Entre O Formal E O Informal

23/06/2008 • Por • 88,174 Acessos

Conceituamos a Educação Formal, como sendo aquela que ocorre dentro da Escola, onde existem profissionais com a exclusiva função de ser o mediador entre o educando e a Cultura. É notório que cada vez mais cedo estamos sendo inseridos na educação formal, devido a compreensões distintas sobre “aprendizagem”, entre antigos Pedagogos e os atuais.  O que fez mudar tais conceitos é o grande numero de informações que chega-nos através da educação informal, que está cada vez mais sistemática e consequentemente Formal. Com a ampliação e amplitude dos meios de comunicação, principalmente a internet, conceitos antigos, estão sendo revisto, fazendo-nos refletir sobre a informalidade da Educação.

A educação informal acontecia através do contato relacional com os pais, amigos, e meios de comunicação de massa. Mas que educação, além da moral é claro, que um pai sem instrução poderia dar ao filho ou filha ou ambos, ainda como aprenderíamos sobre catetos e hipotenusas, com amigos e familiares, que só aprendiam escrever o seu nome e laçavam-se no mercado de trabalho, completamente despreparados. Devido a esses fatores a formalidade da educação foi atribuída única e exclusivamente a Escola, que aceitou promover e desenvolver o aprendizado, sendo assim os protagonistas do “Bom Ensino”. Por apresentarem uma forma sistematizada e planejada, a Escola tornou-se a principal responsável pela construção social e cultural do individuo. Realizou com êxito sua missão, pois ao assumir mais cedo à responsabilidade de educar, transformou e deixou a sociedade mais desafiadora e suscetível a aprendizagem,como afirma o Sr. James Flynn, Cientista político e defensor dos direitos civis, em uma entrevista à revista Super Interessante:





  • Se as pessoas têm mais educação formal, é provável que os testes que enfatizam o raciocínio matemático, o vocabulário e o conhecimento geral mostrem maior pontuação. Se as pessoas têm mais lazer, jogam mais xadrez, debatem mais, jogam mais videogames e fazem mais palavras cruzadas, a maior pontuação será em testes de resolução de problemas abstratos. (FLYNN,2000) 




 

Acontece que a sociedade tem vida própria e quanto mais cresce, mais vai criando opiniões conflitantes como todo adolescente, e começa a questionar certos conceitos, quer sejam atidudinais ou procedimentais. Ela questiona através de movimentos, estudos e debates, o assunto da assimilação da Escola de funções pertinentes aos pais e responsáveis, que passivelmente aceitaram a transferência de suas responsabilidades ao Estado, representado pelas Escolas, talvez por conveniência. Esta mesma sociedade que esta agora na puberdade, esta despertando e quer devolver aos pais a tutela educacional de seus filhos. Os mesmos pais, que outrora também foram adotados por ela, para que possam através da educação formal que receberam refletir informalmente no caráter de seus filhos. Porém o que esta acontecendo é que a Sociedade quer que isso ocorra de forma processual e  não eventual   , para que pais e educadores consigam se reencontrar nesta nova forma de educar.Algumas instituições educacionais querem acelerar o processo enquanto que outras ainda nem pensaram em começar .

Encontrar o equilíbrio neste processo é o grande desafio desta geração, porém a realização desta transferência é uma necessidade, para não correr o risco de que ninguém mais queira fazer este papel, nem pais e tão pouco professores, tornando-se um grande “empurra-empurra”, entre a informalidade dos pais e a formalidade da Escola. Se isto acontecer, teremos uma Sociedade adulta, porém irresponsável, ignorante, violenta e principalmente desamparada.

 

REFERÊNCIAS 

SNIECIKOSKI, Luciane. Geração de Inteligência. Revista Super Interessante, Rio de Janeiro, ed.035, p.19-21, dez.2000.

Perfil do Autor

Edevânio Francisconi Arceno

Acadêmico de História UNIASSELVI;Professor de História do Ensino Fundamental da Rede Pública na Escola Municipal Vicente Vieira e Policial...