Gestão Democrática Da Escola Publica: È Preciso Educar Todos

Publicado em: 28/10/2008 |Comentário: 36 | Acessos: 196,649 |

  Gestão democrática da escola Pública:È preciso  educar todos                 


               Organizar o trabalho pedagógico em escola pública não é uma tarefa fácil é algo abrangente,requer uma formação de boa qualidade além de exigir do gestor um trabalho coletivo que busque incessantemente a autonomia,liberdade,emancipação e a  participação na construção do projeto político-pedagógico.Numa gestão democrática,o gestor precisará saber como trabalhar os conflitos e desencontros,deverá ter competência para buscar novas alternativas e que as mesmas atendas aos interesses da comunidade escolar,deverá compreender que a qualidade da escola dependerá da participação ativa de todos membros,respeitando  individualidade de cada um e buscando nos conhecimentos individuais novas fontes de enriquecer o trabalho coletivo.


                 A educação é o objeto de estudo da escola,ela é um instrumento primordial que viabiliza a prática da gestão democrática,pois seu papel é dirimir a filosofia,o pensamento,o comportamento e as relações humanas que os alunos necessitam para viver numa sociedade,pois dessa forma estarão aptos a construir uma visão sólida e crítica da realidade educativa,buscando alternativas coletivas para os problemas no âmbito social e escolar.


                    A organização do trabalho pedagógico é uma estratégia educacional para democratizar o processo ensino-aprendizagem,então é de suma relevância para um gestor implementar novas forma de administrar em que a comunicação e o diálogo estejam inseridos na prática pedagógica  do docente.Cabe ao gestor assumir a liderança deste processo com competência técnica e política.


                    Ao assumir esse papel o gestor deve,necessariamente buscar a articulação dos diferentes atores em torno de uma educação de qualidade,o que implica uma liderança democrática,capaz de interagir com todos os segmentos da comunidade escolar.A liderança do gestor requer uma  formação pedagógica crítica e autônoma dos ideais neoliberais.Nesse sentido,o objetivo  é construir uma verdadeira educação com sensibilidade e também com destrezas para que se possa obter o máximo de contribuição e participação dos membros da comunidade.Conforme Libâneo(2001,p.102


 A participação é o principal meio de assegurar a   gestão democrática da escola,possibilitando o                                              envolvimento de profissionais e usuários no processo de tomada de decisões e no funcionamento da organização escolar.Além disso,proporcionar um melhor conhecimento dos objetivos e metas,da estrutura organizacional e de sua dinâmica das relações da escola com a comunidade,e favorece uma aproximação maior entre professores,alunos e pais.  


                 De acordo com o autor, pode-se observar que a escola precisa ter liderança de um gestor comprometido com a qualidade da educação e com as transformações sociais que possibilite avançar o aluno nos mais variados aspectos:social, político,intelectual e humano.Organizar o trabalho pedagógico requer enfrentar contradições oriundas das diversas realidades que se encontram numa escola pública,daí a necessidade da escola educar para a democracia,e essa tendência pedagógica deverá ser observada ao longo dessa labuta.


                     á pouco tempo,o modelo de gestão escolar se configurava num diretor autoritário e submisso aos órgãos centrais e seu função se restringia a de administrador de determinações estabelecidas pelas instâncias superiores.O processo de autonomia da escola se deu a partir da década de oitenta quando tomaram posse os primeiros governantes eleitos pelo voto direto.A parti daí a discursam por uma educação democrática ganhou amplitude e vários movimentos começaram a incentivar a luta por uma escola participativa, autônoma e de qualidade.   


                   Nesse bojo,faremos uma pesquisa de campo numa  escola pública de nível fundamental (Séries iniciais) localizada na periferia do município de   Cametá no interior do Estado do Pará com a finalidade de observarmos  alguns mecanismos que abarcam a gestão escolar.Iniciaremos com um questionário voltada ao diretor,professor,alunos e funcionários.  


   1:De que maneira a legislação e as políticas  públicas auxiliam/dificultam o trabalho da instituição?


    Gestor:As escolas estão passando por um processo de mudança política e pedagógica,mas existe muitas resistências por parte de professores com formação nos anos 70 e 80 período do regime militar,e que não aceitam mudar a sua forma de ensinar,e isso vem dificultando a implementação das políticas educacionais.Se pudéssemos aposentar esses professores com antecedência as escolas com certeza melhorariam a qualidade de ensino.


      Professora  1 : Tenho só nível médio e pouco conhecimento  das políticas educacionais,mas sei que elas tem o papel de nos orientar enquanto professore sobre nossos direitos e deveres.E em  relação a sua implementação na nossa escola tem uma certa influência,anteriormente não se discutia legislação educacional,mas com a chegada do novo diretor sempre tocamos em alguns artigos para discutimos  nas nossas reuniões.


       Professor2: Como nós somos professores de formações tradicionais e modernas,as políticas educacionais de certa forma tem contribuído na ampliação de nosso conhecimento no que concerne os nossos direitos e deveres previsto na lei,mas na escola havia uma displicência visível  da gestão em relação a esse assunto,com a chegada do novo diretor isso em 2006 conseguimos colocar em pauta algumas questões envolvendo as políticas educacionais como:Recursos financeiros,qualidade de ensino e gestão democrática e muitos outros assuntos.


2:Se existe a participação de funcionários,professores,alunos,comunidade nas ações e decisões da escola?                       


Gestor:Venho tentando administrar democraticamente para professores,alunos, pais,funcionários e comunidade,o que me interessa e o aprendizado dos alunos e a qualidade do ensino,mas não é fácil mudar o sistema,existe pessoas inclusive professores que tentam burlar,impedir  as mudanças  por pertencerem  a partidos políticos opostos.Acredito que a participação de todos tem fortalecido a minha gestão na tomada de iniciativas.


 Professora 1:Na escola desde da primeira reunião com o diretor  ele sempre afirmou que gostaria de administrar com a participação de todos,e essa descentralização das tomadas de decisões tem levado a uma melhoria nos relacionamento dos professores,pais,alunos e a comunidade. 


 Professor 2:Na minha opinião a  participação tem contribuído para a qualidade do ensino dessa escola,o antigo diretor era mais fechado na verdade era um centralizador,não víamos pais e nem alunos nas decisões,pereciam ter medo da escola.Hoje, consigo ver pais e professores optando nas decisões,e isso para mim é democracia.


 Funcionário:Apesar de trabalhar  pouco tempo nessa  escola e a primeira vez que participo de reuniões envolvendo todo mundo(diretor,professor,vigia,servente ,aluno e a comunidade)no meu tempo como  estudante não podíamos nem olhar para o diretor,para mim isso é um aprendizado,e que vai servi para melhoramos a visão de muitas pessoas que falam mal de escola pública. 


 Comunidade:Anteriormente só participava de entrega de boletim,hoje já consigo entrar na escola sem medo e participar de algumas decisões como:evento culturais e educativos.


3- Quais são os mecanismos e práticas de participação e comunicação que existem na instituição?


 Gestor: Acho que o dialogo é um dos mecanismos mais eficiente que utilizo para buscar a participação de todos no processo educativo,pois essa abertura interativa da escola na minha opinião facilita o desenvolvimento democrático e as relações professor-aluno,servente-professor,diretor-vigia ,diretor-aluno.


 Professora 1: A gestão da escola e bastante democrática, o planejamento,as reuniões pedagógicas os eventos educativos e culturais  sempre envolvem a participação de todos inclusive a comunidade,e uma outra realidade que a escola vive,os diretores anteriores  articulavam  quase que isoladamente  as tomadas de decisões  e isso não melhorava a qualidade de ensino.


 Professor 2:O dialogo talvez seja o mecanismo mais importante da gestão da escola,as pessoas estão participando mais nas decisões e isso está influenciando no sucesso e na qualidade do ensino. 


 Aluno: Sim,o diretor tenta nos envolver nos trabalhos da escola pelo menos eu participo mas tem alguns colegas que não gostam de fazer nada.


Funcionário: Hoje nessa escola já converso com diretor,professor,alunos dou a minha parcela de contribuição para o desenvolvimento da escola.Acho que a participação  o relacionamento vem fazendo diferença na escola. 


  4- Quais são as maiores dificuldades que os professores e funcionários enxergam e descrevem?


Professora1:Mudar uma realidade escolar é difícil,exige competência e motivação da gestão,essa escola está avançando,mas ainda apresenta algumas dificuldades como:A má qualificação dos professores, material didático insuficiente,pouca merenda escolar,salas super- lotadas e uma clientela com altos níveis de deficiência de aprendizado devido ao seu padrão econômico.Para  vocês terem uma idéia existem alunos que só freqüentam a escola quando há merenda o que acaba contribuindo para a repetência dos mesmos.


Professor2: As dificuldades encontradas na escola são bem comum a qualquer outra como:a lotação das salas de aula, a falta de sala da leitura para alunos com problemas de aprendizado,pouca merenda escolar e recursos didáticos e professores sem qualificação, mas acho que uma das maiores dificuldades que tínhamos anteriormente,era a falta de relacionamento,aqui anos atrás ninguém se falava e nem se comunicava e os alunos eram os mais prejudicados.


 Aluno:Existe muito colega mal em minha escola bate na gente e ninguém faz nada,isso pra mim é uma dificuldade. 


Funcionária:Sou servente á mais de seis anos nessa escola posso dizer que ainda temos dificuldades em relação a merenda escolar que não é suficiente,professores que faltam por que querem, alunos violentos,poucas salas de aulas para uma demanda enorme,mas com a chegada da nova gestão estamos resolvendo nossos próprios problemas caminhando com nossas próprias pernas.


                 Procurei articular as perguntas da melhor maneira possível para não intimidar os entrevistados e fiquei surpreendido com as respostas.Apesar  do rótulo que as escolas públicas são um lugar de violência e contradições,pude observar nessa escola um modelo de gestão escolar influente,onde todos participam do processo educativo e essa realidade é muito difícil encontramos em escolas públicas onde nas maiorias das vezes a gestão é autoritária.


                Como a entrevista não se voltou só as perguntas do roteiro pré-estabelecidas,fui tentando obter mais informações a respeito da organização do trabalho pedagógico,e professores e funcionários colocaram que o atual gestor vem trabalhando numa dimensão pedagógica e interdisciplinar envolvendo e evocando todos a participarem das tomadas de decisões isso vem garantido a qualidade do ensino e harmonia na escola.


               Segundo as mesmas na gestão anterior havia uma centralização das decisões,o planejamento era construindo com a ausência de quase a maioria dos professores as formas de avaliação não avaliavam a aprendizagem do aluno mas a nota, o currículo fugia da realidade educacional não existia uma discursam sobre os assuntos para serem trabalhados, ele era excessivamente autoritário,mas agora estamos progredindo com o atual gestão eu posso afirmar que um bom gestor pode mudar uma escola.


             Baseado nas narrativas de todos os envolvidos na escola percebe-se que a atual gestão vem fazendo diferença, Apesar de ser um jovem possui uma postura dinâmica e interativa buscando dialogar com professores,alunos e funcionários e ainda consegue atrair interesse da comunidade no desenvolvimento da aprendizagem.A escola não tem grandes recursos para dá condições de trabalho a professores e alunos,mas tem pessoas incentivadas lutando por um único ideal fazer com que os alunos aprendam.


             È notório que essa escola estar crescendo em todos os aspectos:pedagógico,metodológico,ético e profissional devido a uma direção motivada e competente norteada por objetivos claros e compartilhados com professores,pais,alunos e funcionários.O fato de muitos diretores sem qualificação serem nomeados por políticos tem levado ao malogro de muitas escolas que não conseguem desenvolver um bom trabalho.                                  


            A qualidade de ensino dessa escola tem feito a diferença na aprendizagem e influenciado professores, estudantes e a comunidade a participar das tomadas de decisões,é importante ressaltar a participação de cada um no processo pedagógico na escola que vem investindo em uma nova organização pedagógica,buscando estabelecer uma relação interativa com o “fazer” escolar e preocupada em ofertar à comunidade,em geral,e aos alunos em particular,uma trabalho pedagógico que venha a formar cidadãos participativos e conscientes de seu papel na sociedade.Como afirma Veiga(2007,p.7)


                                                                                          A democratização da educação básica e superior   como direito    de todos os cidadãos é uma meta não somente de governo ou do Estado,mas é também na aspiração,relativamente manifesta tanto social como individualmente --- ainda que de maneira mais ou menos latente --,porém muitas vezes negada pelo exercício da restrição aberta ou velada á efetiva democratização da sociedade brasileira.                      


          Com base na autora podemos compreender que a sociedade possui um papel de grande relevância e influência na luta pela escola democrática e na preparação do cidadão com potencial de trabalho,porém passa ser incumbência dela exigir mais competência,mais flexibilidade e agilidade do sistema de ensino, de modo que a escola possa acompanhar suas solicitações e perceber que o exercício da autonomia pode ser um aliado na busca da qualidade da educação.


          Completando as analises sobre gestão democrática,prática pedagógica e legislação  produziremos um texto reflexivo sobre os conhecimentos abordados afim de ampliarmos nossa compreensão.


           As atitudes os conhecimentos o desenvolvimento de habilidades na formação do gestor da educação são elementos cruciais  para o funcionamento da educação escolar.O estudo realizado ressalta a importância e necessidade de um maior aprofundamento e conhecimento por parte da comunidade escolar no que se refere à organização da gestão do trabalho pedagógico na escola pública frente aos princípios de gestão democrática.A construção de um projeto educativo coletivo constitui a identidade de cada Escola e é, sem dúvida,o instrumento primordial que permite uma gestão democrática.Como afirma Libâneo(2001,p.145)


A organização e a gestão do trabalho escolar requerem o constante aperfeiçoamento profissional-político,científico,pedagógico - de toda a equipe escolar.Dirigir uma escola implica conhecer bem seu estado real,observar e avaliar constantemente o desenvolvimento do processo de ensino,analisar com objetividade os resultados,e fazer compartilhar as experiências docentes bem-sucedidas.


                      Nessas condições fica evidente que a organização pedagógica necessita de uma gestão qualificada que garanta a eficiência do ensino,no entanto o trabalho em conjunto torna-se indispensável para desenvolver competências que permitam realmente aprender com o outro e construir de forma participativa a democratização da escola pública.


                      A organização do trabalho pedagógico é uma forma da educação se desenvolver com mais qualidade,por isso deve ser construído e reconstruindo continuamente para que cada escola tenha autonomia para refletir,indicar e atuar nos problemas e soluções.


            A participação fortalece a gestão democrática,contudo há uma necessidade de descentralização e democratização da educação para que venha provocar mudanças pedagógicas no processo ensino-aprendizagem  Como afirma Lück(1998,p.15),”o entendimento do conceito de gestão já pressupõe,em si,a idéia de participação,isto é,do trabalho associado de pessoas analisando situações,decidindo sobre seu encaminhamento e agir sobre elas em conjunto”.            


               Conforme a autora ressalta a gestão participativa é uma necessidade de qualquer gestor que pretende priorizar a qualidade do trabalho pedagógico, nenhuma escola avança sem unidade do grupo,portanto a participação plena promovida pela gestão escolar pode dá sustentabilidade própria ao processo educacional fortalecendo o desenvolvimento de uma consciência social crítica direcionada a formação humana.


               Uma gestão de qualidade requer liderança abalizada e dedicação, visando valores que inspirem a todos á trabalharem em prol de uma escola produtiva.Daí aos responsáveis pela Gestão de criarem um ambiente estimulador para o aprendizado e para a participação de todos no processo educativo.


                  A qualidade da educação não depende apenas de uma gestão democrática,mas de um planejamento participativo e de um projeto pedagógico eficiente e contextualizado com a realidade da escola.Afirma Veiga(2001,p34)


A escola é uma organização viva e dinâmica,que compartilha de uma totalidade social,e o seu projeto político-pedagógico deve ser também vivo e dinâmico,norteador de todo movimento escolar-seu plano global,seu plano de ensino,seu plano em torno das disciplinas e,inclusive seu plano de aula.Em fidelidade ao conceito de formação,os sujeitos envolvidos-gestores,pais,professores e alunos- traduzem o projeto político-pedagógico concretamente,visando á construção da formação humana.E a finalidade das mediações de ordem escolar tem como parâmetro,ou deveria ter,a própria formação.  


     Dessa maneira,a autora propõe o projeto político- pedagógico numa   dimensão humana construído para auxiliar o trabalho educativo de professores,alunos,coordenadores e diretores,estabelecendo uma comunicação dialógica,para propiciar a criação de estruturas metodológicas mais flexíveis para reinventar sempre que for preciso.A confirmação desse contexto só poderá ser dada numa escola autônoma,onde as relações pedagógicas se completam com as relações  humanas.


             Nesse âmbito,faz mister romper com as tendências fragmentadas e desarticuladas do modo de conceber o projeto para re-significar as suas práticas, para criar a identidade de cada escola particularmente.Tendo como ponto de partida, o planejamento.


Partindo desse princípio,a escola precisa da participação da comunidade como usuária consciente deste serviço,não apenas para servir como instrumento de controle em suas dependências físicas.Trata-se de romper com os muros da escola.


   A partir da visão interdisciplinar os professores devem reconhecer a importância de romper com as posições pedagógicas autoritárias para fazerem dialeticamente a relação necessária entre as disciplinas que compõem o currículo escolar e a realidade concreta da vivência do aluno.O desafio de um novo projeto pedagógico não deve levar em conta o consenso como ponto de partida,mas o conflito que favorece a diversidade numa trajetória construída coletivamente na tomada de decisões.


              Mudar as relações de trabalho esse é o principal objetivo de uma gestão democrática,para que essa meta seja atingida precisamos redefinir o conceito de educação através de um planejamento pedagógico consistente voltado ao aprendizado do aluno.Várias escolas não consegue planejar por despreparo da equipe técnica e no fim acabam perdendo a qualidade do ensino.Conforme Padilha(2001,p.30)


 Planejamento é processo de busca de equilíbrio entre meios e fins,entre recursos e objetivos,visando ao melhor funcionamento de empresas,instituições,setores de trabalho,organizações grupais e outras atividades humanas.O ato de planejar é sempre processo de reflexão,de tomada de decisão sobre a ação;processo de previsão de necessidades e racionalização de emprego de meios(matérias)e recursos(humanos)disponíveis,visando a concretização de objetivos,em prazos determinados e etapas definidas,a partir dos resultados das avaliações.          


                  


               Além disso, o planejamento é um suporte pedagógico que norteia todas as pretensões da escola, é ele que dinamiza a ação educativa buscando a racionalização,a problemática do contexto social e a organização escolar,portanto  é uma atividade que está dentro da gestão democrática,com o propósito de evitar impasses e estabelecer caminhos que possam viabilizar a  melhoria da educação.


                Gestores educacionais no sistema e nas escolas precisam reformular o conceito de planejamento para que identifique os problemas e resoluções de modo mais participativo em questões que envolvam gestão financeira, liderança democrática,grade curricular e as relações interpessoais.As escolas públicas devem planejar,a partir de sua realidade,integrando questões administrativas e financeiras com currículo e demais preocupações político-pedagógicas.


                  A escola e sua equipe devem estar preparadas para ocupar esse espaço com compromisso, competência humana, teórica, técnica e política. A consolidação de uma gestão escolar de cunho democrático-participativo requer competência cognitiva e afetiva, respaldada na contextualização de valores, hábitos,atitudes e conhecimentos,para o desenvolvimento de atitudes coletivas, é importante cultivar o espírito de coesão,a partir da formação da equipe escolar,em torno de objetivos comuns.


                  Os percalços da gestão democrática são evidentes em qualquer escola pública exatamente por não possuir uma política educacional que trate a escola como espaço democrático não como uma prisão cercada por grades para evitar conflitos.Segundo Libâneo(2001,p.137)


        A educação escolar tem a tarefa de promover a apropriação de saberes,procedimentos,atitudes e valores por parte dos alunos,pela ação mediadora dos professores e pela organização e gestão da escola.A principal função social e pedagógica da escolas é a de assegurar o desenvolvimento das capacidades cognitivas,operativas,sociais e morais pelo seu empenho na dinamização do currículo,no desenvolvimento dos processos de pensar,na formação da cidadania participativa a na formação ética.


                          


                    Partindo desse ponto de vista fica evidente que a educação no contexto escolar exige esforços e maior organização do trabalho educacional,assim como participação da comunidade na realização desse empreendimento,a fim de que possa ser efetiva,já que não basta ao estabelecimento de ensino apenas preparar o aluno para níveis de escolarização mais elevados, uma vez que o que ele precisa é de aprender para compreender a vida,a si mesmo e a sociedade,como condições para ações competentes na prática da cidadania,e o ambiente escolar como um todo deve oferecer-lhe esta experiência.


A escola pública produz e reproduz diferenças sociais e cabe a organização pedagógica reconhecer essa problemática e tentar tomar medidas que possam superar esses entraves,construindo uma gestão escolar que ofereça reciprocidade,mudança de mentalidade e atitude,sem a qual essa organização não poderia ser efetiva em seu papel social.A gestão democrática,pressupõe a idéia de participação,isto é, do trabalho associado de pessoas,analisando situações,decidindo sobre o seu encaminhamento e agindo sobre elas em conjunto.


                   Contudo,é fundamental elaborar propostas de inclusão de atividades que elucidem maior contato com a realidade de nossas escolas estimulando o pensamento crítico na direção de um relacionamento social mais cooperativo e democrático,sem uma práxis não há sociedade que se transforme como um todo.Redin(1999,p.07)


 “Uma grande escola exigirá docentes competentes, abertos para o mundo e para  o saber, sempre de novo redefinidos. Docentes e estudantes conscientemente comprometidos. Uma grande escola exigirá espaços físicos, culturais, sociais e artísticos, equipados que abriguem toda a sabedoria acumulada da humanidade e toda a esperança de futuro – que não seja continuidade do presente, porque este está em ritmo de barbárie – mas seja sua ultrapassagem. Uma grande escola exigirá tempo. Tempo de encontro,de encanto,de canto,de poesia, de arte, de cultura, de lazer, de discussão, de gratuidade, de ética e de estética, de bem-estar e de bem-querer e de beleza. Porque escola grande se faz com grandes cabeças (é certo!), mas também com grandes corações, com muitos braços, que se estendem em abraços que animam caminhadas para grandes horizontes.” 


                   Diante da colocação supracitada,não existe educação sem participação,a escola é um sistema que deve formar,capacitar e humanizar as pessoas  que à freqüentam dentro dos padrões requeridos por uma sociedade mais evoluída e humanitária,quando se promove a interatividade entre os alunos,entre as disciplinas curriculares, entre a escola e seu entorno, entre as famílias e o projeto escolar a aprendizagem é sem dúvida se torna mais significativa para a vida do que para o mercado de trabalho.


                 È verdade que as escolas públicas se diferenciam pela qualidade de ensino e qualidade quem faz é quem organiza o trabalho pedagógico, ou seja   é importante que a gestão esteja embasada numa concepção democrática e participativa,pois os novos tempos exigiram um padrão educacional voltado para o desenvolvimento de um conjunto de competências e de habilidades essenciais,a fim de que os alunos possam fundamentalmente compreender e refletir sobre a realidade, participando e agindo no contexto de uma sociedade comprometida com o futuro.          



                                                            


                                             


                                     


             Na minha concepção o primeiro trabalho do gestor no sentido de provocar mudanças no âmbito escolar é motivar professores,funcionários e alunos,valorizando-os escutando-os e depois traçando um plano de ação focando o que é prioritário.A partir daí envolver as lideranças do bairro,os meios de comunicação locais e o trabalho voluntário da comunidade.Se escolas públicas perderem o estereótipo de condenadas e recuperarem a auto-estima qualquer escola poderá ser competente, atuante e inovadora.


               È notório que as renovações das práticas pedagógicas e da cultura escolar só se concretizaram por meio da democratização do ensino,tendo em vista que os docentes que trabalham numa dimensão democrática, interativa e interdisciplinar conseguem melhorar o rendimento da aprendizagem dos alunos que apresentam mais dificuldades.Por isso,o gestor deve valorizar as potencialidades dos professores.Até os professores com pouca formação pedagógica tem características positivas que podem suscitar o recebimento de elogios se melhorarem a sua auto-estima.O docente deve ser considerado  um profissional integral com metas educacionais e não apenas como professor preocupado com sua sala de aula.


                A escola deve preparar os professores para um ensino focado na aprendizagem viva, criativa,experimentadora,presencial-virtual,com professores menos “falantes”, mais orientadores,ajudando a aprender fazendo;com menos aulas informativas e mais atividades de pesquisa, experimentação, projetos; com professores que desenvolvem situações instigantes, desafios, solução de problemas, jogos.


                 O gestor deve utilizar os meios burocráticos para facilitar,não para  atrapalhar o processo ensino aprendizagem,
o que precisa ficar claro é a perspectiva de uma gestão voltada para as pessoas.Uma escola de sucesso usará todo o potencial crítico e volitivo dos seus recursos humanos e procurará rentabilizar as possibilidades de cada um,pois as escolas tendem a ter os professores que merecem.


                È fundamental que nesse processo de mudança a escola busque a unidade entre a família, gestor, comunidade, professores,alunos,funcionários onde cada um sinta-se responsável em transformar a educação.Se realmente desejamos formar crianças que no futuro sejam indivíduos autônomos,criativos e participativos,precisamos hoje trabalhar a autonomia do próprio professor,levando-o a estabelecer relações democráticas em sala de aula,excluindo o autoritarismo com seus alunos,pois só podemos auxiliar as crianças a tornarem-se autônomas e com caráter democrático,por meio de atitudes e posturas das pessoas com quais elas convivem.


               As mudanças nas escolas só irão acontecer de fato se houver uma organização do trabalho pedagógico manada por um corpo técnico alçado diretor e coordenador pedagógico trabalhando em conjunto com o corpo docente,funcionários e demais membros da equipe escolar avaliando e reconstruindo seus projetos,planejamentos e planos.


                     


                 Referências Bibliográficas


LIBÂNEO, J.  C. Organização e gestão  escolar:teoria e prática.5.ed. Goiânia: Editora alternativa,2004



LÜCK, H. Planejamento em orientação  educacional.10.ed. Petrópolis:Vozes,1991



PADILHA,  R . P.Planejamento dialógico:como construir o projeto político-pedagógico da escola.São Paulo:Cortez;instituto Paulo Freire,2001.



REDIN, Euclides. Nova Fisionomia da  Escola Necessária.São Leopoldo,RS:Unisinos (mimeo.p07),1999.


VEIGA, I. P.(org). Projeto político-pedagógico da escola:Uma construção possível.13.ed. Campinas:  Papirus,2001



Avaliar artigo
4
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 47 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/educacao-online-artigos/gestao-democratica-da-escola-publica-e-preciso-educar-todos-619522.html

    Palavras-chave do artigo:

    gestao democratica

    ,

    perfil do corpo tecnico pedagogico

    Comentar sobre o artigo

    Paulo marcos Ferreira Andrade

    O presente texto enfoca a temática: O coordenador pedagógico frente aos desafios da gestão democrática.

    Por: Paulo marcos Ferreira Andradel Educação> Ensino Superiorl 04/07/2012 lAcessos: 4,935
    Damião A. Leite

    A administração escolar tradicional vem passando por diversas mudanças ao longo dos anos, tendo como principal metamorfose no bojo das vivências educacionais a gestão democrática que tem como pano de fundo a promoção do indíviduo rumo a cidadania, a autonomia e a criticidade por meio do envolvimento de todos os interessados na melhoria do ensino em sentidos múltiplos, construindo os afazeres pedagógicos com educandos, educadores, pais e a comunidade em geral praticando o trabalho coletivo.

    Por: Damião A. Leitel Educaçãol 16/11/2009 lAcessos: 5,409 lComentário: 1
    EDINALVA COSTA DE ANDRADE

    O Gestor na Educação Infantil, atualmente é visto sob um novo paradigma,baseado na visão global do conhecimento.Assim sob o novo perfil, não se preocupa somente com a parte burocrática do ensino, como em todo o contexto que se situa o ensino a a aprendizagem.Deve ser um mediador de um trabalho democrático.Como gestor na educação infantil,ser conhecedor das novas perspectivas da organização dos espaços pedagógicos desse nível de ensino. Conhecedor da criança na sua faixa etária, 0 a 6 anos.

    Por: EDINALVA COSTA DE ANDRADEl Educação> Educação Infantill 20/11/2014

    A educação brasileira possui um déficit histórico, que impõe sérios entraves ao seu desenvolvimento. Esse é um problema social que se agrava no ensino oferecido às camadas populares. A democratização do ensino, a partir de uma escola pública e popular, tem sido um ideal buscado há muitos anos, que, porém, não foi alcançado. Este estudo tem como objetivo apresentar a Pedagogia Histórico Crítica como base para as práticas pedagógicas no Ensino Fundamental.

    Por: Gláucio de Vasconcellos Honóriol Educação> Educação Infantill 11/10/2011 lAcessos: 171
    Elizeu Vieira Moreira

    Reflete sobre a trajetória da qualidade como parâmetro do processo de produção capitalista até sua transformação em Qualidade Total e sua ressignificação como simulacro e instrumento de controle nas políticas educacionais e das relações pedagógicas.

    Por: Elizeu Vieira Moreiral Educação> Ciêncial 29/06/2011 lAcessos: 682
    Tania Maria da Silva Nogueira

    Historicamente a escola é uma instituição com a função precípua de oferecer a educação de cunho formal e tem como norte os preceitos sociais de formação do individuo em determinado contexto histórico, por ser uma instituição social integradora das necessidades de sua sociedade, a escola proporciona a interação de valores, culturas assim como e propulsora da apresentação dos conteúdos historicamente produzidos e acumulados, a intencionalidade de suas ações a tornam mantenedora do saber sistematiz

    Por: Tania Maria da Silva Nogueiral Educação> Ensino Superiorl 05/03/2014 lAcessos: 120
    Elizeu Vieira Moreira

    Reflete sobre a trajetória da qualidade como parâmetro do processo de produção capitalista até sua transformação em Qualidade Total e sua ressignificação como simulacro e instrumento de controle nas políticas educacionais e das relações pedagógicas. Analisa a incorporação das novas tecnologias ao processo de formação dos gestores escolares a partir do Progestão/SEDUC iniciado em 2005.

    Por: Elizeu Vieira Moreiral Educação> Ciêncial 29/06/2011 lAcessos: 789
    Antonio Cunha

    O presente trabalho tem como objetivo, rever as referências teóricas sobre o tema “emancipação” associadas à análise das políticas públicas educacionais adotadas pelo Governo Brasileiro, focando Curitiba-Pr, considerando a desigualdade e a diferença social da clientela das escolas públicas estaduais e federais, diante das demandas sociais e de mercado de trabalho, numa perspectiva de emancipação e esforços públicos.

    Por: Antonio Cunhal Educaçãol 10/08/2009 lAcessos: 4,828

    O supervisor é visto como um dos membros gestores, na gestão da educação que responde aos ditames da contemporaneidade possui o princípio que, segundo PARO (1986:87) “Se fundamenta em objetivos educacionais representativo dos interesses das amplas camadas da população e leva em conta a especificidade do projeto pedagógico escolar, processo esse determinado pelos mesmos objetivos”. Desta forma os objetivos educacionais devem ser formulados dentro do contexto real e dos conhecimentos que derivam das experiências. A acomodação é expressão da desistência da luta pela mudança. São autênticos produtores direitos da educação. Esses fatos colocam a importância do conhecimento diagnóstico do contexto escolar, fundamentação das dimensões pedagógicas e os métodos e técnicas administrativas, mais adequadas à promoção da racionalidade interna e externa.

    Por: João do Rozario Limal Educação> Línguasl 30/05/2008 lAcessos: 224,945 lComentário: 19
    Edjar Dias de Vasconcelos

    O maior conflito armado ocorrido na América do Sul no século 19. Rivalidades platinas e a formação de Estados nacionais deflagraram o confronto, que destruiu a economia e a população paraguaia.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Educação Onlinel 17/11/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Exemplifica-se, etimologicamente, uma determinada corrente filosófica, ou qualquer visão de mundo, como o cristianismo, a respeito da verdade, a estrutura do entendimento desenvolve a lógica das ideologias diversificadas.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Educação Onlinel 17/11/2014
    Paulo Cesar Tomaz

    Esse artigo trata da Educação a Distancia e seu amparo legal na legislação brasileira.

    Por: Paulo Cesar Tomazl Educação> Educação Onlinel 07/11/2014 lAcessos: 13

    O psicopedagogo pode atuar nas escolas, empresas, hospitais, ou seja, institucional e clínica. Ora, na clínica a prática psicopedagógica apresenta um olhar clínico, observador, os quais dão condições às pesquisas que podem produzir a aprendizagem, identificando os obstáculos e os elementos facilitadores para conceder uma abordagem preventiva e curativa, ou seja, atitudes de investigação e intervenção.

    Por: Flávia da Fonseca Vieiral Educação> Educação Onlinel 05/11/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    O que representa de certo modo, conteúdos poderosos que exerceram profundas influências ao espírito humano crítico ao entendimento das relações humanas nos dois estados em referências.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Educação Onlinel 28/10/2014
    Vanessa Fernandes

    Esse artigo apresenta a História da Família Souza, sua origem, repercussão dentro da história até os dias atuais e suas contribuições na construção da atual Cidade Niterói anterior Vila Real da Praia Grande. Portando de períodos e datações, assim como referências.

    Por: Vanessa Fernandesl Educação> Educação Onlinel 23/10/2014 lAcessos: 22

    Quantas pessoas não procuram por uma oportunidade de emprego no Brasil ? Seja ela porque acabou de ficar desempregada ou mesmo porque procura um emprego melhor de onde está atualmente. Saiba como conseguir encontrar cursos gratuitos pelo SENAI, SENAC e PRONATEC

    Por: sitesjoaoepaulol Educação> Educação Onlinel 09/10/2014

    Diversos cursos gratuitos já estão disponíveis para inscrição no SENAC em 2015, relacionamos as melhores opções e onde você pode se inscrever próximo a sua cidade. Confira o artigo abaixo.

    Por: sitesjoaoepaulol Educação> Educação Onlinel 09/10/2014 lAcessos: 13

    Comments on this article

    -1
    Jeronimo Fernandes Moreira santos 29/08/2011
    A mobilização da classe trabalhadora em prol de um bem comum deve ser uma meta incessante e incansável pautada nos ideias de justiça comum, visando a articulação dos membros envolvidos, numa ação coletiva e que produza efeitos práticos de caráter social e de relevância universal para que desse modo por meio de mudanças significativas o mundo utópico idealizado por muitos aconteça e que haja realmente justiça para todos. Isso somente será possível se todos manifestarem o interesse coletivo visando o bem comum e reconhecendo que é a diferença que nos une em torno de um objetivo o de que todos fazemos parte de uma construção embasada sobre o conhecimento produzido ao longo da existência humana
    0
    Aparecido Manoel dos Santos 02/07/2011
    Parabéns pelo seu artigo.Gostaria de pedir permissão para que eu possa usar alguns parágrafos em meu trabalho de gestão democrática, sabendo que sua reflexão é maravilhosa neste contexto social que vivemos hoje em termo de ensino e aprendizagem.
    0
    simone cordeiro 12/06/2011
    nossa,adorei esse artigo me ajudou muito no meu trabalho,sou cametaense e fiquei feliz em conhecer e ler um trabalho muito bem produzido bjos!!!
    1
    Gelda Panissa 13/05/2011
    Sou candidata a vice diretora de minha escola, gostaria de idéias para meu plano de trabalho. Minha escola atende 1600 alunos de sexto ao nono ano e ensino médio.
    Obrigada, Gelda Panissa
    0
    vania 12/04/2011
    Excelente artigo.
    0
    lucia 02/04/2011
    o artigo é muito interessante e esta me ajudando bastante pois estou fazendo PÓS em gestão escolar.
    1
    valdenice 22/03/2011
    adorei o artigo!vai me ajudar muito na preparação do meu segundo seminário de pedagogia!
    1
    Maria do Carmo 05/02/2011
    nossa seu artigo foi 10 me ajudou muito em minhas pesquisas. parabens!
    1
    Angélica souza Ribeiro 21/10/2010
    Seu artigo está ótimo, e me ajudou a enriquecer meus conhecimentos sobre gestão democrática e participativa e mostrar que o papel do gestor é de crucial importância, ele vêm ser a alma da escola. Estou me formando em pedagogia e licenciatura e farei minha pós em psicopedagogia institucional ou educação especial. Angélica Ribeiro- Campos dos Goytacazes
    0
    gilberlania 15/10/2010
    gostei muito desse texto. me ajudou bastante para a construção do meu TCC sobre Gestao.
    0
    angélica de souza ribeiro 23/08/2010
    Este documento deixou claro que nós da área educacional devemos sempre refletir, reavaliar nossa prática. E nos mostra que o gestor tem importante papel, pois ele é a alma da escola, não só cuida da parte burocrática e administrativa, mas também do desenvolvimento dos alunos, se uni junto aos coordenadores padagógicos, professores, pedagogos, suprvisores para tomar decisão de como fazer uma gestão eficaz.
    1
    Angélica De Souza Ribeiro 24/07/2010
    Foram abordados temas como: o papel do gestoe e da escola além de experiências realizadas no âmbito escolar.
    0
    Angélica De S ouza Ribeiro 24/07/2010
    Este tema tem como objetivo fazer uma analise sobre a gestão escolar, mostrando que ela pode contribuir de maneira eficiente e eficaz na garantia de uma educação de qualidade em que por meio de práticas cotidianas se busquem caminhos que visam à construção de uma sociedade mais igualitária e justa. Neste contexto, pode-se afirmar que para o sucesso deste processo necessita-se de: conscientização, investimento e determinação.
    0
    cida 28/05/2010
    ntão tenho um neto imperativo, e fico muito maguada.com a atitude da professoraque não sabe como lidar com ,ele olha pra ser cinsera acho que essa professora, esta até marginalisando as atitude dele gostaria de uma ajuda dez de ja obrigada
    1
    ALINE CRISTINA 26/05/2010
    PARABÉMS !!!!!!!!!!!!!!PROF: PELO SEU ARTIGO. SOU FORMADA EM PEDAGOGIA, E NO MOMENTO FAÇO PÓS EM PEDAGOGIA GESTORA ESTAVA COM ALGUMAS DÚVIDAS EM RELAÇAO A GESTÃO COM ESTAS PALAVRAS MARAVILHOSAS CONSEGIS-TE RESOLVER MEU PROBLEMA.
    FICA COM DEUS E COM ESTA SABEDORIA EXEMPLAR QUE TEM .
    1
    ANA ARAUJO 18/04/2010
    Gostei muito deste texto, pois estar me ajudando muito na minha Pos-graduação. Obrigada pela contribuição.
    0
    carmem 15/01/2010
    Gostei bastante! Seu artigo está bem claro e real.Parabéns!
    0
    Suane 06/01/2010
    Nossa!!!
    O Senhor estava inspirado hei?
    10 estrelas p/ seu artigo, pois está altamente reflexivo.

    Estou trabalhando o tema Gestão escolar e atuação dos conselhos se o srª tiver material específico p/ compartilhar agradeço.
    Beijos!!!
    Que Deus continue lhe abençoando p/ escrever mais artigos como esse.
    1
    ieda sousa 19/12/2009
    gostei do seu artigo, continue abrindo mentes e corações para todos que acreditam como você nos caminhos da educação.Peço sua autorização para mostrar o trecho no meu trabalho de gestão à distancia do CAED.“Uma grande escola... animam caminhadas para grandes horizontes.”
    0
    Vanuzia 14/12/2009
    Professor, gostei muito do seu artigo que pena ainda estarmos caminhando a passo muito lento para a uma gestão democrática de qualidade.
    Sucesso.
    0
    zilene 25/11/2009
    gostei muito de seu artigo. sucesso sempre.
    2
    britanny 05/11/2009
    PROFESSOR!
    ADOREI O SEU ARTIGO!!!! ESTÁ DE PARABÉNS!
    QUERIA TIRAR UMA DUVIDA, EM SEU ARTIGO ENCONTRA-SE AS CITAÇOES DE LIBANEO, E NESSAS CITAÇÕES ESTA ESCRITO 2001 E NA REFERENCIA BIBLIOGRÁFICAS ESTA 2004! QUAL ANO É O CORRETO??
    4
    marcia 28/08/2009
    muito bom! Parabéns
    2
    Solange Cristina Fonseca Valente 18/08/2009
    Seu artigo serviu de muitas reflexões numa gestão democrática.Gostaria de utilizar algumas citações em meu plano de ação de gestor.Sou professora Solange Valente(Santarém/Pará)
    0
    cristyane 14/08/2009
    CARO PROFESSOR
    O SEU ARTIGO ME AJUDOU MUITO PARA FAZER UM TRABALHO DA FACULDADE, SOBRE GESTÃO ESCOLAR.
    GRATA CRYS
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast