Avaliação Na Ead: Contextualizando Uma Experiência Do Uso De Instrumentos

Publicado em: 02/02/2010 |Comentário: 1 | Acessos: 2,762 |

A avaliação nos ambientes virtuais de aprendizagem - AVA

Uma questão fundamental no Projeto Político Pedagógico (PPP) das instituições de ensino é a avaliação em suas múltiplas facetas, que há muito é objeto de conflitos e discussões tanto para os docentes quanto para os discentes na modalidade presencial. Assim sendo, questiona-se de que forma a avaliação encontra-se situada na Educação a Distância (EaD).

Segundo o Dicionário Priberam da Língua Portuguesa o termo avaliação pode ser entendido como o “ato de avaliar”. Avaliar significa: “determinar valor de; compreender; conhecer seu valor”. (FONTE). Na verdade, a avaliação é uma etapa do processo de ensino, cujo objetivo é garantir a aprendizagem, evidenciar posturas e escolhas metodológicas bem como o resultado dos objetivos educacionais.

Dentre as diferentes concepções de avaliação, a que está presente nas Diretrizes Curriculares do Estado do Paraná aponta que:

[...] a avaliação deve se fazer presente, tanto como meio de diagnóstico do processo de ensino e aprendizagem quanto como instrumento de investigação da prática pedagógica, sempre com uma dimensão formadora, uma vez que, o fim desse processo é a aprendizagem, ou a verificação dela, mas também permitir que haja uma reflexão sobre a ação da prática pedagógica (PARANÁ, 2009).

Assim sendo, compreende-se que ela não pode se restringir apenas ao âmbito cognitivo, pois envolve também uma filosofia educacional, uma metodologia, aspectos comportamentais.

Constitui-se um desafio estudar e desenvolver métodos de avaliação mais dinâmicos e interativos que possam ser empregados nesta modalidade de ensino tendo em vista que formas de avaliações inovadoras quase inexistem.

Na EaD, as preocupações com a avaliação são as mesmas da educação presencial. Embora ocorra de diferentes formas, considera as peculiaridades inerentes ao público-alvo, como a distância física entre os atores. Ao mesmo tempo, informa o desempenho acadêmico, a atitude, o comportamento; avalia também os materiais, métodos e instrumentos.

Posto isso, pode-se aplicar também à EaD a afirmação de Hoffmann (1993, p. 69), de que é preciso, coletivamente, “considerar as relações concretas que se travam entre os elementos da ação educativa” como um processo.

O ato de avaliar na EaD, por consequência, permite preparar o cursista para o exercício de novas funções, delegando-lhe mais autonomia que na ótica de Hadji (2001), está na associação do desempenho pessoal do cursista com os instrumentos de avaliação e de autoavaliação. Isso, com vistas à superação do modelo de avaliação classificatória, seletiva, autoritária e punitiva, como a praticada na pedagogia tradicional.

Ao longo da história, em diferentes momentos, têm surgido novos modelos de práticas avaliativas. Cristalizados, acabam por dar continuidade às formas tradicionais, mesmo sob novas denominações. Assim, na EaD, pode também ser utilizada a avaliação diagnóstica, a formativa ou a somativa.

Ao usar a avaliação diagnóstica deve-se ter como intenção: detectar deficiências na aprendizagem, verificar os níveis de conhecimentos prévios, saber em que medida os objetivos estabelecidos estão sendo alcançados; garantir avanços e o desenvolvimento do raciocínio oportunizando intervenções constantes; permitir que os cursos sejam reestruturados; possibilitar programar diferentes estratégias metodológicas; evidenciar aspectos qualitativos e quantitativos.

No aspecto qualitativo, é preciso considerar a atitude do cursista no que se refere a: participações nas atividades; interesse; colocações críticas fundamentadas nos conhecimentos; riqueza e pertinências das idéias; autonomia intelectual; níveis de cooperação; colaboração e interações com o grupo através de ferramentas como fórum, chat, e-mail; etc. (Aretio,1995). Já o aspecto quantitativo se restringe à quantidade de postagens de mensagens e participações do cursista nos Ambientes Virtuais de Aprendizagem - (AVA).

Entre os componentes que devem ser avaliados em EaD, figuram: os meios de comunicação (recursos/mídias), as interações nas ferramentas, o docente, o professor-tutor e o cursista. A partir desse último, ao longo das três últimas décadas, ampliam-se os estudos para avaliar os AVA.

Na EaD, as ações de interação se desenvolvem, geralmente, por meio de AVA. Esses ambientes apresentam ferramentas de administração, de autoria e de comunicação que proporcionam novas possibilidades de práticas avaliativas, pois

estes novos ambientes devem ser considerados também no processo avaliativo. Desta maneira, material didático, meios de comunicação, tutoria e organização de meios, acabam por influenciar os processos de ensino/aprendizagem, sem no entanto, modificar seus fundamentos epistemológicos. (ALONSO, 2002)

Por sua vez, a pesquisadora Neder (1996) defende a idéia de que os novos elementos apenas ressignificam os processos de ensino e de aprendizagem sem modificá-los substancialmente, ou seja, os fundamentos epistemológicos não se alteram, o que nos permite trabalhar com diferentes ferramentas.

As ferramentas de avaliação em um Curso de EaD

Nos cursos de formação de professores-tutores ofertados pela SEED, a seleção de ferramentas[1] deve ser criteriosa, pois elas podem influir no resultado do processo avaliativo.

Antes de se optar por cada uma das ferramentas, é necessário conhecê-las bem como suas possibilidades de uso. Esse conhecimento permite a escolha adequada dos instrumentos de avaliação. Desse modo, também é necessário esclarecer imprecisões da terminologia empregada no que se refere às ferramentas.

Entre elas destacamos:

  • fórum: pode ser utilizado isolado ou associado a outras ferramentas em atividades dirigidas. Nele, o cursista pode expressar sua opinião. É uma ferramenta assíncrona. Sua utilização considera aspectos qualitativos e quantitativos;
  • diário: permite ao cursista postar suas reflexões acerca de um tema e o relato do seu processo de aprendizagem. Possibilita a interação apenas entre cursista e professor-tutor;
  • wiki: ferramenta assíncrona de escrita colaborativa. Permite edição coletiva dos documentos e atualização dinâmica[2]. É necessário estar articulada a outra ferramenta, como o fórum e o chat, para que os cursistas possam organizar suas idéias e traçar suas metas;
  • chat: ferramenta de comunicação síncrona, exigindo que os participantes da discussão estejam conectados simultaneamente para que o processo de comunicação seja efetuado. Bate-papo;
  • lista de discussão: ferramentas de comunicação assíncronas. Caracteriza-se pelo recebimento e envio de mensagens por e-mail;
  • blog: páginas pessoais da Internet cujo mecanismo possibilita registrar e atualizar em ordem cronológica, opiniões, fatos, emoções, imagens, além de outros conteúdos que se queira disponibilizar;
  • tarefa: consiste na descrição ou no enunciado de uma atividade a ser desenvolvida pelo participante, que pode ser enviada em formato digital ao servidor da plataforma e será verificada posteriormente pelo professor-tutor;
  • mensagem (e-mensagem): comunicação breve que transmite informação a alguém;
  • glossário: ferramenta que permite criar e atualizar uma lista de definições como em um dicionário.

Instrumentos de Avaliação na EaD

Os primeiros instrumentos utilizados para medir ambientes de aprendizagem foram o Learning Environment Inventory (LEI), o Classroom Environment Scale (CES), o My Class Inventory (MCI) e o Class Activities Questionnaire (CAQ). (WALKER, 2004; FRASER, 2002).

Discorrer sobre instrumentos implica evidenciar com maior acuidade o seu significado. Desta maneira, a etimologia da palavra, instrumento significa: “s.m. (lat. instrumentum). 1. Todo objeto que serve para auxiliar ou levar a efeito uma ação fiśica qualquer. 2. Utensílio, ferramente, máquina, aparelho que serve para executar uma obra ou fazer uma operação. 3. Objeto destinado a produzir sons musicais. 4. Fig. O que é empregado para conseguir um resultado. (Dicionário da Língua  Portuguesa  Larousse. 2001, p.556).

Posto isto, acreditamos que a partir destes elementos conceituais seja  possível, definir instrumentos de avaliação como “os meios e recursos utilizados para se alcançar determinado fim, de acordo com os encaminhamentos metodológicos e em função dos conteúdos e critérios estabelecidos para tal”. (CGE, 2008).

Embora haja um discurso recorrente nem sempre a escola lança mão do uso diversificado de instrumentos de avaliação restringindo-se mais a provas e trabalhos.

A Deliberação 007/99, preconiza em seu parágrafo 1.° que “A avaliação utilizará técnicas e instrumentos diversificados”  o que representa um avanço e a garantia de que o processo avaliativo ocorra de maneira a favorecer também os cursistas da EaD.

  • questionário: ferramenta de comunicação assíncrona que possibilita também a comunicação síncrona e a criação de testes;
  • rubrica[3]: consiste em uma tabela (ver tabela 1) com critérios específicos para cada curso, programa ou tarefa. Auxilia a detectar os deficits, êxitos em relação ao conteúdo, motivação e a participação no curso. Além disso, possibilita fazer ajustes nas práticas docentes e facilita o diagnóstico de problemas específicos.

Para cada critério deve ser criada uma gradação que indica desde o aceitável até o ideal conforme tabela abaixo:

Exemplo 1: Atividade - Fórum

NÍVEIS

1-excelente

2-bom

3-regular

4-insatisfatório

Pontuação

CRITÉRIO:interação

Não interage

interage c/ frases iguais como: ok, legal

Interage c/ poucos

Interage c/ a maioria

Tab. 1: rubrica utilizada pela equipe de monitoramento do Grupo de Trabalho em

Rede - (GTR) / EaD/SEED.

  • portfólio: segundo Seiffert (2007), consiste em uma pasta individual gravada num banco de dados, onde são colecionados os trabalhos realizados pelos alunos no decorrer de um curso. Também é utilizado como instrumento de autoavaliação.
  • termômetro: instrumento também utilizado para medir, indicar, quantificar, o nível de desenvolvimento de atividades, tarefas em ambientes virtuais de aprendizagem.

Instrumentos de avaliação utilizados na EaD da SEED

O acompanhamento de determinado curso por meio de instrumentos de avaliação está sujeito às peculiaridades de cada instituição. Podem ser aplicados tanto nos cursos presenciais quanto nos a distância. Como em qualquer modalidade de ensino, não é viável a utilização de um único instrumento de avaliação. É importante oportunizar ao estudante várias formas de acesso aos conteúdos para alcançar os objetivos da aprendizagem.

No período de 14/04 a 01/06/2008, a SEED ofertou o “Curso de Formação de Tutores para Educação a Distância” para 89 cursistas. A turma foi dividida em cinco grupos, que realizaram as atividades a distância durante quatro semanas.

O “Curso de Formação de Professores-tutores para EaD”, em sua totalidade, pode e deve ser alvo de avaliação. No decorrer do curso, a avaliação foi processual e formativa.  Para tanto, optou-se pelo uso de um termômetro (vide figura 1).

MINHAS IMPRESSÕES SOBRE O CURSO

Concordo totalmente

Concordo parcialmente

Discordo totalmente

Atendeu minhas expectativas

Permitiu o uso e discussão das diferentes ferramentas e recursos disponíveis

Ofertou subsídios teóricos suficientes para meu trabalho como tutor

Os docentes foram claros na apresentação dos conteúdos

Os docentes responderam com clareza as dúvidas existentes

A programação foi adequada em relação à carga horária

Fig. 1 – Termômetro

Esse instrumento possibilita a coleta de informações e permite, de forma articulada, reunir diferentes abordagens: no âmbito do cursista, para analisar em que medida o curso e o material didático lhe proporcionam compreensão dos conteúdos; pelo prisma do coordenador pedagógico, para verificar a clareza dos conteúdos trabalhados e sua relação teoria e prática e, por fim, na perspectiva dos autores, para verificar o resultado dos trabalhos.

A utilização do termômetro se constitui numa possibilidade de se avaliar com maior freqüência, descaracterizando a função terminal do ato avaliativo (HOFFMANN,1993). Além disso, oportuniza a retomada dos conteúdos não apropriados pelos cursistas e permite analisar as relações que se estabelecem entre as respostas esperadas e as soluções apresentadas por eles.

É, pois, preciso que a avaliação deixe de

ser um momento terminal do processo educativo como hoje é concebida para se transformar na busca incessante de compreensão das dificuldades do educando e na dinamização de novas oportunidades de conhecimento. (HOFFMANN, 1993, p. 21).

No encontro presencial final do curso, foi utilizado o instrumento denominado “Autoavaliação/Avaliação curso”. Esse instrumento continha 39 questões com o objetivo de avaliar as seguintes categorias: curso, material de estudos, ambiente de estudos, apoio e orientação aos estudos (tutoria), metodologia e o sistema de avaliação.

Para todas as categorias conceituais, foram atribuídos os itens abaixo como opções de respostas às afirmações e/ou questões:

Refazer percurso

Bom

Ótimo

Discordo

Concordo em Parte

Concordo Totalmente

Na categoria Curso, o instrumento apresentou três itens, conforme o quadro a seguir:

CURSO

1. O curso, de forma geral, atendeu as suas expectativas.

2. O objetivo geral do curso foi alcançado.

3. O curso contribuiu para torná-lo mais autônomo, comprometido e capaz de desenvolver sua independência.

Fonte: Ditec/EaD

Gráfico 2 - Curso

Fonte: Ditec/EaD

Também foram objeto de análise as categorias: Materiais de Estudos, Ambiente de Estudos, Apoio e Orientação aos Estudos (Tutoria), Metodologia e a Avaliação.

Nesta última categoria o intuito foi deixar claro se o sistema avaliativo respondeu os questionamentos sobre os diferentes aspectos dos processos de ensino e de aprendizagem.

AVALIAÇÃO

36. O sistema de avaliação foi  desenvolvido considerando os processos de ensino e aprendizagem.

37. Os instrumentos de avaliação consideram o ritmo de aprendizagem  possibilitando alcançar os objetivos propostos.

38. Os conteúdos trabalhados no curso foram acompanhados e avaliados em todos os seus aspectos, de forma sistemática, contínua e abrangente.

39. A avaliação da aprendizagem realizada pelo(s) tutor(es), deu-se num processo contínuo.

Fonte: Ditec/EaD

Tabela 7 – Avaliação

Fonte: Ditec/EaD

CONSIDERAÇÕES

A avaliação[4] em EaD deve ser diagnóstica, formativa e processual e também  priorizar as diferentes construções do conhecimento, sejam individuais ou coletivas, envolvendo todo o processo.

Implementada por meio de instrumentos, a avaliação em EaD também deve ser reflexiva, crítica e emancipatória; buscando coerência na práxis, ressignificando os processos de ensino e de aprendizagem.

Quando se aborda a questão da avaliação reflexiva, é necessário dizer que é nessa dinâmica que se pode buscar a qualidade, a conscientização e o comprometimento; desde a implementação até o processo avaliativo na Educação a Distância.

Ao se tentar obter um parâmetro acerca dos resultados alcançados por meio da avaliação em EaD, na maioria das vezes, percebe-se a ausência de uma reflexão mais elaborada a respeito dos instrumentos utilizados. As ações se tornam rotineiras, o que dá margem ao desenvolvimento de um trabalho ingênuo que leva a equívocos no processo avaliativo e na busca de resultados que se pretende obter.

Dessa forma, nessa modalidade de ensino, é fundamental selecionar instrumentos que permitam verificar:

  • as transformações que possam ocorrer nos processos de ensino e de aprendizagem;
  • se houve assimilação e aproveitamento dos estudos;
  • se foram capazes de modificar o modo de o cursista ver o mundo;
  • se lhe propiciaram interferir na sua realidade e, também, abordar, com êxito, a aprendizagem dos conteúdos estudados.

Os resultados obtidos pelos instrumentos utilizados nos cursos de formação de professores-tutores para EaD, oferecidos pela SEED/DITEC/EaD, apontam possibilidades de ajuste às intervenções pedagógicas e à obtenção de melhor aproveitamento da aprendizagem.

Finalmente, constata-se, por meio dos instrumentos de avaliação utilizados na Educação a Distância, que se constituem em mais um recurso capaz de oportunizar/ampliar o leque de informações e conhecimentos específicos sobre como manejar e interagir com as ferramentas disponíveis no AVA, numa dinâmica que se articula entre saber de senso comum e conhecimento elaborado.

REFERÊNCIAS

ALONSO, K. M. A avaliação, a avaliação na Educação a Distância: algumas notas para reflexão. 2002. Disponí­vel em: . Acesso em: 22/04/09

ARETIO, L. G. Evaluación de los aprendizajes. In: _____. (Coord.). Estudos de Educación a distancia: La educación a distancia y la Uned. Universidad Nacional de Educación a Distancia:Madrid: s.n., 1996. p. 359-411.

CGE.Instrumento de avaliação. II Encontro CGE SEED/EGE NRE. Curitiba. 2008.Texto

Deliberação n° 007/99. Aprovado em 09/04/99. Câmaras de Ensino Fundamental e Médio. Conselho Estadual de Educação, do Estado do Paraná.

Dicionário Priberam. Disponível em:  Acesso em 30.mai.09.

Diretrizes Curriculares do Estado do Paraná. Secretaria de Estado da Educação do Paraná, 2009.

DORMAN, J.Classroom environment research: Progress and possibilities. Queensland Journal of Educational Research, 18(2), p. 112-140, 2002. In: MATOS, Daniel Abud Seabra; CIRINO, Sérgio Dias; LEITE, Walter Lana Instrumentos de avaliação do ambiente de aprendizagem da sala de aula: uma revisão da literatura. Disponível em: Acesso em 01.jul.09.

Fernandez, Consuelo. A avaliação em EAD: o caso da aprendizagem. Disponivel em: Acesso: 30 mai. 2009.

FRASER, B.J.: WALBERG, H.J. Educational environments: Evaluation, antecedents and consequences, Oxford, England: Pergamon Press, 1991 In: MATOS, Daniel Abud Seabra; CIRINO, Sérgio Dias; LEITE, Walter Lana Instrumentos de avaliação do ambiente de aprendizagem da sala de aula: uma revisão da literatura. Disponível em:

Acesso em 01.jul.09.

HADJI, C. Avaliação desmistificada. Porto Alegre: Artmed.2001.

LAROUSSE, Dicionário da Língua  Portuguesa – Paris: Larousse/São Paulo: Ática. 2001.

NEDER, Maria Lúcia Cavalli. Avaliação na Educação a Distância: significações para definição de percursos. In: PRETI, Oreste (Org). Educaão a Distância: Inícios e Indícios de um percurso. Cuiabá, EdUFMT, 1996: 75-94.

SEIFFERT, O.M.B.  Portfólio de avaliação do aluno: como desenvolvê-lo.  Disponível em: Acesso em: 28/04/09

TAGGART, G. L. et al. (Ed.). Rubrics: a handbook for construction and use. In: Machado, Suelen Fernanda: Menta, Eziquiel. A utilização das rubricas em Cursos de Educação a Distância: uma proposta de avaliação autentica. Disponível em: <www.sitedaescola.com/downloads/artigo_sbie2007.pdf.> Acesso em 30.mai.09.

[1] Ferramentas de avaliação: pode ser definida como um dispositivo que forneça uma vantagem mecânica ou mental para facilitar a realização de tarefas diversas. http://pt.wikipedia.org/wiki/Ferramenta.

[2] Atualização dinâmica: é uma ação que permite registrar e atualizar dinamicamente informações sempre que ocorrerem alterações.

[3] Rubrics (Rubricas) segundo Taggart(2001), em sua origem na palavra inglesa “Rules”(regras), e são estas regra estabelecidas desde o início do processo que orientam os alunos por quais caminhos podm/devem trilhar para potencializar sua aprendizagem.

[4] Implementar a avaliação e o uso de instrumentos engendram processos de desenvolvimento no ser humano, enquanto as ferramentas são necessárias por contribuírem para verificar como são construídas as aprendizagens.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-online-artigos/avaliacao-na-ead-contextualizando-uma-experiencia-do-uso-de-instrumentos-1811243.html

    Palavras-chave do artigo:

    formacao de professores tutores

    ,

    avaliacao na educacao a distancia

    ,

    ferramentas de avaliacao

    Comentar sobre o artigo

    Este artigo apresenta o curso de formação de professores nas tecnologias de linguagens audiovisuais produzido pela SEED/MEC e Unirede. Descreve sua organização estrutural, caracteriza as edições, evidencia os desafios e avanços a cada edição, ressalta os aspectos que redimensionaram o curso visando atender às diferenças regionais e pontua os ganhos dos professores cursistas no processo de formação.

    Por: Maria Amabia Viana Gomesl Educação> Educação Onlinel 10/09/2010 lAcessos: 863 lComentário: 2

    O presente artigo tem por objetivo abordar algumas questões sobre a EAD, sua criação, autorização, credenciamento e suas contribuições para a formação docente e profissional, através das novas tecnologias de ensino.

    Por: marcelo donizete da silval Educação> Educação Onlinel 14/09/2009 lAcessos: 14,843 lComentário: 4
    Professor Marcos Paulo

    TRADUTORES DO BRASIL APRESENTA - educação on-line pode ser definida como o conjunto de ações de ensino-aprendizagem que são desenvolvidas através de meios telemáticos, como a Internet, a videoconferência e a teleconferência. A educação on-line nos traz questões pedagógicas específicas com desafios novos para a educação a distância e para a presencial. Existe hoje no Brasil uma grande variedade de cursos on-line: cursos para poucos e para muitos alunos, cursos com pouca interação ...

    Por: Professor Marcos Paulol Educação> Educação Onlinel 15/09/2011 lAcessos: 148
    Valéria Araújo Cavalcante

    A modalidade de ensino á distância (EAD)tem crescido e ganhado espaço cada vez maior. Com a legislação pertinente e agora com maior apoio do governo para cursos semi-presenciais, embasados em testes e análises de especialistas da área, acredita-se que vire uma febre na internet.

    Por: Valéria Araújo Cavalcantel Educaçãol 10/01/2010 lAcessos: 1,289 lComentário: 5

    O estudo de currículo é determinante no contexto educacional, haja vista que ele norteia as situações de ensino, os conteúdos, os objetivos, as metodologias e as avaliações, ou seja, todo o planejamento escolar. Em uma dessas mudanças paradigmáticas de educação Goiás entra em um período de gestão 2012 de bimestralização do currículo, essa mudança acarretará vários fatos e transições na educação do estado. Analisaremos e discutiremos as mudanças desse período sobre um olhar crítico social.

    Por: BRUNO AMARAL RAMOSl Educaçãol 05/08/2012 lAcessos: 438

    Este trabalho é resultado de estudos e procura abordar o tema situando-o no contexto histórico apresentando uma breve análise sobre a educação a distância enquanto resultado de um processo de mudança, contínuo e crescente, presente na própria história da Educação brasileira, tendo com primeiro aparato legal o Art. 25 $ 2º da L.D.B. 4.024/61, efetivando-se em grandes dimensões com a atual L.D.B. ( 9394/96) em seu Art. 80, vem regulamentar a Educação à Distância em todos os níveis e modalidades.

    Por: Veronica Schroederl Educaçãol 05/08/2013 lAcessos: 72
    Mathias Gonzalez

    A notável relevância e complexidade do papel do tutor nos programas de Educação a Distância, demonstra a necessidade de um perfil profissional com habilidades e competências quase paradigmáticas. Espera-se que o tutor, além de possuir domínio da política educativa da instituição onde está inserido e conhecimento atualizado das disciplinas sob sua responsabilidade, exerça uma sedução pedagógica adequada no processo educativo.

    Por: Mathias Gonzalezl Educação> Educação Onlinel 02/03/2008 lAcessos: 64,485 lComentário: 2
    Mathias Gonzalez

    Para que você possa ter uma visão geral de como ocorre a gestão, estrutura e funcionamentos de cursos na modalidade de ensino a distância, torna-se necessário compreender os elementos que constituem um sistema educacional de EAD. Leve em conta que cada instituição possui o seu modelo. O que apresentarei aqui, é genérico e básico.

    Por: Mathias Gonzalezl Educação> Educação Onlinel 09/02/2009 lAcessos: 5,679 lComentário: 1
    Dr.Markus Hofrichter

    Em e-learning (aprendizado eletrônico Inglês = "aprendizagem electrónica suportada", literalmente "aprendizado eletrônico"), também conhecido como e-learning (E-Educação) serviços conhecidos como - entendido como incluindo todas as formas de aprendizagem - uma definição onde a mídia eletrônica/digital para a apresentação e distribuição de materiais de aprendizagem e / ou para apoiar o uso da comunicação interpessoal. Para e-learning pode ser encontrado como termos sinônimos incluem: aprendizado

    Por: Dr.Markus Hofrichterl Educação> Educação Onlinel 23/10/2011 lAcessos: 256

    Quantas pessoas não procuram por uma oportunidade de emprego no Brasil ? Seja ela porque acabou de ficar desempregada ou mesmo porque procura um emprego melhor de onde está atualmente. Saiba como conseguir encontrar cursos gratuitos pelo SENAI, SENAC e PRONATEC

    Por: sitesjoaoepaulol Educação> Educação Onlinel 09/10/2014

    Diversos cursos gratuitos já estão disponíveis para inscrição no SENAC em 2015, relacionamos as melhores opções e onde você pode se inscrever próximo a sua cidade. Confira o artigo abaixo.

    Por: sitesjoaoepaulol Educação> Educação Onlinel 09/10/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Com efeito, é necessária a reconstrução da razão, a Ciência não será emancipada, do mesmo modo o cidadão como a velha razão, produto da Filosofia Iluminista ligada aos interesses do Estado liberal moderno, como a renascença foi apenas uma razão intermediria entre os dois momentos: antigo e novo Regimes.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Educação Onlinel 04/10/2014

    A educação inclusiva é um movimento social que desafia a escola a ser mais representativa da diversidade que existe na sociedade, tornando-se assim mais democrática e justa, sabendo lidar com as diferenças.

    Por: Delimar da S. F. Magalhãesl Educação> Educação Onlinel 02/10/2014

    A Educação a distância ou simplesmente EAD é o gênero. Ou seja, é o conjunto das diversas modalidades de se ensinar, estudar e aprender a distância, podendo ser via rádio, jornal, TV, etc. Já o elearning é o termo, na língua inglesa, que equivale a uma dessas modalidades de educação a distância. No caso do e-learning, o primeiro "e" faz alusão à palavra "electronic", que refere-se à modalidade de ead que fornece cursos online por meio eletrônico, ou pelo computador.

    Por: Juracy Soaresl Educação> Educação Onlinel 05/09/2014
    Lucileno Matos

    Este artigo tem como objetivo geral "Analisar as condições socioeconômicas do município de Imbituba". O trabalho fez uso da pesquisa bibliográfica e se enquadra como pesquisa básica com abordagem qualitativa do tipo estudo de caso. Como resultado, a pesquisa apontou a importância do desenvolvimento econômico para Imbituba, e que, para a análise da economia de um País, Estado ou Município, há a necessidade da adoção de indicadores: populacionais; sociais; econômicos; e infraestrutura.

    Por: Lucileno Matosl Educação> Educação Onlinel 14/08/2014 lAcessos: 31

    Admite-se que nossa inteligência compreende dois tipos de lógica, duas formas de processar a realidade

    Por: Central Pressl Educação> Educação Onlinel 28/07/2014 lAcessos: 12

    A importância do autodidatismo é ignorada por muitos. E desprezada por outro tanto. Muitos pensam que quem não quer estudar se transforma muitas vezes em autodidata. O que ocorre é exatamente o contrário, somente os que gostam de estudar têm condições de se tornarem um autodidata. Somente aqueles que sabem da importância dos estudos, da indispensabilidade dos estudos, somente estes - repetimos - têm a necessária força e disposição para se tornarem um autodidata.

    Por: Ebenézer Anselmol Educação> Educação Onlinel 26/06/2014 lAcessos: 27

    Este texto trata dos pressupostos teóricos e metodológicos acerca da Formação do Gestor Escolar. Destina-se ao aprofundamento das questões relativas à Formação do Gestor Escolar e Gestão e Uso de Tecnologias na Educação. O conteúdo didático desta produção é destinado a quem pretende aperfeiçoar-se na formação do gestor escolar para que este atua na gestão das tecnologias na educação com desenvoltura.

    Por: Marco Antonio Amarall Educação> Ensino Superiorl 12/01/2012 lAcessos: 2,187

    Este artigo busca refletir a importância de se efetivar o papel articulador ao fazer cotidiano. Apresenta alguns conceitos a respeito da Educação à Distância, desde seu início até a atualidade. Pondera sobre o real papel do tutor no processo de ensino e aprendizagem. Tenta justificar que é necessário caracterizar a atuação desse profissional para que o cursista tenha formação e aprendizagem significativa, tornando-o autônomo e emancipado plenamente.

    Por: Marco Antonio Amarall Educação> Educação Onlinel 09/12/2009 lAcessos: 2,109

    Este artigo trata da Educação a Distância. Apresenta alguns conceitos a respeito da Educação a Distância, desde seu início até a atualidade. Pondera sobre as abordagens teóricas e metodológicas e sua presença na Lei.

    Por: Marco Antonio Amarall Educação> Educação Onlinel 09/12/2009 lAcessos: 2,043

    Neste artigo pretende-se refletir sobre a formação inicial e continuada do gestor escolar bem como os referenciais que norteiam esse estudo.

    Por: Marco Antonio Amarall Educação> Ensino Superiorl 24/04/2009 lAcessos: 12,049

    Neste artigo trataremos da imperiosa necessidade de se implementar a formação tecnológica do gestor.

    Por: Marco Antonio Amarall Educaçãol 24/04/2009 lAcessos: 1,719

    Este artigo trata das Políticas de Pós Graduação em Educação busca refletir de que forma vem ocorrendo os cursos de pós graduação perante os efeitos da globalização.

    Por: Marco Antonio Amarall Educaçãol 12/03/2008 lAcessos: 601

    Este texto trata das diferentes formas de aprendizagem.

    Por: Marco Antonio Amarall Educaçãol 12/03/2008 lAcessos: 2,116 lComentário: 1

    Comments on this article

    0
    viviane Simioni 05/11/2010
    A EaD é uma modalidade que vem se destacando dia a dia.
    Encontrar pesquisadores nesta área, com tanto embasamento teórico, é sem dúvida, um grande privilégio. Se tratando de avaliação na EaD, este privilégio é ainda maior.
    Parabéns
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast