Refletindo Sobre o Ensino de Língua Portuguesa

Publicado em: 16/08/2011 |Comentário: 0 | Acessos: 192 |

A gramática é de difícil compreensão por ser de forma muito padronizada, dessa maneira, a aula deixa de estar no papel apenas como um conteúdo que deve ser aplicado passando para o campo do aproveitamento intelectual do aluno. O professor como transmissor de conhecimentos deve trazer o ensino da língua como forma de contextualização e não apenas como parte de um conteúdo pré-estabelecido, pois de nenhuma forma pode se deixar de ensinar a gramática. O professor administra a disciplina de Língua Portuguesa diferenciando-o das demais envolvendo os conteúdos em abordagens mais diretas, dando ênfase a vida do aluno, pois em tudo está exposto o domínio das idéias mostrando para o aluno que ele é capaz e não um indivíduo incapacitado no que compete regras.

                Analisar a importância do ensino da língua nas escolas verificando em algumas circunstâncias como o mesmo é passado em sala de aula. Observamos em muitas escolas ainda sendo passado de forma presa, prontas e acabadas que é facilmente encontradas nos livros didáticos. Dessa forma, a aula fica monótona, chata e sem sentido deve ser aplicado para o campo do aproveitamento intelectual do aluno analisando a importância do ensino da linguagem e da gramática na escola, verificando em algumas circunstâncias como é passado de forma errônea em sala de aula.

                Segundo Sírio Possenti no texto por que (não ensinar gramática na escola), ele faz uma critica com relação ao ensino da linguagem materna nas escolas brasileiras, ou seja, a gramática é passada para os alunos de uma forma muito fragmentada. "A função da escola é permitir aos alunos o domínio da língua padrão em especial em sua modalidade escrita." (p. 110). Pode-se observar uma grande distância do ensino da gramática para com a realidade de alguns alunos, propiciando ao educando o diálogo com a própria realidade e o mundo a sua volta.  Assim, como se pode ensinar regras e mais regras relacionadas a concordâncias verbais ou a escrita, se encontrarmos em nossa realidade alunos que nem sempre sabem o básico verbalmente.

Conforme Possenti, (1996) "Sou completamente contrário a um discurso que circulou durante alguns anos, é verdade que é um domínio relativamente restrito que defendia com alguma coerência e outro tanto de equivoco a seguinte proposta: Já que a Língua padrão é um dialeto do grupo de elite de um país, ensiná-la a população socialmente marginalizada como única modalidade escolar aceitável poderia significar uma espécie de violência cultural, de violência ideológica, de forma de desvalorização e destruição da cultura e da ideologia popular." (p. 110). De acordo com o autor isso é considerado como uma violência cultural e ideológica. Diante dessa idéia se pode fazer uma ponte do Português com a Linguística e falarmos da variação linguística em sala de aula, se a sociedade cobra o tempo todo, uma língua padrão gramaticalmente correto e as pessoas que não se enquadram nessa categoria são consideradas marginalizadas ou pessoas de pouco poder aquisitivo, portanto, afirma Possenti que o indivíduo não aprende por exercício, mais através de práticas significativas, ou seja, o professor  deve trabalhar gramática inserida a um contexto e não de forma solta, por mera obrigação em está centralizado em regaras e mais regras.

 

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-infantil-artigos/refletindo-sobre-o-ensino-de-lingua-portuguesa-5131357.html

    Palavras-chave do artigo:

    conteudos

    ,

    docente

    ,

    ensino

    Comentar sobre o artigo

    O artigo que apresentamos abordará a prática docente no ensino da pré-história em nível escolar fundamental. O objetivo de nosso artigo é mostrar como os professores podem trabalhar o conteúdo pré-história na sala de aula. Temos como base de nosso referencial teórico artigos que pesquisamos na rede mundial de computadores, onde os mesmo darão suporte e contribuem bastante com as hipóteses levantadas. Em nossa pesquisa à elaboração de nosso paper utilizamos a revisão de bibliografia, pois esta es

    Por: daniel Rodrigues de limal Educação> Ciêncial 13/07/2014 lAcessos: 116

    RESUMO A insuficiência da preparação dos futuros professores quanto ao domínio dos conteúdos da matéria a ensinar se manifesta, principalmente, em dificuldades para reelaborar os conteúdos científicos, adequando-os à promoção de aprendizagem de seus futuros alunos. Isso torna o ensino da Biologia muito mais complicado do que era para ser, pois os professores sendo formados de uma maneira inadequada reflete em uma educação não apropriada, descontextualizada e que não transmite algo significati

    Por: Marcia Amelia Gaspar Matosl Educação> Ciêncial 16/07/2010 lAcessos: 2,052
    Juliana Zantut Nutti

    As atuais pesquisas sobre a formação e atuação docente apontam para a necessidade de se colocar os professores no centro dos debates educacionais, dando-lhes voz para expressar as concepções, idéias teorias e crenças que possuem sobre o ensino. A ênfase das atuais pesquisas educacionais na figura docente parte preocupação da sociedade com os precários resultados dos processos de escolarização e da constatação de o professor é o profissional considerado como o responsável pela natureza e qualidad

    Por: Juliana Zantut Nuttil Educação> Educação Infantill 15/10/2011 lAcessos: 193
    GUTEMBERG MARTINS DE SALES

    RESUMO O objetivo deste artigo é a busca pela compreensão sobre a prática docente da Educação Física no ensino superior. Para tal partiu-se do estudo sobre as noções sobre educação, delineando-se o papel do docente no ensino superior, destacando ainda algumas de suas funções didáticas metodológicas. Tudo isso sem deixar de mencionar sobre o papel e funções do Estado e do governo na universalização brasileira.

    Por: GUTEMBERG MARTINS DE SALESl Educação> Ensino Superiorl 06/07/2011 lAcessos: 321
    Evilasio Ferreira de Sousa

    O exercício de uma profissão está no imaginário das pessoas, forjado em situações de vivência e em interação com algum profissional. Destaca-se nesse particular a figura do professor, mais especificamente do professor de Química. É da formação cultural das pessoas a idéia do que seja um professor, sua forma de agir e de relacionar-se num processo intencional de ensinar algo a alguém.

    Por: Evilasio Ferreira de Sousal Educação> Ensino Superiorl 26/05/2012 lAcessos: 127

    Este artigo tem como proposta discutir a Legislação do Ensino Religioso - ER na escola brasileira, que ao longo da história, passou por diferentes fases até sua consolidação como área de conhecimento desde os Parâmetros Curriculares Nacionais. Será discutida a Lei Estadual e a ausência da elaboração de um currículo básico comum que atenda à disciplina e a limitação para o reconhecimento de docentes de ER. Por último é apresentada a proposta do ER desde a Escola em Tempo Integral dentro na perspe

    Por: Eduardo Luis Vieira Oliveiral Educaçãol 23/12/2013 lAcessos: 115

    Este artigo de pesquisa analisa o problema gerada pela inserção da disciplina Ensino Religioso na educação pública no Brasil . Demonstra algumas concepções de especialistas sobre a disciplina, seus problemas sócio-pedagógicos e como ela pode ser trabalhada por meio dos temas transversais da educação como valores morais e éticos dentro de uma sociedade igualitária.

    Por: Sortineide Navarro Segural Educaçãol 05/12/2014 lAcessos: 24
    Jordanio Aguiar

    O presente artigo almeja discutir o caminho do Ensino Religioso na história da educação brasileira, iniciando-se pelo período colonial, imperial, republicano e pelas constituições até a idade contemporânea com a nova LDB 9.475 de 22 de julho de 1997, onde o Ensino Religioso é refletido como sendo uma disciplina curricular de obrigatoriedade das escolas públicas de ensino fundamental, proibidas quaisquer formas de proselitismo, ou seja, o Ensino Religioso deve respeitar a pluralidade cultural .

    Por: Jordanio Aguiarl Religião & Esoterismo> Religiãol 23/02/2015
    marlucia pontes gomes de jesus

    Segundo artigo sobre a (in)definição da idade para ingresso no ensino fundamental de nove anos, polêmica que dura desde a implantação da lei 11.274, de 6 de fevereiro de 2006. É uma sequência de quatro artigos, até então. Este foi publicado no blog Damarlu Educação ( www.damarlueducar.blogspot.com), em 27 de setembro de 2010.

    Por: marlucia pontes gomes de jesusl Educaçãol 20/01/2011 lAcessos: 6,040

    O presente artigo tem por objetivo abordar algumas questões sobre a EAD, sua criação, autorização, credenciamento e suas contribuições para a formação docente e profissional, através das novas tecnologias de ensino.

    Por: marcelo donizete da silval Educação> Educação Onlinel 14/09/2009 lAcessos: 14,929 lComentário: 4

    A utilização da musica de forma cognitiva na construção do conhecimento do educando na busca de uma liberdade Autônoma.

    Por: Daniela Rosseti silval Educação> Educação Infantill 25/02/2015
    Genilda Vieira Rodrigues

    Segundo os estudiosos da educação infantil, a música não está só relacionada somente ao ensino e aprendizagem, mas em todos os momentos da vida do individuo. O presente artigo foi elaborado a partir da necessidade de compreender a importância da música na educação infantil, especialmente as cantigas de roda e tem como problemática: Até que ponto os docentes inserem na sua prática pedagógica as cantigas de roda como elemento norteador para o processo de ensino aprendizagem das crianças de 4 a 5 a

    Por: Genilda Vieira Rodriguesl Educação> Educação Infantill 21/02/2015
    Fabiana Saturnino da Silva

    O presente projeto foi desenvolvido com crianças de dois e três anos, tem como objetivo desenvolver hábitos saudáveis de higiene bucal na rotina da criança.

    Por: Fabiana Saturnino da Silval Educação> Educação Infantill 18/02/2015

    O presente artigo visa apresentar algumas reflexões acerca da indisciplina em sala de aula, a partir da implementação do Projeto de Intervenção na escola, que propôs uma observação e analise de como se processam as relações interpessoais na sala de aula. Abordará a postura do educador no enfrentamento do problema, enfocando a organização do trabalho coletivo como elemento norteador desse processo.

    Por: Arlete Luiza de Souzal Educação> Educação Infantill 17/02/2015 lAcessos: 13

    Os jogos, brinquedos e brincadeiras são inerentes ao universo infantil, sendo assim, o artigo intitulado "A importância das atividades lúdicas no universo da educação infantil" pretende investigar como a ludicidade contribui para a construção do conhecimento na educação infantil

    Por: Arlete Luiza de Souzal Educação> Educação Infantill 17/02/2015 lAcessos: 17

    É inegável a influência do brincar no desenvolvimento infantil. Esta influência pode ser constatada nas inúmeras produções teóricas que tratam do tema em foco, sejam elas direcionadas para a área da educação de modo geral ou da educação infantil em particular, contribuindo assim para que os profissionais "envolvidos" com a educação da criança possam desenvolver uma ação adequada em relação a esta etapa de ensino.

    Por: LUCINETE ARAGÃO MASCARENHASl Educação> Educação Infantill 17/02/2015 lAcessos: 11

    Este artigo pretende tratar sobre as origens das histórias, sua importância social e cultural. Sabe-se que os contadores de histórias nasceram com a humanidade e a magia de contar e ouvir história acompanha o homem até nossos dias. Contar história é um importante atributo humano que surgiu desde o tempo das cavernas, quando o homem sentiu a necessidade de reportar os acontecimentos da rotina e sua ideologia.

    Por: Alexandrina M. P. de Fariasl Educação> Educação Infantill 16/02/2015

    Este artigo pretende tratar da origem da literatura, suas funções através do tempo, obras e autores relevantes mostrando como é primordial o papel da literatura infantil no processo de aprendizagem. Ele nos mostra como o homem usou a oralidade para transmitir sua herança cultural e as transformações ocorridas ao longo da história.

    Por: Alexandrina M. P. de Fariasl Educação> Educação Infantill 16/02/2015 lAcessos: 11
    Rojane da Silva Carvalho

    Então pensar na mudança é uma forma para diminuir a exclusão social das pessoas em todos os aspectos, principalmente no ambiente escolar, que é por regra sempre um ambiente bastante rico em diferenças.

    Por: Rojane da Silva Carvalhol Educação> Educação Infantill 19/09/2011 lAcessos: 1,322
    Rojane da Silva Carvalho

    É notório que trabalhar com a linguagem é simples e ao mesmo tempo complexa, pois os alunos ao irem para a escola se deparam com um estudo que exige dele o bem falar, ou seja, esse deve seguir uma norma padronizada da língua neste caso sua fala deve seguir ao máximo sua oralidade.

    Por: Rojane da Silva Carvalhol Educação> Educação Infantill 19/09/2011 lAcessos: 150
    Rojane da Silva Carvalho

    Os professores trazem inovações para a sala de aula? Esta concepção implica uma mudança total da escola, no sentido de ruptura com a padronização com o autoritarismo com a uniformidade de tratamento e também com a mudança do método pedagógico, por entender que o ser humano aprende na relação com o meio e que ele tem uma cultura que precisa ser dialogada com a escola.

    Por: Rojane da Silva Carvalhol Educação> Educação Infantill 24/08/2011 lAcessos: 211
    Rojane da Silva Carvalho

    Trabalhar as diversas áreas do conhecimento para que as atividades de sala de aula sejam verdadeiras e não meras simulações é preciso criar situações onde escrever se torne uma necessidade com uma finalidade específica, não um exercício para aprender a escrever um dia, ser concretizado na prática, a educação não é apenas o desenvolvimento das potencialidades individuais, mas a expressão histórica e cultural.

    Por: Rojane da Silva Carvalhol Educação> Educação Infantill 24/08/2011 lAcessos: 233
    Rojane da Silva Carvalho

    Deve se respeitar e instigar a oralidade dos educando nas séries iniciais, isso fará com que eles sintam-se valorizados e participem mais das aulas porque não existe uma única maneira de falar, e sim várias de acordo com o contexto linguístico dos falantes.

    Por: Rojane da Silva Carvalhol Educação> Educação Infantill 24/08/2011 lAcessos: 485
    Rojane da Silva Carvalho

    O trabalho com a leitura é feita através de textos variados como narrativos, dissertativo, descritivo, jornais, músicas, contos, poemas, literatura de cordel, o desempenho dos alunos avança quando no desenvolvimento das atividades de leitura e escrita são direcionados pelo professor quando lhe aponta caminhos, sendo importante que as escolhas sejam voltadas para a realidade do aluno.

    Por: Rojane da Silva Carvalhol Educação> Educação Infantill 24/08/2011 lAcessos: 105
    Rojane da Silva Carvalho

    Ficam evidentes que o processo de letramento ainda hoje é praticado nas escolas encontra-se envolto de práticas que negam ao aluno o fomento de um conhecimento que lhes possibilite uma visão de mundo aprofundada.

    Por: Rojane da Silva Carvalhol Educação> Educação Infantill 22/08/2011 lAcessos: 238
    Rojane da Silva Carvalho

    Educar é priorizar por ações baseadas em uma ética pedagógica que ofereça oportunidade ao sujeito a saber exercer sua cidadania, com consciência, criticidade, contribuindo para que se possa fazer a sua própria história de uma reconstrução permanente de conhecimentos.

    Por: Rojane da Silva Carvalhol Educação> Educação Infantill 22/08/2011 lAcessos: 122
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast