o advento das tecnologias na educação

29/11/2010 • Por • 673 Acessos

O ADVENTO DAS TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO

 

 

EMANUEL ADEILTON DE O. ANDRADE

E.M. Maria Cleófas Moura Rocha

emanueladeilton@hotmail.com

MARCELO FONSECA SOUSA

E. M. Benvinda Nunes Teixeira.

Marcelo.fsousa@hotmail.com

 

 

Apresentação

 

As inovações tecnológicas estão arraigadas na sociedade Mundial. Em nosso país essa conquista vem cada dia mais, sendo comum aos cidadãos. São vários os setores que fazem uso da tecnologia, fabricas grandes empresas, montadoras de veículos, hospitais, shopimg etc. É comum encontrar pessoas principalmente os jovens portando celulares, mp3, Ipod, notebook, em fim, são vários os tipos de utilitários tecnológicos digitais que estão presente em nossas vidas. Por isso, tornou-se importante pensar na inserção dos computadores e recursos tecnológicos de multimídias na comunidade escolar. 

 

A tecnologia esta em toda parte, notória a todos. Por mais que uma boa parte da população ainda não tenha acesso a tais tecnologias. Não podia ser diferente com as escolas, o que faz com que esse ambiente torne-se um importante espaço de acesso a esses artefatos modernos e a o manuseio dessas ferramentas tecnológicas para o aprendizado. Considerando o avanço tecnológico e as exigências do mundo contemporâneo o governo federal tem tomado algumas iniciativas frente a esse novo desafio. Por exemplo, a implantação de programas de incentivo ao uso das TCIs em busca de alternativas para o desenvolvimento e o fortalecimento de praticas que utilizam as tecnologias de informação e comunicação.

            O ministério da educação (MEC), no âmbito de suas atribuições coopera com o melhoramento das escolas e dos profissionais da educação com investimentos em alguns setores permitindo tal avanço no sistema de ensino como:

 

INFRAESTRUTURA: recursos necessários para o desenvolvimento de projetos utilizando as Tics na escola.  Como laboratórios de informática, manutenção e orientação por profissionais qualificados.

 

CRIAÇÃO E FORTALECIMENTO DE REDES DE APRENDIZAGEM: por meio de portais educacionais e redes sociais, como forma de garantir o acesso. Por exemplo:

  • Portal do professor - SITE do ministério da educação destinado a incluir professores que vivem fora dos grandes centros urbanos   no ambiente  de tecnologias educacionais. O conteúdo do portal inclui sugestões de sala de aula de acordo com cada componente curricular, bem como recursos tais como vídeos, figuras, mapas, áudios e texto, que contribuem para tornar o estudo mais dinâmico e motivador.
  • Curso de especialização à distância em mídias na educação – é um programa de educação a distancia com estrutura modular, que visa proporcionar formação continuada para o uso pedagógico das diferentes tecnologias de informação.
  • Um computador por cada aluno (UCA). Onde cada aluno da escola recebe um computador para iniciar sua inclusão no mundo das tecnologias.

 

FORMAÇÃO CONTINUADA DOS EDUCADORES: considerando o novo perfil de aluno e a chegada de diferentes recursos à escola. O proinfo, proinfo integrado, e-proiinfo e universidade aberta fazem parte desses projetos.

  • Proinfo - programa nacional de tecnologia educacional com o objetivo de promover o uso pedagógico da informática na rede de educação básica. Levam do às escolas computadores, recursos digitais e conteúdos educacionais.
  • Proinfo integrado – é um programa de formação voltado para o uso didático - pedagógico das tecnologias da informação e comunicação  TCIs no cotidiano escolar, articulado á distribuição dos equipamentos tecnológicos e recursos  multimídias e digitais oferecidos pelo portal do professor, pela TV Escola e DVD Escola, pelo domínio publico e pelo banco internacional de objetos educacionais.
  • e-proiinfo – é um ambiente virtual colaborativo de aprendizagem que permite a concepção, administração e desenvolvimento de diversos tipos de ações, como cursos a distancia, complemento a cursos  presenciais, projetos de pesquisa, projetos colaborativos e diversas ouras formas de apoio a distância e ao processo ensino – aprendizagem.

 

Com a chegada dos computadores nas escolas também está sendo introduzida outra grande fonte de conhecimento, a internet. Existem sites que podem explorar todos os tipos de conhecimentos. Os alunos dessa nova geração tenhem contato cada vez mais cedo com essa ferramenta, estão aprendendo a manuseia o computador e até mesmo navegar na internet. Que pode ainda mais ajudar os alunos a formular, criticar e acomodar esses conhecimentos, a sua realidade. "essa cultura está entrando forçosamente na sala de aula, e desafia o professor a trabalhar com o mundo no qual vivem os seus alunos." Aponta Maria Elizabeth.

Há vários sites na internet que despõe de todos os tipos de conhecimentos. Para encontrar esses sites basta usar programas de busca como Google, Yahoo, cadê, ask, etc.

A Internet tem a capacidade de criar grandes oportunidades para a educação, não só como ferramenta educativa e de aprendizagem, mas também como veículo facilitador da comunicação. Por exemplo, permite-nos realizar cursos à distância, on-line.

A Internet pode ajudar as crianças a:

- Encontrar recursos educativos e notícias atuais, obter documentos, fotos e imagens importantes, e pesquisar temas muito diversos.

- Conseguir ajuda para realizar os trabalhos de casa, quer através das enciclopédias on-line e outras obras de referência, ou contactando especialistas.

- Aumentar as capacidades de leitura pelo acesso a conteúdos interessantes, que sugiram outras leituras.

- Aprender a utilizar melhor as novas tecnologias para saber encontrar e utilizar a informação desejada, resolver problemas, comunicar, e sem duvida a adquirir competências cada vez mais exigidas no mercado de trabalho.

 

Em relação à disciplina matemática, existe certa aversão a essa matéria por parte dos alunos que é comum a todos os profissionais da educação que trabalhão com essa disciplina. E muitos dos teóricos apontam as TCIs como uma das alternativas para tentar desmistificar o mito que assombra os educandos. As Mídis Educativos por si só nunca influenciará o desempenho dos estudantes. Os efeitos positivos só se verificam quando professores bem preparados e empenhados para mudar tal realidade aptos a novas praticas de ensino e domínio e desenvolvam actividades desafiadoras e criativas, que explorem a aprendizagem.

 

A aquisição do conhecimento Matemático por parte dos alunos de todos os níveis de escolaridade sempre foi desafiador para o propósito do professor. (ensinar), um desafio para muitos. Esta aquisição vem se tornando a cada dia, menos compartilhada pelos alunos, sendo poucos os que conseguem apropriar - se verdadeiramente desse saber. A necessidade de uma nova metodologia que impulsione a aprendizagem faz da Matemática uma disciplina bastante problemática em todos os níveis de ensino. Essas deficiências, aliadas a uma abordagem tradicional, muito praticada no ensino da Matemática em sala de aula, vem provocando conflitos no processo ensino-aprendizagem. Em uma nova perspectiva, o computador está atraindo deforma surpreendente os teóricos e profissionais da educação, seduzindo-os a, ao que já não da mais para esperar.

Dentre as muitas das necessidades, Há a de capacitar o educador. Para que, ele no desenvolvimento da sua atividade utilize o computador objetivando "[...] condições favoráveis de aprendizado ao aluno". (VALENTE 2003 p.4).

A introdução de softwares educacionais, em especial softwares Matemáticos, que propõe uma aula atrativa dinâmica e eficiente, facilita a compreensão de alguns conteúdos Matemáticos. Há uma nova forma de refazer à aprendizagem matemática, que, com a chegada dos computadores a escola diminui-se a distancia para o aprendizado desde, as formações e formações continuadas, ate mesmo para os conteúdos aplicados na sala de aula na fase de formação da educação básica.

Com o uso desses recursos tecnológicos podemos pensar que é possível melhorar o ensino da Matemática e das demais disciplinas dando ênfase ao conhecimento global, é o caso da interdisciplinaridade proporcionando um conhecimento não mais único à determinada disciplina e sim a aplicação desse conhecimento onde ele se encontra empregado.

 

As novas tecnologias, e os computadores agregados à escola, podem trazer ao ensino, mudanças favoráveis. Contudo, sabendo que não bastara simplesmente introduzir novos objetos pedagógicos a escola, é preciso também modificar e atualizar as pratica de ensino Partindo do professor. Condicionando as escolas para receber tais significativas ferramentas e acima de tudo preparando o educando para esse novo instrumento da educação. As Mídis Educativos por si só nunca influenciará o desempenho dos estudantes. Os efeitos positivos só se verificam quando professores bem preparados e empenhados para mudar tal realidade aptos a novas praticas de ensino e domínio e desenvolvam actividades desafiadoras e criativas, que explorem a aprendizagem.

 

Segundo Almeida, 1997:

"Não é uma formação apenas na dimensão pedagógica e nem uma formação justaposição entre teorias educacionais, técnicas e domínio da tecnologia. Trata-se de uma formação que mobiliza as múltiplas competências do ser para articular a prática, a reflexão, a investigação e as teorias requeridas para revelar a razão do ser da prática e promover a transformação na ação pedagógica".

 A autora também aponta que: [...] o domínio instrumental de uma tecnologia, seja ela qual for, é insuficiente para que o professor possa compreender seus modos de produção de forma a incorporá-la à prática. É preciso criar situações de formação contextualizada, nas quais os educadores possam utilizar a tecnologia em atividades que lhes permitam interagir para resolver problemas significativos para sua vida e trabalho, representar pensamentos e sentimentos, reinterpretar representações e reconstruí-las para poder recontextualizar as situações em práticas pedagógicas com os alunos (ALMEIDA, 2007, p. 160).

 

Para que essas situações sejam criadas é preciso que professores, gestores e coordenadores estejam preparados para as transformações, a fim de vencer as resistências advindas da cultura tradicionalista.

O computador e seus recursos podem ser explorados de diversas formas pelos professores nas suas práticas pedagógicas. De acordo com Fonseca (2001, p.2) "A verdadeira função do professor não deve ser a de ensinar, mas sim de criar condições de aprendizagem". O professor poderá utilizá-lo por disciplina, para reforçar os conteúdos que foram trabalhados em sala de aula, adequando o uso do computador ao enfoque da sua matéria, e também nos projetos educacionais em que a informática poderá ser desenvolvida com todos os alunos, partindo de um objetivo proposto pela escola.

Antes da abordagem pedagógica do computador, é importante fazer uma abordagem também social para que os alunos possam saber alguns conteúdos tecnológicos desta máquina, isso fará com que atividade pedagógica seja bem mais produtiva.

 

De acordo com Tajra (2001) a informática pode ser utilizada de três maneiras na educação

 

  1.  Informática como um fim: prevalece à parte técnica onde são aprendidos os sistemas operacionais e manuseio.
  2.  Informática como apoio disciplinar: os aplicativos são utilizados de forma isolada visando á disciplina especifica. Exemplos: geogebra, cabri-geomérico, etc.
  3.  Informática como apoio aos projetos educacionais: o uso dos aplicativos de mídias e tecnológicos incorporados ao projeto escolar, que envolve os alunos, professores e softwares educacionais.

É importante adequar o software com a necessidade educacional almejada pelo professor, usando os benefícios do mesmo, já que os softwares ajudam a ensinar, aprender, simular, estimular a curiosidade e produzir trabalhos com maior qualidade e dinâmica.

Em relação ao personagem do professor, alguns teóricos questionam sobre a necessidade do mesmo já que, com o avanço tecnológico venha a diminuir a sua presença na sala de aula. Posição contraria ao ideal de Tajra que afirma: "o professor jamais será substituído pelo computador". Ele continuara servindo como "mola mestra". Como mediador do processo de ensino aprendizagem e como elemento chave na implantação desses recursos na escola. (TAJRA, 2001 p. 122),

 

 

Considerações finais

 

O trabalho com a educação tecnológica deixa o aluno mais a vontade antes exposto a tarefas, exaustivas e auxilia na investigação Matemática. O computador aumenta as chances para que haja mudanças qualitativas no ensino, uma educação onde o aluno é capaz de manipular o computador aumenta a capacidade profissional e suas oportunidades no mercado de trabalho. Quando o aluno utiliza a tecnologia pode-se avaliar a iniciativa própria, autonomia, postura positiva, capacidade de expressão, organização de idéias, maturidade frente a problemas reais, senso crítico, criatividade, dentre outras competências.  No entanto, o letramento digital  não é uma necessidade apenas para jovens.

Nesse processo, o professor assume um papel primordial, sugerindo caminhos e acompanhando o progresso, com o professor  conectado a rede, permite que ele, alem do seu crescimento profissional  também consiga ampliar as possibilidades de aprendizado e com tudo se torne também aprendiz em sua  constante formação.

 

 "A formação do professor é fator imprescindível para que a escola consiga melhorar a capacidade do cidadão comunicante, uma vez que o professor pode adotar em sua prática cotidiana uma postura que subsidia e estimula o aluno a refletir o que significa comunicar-se em nossa sociedade, como também aprender a manipular tecnicamente as linguagens e a tecnologia" (chiapinni, 2005, p. 278).

 

Construindo no educando uma postura positiva, senso crítico, capacidade colaborativa, etc. Assim, a utilização de recursos didáticos com base nas Tecnologias de Informação e Comunicação passa a fazer parte importante do trabalho de formação do aluno e grandíssimo aliado do professor na realização de suas atividades com tudo essencial para a comunidade escolar.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Referencias:

 

ALMEIDA, M, E, O Computador como Ferramenta de Reflexão na Formação e na Prática de Professores. São Paulo, Revista da APG. Nº11, ano VI, PUC-SP, 1997.

ALMEIDA, Maria ELizabeth B.  Integração de tecnologias à educação: novas formas de expressão do pensamento, produção escrita e leitura. In: VALENTE, José A.; ALMEIDA, Maria E. (orgs). Formação de educadores a distância e integração de mídias. São Paulo: Avercamp, 2007.

CHIAPINNI, L. A reinvenção da catedral. São Paulo; Cortez, 2005.

FONSECA, Lucio. Tecnologia na Escola 2001. Endereço Eletrônico: http//www.aescola.com.br/aescola/seções/20tecnologia/2001/04/2002. Data da consulta: 15/11/2010.

Fonte: http://www.webartigos.com/articles/26224/1/A-utilizacao-do-computador-nos-anos-inicias-do-ensino-fundamental-em-uma-escola-publica-da-periferia-do-DF/pagina1.html#ixzz15ZDewWvM. Acesso em 15/11/2010.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Ed.34, 1999

TAJRA, Sanmyra Feitosa. Informática na Educação: Novas Ferramentas
Pedagógicas para o Professor da Atualidade. 3ª ed. São Paulo: Ética, 2001.

Trabalho: A Importância das TIC na Sociedade Atual

 www.notapositiva.com/trab_estudantes/... Data da consulta 22/11/2010.

TV ESCOLA. Salto para o futuro, Tecnologias digitais na educação – Ano XIX boletim 19 - novembro – dezembro/2009.

VALENTE, J. A. formação de educadores para o uso da informática na escola (org) Jose Armando Valente. Campinas, SP: Unicamp, 2003.