase na psicanálise traz a tona que segundo Winnicott o transtorno autista possui suas causas nas relações objetais na infância mal estabelecida entre mãe bebê.

    Por: Andressa Salesl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 21/05/2014
    Zilda Ap. S. Guerrero

    No método de Frotagem o artista utiliza um lápis ou outra ferramenta de desenho, e faz uma "fricção" sobre uma superfície texturizada. O desenho pode ser deixado como está, ou pode ser utilizado como base para aperfeiçoamento. Essa técnica foi desenvolvida pelo pintor, escultor e artista gráfico alemão, Max Ernst, em 1925. Ele foi um dos fundadores do movimento "Dada" e posteriormente um dos grandes nomes do Surrealismo.

    Por: Zilda Ap. S. Guerrerol Educação> Educação Infantill 18/09/2014 lAcessos: 120

    Ênfase no aprender não é de hoje que existe esse modelo de avaliação formativa. A diferença é que ele é visto com o melhor caminho para garantir a evolução de todos os alunos, uma espécie de passo á frente em relação á avaliação conhecida como somativa.

    Por: Jania Gasques bordonil Educação> Educação Infantill 17/09/2014

    Atualmente, o tema Educação Física na Educação Infantil vem sendo objeto de estudo de múltiplos pesquisadores. Essa "nova" área de estudo justifica-se pelo fato de que o movimento, a corporeidade e o lúdico são de suma importância para o desenvolvimento da criança.

    Por: Sandra Maria dos Reis Bernardol Educação> Educação Infantill 16/09/2014

    A verdadeira educação é aquela que instiga o desejo do indivíduo a explorar, observar, trabalhar, jogar e acreditar-se. Levando em conta essa perspectiva, a educação precisa organizar seus conhecimentos, partindo dos interesses dos alunos e, desse modo, levá-los a outros patamares de aprendizagem, que são primordiais à formação e ao exercício da cidadania.

    Por: Sandra Maria dos Reis Bernardol Educação> Educação Infantill 16/09/2014

    O presente artigo objetiva investigar como Educação Infantil contribuem para o desenvolvimento da aprendizagem.

    Por: Sandra Maria dos Reis Bernardol Educação> Educação Infantill 15/09/2014

    O transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) é uma doença cercada de controvérsia. Por atingir principalmente crianças, muito pais enxergam problemas onde eles não existem — sintomas isolados são comuns nesta fase da vida. Também há quem não preste atenção ao conjunto de sintomas que a caracterizam: quadros de desatenção, hiperatividade e impulsividade de maneira exacerbada.

    Por: Jania Gasques bordonil Educação> Educação Infantill 14/09/2014

    Receber os estudantes com deficiência é um avanço. Mas faltam fazer da inclusão uma realidade e assegurar o direito à Educação

    Por: Jania Gasques bordonil Educação> Educação Infantill 14/09/2014
    Isabel Cristina

    Atualmente, a proposta de educação inclusiva tem gerado polêmicas discussões entre os que adotam uma posição integracionista, os que defendem a escola inclusiva ou ainda aqueles que sentem a importância de uma educação especializada para o aluno com necessidades educacionais especiais . No longo caminho a ser percorrido muitas são as dificuldades a serem enfrentadas, principalmente as que dizem respeito às barreiras físicas e atitudinais,constituídas dos estigmas, preconceitos e estereótipos.

    Por: Isabel Cristinal Educação> Educação Infantill 29/08/2014 lAcessos: 13
    Ana Paula Alves dos |Santos

    Pequenos, de saúde frágil, desconfiados e carentes. Assim são os filhos do crack, nascidos de uma geração assolada por uma droga que corrói o usuário. Até quem lida com o problema no dia-a-dia sabe que o número é impressionante. São crianças que dificilmente ficam com a mãe ou com familiares. Na maior parte dos casos são levados pelo Conselho Tutelar ou pela Justiça para abrigos.

    Por: Ana Paula Alves dos |Santosl Educaçãol 21/03/2011 lAcessos: 557
    Ana Paula Alves dos |Santos

    O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é um transtorno neurobiológico, de causas genéticas, que aparece na infância e freqüentemente acompanha o indivíduo por toda a sua vida. Ele se caracteriza por sintomas de desatenção, inquietude e impulsividade. Ele é chamado às vezes de DDA (Distúrbio do Déficit de Atenção). Em inglês, também é chamado de ADD, ADHD ou de AD/HD.

    Por: Ana Paula Alves dos |Santosl Educaçãol 19/03/2011 lAcessos: 1,803
    Ana Paula Alves dos |Santos

    A inclusão de alunos com necessidades educativas especiais, no Brasil, tem assumido uma posição importante nos debates educacionais. Contudo, apesar dos avanços recentes em termos de legislação e diretrizes pró-inclusão, as experiências nessa direção ainda são pouco disseminadas

    Por: Ana Paula Alves dos |Santosl Educaçãol 19/03/2011 lAcessos: 864
    Ana Paula Alves dos |Santos

    A dificuldade de comunicação pode acarretar muitos problemas para a criança, tanto na sua sua adaptação escolar quanto no seu desenvolvimento de maneira geral. Muitas crianças simplesmente não falam na escola e isso é uma queixa comum de professores e pais. Uma atuação precoce pode ajudar no tratamento deste problema que causa sofrimento para o aluno e seus familiares.

    Por: Ana Paula Alves dos |Santosl Educação> Educação Infantill 18/03/2011 lAcessos: 1,961
    Ana Paula Alves dos |Santos

    Para que ocorra modificações à nível de sistema nervoso central e a aprendizagem aconteça, é necessário que após avaliações dos déficits e disfunções, as atividades sejam estruturadas de forma a oferecer oportunidade de informações ricas a partir de atividades significativas que facilite o planejamento, organização e finalmente desencadeie um comportamento adaptativo frente ao objetivo propostas

    Por: Ana Paula Alves dos |Santosl Educação> Educação Infantill 26/11/2010 lAcessos: 890
    Ana Paula Alves dos |Santos

    A investigação na literatura existente sobre estimulação precoce, possibilitou constatar que, apesar do crescente número de estudos sobre o tema e a considerável oferta de serviços e programas de intervenção existentes, as iniciativas são isoladas e tem sido organizadas de maneiras diversas, havendo ainda a necessidade de uniformizar princípios que possam nortear as propostas.

    Por: Ana Paula Alves dos |Santosl Educação> Educação Infantill 21/11/2010 lAcessos: 999
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast