Relatório de observação

Publicado em: 19/07/2010 |Comentário: 1 | Acessos: 43,052 |

 

  1. 1.    Introdução

 

 

Nos dias atuais a sociedade esta mais consciente sobre a importância da educação para crianças de zero a seis anos, por isso esse relatório de observação serve como um instrumento significativo para a prática de sala de aula. Foi realizada na escola Sociedade de Amparo À Educação Infantil (SOMAI) o estagio obrigatório do 4º semestre, total de 20 horas de observação, na turma de Maternal I, com crianças de dois e três anos. A turma possui 20 crianças, entre elas duas com necessidades especiais, para duas educadoras, composto por uma professora titular e uma auxiliar. O atendimento se da em turno integral, sendo que a SOMAI não tem fins lucrativos.

Através da observação feita durante essas 20 horas, é possível ver sim que o trabalho educativo pode criar novas condições para as crianças fazerem as suas descobertas, assim descobrindo novos sentimentos, valores, papeis sócias e costumes.

"A aproximação da realidade possibilitada pelo Estagio Supervisionado e a Pratica da reflexão sobre essa realidade tem se dado numa solidariedade que se propaga para os demais componentes curriculares do curso, apesar de continuar sendo um mecanismo de ajuste legal usado para solucionar ou acobertar a defasagem existente entre conhecimentos teóricos e atividade pratica." (VASQUEZ, 2001,p.241)

Essa etapa educativa tão importante e marcante na vida de nossas crianças, exige que seja atendida por profissionais com a devida formação, instrumentalização e paixão pelo trabalho que realizam.

 

 

 

 

Histórico da Escola

A Sociedade Metodista de Amparo á Infância foi fundada em 26 de dezembro de 1962, sendo uma Sociedade Civil Beneficente, antes conhecida como Lar das Meninas.

Em 1981 uma nova direção assume a Sociedade de Amparo à Infância – SOMAI, dando inicio ao um atendimento de creche, atualmente atende a 80 crianças, desde o berçário até jardim B. É caracterizada como uma educação assistencialista, sem fins lucrativos.

A SOMAI esta localizada numa área de 1.485 metros quadrados com dois prédios cobrindo uma área de 634 metros quadrados, salas amplas e áreas espaçosas para a recreação. Tendo como sua sede na Rua Bom Jesus, 610, Bairro Bom Jesus, Porto Alegre – RS.

O atendimento as crianças é feito de segunda a sexta-feira, em turno integral. São oferecidas refeições desde o café da manha a janta, estimulando as crianças e suas famílias a buscar uma qualidade de vida melhor a todos.

"Saber mais sobre o significado das experiências vividas no inicio da escolaridade para o processo de desenvolvimento infantil, bem como para a continuidade da vida escolar, representa a possibilidade de contribuir na construção de propostas que permitam acolher as crianças para acolher s crianças para melhor atender suas necessidades, facilitando-lhes estabelecer interações mais produtivas com esse novo contexto. (DANTAS, 1995, p. 105)

 As turmas estão dividas de acordo com a teoria de Piaget sobre o desenvolvimento infantil. São por faixa etária: 0 a 2 anos, Berçário; 2 a 3 anos, Maternal I; de 3 a 4 anos, Maternal II; 4 a 5 anos Jardim A; 5 a 6 anos, Jardim B, assim tendo como finalidade o desenvolvimento integral.

A SOMAI têm como principal objetivo promover uma educação com qualidade, com uma proposta de educação para a cidadania e inclusiva, possibilitando as crianças e as famílias uma visão de mundo diferente da realidade a qual eles estão acostumados.

"Sua construção começa no inicio da vida, período no qual as relações com o meio humano se dão, essencialmente por meio das emoções. Sua configuração, porem, só se torna possível mediante um processo no qual a criança faz a dissociação do seu eu do das outras pessoas. Para tanto a criança precisa alcançar um ‘poder de diferenciação, de critica e de analise, que não é afetivo mais intelectual. (WALLON, 1971, p. 139)

Os princípios da SOMAI fundamentam-se na formação plena da personalidade, na formação integral das crianças, na moralidade e na formação de um cidadão apto e disposto a transformar sua realidade, como afirma WALLON, 1971, Pág. 58:

"As personalidades, em lugar de se substituírem mutuamente podem resultar, assim, em uma atitude composta, que traduz a participação simultânea da criança em vários papeis componentes da situação. [...] mais uma vez, a situação se sobrepõe a individualidade dos personagens. Estes só existem em relação a ela e não se distingue uns dos outros."

Sendo assim, a SOMAI buscam através dos valores éticos cristãos, através da filosofia Metodista, estímulos necessários para as que as crianças se desenvolvem em todos os aspectos. A escola tem como eixo norteador as diferenças de classe social, a cultura, o gênero, a etnia, a diversidade e a qualidade da educação.

A fundamentação teórica da SOMAI, baseia-se basicamente em Piaget e Paulo Freire, tendo com proposta educativa a pedagogia de projetos, definindo objetivos e estratégias de uma forma criativa e de significados.

"[...] acrescentamos a essa metodologia uma reflexão sobre a realidade social, orientando os projetos de trabalho para a reflexão sobre as condições de vida da comunidade que o grupo faz parte, analisando-as em relação a um contexto sócio-político maior e elaborando propostas de intervenção que visem transformação social. (FREIRE, 1996, p. 357)

Nessa perspectiva a SOMAI compreende a avaliação como parte integrante ao processo educacional, assim ocorre durante todo o ensino e a aprendizagem, de uma forma continua e reflexiva, ocorre de forma descritiva e a entrega das avaliações são entregues aos responsáveis das crianças semestralmente, para que a família esteja à parte de como anda o desenvolvimento de aprendizagem das crianças.

GADOTTI (2003, p. 4), diz:

"É o observar, o verificar, o pensar o modo como a criança vê o mundo e a ele reage que interessa ao educador. A ação educativa passa a ser a procura do conhecimento interno dos ‘mecanismos de funcionamento' das crianças."

O que pude observar é que a Sociedade de Amparo À Infância – SOMAI, se preocupa com o bem estar e o atendimento as crianças. O cuidar e o educar estão presentes no cotidiano escolar.

"Cuidar significa valorizar e ajudar a desenvolver capacidades. Educar significa, portanto, propiciar situações de cuidados, brincadeiras e aprendizagens orientadas de forma integrada e que possam contribuir para o desenvolvimento das capacidades infantis [...]." (RCNEI,1998,p.23)

 A brincadeira esta constantemente presente no dia-a-dia dos alunos tanto em atividades recreativas, dirigidas, pátio e sala de aula. Percebe-se que as crianças ao brincar refletem suas vivencias cotidianas, podendo se expressar de forma harmoniosa ou conflituosa. A brincadeira ocorre de forma inclusiva de acordo com o Referencial Nacional e no projeto político pedagógico.

"Brincar é uma das atividades fundamentais para o desenvolvimento da identidade e a autonomia. O fato de a criança, desde muito cedo, poder se comunicar por meio de gestos, sons e mais tarde representar determinado papel na brincadeira faz com que ela desenvolva sua imaginação." (RCNEI,1998,p.22)

 

Relato de Observação                                                                 

Minha observação começou no dia nove de setembro de dois mil e nove, totalizando vinte horas de observação,quando cheguei a fui recepcionada pela professora titular da turma a qual fui fazer a observação que é o Maternal I, a turma como as demais crianças estavam assistindo ao DVD esperando a hora para ir à sala de aula, que ocorre às oito horas.

Fui juntamente com a professora titular, a auxiliar e a turma para sala, observei que as crianças chegam à sala de aula e colocam a sua mochila no seu respectivo nome, logo após já começam a seguir a rotina, as crianças se sentam nas mesas que são coletivas, a sala possui três mesas, e a professora distribui um brinquedo para cada criança e elas ficam sentados até o horário do lanche, que é às oito horas e trinta minutos.

Esse momento poderia ser usado de uma forma mais lúdica, onde em vez das crianças ficarem sentadas poderia ser usado como um espaço para brincar, pois o brincar é fundamental para a construção da autonomia e da identidade.

"Nas brincadeiras as crianças podem desenvolver algumas capacidades importantes, tais como a atenção, a imitação, a memória, a imaginação. Amadurecem também algumas capacidades de socialização, por meio da interação e da utilização e experimentação de regras e papéis sociais." (RCNEI,1998,p.22)

Brincar é, assim, um espaço no qual se pode observar a coordenação das experiências prévias das crianças e aquilo que os objetos manipulados sugerem ou provocam no momento presente.

Na hora do lanche que é às oito horas e trinta minutos as crianças fazem fila indiana mista, eles passam álcool gel nas mãos e ao som de uma musica que a professora escolhe e canta com eles, se dirigem ao refeitório para fazer a primeira refeição que a SOMAI oferece, antes de comer eles rezam e cantam novamente.

À hora da higiene ocorre às oito horas e quarenta e cinco minutos, onde as crianças vão ao banheiro e lavam as mãos.

À hora da rodinha é às nove horas, as crianças pegam suas cadeiras fazem a rodinha com auxilio da professora, começou com uma oração e depois a professora puxou uma música, todos participam cada um escolhe uma musica para ser cantada, depois de todos cantarem a sua musica a professora escolhe os ajudantes do dia, que são sempre uma menina e um menino, depois ela faz a chamada. O calendário também é feito na rodinha.

A turma tem duas crianças portadoras de necessidades especiais, as quais exigem muita atenção das educadoras. Na hora da rodinha aconteceu muitas vezes da turma inteira se dispersar por causa do aluno que tem necessidade especial, ele bate, morde, chuta, belisca, as educadoras e os colegas.

A inclusão dessas crianças ocorre de forma tranqüila e elas participam de todas as atividades propostas pela escola.

"A Educação Especial, termo cunhado para a educação dirigida aos portadores de deficiência, de condutas típicas e de altas habilidades, é considerada pela Constituição brasileira, como parte inseparável do direito à educação." (RCNEI,1998,p.36)

Observei que a matemática na hora da rodinha é bastante trabalhada, na hora do calendário, da contagem de quantos alunos vieram no dia, nas musicas que são cantadas também, a sala possui um relógio de parede.

"Deve-se considerar o rápido e intenso processo de mudança vivido pelas crianças nessa faixa etária. Elas apresentam possibilidades de estabelecer vários tipos de relação (comparação, expressão de quantidade), representações mentais, gestuais e indagações, deslocamentos no espaço." (RCNEI,1998,p.213)

A pratica realizada em natureza e sociedade se encaixava bem no projeto que a professora estava trabalhando com eles sobre a semana farroupilha, eles trabalharam a cultura gaúcha, as vestimentas, as comidas típicas, as cores da bandeira rio-grandense.

  "Nos primeiros anos de vida, o contato com o mundo permite à criança construir conhecimentos práticos sobre seu entorno, relacionados à sua capacidade de perceber a existência de objetos, seres, formas, cores, sons, odores, de movimentar-se nos espaços e de manipular os objetos. Experimenta expressar e comunicar seus desejos e emoções, atribuindo as primeiras significações para os elementos do mundo e realizando ações cada vez mais coordenadas e intencionais, em constante interação com outras pessoas com que compartilha novos conhecimentos." (RCNEI,1998,p.169)

O modo ao qual essa pratica de natureza e sociedade foi abordado dentro do projeto que a professora estava trabalhando partiu da realidade e das vivencias que cada aluno possui, partindo disso é importante mostrar tudo na forma mais concreta possível. E umas das formas mais completas de proporcionar isso as crianças é as deixalas brincarem de faz-de-conta, pois possibilita que as crianças reflitam sobre o mundo.

"Ao brincar, as crianças podem reconstruir elementos do mundo que as cerca com novos significados, tecer novas relações, desvincular-se dos significados imediatamente perceptíveis e materiais para atribuir-lhes novas significações, imprimir-lhes suas idéias e os conhecimentos que têm sobre si mesmas, sobre as outras pessoas, sobre o mundo adulto, sobre lugares distantes e/ou conhecidos." (RCNEI,1998,p.171)

Observou-se durante a rodinha a pratica de linguagem oral e escrita as crianças brincam com as palavras com muita facilidade quando estão cantando as musicas, ela imitam as vozes, usam o tom de voz se necessário.

"O uso da linguagem se constitui na condição mais importante do desenvolvimento das estruturas psicológicas superiores (a consciência) da criança." (VYGOTSKY, 1978, p. 59)

O momento do pátio ocorre às nove horas e trinta minutos, as crianças brincam na pracinha e nos dias de chuva elas ficam na sala de aula com brinquedo livre. Observei que na pracinha as crianças brincam em harmonia, já quando o pátio não pode ser usado por que esta chovendo, por exemplo, a turma fica muito agitada.

Na semana que observei não houve um momento sequer que a professora fizesse uma contação de historias, isso é uma pena porque a historia é um momento de partilha – o ato de ouvir e contar. Esse é o momento de propiciar que as crianças desde pequenas gostem e apreciem os livros para formar futuros leitores.

A Educação Ambiental pressupõe modificar os esquemas cognitivos dos participantes envolvidos no processo educacional, construindo novos conhecimentos, principalmente das crianças, que necessitam crescer com uma visão mais ampla sobre recursos naturais, e sua utilização na dia-a-dia como matéria prima e sua forma de preservação.

Na sala de aula as crianças possuem radio, livros, brinquedos, jogos pedagógicos, calendário, painel do ajudante do dia, colchonetes, mesas, cadeiras, materiais didático diversos e espelho.

O almoço ocorre às onze horas, onde eles cantam e rezam, a turma do Maternal I se mostra bastante independente, almoçam sozinhas e nesse momento há muita troca entre eles.

Observa-se que a escola SOMAI ainda necessita de muitas mudanças, mas que esta indo pelo caminho certo, espero que esses profissionais revejam como anda a sua pratica e percebam que mudanças, às vezes são para melhor.

 

Considerações finais

Concluí que devemos proporcionar as crianças momentos e condições para sua formação pessoal, física, psíquica e emocional, porque pude perceber que ainda nos dias atuais existe um ensino tradicionalista, onde a escola de é educação infantil é apenas uma deposito de crianças.

A Educação Infantil é uma etapa imprescindível para a aprendizagem de valores, por isso é de extrema importância que os professores sempre se qualifiquem e busquem metodologias inovadoras.

A função do professor e do aluno na realização de atividades renova-se na busca de estimular um processo de ensino voltado para a parceria na aquisição de aprendizagens.

A LDB regulamenta a educação infantil, definindo-se como:

"[...] primeira etapa da educação básica e que tem por finalidade o desenvolvimento integral da criança ate seis anos de idade, em seus aspectos físico, psicológico, intelectual e social, complementando a ação da família e da comunidade." (LDB, art.29).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 REFERENCIAS BIBLIOGRAFICAS

DANTAS, Heloysa. Pré-escola: Tempo de espera. Um estudo sobre o processo de ingresso na EMEI. São Paulo: FEUSP: 1995.

EDUCAÇAO. Referenciais Curriculares Nacionais para Educação Infantil. Brasília: MEC, 1998.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. Saberes necessários á pratica educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GADOTTI, Moacir. Boniteza de um sonho: Ensinar e aprender com sentido. São Paulo: GRUBHAS, 2003.

VASQUEZ, ADOLFO S. Filosofia da práxis. ISBN, 2007

VYGOTSKY, L.S. A formação social da mente. 2 ed. São Paulo: (Martiz Flores, 1978).

WALLON, H. As origens do caráter na criança. São Paulo: Difel, 1971.

 

 

 

 

 

 

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-infantil-artigos/relatorio-de-observacao-2858474.html

    Palavras-chave do artigo:

    educacao infantil

    ,

    inclusao

    ,

    brincar e meio ambiente

    Comentar sobre o artigo

    Marcelo Gomes González

    O Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil é um documento que equivale aos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs), já que foi criado pelo MEC em 1998. No entanto, há um debate ferrenho entre as grandes esferas da administração é o fato desse nível de ensino compor a Educação Básica, mas ser posta de forma facultada, fazendo com que, muita das vezes, não seja cursada pela criança, que fica com um ensino deficitário na base do conhecimento.

    Por: Marcelo Gomes Gonzálezl Educação> Educação Infantill 17/10/2012 lAcessos: 534
    Fábia Utsch

    No presente estudo tratei da inclusão apresentando o significado da palavra e trouxe o termo para a educação: escola e educação inclusiva. O termo inclusão se aplica em diversas situações e um cuidado especial precisa ser tomado para dar verdadeiro sentido à palavra na educação, pois se trata de aplicar o termo com pessoas. A partir dessa compreensão apresento algumas orientações para a inclusão na educação infantil.

    Por: Fábia Utschl Educação> Educação Infantill 28/11/2012 lAcessos: 123

    O presente artigo fundamenta-se em trazer considerações a cerca do lúdico e sua importância na educação infantil.

    Por: Edlene Maria da Silval Educação> Educação Infantill 02/11/2011 lAcessos: 1,727
    Fábia Utsch

    Esta pesquisa tem por objetivo mostrar que as crianças que são portadoras de autismo podem e devem se adaptar ao meio social e comunicativo, promovendo a busca pela sociabilidade e independência. Objetiva ainda, mostrar como identificar e estabelecer formas de reconhecimento do autismo.

    Por: Fábia Utschl Educação> Educação Infantill 28/11/2012 lAcessos: 222
    Alana Sardinha Freitas

    O artigo relata experiências vivenciadas numa escola de Educação Infantil na cidade de Itapetinga, Ba, durante a aplicação de um Projeto de Leitura"Histórias Infantis no Contexto da Pré-escola: Janelas Abertas Para Novos Leitores",com objetivo de despertar nas crianças hábitos de leitura e um olhar crítico sobre o mundo. Contribuindo para o desenvolvimento da autonomia, da criatividade, das múltiplas habilidades, o uso das potencialidades na realização das atividades propostas. Apresenta ainda o

    Por: Alana Sardinha Freitasl Educação> Educação Infantill 31/10/2011 lAcessos: 1,874
    Eliane Barros de Oliveira

    O artigo teve como objetivo coletar dado que demonstrassem a importância das atividades lúdicas, visto que jogos e brincadeiras são, conforme os estudiosos, experiências afetivas que correlacionam ao ambiente e devem ser explicadas nas crianças em fase pré-escolar. Baseado em referências teóricas, a proposta de trabalho permite afirmar a existência de jogos e brincadeiras infantis, que se bem aplicadas ajudarão no desenvolvimento da educação psicomotora e conseqüentemente no processo escolar.

    Por: Eliane Barros de Oliveiral Educação> Educação Infantill 31/10/2012 lAcessos: 575
    Verônica Carreiro

    O presente trabalho tem como objetivo ser uma contribuição para o debate acerca da importância das brincadeiras para o desenvolvimento infantil. Nesse intuito o trabalho busca explorar as posições mais correntes acerca das atividades lúdicas e sua importância para a Pedagogia e a sociedade em geral. Para ampliar a discussão buscou-se embasamento teórico sobre o desenvolvimento da criança.

    Por: Verônica Carreirol Educação> Educação Infantill 22/02/2012 lAcessos: 748
    Rosimeire Moreira Quintela

    RESUMO Esta pesquisa visa transformar métodos tradicionais contidos na escola levando os professores a participarem de pesquisas, práticas pedagógicas, inovações para que suas aulas se tornem mais criativas e produtivas. O objetivo é de auxiliar na superação do fracasso escolar em relação à leitura, pois se acredita na possibilidade de sucesso de todas as crianças...

    Por: Rosimeire Moreira Quintelal Educação> Educação Infantill 11/01/2012 lAcessos: 1,150

    O presente trabalho teve como objetivo analisar a natureza educativa do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) do município de Massapê no tocante as suas contribuições para o acesso à cidadania de seus participantes. O percurso metodológico deste trabalho utilizou a abordagem qualitativa do tipo estudo de caso. Os resultados obtidos apontaram a existência de proposta educativa planejada e executada de forma bem diversificada.

    Por: Carlos Justinol Educação> Ensino Superiorl 02/05/2011 lAcessos: 5,289 lComentário: 2

    Este trabalho toma como percurso a descrição da prática docente na utilização dos jogos tradicionais, em instituição particular, na cidade de Salvador-Bahia. As discussões estão pautadas em Kishimoto; Friedmann; Chateau; Freire; Piaget e Vigotsky. Partindo do pressuposto de que se as aprendizagens são variadas, é necessário que o professor esteja em constante renovação e reflexão de sua prática, para que alcance as necessidades da criança.

    Por: Geraldo Francisco dos Santosl Educação> Educação Infantill 22/04/2011 lAcessos: 6,844 lComentário: 1

    O transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) é uma doença cercada de controvérsia. Por atingir principalmente crianças, muito pais enxergam problemas onde eles não existem — sintomas isolados são comuns nesta fase da vida. Também há quem não preste atenção ao conjunto de sintomas que a caracterizam: quadros de desatenção, hiperatividade e impulsividade de maneira exacerbada.

    Por: Jania Gasques bordonil Educação> Educação Infantill 14/09/2014

    Receber os estudantes com deficiência é um avanço. Mas faltam fazer da inclusão uma realidade e assegurar o direito à Educação

    Por: Jania Gasques bordonil Educação> Educação Infantill 14/09/2014
    Isabel Cristina

    Atualmente, a proposta de educação inclusiva tem gerado polêmicas discussões entre os que adotam uma posição integracionista, os que defendem a escola inclusiva ou ainda aqueles que sentem a importância de uma educação especializada para o aluno com necessidades educacionais especiais . No longo caminho a ser percorrido muitas são as dificuldades a serem enfrentadas, principalmente as que dizem respeito às barreiras físicas e atitudinais,constituídas dos estigmas, preconceitos e estereótipos.

    Por: Isabel Cristinal Educação> Educação Infantill 29/08/2014 lAcessos: 13

    O objetivo deste estudo foi conhecer como se insere e desenvolve a educação ambiental na educação infantil em escolas públicas de dois municípios no Estado do Espirito Santo, Brasil. Trata de um estudo descritivo quantitativo. O universo da pesquisa foi 58 professores de Educação Infantil. O instrumento de coleta de dados foi um questionário de autopreenchimento com 13 perguntas objetivas sobre educação ambiental na comunidade escolar. Solicitou-se a assinatura do termo de consentimento livre e

    Por: DANIELE DE ALMEIDA NUNESl Educação> Educação Infantill 28/08/2014

    O que acontece pode ser considerado como bastante simples, sendo que o alfabeto ilustrado acaba por se tratar de um papel ou até mesmo uma fita decorativa que poderá ser utilizada na parede, ou até mesmo em um móvel.

    Por: anamarial Educação> Educação Infantill 27/08/2014
    Ariane David

    Para que o professor possa ser mediador no contato com a leitura, precisa dominar alguns conceitos, saber o que é leitura, como ela acontece e quando, que sensação ela deve acarretar em nós, a abrangência que o ato de ler possui; ler não é decodificar, lemos tudo a nossa volta e com todos os nossos sentidos, na verdade lemos sem saber ler. A criação de um ambiente alfabetizador é um dos caminhos para esse contato com o mundo letrado dentro da sala de aula.

    Por: Ariane Davidl Educação> Educação Infantill 25/08/2014 lAcessos: 12

    O presente artigo visa analisara importância do brincar no desenvolvimento e aprendizagem na educação infantil. Tem como objetivo conhecer o significado do brincar, conceituar os principais termos utilizados para designar o ato de brincar, tornando-se também fundamental compreender o universo lúdico

    Por: Sandra Maria dos Reis Bernardol Educação> Educação Infantill 22/08/2014 lAcessos: 21
    Carla Cardoso Gomes

    O presente artigo tem como objetivo apresentar os principais fatores que influenciam nas dificuldades dos discentes nos processos de aprendizagem. Uma pessoa que não conseguiu desenvolver todas as habilidades de leitura e noção matemática encontrará muitas dificuldades e desafios para relacionar-se com a sociedade de um modo geral. Quando a Escola não ajuda com um atendimento personalizado e especifico, a criança deixa de vivenciar situações de construção da identidade.

    Por: Carla Cardoso Gomesl Educação> Educação Infantill 05/08/2014 lAcessos: 33

    Comments on this article

    3
    LUZINETE 14/05/2011
    MUITO BOM SEU RELATÓRIO . PARABENS. REALMENTE EXISTE MUITOS PROFESSORES QUE PRECISAM REVER SUA PRÁTICA.
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast