A Importância Dos Jogos Aplicado Ao Ensino Fundamental

Publicado em: 16/08/2009 |Comentário: 0 | Acessos: 11,002 |

1.FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

1.1Infância e Ludicidade

Para Vigotsky , o brincar desenvolve a cognição:

É no brinquedo que a criança aprende a agir numa esfera cognitiva, ao invés de uma esfera visual externa, dependendo das motivações e tendências internas e não dos incentivos fornecidos pelos objetos externos. (1994:136)

É através da brincadeira que o ser humano interage com os outros e com o seu meio. Essa interação proporciona o conhecimento da própria realidade. Considerando o anteriormente exposto, pode se concluir que a brincadeira contém as tendências do desenvolvimento intelectual de descobertas e relações.

O período da infância está intimamente ligado ao brincar. A brincadeira esteve sempre presente na maioria da vida das pessoas. Quase todo mundo deve ter brincado de roda, cabra-cega, amarelinha, chicote queimado, soltar pipas, pião, de bonecas e outras brincadeiras. Todas essas atividades constituem uma rica experiência de vida que contribuíram significativamente para o desenvolvimento tanto social como cognitivo.

  1. A experiência lúdica da própria vida infantil é tão marcante que nos traz a convicção de que os jogos, a brincadeira, são ações essenciais do ser humano principalmente na infância, pois “o aluno deve trabalhar em seu próprio ritmo.”   (CORIA-SABINI 1986,p.13) é uma necessidade da sociedade tem de desenvolver a aprendizagem em seu próprio ritmo,  pois observamos que até hoje adultos que praticam brincadeiras deste a infância, seja o jogo de futebol, seja o jogo de baralho e  outros, assim também constituindo um processo de aprendizagem.

1.2 Valor Pedagógico do Jogo

“ Para manter o equilíbrio no mundo o educando necessita brincar, jogar, criar e inventar (PIAGET - 1978)” Os jogos tornam-se mais significativos à medida que a criança se desenvolve, porque através da manifestação de materiais variados poderá inventar coisas, construir objetos.

O jogo é um ótimo recurso pedagógico na sala de aula porque proporciona a relação entre parceiros e grupos o que é um fator de avanços cognitivos, pois durante os jogos a criança estabelece decisões, conflitua-se com seus adversários e reexamina seus conceitos, pois “a aprendizagem em sua forma mais simples se é estabelecida de uma conexão entre estímulo e uma resposta.” (CORIA-SABINI 1986,p.03)

Trabalhar com o lúdico significa repensar a prática pedagógica, seu espaço, sua forma de lidar com os conteúdos e com o mundo da informação. Significa repensar a aprendizagem como um processo global conhecendo sua realidade e intervindo. Não se trata de uma técnica atraente para transmitir aos alunos o conteúdo das matérias. Significa de fato uma mudança de postura, uma forma de repensar a prática pedagógica e as teorias que lhe dão sustentação, assim nos afirma SANTOS que:

(…) Uma proposta de trabalho numa perspectiva libertadora não se fundamenta apenas num trabalho lúdico pelo lúdico. E, que em momento algum, defendemos uma proposta pedagógica espontaneísta de aprendizagem. Ao buscarmos o espaço da liberdade, criatividade do desafio, estamos construindo também um espaço para os questionamentos, responsabilidades participação e busca permanente de resoluções e problemas inerentes a convivência social. (1998,p.29)

 

 

Trabalhar com o jogo é romper com uma escola fragmentada de educação e recriar a escola, transformando-a em espaço significativo de aprendizagem para todos que dela fazem parte, unida ao mundo contemporâneo, sem perder de vista a realidade.

1.3O Jogo na Educação Física Escolar

Muitos estudiosos e pesquisadores educacionais já pesquisaram a respeito do jogo e as suas influencias no processo de ensino e aprendizagem. Propõem-se neste momento uma reflexão sobre a importância do jogo dentro do processo educativo. Pois o jogo constitui-se um importante recurso pedagógico para o próprio desenvolvimento humano e de fundamental importância numa correlação entre educação física e jogos.

O jogo satisfaz as necessidades das crianças, especialmente a necessidade de ação. Para entender o avanço da criança no seu desenvolvimento, o professor deve conhecer quais as motivações, tendências e incentivos que a colocam em ação. Não sendo o jogo aspecto dominante na infância, ele deve ser entendido como “fator de desenvolvimento” por estimular a criança no exercício do pensamento, que pode desvincular-se das situações reais e levá-lo a agir independentemente do que ele vê.

Quando a criança joga, ela opera com o significado das suas ações, o que a faz desenvolver a sua vontade e ao mesmo tempo torna-se consciente das suas escolhas e decisões.  Por isso o jogo apresenta-se como elemento básico para a mudança das necessidades  e da consciência.

A ênfase no propósito ou no objetivo do jogo acentua-se como o desenvolvimento da criança.  Sempre esse propósito ou objetivo é o que decide o jogo, justifica a atividade e determina a atitude afetiva da criança.

Observa-se o desenvolvimento da criança no caráter dos seus jogos, que evoluem desde aqueles onde as regras encontram-se ocultas em uma situação imaginária. (como por exemplo: quando as crianças brincam de papai e mamãe, elas agem de acordo com as regras de comportamento de um pai e de uma mãe), até os jogos onde as regras são cada vez mais claras e precisas, e a situação imaginária é oculta.

1. 4 A prática física corporal: O jogo queimado

O jogo constitui um importante recurso pedagógico no processo de ensino e aprendizagem, quando o professor utiliza o jogo como recurso pedagógico ele passa a trabalhar a coordenação motora, as regras, o senso esportivo de ganhar e perder, sempre antes de iniciar uma atividade esportiva o professor de educação física deve determinar os objetivos da realização desta atividade .

Para Soler, os principais objetivos de se trabalhar o jogo são:

a)     Possui função terapêutica;

b)     Serve para desenvolver atividades físicas, afetivas, sociais e intelectuais;

c)     Desenvolve a criatividade;

d)     Permite uma maior socialização;

e)     Abre novos canais de socialização

f)       Permite a catarse. ( 2003, p.49)

Um bom exemplo disto é o jogo do queimado, onde duas equipes, por exemplo: é um jogo que envolve a situação imaginária de uma guerra, onde uma equipe extermina a outra com tiros de bola. O imaginário vai sendo escondido pelas regras, cada vez mais complexas, às quais os jogadores devem prestar o máximo de atenção. Por este motivo é conveniente prover junto aos alunos discursões sobre as situações de violência que o jogo cria e as conseqüentes regras para o seu controle. Dessa forma os alunos poderão perceber, por exemplo, que um jogo como o queimado  é discriminatório uma vez que os mais fracos são eliminados (queimados) mais rapidamente, perdendo a chance de jogar. Perdendo a chance de jogar. Isso não significa não jogar queimado, senão mudar suas regras para impedir a sobrepujança d competição sobre o lúdico.

Quanto mais rígidas são as regras dos jogos, maior é a existência de atenção da criança e de regulação da sua própria atividade, tornando o jogo tenso. Todavia, é fundamental o desenvolvimento das regras na escola, porque isso permite à criança a percepção da passagem do jogo para o trabalho.

Num programa de jogos para as atividades sérias, é importante que os conteúdos dos mesmos sejam selecionados, considerando a memória lúdica da comunidade da escola a qual está inserida.

Considerações Finais

Os jogos utilizados na prática da Educação Física são atividades que proporcionam a construção do conhecimento, ou seja o desenvolvimento do processo cognitivos e o desenvolvimento dos aspectos corporais. É através da ação de jogar que o educando exerce as noções de regra e cidadania quando desenvolve as regras com os seus direitos e deveres.

É durante a infância que o educando vivencia com maior freqüência as atividades voltadas as experiências com o lúdico e os mesmos passam a vivenciar situação observadas e vivenciadas no seu cotidiano, criando situação muitas vezes que envolvem problemas e procurando soluções para o mesmo.

O que se observa durante a pesquisa bibliográfica é que muitos pesquisadores educacionais estão cada vez mais desenvolvendo pesquisas sobre os impactos dos jogos na construção dos aspectos cognitivos, pois é através da interação dos conteúdos ministrados de forma teórica e prática que o educando vivencia situações decorrentes de aprendizagens do seu cotidiano e usam os conteúdos ministrados nas aulas como forma de interação e construção de soluções para os problemas. Portanto, o desenvolvimento humano não pode ser centrado somente pela prática formal de exercícios físicos, ou seja, a supervalorização do corpo, mas liga  também ao desenvolvimento cognitivo do educando.

Conclui-se nesta pesquisa que o ato de brincar não significa simplesmente uma forma da criança distrair-se, que o jogo é a forma mais completa que ela tem de comunicar-se com o mundo e consigo mesma. Jogando ela desenvolve seu pensamento, sua flexibilidade corporal, seus movimentos, cria estratégias, resolve situações problemas, além de gerar canais de comunicação. A educação física não pode ser trabalhada apenas como modalidade esportiva sem se dá sentido a mesma, mas como uma ação conjunta o professor trabalhe o aluno como um todo corpo e mente, só assim teremos uma educação física voltada para o desenvolvimento completo do aluno.

REFERENCIAS BIBLIOGRAFICAS

BROTTO, Fábio Otuzi.Jogos Cooperativos: se o importante é competir, o fundamental é cooperar. São Paulo. Cepeusp, 1995/Santos: Projeto Cooperação. Ed. Renovada.1997

CHATEAU, Jean. O jogo e a criança. São Paulo: Sumus. 1987. p. 142.

CORIA-SABINI,Maria Aparecida. Psicologia Aplicada à educação, São Paulo:EPU,1986.

GROSSI, Esther Pilar. Um novo jeito de ensinar Matemática começando pela divisão. Câmara dos Deputados. Brasília ,2000

HUIZINGA, Johan. Homo Ludens: O jogo como elemento da cultura. São Paulo: Perspectiva, 1996.

MARTINS, Jaqueline Pinto & SANTOS, Gilberto Pinheiro, Metodologia da Pesquisa Científica, Rio de Janeiro: Grupo Palestra 2003.

OLIVEIRA, Vitor Marinho de. O que é Educação Física?São Paulo: Editora Brasileira. 11ª Edição 1994

PIAGET, Jean. A formação do símbolo na criança. Rio de Janeiro: Zarar. 1978.

SANTO, Luiz Carlos dos. O professor e o rendimento escolar de seus alunos. São Paulo: EPU, 1987.

SOLER, Reinaldo. Educação Física Escolar. Rio de Janeiro: Sprint, 2003.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/ensino-superior-artigos/a-importancia-dos-jogos-aplicado-ao-ensino-fundamental-1131468.html

    Palavras-chave do artigo:

    jogos aprendizage ensino fundamental

    Comentar sobre o artigo

    Máira Leilaine

    O brincar faz parte da infância, e através deste possibilita um repertório de desenvolvimentos. Além do prazer e satisfação, a criança aprende e se socializa, pois o lúdico é um dos motivadores na percepção e na construção de esquemas de raciocínio, além de ser uma forma de aprendizagem diferenciada e significativa.

    Por: Máira Leilainel Educaçãol 10/08/2014 lAcessos: 46

    Este artigo trata da importância da postura do professor universitário no desenvolvimento do aluno e como uma Filosofia Confessional influencia neste propósito. Para isso verificamos o papel das Instituições confessionais protestantes no processo da Educação Universitária do país. Para melhor conhecimento foi realizada uma pesquisa exploratória em forma de entrevista com alunos de uma Instituição confessional Protestante com o objetivo de saber qual a relação que eles têm com seus professores.

    Por: JACKSON ROBERTO DE ANDRADEl Educação> Ensino Superiorl 22/10/2014

    RESUMO Uma só palavra ou teoria não seria capaz de abarcar todos os processos e experiências históricas que marcaram a formação do povo brasileiro. Marcados pelas contradições do conflito e da convivência, constituímos uma nação com traços singulares que ainda se mostram vivos no cotidiano dos vários tipos de "brasileiros" que reconhecemos nesse território de dimensões continentais. A primeira marcante mistura aconteceu no momento em que as populações indígenas da região entraram em

    Por: Joiciane de Sousa Santosl Educação> Ensino Superiorl 21/10/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Dado ao caráter emergencial da fome generalizada, povos africanos têm que se alimentar de animais portadores de tais vírus, que são mortais ao organismo humano, como cobras, ratos, morcegos e o chimpanzé.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 20/10/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Motivado pelo conflito contra os ingleses com objetivo de controlar o norte da França, o referido monarca, formou um grande exercito, sustentados por impostos cobrados no território nacional.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 20/10/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Em toda minha vida. Apenas sonhei. Em não ser. O que sou. Não teria nem mesmo preposição. Axiomática. Desejo ser diferente. O que de fato não sou. Serei todos os meus sonhos perdidos. Esquecidos no mimetismo.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 19/10/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    O que vejo no mundo político. Uma guerra indelével. Na defesa de duas tendências. Ambos as forças políticas. Defende o mesmo modelo. Fundamentado no liberalismo econômico. Nao existe ideologia de esquerda no Brasil. Apenas uma acepção imperscrutável. Ao silêncio da ignorância nacional.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 18/10/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Ver e perceber. Apenas a parcialidade da compreensão. E que poderá ser sempre a distorção. Como de fato costuma ser. Dado a natureza do mundo representativo. Significando o desejo do engano. As fantasias dos sonhos.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 17/10/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    A respeito da teoria da evolução formulada por Charles Darwin 1809-1882, quem melhor organizou a ideia de como as espécies evolui a partir uma das outras, na superação de elos inferiores, criando as diversidades das mesmas.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 17/10/2014

    Geralmente visto como uma arte menor, os quadrinhos não costumam receber a mesma atenção de linguagens como a literatura, a fotografia, o cinema e o vídeo, por exemplo. O trabalho busca um olhar sobre este tipo especifico de produção imagética. As ferramentas teóricas utilizadas na construção desse olhar vêm da Semiótica e dos Estudos Culturais.

    Por: Walderclaudio Nascimento Santosl Educaçãol 16/08/2009 lAcessos: 7,532 lComentário: 2

    As Histórias em Quadrinhos originalmente surgidos na Inglaterra, na década de 1950, e trazendo na bagagem forte influência do estruturalismo francês, o interresse dos Estudos Culturais voltou-se primeiramente para os problemas da sociedade e da linguagem. Na década de 1980, com o surgimento do conceito de pós-moderno, ultrapassam as fronteiras da Grã-Bretanha, chamando a atenção de estudiosos de outros paises, sobretudo dos Estados Unidos da América.

    Por: Walderclaudio Nascimento Santosl Educaçãol 16/08/2009 lAcessos: 7,380

    O presente artigo tem como objetivo: levar-nos a refletir sobre a importância dos jogos, para o Ensino da Educação Física no Ensino Fundamental. A escolha de trabalhar este tema nasceu da necessidade de investigar a importância do jogo dentro do processo de ensino e aprendizagem da Educação Física. Como objetivos específicos; Observar o valor Pedagógico do Jogo; Lançar um olhar Reflexivo sobre os jogos e a Educação Física. Analisar o Paradigma Quebra-cabeça e Educação Física. Com o tema e os obj

    Por: Walderclaudio Nascimento Santosl Educação> Ensino Superiorl 16/08/2009 lAcessos: 10,706 lComentário: 2

    Ler é essencial. Através da leitura, testa-se os próprios valores e experiências com as dos outros. No final da leitura de cada livro, fica-se enriquecido com novas experiências, novas idéias, novas pessoas. Eventualmente, fica-se conhecendo melhor o mundo, e um pouco mais de si mesmo.

    Por: Walderclaudio Nascimento Santosl Educaçãol 16/08/2009 lAcessos: 15,695 lComentário: 4

    Esta pesquisa, analisou a leitura do livro paradidático desenvolvida na Escola de Ensino Fundamental Senador Carlos Jereissati, tanto no seu significado quanto a sua aplicabilidade. O presente estudo foi desenvolvido a fim de se entender como lidar com o conhecimento através do livro paradidático, necessário e indispensável à formação dos alunos. A escolha de trabalhar com o tema surgiu por se observar que a maioria dos educadores trabalham a leitura de forma mecânica e desvinculada da realidade

    Por: Walderclaudio Nascimento Santosl Educaçãol 16/08/2009 lAcessos: 12,076 lComentário: 2

    O objetivo primordial deste texto é lançar um olhar reflexivo sobre a importância da ação pedagógica do professor que atua nas salas de aceleração da aprendizagem. Onde iremos refletir um pouco sobre o abismo que separa as aulas planejadas sem significado para a vida do educando e a importância dos paradigmas: ação docente, conteúdo e realidade. O texto abaixo foi desenvolvido a partir das experiências educacionais de pesquisadores em salas de Aceleração da Aprendizagem.

    Por: Walderclaudio Nascimento Santosl Educação> Ensino Superiorl 03/10/2008 lAcessos: 29,516

    Neste relato de experiência exitosa lançou-se um olhar reflexivo sobre a avaliação da aprendizagem como parte do processo ensino aprendizagem que tem por fim, garantir a qualidade, verificar a fidelidade da execução dos pressupostos pedagógicos e dos objetivos que determinam a proposta metodológica, verificar o conhecimento que está sendo produzido e assimilado pelo aluno, na sua intensidade e na maneira que isso ocorre. Diante dessas observações que transitam em torna de avaliação educacional.

    Por: Walderclaudio Nascimento Santosl Educação> Ensino Superiorl 03/10/2008 lAcessos: 1,326

    RESUMO Neste artigo lançou-se um olhar reflexivo sobre O Papel da Avaliação da Aprendizagem Aplicada na Região da CREDE 07, nas escolas que compõem os municípios de Canindé, Caridade, Paramiti, Itatira e Santa Quitéria. A presente pesquisa surgiu da necessidade de refletirmos sobre a importância da avaliação no processo de ensino-aprendizagem, onde avaliar seja um ato desenvolvido de forma processual, contínuo e diário.

    Por: Walderclaudio Nascimento Santosl Educação> Ensino Superiorl 03/10/2008 lAcessos: 93,335 lComentário: 3
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast